SlideShare uma empresa Scribd logo
QUALIDADE DE VIDA 
NO TRABALHO
O QUE SIGNIFICA (QVT)? QUALIDADE 
DE VIDA NO TRABALHO 
Você trabalhar com 
disposição, alegria, 
sentindo que e útil e que o 
seu trabalho e valorizado 
pela chefia. 
Sentir muito prazer e 
pouco incômodo em 
trabalhar, sendo 
reconhecido e valorizado. 
Chegar com 
satisfação e quando 
sair, se sentir 
provavelmente 
cansado, mas em 
quase 100% dos dias, 
realizado e 
agradecido.
QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO 
Ter as condições básicas de trabalho satisfeitas: bom 
ambiente, limpeza, iluminação, equipamentos adequados, 
salário condizente, possibilidade de inovar, perspectiva de 
carreira. 
Ter ambientes material e psicológico de trabalho favoráveis. 
Ter remuneração adequada. Ter um emprego seguro. Ter 
reconhecidas as opiniões/sugestões dadas. 
Integrar boas condições de trabalho, um bom ambiente de 
trabalho, saúde, lazer, um tipo de trabalho adequado e 
agradável e boas perspectivas de remuneração e carreira 
Ambiente de trabalho: limpo, mobiliário adequado, 
privacidade, sem ruídos. Relações no trabalho: bom 
relacionamento entre os diversos níveis, comunicação clara 
e objetiva, respeito as desigualdades, incentivo das 
chefias, elaboração de metas realistas. 
É o equilíbrio nas atividades desenvolvidas, ambiente físico 
adequado e um bom relacionamento entre chefias, 
subordinados e colegas
O QUE É UM TRABALHO SEM QVT? 
O volume de trabalho é muito grande e muitas vezes a 
pressão é grande. Isto faz com que alguns trabalhem 
bem mais do que outros, que muitas vezes estão 
desestimulados 
Distribuição desigual de trabalho. Quem não quer trabalhar 
não trabalha, se encosta, deixa o trabalho para os 
outros, sobrecarrega quem quer trabalhar e fica por 
isso mesmo, ganha seu salário integral e tudo bem 
Insuficiência de funcionários para o número de processos. 
Todo o trabalho tem de ser executado imediatamente não 
existe uma programação prévia. 
Às vezes, por ocasião de muitas missões, o número de 
tarefas dobra. 
A individualidade exagerada de alguns colegas no ambiente 
de trabalho 
Alguns colegas não tem espírito coletivo e não cumprem o 
horário de trabalho
COMO FICA A ORGANIZAÇÃO SEM QVT ? 
 Aumento do absentismo e dos acidentes no trabalho 
 Diminuição da eficácia, da eficiência, da produtividade 
 Déficit da qualidade dos produtos e serviços 
 Deterioração da imagem da empresa 
 Despesas com os afastamentos por problemas de saúde
A SAÚDE NO TRABALHO COMO FICA ? 
Danos Psicológicos 
sentimentos negativos em relação a 
si mesmo e à vida em geral. 
Danos Sociais 
isolamento e dificuldades nas 
relações familiares e sociais. 
Danos Físicos 
dores no corpo e distúrbios 
biológicos
MODELO CONCEITUAL EXPLICATIVO DA QVT 
DIÁLOGO ENTRE A ERGONOMIA E A 
PSICODINÂMICA DO TRABALHO 
(MENDES E FERREIRA, 2003, 2007) 
Cultura 
Organizacional 
Contexto de 
trabalho 
Condições 
de Trabalho 
Custo 
humano do 
trabalho 
Prazer-sofrimento 
no trabalho 
Fracasso 
Estratégias 
de 
mediação 
Sucesso 
Danos físicos 
e 
psicossociais 
Danos físicos 
e psicossociais 
Saúde 
e QVT 
Organização do 
Trabalho 
Relações 
Socioprofissionais
ORGANIZAÇÃO DO 
TRABALHO 
Natureza e divisão das 
tarefas Hierárquica, 
Técnica, Operacional, 
Administrativa e Social 
Produtividade Esperada 
Metas, Qualidade 
Quantidade 
Tempo 
Jornada, pausas, 
turnos, prazos 
Regras Informais 
Regras de ofício, 
Práticas, Hábitos 
Regras Formais Missão, 
