SlideShare uma empresa Scribd logo
 Conceituar Crise
 Descrever os tipos de crise
 Discorrer sobre os diagnósticos de enfermagem da pessoa
em crise
 Listar e justificar as intervenções de enfermagem para a
situação de crise
 Descrever a importância da intervenção de enfermagem
para a saúde mental
Refere-se à inabilidade da pessoa para resolver um
problema,provocando aumento crescente da
ansiedade,devendo ser considerada um evento
crítico.Pode ser definida como um estado emocional
de desiquilíbrio evidenciado pela inabilidade para
resolver o problema perante a situação,real ou
percebido,envolvendo mudança,perda ou ameaça
biológica,psicológica,social,cultural,espiritual.
 Ocorrência em pessoas saudáveis;
 Caráter agudo;
 Duração limitada
 Experimentada como uma reação emocional
excessivamente ameaçadora;
 A gravidade do evento é definida pela pessoa
que o experimenta e não pela sua magnitude;
 Possibilidade de ser vivenciada como uma
oportunidade de crescimento;;
 Crise maturacional ou de desenvolvimento;
 Crise situacional;
 Crise acidental;
 Fase 1(aumento da ansiedade);
 Fase 2(desorganização do funcionamento da
pessoa);
 Fase 3(regressão do nível do funcionamento);
 Fase 4 (pânico,confusão,violência contra
outros,desorganização da personalidade,suicídio);
 Percepção do evento desencadeante pela pessoa;
 Sistema de apoio ao cliente;
 Estilo de enfrentamento;
 Aceitação genuína;
 Experiências anteriores com eventos semelhantes;
 Capacidade para aceitar a necessidade de
mudança;
 Habilidades cognitivas;
 Controle de humor e afeto;
 Habilidade pessoal para utilizar sistemas de apoio/
 Traços de personalidade;
 Manipulação ambiental;
 Suporte geral;
 Abordagem geral;
 Abordagem individual;
É uma forma de terapia breve, tendo foco no
problema atual a ser resolvido, centrada na solução
imediata de crise.O resultado esperado da
intervenção em crise é a recuperação da pessoa em
crise.
Objetivos:
 Segurança e a redução da ansiedade do
paciente;
 Retorno da pessoa ao estágio de funcionamento
anterior à crise ou a um nível mais adequado.
 -Avaliação inicial da crise
 A avaliação da pessoa e de seu problema atual é o
foco da primeira fase;
 O terapeuta deve estar atento ao momento atual;
 Utilizar de técnicas para descrever a avaliação
exata do evento que desencadeou a crise;
 Determinar quando o evento ocorreu;
 Avaliar as condições físicas e mentais;
 Avaliar se o comportamento do cliente é um risco
para si e para outros;
 Tomar decisão em equipe para o tipo de
internamento e local de atendimento.
-Diagnósticos de Enfermagem
 Ansiedade,em grau elevado,relacionada a uma ameaça
real ou percebida como tal à integridade biológica ou ao
conceito do eu,evidenciada por respostas
fisiológicas,comportamentais,cognitivas e afetivas de medo
e pânico decorrentes da situação de crise,impedindo-o de
identificar suas necessidades;
 Isolamento social relacionado à percepção de suas
limitações no momento evidenciado por incapacidade de
engajar-se em relacionamentos impessoais satisfatórios;
 Confusão aguda relacionada à alteração do nível de
consciência em decorrência do uso de substâncias
psicoativa,de processos demenciais,entre outros;
 Enfrentamento ineficaz individual relacionado à dificuldade
de desenvolver uma avaliação adequada aos estressores;
 Risco de violência direcionada a si próprio relacionado a
estados emocionais,comodesesperança,desespero,
ansiedade intensa,pânico,podendo haver risco de morte
decorrente do aumento excessivo da ansiedade,o que inibe
o insight da situação;
 Angústia espiritual relacionada à perda de significado e
objetivo de vida,mudanças nos padrões de vida,sentimento
de culpa,solidão e desesperança;
 Interações sociais e familiares prejudicadas relacionadas às
dificuldades de estabelecer relacionamentos social e
familiar em decorrência de prejuízos de comunicação;
 Manutenção ineficaz da saúde relacionada à não
aceitação da crise,de tratamentos e de cuidados básicos
de saúde.
-Resultados Esperados
 Descreve o evento crítico;
 Identifica padrões ineficazes de enfrentamento para crise atual;
 Utiliza estratégias eficazes de enfrentamento;
 Verbaliza sensação de controle e redução de estresse;
 Verbaliza necessidade de ajuda;
 Procura ajuda de profissional no momento oportuno;
 Relata redução de sintomas físicos de estresse;
 Relata redução de sentimentos negativos;
 Utiliza apoio social disponível;
 Discute o seu nível de funcionamento antes da crise e suas
percepções sobre a mesma.
-Planejamento da Intervenção em Crise
 Planejar de cinco a seis sessões,considerando o tempo
máximo de duração da crise de seis semanas;;
 Verificar o tipo de crise,explorar quando começou e o
quanto ela afetou a própria pessoa e as outras em seu
ambiente;
 Identificar os pontos fortes do cliente e de suas capacidades
de enfrentamento bem-sucedidas em condições
anteriores,semelhantes à atual,que ainda não foram
utilizadas;
 Identificar a pessoa que pode servir de apoio na família ou
na comunidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
Aroldo Gavioli
 
