SlideShare uma empresa Scribd logo
Organi
PARA REFLETIR,
O NÓ DO AFETO
Era um reunião numa escola. A diretora incentivava os pais a apoiarem as crianças,
falando da necessidade da presença deles junto aos filhos. Mesmo sabendo que a maioria
dos pais e mães trabalhava fora, ela tinha convicção da necessidade de acharem tempo para
seus filhos.
Foi então que um pai, com seu jeito simples, explicou que saía tão cedo de casa, que
seu filho ainda dormia e que, quando voltava, o pequeno, cansado, já adormecera. Explicou
que não podia deixar de trabalhar tanto assim, pois estava cada vez mais difícil sustentar a
família. E contou como isso o deixava angustiado, por praticamente só conviver com o filho
nos fins de semana.
O pai, então, falou como tentava redimir-se, indo beijar a criança todas as noites,
quando chegava em casa. Contou que a cada beijo, ele dava um pequeno nó no lençol, para
que seu filho soubesse que ele estivera ali. Quando acordava, o menino sabia que seu pai o
amava e lá estivera. E era o nó o meio de se ligarem um ao outro.
Aquela história emocionou a diretora da escola que, surpresa, verificou ser aquele
menino um dos melhores e mais ajustados alunos da classe. E a fez refletir sobre as infinitas
maneiras que pais e filhos têm de se comunicarem, de se fazerem presentes nas vidas uns
dos outros. O pai encontrou sua forma simples, mas eficiente, de se fazer presente e, o mais
importante, de que seu filho acreditasse na sua presença.
Para que a comunicação se instale, é preciso que os filhos ‘ouçam’ o coração dos pais
ou responsáveis, pois os sentimentos falam mais alto do que as palavras. É por essa razão
que um beijo, um abraço, um carinho, revestidos de puro afeto, curam até dor de cabeça,
arranhão, ciúme do irmão, medo do escuro, etc.
Uma criança pode não entender certas palavras, mas sabe registrar e gravar um gesto de
amor, mesmo que este seja um simples nó.
E você? Tem dado um nó no lençol do seu filho?
Eloi Zanettii
A você com muito carinho, Escola Solares.
Obrigada pela presença!
Rua: Rubem Berta, n° 226, Pituba, Salvador/BA, CEP:41.820-440 – Fone: (71) 3240-2594/ 34898897
Site: escola-solares.webnode.com - email: escolasolares@yahoo.com.br
Educação Infantil e Ensino Fundamental
Autorização pela Portaria nº 075-2009-1.A – CEE
Conselho Estadual de Educação de Salvador
PAUTA PARA REUNIÃO DE PAIS - 1º SEMESTRE
- ABERTURA
- Agradecimento aos pais pela presença.
- Passar a lista de presença.
- Apresentação da professora:
- nome;
- formação;
- há quanto tempo trabalha com educação, e nesta escola.
II - PRÁTICA E PEDAGÓGICA
- Organização da sala onde será realizada a reunião.
- Escrever uma mensagem para os pais, na lousa.
- Preparar uma lembrança da reunião. - Leitura e reflexão do texto, junto aos pais. (Texto
previamente escolhido pela professora, que pode ser somente uma mensagem ou texto para
reflexão, exemplo: Disciplina, Cuidados, Valores, (sendo pertinentes ao tipo de turma), etc.)
- Procure conscientizar os pais tendo como tema: " O que a criança faz no 1ª ano sua
importância, as mudanças no desenvolvimento cognitivo, a aquisição da linguagem, a
socialização, a capacidade de enfrentar e solucionar problemas, etc.
- Explicar a função do planejamento, o conhecimento da faixa etária, que existem conteúdos a
serem trabalhados de acordo com a faixa etária, como é feito seu planejamento semanal, etc.
- Falar sobre as hipóteses linguísticas.
- Semanário (planejamento semanal), (rotina, relatório semanal, avaliação semestral do
trabalho realizado).
- Tarefa - Orientar quanto ao dia que será enviada e devolvida, participação dos pais, a
importância dessa atividade na vida da criança, a higiene e cuidado com a tarefa.
- Projetos coletivos e/ou da turma.
- Deixe claro que você tem objetivos e metas a alcançar quando realiza uma atividade e/ou
um projeto com os alunos, ou seja, a função da escola.
- Para os alunos que estão frequentando a escola pela primeira vez, é preciso falar aos pais
sobre essa nova etapa na vida da criança (dúvidas, ansiedades e expectativas dos pais). É
importante que o adulto não transmita essas aflições para às crianças. E sempre que
necessário procure a escola para conversar e tirar dúvidas.
- Fale do cardápio escolar, o que as crianças comem na escola.
- Fale sobre a rotina escolar o que eles fazem desde o horário que chegam à escola. (Isso
tranquiliza, passa segurança e explica várias situações, como por exemplo: que ele é levado
ao banheiro, que ele bebe água, que tem hora para brincar, hora de atividade, etc.)
- Procure ser discreta e fale em particular com a mãe, se preciso for.
- Ressalte sempre pelo menos um ponto positivo da criança, não fale só de coisas
"negativas".
- Elogie a presença e fale da importância da participação dos pais na vida escolar da criança.
III - ASSUNTOS DIVERSOS
- Material escolar (importância de enviar na medida do possível).
- Explicar a rotina da escola (horário de entrada, saída, lanche, almoço, atividades).
- Caso o responsável pela criança não possa ir à escola buscá-la, comunicar com
antecedência, pois somente assim a criança será entregue, atualizar sempre a lista de
autorizados a buscar à criança.
- Remédio somente com receita médica, constando na caixa e no vidro o nome da criança, a
turma, quantidade a ser ministrada, com uma cópia da receita para ser anexada ao prontuário
da criança.
- Atualizar endereço e telefone em caso de precisar contactar a família.
- Reforçar os cuidados com os cabelos das crianças (para evitarmos o contágio dos piolhos),
meninas cabelos sempre presos e bem cortados, franjas nos olhos, meninos cabelos curtos.
- Verificar e cortar as unhas das crianças, sempre que necessário.
- Verificar todos os dias as mochilas, para trocas de roupas sujas, verificar bilhetes, toalhas,
colocar o nome da criança em seus pertences, mandar uma sacola plástica para colocar as
roupas sujas.
- Conscientizar sobre a importância dos bilhetes. Ésta é a nossa forma de comunicação.
- Não permitir que a criança traga para a escola: doces, balas, bolachas etc.
- Meninas não deverão vir de saia ou vestido, pois brincam sentadas na areia e no aparelho
recreativo, vir de short ou calça.
- Festas na escola - Ressaltar a importância da família nos eventos (festas, rifas, etc.).
IV - ENCERRAMENTO DA REUNIÃO
- Dar a palavra aos pais.
- Se quiser pode pedir aos pais que deixem um recado por escrito no caderno do filho.
- Não esquecer de elogiar a turma como um todo.
- Agradecer a presença dos pais.
- Entregar a lembrancinha.
Mensagem para pais reunião.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivoModelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivo
SimoneHelenDrumond
 