Legislação, Normas, 
Procedimentos
RELAÇÕES 
SOCIOPROFISSIONAIS 
Interações coletivas 
intra e inter-grupos 
Comunicação entre 
membros da equipe de 
trabalho, membros de 
outros grupos de trabalho. 
Interações Hierárquicas 
Distribuição de tarefas, de 
pessoas, grau de autonomia 
e participação.
CONDIÇÕES DE TRABALHO 
Ambiente Físico 
Sinalização, espaço, ar, 
luz, temperatura, som. 
Instrumentos 
Ferramentas, máquinas, 
documentação. 
Suporte Organizacional 
Informações, suprimentos, 
tecnologias. 
Matéria Prima 
Objetos materiais, 
simbólicos, informacionais. 
Equipamentos 
Materiais arquitetônicos, 
aparelhagem, mobiliário.
Custo humano do trabalho 
Tudo que é 
despendido pelos 
trabalhadores 
Contradições 
existentes no 
ambiente de trabalho 
Obstaculizam e 
desafiam a 
inteligência dos 
trabalhadores 
Afetiva 
Custo 
Humano 
Física 
Cognitiva
Vivências de prazer-sofrimento 
O Prazer é uma vivência de realização profissional 
e de liberdade de expressão, originado na ressonância 
simbólica e/ou no uso da mobilização coletiva. 
O Sofrimento é uma vivência de esgotamento 
profissional e falta de reconhecimento, originado 
angústia, medo e insegurança proveniente das 
contradições entre desejo/necessidades do 
trabalhador e realidade da produção.
Pressupostos para implantar um 
programa de QVT 
A superação de ações 
localizadas, dispersas e 
isoladas em qualidade de 
vida impõe a formulação 
de uma política de 
qualidade de vida no 
trabalho - QVT 
As ações em QVT 
são uma 
responsabilidade 
institucional e tarefas 
de todos 
O modelo de gestão 
organizacional deve 
primar pela 
compatibilidade entre 
bem-estar dos 
servidores, desempenho 
funcional e missão 
institucional. 
Os contextos de 
trabalho refletem modos 
de produtividade 
perversa 
e saudável, favoráveis 
ou não a QVT.
Importância de um programa de QVT 
Clientes 
Fator de exercício de cidadania, 
reduzindo indicadores negativos como 
queixas, reclamações e insatisfação. 
Empregados 
Satisfação no trabalho e 
impulsionadores de autoestima, 
contribuindo para reduzir 
indicadores negativos como 
absenteísmo, acidentes, 
doenças do trabalho, licenças-saúde 
e aposentadorias 
precoces 
Empresas 
Fator de efetividade 
organizacional, 
contribuindo para reduzir 
indicadores negativos 
como erros, retrabalho, 
perda de material, 
danificação de 
equipamentos, queda de 
produtividade e perda de 
qualidade nos serviços 
prestados
A implantação programa de QVT 
Responsabilidades 
Comprometimento 
parcerias e participação 
Um programa de QVT precisar envolver 
responsabilidade institucional, responsabilidade 
social, de comprometimento de dirigentes em todos 
níveis hierárquicos, de parcerias Inter setoriais e da 
participação efetiva dos empregados.
Cultura organizacional do bem-estar coletivo 
Desenvolvimento de uma cultura organizacional do 
bem-estar coletivo ancorada na prevenção de riscos 
para a saúde, segurança e conforto dos empregados, 
no desenvolvimento profissional e na valorização da 
função social da empresa 
Visibilidade na comunicação institucional 
A política de comunicação interna deve proporcionar a 
alavancagem das ações de QVT, fortalecendo os 
canais existentes, criando canais alternativos, 
incrementando a integração dos empregados e 
disseminando informações que propiciem o clima 
organizacional positivo
Gestão organizacional voltada para 
integração entre produtividade e bem-estar 
