SlideShare uma empresa Scribd logo
Profº Dr. José Wagner Cavalcante Muniz
Profª. Msc. Thais Pompeu
Teoria da comunicação
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Sumário
1. Noção de Linguagem,língua e fala.
2. A teoria da comunicação
• Texto base:
• INFANTE, Ulisses. Do texto ao texto –curso prático de
leitura e redação. São Paulo: Scipione, 1998, p. 17-18 /28-
29/
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Antes de introduzirmos a teoria da
comunicação alguns conceitos precisam ser
pontuados. São eles: a Linguagem ,língua e
fala.
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Linguagem:
Linguagem é o meio pelo qual o homem
comunica suas ideias e sentimentos, seja através
da fala, da escrita ou de outros signos
convencionais. Linguística é o nome da ciência
que se dedica ao estudo da linguagem.
/http://www.significados.com.br/linguagem
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
A língua
A língua é um patrimônio social, tanto os signos
como as formas de combiná-los são conhecidos e
acatados pelos membros da comunidade que a
emprega. Pode-se dizer, por isso, que a língua é
um verdadeiro “contrato” que os indivíduos de
um grupo social estabelecem. Acatados os termos
desse contrato, a comunicação está garantida.
(INFANTE. 1998. p.28)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
• FALA:
Individualmente, cada pessoa pode utilizar a
língua de seu grupo social de uma maneira
particular, personalizada, desenvolvendo
assim a fala.
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Motivos do estudo de língua portuguesa.
Estudar a língua portuguesa é tornar-se apto a
utilizá-la com eficiência na produção e
interpretação dos textos com que se organiza
nossa vida social. Por meio desse estudo, amplia-
se o exercício de nossa sociabilidade – e,
consequentemente, de nossa cidadania, que
passa a ser mais lúcida.(INFANTE, 1998, p.29)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
O Ato da comunicação / teoria da comunicação
Esses são os elementos presentes na comunicação:
a)Emissor, destinador ou remetente: é aquele que envia a
mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de
pessoas - uma empresa, um sindicato, uma assembleia,
uma emissora de rádio, por exemplo).
b) Receptor ou destinatário: é aquele a quem a
mensagem é endereçada (um indivíduo ou um grupo);
c) Mensagem: é o conteúdo (assunto) das informações
que ora são transmitidas. 
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
d) Canal da comunicação ou contato: é o meio pelo qual a
mensagem é transmitida( para que haja eficiência nessa
transmissão, devemos atrair e prender a atenção do
destinatário);
e) Código: é o conjunto de signos e de regras de combinação
desses signos utilizado para elaborar a mensagem: o emissor
codifica aquilo que o receptor irá decodificar (para que isso
ocorra satisfatoriamente, emissor e receptor devem dominar o
mesmo código);
f) Referente ou contexto: é o objeto ou a situação a que a
mensagem se refere.
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Quando você escreve um texto, exerce o papel
de emissor. O receptor é a pessoa ou o grupo a
que seu texto é dirigido (pode ser o professor, um
colega, sua classe, o pessoal de seu trabalho, a
Assembleia Legislativa, etc). A mensagem é
aquilo que você está comunicando sobre um
objeto ou uma situação (o seu referente). Como
você está escrevendo, o canal de comunicação é
a própria página sobre a qual o texto está
distribuído. Além disso, sua mensagem deve
provocar o interesse do receptor. O código
utilizado é, muito provavelmente, a língua
portuguesa.(INFANTE,1998.p.17)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
As funções da linguagem
( tópico complementar).
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Partindo do estudo dos seis elementos da
comunicação, o linguista Roman Jakobson elabora as
seis funções da linguagem.
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
1. Função referencial: referente é o objeto ou
situação de que a mensagem trata. A função
referencial privilegia justamente o referente da
mensagem, buscando transmitir informações
objetivas sobre ele. Valoriza-se, assim,o objeto ou
a situação de que trata a mensagem, sem que haja
manifestações pessoais ou persuasivas. É a
função que predomina nos textos de caráter
