SlideShare uma empresa Scribd logo
Enfa. Dra. Aliny de Lima Santos
2016
O PAPEL DO ENFERMEIRO NA
SAÚDE MENTAL E PSIQUIATRIA
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ
Centro de Ciências da Saúde
Graduação em Enfermagem
1
Objetivos de aprendizagem
• Conhecer como se deu o surgimento da enfermagem psiquiátrica
no Brasil;
• Conhecer a mudança no perfil do enfermeiro, mediante a Reforma
Psiquiátrica no Brasil;
• Reconhecer o enfermeiro como principal instrumento terapêutico
na assistência em saúde mental e psiquiatria;
• Apreender como se dá a atuação de enfermagem nos serviços de
saúde que prestam assistência às pessoas com transtorno mental;
2
Ao final desta aula você deverá ser capaz de...
3
Hospício Pedro
II - 1852
Vigilância,
manutenção da
vida e observação
do comportamento
dos pacientes
Subsidiar as
intervenções
médicas
Trabalho centrado
em cuidados
diretos; execução
dos tratamentos
prescritos
Cursos de
Enfermagem séc
XIX – cuidado de
doentes mentais
nos manicômios
Surgimento da Enfermagem
Psiquiátrica no Brasil
Preparo de
enfermeiros com
características
específicas e
diferenciadas
• Novo estatuto social para o louco  o de cidadão;
• Substituição do modelo manicomial  rede de
serviços territoriais de atenção psicossocial de base
comunitária
Reforma
Psiquiátrica
• UBS, CAPS I, II e III; CAPS ad; CAPS i; Emergência
Psiquiátrica; Leito Psiquiátrico; Serviço
Residencial terapêutico, Centro de Conivência...
• Atenção personalizada e multiprofissional 
acolhimento, vínculo e definição da responsabilidade
Rede Substitutiva ao
Hospital
Psiquiátrico
4
Mobilização de todos os atores envolvidos  Maior envolvimento da família e
comunidade;
Valorização da dimensão afetiva  integralidade, Holismo e fortalecimento da
autonomia;
• A partir do ano de 2011, a Rede de Atenção à Saúde Mental foi
definida como uma das cinco redes prioritárias da Secretaria de
Estado da Saúde do Paraná;
• Processo de Planejamento Estratégico com a participação de
diversos profissionais que possuem interface com a Saúde
Mental.
• Abril de 2014  Lançamento Oficial da Rede de Atenção à Saúde
Mental do Estado do Paraná.
5
6
Descentralização e territorialização do atendimento em saúde e no modelo
psicossocial que não apenas se preocupa com o diagnóstico e cura da doença,
mas que cuida do paciente como indivíduo e cidadão.
A partir da construção de uma rede de atenção à saúde mental substitutiva, a
atribuição do enfermeiro passa a tomar novos rumos
A reorientação da assistência em SM exigindo melhores qualificações 
funções que antes eram bem definidas  assumem responsabilidades que
exigem criatividade e habilidades diversas.
Escuta atenta e a comunicação verbal e não verbal, passam a ser peças
fundamentais no tratamento;
Construção do vínculo enfermeiro - usuário  estabelecer um relacionamento
de confiança e verdadeiramente terapêutico.
7
O processo da reinserção social do paciente requer do enfermeiro uma prática ...
compreensiva
reflexiva
criativa
colaborativa
participativa
Papel da Enfermagem na Psiquiatria
•  Gerenciamento de caso e de medicamentos;  Trabalho em grupo;
•  Consulta de enfermagem;  Visita domiciliar;
Cuidados diretos
•  Construção de plano de tratamento conjunto;
•  Reuniões de equipe de tratamento;
Comunicação
•  Coordenação de serviços;  Delegação de atribuições;
•  Alocação de recursos.
Atividades de Gerenciamento
8
Domínios da prática contemporânea da enfermagem psiquiátrica
Faz-se necessário que o enfermeiro esteja apto à
• Fazer avaliações biopsicossociais da saúde;
• Idealizar e implementar planos de cuidado para pacientes e familiares;
• Participar em atividades de gerenciamento de caso;
• Fornecer mapa de cuidados de saúde para indivíduos e família;
• Promover e manter a saúde mental;
• Fornecer cuidados diretos e indiretos;
• Controlar e coordenar os sistemas de cuidado  integrar necessidades dos
pacientes, das equipes, das famílias e dos reguladores.
9
Enfermagem como Instrumento terapêutico
Assistência de
enfermagem em SM
Humanização
Relacionamento
terapêutico
Comunicação
terapêutica
10
Principal instrumento de trabalho do enfermeiro  ELE MESMO
Helena Willis Render – 1947
Hildegard E. Peplau – 1952
Atribuições do enfermeiro nos serviços de
saúde mental
Relacionamento e comunicação com o paciente, sua capacidade de
ouvir e interagir  contribui para a construção de profissionais aptos a
atuarem junto às PTM.
O enfermeiro deve perceber o indivíduo na sua integralidade 