As concepções e as práticas de gestão 
organizacional devem primar pela 
edificação de um ambiente de trabalho 
que promova a produtividade, realização 
profissional, motivação e o prazer dos 
empregados, bem como um clima de 
satisfação na convivência com os chefes, 
colegas e clientes.
As concepções e as práticas de gestão do trabalho 
devem se orientar pelo exercício responsável da 
autonomia, cooperação, flexibilidade do processo de 
trabalho e valorização das competências e saber fazer 
dos empregados. 
Tarefas, produtividade e avaliação de 
desempenho 
O planejamento de tarefas, os critérios 
de produtividade e a avaliação de 
desempenho dos empregados devem ser 
concebidos em sintonia com a política de 
QVT.
Suporte organizacional 
A disponibilização de suporte organizacional aos 
empregados deve pautar-se por uma adequabilidade 
dos meios de trabalho que busque a compatibilidade 
entre as exigências do trabalho, as características 
dos ambientes e as necessidades / expectativas de 
servidores e clientes, contemplando, inclusive, as 
pessoas com necessidades especiais. 
Educação corporativa 
A política e ações de educação corporativa, em especial 
todas as iniciativas de desenvolvimento de competências 
individuais e coletivas, devem ser compatíveis com a 
concepção de qualidade de vida no trabalho – QVT.
Prevenção de riscos 
O monitoramento da incidência de doenças e a prevenção 
de riscos à saúde e à segurança dos empregados devem 
se apoiar em pesquisas científicas, na clinica do 
trabalho, ações de controle médico – com ênfase na 
realização sistemática de “Exames Médicos Periódicos 
EMP” – e nas ações de engenharia de segurança do 
trabalho no âmbito dos riscos físico-ambientais. 
Desenvolvimento de ações assistenciais 
compensatórias 
As ações complementares de natureza assistencial, 
voltadas para atividades de combate à fadiga ou atenuação 
do desgaste proveniente da desmotivação e do ambiente de 
trabalho, devem ser consideradas nos programas de QVT.
ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM 
PROGRAMA DE QVT 
 Definir concepção e política de QVT 
 Pesquisa diagnóstica – ITRA – Inventário de Trabalho e Riscos de 
Adoecimento 
 Apresentação da pesquisa e debate das ações com especialistas e 
servidores 
 Criação de um Comitê ou grupo de trabalho 
 Implantação das ações com parceria Inter setorial 
 Gestão das ações pelo Comitê
EXEMPLOS DE AÇÕES DE QVT 
 Criação do Comitê de gestão da política de QVT; 
 Revitalização dos prédios; 
 Criação de ouvidoria interna; 
 Melhoria da acessibilidade; 
 Realização da pesquisa “Riscos para a Saúde e 
Qualidade de Vida no Trabalho”; 
 Promoção de oficinas sobre “Desenvolvimento de 
gestores em QVT; 
 Produção de campanha de divulgação da política de 
QVT;
EXEMPLOS DE AÇÕES DE QVT 
 Oficina com representantes dos diversos setores para 
debater a pesquisa e definir ações; 
 Oficinas de capacitação com os técnicos do Comitê, 
ampliado para gestores; 
 Palestra para os servidores sobre QVT e temas de 
saúde 
 Levantamento da organização do trabalho dos setores, 
a fim de subsidiar a estruturação dos processos de 
trabalho 
 Organização da semana de saúde e de ações para 
divulgar e integrar as atribuições dos diferentes 
setores (interdependência de competências)
“QUEM É EXIGENTE COM A QUALIDADE DOS 
PRODUTOS, MAS NÃO COM A SUA QUALIDADE 
DE VIDA, TRAI A SUA PRÓPRIA FELICIDADE”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
Larissa Estevão
 
Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho
Mariany Moura
 
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimentoSaúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
University
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
Cristina de Souza
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
Leandro Lopes
 
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalhoRelacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Bruno Morais Lopes
 
A importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalhoA importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalho
inovaDay .
 
Marketing Pessoal
Marketing PessoalMarketing Pessoal
Marketing Pessoal
Michel Moreira
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
Tássia Oliveira
 
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de TrabalhoPlanejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Benjamim Garcia Netto
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Eduardo Maróstica
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
Jean Israel B. Feijó
 
Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1
Ernandes Rodrigues Do Nascimento
 
Psicologia organizacional
Psicologia organizacionalPsicologia organizacional
Psicologia organizacional
AJESM
 
Psicologia Organizacional e do trabalho
Psicologia Organizacional e do trabalhoPsicologia Organizacional e do trabalho
Psicologia Organizacional e do trabalho
Fabianasantoss
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de Trabalho
Nyedson Barbosa
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Psicologia e Segurança do trabalho
Psicologia e Segurança do trabalhoPsicologia e Segurança do trabalho
Psicologia e Segurança do trabalho
Juliana Calixto
 
Psicologia organizacional e do trabalho
Psicologia organizacional e do trabalhoPsicologia organizacional e do trabalho
Psicologia organizacional e do trabalho
Drielle Siempre Juntos
 

Mais procurados (20)

Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
 
Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho
 
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimentoSaúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalhoRelacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
 
A importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalhoA importância da inteligência emocional no trabalho
A importância da inteligência emocional no trabalho
 
Marketing Pessoal
Marketing PessoalMarketing Pessoal
Marketing Pessoal
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
 
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de TrabalhoPlanejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1
 
Psicologia organizacional
Psicologia organizacionalPsicologia organizacional
Psicologia organizacional
 
Psicologia Organizacional e do trabalho
Psicologia Organizacional e do trabalhoPsicologia Organizacional e do trabalho
Psicologia Organizacional e do trabalho
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de Trabalho
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Psicologia e Segurança do trabalho
Psicologia e Segurança do trabalhoPsicologia e Segurança do trabalho
Psicologia e Segurança do trabalho
 
Psicologia organizacional e do trabalho
Psicologia organizacional e do trabalhoPsicologia organizacional e do trabalho
Psicologia organizacional e do trabalho
 

Destaque

Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...
Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...
Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...
Dra. Myrian Marino
 
Gestão de stress nas organizações
Gestão de stress nas organizaçõesGestão de stress nas organizações
Gestão de stress nas organizações
rubenm93
 
Stress ocupacional
Stress ocupacionalStress ocupacional
Stress ocupacional
Sandro Sans
 
Palestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no Trabalho
Palestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no TrabalhoPalestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no Trabalho
Palestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no Trabalho
Patrícia Sena
 
Doenças da Modernidade Professor Robson
Doenças da Modernidade Professor RobsonDoenças da Modernidade Professor Robson
Doenças da Modernidade Professor Robson
Professor Robson
 
Enfrentamento do estresse e da síndrome de burnout
Enfrentamento do estresse e da síndrome de burnoutEnfrentamento do estresse e da síndrome de burnout
Enfrentamento do estresse e da síndrome de burnout
Álvarez Dantas
 
Stress No Trabalho
Stress No TrabalhoStress No Trabalho
Stress No Trabalho
Aristides Faria
 
Palestra sobre Stress
Palestra sobre StressPalestra sobre Stress
Palestra sobre Stress
guesteeef299
 
Stress
StressStress
Stress
Lala_f
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
CREVELARO
 

Destaque (10)

Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...
Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...
Palestra "Stress e Ansiedade: O Mal do Século?" Dra. Myrian Marino Martins So...
 