cientifico. É também a função que muitos textos
jornalísticos buscam privilegiar.(INFANTE, 1998,
p.214)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de função
referencial
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
2. Função emotiva ou expressiva: por dessa
função, o emissor imprime no texto as
marcas de sua atitude pessoal: emoções,
avaliações, opiniões. Podemos sentir no
texto a presença do emissor.(que pode ser
mais clara ou sutil). Nas cartas pessoais, nas
resenhas críticas, na poesia confessional,
nas canções sentimentais predomina essa
função.(INFANTE, 1998,p.214)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de função
emotiva
Disponível em: http://rede.unifreire.org/anapaula/blog/o-
poder-da-imagem
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
3. Função conativa: essa função procura organizar
o texto de forma a que se imponha sobre o
receptor da mensagem, persuadindo-o,
seduzindo-o. Nas mensagens em que predomina
essa função (como, por exemplo, as publicitárias.
(infante, 1998,p.215)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de
função conativa.
Disponível em:http://www.alunosonline.com.br/portugues/funcoes-de-
linguagem.html
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
4. Função fática: a palavra fático vem do grego
phátis, que significa “ruído”, “rumor”. Foi
utilizada inicialmente para designar certas formas
que se usam para chamar a atenção(verdadeiros
“ruídos, como psiu, ahn, ei. Essa função ocorre
quando a mensagem se orienta sobre o canal de
comunicação ou contato, buscando verificar e
fortalecer sua eficiência.Para ela contribuem, nos
textos escritos, desde a disposição gráfica sobre
o papel até a seleção vocabular e as estruturas de
frases utilizadas.( INFANTE, 1998,p.215)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de
função fática
Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?
aula=15159
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
• 5 . Função metalinguística: quando a
linguagem se volta sobre si mesma,
transformando-se em seu próprio referente,
ocorre a função metalinguística. Dessa
forma, nos textos metalinguísticos a
mensagem se orienta para os elementos do
código, explicando-os definindo-os ou
analisando-os.(INFANTE, 1998,p.216)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de função
metalinguística
Disponível em: http://inez-nerez.blogspot.com.br/2012/10
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
• 6. Função poética: quando a mensagem é
elaborada de forma inovadora e imprevista,
utilizando combinações sonoras ou rítmicas,
jogos de imagem ou de ideias, temos a
manifestação da função poética da linguagem.
Nessa função, a linguagem é manipulada de forma
pouco convencional, capaz de despertar no leitor
surpresa e leitor prazer estético. A função poética
predomina na poesia, mas pode também ser
encontrada em textos publicitários, em
determinadas formas jornalísticas e populares
(linguagem dos cronistas e provérbios, por
exemplo). (INFANTE, 1998,p.216)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de
função poética
http://poesiaconcretistavisual.blogspot.com.br/2010_05_01_archive.html
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Esquema funções
da linguagem
Disponível em: http://redacaonocafe.wordpress.com/2012/02/03/funcoes-da-linguagem-
qual-a-importancia-na-redacao/
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
O estudo das funções da linguagem é muito
importante para percebermos as diferenças e
semelhanças existentes entre os vários tipos
de mensagem. Analisando o modo como
essas funções se organizam nos textos
alheios podemos detectar as finalidades que
orientaram sua elaboração.(INFANTE, 1998,
p.217)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Obs: Muito importante: Numa mesma mensagem
escrita, é muito difícil encontrarmos uma única
dessas funções isoladamente. O que ocorre, de
modo geral, é a superposição de várias delas. Há
no entanto, uma ou mais de uma que se
sobressai(geralmente uma), permitindo identificar
o elemento comunicativo a que se dá mais
destaque.(INFANTE,1998.p.217 adaptado)
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Escrever não é fácil, mas quando a
palavra atinge a rocha e faíscas são
lançadas, que deleite! Todo esforço
vale a pena.
Frase de Inajá Martins de
Almeida

