SlideShare uma empresa Scribd logo
Motivação
Objetivos:  Definir motivação; Apresentar de forma resumida, os conceitos das principais teorias.
Significado da Motivação Palavra latina  motivus,  que significa aquilo que movimenta, que faz andar; É extremamente estudada dentro do enfoque comportamental,  buscando compreender os mecanismos que movimentam as pessoas, para os comportamentos de alto desempenho, indiferença ou improdutividade, a favor ou contra os interesses da organização e da administração; Abrange as causas ou motivos que produzem determinado comportamento, seja ele qual for.
MOTIV  AÇÃO Motivo para a ação Emoções que impulsionam as pessoas  Influenciam seu jeito de perceber os fatos
Definindo Motivação Processo responsável pela intensidade, direção e persistência dos esforços de uma pessoa para o alcance de uma determinada meta.  Intensidade: quanto esforço a pessoa despende Direção: de encontro aos objetivos organizacionais Persistência: quanto tempo uma pessoa consegue manter seu esforço.
Antigas teorias sobre Motivação Teoria da Hierarquia das Necessidades
Teoria da Hierarquia das Necessidades Na medida que uma necessidade é atendida, a outra se torna a dominante.  Seqüencial  Para motivar é necessário entender em que nível de hierarquia a pessoa se encontra no momento e focar a satisfação naquele nível Fisiológicas e de segurança- níveis baixos- satisfeitas quase sempre externamente Social, estima e auto-realização- níveis altos- satisfeitas internamente
Teoria X e teoria Y Mc Gregor propôs duas visões distintas do ser humano: uma basicamente negativa a Teoria X  e outra basicamente positiva a Teoria Y. Chegou a essas teorias após observar como os executivos tratavam seus funcionários, esse tratamento deriva da visão que os executivos tem da natureza dos seres humanos e essas premissas baseiam o comportamento deles em relação a seus funcionários.
Teoria X: os funcionários não gostam de trabalhar por sua própria natureza e tentarão evitar o trabalho sempre que possível; Precisam ser coagidos, controlados ou ameaçados com punições para que atinjam as metas; Os funcionários evitam responsabilidades e buscam orientação formal sempre que possível;  A maioria dos trabalhadores coloca a segurança acima de todos os fatores associados ao trabalho e mostra pouca ambição. Premissas Teoria X e teoria Y
Teoria Y: os funcionários podem achar o trabalho algo tão natural quanto descansar ou se divertir; As pessoas demonstrarão auto-orientação e autocontrole se estiverem comprometidas com os objetivos; A pessoa mediana é capaz de aprender a aceitar, ou até a buscar, a responsabilidade; A capacidade de tomar decisões inovadoras pode ser encontrada em qualquer pessoa e não é privilégio exclusivo dos que estão em posições hierarquicamente superiores. -  Para motivar as pessoas propôs idéias como a do processo decisório participativo, a das tarefas desafiadoras e de muita responsabilidade e a de um bom relacionamento do grupo. Premissas Teoria X e teoria Y
Frederick Herzberg Teoria dos Dois Fatores Fatores Motivacionais:  Conteúdo do Trabalho Fatores Higiênicos Ambiente de Trabalho
Fatores motivacionais ou intrínsecos: Conteúdo do trabalho em si (natureza das tarefas e sua sintonia com os interesses e qualificações da pessoa; Sentido de realização de algo importante; Exercício da responsabilidade; Possibilidade de crescimento; Orgulho e sentimento de prestígio decorrentes da profissão. Teoria dos Dois Fatores
Fatores extrínsecos ou higiênicos: condições de trabalho Estilo de supervisão do chefe; Relações pessoais com os colegas; Salário; Políticas de administração de pessoal; Condições físicas e segurança do trabalho. Teoria dos Dois Fatores
Papel dos fatores higiênicos: Eles criam o clima psicológico e material saudável e influenciam a satisfação com as condições dentro das quais o trabalho é realizado. Quanto melhores, por exemplo, as relações entre colegas e o tratamento recebido do supervisor, melhor será esse clima- mais higiênico o ambiente.  Teoria dos Dois Fatores
Ambiente de trabalho produz satisfação ou insatisfação com o próprio ambiente. Papel dos fatores motivacionais: as condições ambientais não são suficientes para induzir o estado de motivação- aquela disposição ou vontade que está associada à idéia de “pessoa motivada.” Para que essa motivação ocorra, de acordo com Herzberg, é preciso que a pessoa esteja sintonizada com seu trabalho, que enxergue nela a possibilidade de exercitar suas habilidades ou desenvolver novas aptidões.  Apenas o trabalho e si e o seu conteúdo produzem motivação para o trabalho.   Teoria dos Dois Fatores