favorecer uma atuação diferenciada.
Atribuições do enfermeiro nos serviços de
saúde mental
No Hospital-Dia
• Reabilitação Psicossocial  cuidado centrado na reinserção social.
• Os enfermeiros desempenham atividades de assistência direta e indireta 
ações individuais e coletivas em diferentes intervenções terapêuticas
visando à autonomia dos usuários.
• Estas modalidades terapêuticas trazem muitos benefícios  redução da
ansiedade e da irritabilidade, aumento da autoestima e da memória,
reintegração social, sensação de bem-estar, melhora das funções psíquicas,
tanto cognitivas como afetivas.
Nos CAPS
• Possibilitam desenvolver autonomia, cidadania e melhor qualidade de vida;
• Substituição das internações frequentemente em hospitais psiquiátricos, pelo
tratamento comunitário;
• Enfermeiro atua em diversos tipos de atividades terapêuticas: psicoterapia
individual ou em grupo, oficinas terapêuticas, atividades comunitárias,
atividades artísticas, orientação e acompanhamento do uso de medicação,
atendimento aos familiares e visitas domiciliares.
• As atividades ocorrem em ambiente aberto, acolhedor e inserido no território ao
qual a pessoa pertence;
• O trabalho da enfermagem se insere em uma prática que vai além dos
chamados “recursos tradicionais”.
Nas ESF
• Na APS – ESF  a Enfermagem está engajada junto a comunidade,
incorporando ações de promoção e educação para saúde, de prevenção e
recuperação da saúde.
Visita
domiciliar
Consulta de
enfermagem
atendimento
ambulatorial
Encaminhamentos
e entrega de
medicação
atendimento
ambulatorial e
levantamento
de casos
Gestão das
equipes, dos
recursos e dos
casos
Processo ainda em implementação  profissionais comumente não realizam atividades
voltadas especificamente a Saúde Mental.
Atribuições do enfermeiro nos serviços de saúde mental
Nos Serviços Residenciais Terapêuticos
• Nos SRT o enfermeiro deve investir em: ampliar trocas, a circulação das
diferenças e promover espaços onde estas pessoas egressas de internações
psiquiátricas de longa duração sejam efetivamente sujeitos de suas vidas.
• Embora as Residências Terapêuticas se configurem como equipamentos da
saúde, são casas, implantadas na cidade com objetivo de reintegração dos
moradores egressos de hospitais psiquiátricos na comunidade.
• O cotidiano dos moradores é acompanhado por uma equipe de profissionais
 reuniões semanais dos moradores com a equipe, onde discutem as
dificuldades, as questões coletivas, a lista de afazeres ou de compras, etc.
• A terapêutica utilizada ainda prevalece centrada quase que exclusivamente no
cuidado clínico, curativo e medicamentoso.
• Assistência de enfermagem que prioriza problemas físicos e clínicos dos
pacientes, e observação e controle do ambiente terapêutico.
contenção verbal, química ou mecânica medidas de vigilância
reduzido relacionamento interpessoal enfermagem-paciente
Atribuições do enfermeiro nos serviços de saúde
mental
Nos Hospital Psiquiátrico
• A função do enfermeiro não admite mais a noção de “cura”, mas de
reabilitação, reinserção social  não condiz com os meios
conservadores.
• Entre as atribuições da enfermagem em psiquiatria está:
Planejar, executar,
administrar,
coordenar e avaliar
as atividades da
equipe de
enfermagem,
Atuação
participante na
composição da equipe
multiprofissional de
saúde mental
Atuação como agente
terapêutico junto às
PTM
Promover a reinserção psicossocial do indivíduo com
transtorno mental
Retomando...
• A enfermagem psiquiátrica surgiu desde antes da Reforma psiquiátrica 
sofreu diversas mudanças no decorrer dos anos;
• Mediante construção de uma rede de atenção à saúde mental substitutiva  a
atribuição do enfermeiro passa a tomar novos rumos, diferentes das práticas
dos hospitais psiquiátricos tradicionais;
• Atualmente, a enfermeiro atua de diversas formas nos serviços de saúde
mental;
• Diversidade de atividades que o enfermeiro pode atuar  implica em usar a
criatividade, comunicação e relação terapêutica, empatia, vínculo,
adaptação e capacidade de gestão  qualidade de vida e dignidade à PTM
e sua família.
18
Avaliação da aprendizagem
• Leia o caso clínico de F. F. A.
• Considerando que você atue no CAPS em que ele se encontra, construa
um plano de intervenção para F. F. A.
• Não esqueça de considerar e relatar objetivos, recursos a serem
utilizados, duração, profissionais participantes e abordagem do
plano de intervenção;
19
• Leitura do artigo entregue  síntese reflexiva
para discussão
Grata pela atenção.
20