15ª aula emergencia psiquiatrica
15ª aula   emergencia psiquiatrica15ª aula   emergencia psiquiatrica
15ª aula emergencia psiquiatrica
Prof Silvio Rosa
 
A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)
Joanna de Angelis lopes
 
Transtornos do humor
Transtornos do humorTranstornos do humor
Transtornos do humor
Aroldo Gavioli
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Lorena Albuquerque Vieira
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
Aliny Lima
 
Rede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mentalRede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mental
Aroldo Gavioli
 
Transtorno de Personalidade Borderline
Transtorno de Personalidade BorderlineTranstorno de Personalidade Borderline
Transtorno de Personalidade Borderline
Camila
 
Transtorno de humor - Enfermagem
Transtorno de humor - Enfermagem Transtorno de humor - Enfermagem
Transtorno de humor - Enfermagem
Júnior Maidana
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
Rodrigo Abreu
 
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.pptEMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
Rafaela Amanso
 
Reforma Psiquiatrica
Reforma PsiquiatricaReforma Psiquiatrica
Reforma Psiquiatrica
fabiolarrossa
 
Aula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vidaAula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vida
GuilhermeRafael22
 
Transtorno afetivo bipolar
Transtorno afetivo bipolarTranstorno afetivo bipolar
Transtorno afetivo bipolar
Antonio Francisco
 
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativaTranstornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
Aroldo Gavioli
 
Epilepsia
EpilepsiaEpilepsia
Epilepsia
Hamilton Lima
 
Transtornos de personalidade
Transtornos de personalidadeTranstornos de personalidade
Transtornos de personalidade
gfolive
 
SaúDe Mental E Excluaso Social
SaúDe Mental E Excluaso SocialSaúDe Mental E Excluaso Social
SaúDe Mental E Excluaso Social
Renato Moura
 
Saude mental aula 3
Saude mental aula 3Saude mental aula 3
Saude mental aula 3
Aroldo Gavioli
 
Um Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre EsquizofreniaUm Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre Esquizofrenia
Camila Ferreira
 

Mais procurados (20)

Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
 
15ª aula emergencia psiquiatrica
15ª aula   emergencia psiquiatrica15ª aula   emergencia psiquiatrica
15ª aula emergencia psiquiatrica
 
A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)
 
Transtornos do humor
Transtornos do humorTranstornos do humor
Transtornos do humor
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
 
Rede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mentalRede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mental
 
Transtorno de Personalidade Borderline
Transtorno de Personalidade BorderlineTranstorno de Personalidade Borderline
Transtorno de Personalidade Borderline
 
Transtorno de humor - Enfermagem
Transtorno de humor - Enfermagem Transtorno de humor - Enfermagem
Transtorno de humor - Enfermagem
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.pptEMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
 
Reforma Psiquiatrica
Reforma PsiquiatricaReforma Psiquiatrica
Reforma Psiquiatrica
 
Aula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vidaAula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vida
 
Transtorno afetivo bipolar
Transtorno afetivo bipolarTranstorno afetivo bipolar
Transtorno afetivo bipolar
 
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativaTranstornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
 
Epilepsia
EpilepsiaEpilepsia
Epilepsia
 
Transtornos de personalidade
Transtornos de personalidadeTranstornos de personalidade
Transtornos de personalidade
 
