SlideShare uma empresa Scribd logo
Diagnóstico
Psicopedagógico
Clínico
Aulas 1 e 2
Profa. Ivana de Oliveira Carvalho
Apresentação
Graduada em Psicologia Clínica pela PUC Minas
Mestre em Educação pelo CEFET - MG
Graduanda em Filosofia pela FAJE
Psicóloga clínica
Professora universitária
Contato: ivanacarvalho@yahoo.com.br
Agenda de trabalho
18/19 de agosto de 2013
1. Ementa e objetivos da disciplina.
2. Referências bibliográficas básicas.
3. Atividade em grupos: a especificidade do diagnostico psicopedagógico.
4. As duas dimensões do diagnóstico psicopedagógico: dimensão técnica
e dimensão clínica.
5. Explicitação dos componentes gerais das dimensões técnica e clínica do
diagnóstico psicopedagógico clínico.
6. O primeiro contato telefônico.
7. Próxima aula: ler texto sobre Anamnese e estudar dois Roteiros de
Anamnese (enviados por email).
Ementa da disciplina
A especificidade do diagnóstico psicopedagógico clínico:
 Fundamentação teórica.
 O processo diagnóstico.
 Instrumentos, procedimentos e análise.
 Análise crítica da prática diagnóstica.
Objetivos
Conhecer as teorias e conceitos que fundamentam o
diagnóstico psicopedagógico clínico.
Conhecer os modelos de diagnóstico psicopedagógico clínico.
Possibilitar um posicionamento crítico em relação às teorias e
à avaliação psicopedagógica.
Instrumentalizar o profissional para a prática
diagnóstica, através de reflexão critica frente aos recursos
existentes e à criação de novas estratégias de avaliação
psicopedagógica.
Distribuição de pontos
Atividades em classe e extraclasse: 70 pontos.
Produção escrita ao final da disciplina: 30 pontos.
Média para aprovação: 70 pontos.
Frequência: mínimo de 75% da carga horária da
disciplina (35ha), ou seja, cinco encontros do total de
sete.
Bibliografia Básica
SAMPAIO, Simaia. Manual
prático do diagnóstico
psicopedagógico clínico. Rio de
Janeiro: Wak, 2009.
WEISS, Maria Lúcia L.
Psicopedagogia clínica: uma
visão diagnóstica. 13. ed. Rio de
Janeiro: Lamparina, 2008.
Bibliografia Básica
FERNÁNDEZ, Alicia. A
inteligência aprisionada:
abordagem psicopedagógica
clínica da criança e sua
família. Porto Alegre: Artes
Médicas, 1991.
PAIN, Sara. Diagnóstico e
tratamento dos problemas
de aprendizagem. Porto
Alegre: Artes Médicas, 1986.
Atividade em grupos
1. Observar a gravura enfatizando o aspecto destinado
ao grupo.
2. Responder, por escrito, à pergunta: a partir do
aspecto que lhe foi destinado, quais fatores podem
“atrapalhar a vida escolar de uma criança?”
(BOSSA, 2000, p. 32).
3. Socializar para a turma.
Socialização
Grupo 1: relação criança e família.
Grupo 2: relação criança e instituição escolar.
Grupo 3: relação criança e professor.
Grupo 4: relação criança e colegas de sala.
Grupo 5: relação criança e material didático.
Grupo 6: relação criança e contexto histórico.
Diagnóstico Psicopedagógico ClínicoAulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira
Pergunta central
do Diagnóstico Psicopedagógico
Pais:
Como resolver/eliminar/tratar o problema de
aprendizagem do meu filho?
Psicopedagogo:
Por que o sujeito sofre desse problema de
aprendizagem?
A função fundamental do diagnóstico
