SlideShare uma empresa Scribd logo
O NA
ASSISTÊNCIA
     DE
ENFERMAGE
     M
   Por: Estephane Souza, Márcio Barros, Geruza,
    Antônio Botelho, Aparecida Lima, Sharlene,
    Janiele Carla E Devaildo Jones.
INTRODUÇÃO
   Humanizar segundo o dicionário Aurélio:
    1. Adoçar; suavizar; civilizar.
    2. Tornar-se humano; compadecer-se.




   HUMANIZAR é: valorizar a qualidade do cuidado do
    ponto de vista técnico.
   Ou seja, nos colocar no lugar do paciente e enxergar-lo
    como um ser biopsicossocial com necessidades diferentes, e
    entender que apesar do paciente estar com todos os
    equipamentos necessários para sua sobrevivência, ele está
    em um local estranho, sendo cuidado por pessoas
    estranhas, perdendo suas intimidades e principalmente
    com dor.       A humanização visa justamente trazer o
    máximo de conforto e cuidado para o paciente como
    pessoa.
JUSTIFICATIVA
   Parece estranho falar de humanização para seres
    humanos, já que humanizar deveria fazer parte
    da natureza do homem, porém mostra-se
    necessário no contexto atual que façamos uma
    revisão de nossas práticas cotidianas com ênfase
    na criação de melhores equipes de trabalho que
    valorize a dignidade de sua profissão e do
    paciente,sendo assim escolhemos o esse tema
    como forma orientar a quem cuida a dar o
    tratamento individualizado frente as
    necessidades de cada um.
OBJETIVO
   O significado da humanização da assistência de
    enfermagem precisa ser compreendido dentro de
    um panorama bastante amplo. Este seminário
    tem o objetivo de ajudar os profissionais da
    saúde, interessados no assunto, a compreender
    de maneira básica a proposta de humanização.
ENFERMAGEM E O CUIDADO
     HUMANIZADO
   A enfermagem é uma disciplina, que lida com o ser
    humano, que é um ser em evolução, tem que haver
    humanização.

   Uma pessoa está doente e vai procurar um
    profissional da saúde com o desejo que alivie seus
    sintomas e livre-o de seu sofrimento. Ele deseja ser
    cuidado.

   O cuidado humano é exercitado, vivido e sentido no
    interior de cada um, envolvendo atos, princípios,
    valores, ética que devem fazer parte do nosso
    cotidiano.
Compaixão aqui,
                      não é ter pena,
                      nem dó. É o
                      sentido pleno da
                      palavra mesmo e
                      do entendimento
                      de seus limites e
                      depois          o
                      fortalecimento do
                      sentimento
                      fraternal.




Doutores da alegria
A comunicação verbal e as expressões usadas na hora da fala é a
ponte entre você e o outro.
O Cuidado ético é fazer com que a ação de cuidar, seja
moralmente correta.
   A ética está relacionada com os comportamentos
    de um grupo e faz uso direcionado aos valores
    deste.

   O desafio maior não é só compreender e auxiliar
    no tratamento, mas buscar desenvolver uma
    prática humanizada.

   A reflexão sobre o sentido de nossas ações,
    reações e atitudes com os nossos pacientes tem
    que ser continua.
A enfermagem nasceu através do
ensino      feito    por   Florence
Nightingale: Treinava pessoas para
cuidar de pessoas. O cuidar é uma
característica da enfermagem.




 A arte da enfermagem
 Nightingaliana consiste no cuidar
 tanto dos seres humanos sadios,
 como doentes,requerendo assim
 um conhecimento formal e
 científico, vocação, elevado padrão
 moral e de sentimentos.
O enfermeiro precisa
                                                        utilizar seu
                                                        conhecimento
                                                        científico e também
                                                        sua capacidade de
                                                        observação e
                                                        percepção para
                                                        visualizar as
                                                        necessidades do
                                                        paciente e
                                                        compreender seus
                                                        problemas.