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemfnanda
 
Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização Inaiara Bragante
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópiaKarla Toledo
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemFernando Dias
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importânciaCélia Costa
 
História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1Eduardo Gomes da Silva
 
Aula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasAula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasErivaldo Rosendo
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasilkellyschorro18
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCentro Universitário Ages
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Aline Bandeira
 
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteAula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteProqualis
 

Mais procurados (20)

Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
 
Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
 
éTica e enfermagem
éTica e enfermageméTica e enfermagem
éTica e enfermagem
 
História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1História e reforma psiquiátrica parte 1
História e reforma psiquiátrica parte 1
 
Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso
 
Aula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricasAula emergencias psiquiatricas
Aula emergencias psiquiatricas
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
 
Saude mental aula 3
Saude mental aula 3Saude mental aula 3
Saude mental aula 3
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
 
Assistencia domiciliar
Assistencia domiciliarAssistencia domiciliar
Assistencia domiciliar
 
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteAula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 

Destaque (19)

O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mentalO Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
 
Desequilibrio Hidroeletrolítico
Desequilibrio HidroeletrolíticoDesequilibrio Hidroeletrolítico
Desequilibrio Hidroeletrolítico
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renalCuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
Cuidados aos pacientes com distúbios urinários e renal
 
A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Conceito saude
Conceito saudeConceito saude
Conceito saude
 
Apresentação meningite
Apresentação meningiteApresentação meningite
Apresentação meningite
 
Paraplegia
ParaplegiaParaplegia
Paraplegia
 
Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.Conceito de saúde mental.
Conceito de saúde mental.
 
Tumores Cerebrais / Sistema Nervoso Central
Tumores Cerebrais / Sistema Nervoso CentralTumores Cerebrais / Sistema Nervoso Central
Tumores Cerebrais / Sistema Nervoso Central
 
Hemiplegia
HemiplegiaHemiplegia
Hemiplegia
 
Meningite
MeningiteMeningite
Meningite
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Paraplegia
ParaplegiaParaplegia
Paraplegia
 
Trabalho Saúde Mental
Trabalho Saúde MentalTrabalho Saúde Mental
Trabalho Saúde Mental
 
Saúde Mental
Saúde Mental Saúde Mental
Saúde Mental
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
 

Semelhante a O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria

EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICOEVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICOsara jane brazao pinto
 
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICOEVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICOsara jane brazao pinto
 
UFCD - 6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD -  6579 Cuidados na Saúde MentalUFCD -  6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD - 6579 Cuidados na Saúde MentalNome Sobrenome
 
PSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptx
PSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptxPSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptx
PSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptxrosemendes2001hotmai
 
Residência Terapêutica - Holiste
Residência Terapêutica - HolisteResidência Terapêutica - Holiste
Residência Terapêutica - HolisteHoliste Psiquiatria
 
