SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 56
Alex Sandro Gomes, Ph.D., CIn UFPE

MEDIAÇÃO TECNOLOGICA DOS
ENSINO E APRENDIZAGEM
Eu acredito que o cinema está destinado a revolucionar nosso sistema
educacional e que em poucos anos ele vai suplantar largamente, se não
inteiramente, o uso de livros didáticos. Thomas Edison, 1922.
O Tempo no qual o rádio portátil vai ser tão comum na sala de aula como
o quadro negro. A instrução pelo rádio vai ser integrada na vida escolar e
aceito como um meio educacional. W. Levenson, 1945.
Não vai existir escola no futuro. Eu acho que o computador vai suplantar
a escola… Seymour Papert, 1984.
crença excessiva nas tecnologias
Cependant, 90% d’entre eux sont satisfaits de cette opération :
l’ordinateur remotive, et l’élève et l’enseignant...
Tecnologias no cotidiano dos alunos
Instantaneidade, transmídia e multimídia
Geração Y
_“Essa geração não é pior, é apenas diferente”. Eles tem desejo de
liberdade, necessidade de configurar, querem detalhes, gostam de diversão,
gostam de se relacionar, e tem necessidade por velocidade.
Mediação de ensino e aprendizagem
O uso de tecnologias estende as experiências de ensino para fora da sala de
aula permitindo uma gama de novas situações didáticas na sala de aula e
em colaboração.
Impacto significativo: plêiade de experiências
O uso de tecnologias estende as experiências de ensino para fora da sala de
aula permitindo uma gama de novas situações didáticas na sala de aula e
em colaboração.
Impacto significativo: plêiade de situações
A complementaridade de métodos e técnicas representa um real aumento
do tempo de envolvimento dos alunos com professores, colegas e
conteúdos.
Sala
Tutoring   Sala   Internet   Celular   TV
http://goo.gl/HuUFU
CCTE-Cin-UFPE                  15
Como elas podem transformar as relações didática?

TECNOLOGIAS NO ENSINO
SUPERIOR
Regulamentação


No Brasil, as bases legais para a modalidade de
educação a distância foram estabelecidas pela
Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional
(Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de
1996), que foi regulamentada pelo Decreto n.º
5.622, publicado no D.O.U. de 20/12/05 (que
revogou o Decreto n.º 2.494, de 10 de
fevereiro de 1998, e o Decreto n.º 2.561, de 27
de abril de 1998) com normatização definida
na Portaria Ministerial n.º 4.361, de 2004 (que
revogou a Portaria Ministerial n.º 301, de 07 de
abril de 1998 ).
Regulamentação da pós-graduação


A possibilidade de cursos de
mestrado, doutorado e especialização a
distância foi disciplinada pelo Capítulo V do
Decreto n.º 5.622/05 e pela Resolução nº
01, da Câmara de Ensino Superior-CES, do
Conselho Nacional de Educação-CNE, em 3 de
abril de 2001.
Referenciais de Qualidade

… circunscrevem-se no ordenamento legal
vigente em complemento às determinações
específicas da Lei de Diretrizes e Bases da
Educação, do Decreto 5.622, de 20 de
dezembro de 2005, do Decreto 5.773, de junho
de 2006 e das Portarias Normativas 1 e 2, de 11
de janeiro de 2007.
Embora seja um documento que não tem força
de lei, ele será um referencial norteador para
subsidiar atos legais do poder público no que
se referem aos processos específicos de
regulação, supervisão e avaliação da
modalidade citada.                    http://goo.gl/OyVAa
Algumas experiências