A negligência é causadora de um cuida ineficiente, por isso, é necessário
que a enfermeira tenha conhecimento disso e previna o mau cuidado, a
sobrecarga de atividades, a falta de treinamento. Mantendo assim o bom
equilíbrio da equipe para o atendimento humanizado.
DESAFIOS PARA O PROCESSO DE
HUMANIZAÇÃO
 Banalização do sofrimento;
 Contato superficial entre o profissional e o paciente;



Nesse processo, ocorre um desligamento do sofrimento
 do outro e o “medo” produz uma separação subjetiva
 entre os que estão cuidando e os que deveriam ser
 cuidados.
Portanto, a mecanização do cuidado, a rotinização do
 contato pessoal e a impessoalidade transformam-se em
 mecanismo de defesa. O que tem impactado
 negativamente a humanização na efetivação de sua
 prática.
A intolerância afetiva
                                                 para com a própria
                                                 emoção         reacional
                                                 acaba      levando     o
                                                 sujeito a abstrair-se de
                                                 sofrimento alheio por
                                                 uma       atitude     de
                                                 indiferença – logo, de
                                                 intolerância para com
                                                 o que provoca seu
                                                 sofrimento.




Nesse sentido emerge a necessidade de trabalhar o sofrimento psíquico do
trabalhadores de enfermagem, pois o desgaste psicológico e más condições na
infraestrutura ( super-lotamento , falta de materiais de trabalho e até mesmo
sobre carga devido a poucos profissionais na equipe) interfere na qualidade de
vida dessas pessoas e na qualidade da assistência prestada.
CONCLUSÃO
   O cuidar tornou-se mecanizado, fragmentado e
    tanto as pessoas que cuidam com as que recebem
    cuidado, parecem ter esquecido que esta
    habilidade/qualidade, além de constituir uma
    ação é um valor, um comportamento. Os
    enfermeiros devem ser atuantes não só na
    administração das atividades, mas sim estar em
    constante interação com o meio cuidar/cuidado
    para através do seu conhecimento, desenvolver a
    humanização. Isso nos confere, tanto mais
    responsabilidade, quanto desafios.
   Percebendo esta carência na área da saúde de um
    modo geral, ficou claro através da nossa pesquisa a
    necessidade de profissionais cada vez mais
    dedicados e que estejam sempre em um processo de
    educação continuada já que a enfermagem é uma
    profissão que exige desdobramento constante do
    profissional. Então humanização não tem que ser
    visto como uma opção e sim o dever de quem
    escolheu cuidar de pessoas como legado.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
   http://www.youtube.com/watch?v=lJZzlmjnUSc&feature=related
   http://pergunteparaaenfermeira.blogspot.com.br/2008/12/por-que-humanizar.html
   http://www.slideworld.com/slideshows.aspx/Humaniza%C3%A7%C3%A3o-da-Pr%C3%A1tica-de-Enfermagem-ppt-1289
   AZEVEDO, R.C de S. A comunicação como instrumento do processo de cuidar. Visão do aluno de
    graduação.
   http://www.fen.ufg.br/revista/revista4_1/fatores.html.
   ALMEIDA, M.C.P de O. O saberde enfermagem e sua dimensão prática. São Paulo: Cortez,
    1986.3p.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
Fernando Dias
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
Célia Costa
 
Aula - 1 Processo Trabalho em Saúde
Aula - 1 Processo Trabalho em SaúdeAula - 1 Processo Trabalho em Saúde
Aula - 1 Processo Trabalho em Saúde
Jesiele Spindler
 
Humanização na saúde
Humanização na saúdeHumanização na saúde
Humanização na saúde
Humaniza Brasil
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
Vanessa Farias
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
Rafaela Amanso
 
Palestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoPalestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no Atendimento
Fabiano Ladislau
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Cintia Colotoni
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
Ylla Cohim
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Tuanny Sampaio - Estética Avançada
 
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdfAula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
ThiagoCunha93
 
Humanização hospitalar
Humanização hospitalarHumanização hospitalar
Humanização hospitalar
Kelvyane Fonseca
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
Saúde Hervalense
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Fabricio Marques Moreira
 
Humanização na saude
Humanização na saudeHumanização na saude
Humanização na saude
Juliermeson Morais
 
Ética e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemÉtica e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagem
luzienne moraes
 
AdministraçãO De Enfermagem Parte 1
AdministraçãO De Enfermagem Parte 1AdministraçãO De Enfermagem Parte 1
AdministraçãO De Enfermagem Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem
Elter Alves
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
Maria Gabriela Gomes Cavalcante
 

Mais procurados (20)

Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
 
Aula - 1 Processo Trabalho em Saúde
Aula - 1 Processo Trabalho em SaúdeAula - 1 Processo Trabalho em Saúde
Aula - 1 Processo Trabalho em Saúde
 