Satisfação  Não-satisfação Insatisfação  Não-insatisfação  A teoria afirma que motivação pelo trabalho é diferente de satisfação com o ambiente de trabalho. O trabalho em si atende as necessidades e produz satisfações completamente diferentes das que estão associadas ao ambiente ou às condições de trabalho. A teoria explica, por ex., por que certos profissionais dão mais importância  à atividade que realizam do que a possíveis vantagens materiais que ela possa trazer. Ex: artesãos, sacerdotes e integrantes de atividades assistenciais.  Teoria dos Dois Fatores
Fatores motivacionais, portanto, atendem a necessidades que estão no topo da hierarquia das necessidades. Fatores higiênicos atendem às necessidades que estão na base da pirâmide. Técnica Enriquecimento do trabalho (job enrichment), consiste em incrementar os fatores motivacionais de um cargo ou de um grupo de cargos, cujos ocupantes tenham responsabilidade pela mesma tarefa. Teoria dos Dois Fatores
Técnica Enriquecimento do trabalho:  pode ser feita por meio da delegação de atribuições adicionais, incorporação de tarefas correlatas (por ex: um funcionário pode ser responsabilizado pelo treinamento dos novos colegas) ou aquisição de novas habilidades ( por ex: o funcionário pode ser treinado para atualizar-se continuamente na operação de computadores). Prevê também a potencialização do trabalhador, por meio do aumento de seus poderes de decisão ( empowerment). Teoria dos Dois Fatores
Clayton Adelfer- autor de uma versão revista da teoria de Maslow. 3 grupos principais de necessidades: Existence- existência, compreende as necessidades básicas, fisiológicas e de segurança, de Maslow; Relatedness- relacionamento, compreende necessidades de relações pessoais significativas e as necessidades de estima, de Maslow; Growth- crescimento, é a necessidade ou desejo intrínseco de crescimento pessoal e auto-realização. Difere de Maslow porque não é seqüencial, mas simultânea. Teoria ERG
Teoria das Necessidades Desenvolvida por McClelland 3 necessidades:  De realização: busca da excelência, de se realizar em relação a determinados padrões, de lutar pelo sucesso De poder: necessidade de fazer com que os outros se comportem de um modo que não fariam naturalmente De associação: desejo de relacionamentos interpessoais próximos e amigáveis
Teoria da Avaliação Cognitiva Propõe que a introdução de recompensas externas, como pagamento, para trabalhos que eram anteriormente gratificantes apenas pelo seu conteúdo, tende a reduzir sua motivação. Esta teoria se relaciona à forma como as pessoas são remuneradas nas organizações. Ela sustenta que, quando a organização usa recompensas externas para premiar desempenhos superiores, as recompensas internas, que resultam de o indivíduo fazer o que gosta, são reduzidas.
Teoria da fixação de objetivos Lutar por um objetivo é a maior fonte de motivação no trabalho Um objetivo diz ao funcionário o que precisa ser feito e quanto esforço terá de ser despendido em seu alcance.  Objetivos específicos melhoram o desempenho, que objetivos difíceis, quando aceitos, melhoram mais o desempenho do que aqueles mais fáceis; e que o feedback também conduz a melhores desempenhos; A resistência é maior quando o objetivo é difícil, mas quando as pessoas participam de sua fixação existe maior probabilidade delas aceitarem um objetivo difícil.  Auto-eficácia se refere à convicção individual de que se é capaz de realizar uma determinada tarefa.  Maior é a confiança na obtenção de sucesso, respondem ao feedback negativo com mais determinação  e motivação.
Teoria do reforço Abordagem comportamentalista, o reforço condiciona o comportamento Se concentra apenas no que lhe acontece quando realiza uma ação qualquer Ex: se você for constantemente censurado pelos seus colegas por produzir mais, provavelmente vai reduzir sua produtividade.
Teoria do planejamento do trabalho A maneira como os elementos do trabalho são organizados pode aumentar ou reduzir a motivação.  5 dimensões:  Variedade de habilidades Identidade da tarefa Significância da tarefa Autonomia Feedback
Teoria da Equidade As recompensas devem ser proporcionais ao esforço e iguais para todos. Sentimento de justiça ao comparar contribuição x recompensas, próprias e dos outros.
Teoria da Equidade A percepção de falta de equidade pode gerar uma combinação de 6 tipos de comportamentos: Alteração no esforço exercido Alteração nos resultados produzidos Distorção da auto percepção  Distorção na percepção dos outros Escolha de outra referência Abandono da situação presente
Teoria da Expectativa Baseia-se nas expectativas, analisando a relação entre recompensas e satisfação; O desempenho que se alcança é proporcional ao esforço que se faz; O esforço que se faz é proporcional ao valor que se dá a recompensa; Se a recompensa for atraente, a motivação para fazer o esforço será grande.