MEDIAÇÃO DO ENSINO COM
TECNOLOGIA: ENSINO SUPERIOR
Colaboração entre professores
                     Bothe et al., 2005
Colaboração profs
Colab. alunos        Projeto transnacional: Alemanha, Bulgária,
Blended Learning
                     Sérbia e ex-Yoguslávia
Uso de simuladores
Mobile Learning      Objetivo: otimizar o uso de recursos
T-Learning
                     Desafios e definições:
                         Uso de um idioma único
                         Material acessível e com atualizações
                         Orientações para professores
                         Coleção de estudos de casos
                         Definições de papeis e obrigações
May 2, 2012
“EdX represents a unique opportunity to improve education on our own
campuses through online learning, while simultaneously creating a bold new
educational path for millions of learners worldwide,” MIT President Susan
Hockfield said.
Colaboração entre alunos
                     Trahasch, 2004
Colaboração profs
Colab. alunos        Uso de plataformas para implementar
Blended Learning
                     avaliação por pares
Uso de simuladores
Mobile Learning          Aceitação pela abordagem
T-Learning
                         Mais responsabilidade sobre o seu
                         aprendizado
                         Estudando acreditam mais nos feedback de
                         seus professores
                         Estudante assume papeis de professores
Blended Learning
                     Reichlmayr, 2005; Liu et al., 2003
Colaboração profs
Colab. alunos        Objetivo: Ajudar a tornar a experiência mais
Blended Learning
                     satisfatória pelo aumento da efetividade da
Uso de simuladores
                     colaboração em equipe e com os instrutores
Mobile Learning
T-Learning
                     (clima e infra) através de aplicações a
                     distância de tecnologias de computação social
                     Blended Learning: uso de plataformas
                     LMS, ferramentas (as)síncronas, entre muitas
                         51% mais interação 72% mais aceitação
                     Curiosidade: Ead é estratégica para 67% das IES
                     públicas nos EUA
Uso de simuladores
                     Moreno et al., 2007
Colaboração profs
Colab. alunos        Simuladores, arquiteturas de computadores:
Blended Learning
                     uso de plataformas LMS e o SIMDE
Uso de simuladores
Mobile Learning      Metodologia construtivista e colaborativa de
T-Learning           aprendizagem
                         Maior significado ao contexto
                         Ambientes flexíveis de aprendizado
                         Mídias e plataformas ajudam na construção
                         do conhecimento
                         Criação de situações específicas de
                         instrução e formas de mediação
Uso de simuladores
                     Raabe, 2007
Colaboração profs
Colab. alunos        Aprendizado de algoritmo com a ferramenta
Blended Learning
                     WebPortugol
Uso de simuladores
Mobile Learning      Separar dois problemas: lógica e sintaxe
T-Learning
                        Applet
                        Pseudo-linguagem
Mobile Learning
                     Fuck et al., 2006
Colaboração profs
Colab. alunos        Eficácia do uso de SMSs
Blended Learning
Uso de simuladores   Motivação e engajamento
Mobile Learning
T-Learning
                     Promoção da interação
                         Aceitação
                         Complemento da e-learning
T-Learning
                     Santos et al., 2006
Colaboração profs
Colab. alunos        Difusão de conteúdo
Blended Learning
Uso de simuladores   Estilos de interação locais
Mobile Learning
T-Learning
                     Percepção one way
                     Promoção da interação:
                         Aceitação
                         Complemento da e-learning
Graduação e pós-graduação

OPORTUNIDADES
Graduação

            • Cursos de graduação
              • É possível ‘levantar’ 20%
                da carga horária para a
                modalidade de ensino
                mediado por computador
                • Portaria 4059, de 10 de
                  dezembro de 2004
Graduação

            • Materiais com padrão de
              qualidade
              • Objetos de aprendizagem
              • Simuladores e jogos
            • Prática docente
              • Composição de aulas
                presenciais e a distância
              • Avaliação formadora
              • Atendimento individual
O Triângulo Didático
Sérgio, retira a leganda e deixa apenas: Fonte: Anderson, 2004
Como as tecnologias podem mudar a didática na relação...

… ALUNO - PROFESSOR
Precisa ter uma boa
ergonomia para o docente
A interface deve refletir as estruturas
da prática docente, desde o
planejamento, passando por processos
de mediação da aprendizagem, até as
atividades de avaliação,
monitoramento e avaliação.

Gomes et al., Colaboração,
Comunicação e Aprendizagem em
Rede Social Educativa, In Xavier A. C.
(Ed.) Hipertexto e Cibercultura, 2011.
Criar comunidades de
aprendizagem e de prática
Professores e alunos podem criar
redes e comunidades de interesse.
Dispor materiais antes das
aulas
Deixar que alunos
discutam os temas depois
das aulas
Permitir avaliar os alunos
formativamente
Avaliação formativa, diagnóstica e
formadora dos alunos criando exames
a partir de bancos de questões.
Deve proporcionar formas de
comunicação que aproximam
professores e alunos
Constitui-se como um canal de
comunicação entre os alunos e o
professor nos contextos de ensino e
aprendizagem, mudando a relação
entre professor e aluno.
Citando Robert E. Slavin, “A dinâmica
mais importante na educação é a
interação entre professor e aluno”.
Deve diminuir a espera
entre uma dúvida e sua
resposta
Por meio de celulares e redes sociais
as dúvidas de cada participante são
resolvidas pelo coletivo do grupo.
O professor acompanha e atende
individualmente cada solicitação.
Ajudar a perceber o que
os participantes fazem
Sinais de presença e de ações
realizadas por outros participantes
ajudam a dar consciência das ações
dos colegas
Permite monitorar as
interações com facilidade
Facilidade para integrar com sistemas
de monitoramento de indicadores de
qualidade, informando dados já
definidos e dados de engajamento e
participação nas situações mediadas a
distância.
Como as tecnologias podem mudar a didática na relação...