Humanização na saúde
Humanização na saúdeHumanização na saúde
Humanização na saúde
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Palestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoPalestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no Atendimento
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdfAula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
 
Humanização hospitalar
Humanização hospitalarHumanização hospitalar
Humanização hospitalar
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
 
Humanização na saude
Humanização na saudeHumanização na saude
Humanização na saude
 
Ética e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemÉtica e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagem
 
AdministraçãO De Enfermagem Parte 1
AdministraçãO De Enfermagem Parte 1AdministraçãO De Enfermagem Parte 1
AdministraçãO De Enfermagem Parte 1
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
 

Destaque

Sumário de Situação Paciente ( idoso)
Sumário de Situação Paciente ( idoso)Sumário de Situação Paciente ( idoso)
Sumário de Situação Paciente ( idoso)
luzienne moraes
 
Sae slaide
Sae slaideSae slaide
Humanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúdeHumanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúde
WM Treinamentos Cursos e Palestras Ltda
 
Humanização
 Humanização Humanização
Humanização
Isabella Meneses
 
Atendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idosoAtendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idoso
Jamessonjr Leite Junior
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
universitária
 
HumanizaSUS
HumanizaSUSHumanizaSUS
HumanizaSUS
Lene So
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
University
 

Destaque (8)

Sumário de Situação Paciente ( idoso)
Sumário de Situação Paciente ( idoso)Sumário de Situação Paciente ( idoso)
Sumário de Situação Paciente ( idoso)
 
Sae slaide
Sae slaideSae slaide
Sae slaide
 
Humanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúdeHumanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúde
 
Humanização
 Humanização Humanização
Humanização
 
Atendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idosoAtendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idoso
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
HumanizaSUS
HumanizaSUSHumanizaSUS
HumanizaSUS
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 

Semelhante a Humanização na assistência de enfermagem

Humanizaonaassistnciadeenfermagem slide
Humanizaonaassistnciadeenfermagem slideHumanizaonaassistnciadeenfermagem slide
Humanizaonaassistnciadeenfermagem slide
Formiguinha Locações
 
O domínio unificador da enfermagem
O domínio unificador da enfermagemO domínio unificador da enfermagem
O domínio unificador da enfermagem
Ana Paula Oliveira
 
A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...
A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...
A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...
Marta Lopes
 
humanização saúde
humanização saúdehumanização saúde
humanização saúde
Aparecido Oliveira
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
Associação Viva e Deixe Viver
 
Humanização em enfermagem slides pptx...
Humanização em enfermagem slides pptx...Humanização em enfermagem slides pptx...
Humanização em enfermagem slides pptx...
jhordana1
 
Apostila de humanização atendimento 2
Apostila de  humanização  atendimento 2Apostila de  humanização  atendimento 2
Apostila de humanização atendimento 2
MariaBritodosSantos
 
Texto 4 e 5 humanização em ambientes medicos
Texto 4 e 5 humanização em ambientes medicosTexto 4 e 5 humanização em ambientes medicos
Texto 4 e 5 humanização em ambientes medicos
Psicologia_2015
 
éTica e enfermagem
éTica e enfermageméTica e enfermagem
éTica e enfermagem
Maria Clara Figueiredo
 
Humanização Na Radiologia
Humanização Na RadiologiaHumanização Na Radiologia
Humanização Na Radiologia
Uiliam Santos
 
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuidaHumanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
Iranildo Ribeiro
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Associação Viva e Deixe Viver
 
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidadoComunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Gabriela Montargil
 
Segunda aula cuidar abordagem para além das técnicas
Segunda aula  cuidar abordagem para além das técnicasSegunda aula  cuidar abordagem para além das técnicas
Segunda aula cuidar abordagem para além das técnicas
Leticia Roncati
 
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na EmergênciaHumanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
NayaneQuirino
 
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e EliminaçãoUFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
Nome Sobrenome
 
Tecnologias leves para o cuidado em saúde mental
Tecnologias leves para o cuidado em saúde mentalTecnologias leves para o cuidado em saúde mental
Tecnologias leves para o cuidado em saúde mental
CENAT Cursos
 
Anais Open Meeting In Congress
Anais Open Meeting In CongressAnais Open Meeting In Congress
Anais Open Meeting In Congress
OpenMeetingInCongres
 
Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2
Ivone Laurentino Dos Santos
 