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Funções da linguagem
Funções da linguagem Funções da linguagem
Funções da linguagem
Karen Olivan
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
Verônica Carvalho
 
Linguagens Rufino
Linguagens Rufino Linguagens Rufino
Linguagens Rufino
Pré-Enem Seduc
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
CrisBiagio
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
José Ferreira
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
julilp10
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Josi Motta
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Renata Haratani
 
Funções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason LimaFunções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason Lima
jasonrplima
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Andriane Cursino
 
Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1
Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1
Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1
Ana Flávia Luna
 
03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagem03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagem
ma.no.el.ne.ves
 
Teoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicaçãoTeoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicação
Seduc/AM
 
Funcões da linguagem
Funcões da linguagemFuncões da linguagem
Funcões da linguagem
Aguinaldo Do Carmo
 
10.funções da linguagem
10.funções da linguagem10.funções da linguagem
10.funções da linguagem
Ana Castro
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
Cláudia Heloísa
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
Fernanda Hellen
 
Funcões da linguagem -
Funcões da linguagem - Funcões da linguagem -
Funcões da linguagem -
Colégio Santa Luzia
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
vandacrivillari
 
Funções linguísticas
Funções linguísticasFunções linguísticas
Funções linguísticas
paulozac2012
 

Mais procurados (20)

Funções da linguagem
Funções da linguagem Funções da linguagem
Funções da linguagem
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Linguagens Rufino
Linguagens Rufino Linguagens Rufino
Linguagens Rufino
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason LimaFunções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason Lima
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1
Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1
Funções da Linguagem na Publicidade Interativa-1
 
03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagem03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagem
 
Teoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicaçãoTeoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicação
 
Funcões da linguagem
Funcões da linguagemFuncões da linguagem
Funcões da linguagem
 
10.funções da linguagem
10.funções da linguagem10.funções da linguagem
10.funções da linguagem
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
 
Funcões da linguagem -
Funcões da linguagem - Funcões da linguagem -
Funcões da linguagem -
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções linguísticas
Funções linguísticasFunções linguísticas
Funções linguísticas
 

Destaque

Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagem
Ana Castro
 
Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)
deividyalves
 
Aula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagemAula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagem
Rebeca Ferrari
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Roberta Scheibe
 
Função de linguagem
Função de linguagemFunção de linguagem
Função de linguagem
Elaine Blogger
 
Funções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicaçãoFunções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicação
Fábio Guimarães
 
Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3
nixsonmachado
 
Função de Linguagem
Função de LinguagemFunção de Linguagem
Função de Linguagem
Faell Vasconcelos
 
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Douglas Vieira
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
Lilian Lima
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
Luci Bonini
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Quezia Neves
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
Cassia Dias
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
Carina Duarte
 

Destaque (14)

Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagem
 
Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)
 
Aula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagemAula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Função de linguagem
Função de linguagemFunção de linguagem
Função de linguagem
 
Funções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicaçãoFunções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicação
 
Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3
 
Função de Linguagem
Função de LinguagemFunção de Linguagem
Função de Linguagem
 
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
 

Semelhante a Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu

Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
Renato Oliveira
 
Linguagem e língua 97
Linguagem e língua 97Linguagem e língua 97
Linguagem e língua 97
Federal University of Amazonas
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
Prof Palmito Rocha
 
A construção dos sentidos - Denotação e Conotação.ppt
A construção dos sentidos - Denotação e Conotação.pptA construção dos sentidos - Denotação e Conotação.ppt
A construção dos sentidos - Denotação e Conotação.ppt
Caroline Assis
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Nicolle Souza
 
Linguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação ILinguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação I
Jose Arnaldo Silva
 
Leitura e produção
Leitura e produçãoLeitura e produção
Leitura e produção
Kelly Ariane Buás Bráz
 
Aula de linguagens
Aula de linguagensAula de linguagens
Aula de linguagens
Luiz da Silva
 
Aula de linguagens
Aula de linguagensAula de linguagens
Aula de linguagens
Luiz da Silva
 
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).pptFUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
CAMILACRISTINASILVAB
 
O Processo de Comunicação
O Processo de ComunicaçãoO Processo de Comunicação
C:\Fakepath\ComunicaçãO
C:\Fakepath\ComunicaçãOC:\Fakepath\ComunicaçãO
C:\Fakepath\ComunicaçãO
Crys Bastos
 