Identificar as causas da
dificuldade de aprendizagem
em cada caso clínico.
E...
Indicar os encaminhamentos
interventivos mais pertinentes
para a resolução da dificuldade
de aprendizagem.
Diagnóstico e Intervenção
DIAGNÓSTICO
PSICOPEDAGÓGICO
(INVESTIGAÇÃO)
INTERVENÇÃO
PSICOPEDAGÓGICA
(AÇÃO)
Embora o diagnóstico não seja a intervenção propriamente dita,
ele tem um efeito interventivo na medida em que influi sobre as
dinâmicas de vida do sujeito e da família.
Consideração inicial quanto aos termos
Diagnóstico psicopedagógico: forte conotação
médico-psicológica centrada na classificação de
doenças e no seu tratamento visando à cura.
Devido a essa conotação, muito autores têm
preferido adotar a expressão: avaliação
psicopedagógica.
Deslocamento do enfoque médico para o enfoque
educacional.
Quando falamos de diagnóstico, referimo-nos a uma atividade
limitada à busca de patologias nos indivíduos como causa
explicativa de seus desajustes ou dificuldades
e, portanto, relacionada com um modelo médico-explicativo de
conduta. Se falamos de avaliação, referimo-nos a um tipo de
informação muito mais amplo sobre a pessoa, que não fica
centrado exclusivamente no indivíduo, mas também no seu
ambiente e na interação entre ambos, e que não utiliza como
procedimento principal e quase único os testes psicológicos ou a
avaliação clínica [médica]. (SOLÉ, 2001, p. 188, grifo nosso).
SOLÉ, Isabel. Orientação educacional e intervenção psicopedagógica.
Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.
As duas dimensões do diagnóstico
DIMENSÃO
TÉCNICA
DIMENSÃO
CLÍNICA
Investigação
Pesquisa
Coleta de dados
Compreensão global
do sujeito que
aprende
Manejo
científico
A escuta da queixa
Enigma: por quê?
Relação
psicopedagogo
e paciente
Transferência
Manejo
clínico
Autonomia do
sujeito
Manejo
científico
Manejo
clínico
Dimensão técnica – aspectos gerais
Todo diagnóstico psicopedagógico é, em si, uma
investigação, uma pesquisa do que não vai bem com o
sujeito em relação ao processo de aprendizagem.
Trata-se, portanto, de esclarecer uma queixa.
A queixa pode ser formulada: pelo próprio sujeito, pela
família, pela escola, por outros profissionais que
atendem o sujeito.
Podem existir semelhanças e diferenças na formulação
da queixa. Isto deve ser levado em conta pelo
psicopedagogo que deve delimitá-la com clareza.
Queixa
APRENDIZAGEM
Não aprender.
Aprender com dificuldade.
Aprender com lentidão.
Não revelar o que aprendeu.
Fugir de situações de
aprendizagem.
Entre outras.
COMPORTAMENTO
Agitação.
Agressividade.
Impulsividade.
Desinteresse.
Apatia.
Timidez.
Fobia social.
Entre outros.
Atividade em grupos
Das 12 queixas apresentadas, escolher 3 delas e
formular uma primeira hipótese diagnóstica para
cada uma.
Responder: para vocês, existe diferença entre ouvir a
queixa e escutar a queixa? Se sim, qual a diferença?
Queixas: a elaboração das primeiras hipóteses
A partir da formulação da queixa, o psicopedagogo deve elaborar as
primeiras hipóteses investigativas.
Vejamos quais hipóteses poderiam ser elaboradas a partir das
queixas seguintes: socialização da atividade.
1. Parece que ele não guarda nada.