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Erkv
 
Slide sítio com atividades
Slide sítio com atividadesSlide sítio com atividades
Slide sítio com atividades
Gi Barbosa - Ideia Criativa
 
Reunião de pais 3º bimestre
Reunião de pais   3º bimestreReunião de pais   3º bimestre
Reunião de pais 3º bimestre
flaviacrm
 
Maleta+de+leitura
Maleta+de+leituraMaleta+de+leitura
Maleta+de+leitura
Susana Felix
 
Apostila das quadrinhas e textos complementares
  Apostila das quadrinhas e textos complementares  Apostila das quadrinhas e textos complementares
Apostila das quadrinhas e textos complementares
Francisco Moura
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
Fabiana Lopes
 
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
Anaí Peña
 
Projeto semana da pátria
Projeto semana da pátriaProjeto semana da pátria
Projeto semana da pátria
Luana Maria Ferreira Fernandes
 
pauta reunião de pais 3º bimestre.docx
pauta reunião de pais 3º bimestre.docxpauta reunião de pais 3º bimestre.docx
pauta reunião de pais 3º bimestre.docx
JaqueBorges3
 
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
SimoneHelenDrumond
 
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regularRelatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Nethy Marques
 
Coletânea de Poemas
Coletânea de PoemasColetânea de Poemas
Coletânea de Poemas
MariGiopato
 
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondModelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
Blog Amiga da Pedagogia By Nathália
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Sequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDASequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDA
Eleúzia Lins Silva
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
straraposa
 
Ficha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexasFicha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexas
GeaneFerreira15
 
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012. Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
DafianaCarlos
 

Mais procurados (20)

Modelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivoModelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivo
 
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
 
Slide sítio com atividades
Slide sítio com atividadesSlide sítio com atividades
Slide sítio com atividades
 
Reunião de pais 3º bimestre
Reunião de pais   3º bimestreReunião de pais   3º bimestre
Reunião de pais 3º bimestre
 
Maleta+de+leitura
Maleta+de+leituraMaleta+de+leitura
Maleta+de+leitura
 
Apostila das quadrinhas e textos complementares
  Apostila das quadrinhas e textos complementares  Apostila das quadrinhas e textos complementares
Apostila das quadrinhas e textos complementares
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
 
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
 
Projeto semana da pátria
Projeto semana da pátriaProjeto semana da pátria
Projeto semana da pátria
 
pauta reunião de pais 3º bimestre.docx
pauta reunião de pais 3º bimestre.docxpauta reunião de pais 3º bimestre.docx
pauta reunião de pais 3º bimestre.docx
 
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
 
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regularRelatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
 
Coletânea de Poemas
Coletânea de PoemasColetânea de Poemas
Coletânea de Poemas
 
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondModelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumondModelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
Modelos de relatórios dscritivos simone helen drumond
 
Sequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDASequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDA
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
 
Ficha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexasFicha de leitura sílabas complexas
Ficha de leitura sílabas complexas
 
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012. Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
Relatório do Primeiro Bimestre - Março/Abril 2012.
 

Semelhante a Mensagem para pais reunião.

I encontro com pais 2011
I encontro com pais   2011 I encontro com pais   2011
I encontro com pais 2011
gislenedilly
 
Encontro com pais CE José de Lannes
Encontro com pais   CE José de LannesEncontro com pais   CE José de Lannes
Encontro com pais CE José de Lannes
gislenedilly
 
O no afetivo[1]
O no afetivo[1]O no afetivo[1]
O no afetivo[1]
Ruth Santana
 
Folder REUNIÃO DE PAIS
Folder REUNIÃO DE PAISFolder REUNIÃO DE PAIS
Folder REUNIÃO DE PAIS
QUEDMA SILVA
 
O Nó Do Amor1
O Nó Do Amor1O Nó Do Amor1
O Nó Do Amor1
Luzia Gabriele
 
O no do amor
O no do amorO no do amor
O no do amor
Mensagens Virtuais
 
O nó do Amor..
O nó do Amor..O nó do Amor..
O nó do afecto
O nó do afectoO nó do afecto
O nó do afecto
maria do rosario macedo
 
O No Do Afeto 8580
O No Do Afeto 8580O No Do Afeto 8580
O No Do Afeto 8580
VVCX
 
Dando afeto
Dando afetoDando afeto
Dando afeto
Amadeu Wolff
 
O Nó Do Afecto
O Nó Do AfectoO Nó Do Afecto
O Nó Do Afecto
José Matias Alves
 
O no do afeto
O no do afetoO no do afeto
O no do afeto
Luiz Carlos Dias
 
O Nó Do Afeto 4
O Nó Do Afeto 4O Nó Do Afeto 4
O nó do afeto.
O nó do afeto.O nó do afeto.
O nó do afeto.
Lula Martins
 
O no do afeto
O no do afetoO no do afeto
O no do afeto
Mensagens Virtuais
 
Ações da emei ovídio decroly em 2012
Ações da emei ovídio decroly em 2012Ações da emei ovídio decroly em 2012
Ações da emei ovídio decroly em 2012
Solange Das Graças Seno
 
Da creche, ao jardim de infancia, á escola
Da creche, ao jardim de infancia, á escolaDa creche, ao jardim de infancia, á escola
Da creche, ao jardim de infancia, á escola
Matilde Paião
 
Ebook meu filho_autista
Ebook meu filho_autistaEbook meu filho_autista
Ebook meu filho_autista
Bárbara Delpretto
 
Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...
Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...
Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...
Dores Pinto
 
Tempo dos filhos
Tempo dos filhosTempo dos filhos
Tempo dos filhos
-
 

Semelhante a Mensagem para pais reunião. (20)

I encontro com pais 2011
I encontro com pais   2011 I encontro com pais   2011
I encontro com pais 2011
 
Encontro com pais CE José de Lannes
Encontro com pais   CE José de LannesEncontro com pais   CE José de Lannes
Encontro com pais CE José de Lannes
 
O no afetivo[1]
O no afetivo[1]O no afetivo[1]
O no afetivo[1]
 
Folder REUNIÃO DE PAIS
Folder REUNIÃO DE PAISFolder REUNIÃO DE PAIS
Folder REUNIÃO DE PAIS
 
O Nó Do Amor1
O Nó Do Amor1O Nó Do Amor1
O Nó Do Amor1
 
O no do amor
O no do amorO no do amor
O no do amor
 
O nó do Amor..
O nó do Amor..O nó do Amor..
O nó do Amor..
 