Gestão de stress nas organizações
Gestão de stress nas organizaçõesGestão de stress nas organizações
Gestão de stress nas organizações
 
Stress ocupacional
Stress ocupacionalStress ocupacional
Stress ocupacional
 
Palestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no Trabalho
Palestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no TrabalhoPalestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no Trabalho
Palestra sobre Estresse e Qualidade de Vida no Trabalho
 
Doenças da Modernidade Professor Robson
Doenças da Modernidade Professor RobsonDoenças da Modernidade Professor Robson
Doenças da Modernidade Professor Robson
 
Enfrentamento do estresse e da síndrome de burnout
Enfrentamento do estresse e da síndrome de burnoutEnfrentamento do estresse e da síndrome de burnout
Enfrentamento do estresse e da síndrome de burnout
 
Stress No Trabalho
Stress No TrabalhoStress No Trabalho
Stress No Trabalho
 
Palestra sobre Stress
Palestra sobre StressPalestra sobre Stress
Palestra sobre Stress
 
Stress
StressStress
Stress
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
 

Semelhante a Qualidade de vida no trabalho

Regina Steinas
Regina SteinasRegina Steinas
Regina Steinas
SOBRATT - Liliane Guedes
 
Clima organizacional grupo
Clima organizacional grupoClima organizacional grupo
Clima organizacional grupo
clonercos
 
Apresentação atrelar gp
Apresentação atrelar gpApresentação atrelar gp
Apresentação atrelar gp
Renata Barra Araman
 
Artigo qualidade de vida no trabalho pdf
Artigo qualidade de vida no trabalho pdfArtigo qualidade de vida no trabalho pdf
Artigo qualidade de vida no trabalho pdf
Universidade de São Paulo (EEL USP)
 
Qualidade de viva do trabalhador
Qualidade de viva do trabalhadorQualidade de viva do trabalhador
Qualidade de viva do trabalhador
isisdeca
 
Aula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdf
Aula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdfAula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdf
Aula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdf
EtieneClavico
 
Slides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptx
Slides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptxSlides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptx
Slides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptx
SandraFigueiredo45
 
Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no TrabalhoQualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho
Henrique Abrantes
 
Clima e cultura organizacional
Clima e cultura organizacionalClima e cultura organizacional
Clima e cultura organizacional
Denise Selegato
 
Aula 11 2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoas
Aula 11   2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoasAula 11   2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoas
Aula 11 2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoas
Angelo Peres
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
Camila Falcão
 
Como viver com qualidade parte 2/3
Como viver com qualidade   parte 2/3Como viver com qualidade   parte 2/3
Como viver com qualidade parte 2/3
ABCursos OnLine
 
5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S
Marília Prux Nienow
 
Slide share 1 contato
Slide share 1 contatoSlide share 1 contato
Slide share 1 contato
ConsultoriaContato
 
Investigacao diagnostico
Investigacao diagnosticoInvestigacao diagnostico
Investigacao diagnostico
kittylili
 
Times mais produtivos
Times mais produtivosTimes mais produtivos
Times mais produtivos
Matheus de Almeida Amaral
 
Times mais produtivos
Times mais produtivosTimes mais produtivos
Times mais produtivos
Matheus de Almeida Amaral
 
Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade
Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade
Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade
Dialogus Consultoria
 
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Ariadne Canedo
 
2018 10 26_mudanca_caordica
2018 10 26_mudanca_caordica2018 10 26_mudanca_caordica
2018 10 26_mudanca_caordica
Carlos Sousa
 

Semelhante a Qualidade de vida no trabalho (20)

Regina Steinas
Regina SteinasRegina Steinas
Regina Steinas
 
Clima organizacional grupo
Clima organizacional grupoClima organizacional grupo
Clima organizacional grupo
 
Apresentação atrelar gp
Apresentação atrelar gpApresentação atrelar gp
Apresentação atrelar gp
 
Artigo qualidade de vida no trabalho pdf
Artigo qualidade de vida no trabalho pdfArtigo qualidade de vida no trabalho pdf
Artigo qualidade de vida no trabalho pdf
 