2. Não tiro nota boa porque relaxo. Não presto atenção. Só consigo
quando alguém ajuda.
3. Ele não faz nada na sala, não fixa em nada, não presta atenção na
aula.
4. Não sou inteligente a ponto de olhar o professor explicando e
entender na hora.
Queixas: a elaboração das primeiras hipóteses
5. Lê bem, mas não consegue escrever. É ótimo na matemática, mas
sempre foi mal em português.
6. Erro na escrita porque faço muito rápido, não sei fazer devagar.
Não gosto de ler livro. O que eu gosto mais é da aula de música.
Não gosto de dividir, não sei conta de dividir.
7. Vai sempre mal na escola, mas eu também era assim e hoje estou
muito bem. Estou aqui porque a escola mandou.
8. Estudo, na hora da prova dá nervoso e eu esqueço. Estou me
esforçando. Nas matérias não vou nada bem. Não sei conseguir
resultado melhor. Não gostei da professora, gritava muito.
9. Ele é cabeça-dura que nem eu! Lá em casa, ninguém sabe nada.
Acho que não adianta...
Queixas: a elaboração das primeiras hipóteses
10. Não estudo, não tenho paciência para estudar. Só agora, na 5ª
série, é que as matérias são mais difíceis. Na prova final, vou
estudar feito um condenado!
11. Acho que está tudo bem! Não sei por que a professora disse para
eu trazer ele aqui.
12. Eu não queria aprender a ler e a escrever. Tenho medo de tirar
nota baixa, repetir ano e perder os amigos. Tive dificuldade no
colégio A, não era bom o ensino; aí, minha mãe me tirou e pôs em
outra escola; aí, o segundo colégio não era bom e minha mãe
botou em outro; aí, ela não gostou e eu voltei para o primeiro.
Coleta de dados sobre o sujeito
Aspectos orgânicos.
Aspectos familiares.
Aspectos psíquicos.
Aspectos escolares.
Aspectos cognitivos.
Aspectos sociais.
Aspectos contextuais. Fonte: WEISS, 2008, p. 32
Atividade individual
Ler o texto “Etapas da Avaliação Psicopedagógica”
assinalando as informações relevantes.
Identificar as etapas da avaliação psicopedagógica
Etapas da Avaliação Psicopedagógica
Primeiro contato com os pais:
Telefônico e presencial
Anamenese
Sessões com o paciente
Análise do material escolar
Contato com a escola
Contato com profissionais que atendem o
paciente (se for o caso)
Devolutiva e Encaminhamentos
Organização dos dados - desafio
Proceder à amarração dos
dados numa rede de
sentido, de unidade, de
integração que nos permita
uma gestalt, uma
compreensão global sobre
a forma de aprender do
sujeito.
Essa organização só é
possível mediante a
amálgama das teorias
que fundamentam a
Psicopedagogia.
Essa compreensão global sobre a forma de
aprender do sujeito não é uma verdade pronta e
acabada. É, antes, uma hipótese diagnóstica
sempre provisória.
Dimensão clínica – aspectos gerais
No manejo da relação clínica entre psicopedagogo e
sujeito deve-se levar em consideração:
 A especificidade da clínica da criança, do adolescente
e do adulto.
 A escuta psicopedagógica.
 A dimensão do sintoma.
 A transferência e a contratransferência.
 O desejo de aprender.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento IndividualPlano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento Individual
Diogo Santos
 