... PROFESSOR - SABER
O professor autor de
               seu curso
Deve permitir ao professor planejar sequencias de aulas e
     mediar a aprendizagem usando seus materiais, seus
                                       temas, suas fontes
Permitir organizar
sequências de aulas e
materiais
Será possível criar e compartilhar
planos de aulas e materiais.

A rede pode avaliar cada um dos
planos, permitindo criar uma
consciência coletiva acerca de cada
uma das contribuições da rede.
Permitir acompanhar o
desempenho dos alunos
segundo descritores
Uso de descritores para indexar as
situações, atividades e materiais e
assim permitir monitorar de que
maneira os alunos estão usando os
materiais e espaços em relação aos
itens das Matrizes de
Referência, Temas, Tópicos e
Descritores associados a cada um
deles.
      MEC http://j.mp/rR9twL
Ajudar na reflexão de sua
prática
Como as tecnologias podem mudar a didática na relação...

... ALUNO - SABER
autonomia
Ao buscar ajuda em uma rede social para resolver problemas que não
consegue sozinho, o aluno exercita de forma progressivamente consciente
habilidades importantes para a construção autônoma de conhecimento.
Deve permitir
experimentar uma
diversidade de situações
Deve permitir o
compartilhamento amplo
Esse comportamento ganha forma de
ajuda mútua em processos de
resolução de problemas, busca de
informações, permitindo processos
complexos de mediação em rede e
constituição de zonas de
desenvolvimento proximal (Vygotsky)
• Os alunos podem sugerir materiais
• Os alunos podem avaliar a
    qualidade de cada aula
Mediar fenômenos de
autorregulação da
aprendizagem
Em 2008, durante o APEC Education
Reform Symposium in Xi'an, China,
definida uma das competências do
Século 21 (21CC).
http://educarcom.redu.com.br
Redu
•   Colaboradores: 16
•   Dissertações concluídas: 3
•   TCC concluídos: 6
•   Mestrado em andamento: 10
•   Doutorado em andamento: 7
•   Usuários cadastrados: 3100
•   Cooperação com o grupo de
    pesquisa "Ciências Cognitivas e
    Tecnologia Educacional" do Centro
    de informática da UFPE.
Depoimentos
http://educarcom.redu.com.br




This work is licensed under the
Creative Commons Attribution-
NonCommercial-NoDerivs 3.0
Unported License. To view a copy
of this license, visit
http://creativecommons.org/license
s/by-nc-nd/3.0/ or send a letter to
Creative Commons, 444 Castro
Street, Suite 900, Mountain
View, California, 94041, USA.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aprendizagem híbrida
Aprendizagem híbridaAprendizagem híbrida
Aprendizagem híbrida
jeaneclarice
 
Comunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVAComunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVA
maritania.linux
 
Modelos e sistemas de educação a distância
Modelos e sistemas de educação a distânciaModelos e sistemas de educação a distância
Modelos e sistemas de educação a distância
vinivs
 

Mais procurados (20)

Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticasEnsino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
 
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
 
Aprendizagem híbrida
Aprendizagem híbridaAprendizagem híbrida
Aprendizagem híbrida
 
Modelos Ensino Híbrido
Modelos Ensino HíbridoModelos Ensino Híbrido
Modelos Ensino Híbrido
 
Rio Info 2015 - Cidades Inteligentes e os Modelos Inovadores de Aprendizagem ...
Rio Info 2015 - Cidades Inteligentes e os Modelos Inovadores de Aprendizagem ...Rio Info 2015 - Cidades Inteligentes e os Modelos Inovadores de Aprendizagem ...
Rio Info 2015 - Cidades Inteligentes e os Modelos Inovadores de Aprendizagem ...
 
Comunidade de Inovação na Educação
Comunidade de Inovação na EducaçãoComunidade de Inovação na Educação
Comunidade de Inovação na Educação
 
Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...
Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...
Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...
 
Ensino Híbrido - FURB/Blumenau
Ensino Híbrido - FURB/BlumenauEnsino Híbrido - FURB/Blumenau
Ensino Híbrido - FURB/Blumenau
 
Didática e Ensino Remoto: avaliação da aprendizagem
Didática e Ensino Remoto: avaliação da aprendizagemDidática e Ensino Remoto: avaliação da aprendizagem
Didática e Ensino Remoto: avaliação da aprendizagem
 
Comunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVAComunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVA
 
Do presencial para o online ('imposto'). Questões pedagógicas e curriculares ...
Do presencial para o online ('imposto'). Questões pedagógicas e curriculares ...Do presencial para o online ('imposto'). Questões pedagógicas e curriculares ...
Do presencial para o online ('imposto'). Questões pedagógicas e curriculares ...
 
