SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução ao Antigo Testamento
Pr. Handerson Xavier
Introdução ao Antigo Testamento
A Bíblia
 Vem do grego e significa “livro”.
 Formada pelos livros Canônicos.
Inspirados
Inerrantes
Infalíveis
Suficientes
 66 livros considerados autoritativos.
 “Sola Scriptura” da Reforma Protestante.
 Termo utilizado por João Crisóstomo
(sec. IV).
Introdução ao Antigo Testamento
O material utilizado
 Papiro
Introdução ao Antigo Testamento
O material utilizado
 Pergaminho
Introdução ao Antigo Testamento
O formato dos livros
 Rolo
Introdução ao Antigo Testamento
O Grande Rolo de Isaías
http://dss.collections.imj.org.il/isaiah
Introdução ao Antigo Testamento
O formato dos livros
 Códices (códex)
Codex Sinaiticus: escrito em grego, data
do séc. IV. Único que contém todo o
Novo Testamento.
Introdução ao Antigo Testamento
O formato dos livros
 Códices (códex)
Codex Vaticanus: escrito em grego, data
do séc. IV. Contém praticamente toda a
Bíblia.
Introdução ao Antigo Testamento
O formato dos livros
 Códices (códex)
Codex Alexandrinus: escrito em grego,
data do séc. V. Contém toda a
Septuaginta e o Novo Testamento.
Introdução ao Antigo Testamento
O formato dos livros
 Códices (códex)
Codex Leningradensis: Um dos mais
antigos e o mais completo com o texto
massorético. Data do ano 1008 d.C.
Introdução ao Antigo Testamento
As traduções
 A Vulgata
Tradução em latim da Bíblia. Feita entre
os séculos IV e V por São Jerônimo.
É a versão oficial da Igreja Católica
desde o concílio de Trento (1546).
 A Septuaginta
Tradução grega a partir do texto
hebraico do Antigo Testamento. Feita
entre os séculos III a.C. e I a. C.
Introdução ao Antigo Testamento
Outras traduções históricas
 A Bíblia de Wycliffe
Tradução para o inglês da Vulgata. Feita
entre os anos 1382 e 1395.
Introdução ao Antigo Testamento
Outras traduções históricas
 A Bíblia de Lutero
Tradução para o alemão feita por Lutero
no séc. XVI a partir dos originais.
Introdução ao Antigo Testamento
Outras traduções históricas
 A Bíblia de Tyndale
Escrita para o inglês a partir do séc. XVI.
Composta por todo o NT e metade do AT.
Introdução ao Antigo Testamento
Outras traduções históricas
 A Bíblia King James (Rei Tiago)
Feita no início do séc. XVII a pedido do
Rei Tiago (ou Jaime I). É a versão oficial
da Igreja Anglicana.
Introdução ao Antigo Testamento
Outras traduções históricas
 A Bíblia em português
Séculos XIII e XIV com D. Diniz.
Todas eram traduções católicas.
Em 1628 nasce João Ferreira D’Almeida,
que se converte em 1642.
Como membro da Igreja Reformada
Holandesa foi evangelista, pastor,
teólogo e tradutor.
Em 1670 concluiu sua tradução do Novo
Testamento, que só foi publicado em
1681.
Introdução ao Antigo Testamento
Outras traduções históricas
 A Bíblia em português
Somente em 1819 a Bíblia completa foi
publicada.
Introdução ao Antigo Testamento
O Antigo Testamento Hebraico (Tanakh)
Introdução ao Antigo Testamento
O Antigo Testamento Católico
Introdução ao Antigo Testamento
O Antigo Testamento Protestante
Introdução ao Antigo Testamento
Elementos essenciais à compreensão
 Elemento histórico
 Elemento cultural
 Elemento geográfico
 Elemento literário
 Revelacional
 Teológico
Introdução ao Antigo Testamento
O Pentateuco
 “Os cinco primeiros livros”.
 Atribuídos à Moisés.