Eoca procedimentos durante o teste de psicopedagogia
Eoca procedimentos durante o teste de psicopedagogiaEoca procedimentos durante o teste de psicopedagogia
Eoca procedimentos durante o teste de psicopedagogia
Maria Bernadete Lizareli Wippich
 
Estudo de caso
Estudo de caso Estudo de caso
Estudo de caso
cefaprodematupa
 
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação EspecialOrientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Ficha para avaliação descritiva na educação infantil
Ficha para avaliação descritiva na educação infantilFicha para avaliação descritiva na educação infantil
Ficha para avaliação descritiva na educação infantil
Cleide Avila
 
Percepção Auditiva visual e tátil;
Percepção Auditiva visual e tátil;Percepção Auditiva visual e tátil;
Percepção Auditiva visual e tátil;
Jaqueline de Paulo
 
Material de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdah
Material de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdahMaterial de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdah
Material de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdah
Liliane Professora
 
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucionalRelatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Ravena B
 
Manual do aee
Manual do aeeManual do aee
Manual do aee
Isa ...
 
RelatóRio De DeficiêNcia Visual
RelatóRio De DeficiêNcia VisualRelatóRio De DeficiêNcia Visual
RelatóRio De DeficiêNcia Visual
GuilherminaP
 
AEE
AEEAEE
Planejamento Educação Infantil fase I
 Planejamento Educação Infantil fase I Planejamento Educação Infantil fase I
Planejamento Educação Infantil fase I
lucianoproenca21
 
projeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docx
projeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docxprojeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docx
projeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docx
DanyCampos19
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
Deisiane Cazaroto
 
Modelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEAModelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEA
Lisraelle Silva
 
Relatório pedagógico e avaliação descritiva
Relatório pedagógico e avaliação descritivaRelatório pedagógico e avaliação descritiva
Relatório pedagógico e avaliação descritiva
Andreia Carla Lobo
 
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencaoPsicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Sergio Luis dos Santos Lima
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
Instituto Consciência GO
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Rafael408221
 
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
estudosacademicospedag
 

Mais procurados (20)

Plano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento IndividualPlano Desenvolvimento Individual
Plano Desenvolvimento Individual
 
Eoca procedimentos durante o teste de psicopedagogia
Eoca procedimentos durante o teste de psicopedagogiaEoca procedimentos durante o teste de psicopedagogia
Eoca procedimentos durante o teste de psicopedagogia
 
Estudo de caso
Estudo de caso Estudo de caso
Estudo de caso
 
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação EspecialOrientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
 
Ficha para avaliação descritiva na educação infantil
Ficha para avaliação descritiva na educação infantilFicha para avaliação descritiva na educação infantil
Ficha para avaliação descritiva na educação infantil
 
Percepção Auditiva visual e tátil;
Percepção Auditiva visual e tátil;Percepção Auditiva visual e tátil;
Percepção Auditiva visual e tátil;
 
Material de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdah
Material de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdahMaterial de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdah
Material de-apoio-para-o-professor-trabalhar-com-alunos-com-tdah
 
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucionalRelatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
 
Manual do aee
Manual do aeeManual do aee
Manual do aee
 
RelatóRio De DeficiêNcia Visual
RelatóRio De DeficiêNcia VisualRelatóRio De DeficiêNcia Visual
RelatóRio De DeficiêNcia Visual
 
AEE
AEEAEE
AEE
 
Planejamento Educação Infantil fase I
 Planejamento Educação Infantil fase I Planejamento Educação Infantil fase I
Planejamento Educação Infantil fase I
 
projeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docx
projeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docxprojeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docx
projeto semana da pessoa com deficiencia( pronto ).docx
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
 
Modelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEAModelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEA
 
Relatório pedagógico e avaliação descritiva
Relatório pedagógico e avaliação descritivaRelatório pedagógico e avaliação descritiva
Relatório pedagógico e avaliação descritiva
 
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencaoPsicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
 
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
 

Destaque

Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínicaNeurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínica
Andre Silva
 
Pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EAD
Pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EADPós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EAD
Pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EAD
Grupo Educa Mais EAD
 
A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI
A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI
A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI
appairj
 
Monografia neuropedagogia of.doc
Monografia neuropedagogia of.docMonografia neuropedagogia of.doc
Monografia neuropedagogia of.doc
Universidade Oeste do Paraná
 
Neuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínicaNeuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínica
Ana Lúcia Hennemann
 
Neuropedagogìa[1]
Neuropedagogìa[1]Neuropedagogìa[1]
Neuropedagogìa[1]
estrellafarfan
 
Ética Profissional do Psicopedagogo
Ética Profissional do PsicopedagogoÉtica Profissional do Psicopedagogo
Ética Profissional do Psicopedagogo
Instituto Consciência GO
 
Testes psicopedagógicos
Testes psicopedagógicosTestes psicopedagógicos
Testes psicopedagógicos
Cristina Maria de S Miranda
 
NEUROPEDAGOGÍA
NEUROPEDAGOGÍANEUROPEDAGOGÍA
NEUROPEDAGOGÍA
Ministerio de Educacion
 