Qualidade de viva do trabalhador
Qualidade de viva do trabalhadorQualidade de viva do trabalhador
Qualidade de viva do trabalhador
 
Aula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdf
Aula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdfAula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdf
Aula SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO.pdf
 
Slides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptx
Slides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptxSlides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptx
Slides-Prontos-Recursos-Humanos-2021.pptx
 
Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no TrabalhoQualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho
 
Clima e cultura organizacional
Clima e cultura organizacionalClima e cultura organizacional
Clima e cultura organizacional
 
Aula 11 2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoas
Aula 11   2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoasAula 11   2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoas
Aula 11 2014.1 ucam - adm rh - práticas responsáveis de gestão de pessoas
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Como viver com qualidade parte 2/3
Como viver com qualidade   parte 2/3Como viver com qualidade   parte 2/3
Como viver com qualidade parte 2/3
 
5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S
 
Slide share 1 contato
Slide share 1 contatoSlide share 1 contato
Slide share 1 contato
 
Investigacao diagnostico
Investigacao diagnosticoInvestigacao diagnostico
Investigacao diagnostico
 
Times mais produtivos
Times mais produtivosTimes mais produtivos
Times mais produtivos
 
Times mais produtivos
Times mais produtivosTimes mais produtivos
Times mais produtivos
 
Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade
Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade
Gestão de pessoas com foco na sustentabilidade
 
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
 
2018 10 26_mudanca_caordica
2018 10 26_mudanca_caordica2018 10 26_mudanca_caordica
2018 10 26_mudanca_caordica
 