 Chamados de Torá, ou Livros da Lei.
 No AT é chamado de:
1. Lei: Js 8:34; Ed 10:3; Ne 8:2,7,14;
2. Livro da Lei: s 1:8; 8:34; 2 Rs 22:8;
3. Livro de Moisés: Ed 6:18; Ne 13:1;
4. Livro do Senhor: Ed 7:10; 1 Cr 16:40; 5.
Lei de Deus: Js 24:26; Ne 8:18;
6. Livro da Lei do Senhor: 2 Cr 17:9.
Introdução ao Antigo Testamento
O Pentateuco
 No NT é chamado de:
1. Livro da Lei: Gl 3:10;
2. Livro de Moisés: Mc 12:26;
3. Lei: Mt 12:5; Lc 16:16; Jo 7:19;
4. Lei de Moisés: Lc 2:22; Jo 7:23;
5. Lei do Senhor: Lc 2:23-24.
Introdução ao Antigo Testamento
Autoria do Pentateuco
 A visão ortodoxa da autoria mosaica.
 O questionamento da autoria:
1. Racionalismo (séc. XVI);
2. Iluminismo (séc. XVIII);
3. Deísmo/liberalismo;
4. Deus não se revela.
René Descartes, séc. XVI John Locke, séc. XVIII
Introdução ao Antigo Testamento
Teoria documentária
 Nega a revelação sobrenatural.
 Nega a doutrina da inspiração.
 O AT é o resultado das experiências
religiosas dos judeus.
 Segundo a teoria, o AT é a união de
vários documentos editados em seu
formato final no pós-exílio.
Julius Wellhausen Gerhard Von Rad
Introdução ao Antigo Testamento
Teoria documentária
 Os documento JEDP
Documento J (Jeová, Jeovista)
Data: 950 ou 850 a.C.
Documento E (Elohista)
Data: 850 ou 750 a.C.
Documento D (Deuteronomista)
Data: 650 a.C.
Documento P (Sacerdotal)
Data: 525 ou 450 a.C.
Introdução ao Antigo Testamento
Avaliação crítica da teoria documentária
1. Não prova a não autoria de Moisés.
2. Não há concordância entre os adeptos.
3. Anula a credibilidade do Pentateuco.
4. Retira seu caráter normativo.
5. Invalida o esforço da composição.
6. Não há evidências históricas da teoria.
7. Considera o autor mal-intencionado.
8. Nega a intervenção de Deus.
9. Nega a revelação especial.
Introdução ao Antigo Testamento
Evidências da autoria mosaica
 Evidências internas
1. Deus manda Moisés escrever (Êx 17:14);
2. Moisés e o Livro da Aliança (Êx 24:4-8);
3. Moisés escreveu a caminhada (Êx 33:2);
4. Moisés é o escritor (Êx 31:9, 24);
5. Foi testemunha ocular (Nm 11:7-8);
6. Conhecia o Egito e o percurso do
Êxodo;
7. Moisés teve tempo o suficiente para
escrevê-lo.
Introdução ao Antigo Testamento
Evidências da autoria mosaica
 Evidências externas
1. No livro de Josué, Moisés é tido como
autor do Pentateuco (Js 1:7-8);
2. Em Jz, Moisés é autor do Pentateuco (Jz
3:4);
3. As referências nos livros históricos (1 Rs
2:3; 2 Rs 14:6; 21:8; Ed 6:18; Ne 13:1);
Introdução ao Antigo Testamento
Evidências da autoria mosaica
 Evidências no Novo Testamento
1. Cristo cita Moisés como autor (Mt 19:8);
2. Circuncisão é “Lei de Moisés” (Jo 7:23);
3. Outras referências (At 3:22-23; 13:38-39;
15:5,21; 26:22; 28:23; Rm 10:5,19; 1 Co 9:9;
2 Co 3:15; Ap 15:3).
Introdução ao Antigo Testamento
Estrutura do Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Conceitos essenciais para compreensão
 Antropomorfismo: Deus se apresenta
com aspectos físicos e emocionais
humanos.