Teorias Psicopedagógicas do Ensino Aprendizagem
Teorias Psicopedagógicas do Ensino AprendizagemTeorias Psicopedagógicas do Ensino Aprendizagem
Teorias Psicopedagógicas do Ensino Aprendizagem
Hebert Balieiro
 
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
adrianapolonio
 

Destaque (11)

Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínicaNeurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínica
 
Pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EAD
Pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EADPós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EAD
Pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Especial - Pós Educa+ EAD
 
A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI
A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI
A Ação Psicopedagógica (necessária) para a Educação do Século XXI
 
Monografia neuropedagogia of.doc
Monografia neuropedagogia of.docMonografia neuropedagogia of.doc
Monografia neuropedagogia of.doc
 
Neuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínicaNeuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínica
 
Neuropedagogìa[1]
Neuropedagogìa[1]Neuropedagogìa[1]
Neuropedagogìa[1]
 
Ética Profissional do Psicopedagogo
Ética Profissional do PsicopedagogoÉtica Profissional do Psicopedagogo
Ética Profissional do Psicopedagogo
 
Testes psicopedagógicos
Testes psicopedagógicosTestes psicopedagógicos
Testes psicopedagógicos
 
NEUROPEDAGOGÍA
NEUROPEDAGOGÍANEUROPEDAGOGÍA
NEUROPEDAGOGÍA
 
Teorias Psicopedagógicas do Ensino Aprendizagem
Teorias Psicopedagógicas do Ensino AprendizagemTeorias Psicopedagógicas do Ensino Aprendizagem
Teorias Psicopedagógicas do Ensino Aprendizagem
 
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
 

Semelhante a Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira

Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capa
Francisco Martins
 
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio ProfissionalppsxSLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
FranciscoMata65
 
Queixa psicopedagógica
Queixa psicopedagógicaQueixa psicopedagógica
Queixa psicopedagógica
Caminhos do Autismo
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
Patricia Rodrigues
 
TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas
TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas
TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas
Kátia Beraldi
 
Fundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaFundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogia
UNICEP
 
Nb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machadoNb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machado
Andrea Cortelazzi
 
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamentalO desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
Colégio Municipal Profª Enedina Costa De Macêdo
 
11 conhecer a_disciplina_de_psicologia
11 conhecer a_disciplina_de_psicologia11 conhecer a_disciplina_de_psicologia
11 conhecer a_disciplina_de_psicologia
Micas Cullen
 
Conhecer a disciplina de psicologia
Conhecer a disciplina de psicologiaConhecer a disciplina de psicologia
Conhecer a disciplina de psicologia
Daniela Dádá
 
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
Marcelo da Rocha Carvalho
 
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Psicopedagogia clinica  pratica especificaPsicopedagogia clinica  pratica especifica
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Mariana Willendorff Oliveira
 
Artigo cleide araujo e juliana menezes
 Artigo   cleide araujo e juliana menezes Artigo   cleide araujo e juliana menezes
Artigo cleide araujo e juliana menezes
Cleide Araujo
 
Eveline tonelotto barbosa
Eveline tonelotto barbosaEveline tonelotto barbosa
Eveline tonelotto barbosa
Juliana Soares
 
Histório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da PsicopedagogiaHistório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da Psicopedagogia
janpsicoped
 
Psicopedagogia fundamentos basicos
Psicopedagogia fundamentos basicosPsicopedagogia fundamentos basicos
Psicopedagogia fundamentos basicos
Leide Antonino
 
Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...
Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...
Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...
Mauro Paulino
 
Reflexoes psicopedagogia
Reflexoes psicopedagogiaReflexoes psicopedagogia
Reflexoes psicopedagogia
Kleiton Fernandes Kleiton
 
Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita uma...
Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita  uma...Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita  uma...
Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita uma...
Suely Magalhaes
 
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogiaFundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Vanessa Casaro
 

Semelhante a Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira (20)

Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capa
 
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio ProfissionalppsxSLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
SLIDE relatorio de estagio Profissionalppsx
 