Equipa Multidisciplinar
Equipa MultidisciplinarEquipa Multidisciplinar
Equipa MultidisciplinarFábio Simões
 
Aula Saúde Mental e assistencia de enfermagem
Aula Saúde Mental e assistencia de enfermagemAula Saúde Mental e assistencia de enfermagem
Aula Saúde Mental e assistencia de enfermagemMaguidaSilva1
 
As teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemAs teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemjakemarques
 
Holiste Psiquiatria - Excelência em Saúde Mental
Holiste Psiquiatria - Excelência em Saúde MentalHoliste Psiquiatria - Excelência em Saúde Mental
Holiste Psiquiatria - Excelência em Saúde MentalHoliste Psiquiatria
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfGlendaRegoSoares1
 
equipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdf
equipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdfequipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdf
equipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdfsusanachaves13
 
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...Creudenia Freitas Santos
 
Seminário grupo c (1)
Seminário grupo c (1)Seminário grupo c (1)
Seminário grupo c (1)Tathiane Souza
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?carloslins20
 

Semelhante a O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria (20)

EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICOEVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
 
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICOEVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
EVOLUÇAO DA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA E PAPEL DO ENFERMEIRO PSIQUIATRICO
 
UFCD - 6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD -  6579 Cuidados na Saúde MentalUFCD -  6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD - 6579 Cuidados na Saúde Mental
 
PSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptx
PSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptxPSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptx
PSICOLOGIA APLICADA AÞ_ SAAÞ_DE.pptx
 
Residência Terapêutica - Holiste
Residência Terapêutica - HolisteResidência Terapêutica - Holiste
Residência Terapêutica - Holiste
 
Equipa Multidisciplinar
Equipa MultidisciplinarEquipa Multidisciplinar
Equipa Multidisciplinar
 
Aula Saúde Mental e assistencia de enfermagem
Aula Saúde Mental e assistencia de enfermagemAula Saúde Mental e assistencia de enfermagem
Aula Saúde Mental e assistencia de enfermagem
 
Programa de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSFPrograma de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSF
 
Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família
Trabalho sobre o Programa de Saúde da FamíliaTrabalho sobre o Programa de Saúde da Família
Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família
 
As teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemAs teorias de enfermagem
As teorias de enfermagem
 
111 441-1-pb
111 441-1-pb111 441-1-pb
111 441-1-pb
 
Holiste Psiquiatria - Excelência em Saúde Mental
Holiste Psiquiatria - Excelência em Saúde MentalHoliste Psiquiatria - Excelência em Saúde Mental
Holiste Psiquiatria - Excelência em Saúde Mental
 
Gesf Visita domiciliar
Gesf Visita domiciliarGesf Visita domiciliar
Gesf Visita domiciliar
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
 
CAPS.pptx
CAPS.pptxCAPS.pptx
CAPS.pptx
 
caps.pptx
caps.pptxcaps.pptx
caps.pptx
 
equipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdf
equipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdfequipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdf
equipamultidisciplinar-141011162738-conversion-gate02.pdf
 
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
 
Seminário grupo c (1)
Seminário grupo c (1)Seminário grupo c (1)
Seminário grupo c (1)
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
 