Behaviorismo   Adestramento de animais; Condicionamento operante: comportamento que se repete, como o comportamento produz o efeito desejado, a pessoa fica condicionada a repeti-lo nas situações de necessidade. Reforço positivo: estímulos ou recompensas, conseqüências agradáveis que fazem o comportamento se repetir; Punição: castigo
Hipóteses sobre  a Motivação Humana Homem econômico-racional A motivação encontra-se na perspectiva do ganho; o motivo importante é ter bens materiais. Homem social A motivação é o grupo; o motivo importante é o reconhecimento dos colegas. Homem auto-realizador A motivação é a realização interior; o motivo importante é a satisfação íntima. Homem complexo A motivação não tem causa única; diversos motivos ou causas são importantes para mover o comportamento.
A frustração, que decorre da necessidade insatisfeita, ou da percepção de falta de equidade, gera outras manifestações do comportamento humano.  Como conseqüência dessa frustração, pode ser que uma pessoa adote um comportamento de fuga, compensação, agressão ou deslocamento.   Frustração
Compensação Resignação Agressão Substituição ou deslocamento Frustração
Contribuições do líder ao processo motivacional  Gestão do sentido do trabalho Alocação correta dos indivíduos às tarefas; Concessão de autonomia e empowerment; Respeito à diversidade e à subjetividade.
O líder deve instilar orgulho nos colaboradores Estabelecendo aspirações que toquem as emoções  Buscando um propósito significativo Mantendo relacionamentos pessoais de respeito Tornando-se uma pessoa de caráter forte Cultivando o humor ao longo do caminho Pondo em prática o reconhecimento e a celebração
Frustração no ambiente de trabalho Líder não mostra interesse Líder não oferece apoio Normas restritivas Pouca transparência  Clima de insegurança Discurso e ação inconsistente
Como aplicar as teorias de motivação nas práticas de gestão?
Administração por objetivos Relação com a teoria da fixação de metas Fixação de metas tangíveis, verificáveis e mensuráveis Converter os objetivos organizacionais em metas específicas para cada unidade  e para cada indivíduo dentro da organização Características: especificidade, decisão participativa, um período determinado de tempo e feedback do desempenho Ex: cortar os custos do setor em 7%, prazo para execução 3 meses
Programa de reconhecimento dos funcionários Comportamentos são encorajados e os procedimentos para a conquista do reconhecimento são identificados claramente Ex: funcionário do mês
Programas de envolvimento dos funcionários Gestão participativa- processo decisório coletivo, é necessário que tenham competências, conhecimentos técnicos e capacidade de comunicação  Democracia no ambiente de trabalho Autonomia (empowerment) Participação acionária  Círculos de qualidade
O novo planejamento do trabalho e os esquemas flexíveis Replanejar o trabalho para que ele se torne mais motivador Rodízio de tarefas Ampliação de tarefas Enriquecimento de tarefas: expansão vertical das funções, ele aumenta o grau em que o trabalhador controla o planejamento, execução e a avaliação de seu trabalho. Horário flexível Emprego compartilhado Telecomutação
Programas de remuneração variável Parte da remuneração se baseia em alguma medida de desempenho, individual e/ou organizacional. As quantias recebidas flutuam de acordo com a medição do desempenho.
Planos de remuneração por habilidades Estabelece o nível salarial com base na quantidade de habilidades do funcionário, ou na variedade de funções que ele é capaz de desempenhar.  As organizações que adotaram  downsizing  precisam de funcionários mais generalistas e menos especialistas.  Outros benefícios: - facilita a comunicação porque as pessoas passam a entender melhor o trabalho das outras Enfraquecem o comportamento disfuncional de “proteção do território” É mais difícil de ouvir a frase: “isto não é meu serviço” Ajuda a satisfazer as necessidades de funcionários mais ambiciosos, que não têm muitas oportunidades de progresso  em seu cargo.
Podem aumentar seus rendimentos sem a necessidade de uma promoção Levam a melhorias de desempenho  Planos de remuneração por habilidades
Benefícios flexíveis São planos que permitem aos funcionários escolher entre diversos itens de um cardápio de opções d benefícios. A idéia é permitir que cada funcionário escolha seu pacote de acordo com suas próprias necessidades e situação. Podem ser ajustados de acordo com estado civil, faixa etária, benefícios do cônjuge, número e idade dos dependentes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocional
Cintia Meneghini
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
Avanti! Comunicação
 
A importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalhoA importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalho
inovaDay .
 
Motivação no trabalho - Slides.ppt
Motivação no trabalho - Slides.pptMotivação no trabalho - Slides.ppt
Motivação no trabalho - Slides.ppt
GeorgeAlves8
 
Treinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - EmbaliTreinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - Embali
Milton Henrique do Couto Neto
 
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no TrabalhoSlide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Crícia Silva
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Luis Paulo Barros
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
Ludmila Moura
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
Nome Sobrenome
 
Palestra Motivação - Vix
Palestra Motivação - VixPalestra Motivação - Vix
Palestra Motivação - Vix
Milton Henrique do Couto Neto
 
Desenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalDesenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocional
Alexandre Rivero
 
Palestra motivacional
Palestra motivacionalPalestra motivacional
Palestra motivacional
Fernando Lima
 
Preparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalhoPreparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalho
Escola de Informática Evolutime; Colégio Pio XII
 
Inteligência Emocional na Liderança
Inteligência Emocional na LiderançaInteligência Emocional na Liderança
Inteligência Emocional na Liderança
Ismael
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
Camila Prada
 
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício AndradeLiderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Maurício Andrade
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipe
aavbatista
 
Comunicação Não Violenta
Comunicação Não ViolentaComunicação Não Violenta
Comunicação Não Violenta
jorge luiz dos santos de souza
 
Gestao de conflitos.ppt
Gestao de conflitos.pptGestao de conflitos.ppt
Gestao de conflitos.ppt
Ftfmatta
 
Palestra - A importância do trabalho em equipe
Palestra - A importância do trabalho em equipePalestra - A importância do trabalho em equipe
Palestra - A importância do trabalho em equipe
Joelson Matoso
 

Mais procurados (20)

Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocional
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
 
A importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalhoA importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalho
 
Motivação no trabalho - Slides.ppt
Motivação no trabalho - Slides.pptMotivação no trabalho - Slides.ppt
Motivação no trabalho - Slides.ppt
 
Treinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - EmbaliTreinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - Embali
 
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no TrabalhoSlide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 
Palestra Motivação - Vix
Palestra Motivação - VixPalestra Motivação - Vix
Palestra Motivação - Vix
 
Desenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalDesenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocional
 
Palestra motivacional
Palestra motivacionalPalestra motivacional
Palestra motivacional
 
Preparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalhoPreparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalho
 
Inteligência Emocional na Liderança
Inteligência Emocional na LiderançaInteligência Emocional na Liderança
Inteligência Emocional na Liderança
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício AndradeLiderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipe
 
Comunicação Não Violenta
Comunicação Não ViolentaComunicação Não Violenta
Comunicação Não Violenta
 
Gestao de conflitos.ppt
Gestao de conflitos.pptGestao de conflitos.ppt
Gestao de conflitos.ppt
 
Palestra - A importância do trabalho em equipe
Palestra - A importância do trabalho em equipePalestra - A importância do trabalho em equipe
Palestra - A importância do trabalho em equipe
 

Destaque

Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicasResgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Ideia de Marketing
 
Apresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipeApresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipe
Denisia Teixeira
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
bia_chersoni
 
Gestão conhecimento e equipes
Gestão conhecimento e equipesGestão conhecimento e equipes
Gestão conhecimento e equipes
Eduardo Castro
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Questionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradores
Questionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradoresQuestionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradores
Questionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradores
laruzinha
 
Motivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalhoMotivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalho
Universidade Pedagogica
 
Liderança e satisfação no trabalho
Liderança e satisfação no trabalhoLiderança e satisfação no trabalho
Liderança e satisfação no trabalho
Marisa Serrenho
 
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Rebeca Pereira
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
Maria Domingas de Souza
 
Treinamento funcionários de supermercado
Treinamento funcionários de supermercadoTreinamento funcionários de supermercado
Treinamento funcionários de supermercado
Luciana da Silva Santos
 
Como Motivar Funcionários
Como Motivar FuncionáriosComo Motivar Funcionários
Como Motivar Funcionários
Ricardo Jordão Magalhaes
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
Estephane ingrid Souza Pessoa
 
Qualidade no Atendimento
Qualidade no AtendimentoQualidade no Atendimento
Qualidade no Atendimento
Nyedson Barbosa
 
Treinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonicoTreinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonico
Bull Marketing
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
Rodneync
 
Os 5 desafios essenciais para vender mais e melhor
Os 5 desafios essenciais para vender mais e melhorOs 5 desafios essenciais para vender mais e melhor
Os 5 desafios essenciais para vender mais e melhor
Sandro Magaldi
 
Dicas para vender mais
Dicas para vender maisDicas para vender mais
Dicas para vender mais
Ideia de Marketing
 