O nó do afecto
O nó do afectoO nó do afecto
O nó do afecto
 
O No Do Afeto 8580
O No Do Afeto 8580O No Do Afeto 8580
O No Do Afeto 8580
 
Dando afeto
Dando afetoDando afeto
Dando afeto
 
O Nó Do Afecto
O Nó Do AfectoO Nó Do Afecto
O Nó Do Afecto
 
O no do afeto
O no do afetoO no do afeto
O no do afeto
 
O Nó Do Afeto 4
O Nó Do Afeto 4O Nó Do Afeto 4
O Nó Do Afeto 4
 
O nó do afeto.
O nó do afeto.O nó do afeto.
O nó do afeto.
 
O no do afeto
O no do afetoO no do afeto
O no do afeto
 
Ações da emei ovídio decroly em 2012
Ações da emei ovídio decroly em 2012Ações da emei ovídio decroly em 2012
Ações da emei ovídio decroly em 2012
 
Da creche, ao jardim de infancia, á escola
Da creche, ao jardim de infancia, á escolaDa creche, ao jardim de infancia, á escola
Da creche, ao jardim de infancia, á escola
 
Ebook meu filho_autista
Ebook meu filho_autistaEbook meu filho_autista
Ebook meu filho_autista
 
Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...
Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...
Entrepalavras- jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanh...
 
Tempo dos filhos
Tempo dos filhosTempo dos filhos
Tempo dos filhos
 

Mensagem para pais reunião.