CONCEÇÕES E EXPECTATIVAS DE PROFESSORES E EDUCADORES DE INFÂNCIA A PROPÓSITO ...
CONCEÇÕES E EXPECTATIVAS DE PROFESSORES E EDUCADORES DE INFÂNCIA A PROPÓSITO ...CONCEÇÕES E EXPECTATIVAS DE PROFESSORES E EDUCADORES DE INFÂNCIA A PROPÓSITO ...
CONCEÇÕES E EXPECTATIVAS DE PROFESSORES E EDUCADORES DE INFÂNCIA A PROPÓSITO ...
 
Apresentação Pacto pela Educação do Pará
Apresentação Pacto pela Educação do ParáApresentação Pacto pela Educação do Pará
Apresentação Pacto pela Educação do Pará
 
Fast ead 1º semestre de 2008
Fast ead 1º semestre de 2008Fast ead 1º semestre de 2008
Fast ead 1º semestre de 2008
 
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-LearningConceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
 
Conceitos de educação aberta e a distancia
Conceitos de educação aberta e a distanciaConceitos de educação aberta e a distancia
Conceitos de educação aberta e a distancia
 
Contextualização do Ensino a Distância e os desafios para o Ensino Superior: ...
Contextualização do Ensino a Distância e os desafios para o Ensino Superior: ...Contextualização do Ensino a Distância e os desafios para o Ensino Superior: ...
Contextualização do Ensino a Distância e os desafios para o Ensino Superior: ...
 
Educação a Distância (EAD) e Educação Online (EOL): notas de um pesquisador-d...
Educação a Distância (EAD) e Educação Online (EOL): notas de um pesquisador-d...Educação a Distância (EAD) e Educação Online (EOL): notas de um pesquisador-d...
Educação a Distância (EAD) e Educação Online (EOL): notas de um pesquisador-d...
 
Características essenciais do aprendente no ensino a distância
Características essenciais do aprendente no ensino a distânciaCaracterísticas essenciais do aprendente no ensino a distância
Características essenciais do aprendente no ensino a distância
 
Modelos e sistemas de educação a distância
Modelos e sistemas de educação a distânciaModelos e sistemas de educação a distância
Modelos e sistemas de educação a distância
 

Destaque (12)

Apresentação.moodle
Apresentação.moodleApresentação.moodle
Apresentação.moodle
 
Tecnologia e educação: o ensino vai bem, obrigado, e o aprendizado? - Prof. G...
Tecnologia e educação: o ensino vai bem, obrigado, e o aprendizado? - Prof. G...Tecnologia e educação: o ensino vai bem, obrigado, e o aprendizado? - Prof. G...
Tecnologia e educação: o ensino vai bem, obrigado, e o aprendizado? - Prof. G...
 
Novas tecnologias e mediação pedagógica
Novas tecnologias e mediação pedagógicaNovas tecnologias e mediação pedagógica
Novas tecnologias e mediação pedagógica
 
Boas Praticas Moodle
Boas Praticas MoodleBoas Praticas Moodle
Boas Praticas Moodle
 
Mdl19 g1-10-01-intro-slides
Mdl19 g1-10-01-intro-slidesMdl19 g1-10-01-intro-slides
Mdl19 g1-10-01-intro-slides
 
Formação sobre MOODLE
Formação sobre MOODLEFormação sobre MOODLE
Formação sobre MOODLE
 
Tutorial e Curso de Moodle: Parte 2 de 5
Tutorial e Curso de Moodle: Parte 2 de 5Tutorial e Curso de Moodle: Parte 2 de 5
Tutorial e Curso de Moodle: Parte 2 de 5
 
Mediacao Pedagogica e o Uso da Tecnologia
Mediacao Pedagogica e o Uso da TecnologiaMediacao Pedagogica e o Uso da Tecnologia
Mediacao Pedagogica e o Uso da Tecnologia
 
1. Gimp 2.6 Manual 1
1. Gimp 2.6 Manual 11. Gimp 2.6 Manual 1
1. Gimp 2.6 Manual 1
 
Hangout moodle
Hangout moodleHangout moodle
Hangout moodle
 
Mapas mentais - Criatividade e uso eficaz na TI
Mapas mentais - Criatividade e uso eficaz na TIMapas mentais - Criatividade e uso eficaz na TI
Mapas mentais - Criatividade e uso eficaz na TI
 
Plataforma Educativa Moodle
Plataforma Educativa MoodlePlataforma Educativa Moodle
Plataforma Educativa Moodle
 

Semelhante a Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado

Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
CursoTICs
 

Semelhante a Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado (20)

Fundamentos de-educacao-a-distancia
Fundamentos de-educacao-a-distanciaFundamentos de-educacao-a-distancia
Fundamentos de-educacao-a-distancia
 
Slider Cobesc
Slider CobescSlider Cobesc
Slider Cobesc
 
Web ufpel 1
Web ufpel 1Web ufpel 1
Web ufpel 1
 
[2014 11] concepção de ambientes colaborativos de aprendizagem design de red...
[2014 11] concepção de ambientes colaborativos de aprendizagem  design de red...[2014 11] concepção de ambientes colaborativos de aprendizagem  design de red...
[2014 11] concepção de ambientes colaborativos de aprendizagem design de red...
 