Aula 8 Planejamento EstratéGico
Aula 8   Planejamento EstratéGicoAula 8   Planejamento EstratéGico
Aula 8 Planejamento EstratéGico
humbertoandrade
 
Liderança servidora e os Desafios da Motivação em Grupo
Liderança servidora e os Desafios da Motivação em GrupoLiderança servidora e os Desafios da Motivação em Grupo
Liderança servidora e os Desafios da Motivação em Grupo
Rafael Barbosa Camargo
 

Destaque (20)

Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicasResgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
 
Apresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipeApresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipe
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
 
Gestão conhecimento e equipes
Gestão conhecimento e equipesGestão conhecimento e equipes
Gestão conhecimento e equipes
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
 
Questionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradores
Questionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradoresQuestionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradores
Questionário de avaliação do grau de satisfação dos colaboradores
 
Motivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalhoMotivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalho
 
Liderança e satisfação no trabalho
Liderança e satisfação no trabalhoLiderança e satisfação no trabalho
Liderança e satisfação no trabalho
 
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
 
Treinamento funcionários de supermercado
Treinamento funcionários de supermercadoTreinamento funcionários de supermercado
Treinamento funcionários de supermercado
 
Como Motivar Funcionários
Como Motivar FuncionáriosComo Motivar Funcionários
Como Motivar Funcionários
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
 
Qualidade no Atendimento
Qualidade no AtendimentoQualidade no Atendimento
Qualidade no Atendimento
 
Treinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonicoTreinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonico
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
 
Os 5 desafios essenciais para vender mais e melhor
Os 5 desafios essenciais para vender mais e melhorOs 5 desafios essenciais para vender mais e melhor
Os 5 desafios essenciais para vender mais e melhor
 
Dicas para vender mais
Dicas para vender maisDicas para vender mais
Dicas para vender mais
 
Aula 8 Planejamento EstratéGico
Aula 8   Planejamento EstratéGicoAula 8   Planejamento EstratéGico
Aula 8 Planejamento EstratéGico
 
Liderança servidora e os Desafios da Motivação em Grupo
Liderança servidora e os Desafios da Motivação em GrupoLiderança servidora e os Desafios da Motivação em Grupo
Liderança servidora e os Desafios da Motivação em Grupo
 

Semelhante a Motivação

18 motivacao
18 motivacao18 motivacao
18 motivacao
SARAJAQUELINEAIRESCA
 
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Psicologia_2015
 
Fatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdfFatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdf
KellyCristianyRodrig
 
Aula11
Aula11Aula11
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
RosineiaSantos8
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
Ana Zaffalon
 
Motivacao_sintese.pptx
Motivacao_sintese.pptxMotivacao_sintese.pptx
Motivacao_sintese.pptx
Ricardo Pereira
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
Cleber Bezerra
 
Motivacao.pptx
Motivacao.pptxMotivacao.pptx
Motivacao.pptx
EsioAntonioBarimacke
 
Motivacao.pptx
Motivacao.pptxMotivacao.pptx
Motivacao.pptx
GenivalNunes4
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
Pedro Luis Moraes
 
Psicologia motivação
Psicologia motivaçãoPsicologia motivação
Psicologia motivação
Maria Luiza Vaz
 
MOTIVATION
MOTIVATION MOTIVATION
MOTIVATION
jeffersonvinicios1
 
Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)
Tiago Reis
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
wesleysenaigo
 
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Nildo Guimaraes
 
24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes
pintcruz
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
TonyWandson
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
Miguel Neves
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
Maria Simões
 

Semelhante a Motivação (20)

18 motivacao
18 motivacao18 motivacao
18 motivacao
 
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
 
Fatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdfFatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdf
 
Aula11
Aula11Aula11
Aula11
 
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Motivacao_sintese.pptx
Motivacao_sintese.pptxMotivacao_sintese.pptx
Motivacao_sintese.pptx
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
 
Motivacao.pptx
Motivacao.pptxMotivacao.pptx
Motivacao.pptx
 
Motivacao.pptx
Motivacao.pptxMotivacao.pptx
Motivacao.pptx
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
 
Psicologia motivação
Psicologia motivaçãoPsicologia motivação
Psicologia motivação
 