ComunicaçãO
ComunicaçãOComunicaçãO
ComunicaçãO
Crys Bastos
 
O texto modalidades e funções da LP .pdf
O texto modalidades e funções da LP .pdfO texto modalidades e funções da LP .pdf
O texto modalidades e funções da LP .pdf
paulorps1
 
Comunicação Aplicada B1
Comunicação Aplicada B1Comunicação Aplicada B1
Comunicação Aplicada B1
Universal.org.mx
 
Funcoes da linguagem.pptx
Funcoes da linguagem.pptxFuncoes da linguagem.pptx
Funcoes da linguagem.pptx
yisfan
 
Ca resumo para np1
Ca   resumo para np1 Ca   resumo para np1
Ca resumo para np1
producaoaudiovisualunip
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
nixsonmachado
 
Tp5
Tp5Tp5
Tp5
cleia
 
Trabalho LPL
Trabalho LPLTrabalho LPL
Trabalho LPL
Taissccp
 

Semelhante a Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu (20)

Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Linguagem e língua 97
Linguagem e língua 97Linguagem e língua 97
Linguagem e língua 97
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
A construção dos sentidos - Denotação e Conotação.ppt
A construção dos sentidos - Denotação e Conotação.pptA construção dos sentidos - Denotação e Conotação.ppt
A construção dos sentidos - Denotação e Conotação.ppt
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Linguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação ILinguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação I
 
Leitura e produção
Leitura e produçãoLeitura e produção
Leitura e produção
 
Aula de linguagens
Aula de linguagensAula de linguagens
Aula de linguagens
 
Aula de linguagens
Aula de linguagensAula de linguagens
Aula de linguagens
 
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).pptFUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
 
O Processo de Comunicação
O Processo de ComunicaçãoO Processo de Comunicação
O Processo de Comunicação
 
C:\Fakepath\ComunicaçãO
C:\Fakepath\ComunicaçãOC:\Fakepath\ComunicaçãO
C:\Fakepath\ComunicaçãO
 
ComunicaçãO
ComunicaçãOComunicaçãO
ComunicaçãO
 
O texto modalidades e funções da LP .pdf
O texto modalidades e funções da LP .pdfO texto modalidades e funções da LP .pdf
O texto modalidades e funções da LP .pdf
 
Comunicação Aplicada B1
Comunicação Aplicada B1Comunicação Aplicada B1
Comunicação Aplicada B1
 
Funcoes da linguagem.pptx
Funcoes da linguagem.pptxFuncoes da linguagem.pptx
Funcoes da linguagem.pptx
 
Ca resumo para np1
Ca   resumo para np1 Ca   resumo para np1
Ca resumo para np1
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Tp5
Tp5Tp5
Tp5
 
Trabalho LPL
Trabalho LPLTrabalho LPL
Trabalho LPL
 

Mais de Alexandre Cavalcanti

Atividade de apoio à prova da prof dalva.
Atividade de apoio à prova da prof dalva.Atividade de apoio à prova da prof dalva.
Atividade de apoio à prova da prof dalva.
Alexandre Cavalcanti
 
Trabalho em equipe Rh
Trabalho em equipe RhTrabalho em equipe Rh
Trabalho em equipe Rh
Alexandre Cavalcanti
 
Postura profissional
Postura profissionalPostura profissional
Postura profissional
Alexandre Cavalcanti
 
Personalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudesPersonalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudes
Alexandre Cavalcanti
 
Histórico de recursos humanos
Histórico de recursos humanosHistórico de recursos humanos
Histórico de recursos humanos
Alexandre Cavalcanti
 
Desafios para gestão de Rh.
Desafios para gestão de Rh.Desafios para gestão de Rh.
Desafios para gestão de Rh.
Alexandre Cavalcanti
 
Chefia e liderança
Chefia e liderançaChefia e liderança
Chefia e liderança
Alexandre Cavalcanti
 
Trabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla RhTrabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla Rh
Alexandre Cavalcanti
 
Informática hospitalar-Carlos Souza
Informática hospitalar-Carlos SouzaInformática hospitalar-Carlos Souza
Informática hospitalar-Carlos Souza
Alexandre Cavalcanti
 