Qualidade de vida no trabalho

  • 1. QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO
  • 2. O QUE SIGNIFICA (QVT)? QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO Você trabalhar com disposição, alegria, sentindo que e útil e que o seu trabalho e valorizado pela chefia. Sentir muito prazer e pouco incômodo em trabalhar, sendo reconhecido e valorizado. Chegar com satisfação e quando sair, se sentir provavelmente cansado, mas em quase 100% dos dias, realizado e agradecido.
  • 3. QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO Ter as condições básicas de trabalho satisfeitas: bom ambiente, limpeza, iluminação, equipamentos adequados, salário condizente, possibilidade de inovar, perspectiva de carreira. Ter ambientes material e psicológico de trabalho favoráveis. Ter remuneração adequada. Ter um emprego seguro. Ter reconhecidas as opiniões/sugestões dadas. Integrar boas condições de trabalho, um bom ambiente de trabalho, saúde, lazer, um tipo de trabalho adequado e agradável e boas perspectivas de remuneração e carreira Ambiente de trabalho: limpo, mobiliário adequado, privacidade, sem ruídos. Relações no trabalho: bom relacionamento entre os diversos níveis, comunicação clara e objetiva, respeito as desigualdades, incentivo das chefias, elaboração de metas realistas. É o equilíbrio nas atividades desenvolvidas, ambiente físico adequado e um bom relacionamento entre chefias, subordinados e colegas
  • 4. O QUE É UM TRABALHO SEM QVT? O volume de trabalho é muito grande e muitas vezes a pressão é grande. Isto faz com que alguns trabalhem bem mais do que outros, que muitas vezes estão desestimulados Distribuição desigual de trabalho. Quem não quer trabalhar não trabalha, se encosta, deixa o trabalho para os outros, sobrecarrega quem quer trabalhar e fica por isso mesmo, ganha seu salário integral e tudo bem Insuficiência de funcionários para o número de processos. Todo o trabalho tem de ser executado imediatamente não existe uma programação prévia. Às vezes, por ocasião de muitas missões, o número de tarefas dobra. A individualidade exagerada de alguns colegas no ambiente de trabalho Alguns colegas não tem espírito coletivo e não cumprem o horário de trabalho
  • 5. COMO FICA A ORGANIZAÇÃO SEM QVT ?  Aumento do absentismo e dos acidentes no trabalho  Diminuição da eficácia, da eficiência, da produtividade  Déficit da qualidade dos produtos e serviços  Deterioração da imagem da empresa  Despesas com os afastamentos por problemas de saúde
  • 6. A SAÚDE NO TRABALHO COMO FICA ? Danos Psicológicos sentimentos negativos em relação a si mesmo e à vida em geral. Danos Sociais isolamento e dificuldades nas relações familiares e sociais. Danos Físicos dores no corpo e distúrbios biológicos
  • 7. MODELO CONCEITUAL EXPLICATIVO DA QVT DIÁLOGO ENTRE A ERGONOMIA E A PSICODINÂMICA DO TRABALHO (MENDES E FERREIRA, 2003, 2007) Cultura Organizacional Contexto de trabalho Condições de Trabalho Custo humano do trabalho Prazer-sofrimento no trabalho Fracasso Estratégias de mediação Sucesso Danos físicos e psicossociais Danos físicos e psicossociais Saúde e QVT Organização do Trabalho Relações Socioprofissionais
  • 8. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO Natureza e divisão das tarefas Hierárquica, Técnica, Operacional, Administrativa e Social Produtividade Esperada Metas, Qualidade Quantidade Tempo Jornada, pausas, turnos, prazos Regras Informais Regras de ofício, Práticas, Hábitos Regras Formais Missão, Legislação, Normas, Procedimentos
  • 9. RELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS Interações coletivas intra e inter-grupos Comunicação entre membros da equipe de trabalho, membros de outros grupos de trabalho. Interações Hierárquicas Distribuição de tarefas, de pessoas, grau de autonomia e participação.
  • 10. CONDIÇÕES DE TRABALHO Ambiente Físico Sinalização, espaço, ar, luz, temperatura, som. Instrumentos Ferramentas, máquinas, documentação. Suporte Organizacional Informações, suprimentos, tecnologias. Matéria Prima Objetos materiais, simbólicos, informacionais. Equipamentos Materiais arquitetônicos, aparelhagem, mobiliário.
  • 11. Custo humano do trabalho Tudo que é despendido pelos trabalhadores Contradições existentes no ambiente de trabalho Obstaculizam e desafiam a inteligência dos trabalhadores Afetiva Custo Humano Física Cognitiva
  • 12. Vivências de prazer-sofrimento O Prazer é uma vivência de realização profissional e de liberdade de expressão, originado na ressonância simbólica e/ou no uso da mobilização coletiva. O Sofrimento é uma vivência de esgotamento profissional e falta de reconhecimento, originado angústia, medo e insegurança proveniente das contradições entre desejo/necessidades do trabalhador e realidade da produção.
  • 13. Pressupostos para implantar um programa de QVT A superação de ações localizadas, dispersas e isoladas em qualidade de vida impõe a formulação de uma política de qualidade de vida no trabalho - QVT As ações em QVT são uma responsabilidade institucional e tarefas de todos O modelo de gestão organizacional deve primar pela compatibilidade entre bem-estar dos servidores, desempenho funcional e missão institucional. Os contextos de trabalho refletem modos de produtividade perversa e saudável, favoráveis ou não a QVT.