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSEspecialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Sebástian Freire
 

Semelhante a Humanização na assistência de enfermagem (20)

Humanizaonaassistnciadeenfermagem slide
Humanizaonaassistnciadeenfermagem slideHumanizaonaassistnciadeenfermagem slide
Humanizaonaassistnciadeenfermagem slide
 
O domínio unificador da enfermagem
O domínio unificador da enfermagemO domínio unificador da enfermagem
O domínio unificador da enfermagem
 
A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...
A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...
A importancia de demostrar paciência e sensibilidade na técnica adequada de m...
 
humanização saúde
humanização saúdehumanização saúde
humanização saúde
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
 
Humanização em enfermagem slides pptx...
Humanização em enfermagem slides pptx...Humanização em enfermagem slides pptx...
Humanização em enfermagem slides pptx...
 
Apostila de humanização atendimento 2
Apostila de  humanização  atendimento 2Apostila de  humanização  atendimento 2
Apostila de humanização atendimento 2
 
Texto 4 e 5 humanização em ambientes medicos
Texto 4 e 5 humanização em ambientes medicosTexto 4 e 5 humanização em ambientes medicos
Texto 4 e 5 humanização em ambientes medicos
 
éTica e enfermagem
éTica e enfermageméTica e enfermagem
éTica e enfermagem
 
Humanização Na Radiologia
Humanização Na RadiologiaHumanização Na Radiologia
Humanização Na Radiologia
 
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuidaHumanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
 
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidadoComunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
 
Segunda aula cuidar abordagem para além das técnicas
Segunda aula  cuidar abordagem para além das técnicasSegunda aula  cuidar abordagem para além das técnicas
Segunda aula cuidar abordagem para além das técnicas
 
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na EmergênciaHumanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
 
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e EliminaçãoUFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
 
Tecnologias leves para o cuidado em saúde mental
Tecnologias leves para o cuidado em saúde mentalTecnologias leves para o cuidado em saúde mental
Tecnologias leves para o cuidado em saúde mental
 
Anais Open Meeting In Congress
Anais Open Meeting In CongressAnais Open Meeting In Congress
Anais Open Meeting In Congress
 
Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2
 
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSEspecialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
 

Último

Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 

Último (7)

Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 

Humanização na assistência de enfermagem

  • 1. O NA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGE M
  • 2. Por: Estephane Souza, Márcio Barros, Geruza, Antônio Botelho, Aparecida Lima, Sharlene, Janiele Carla E Devaildo Jones.
  • 3. INTRODUÇÃO  Humanizar segundo o dicionário Aurélio: 1. Adoçar; suavizar; civilizar. 2. Tornar-se humano; compadecer-se.  HUMANIZAR é: valorizar a qualidade do cuidado do ponto de vista técnico.
  • 4. Ou seja, nos colocar no lugar do paciente e enxergar-lo como um ser biopsicossocial com necessidades diferentes, e entender que apesar do paciente estar com todos os equipamentos necessários para sua sobrevivência, ele está em um local estranho, sendo cuidado por pessoas estranhas, perdendo suas intimidades e principalmente com dor. A humanização visa justamente trazer o máximo de conforto e cuidado para o paciente como pessoa.
  • 5.
  • 6. JUSTIFICATIVA  Parece estranho falar de humanização para seres humanos, já que humanizar deveria fazer parte da natureza do homem, porém mostra-se necessário no contexto atual que façamos uma revisão de nossas práticas cotidianas com ênfase na criação de melhores equipes de trabalho que valorize a dignidade de sua profissão e do paciente,sendo assim escolhemos o esse tema como forma orientar a quem cuida a dar o tratamento individualizado frente as necessidades de cada um.
  • 7. OBJETIVO  O significado da humanização da assistência de enfermagem precisa ser compreendido dentro de um panorama bastante amplo. Este seminário tem o objetivo de ajudar os profissionais da saúde, interessados no assunto, a compreender de maneira básica a proposta de humanização.
  • 8. ENFERMAGEM E O CUIDADO HUMANIZADO  A enfermagem é uma disciplina, que lida com o ser humano, que é um ser em evolução, tem que haver humanização.  Uma pessoa está doente e vai procurar um profissional da saúde com o desejo que alivie seus sintomas e livre-o de seu sofrimento. Ele deseja ser cuidado.  O cuidado humano é exercitado, vivido e sentido no interior de cada um, envolvendo atos, princípios, valores, ética que devem fazer parte do nosso cotidiano.
  • 9. Compaixão aqui, não é ter pena, nem dó. É o sentido pleno da palavra mesmo e do entendimento de seus limites e depois o fortalecimento do sentimento fraternal. Doutores da alegria
  • 10. A comunicação verbal e as expressões usadas na hora da fala é a ponte entre você e o outro.
  • 11. O Cuidado ético é fazer com que a ação de cuidar, seja moralmente correta.
  • 12. A ética está relacionada com os comportamentos de um grupo e faz uso direcionado aos valores deste.  O desafio maior não é só compreender e auxiliar no tratamento, mas buscar desenvolver uma prática humanizada.  A reflexão sobre o sentido de nossas ações, reações e atitudes com os nossos pacientes tem que ser continua.
  • 13. A enfermagem nasceu através do ensino feito por Florence Nightingale: Treinava pessoas para cuidar de pessoas. O cuidar é uma característica da enfermagem. A arte da enfermagem Nightingaliana consiste no cuidar tanto dos seres humanos sadios, como doentes,requerendo assim um conhecimento formal e científico, vocação, elevado padrão moral e de sentimentos.
  • 14. O enfermeiro precisa utilizar seu conhecimento científico e também sua capacidade de observação e percepção para visualizar as necessidades do paciente e compreender seus problemas. A negligência é causadora de um cuida ineficiente, por isso, é necessário que a enfermeira tenha conhecimento disso e previna o mau cuidado, a sobrecarga de atividades, a falta de treinamento. Mantendo assim o bom equilíbrio da equipe para o atendimento humanizado.
  • 15. DESAFIOS PARA O PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO  Banalização do sofrimento;  Contato superficial entre o profissional e o paciente; Nesse processo, ocorre um desligamento do sofrimento do outro e o “medo” produz uma separação subjetiva entre os que estão cuidando e os que deveriam ser cuidados. Portanto, a mecanização do cuidado, a rotinização do contato pessoal e a impessoalidade transformam-se em mecanismo de defesa. O que tem impactado negativamente a humanização na efetivação de sua prática.
  • 16. A intolerância afetiva para com a própria emoção reacional acaba levando o sujeito a abstrair-se de sofrimento alheio por uma atitude de indiferença – logo, de intolerância para com o que provoca seu sofrimento. Nesse sentido emerge a necessidade de trabalhar o sofrimento psíquico do trabalhadores de enfermagem, pois o desgaste psicológico e más condições na infraestrutura ( super-lotamento , falta de materiais de trabalho e até mesmo sobre carga devido a poucos profissionais na equipe) interfere na qualidade de vida dessas pessoas e na qualidade da assistência prestada.
  • 17. CONCLUSÃO  O cuidar tornou-se mecanizado, fragmentado e tanto as pessoas que cuidam com as que recebem cuidado, parecem ter esquecido que esta habilidade/qualidade, além de constituir uma ação é um valor, um comportamento. Os enfermeiros devem ser atuantes não só na administração das atividades, mas sim estar em constante interação com o meio cuidar/cuidado para através do seu conhecimento, desenvolver a humanização. Isso nos confere, tanto mais responsabilidade, quanto desafios.
  • 18. Percebendo esta carência na área da saúde de um modo geral, ficou claro através da nossa pesquisa a necessidade de profissionais cada vez mais dedicados e que estejam sempre em um processo de educação continuada já que a enfermagem é uma profissão que exige desdobramento constante do profissional. Então humanização não tem que ser visto como uma opção e sim o dever de quem escolheu cuidar de pessoas como legado.
  • 19.
  • 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  http://www.youtube.com/watch?v=lJZzlmjnUSc&feature=related  http://pergunteparaaenfermeira.blogspot.com.br/2008/12/por-que-humanizar.html  http://www.slideworld.com/slideshows.aspx/Humaniza%C3%A7%C3%A3o-da-Pr%C3%A1tica-de-Enfermagem-ppt-1289  AZEVEDO, R.C de S. A comunicação como instrumento do processo de cuidar. Visão do aluno de graduação.  http://www.fen.ufg.br/revista/revista4_1/fatores.html.  ALMEIDA, M.C.P de O. O saberde enfermagem e sua dimensão prática. São Paulo: Cortez, 1986.3p.