Atividade 1- Thais Pompeu
Atividade 1- Thais PompeuAtividade 1- Thais Pompeu
Atividade 1- Thais Pompeu
Alexandre Cavalcanti
 
2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.
2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.
2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.
Alexandre Cavalcanti
 
1 analise conjuntural Ramón Jr
1 analise conjuntural Ramón Jr1 analise conjuntural Ramón Jr
1 analise conjuntural Ramón Jr
Alexandre Cavalcanti
 
4 teorias motivacionais Ramónjr
4 teorias motivacionais Ramónjr4 teorias motivacionais Ramónjr
4 teorias motivacionais Ramónjr
Alexandre Cavalcanti
 
5 estrategias empresariais Ramón Jr
5 estrategias empresariais Ramón Jr5 estrategias empresariais Ramón Jr
5 estrategias empresariais Ramón Jr
Alexandre Cavalcanti
 
3 taylor e_fayol Ramón jr
3 taylor e_fayol Ramón jr3 taylor e_fayol Ramón jr
3 taylor e_fayol Ramón jr
Alexandre Cavalcanti
 
Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8
Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8
Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8
Alexandre Cavalcanti
 
Sistema financeiro nacional fmn bélem
Sistema financeiro nacional fmn bélemSistema financeiro nacional fmn bélem
Sistema financeiro nacional fmn bélem
Alexandre Cavalcanti
 
Historia do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldo
Historia do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldoHistoria do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldo
Historia do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldo
Alexandre Cavalcanti
 
Historia do dinheiro_banco_central doc 3
Historia do dinheiro_banco_central doc 3Historia do dinheiro_banco_central doc 3
Historia do dinheiro_banco_central doc 3
Alexandre Cavalcanti
 

Mais de Alexandre Cavalcanti (20)

Atividade de apoio à prova da prof dalva.
Atividade de apoio à prova da prof dalva.Atividade de apoio à prova da prof dalva.
Atividade de apoio à prova da prof dalva.
 
Trabalho em equipe Rh
Trabalho em equipe RhTrabalho em equipe Rh
Trabalho em equipe Rh
 
Postura profissional
Postura profissionalPostura profissional
Postura profissional
 
Personalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudesPersonalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudes
 
Histórico de recursos humanos
Histórico de recursos humanosHistórico de recursos humanos
Histórico de recursos humanos
 
Desafios para gestão de Rh.
Desafios para gestão de Rh.Desafios para gestão de Rh.
Desafios para gestão de Rh.
 
Chefia e liderança
Chefia e liderançaChefia e liderança
Chefia e liderança
 
Trabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla RhTrabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla Rh
 
Informática hospitalar-Carlos Souza
Informática hospitalar-Carlos SouzaInformática hospitalar-Carlos Souza
Informática hospitalar-Carlos Souza
 
O texto não verbal thais pompeu2
O texto não verbal thais pompeu2O texto não verbal thais pompeu2
O texto não verbal thais pompeu2
 
Atividade 1- Thais Pompeu
Atividade 1- Thais PompeuAtividade 1- Thais Pompeu
Atividade 1- Thais Pompeu
 
2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.
2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.
2 estrategia de_gestão - Ramón Jr.
 
1 analise conjuntural Ramón Jr
1 analise conjuntural Ramón Jr1 analise conjuntural Ramón Jr
1 analise conjuntural Ramón Jr
 
4 teorias motivacionais Ramónjr
4 teorias motivacionais Ramónjr4 teorias motivacionais Ramónjr
4 teorias motivacionais Ramónjr
 
5 estrategias empresariais Ramón Jr
5 estrategias empresariais Ramón Jr5 estrategias empresariais Ramón Jr
5 estrategias empresariais Ramón Jr
 
3 taylor e_fayol Ramón jr
3 taylor e_fayol Ramón jr3 taylor e_fayol Ramón jr
3 taylor e_fayol Ramón jr
 
Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8
Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8
Gestão financeira -Sílvio ronaldo doc8
 