Queixa psicopedagógica
Queixa psicopedagógicaQueixa psicopedagógica
Queixa psicopedagógica
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
 
TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas
TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas
TDAH em adolescentes residentes em comunidades terapêuticas
 
Fundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaFundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogia
 
Nb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machadoNb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machado
 
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamentalO desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
 
11 conhecer a_disciplina_de_psicologia
11 conhecer a_disciplina_de_psicologia11 conhecer a_disciplina_de_psicologia
11 conhecer a_disciplina_de_psicologia
 
Conhecer a disciplina de psicologia
Conhecer a disciplina de psicologiaConhecer a disciplina de psicologia
Conhecer a disciplina de psicologia
 
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
 
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Psicopedagogia clinica  pratica especificaPsicopedagogia clinica  pratica especifica
Psicopedagogia clinica pratica especifica
 
Artigo cleide araujo e juliana menezes
 Artigo   cleide araujo e juliana menezes Artigo   cleide araujo e juliana menezes
Artigo cleide araujo e juliana menezes
 
Eveline tonelotto barbosa
Eveline tonelotto barbosaEveline tonelotto barbosa
Eveline tonelotto barbosa
 
Histório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da PsicopedagogiaHistório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da Psicopedagogia
 
Psicopedagogia fundamentos basicos
Psicopedagogia fundamentos basicosPsicopedagogia fundamentos basicos
Psicopedagogia fundamentos basicos
 
Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...
Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...
Tenho 9 anos e estou no 2º ano. E agora? O papel da psicologia clínica na tra...
 
Reflexoes psicopedagogia
Reflexoes psicopedagogiaReflexoes psicopedagogia
Reflexoes psicopedagogia
 
Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita uma...
Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita  uma...Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita  uma...
Reflexões a cerca das dificuldades de aprendizagens em leitura e escrita uma...
 
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogiaFundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
 

Último

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 

Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 - Prª Ivana Carvalho de Oliveira