SaúDe Mental E Excluaso Social
SaúDe Mental E Excluaso SocialSaúDe Mental E Excluaso Social
SaúDe Mental E Excluaso Social
 
Saude mental aula 3
Saude mental aula 3Saude mental aula 3
Saude mental aula 3
 
Um Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre EsquizofreniaUm Caso sobre Esquizofrenia
Um Caso sobre Esquizofrenia
 

Destaque

Intervenção em crises
Intervenção em crisesIntervenção em crises
Intervenção em crises
Aroldo Gavioli
 
Emergências-Psiquiatricas
Emergências-PsiquiatricasEmergências-Psiquiatricas
Emergências-Psiquiatricas
Solange Broggine
 
363
363363
363
ufmaitz
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
Saúde Hervalense
 
Politica nac urgencias
Politica nac urgenciasPolitica nac urgencias
Politica nac urgencias
sherlainefa80
 
Apresentação rasível dos reis gestão dos serviços de urgência - ses
Apresentação rasível dos reis   gestão dos serviços de urgência - sesApresentação rasível dos reis   gestão dos serviços de urgência - ses
Apresentação rasível dos reis gestão dos serviços de urgência - ses
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 
Cartilha Vaga Zero
Cartilha Vaga ZeroCartilha Vaga Zero
Cartilha Vaga Zero
Fernando Nery
 
Componentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção àsComponentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção às
José Carlos Pereira
 
Emer. parte 1
 Emer. parte 1 Emer. parte 1
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na EmergênciaHumanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
NayaneQuirino
 
Politica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de UrgenciasPolitica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de Urgencias
Valderi Ferreira
 
Transtorno da ansiedade
Transtorno da ansiedadeTranstorno da ansiedade
Transtorno da ansiedade
Alany Silva
 
Sistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgênciasSistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgências
biblisaocamilo
 
Emergencias Psiquiátricas
Emergencias PsiquiátricasEmergencias Psiquiátricas
Emergencias Psiquiátricas
nAyblancO
 
Segurança do paciente em unidades de urgência
Segurança do paciente em unidades de urgênciaSegurança do paciente em unidades de urgência
Segurança do paciente em unidades de urgência
Aroldo Gavioli
 
Urgencias PsiquiáTricas
Urgencias PsiquiáTricasUrgencias PsiquiáTricas
Urgencias PsiquiáTricas
Adan Henrnandez
 
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaHumanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Aroldo Gavioli
 
Tópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mentalTópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mental
Maria Dias
 
Apresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimentoApresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimento
Felipe Cavalcanti
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanização
Priscila Tenório
 

Destaque (20)

Intervenção em crises
Intervenção em crisesIntervenção em crises
Intervenção em crises
 
Emergências-Psiquiatricas
Emergências-PsiquiatricasEmergências-Psiquiatricas
Emergências-Psiquiatricas
 
363
363363
363
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
 
Politica nac urgencias
Politica nac urgenciasPolitica nac urgencias
Politica nac urgencias
 
Apresentação rasível dos reis gestão dos serviços de urgência - ses
Apresentação rasível dos reis   gestão dos serviços de urgência - sesApresentação rasível dos reis   gestão dos serviços de urgência - ses
Apresentação rasível dos reis gestão dos serviços de urgência - ses
 
Cartilha Vaga Zero
Cartilha Vaga ZeroCartilha Vaga Zero
Cartilha Vaga Zero
 
Componentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção àsComponentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção às
 
Emer. parte 1
 Emer. parte 1 Emer. parte 1
Emer. parte 1
 
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na EmergênciaHumanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
 
Politica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de UrgenciasPolitica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de Urgencias
 
Transtorno da ansiedade
Transtorno da ansiedadeTranstorno da ansiedade
Transtorno da ansiedade
 
Sistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgênciasSistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgências
 
Emergencias Psiquiátricas
Emergencias PsiquiátricasEmergencias Psiquiátricas
Emergencias Psiquiátricas
 
Segurança do paciente em unidades de urgência
Segurança do paciente em unidades de urgênciaSegurança do paciente em unidades de urgência
Segurança do paciente em unidades de urgência
 
Urgencias PsiquiáTricas
Urgencias PsiquiáTricasUrgencias PsiquiáTricas
Urgencias PsiquiáTricas
 