MOTIVATION
MOTIVATION MOTIVATION
MOTIVATION
 
Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
 
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
 
24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 

Último

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 

Motivação

  • 2. Objetivos: Definir motivação; Apresentar de forma resumida, os conceitos das principais teorias.
  • 3. Significado da Motivação Palavra latina motivus, que significa aquilo que movimenta, que faz andar; É extremamente estudada dentro do enfoque comportamental, buscando compreender os mecanismos que movimentam as pessoas, para os comportamentos de alto desempenho, indiferença ou improdutividade, a favor ou contra os interesses da organização e da administração; Abrange as causas ou motivos que produzem determinado comportamento, seja ele qual for.
  • 4. MOTIV AÇÃO Motivo para a ação Emoções que impulsionam as pessoas Influenciam seu jeito de perceber os fatos
  • 5. Definindo Motivação Processo responsável pela intensidade, direção e persistência dos esforços de uma pessoa para o alcance de uma determinada meta. Intensidade: quanto esforço a pessoa despende Direção: de encontro aos objetivos organizacionais Persistência: quanto tempo uma pessoa consegue manter seu esforço.
  • 6. Antigas teorias sobre Motivação Teoria da Hierarquia das Necessidades
  • 7. Teoria da Hierarquia das Necessidades Na medida que uma necessidade é atendida, a outra se torna a dominante. Seqüencial Para motivar é necessário entender em que nível de hierarquia a pessoa se encontra no momento e focar a satisfação naquele nível Fisiológicas e de segurança- níveis baixos- satisfeitas quase sempre externamente Social, estima e auto-realização- níveis altos- satisfeitas internamente
  • 8. Teoria X e teoria Y Mc Gregor propôs duas visões distintas do ser humano: uma basicamente negativa a Teoria X e outra basicamente positiva a Teoria Y. Chegou a essas teorias após observar como os executivos tratavam seus funcionários, esse tratamento deriva da visão que os executivos tem da natureza dos seres humanos e essas premissas baseiam o comportamento deles em relação a seus funcionários.
  • 9. Teoria X: os funcionários não gostam de trabalhar por sua própria natureza e tentarão evitar o trabalho sempre que possível; Precisam ser coagidos, controlados ou ameaçados com punições para que atinjam as metas; Os funcionários evitam responsabilidades e buscam orientação formal sempre que possível; A maioria dos trabalhadores coloca a segurança acima de todos os fatores associados ao trabalho e mostra pouca ambição. Premissas Teoria X e teoria Y
  • 10. Teoria Y: os funcionários podem achar o trabalho algo tão natural quanto descansar ou se divertir; As pessoas demonstrarão auto-orientação e autocontrole se estiverem comprometidas com os objetivos; A pessoa mediana é capaz de aprender a aceitar, ou até a buscar, a responsabilidade; A capacidade de tomar decisões inovadoras pode ser encontrada em qualquer pessoa e não é privilégio exclusivo dos que estão em posições hierarquicamente superiores. - Para motivar as pessoas propôs idéias como a do processo decisório participativo, a das tarefas desafiadoras e de muita responsabilidade e a de um bom relacionamento do grupo. Premissas Teoria X e teoria Y
  • 11. Frederick Herzberg Teoria dos Dois Fatores Fatores Motivacionais: Conteúdo do Trabalho Fatores Higiênicos Ambiente de Trabalho
  • 12. Fatores motivacionais ou intrínsecos: Conteúdo do trabalho em si (natureza das tarefas e sua sintonia com os interesses e qualificações da pessoa; Sentido de realização de algo importante; Exercício da responsabilidade; Possibilidade de crescimento; Orgulho e sentimento de prestígio decorrentes da profissão. Teoria dos Dois Fatores
  • 13. Fatores extrínsecos ou higiênicos: condições de trabalho Estilo de supervisão do chefe; Relações pessoais com os colegas; Salário; Políticas de administração de pessoal; Condições físicas e segurança do trabalho. Teoria dos Dois Fatores
  • 14. Papel dos fatores higiênicos: Eles criam o clima psicológico e material saudável e influenciam a satisfação com as condições dentro das quais o trabalho é realizado. Quanto melhores, por exemplo, as relações entre colegas e o tratamento recebido do supervisor, melhor será esse clima- mais higiênico o ambiente. Teoria dos Dois Fatores
  • 15. Ambiente de trabalho produz satisfação ou insatisfação com o próprio ambiente. Papel dos fatores motivacionais: as condições ambientais não são suficientes para induzir o estado de motivação- aquela disposição ou vontade que está associada à idéia de “pessoa motivada.” Para que essa motivação ocorra, de acordo com Herzberg, é preciso que a pessoa esteja sintonizada com seu trabalho, que enxergue nela a possibilidade de exercitar suas habilidades ou desenvolver novas aptidões. Apenas o trabalho e si e o seu conteúdo produzem motivação para o trabalho. Teoria dos Dois Fatores