O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria

  • 1. Enfa. Dra. Aliny de Lima Santos 2016 O PAPEL DO ENFERMEIRO NA SAÚDE MENTAL E PSIQUIATRIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ Centro de Ciências da Saúde Graduação em Enfermagem 1
  • 2. Objetivos de aprendizagem • Conhecer como se deu o surgimento da enfermagem psiquiátrica no Brasil; • Conhecer a mudança no perfil do enfermeiro, mediante a Reforma Psiquiátrica no Brasil; • Reconhecer o enfermeiro como principal instrumento terapêutico na assistência em saúde mental e psiquiatria; • Apreender como se dá a atuação de enfermagem nos serviços de saúde que prestam assistência às pessoas com transtorno mental; 2 Ao final desta aula você deverá ser capaz de...
  • 3. 3 Hospício Pedro II - 1852 Vigilância, manutenção da vida e observação do comportamento dos pacientes Subsidiar as intervenções médicas Trabalho centrado em cuidados diretos; execução dos tratamentos prescritos Cursos de Enfermagem séc XIX – cuidado de doentes mentais nos manicômios Surgimento da Enfermagem Psiquiátrica no Brasil Preparo de enfermeiros com características específicas e diferenciadas
  • 4. • Novo estatuto social para o louco  o de cidadão; • Substituição do modelo manicomial  rede de serviços territoriais de atenção psicossocial de base comunitária Reforma Psiquiátrica • UBS, CAPS I, II e III; CAPS ad; CAPS i; Emergência Psiquiátrica; Leito Psiquiátrico; Serviço Residencial terapêutico, Centro de Conivência... • Atenção personalizada e multiprofissional  acolhimento, vínculo e definição da responsabilidade Rede Substitutiva ao Hospital Psiquiátrico 4 Mobilização de todos os atores envolvidos  Maior envolvimento da família e comunidade; Valorização da dimensão afetiva  integralidade, Holismo e fortalecimento da autonomia;
  • 5. • A partir do ano de 2011, a Rede de Atenção à Saúde Mental foi definida como uma das cinco redes prioritárias da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; • Processo de Planejamento Estratégico com a participação de diversos profissionais que possuem interface com a Saúde Mental. • Abril de 2014  Lançamento Oficial da Rede de Atenção à Saúde Mental do Estado do Paraná. 5
  • 6. 6 Descentralização e territorialização do atendimento em saúde e no modelo psicossocial que não apenas se preocupa com o diagnóstico e cura da doença, mas que cuida do paciente como indivíduo e cidadão. A partir da construção de uma rede de atenção à saúde mental substitutiva, a atribuição do enfermeiro passa a tomar novos rumos A reorientação da assistência em SM exigindo melhores qualificações  funções que antes eram bem definidas  assumem responsabilidades que exigem criatividade e habilidades diversas.
  • 7. Escuta atenta e a comunicação verbal e não verbal, passam a ser peças fundamentais no tratamento; Construção do vínculo enfermeiro - usuário  estabelecer um relacionamento de confiança e verdadeiramente terapêutico. 7 O processo da reinserção social do paciente requer do enfermeiro uma prática ... compreensiva reflexiva criativa colaborativa participativa
  • 8. Papel da Enfermagem na Psiquiatria •  Gerenciamento de caso e de medicamentos;  Trabalho em grupo; •  Consulta de enfermagem;  Visita domiciliar; Cuidados diretos •  Construção de plano de tratamento conjunto; •  Reuniões de equipe de tratamento; Comunicação •  Coordenação de serviços;  Delegação de atribuições; •  Alocação de recursos. Atividades de Gerenciamento 8 Domínios da prática contemporânea da enfermagem psiquiátrica
  • 9. Faz-se necessário que o enfermeiro esteja apto à • Fazer avaliações biopsicossociais da saúde; • Idealizar e implementar planos de cuidado para pacientes e familiares; • Participar em atividades de gerenciamento de caso; • Fornecer mapa de cuidados de saúde para indivíduos e família; • Promover e manter a saúde mental; • Fornecer cuidados diretos e indiretos; • Controlar e coordenar os sistemas de cuidado  integrar necessidades dos pacientes, das equipes, das famílias e dos reguladores. 9
  • 10. Enfermagem como Instrumento terapêutico Assistência de enfermagem em SM Humanização Relacionamento terapêutico Comunicação terapêutica 10 Principal instrumento de trabalho do enfermeiro  ELE MESMO Helena Willis Render – 1947 Hildegard E. Peplau – 1952
  • 11. Atribuições do enfermeiro nos serviços de saúde mental Relacionamento e comunicação com o paciente, sua capacidade de ouvir e interagir  contribui para a construção de profissionais aptos a atuarem junto às PTM. O enfermeiro deve perceber o indivíduo na sua integralidade  favorecer uma atuação diferenciada.