Sistema financeiro nacional fmn bélem
Sistema financeiro nacional fmn bélemSistema financeiro nacional fmn bélem
Sistema financeiro nacional fmn bélem
 
Historia do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldo
Historia do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldoHistoria do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldo
Historia do dinheiro_no_brasil-silvio ronaldo
 
Historia do dinheiro_banco_central doc 3
Historia do dinheiro_banco_central doc 3Historia do dinheiro_banco_central doc 3
Historia do dinheiro_banco_central doc 3
 

Último

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu

  • 1. Profº Dr. José Wagner Cavalcante Muniz Profª. Msc. Thais Pompeu Teoria da comunicação
  • 2. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Sumário 1. Noção de Linguagem,língua e fala. 2. A teoria da comunicação • Texto base: • INFANTE, Ulisses. Do texto ao texto –curso prático de leitura e redação. São Paulo: Scipione, 1998, p. 17-18 /28- 29/
  • 3. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Antes de introduzirmos a teoria da comunicação alguns conceitos precisam ser pontuados. São eles: a Linguagem ,língua e fala.
  • 4. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Linguagem: Linguagem é o meio pelo qual o homem comunica suas ideias e sentimentos, seja através da fala, da escrita ou de outros signos convencionais. Linguística é o nome da ciência que se dedica ao estudo da linguagem. /http://www.significados.com.br/linguagem
  • 5. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M A língua A língua é um patrimônio social, tanto os signos como as formas de combiná-los são conhecidos e acatados pelos membros da comunidade que a emprega. Pode-se dizer, por isso, que a língua é um verdadeiro “contrato” que os indivíduos de um grupo social estabelecem. Acatados os termos desse contrato, a comunicação está garantida. (INFANTE. 1998. p.28)
  • 6. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M • FALA: Individualmente, cada pessoa pode utilizar a língua de seu grupo social de uma maneira particular, personalizada, desenvolvendo assim a fala.
  • 7. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Motivos do estudo de língua portuguesa. Estudar a língua portuguesa é tornar-se apto a utilizá-la com eficiência na produção e interpretação dos textos com que se organiza nossa vida social. Por meio desse estudo, amplia- se o exercício de nossa sociabilidade – e, consequentemente, de nossa cidadania, que passa a ser mais lúcida.(INFANTE, 1998, p.29)
  • 8. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M O Ato da comunicação / teoria da comunicação Esses são os elementos presentes na comunicação: a)Emissor, destinador ou remetente: é aquele que envia a mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas - uma empresa, um sindicato, uma assembleia, uma emissora de rádio, por exemplo). b) Receptor ou destinatário: é aquele a quem a mensagem é endereçada (um indivíduo ou um grupo); c) Mensagem: é o conteúdo (assunto) das informações que ora são transmitidas. 
  • 9. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M d) Canal da comunicação ou contato: é o meio pelo qual a mensagem é transmitida( para que haja eficiência nessa transmissão, devemos atrair e prender a atenção do destinatário); e) Código: é o conjunto de signos e de regras de combinação desses signos utilizado para elaborar a mensagem: o emissor codifica aquilo que o receptor irá decodificar (para que isso ocorra satisfatoriamente, emissor e receptor devem dominar o mesmo código); f) Referente ou contexto: é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere.
  • 10. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
  • 11. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Quando você escreve um texto, exerce o papel de emissor. O receptor é a pessoa ou o grupo a que seu texto é dirigido (pode ser o professor, um colega, sua classe, o pessoal de seu trabalho, a Assembleia Legislativa, etc). A mensagem é aquilo que você está comunicando sobre um objeto ou uma situação (o seu referente). Como você está escrevendo, o canal de comunicação é a própria página sobre a qual o texto está distribuído. Além disso, sua mensagem deve provocar o interesse do receptor. O código utilizado é, muito provavelmente, a língua portuguesa.(INFANTE,1998.p.17)
  • 12. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
  • 13. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M As funções da linguagem ( tópico complementar).
  • 14. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Partindo do estudo dos seis elementos da comunicação, o linguista Roman Jakobson elabora as seis funções da linguagem.