Apresentação CBIE 2013 UNICAMP
Apresentação CBIE 2013  UNICAMPApresentação CBIE 2013  UNICAMP
Apresentação CBIE 2013 UNICAMP
 
Wie2010 Formacao UCA Beth Almeida
Wie2010 Formacao UCA Beth AlmeidaWie2010 Formacao UCA Beth Almeida
Wie2010 Formacao UCA Beth Almeida
 
Tecnologias móveis no ensino e aprendizagem da língua inglesa
Tecnologias móveis no ensino e aprendizagem da língua inglesaTecnologias móveis no ensino e aprendizagem da língua inglesa
Tecnologias móveis no ensino e aprendizagem da língua inglesa
 
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógicaE-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
 
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educação
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educaçãoDesafios para o uso de TICs aplicadas à educação
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educação
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
 
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
 
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprenderPuc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
 
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
 
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.pptOrientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
 
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.pptOrientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
 
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.pptOrientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
 
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.pptOrientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
Orientações Pedagógicas - EAD-UAB.ppt
 
Mediacao pedagogica ambientesvirtuais_rea
Mediacao pedagogica ambientesvirtuais_reaMediacao pedagogica ambientesvirtuais_rea
Mediacao pedagogica ambientesvirtuais_rea
 
Práticas didático-pedagógicas no período de pós-pandemia e a formação de prof...
Práticas didático-pedagógicas no período de pós-pandemia e a formação de prof...Práticas didático-pedagógicas no período de pós-pandemia e a formação de prof...
Práticas didático-pedagógicas no período de pós-pandemia e a formação de prof...
 
silvana.ppt
silvana.pptsilvana.ppt
silvana.ppt
 

Mais de UFPE

Environnements d'apprentissage persuasifs
Environnements d'apprentissage persuasifsEnvironnements d'apprentissage persuasifs
Environnements d'apprentissage persuasifs
UFPE
 
Ambientes de aprendizagem persuasivos
Ambientes de aprendizagem persuasivosAmbientes de aprendizagem persuasivos
Ambientes de aprendizagem persuasivos
UFPE
 
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
UFPE
 

Mais de UFPE (20)

Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemiaMetodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
 
"RECONSTRUINDO" A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INI...
"RECONSTRUINDO" A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INI..."RECONSTRUINDO" A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INI...
"RECONSTRUINDO" A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INI...
 
Ensino remoto: quinze anos em quinze dias?
Ensino remoto: quinze anos em quinze dias?Ensino remoto: quinze anos em quinze dias?
Ensino remoto: quinze anos em quinze dias?
 
Aula Magna de Design de Experiências de Aprendizagem Acontece na Univali
Aula Magna de Design de Experiências de Aprendizagem Acontece na UnivaliAula Magna de Design de Experiências de Aprendizagem Acontece na Univali
Aula Magna de Design de Experiências de Aprendizagem Acontece na Univali
 
Revolução 4.0 na educação - potencialidades e desafios
Revolução 4.0 na educação - potencialidades e desafiosRevolução 4.0 na educação - potencialidades e desafios
Revolução 4.0 na educação - potencialidades e desafios
 
De moderno e contemporâneo da Informática na Educação no Brasil: abordagens s...
De moderno e contemporâneo da Informática na Educação no Brasil: abordagens s...De moderno e contemporâneo da Informática na Educação no Brasil: abordagens s...
De moderno e contemporâneo da Informática na Educação no Brasil: abordagens s...
 
Juntos pelo saber
Juntos pelo saberJuntos pelo saber
Juntos pelo saber
 
Ambientes de aprendizagem persuasivos
Ambientes de aprendizagem persuasivosAmbientes de aprendizagem persuasivos
Ambientes de aprendizagem persuasivos
 
2018 2019 Rotary Club Recife Encanta Moça projects + board of directors fr
2018 2019 Rotary Club Recife Encanta Moça projects + board of directors fr2018 2019 Rotary Club Recife Encanta Moça projects + board of directors fr
2018 2019 Rotary Club Recife Encanta Moça projects + board of directors fr
 
Environnements d'apprentissage persuasifs
Environnements d'apprentissage persuasifsEnvironnements d'apprentissage persuasifs
Environnements d'apprentissage persuasifs
 
Lessons planning instrumental genesis: between teachers’ instrument systems a...
Lessons planning instrumental genesis: between teachers’ instrument systems a...Lessons planning instrumental genesis: between teachers’ instrument systems a...
Lessons planning instrumental genesis: between teachers’ instrument systems a...
 