  • 16. Satisfação Não-satisfação Insatisfação Não-insatisfação A teoria afirma que motivação pelo trabalho é diferente de satisfação com o ambiente de trabalho. O trabalho em si atende as necessidades e produz satisfações completamente diferentes das que estão associadas ao ambiente ou às condições de trabalho. A teoria explica, por ex., por que certos profissionais dão mais importância à atividade que realizam do que a possíveis vantagens materiais que ela possa trazer. Ex: artesãos, sacerdotes e integrantes de atividades assistenciais. Teoria dos Dois Fatores
  • 17. Fatores motivacionais, portanto, atendem a necessidades que estão no topo da hierarquia das necessidades. Fatores higiênicos atendem às necessidades que estão na base da pirâmide. Técnica Enriquecimento do trabalho (job enrichment), consiste em incrementar os fatores motivacionais de um cargo ou de um grupo de cargos, cujos ocupantes tenham responsabilidade pela mesma tarefa. Teoria dos Dois Fatores
  • 18. Técnica Enriquecimento do trabalho: pode ser feita por meio da delegação de atribuições adicionais, incorporação de tarefas correlatas (por ex: um funcionário pode ser responsabilizado pelo treinamento dos novos colegas) ou aquisição de novas habilidades ( por ex: o funcionário pode ser treinado para atualizar-se continuamente na operação de computadores). Prevê também a potencialização do trabalhador, por meio do aumento de seus poderes de decisão ( empowerment). Teoria dos Dois Fatores
  • 19. Clayton Adelfer- autor de uma versão revista da teoria de Maslow. 3 grupos principais de necessidades: Existence- existência, compreende as necessidades básicas, fisiológicas e de segurança, de Maslow; Relatedness- relacionamento, compreende necessidades de relações pessoais significativas e as necessidades de estima, de Maslow; Growth- crescimento, é a necessidade ou desejo intrínseco de crescimento pessoal e auto-realização. Difere de Maslow porque não é seqüencial, mas simultânea. Teoria ERG
  • 20. Teoria das Necessidades Desenvolvida por McClelland 3 necessidades: De realização: busca da excelência, de se realizar em relação a determinados padrões, de lutar pelo sucesso De poder: necessidade de fazer com que os outros se comportem de um modo que não fariam naturalmente De associação: desejo de relacionamentos interpessoais próximos e amigáveis
  • 21. Teoria da Avaliação Cognitiva Propõe que a introdução de recompensas externas, como pagamento, para trabalhos que eram anteriormente gratificantes apenas pelo seu conteúdo, tende a reduzir sua motivação. Esta teoria se relaciona à forma como as pessoas são remuneradas nas organizações. Ela sustenta que, quando a organização usa recompensas externas para premiar desempenhos superiores, as recompensas internas, que resultam de o indivíduo fazer o que gosta, são reduzidas.
  • 22. Teoria da fixação de objetivos Lutar por um objetivo é a maior fonte de motivação no trabalho Um objetivo diz ao funcionário o que precisa ser feito e quanto esforço terá de ser despendido em seu alcance. Objetivos específicos melhoram o desempenho, que objetivos difíceis, quando aceitos, melhoram mais o desempenho do que aqueles mais fáceis; e que o feedback também conduz a melhores desempenhos; A resistência é maior quando o objetivo é difícil, mas quando as pessoas participam de sua fixação existe maior probabilidade delas aceitarem um objetivo difícil. Auto-eficácia se refere à convicção individual de que se é capaz de realizar uma determinada tarefa. Maior é a confiança na obtenção de sucesso, respondem ao feedback negativo com mais determinação e motivação.
  • 23. Teoria do reforço Abordagem comportamentalista, o reforço condiciona o comportamento Se concentra apenas no que lhe acontece quando realiza uma ação qualquer Ex: se você for constantemente censurado pelos seus colegas por produzir mais, provavelmente vai reduzir sua produtividade.
  • 24. Teoria do planejamento do trabalho A maneira como os elementos do trabalho são organizados pode aumentar ou reduzir a motivação. 5 dimensões: Variedade de habilidades Identidade da tarefa Significância da tarefa Autonomia Feedback
  • 25. Teoria da Equidade As recompensas devem ser proporcionais ao esforço e iguais para todos. Sentimento de justiça ao comparar contribuição x recompensas, próprias e dos outros.
  • 26. Teoria da Equidade A percepção de falta de equidade pode gerar uma combinação de 6 tipos de comportamentos: Alteração no esforço exercido Alteração nos resultados produzidos Distorção da auto percepção Distorção na percepção dos outros Escolha de outra referência Abandono da situação presente
  • 27. Teoria da Expectativa Baseia-se nas expectativas, analisando a relação entre recompensas e satisfação; O desempenho que se alcança é proporcional ao esforço que se faz; O esforço que se faz é proporcional ao valor que se dá a recompensa; Se a recompensa for atraente, a motivação para fazer o esforço será grande.