  • 1. Diagnóstico Psicopedagógico Clínico Aulas 1 e 2 Profa. Ivana de Oliveira Carvalho
  • 2. Apresentação Graduada em Psicologia Clínica pela PUC Minas Mestre em Educação pelo CEFET - MG Graduanda em Filosofia pela FAJE Psicóloga clínica Professora universitária Contato: ivanacarvalho@yahoo.com.br
  • 3. Agenda de trabalho 18/19 de agosto de 2013 1. Ementa e objetivos da disciplina. 2. Referências bibliográficas básicas. 3. Atividade em grupos: a especificidade do diagnostico psicopedagógico. 4. As duas dimensões do diagnóstico psicopedagógico: dimensão técnica e dimensão clínica. 5. Explicitação dos componentes gerais das dimensões técnica e clínica do diagnóstico psicopedagógico clínico. 6. O primeiro contato telefônico. 7. Próxima aula: ler texto sobre Anamnese e estudar dois Roteiros de Anamnese (enviados por email).
  • 4. Ementa da disciplina A especificidade do diagnóstico psicopedagógico clínico:  Fundamentação teórica.  O processo diagnóstico.  Instrumentos, procedimentos e análise.  Análise crítica da prática diagnóstica.
  • 5. Objetivos Conhecer as teorias e conceitos que fundamentam o diagnóstico psicopedagógico clínico. Conhecer os modelos de diagnóstico psicopedagógico clínico. Possibilitar um posicionamento crítico em relação às teorias e à avaliação psicopedagógica. Instrumentalizar o profissional para a prática diagnóstica, através de reflexão critica frente aos recursos existentes e à criação de novas estratégias de avaliação psicopedagógica.
  • 6. Distribuição de pontos Atividades em classe e extraclasse: 70 pontos. Produção escrita ao final da disciplina: 30 pontos. Média para aprovação: 70 pontos. Frequência: mínimo de 75% da carga horária da disciplina (35ha), ou seja, cinco encontros do total de sete.
  • 7. Bibliografia Básica SAMPAIO, Simaia. Manual prático do diagnóstico psicopedagógico clínico. Rio de Janeiro: Wak, 2009. WEISS, Maria Lúcia L. Psicopedagogia clínica: uma visão diagnóstica. 13. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.
  • 8. Bibliografia Básica FERNÁNDEZ, Alicia. A inteligência aprisionada: abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991. PAIN, Sara. Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.
  • 9. Atividade em grupos 1. Observar a gravura enfatizando o aspecto destinado ao grupo. 2. Responder, por escrito, à pergunta: a partir do aspecto que lhe foi destinado, quais fatores podem “atrapalhar a vida escolar de uma criança?” (BOSSA, 2000, p. 32). 3. Socializar para a turma.
  • 10. Socialização Grupo 1: relação criança e família. Grupo 2: relação criança e instituição escolar. Grupo 3: relação criança e professor. Grupo 4: relação criança e colegas de sala. Grupo 5: relação criança e material didático. Grupo 6: relação criança e contexto histórico.
  • 12. Pergunta central do Diagnóstico Psicopedagógico Pais: Como resolver/eliminar/tratar o problema de aprendizagem do meu filho? Psicopedagogo: Por que o sujeito sofre desse problema de aprendizagem?
  • 13. A função fundamental do diagnóstico Identificar as causas da dificuldade de aprendizagem em cada caso clínico. E... Indicar os encaminhamentos interventivos mais pertinentes para a resolução da dificuldade de aprendizagem.
  • 14. Diagnóstico e Intervenção DIAGNÓSTICO PSICOPEDAGÓGICO (INVESTIGAÇÃO) INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA (AÇÃO) Embora o diagnóstico não seja a intervenção propriamente dita, ele tem um efeito interventivo na medida em que influi sobre as dinâmicas de vida do sujeito e da família.
  • 15. Consideração inicial quanto aos termos Diagnóstico psicopedagógico: forte conotação médico-psicológica centrada na classificação de doenças e no seu tratamento visando à cura. Devido a essa conotação, muito autores têm preferido adotar a expressão: avaliação psicopedagógica. Deslocamento do enfoque médico para o enfoque educacional.
  • 16. Quando falamos de diagnóstico, referimo-nos a uma atividade limitada à busca de patologias nos indivíduos como causa explicativa de seus desajustes ou dificuldades e, portanto, relacionada com um modelo médico-explicativo de conduta. Se falamos de avaliação, referimo-nos a um tipo de informação muito mais amplo sobre a pessoa, que não fica centrado exclusivamente no indivíduo, mas também no seu ambiente e na interação entre ambos, e que não utiliza como procedimento principal e quase único os testes psicológicos ou a avaliação clínica [médica]. (SOLÉ, 2001, p. 188, grifo nosso). SOLÉ, Isabel. Orientação educacional e intervenção psicopedagógica. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.
  • 17. As duas dimensões do diagnóstico