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaHumanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
 
Tópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mentalTópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mental
 
Apresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimentoApresentação sobre acolhimento
Apresentação sobre acolhimento
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanização
 

Semelhante a O enfermeiro em emergência psiquiátrica

Terapiacognitiva mod3
Terapiacognitiva mod3Terapiacognitiva mod3
Terapiacognitiva mod3
eprpfsr
 
Intervenção em crise.pdf
Intervenção em crise.pdfIntervenção em crise.pdf
Intervenção em crise.pdf
ylana4
 
O problema no Psicodiagnóstico
O problema no PsicodiagnósticoO problema no Psicodiagnóstico
O problema no Psicodiagnóstico
helogaliza
 
Sindrome do pânico
Sindrome do pânicoSindrome do pânico
Sindrome do pânico
Jessica Gonçalves
 
O modelo do luto de kluber ross
O modelo do luto de kluber rossO modelo do luto de kluber ross
O modelo do luto de kluber ross
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
GlendaRegoSoares1
 
Aula 8 mecanismos de coping
Aula 8 mecanismos de copingAula 8 mecanismos de coping
Aula 8 mecanismos de coping
Futuros Medicos
 
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade GeneralizadaTerapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
Victor Nóbrega
 
Fobias específicas intervenção
Fobias específicas   intervençãoFobias específicas   intervenção
Fobias específicas intervenção
Rosalina Fialho
 
Emergencias Psiquiatricas 2022.pptx
Emergencias Psiquiatricas 2022.pptxEmergencias Psiquiatricas 2022.pptx
Emergencias Psiquiatricas 2022.pptx
Basilio4
 
Entrevis
EntrevisEntrevis
Entrevis
LuanaLago4
 
Palestra positivo
Palestra positivoPalestra positivo
Palestra positivo
Dra. Cleuza Canan
 
ppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃO
ppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃOppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃO
ppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃO
MaiaraBarreto13
 
Psicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoioPsicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoio
joanadebarros
 
Folheto 1
Folheto 1Folheto 1
Folheto 1
Daniela
 
Texto 5 enfrentamento do estresse
Texto 5 enfrentamento do estresseTexto 5 enfrentamento do estresse
Texto 5 enfrentamento do estresse
Psicologia_2015
 
Ansiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdfAnsiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdf
Eraldo Carlos
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
Maria Dias
 
429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf
429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf
429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf
Gabriela Benigno
 
5174 15405-1-pb
5174 15405-1-pb5174 15405-1-pb

Semelhante a O enfermeiro em emergência psiquiátrica (20)

Terapiacognitiva mod3
Terapiacognitiva mod3Terapiacognitiva mod3
Terapiacognitiva mod3
 
Intervenção em crise.pdf
Intervenção em crise.pdfIntervenção em crise.pdf
Intervenção em crise.pdf
 
O problema no Psicodiagnóstico
O problema no PsicodiagnósticoO problema no Psicodiagnóstico
O problema no Psicodiagnóstico
 
Sindrome do pânico
Sindrome do pânicoSindrome do pânico
Sindrome do pânico
 
O modelo do luto de kluber ross
O modelo do luto de kluber rossO modelo do luto de kluber ross
O modelo do luto de kluber ross
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
 
Aula 8 mecanismos de coping
Aula 8 mecanismos de copingAula 8 mecanismos de coping
Aula 8 mecanismos de coping
 
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade GeneralizadaTerapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
 
Fobias específicas intervenção
Fobias específicas   intervençãoFobias específicas   intervenção
Fobias específicas intervenção
 
Emergencias Psiquiatricas 2022.pptx
Emergencias Psiquiatricas 2022.pptxEmergencias Psiquiatricas 2022.pptx
Emergencias Psiquiatricas 2022.pptx
 
Entrevis
EntrevisEntrevis
Entrevis
 
Palestra positivo
Palestra positivoPalestra positivo
Palestra positivo
 
ppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃO
ppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃOppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃO
ppt psiquiatria comunitaria. APRESENTAÇÃO
 
Psicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoioPsicoterapia de apoio
Psicoterapia de apoio
 
Folheto 1
Folheto 1Folheto 1
Folheto 1
 
Texto 5 enfrentamento do estresse
Texto 5 enfrentamento do estresseTexto 5 enfrentamento do estresse
Texto 5 enfrentamento do estresse
 
Ansiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdfAnsiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdf
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf
429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf
429008673 apostila-resumos-psiquiatria-pdf
 
5174 15405-1-pb
5174 15405-1-pb5174 15405-1-pb
5174 15405-1-pb
 

Mais de Karina Pereira

Cardiologia
CardiologiaCardiologia
Cardiologia
Karina Pereira
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
Karina Pereira
 
Hipertensão genética
Hipertensão genéticaHipertensão genética
Hipertensão genética
Karina Pereira
 
Gravidez Primeiro Trimestre-Relato de Caso
Gravidez Primeiro Trimestre-Relato de CasoGravidez Primeiro Trimestre-Relato de Caso
Gravidez Primeiro Trimestre-Relato de Caso
Karina Pereira
 
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da MulherPolítica Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Karina Pereira
 
Lesão do aparelho locomotor
Lesão do aparelho locomotorLesão do aparelho locomotor
Lesão do aparelho locomotor
Karina Pereira
 
Mitos e verdades na Psiquiatria
Mitos e verdades na PsiquiatriaMitos e verdades na Psiquiatria
Mitos e verdades na Psiquiatria
Karina Pereira
 
Caso dia e has
 Caso dia e has Caso dia e has
Caso dia e has
Karina Pereira
 
Caso Clínico de Leishmaniose
Caso Clínico de LeishmanioseCaso Clínico de Leishmaniose
Caso Clínico de Leishmaniose
Karina Pereira
 
Deficiência da vitamina a
 Deficiência da vitamina a Deficiência da vitamina a
Deficiência da vitamina a
Karina Pereira
 
Diabetes Melitus na Infância
Diabetes Melitus na InfânciaDiabetes Melitus na Infância
Diabetes Melitus na Infância
Karina Pereira
 
Doenças exantemáticas
 Doenças exantemáticas Doenças exantemáticas
Doenças exantemáticas
Karina Pereira
 
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Karina Pereira
 

Mais de Karina Pereira (13)

Cardiologia
CardiologiaCardiologia
Cardiologia
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
 
Hipertensão genética
Hipertensão genéticaHipertensão genética
Hipertensão genética
 
Gravidez Primeiro Trimestre-Relato de Caso
Gravidez Primeiro Trimestre-Relato de CasoGravidez Primeiro Trimestre-Relato de Caso
Gravidez Primeiro Trimestre-Relato de Caso
 
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da MulherPolítica Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
 
Lesão do aparelho locomotor
Lesão do aparelho locomotorLesão do aparelho locomotor
Lesão do aparelho locomotor
 
Mitos e verdades na Psiquiatria
Mitos e verdades na PsiquiatriaMitos e verdades na Psiquiatria
Mitos e verdades na Psiquiatria
 
Caso dia e has
 Caso dia e has Caso dia e has
Caso dia e has
 
Caso Clínico de Leishmaniose
Caso Clínico de LeishmanioseCaso Clínico de Leishmaniose
Caso Clínico de Leishmaniose
 
Deficiência da vitamina a
 Deficiência da vitamina a Deficiência da vitamina a
Deficiência da vitamina a
 
Diabetes Melitus na Infância
Diabetes Melitus na InfânciaDiabetes Melitus na Infância
Diabetes Melitus na Infância
 
Doenças exantemáticas
 Doenças exantemáticas Doenças exantemáticas
Doenças exantemáticas
 