  • 1. Organi PARA REFLETIR, O NÓ DO AFETO Era um reunião numa escola. A diretora incentivava os pais a apoiarem as crianças, falando da necessidade da presença deles junto aos filhos. Mesmo sabendo que a maioria dos pais e mães trabalhava fora, ela tinha convicção da necessidade de acharem tempo para seus filhos. Foi então que um pai, com seu jeito simples, explicou que saía tão cedo de casa, que seu filho ainda dormia e que, quando voltava, o pequeno, cansado, já adormecera. Explicou que não podia deixar de trabalhar tanto assim, pois estava cada vez mais difícil sustentar a família. E contou como isso o deixava angustiado, por praticamente só conviver com o filho nos fins de semana. O pai, então, falou como tentava redimir-se, indo beijar a criança todas as noites, quando chegava em casa. Contou que a cada beijo, ele dava um pequeno nó no lençol, para que seu filho soubesse que ele estivera ali. Quando acordava, o menino sabia que seu pai o amava e lá estivera. E era o nó o meio de se ligarem um ao outro. Aquela história emocionou a diretora da escola que, surpresa, verificou ser aquele menino um dos melhores e mais ajustados alunos da classe. E a fez refletir sobre as infinitas maneiras que pais e filhos têm de se comunicarem, de se fazerem presentes nas vidas uns dos outros. O pai encontrou sua forma simples, mas eficiente, de se fazer presente e, o mais importante, de que seu filho acreditasse na sua presença. Para que a comunicação se instale, é preciso que os filhos ‘ouçam’ o coração dos pais ou responsáveis, pois os sentimentos falam mais alto do que as palavras. É por essa razão que um beijo, um abraço, um carinho, revestidos de puro afeto, curam até dor de cabeça, arranhão, ciúme do irmão, medo do escuro, etc. Uma criança pode não entender certas palavras, mas sabe registrar e gravar um gesto de amor, mesmo que este seja um simples nó. E você? Tem dado um nó no lençol do seu filho? Eloi Zanettii A você com muito carinho, Escola Solares. Obrigada pela presença! Rua: Rubem Berta, n° 226, Pituba, Salvador/BA, CEP:41.820-440 – Fone: (71) 3240-2594/ 34898897 Site: escola-solares.webnode.com - email: escolasolares@yahoo.com.br Educação Infantil e Ensino Fundamental Autorização pela Portaria nº 075-2009-1.A – CEE Conselho Estadual de Educação de Salvador
  • 2. PAUTA PARA REUNIÃO DE PAIS - 1º SEMESTRE - ABERTURA - Agradecimento aos pais pela presença. - Passar a lista de presença. - Apresentação da professora: - nome; - formação; - há quanto tempo trabalha com educação, e nesta escola. II - PRÁTICA E PEDAGÓGICA - Organização da sala onde será realizada a reunião. - Escrever uma mensagem para os pais, na lousa. - Preparar uma lembrança da reunião. - Leitura e reflexão do texto, junto aos pais. (Texto previamente escolhido pela professora, que pode ser somente uma mensagem ou texto para reflexão, exemplo: Disciplina, Cuidados, Valores, (sendo pertinentes ao tipo de turma), etc.) - Procure conscientizar os pais tendo como tema: " O que a criança faz no 1ª ano sua importância, as mudanças no desenvolvimento cognitivo, a aquisição da linguagem, a socialização, a capacidade de enfrentar e solucionar problemas, etc. - Explicar a função do planejamento, o conhecimento da faixa etária, que existem conteúdos a serem trabalhados de acordo com a faixa etária, como é feito seu planejamento semanal, etc. - Falar sobre as hipóteses linguísticas. - Semanário (planejamento semanal), (rotina, relatório semanal, avaliação semestral do trabalho realizado). - Tarefa - Orientar quanto ao dia que será enviada e devolvida, participação dos pais, a importância dessa atividade na vida da criança, a higiene e cuidado com a tarefa. - Projetos coletivos e/ou da turma. - Deixe claro que você tem objetivos e metas a alcançar quando realiza uma atividade e/ou um projeto com os alunos, ou seja, a função da escola. - Para os alunos que estão frequentando a escola pela primeira vez, é preciso falar aos pais sobre essa nova etapa na vida da criança (dúvidas, ansiedades e expectativas dos pais). É importante que o adulto não transmita essas aflições para às crianças. E sempre que necessário procure a escola para conversar e tirar dúvidas. - Fale do cardápio escolar, o que as crianças comem na escola. - Fale sobre a rotina escolar o que eles fazem desde o horário que chegam à escola. (Isso tranquiliza, passa segurança e explica várias situações, como por exemplo: que ele é levado ao banheiro, que ele bebe água, que tem hora para brincar, hora de atividade, etc.) - Procure ser discreta e fale em particular com a mãe, se preciso for.
  • 3. - Ressalte sempre pelo menos um ponto positivo da criança, não fale só de coisas "negativas". - Elogie a presença e fale da importância da participação dos pais na vida escolar da criança. III - ASSUNTOS DIVERSOS - Material escolar (importância de enviar na medida do possível). - Explicar a rotina da escola (horário de entrada, saída, lanche, almoço, atividades). - Caso o responsável pela criança não possa ir à escola buscá-la, comunicar com antecedência, pois somente assim a criança será entregue, atualizar sempre a lista de autorizados a buscar à criança. - Remédio somente com receita médica, constando na caixa e no vidro o nome da criança, a turma, quantidade a ser ministrada, com uma cópia da receita para ser anexada ao prontuário da criança. - Atualizar endereço e telefone em caso de precisar contactar a família. - Reforçar os cuidados com os cabelos das crianças (para evitarmos o contágio dos piolhos), meninas cabelos sempre presos e bem cortados, franjas nos olhos, meninos cabelos curtos. - Verificar e cortar as unhas das crianças, sempre que necessário. - Verificar todos os dias as mochilas, para trocas de roupas sujas, verificar bilhetes, toalhas, colocar o nome da criança em seus pertences, mandar uma sacola plástica para colocar as roupas sujas. - Conscientizar sobre a importância dos bilhetes. Ésta é a nossa forma de comunicação. - Não permitir que a criança traga para a escola: doces, balas, bolachas etc. - Meninas não deverão vir de saia ou vestido, pois brincam sentadas na areia e no aparelho recreativo, vir de short ou calça. - Festas na escola - Ressaltar a importância da família nos eventos (festas, rifas, etc.). IV - ENCERRAMENTO DA REUNIÃO - Dar a palavra aos pais. - Se quiser pode pedir aos pais que deixem um recado por escrito no caderno do filho. - Não esquecer de elogiar a turma como um todo. - Agradecer a presença dos pais. - Entregar a lembrancinha.