  • 12. Atribuições do enfermeiro nos serviços de saúde mental No Hospital-Dia • Reabilitação Psicossocial  cuidado centrado na reinserção social. • Os enfermeiros desempenham atividades de assistência direta e indireta  ações individuais e coletivas em diferentes intervenções terapêuticas visando à autonomia dos usuários. • Estas modalidades terapêuticas trazem muitos benefícios  redução da ansiedade e da irritabilidade, aumento da autoestima e da memória, reintegração social, sensação de bem-estar, melhora das funções psíquicas, tanto cognitivas como afetivas.
  • 13. Nos CAPS • Possibilitam desenvolver autonomia, cidadania e melhor qualidade de vida; • Substituição das internações frequentemente em hospitais psiquiátricos, pelo tratamento comunitário; • Enfermeiro atua em diversos tipos de atividades terapêuticas: psicoterapia individual ou em grupo, oficinas terapêuticas, atividades comunitárias, atividades artísticas, orientação e acompanhamento do uso de medicação, atendimento aos familiares e visitas domiciliares. • As atividades ocorrem em ambiente aberto, acolhedor e inserido no território ao qual a pessoa pertence; • O trabalho da enfermagem se insere em uma prática que vai além dos chamados “recursos tradicionais”.
  • 14. Nas ESF • Na APS – ESF  a Enfermagem está engajada junto a comunidade, incorporando ações de promoção e educação para saúde, de prevenção e recuperação da saúde. Visita domiciliar Consulta de enfermagem atendimento ambulatorial Encaminhamentos e entrega de medicação atendimento ambulatorial e levantamento de casos Gestão das equipes, dos recursos e dos casos Processo ainda em implementação  profissionais comumente não realizam atividades voltadas especificamente a Saúde Mental.
  • 15. Atribuições do enfermeiro nos serviços de saúde mental Nos Serviços Residenciais Terapêuticos • Nos SRT o enfermeiro deve investir em: ampliar trocas, a circulação das diferenças e promover espaços onde estas pessoas egressas de internações psiquiátricas de longa duração sejam efetivamente sujeitos de suas vidas. • Embora as Residências Terapêuticas se configurem como equipamentos da saúde, são casas, implantadas na cidade com objetivo de reintegração dos moradores egressos de hospitais psiquiátricos na comunidade. • O cotidiano dos moradores é acompanhado por uma equipe de profissionais  reuniões semanais dos moradores com a equipe, onde discutem as dificuldades, as questões coletivas, a lista de afazeres ou de compras, etc.
  • 16. • A terapêutica utilizada ainda prevalece centrada quase que exclusivamente no cuidado clínico, curativo e medicamentoso. • Assistência de enfermagem que prioriza problemas físicos e clínicos dos pacientes, e observação e controle do ambiente terapêutico. contenção verbal, química ou mecânica medidas de vigilância reduzido relacionamento interpessoal enfermagem-paciente Atribuições do enfermeiro nos serviços de saúde mental Nos Hospital Psiquiátrico
  • 17. • A função do enfermeiro não admite mais a noção de “cura”, mas de reabilitação, reinserção social  não condiz com os meios conservadores. • Entre as atribuições da enfermagem em psiquiatria está: Planejar, executar, administrar, coordenar e avaliar as atividades da equipe de enfermagem, Atuação participante na composição da equipe multiprofissional de saúde mental Atuação como agente terapêutico junto às PTM Promover a reinserção psicossocial do indivíduo com transtorno mental
  • 18. Retomando... • A enfermagem psiquiátrica surgiu desde antes da Reforma psiquiátrica  sofreu diversas mudanças no decorrer dos anos; • Mediante construção de uma rede de atenção à saúde mental substitutiva  a atribuição do enfermeiro passa a tomar novos rumos, diferentes das práticas dos hospitais psiquiátricos tradicionais; • Atualmente, a enfermeiro atua de diversas formas nos serviços de saúde mental; • Diversidade de atividades que o enfermeiro pode atuar  implica em usar a criatividade, comunicação e relação terapêutica, empatia, vínculo, adaptação e capacidade de gestão  qualidade de vida e dignidade à PTM e sua família. 18
  • 19. Avaliação da aprendizagem • Leia o caso clínico de F. F. A. • Considerando que você atue no CAPS em que ele se encontra, construa um plano de intervenção para F. F. A. • Não esqueça de considerar e relatar objetivos, recursos a serem utilizados, duração, profissionais participantes e abordagem do plano de intervenção; 19 • Leitura do artigo entregue  síntese reflexiva para discussão