  • 14. Importância de um programa de QVT Clientes Fator de exercício de cidadania, reduzindo indicadores negativos como queixas, reclamações e insatisfação. Empregados Satisfação no trabalho e impulsionadores de autoestima, contribuindo para reduzir indicadores negativos como absenteísmo, acidentes, doenças do trabalho, licenças-saúde e aposentadorias precoces Empresas Fator de efetividade organizacional, contribuindo para reduzir indicadores negativos como erros, retrabalho, perda de material, danificação de equipamentos, queda de produtividade e perda de qualidade nos serviços prestados
  • 15. A implantação programa de QVT Responsabilidades Comprometimento parcerias e participação Um programa de QVT precisar envolver responsabilidade institucional, responsabilidade social, de comprometimento de dirigentes em todos níveis hierárquicos, de parcerias Inter setoriais e da participação efetiva dos empregados.
  • 16. Cultura organizacional do bem-estar coletivo Desenvolvimento de uma cultura organizacional do bem-estar coletivo ancorada na prevenção de riscos para a saúde, segurança e conforto dos empregados, no desenvolvimento profissional e na valorização da função social da empresa Visibilidade na comunicação institucional A política de comunicação interna deve proporcionar a alavancagem das ações de QVT, fortalecendo os canais existentes, criando canais alternativos, incrementando a integração dos empregados e disseminando informações que propiciem o clima organizacional positivo
  • 17. Gestão organizacional voltada para integração entre produtividade e bem-estar As concepções e as práticas de gestão organizacional devem primar pela edificação de um ambiente de trabalho que promova a produtividade, realização profissional, motivação e o prazer dos empregados, bem como um clima de satisfação na convivência com os chefes, colegas e clientes.
  • 18. As concepções e as práticas de gestão do trabalho devem se orientar pelo exercício responsável da autonomia, cooperação, flexibilidade do processo de trabalho e valorização das competências e saber fazer dos empregados. Tarefas, produtividade e avaliação de desempenho O planejamento de tarefas, os critérios de produtividade e a avaliação de desempenho dos empregados devem ser concebidos em sintonia com a política de QVT.
  • 19. Suporte organizacional A disponibilização de suporte organizacional aos empregados deve pautar-se por uma adequabilidade dos meios de trabalho que busque a compatibilidade entre as exigências do trabalho, as características dos ambientes e as necessidades / expectativas de servidores e clientes, contemplando, inclusive, as pessoas com necessidades especiais. Educação corporativa A política e ações de educação corporativa, em especial todas as iniciativas de desenvolvimento de competências individuais e coletivas, devem ser compatíveis com a concepção de qualidade de vida no trabalho – QVT.
  • 20. Prevenção de riscos O monitoramento da incidência de doenças e a prevenção de riscos à saúde e à segurança dos empregados devem se apoiar em pesquisas científicas, na clinica do trabalho, ações de controle médico – com ênfase na realização sistemática de “Exames Médicos Periódicos EMP” – e nas ações de engenharia de segurança do trabalho no âmbito dos riscos físico-ambientais. Desenvolvimento de ações assistenciais compensatórias As ações complementares de natureza assistencial, voltadas para atividades de combate à fadiga ou atenuação do desgaste proveniente da desmotivação e do ambiente de trabalho, devem ser consideradas nos programas de QVT.
  • 21. ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE QVT  Definir concepção e política de QVT  Pesquisa diagnóstica – ITRA – Inventário de Trabalho e Riscos de Adoecimento  Apresentação da pesquisa e debate das ações com especialistas e servidores  Criação de um Comitê ou grupo de trabalho  Implantação das ações com parceria Inter setorial  Gestão das ações pelo Comitê
  • 22. EXEMPLOS DE AÇÕES DE QVT  Criação do Comitê de gestão da política de QVT;  Revitalização dos prédios;  Criação de ouvidoria interna;  Melhoria da acessibilidade;  Realização da pesquisa “Riscos para a Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho”;  Promoção de oficinas sobre “Desenvolvimento de gestores em QVT;  Produção de campanha de divulgação da política de QVT;
  • 23. EXEMPLOS DE AÇÕES DE QVT  Oficina com representantes dos diversos setores para debater a pesquisa e definir ações;  Oficinas de capacitação com os técnicos do Comitê, ampliado para gestores;  Palestra para os servidores sobre QVT e temas de saúde  Levantamento da organização do trabalho dos setores, a fim de subsidiar a estruturação dos processos de trabalho  Organização da semana de saúde e de ações para divulgar e integrar as atribuições dos diferentes setores (interdependência de competências)
  • 24. “QUEM É EXIGENTE COM A QUALIDADE DOS PRODUTOS, MAS NÃO COM A SUA QUALIDADE DE VIDA, TRAI A SUA PRÓPRIA FELICIDADE”