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
 

O enfermeiro em emergência psiquiátrica

  • 1.
  • 2.  Conceituar Crise  Descrever os tipos de crise  Discorrer sobre os diagnósticos de enfermagem da pessoa em crise  Listar e justificar as intervenções de enfermagem para a situação de crise  Descrever a importância da intervenção de enfermagem para a saúde mental
  • 3. Refere-se à inabilidade da pessoa para resolver um problema,provocando aumento crescente da ansiedade,devendo ser considerada um evento crítico.Pode ser definida como um estado emocional de desiquilíbrio evidenciado pela inabilidade para resolver o problema perante a situação,real ou percebido,envolvendo mudança,perda ou ameaça biológica,psicológica,social,cultural,espiritual.
  • 4.  Ocorrência em pessoas saudáveis;  Caráter agudo;  Duração limitada  Experimentada como uma reação emocional excessivamente ameaçadora;  A gravidade do evento é definida pela pessoa que o experimenta e não pela sua magnitude;  Possibilidade de ser vivenciada como uma oportunidade de crescimento;;
  • 5.  Crise maturacional ou de desenvolvimento;  Crise situacional;  Crise acidental;
  • 6.  Fase 1(aumento da ansiedade);  Fase 2(desorganização do funcionamento da pessoa);  Fase 3(regressão do nível do funcionamento);  Fase 4 (pânico,confusão,violência contra outros,desorganização da personalidade,suicídio);
  • 7.  Percepção do evento desencadeante pela pessoa;  Sistema de apoio ao cliente;  Estilo de enfrentamento;  Aceitação genuína;  Experiências anteriores com eventos semelhantes;  Capacidade para aceitar a necessidade de mudança;  Habilidades cognitivas;  Controle de humor e afeto;  Habilidade pessoal para utilizar sistemas de apoio/  Traços de personalidade;
  • 8.  Manipulação ambiental;  Suporte geral;  Abordagem geral;  Abordagem individual;
  • 9. É uma forma de terapia breve, tendo foco no problema atual a ser resolvido, centrada na solução imediata de crise.O resultado esperado da intervenção em crise é a recuperação da pessoa em crise. Objetivos:  Segurança e a redução da ansiedade do paciente;  Retorno da pessoa ao estágio de funcionamento anterior à crise ou a um nível mais adequado.
  • 10.  -Avaliação inicial da crise  A avaliação da pessoa e de seu problema atual é o foco da primeira fase;  O terapeuta deve estar atento ao momento atual;  Utilizar de técnicas para descrever a avaliação exata do evento que desencadeou a crise;  Determinar quando o evento ocorreu;  Avaliar as condições físicas e mentais;  Avaliar se o comportamento do cliente é um risco para si e para outros;  Tomar decisão em equipe para o tipo de internamento e local de atendimento.
  • 11. -Diagnósticos de Enfermagem  Ansiedade,em grau elevado,relacionada a uma ameaça real ou percebida como tal à integridade biológica ou ao conceito do eu,evidenciada por respostas fisiológicas,comportamentais,cognitivas e afetivas de medo e pânico decorrentes da situação de crise,impedindo-o de identificar suas necessidades;  Isolamento social relacionado à percepção de suas limitações no momento evidenciado por incapacidade de engajar-se em relacionamentos impessoais satisfatórios;  Confusão aguda relacionada à alteração do nível de consciência em decorrência do uso de substâncias psicoativa,de processos demenciais,entre outros;
  • 12.  Enfrentamento ineficaz individual relacionado à dificuldade de desenvolver uma avaliação adequada aos estressores;  Risco de violência direcionada a si próprio relacionado a estados emocionais,comodesesperança,desespero, ansiedade intensa,pânico,podendo haver risco de morte decorrente do aumento excessivo da ansiedade,o que inibe o insight da situação;  Angústia espiritual relacionada à perda de significado e objetivo de vida,mudanças nos padrões de vida,sentimento de culpa,solidão e desesperança;  Interações sociais e familiares prejudicadas relacionadas às dificuldades de estabelecer relacionamentos social e familiar em decorrência de prejuízos de comunicação;  Manutenção ineficaz da saúde relacionada à não aceitação da crise,de tratamentos e de cuidados básicos de saúde.
  • 13. -Resultados Esperados  Descreve o evento crítico;  Identifica padrões ineficazes de enfrentamento para crise atual;  Utiliza estratégias eficazes de enfrentamento;  Verbaliza sensação de controle e redução de estresse;  Verbaliza necessidade de ajuda;  Procura ajuda de profissional no momento oportuno;  Relata redução de sintomas físicos de estresse;  Relata redução de sentimentos negativos;  Utiliza apoio social disponível;  Discute o seu nível de funcionamento antes da crise e suas percepções sobre a mesma.
  • 14. -Planejamento da Intervenção em Crise  Planejar de cinco a seis sessões,considerando o tempo máximo de duração da crise de seis semanas;;  Verificar o tipo de crise,explorar quando começou e o quanto ela afetou a própria pessoa e as outras em seu ambiente;  Identificar os pontos fortes do cliente e de suas capacidades de enfrentamento bem-sucedidas em condições anteriores,semelhantes à atual,que ainda não foram utilizadas;  Identificar a pessoa que pode servir de apoio na família ou na comunidade.