  • 28. Behaviorismo Adestramento de animais; Condicionamento operante: comportamento que se repete, como o comportamento produz o efeito desejado, a pessoa fica condicionada a repeti-lo nas situações de necessidade. Reforço positivo: estímulos ou recompensas, conseqüências agradáveis que fazem o comportamento se repetir; Punição: castigo
  • 29. Hipóteses sobre a Motivação Humana Homem econômico-racional A motivação encontra-se na perspectiva do ganho; o motivo importante é ter bens materiais. Homem social A motivação é o grupo; o motivo importante é o reconhecimento dos colegas. Homem auto-realizador A motivação é a realização interior; o motivo importante é a satisfação íntima. Homem complexo A motivação não tem causa única; diversos motivos ou causas são importantes para mover o comportamento.
  • 30. A frustração, que decorre da necessidade insatisfeita, ou da percepção de falta de equidade, gera outras manifestações do comportamento humano. Como conseqüência dessa frustração, pode ser que uma pessoa adote um comportamento de fuga, compensação, agressão ou deslocamento. Frustração
  • 31. Compensação Resignação Agressão Substituição ou deslocamento Frustração
  • 32. Contribuições do líder ao processo motivacional Gestão do sentido do trabalho Alocação correta dos indivíduos às tarefas; Concessão de autonomia e empowerment; Respeito à diversidade e à subjetividade.
  • 33. O líder deve instilar orgulho nos colaboradores Estabelecendo aspirações que toquem as emoções Buscando um propósito significativo Mantendo relacionamentos pessoais de respeito Tornando-se uma pessoa de caráter forte Cultivando o humor ao longo do caminho Pondo em prática o reconhecimento e a celebração
  • 34. Frustração no ambiente de trabalho Líder não mostra interesse Líder não oferece apoio Normas restritivas Pouca transparência Clima de insegurança Discurso e ação inconsistente
  • 35. Como aplicar as teorias de motivação nas práticas de gestão?
  • 36. Administração por objetivos Relação com a teoria da fixação de metas Fixação de metas tangíveis, verificáveis e mensuráveis Converter os objetivos organizacionais em metas específicas para cada unidade e para cada indivíduo dentro da organização Características: especificidade, decisão participativa, um período determinado de tempo e feedback do desempenho Ex: cortar os custos do setor em 7%, prazo para execução 3 meses
  • 37. Programa de reconhecimento dos funcionários Comportamentos são encorajados e os procedimentos para a conquista do reconhecimento são identificados claramente Ex: funcionário do mês
  • 38. Programas de envolvimento dos funcionários Gestão participativa- processo decisório coletivo, é necessário que tenham competências, conhecimentos técnicos e capacidade de comunicação Democracia no ambiente de trabalho Autonomia (empowerment) Participação acionária Círculos de qualidade
  • 39. O novo planejamento do trabalho e os esquemas flexíveis Replanejar o trabalho para que ele se torne mais motivador Rodízio de tarefas Ampliação de tarefas Enriquecimento de tarefas: expansão vertical das funções, ele aumenta o grau em que o trabalhador controla o planejamento, execução e a avaliação de seu trabalho. Horário flexível Emprego compartilhado Telecomutação
  • 40. Programas de remuneração variável Parte da remuneração se baseia em alguma medida de desempenho, individual e/ou organizacional. As quantias recebidas flutuam de acordo com a medição do desempenho.
  • 41. Planos de remuneração por habilidades Estabelece o nível salarial com base na quantidade de habilidades do funcionário, ou na variedade de funções que ele é capaz de desempenhar. As organizações que adotaram downsizing precisam de funcionários mais generalistas e menos especialistas. Outros benefícios: - facilita a comunicação porque as pessoas passam a entender melhor o trabalho das outras Enfraquecem o comportamento disfuncional de “proteção do território” É mais difícil de ouvir a frase: “isto não é meu serviço” Ajuda a satisfazer as necessidades de funcionários mais ambiciosos, que não têm muitas oportunidades de progresso em seu cargo.
  • 42. Podem aumentar seus rendimentos sem a necessidade de uma promoção Levam a melhorias de desempenho Planos de remuneração por habilidades
  • 43. Benefícios flexíveis São planos que permitem aos funcionários escolher entre diversos itens de um cardápio de opções d benefícios. A idéia é permitir que cada funcionário escolha seu pacote de acordo com suas próprias necessidades e situação. Podem ser ajustados de acordo com estado civil, faixa etária, benefícios do cônjuge, número e idade dos dependentes.

Notas do Editor

  1. Ex: estudante que pretende entrar na universidade (recompensa) e precisa passar pelo vestibular (o desempenho) e para passar é necessário fazer um intensivo de estudo (esforço).