  • 18. DIMENSÃO TÉCNICA DIMENSÃO CLÍNICA Investigação Pesquisa Coleta de dados Compreensão global do sujeito que aprende Manejo científico A escuta da queixa Enigma: por quê? Relação psicopedagogo e paciente Transferência Manejo clínico Autonomia do sujeito Manejo científico Manejo clínico
  • 19. Dimensão técnica – aspectos gerais Todo diagnóstico psicopedagógico é, em si, uma investigação, uma pesquisa do que não vai bem com o sujeito em relação ao processo de aprendizagem. Trata-se, portanto, de esclarecer uma queixa. A queixa pode ser formulada: pelo próprio sujeito, pela família, pela escola, por outros profissionais que atendem o sujeito. Podem existir semelhanças e diferenças na formulação da queixa. Isto deve ser levado em conta pelo psicopedagogo que deve delimitá-la com clareza.
  • 20. Queixa APRENDIZAGEM Não aprender. Aprender com dificuldade. Aprender com lentidão. Não revelar o que aprendeu. Fugir de situações de aprendizagem. Entre outras. COMPORTAMENTO Agitação. Agressividade. Impulsividade. Desinteresse. Apatia. Timidez. Fobia social. Entre outros.
  • 21. Atividade em grupos Das 12 queixas apresentadas, escolher 3 delas e formular uma primeira hipótese diagnóstica para cada uma. Responder: para vocês, existe diferença entre ouvir a queixa e escutar a queixa? Se sim, qual a diferença?
  • 22. Queixas: a elaboração das primeiras hipóteses A partir da formulação da queixa, o psicopedagogo deve elaborar as primeiras hipóteses investigativas. Vejamos quais hipóteses poderiam ser elaboradas a partir das queixas seguintes: socialização da atividade. 1. Parece que ele não guarda nada. 2. Não tiro nota boa porque relaxo. Não presto atenção. Só consigo quando alguém ajuda. 3. Ele não faz nada na sala, não fixa em nada, não presta atenção na aula. 4. Não sou inteligente a ponto de olhar o professor explicando e entender na hora.
  • 23. Queixas: a elaboração das primeiras hipóteses 5. Lê bem, mas não consegue escrever. É ótimo na matemática, mas sempre foi mal em português. 6. Erro na escrita porque faço muito rápido, não sei fazer devagar. Não gosto de ler livro. O que eu gosto mais é da aula de música. Não gosto de dividir, não sei conta de dividir. 7. Vai sempre mal na escola, mas eu também era assim e hoje estou muito bem. Estou aqui porque a escola mandou. 8. Estudo, na hora da prova dá nervoso e eu esqueço. Estou me esforçando. Nas matérias não vou nada bem. Não sei conseguir resultado melhor. Não gostei da professora, gritava muito. 9. Ele é cabeça-dura que nem eu! Lá em casa, ninguém sabe nada. Acho que não adianta...
  • 24. Queixas: a elaboração das primeiras hipóteses 10. Não estudo, não tenho paciência para estudar. Só agora, na 5ª série, é que as matérias são mais difíceis. Na prova final, vou estudar feito um condenado! 11. Acho que está tudo bem! Não sei por que a professora disse para eu trazer ele aqui. 12. Eu não queria aprender a ler e a escrever. Tenho medo de tirar nota baixa, repetir ano e perder os amigos. Tive dificuldade no colégio A, não era bom o ensino; aí, minha mãe me tirou e pôs em outra escola; aí, o segundo colégio não era bom e minha mãe botou em outro; aí, ela não gostou e eu voltei para o primeiro.
  • 25. Coleta de dados sobre o sujeito Aspectos orgânicos. Aspectos familiares. Aspectos psíquicos. Aspectos escolares. Aspectos cognitivos. Aspectos sociais. Aspectos contextuais. Fonte: WEISS, 2008, p. 32
  • 26. Atividade individual Ler o texto “Etapas da Avaliação Psicopedagógica” assinalando as informações relevantes. Identificar as etapas da avaliação psicopedagógica
  • 27. Etapas da Avaliação Psicopedagógica Primeiro contato com os pais: Telefônico e presencial Anamenese Sessões com o paciente Análise do material escolar Contato com a escola Contato com profissionais que atendem o paciente (se for o caso) Devolutiva e Encaminhamentos
  • 28. Organização dos dados - desafio Proceder à amarração dos dados numa rede de sentido, de unidade, de integração que nos permita uma gestalt, uma compreensão global sobre a forma de aprender do sujeito. Essa organização só é possível mediante a amálgama das teorias que fundamentam a Psicopedagogia. Essa compreensão global sobre a forma de aprender do sujeito não é uma verdade pronta e acabada. É, antes, uma hipótese diagnóstica sempre provisória.
  • 29. Dimensão clínica – aspectos gerais No manejo da relação clínica entre psicopedagogo e sujeito deve-se levar em consideração:  A especificidade da clínica da criança, do adolescente e do adulto.  A escuta psicopedagógica.  A dimensão do sintoma.  A transferência e a contratransferência.  O desejo de aprender.