  • 15. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 1. Função referencial: referente é o objeto ou situação de que a mensagem trata. A função referencial privilegia justamente o referente da mensagem, buscando transmitir informações objetivas sobre ele. Valoriza-se, assim,o objeto ou a situação de que trata a mensagem, sem que haja manifestações pessoais ou persuasivas. É a função que predomina nos textos de caráter cientifico. É também a função que muitos textos jornalísticos buscam privilegiar.(INFANTE, 1998, p.214)
  • 16. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função referencial
  • 17. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 2. Função emotiva ou expressiva: por dessa função, o emissor imprime no texto as marcas de sua atitude pessoal: emoções, avaliações, opiniões. Podemos sentir no texto a presença do emissor.(que pode ser mais clara ou sutil). Nas cartas pessoais, nas resenhas críticas, na poesia confessional, nas canções sentimentais predomina essa função.(INFANTE, 1998,p.214)
  • 18. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função emotiva Disponível em: http://rede.unifreire.org/anapaula/blog/o- poder-da-imagem
  • 19. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 3. Função conativa: essa função procura organizar o texto de forma a que se imponha sobre o receptor da mensagem, persuadindo-o, seduzindo-o. Nas mensagens em que predomina essa função (como, por exemplo, as publicitárias. (infante, 1998,p.215)
  • 20. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função conativa. Disponível em:http://www.alunosonline.com.br/portugues/funcoes-de- linguagem.html
  • 21. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 4. Função fática: a palavra fático vem do grego phátis, que significa “ruído”, “rumor”. Foi utilizada inicialmente para designar certas formas que se usam para chamar a atenção(verdadeiros “ruídos, como psiu, ahn, ei. Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou contato, buscando verificar e fortalecer sua eficiência.Para ela contribuem, nos textos escritos, desde a disposição gráfica sobre o papel até a seleção vocabular e as estruturas de frases utilizadas.( INFANTE, 1998,p.215)
  • 22. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função fática Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html? aula=15159
  • 23. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M • 5 . Função metalinguística: quando a linguagem se volta sobre si mesma, transformando-se em seu próprio referente, ocorre a função metalinguística. Dessa forma, nos textos metalinguísticos a mensagem se orienta para os elementos do código, explicando-os definindo-os ou analisando-os.(INFANTE, 1998,p.216)
  • 24. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função metalinguística Disponível em: http://inez-nerez.blogspot.com.br/2012/10
  • 25. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M • 6. Função poética: quando a mensagem é elaborada de forma inovadora e imprevista, utilizando combinações sonoras ou rítmicas, jogos de imagem ou de ideias, temos a manifestação da função poética da linguagem. Nessa função, a linguagem é manipulada de forma pouco convencional, capaz de despertar no leitor surpresa e leitor prazer estético. A função poética predomina na poesia, mas pode também ser encontrada em textos publicitários, em determinadas formas jornalísticas e populares (linguagem dos cronistas e provérbios, por exemplo). (INFANTE, 1998,p.216)
  • 26. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função poética http://poesiaconcretistavisual.blogspot.com.br/2010_05_01_archive.html
  • 27. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Esquema funções da linguagem Disponível em: http://redacaonocafe.wordpress.com/2012/02/03/funcoes-da-linguagem- qual-a-importancia-na-redacao/
  • 28. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M O estudo das funções da linguagem é muito importante para percebermos as diferenças e semelhanças existentes entre os vários tipos de mensagem. Analisando o modo como essas funções se organizam nos textos alheios podemos detectar as finalidades que orientaram sua elaboração.(INFANTE, 1998, p.217)
  • 29. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Obs: Muito importante: Numa mesma mensagem escrita, é muito difícil encontrarmos uma única dessas funções isoladamente. O que ocorre, de modo geral, é a superposição de várias delas. Há no entanto, uma ou mais de uma que se sobressai(geralmente uma), permitindo identificar o elemento comunicativo a que se dá mais destaque.(INFANTE,1998.p.217 adaptado)
  • 30. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Escrever não é fácil, mas quando a palavra atinge a rocha e faíscas são lançadas, que deleite! Todo esforço vale a pena. Frase de Inajá Martins de Almeida