Projeto Estante Aberta
Projeto Estante AbertaProjeto Estante Aberta
Projeto Estante Aberta
 
Posse do Conselho Diretor Rotary Club Encanta Moça 2018-2019
Posse do Conselho Diretor Rotary Club Encanta Moça 2018-2019Posse do Conselho Diretor Rotary Club Encanta Moça 2018-2019
Posse do Conselho Diretor Rotary Club Encanta Moça 2018-2019
 
A evolução do modelo atual de educação: Formação de professores e tecnologias...
A evolução do modelo atual de educação: Formação de professores e tecnologias...A evolução do modelo atual de educação: Formação de professores e tecnologias...
A evolução do modelo atual de educação: Formação de professores e tecnologias...
 
O futuro da educação e a importância de universidades e escolas mais empr...
O futuro da educação  e a importância de universidades e escolas mais empr...O futuro da educação  e a importância de universidades e escolas mais empr...
O futuro da educação e a importância de universidades e escolas mais empr...
 
Ambientes de aprendizagem persuasivos
Ambientes de aprendizagem persuasivosAmbientes de aprendizagem persuasivos
Ambientes de aprendizagem persuasivos
 
Projetos na área de Educação: voluntariado, social, pesquisa, extensão e coop...
Projetos na área de Educação: voluntariado, social, pesquisa, extensão e coop...Projetos na área de Educação: voluntariado, social, pesquisa, extensão e coop...
Projetos na área de Educação: voluntariado, social, pesquisa, extensão e coop...
 
Meaningful learning in u learning environments- an experience in vocational e...
Meaningful learning in u learning environments- an experience in vocational e...Meaningful learning in u learning environments- an experience in vocational e...
Meaningful learning in u learning environments- an experience in vocational e...
 
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
 
Smart, seamless and lifelong learning environments
Smart, seamless and lifelong learning environmentsSmart, seamless and lifelong learning environments
Smart, seamless and lifelong learning environments
 

Último

Último (8)

ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 

Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado

  • 1. Alex Sandro Gomes, Ph.D., CIn UFPE MEDIAÇÃO TECNOLOGICA DOS ENSINO E APRENDIZAGEM
  • 2. Eu acredito que o cinema está destinado a revolucionar nosso sistema educacional e que em poucos anos ele vai suplantar largamente, se não inteiramente, o uso de livros didáticos. Thomas Edison, 1922.
  • 3. O Tempo no qual o rádio portátil vai ser tão comum na sala de aula como o quadro negro. A instrução pelo rádio vai ser integrada na vida escolar e aceito como um meio educacional. W. Levenson, 1945.
  • 4. Não vai existir escola no futuro. Eu acho que o computador vai suplantar a escola… Seymour Papert, 1984.
  • 5. crença excessiva nas tecnologias Cependant, 90% d’entre eux sont satisfaits de cette opération : l’ordinateur remotive, et l’élève et l’enseignant...
  • 6.
  • 7. Tecnologias no cotidiano dos alunos Instantaneidade, transmídia e multimídia
  • 8. Geração Y _“Essa geração não é pior, é apenas diferente”. Eles tem desejo de liberdade, necessidade de configurar, querem detalhes, gostam de diversão, gostam de se relacionar, e tem necessidade por velocidade.
  • 9.
  • 10. Mediação de ensino e aprendizagem O uso de tecnologias estende as experiências de ensino para fora da sala de aula permitindo uma gama de novas situações didáticas na sala de aula e em colaboração.
  • 11. Impacto significativo: plêiade de experiências O uso de tecnologias estende as experiências de ensino para fora da sala de aula permitindo uma gama de novas situações didáticas na sala de aula e em colaboração.
  • 12. Impacto significativo: plêiade de situações A complementaridade de métodos e técnicas representa um real aumento do tempo de envolvimento dos alunos com professores, colegas e conteúdos.
  • 13. Sala
  • 14. Tutoring Sala Internet Celular TV
  • 16. Como elas podem transformar as relações didática? TECNOLOGIAS NO ENSINO SUPERIOR
  • 17. Regulamentação No Brasil, as bases legais para a modalidade de educação a distância foram estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996), que foi regulamentada pelo Decreto n.º 5.622, publicado no D.O.U. de 20/12/05 (que revogou o Decreto n.º 2.494, de 10 de fevereiro de 1998, e o Decreto n.º 2.561, de 27 de abril de 1998) com normatização definida na Portaria Ministerial n.º 4.361, de 2004 (que revogou a Portaria Ministerial n.º 301, de 07 de abril de 1998 ).
  • 18. Regulamentação da pós-graduação A possibilidade de cursos de mestrado, doutorado e especialização a distância foi disciplinada pelo Capítulo V do Decreto n.º 5.622/05 e pela Resolução nº 01, da Câmara de Ensino Superior-CES, do Conselho Nacional de Educação-CNE, em 3 de abril de 2001.
  • 19. Referenciais de Qualidade … circunscrevem-se no ordenamento legal vigente em complemento às determinações específicas da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, do Decreto 5.622, de 20 de dezembro de 2005, do Decreto 5.773, de junho de 2006 e das Portarias Normativas 1 e 2, de 11 de janeiro de 2007. Embora seja um documento que não tem força de lei, ele será um referencial norteador para subsidiar atos legais do poder público no que se referem aos processos específicos de regulação, supervisão e avaliação da modalidade citada. http://goo.gl/OyVAa
  • 20. Algumas experiências MEDIAÇÃO DO ENSINO COM TECNOLOGIA: ENSINO SUPERIOR
  • 21. Colaboração entre professores Bothe et al., 2005 Colaboração profs Colab. alunos Projeto transnacional: Alemanha, Bulgária, Blended Learning Sérbia e ex-Yoguslávia Uso de simuladores Mobile Learning Objetivo: otimizar o uso de recursos T-Learning Desafios e definições: Uso de um idioma único Material acessível e com atualizações Orientações para professores Coleção de estudos de casos Definições de papeis e obrigações
  • 22. May 2, 2012 “EdX represents a unique opportunity to improve education on our own campuses through online learning, while simultaneously creating a bold new educational path for millions of learners worldwide,” MIT President Susan Hockfield said.
  • 23. Colaboração entre alunos Trahasch, 2004 Colaboração profs Colab. alunos Uso de plataformas para implementar Blended Learning avaliação por pares Uso de simuladores Mobile Learning Aceitação pela abordagem T-Learning Mais responsabilidade sobre o seu aprendizado Estudando acreditam mais nos feedback de seus professores Estudante assume papeis de professores
  • 24. Blended Learning Reichlmayr, 2005; Liu et al., 2003 Colaboração profs Colab. alunos Objetivo: Ajudar a tornar a experiência mais Blended Learning satisfatória pelo aumento da efetividade da Uso de simuladores colaboração em equipe e com os instrutores Mobile Learning T-Learning (clima e infra) através de aplicações a distância de tecnologias de computação social Blended Learning: uso de plataformas LMS, ferramentas (as)síncronas, entre muitas 51% mais interação 72% mais aceitação Curiosidade: Ead é estratégica para 67% das IES públicas nos EUA
  • 25. Uso de simuladores Moreno et al., 2007 Colaboração profs Colab. alunos Simuladores, arquiteturas de computadores: Blended Learning uso de plataformas LMS e o SIMDE Uso de simuladores Mobile Learning Metodologia construtivista e colaborativa de T-Learning aprendizagem Maior significado ao contexto Ambientes flexíveis de aprendizado Mídias e plataformas ajudam na construção do conhecimento Criação de situações específicas de instrução e formas de mediação
  • 26. Uso de simuladores Raabe, 2007 Colaboração profs Colab. alunos Aprendizado de algoritmo com a ferramenta Blended Learning WebPortugol Uso de simuladores Mobile Learning Separar dois problemas: lógica e sintaxe T-Learning Applet Pseudo-linguagem
  • 27. Mobile Learning Fuck et al., 2006 Colaboração profs Colab. alunos Eficácia do uso de SMSs Blended Learning Uso de simuladores Motivação e engajamento Mobile Learning T-Learning Promoção da interação Aceitação Complemento da e-learning
  • 28. T-Learning Santos et al., 2006 Colaboração profs Colab. alunos Difusão de conteúdo Blended Learning Uso de simuladores Estilos de interação locais Mobile Learning T-Learning Percepção one way Promoção da interação: Aceitação Complemento da e-learning
  • 30. Graduação • Cursos de graduação • É possível ‘levantar’ 20% da carga horária para a modalidade de ensino mediado por computador • Portaria 4059, de 10 de dezembro de 2004
  • 31. Graduação • Materiais com padrão de qualidade • Objetos de aprendizagem • Simuladores e jogos • Prática docente • Composição de aulas presenciais e a distância • Avaliação formadora • Atendimento individual
  • 32. O Triângulo Didático Sérgio, retira a leganda e deixa apenas: Fonte: Anderson, 2004
  • 33. Como as tecnologias podem mudar a didática na relação... … ALUNO - PROFESSOR
  • 34. Precisa ter uma boa ergonomia para o docente A interface deve refletir as estruturas da prática docente, desde o planejamento, passando por processos de mediação da aprendizagem, até as atividades de avaliação, monitoramento e avaliação. Gomes et al., Colaboração, Comunicação e Aprendizagem em Rede Social Educativa, In Xavier A. C. (Ed.) Hipertexto e Cibercultura, 2011.
  • 35. Criar comunidades de aprendizagem e de prática Professores e alunos podem criar redes e comunidades de interesse.
  • 37. Deixar que alunos discutam os temas depois das aulas
  • 38. Permitir avaliar os alunos formativamente Avaliação formativa, diagnóstica e formadora dos alunos criando exames a partir de bancos de questões.
  • 39. Deve proporcionar formas de comunicação que aproximam professores e alunos Constitui-se como um canal de comunicação entre os alunos e o professor nos contextos de ensino e aprendizagem, mudando a relação entre professor e aluno. Citando Robert E. Slavin, “A dinâmica mais importante na educação é a interação entre professor e aluno”.
  • 40. Deve diminuir a espera entre uma dúvida e sua resposta Por meio de celulares e redes sociais as dúvidas de cada participante são resolvidas pelo coletivo do grupo. O professor acompanha e atende individualmente cada solicitação.
  • 41. Ajudar a perceber o que os participantes fazem Sinais de presença e de ações realizadas por outros participantes ajudam a dar consciência das ações dos colegas
  • 42. Permite monitorar as interações com facilidade Facilidade para integrar com sistemas de monitoramento de indicadores de qualidade, informando dados já definidos e dados de engajamento e participação nas situações mediadas a distância.
  • 43. Como as tecnologias podem mudar a didática na relação... ... PROFESSOR - SABER
  • 44. O professor autor de seu curso Deve permitir ao professor planejar sequencias de aulas e mediar a aprendizagem usando seus materiais, seus temas, suas fontes
  • 45. Permitir organizar sequências de aulas e materiais Será possível criar e compartilhar planos de aulas e materiais. A rede pode avaliar cada um dos planos, permitindo criar uma consciência coletiva acerca de cada uma das contribuições da rede.
  • 46. Permitir acompanhar o desempenho dos alunos segundo descritores Uso de descritores para indexar as situações, atividades e materiais e assim permitir monitorar de que maneira os alunos estão usando os materiais e espaços em relação aos itens das Matrizes de Referência, Temas, Tópicos e Descritores associados a cada um deles. MEC http://j.mp/rR9twL
  • 47. Ajudar na reflexão de sua prática
  • 48. Como as tecnologias podem mudar a didática na relação... ... ALUNO - SABER
  • 49. autonomia Ao buscar ajuda em uma rede social para resolver problemas que não consegue sozinho, o aluno exercita de forma progressivamente consciente habilidades importantes para a construção autônoma de conhecimento.
  • 51. Deve permitir o compartilhamento amplo Esse comportamento ganha forma de ajuda mútua em processos de resolução de problemas, busca de informações, permitindo processos complexos de mediação em rede e constituição de zonas de desenvolvimento proximal (Vygotsky) • Os alunos podem sugerir materiais • Os alunos podem avaliar a qualidade de cada aula
  • 52. Mediar fenômenos de autorregulação da aprendizagem Em 2008, durante o APEC Education Reform Symposium in Xi'an, China, definida uma das competências do Século 21 (21CC).
  • 54. Redu • Colaboradores: 16 • Dissertações concluídas: 3 • TCC concluídos: 6 • Mestrado em andamento: 10 • Doutorado em andamento: 7 • Usuários cadastrados: 3100 • Cooperação com o grupo de pesquisa "Ciências Cognitivas e Tecnologia Educacional" do Centro de informática da UFPE.
  • 56. http://educarcom.redu.com.br This work is licensed under the Creative Commons Attribution- NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License. To view a copy of this license, visit http://creativecommons.org/license s/by-nc-nd/3.0/ or send a letter to Creative Commons, 444 Castro Street, Suite 900, Mountain View, California, 94041, USA.

Notas do Editor

  1. I believe that the motion picture is destined to revolutionize our educational system and that in a few short years it will supplant largely, if not entirely, the use of textbooks. I should say that on the average we get about two percent efficiency out of schoolbooks as they are written today. The education of the future, as I see it, will be conducted through the medium of the (motion picture) …where it should be possible to obtain one hundred percent efficiency
  2. The time may come when a portable radio receiver will be as common in the classroom as is the blackboard. Radio instruction will be integrated into school life as an accepted educational medium
  3. There won’t be schools in the future. I think the computer will blow up the school. That is, the school defined as something where there are classes, teachers running exams, people structured in groups by age, following a curriculum - all of that. The whole system is based on a set of structural concepts that are incompatible with the presence of the computer
  4. http://www.missionfourgous-tice.fr/operation-portable
  5. Imagem de uma interface nova
  6. Foto: http://portal.andes.org.br/imprensa/noticias/imp-ult-395601862.JPG
  7. Convites