“Então, se arrependeu o Senhor de ter feito
o homem na terra, e isso lhe pesou no
coração” (Gn 6:6).
“Então, desceu o Senhor para ver a cidade
e a torre, que os filhos dos homens
edificavam” (Gn 11:5).
Introdução ao Antigo Testamento
Conceitos essenciais para compreensão
 Teofania: toda manifestação visível de
Deus.
“Apareceu o Senhor a Abraão nos
carvalhais de Manre, quando ele estava
assentado à entrada da tenda, no maior
calor do dia” (Gn 18:1).
“Apareceu-lhe o do Senhor numa chama
de fogo, no meio de uma sarça” (Êx 3:2).
Introdução ao Antigo Testamento
Cronologia do Dilúvio
Introdução ao Antigo Testamento
O livro de Gênesis
 Abreviatura: Gn
 Autor: Moisés
 Data: 1450/1410 AC.
 Versículo-chave: 1:1; 12:1-2
 Frase-chave: Começos, origens;
Introdução ao Antigo Testamento
O livro de Gênesis
 Eventos-chave:
1. A criação (caps 1,2)
2. A queda (cap 3)
3. A primeira civilização (cap 4)
4. O dilúvio (cap 5-9)
5. A dispersão das nações (caps 10-11)
6. Abraão (caps 12 a 25)
7. Isaque (caps 17 a 35)
8. Jacó (caps 25 a 35)
9. José (caps 37 a 50)
Introdução ao Antigo Testamento
O livro de Gênesis
As origens
A origem de todas as coisas;
“No princípio, Criou Deus os céus e a
terra” (Gn 1:1);
“Viu Deus tudo quanto fizera, e eis
que era muito bom” (Gn 2:3);
A origem do homem e da mulher;
“Criou Deus, pois, o homem à sua
imagem, à imagem de Deus o criou;
homem e mulher os criou” (Gn 1:27);
Introdução ao Antigo Testamento
O livro de Gênesis
As origens
A origem do pecado
“Vendo a mulher que a árvore era
boa para se comer, agradável aos olhos e
árvore desejável para dar
entendimento, tomou-lhe do fruto e
comeu e deu também ao seu marido, e
ele comeu” (Gn 3:6);
“O Senhor Deus, por isso, o lançou fora
do jardim do Éden, a fim de lavrar a
terra de que fora tomado” (Gn 3:23).
Introdução ao Antigo Testamento
O livro de Gênesis
As origens
A origem da promessa
“Porei inimizade entre ti e a mulher,
entre a tua descendência e o seu
descendente. Este te ferirá a cabeça e
tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn 3:15).
Introdução ao Antigo Testamento
O contexto do Dilúvio
“Viu o SENHOR que a maldade do homem
se havia multiplicado na terra e que era
continuamente mau todo desígnio do seu
coração; então, se arrependeu o SENHOR
de ter feito o homem na terra, e isso lhe
pesou no coração. Disse o SENHOR: Farei
desaparecer da face da terra o homem
que criei, o homem e o animal, os répteis e
as aves dos céus; porque me arrependo de
os haver feito. Porém Noé achou graça
diante do SENHOR.” (Gn 6:5-8)
Introdução ao Antigo Testamento
Cronologia do Dilúvio
Introdução ao Antigo Testamento
A confusão das línguas (Gn 11)
 Os propósitos das construção:
1. Engrandecimento;
2. Desobediência (Gn 9:1).
“Disseram: Vinde, edifiquemos para nós
uma cidade e uma torre cujo tope
chegue até aos céus e tornemos
célebre o nosso nome, para que não
sejamos espalhados por toda a terra.”
(Gn 11:4)
Introdução ao Antigo Testamento
A era Patriarcal
 Abraão (Gn 12 a 25)
Principais eventos:
1. A chamada (Gn 12);
2. Promessa da terra (Gn 13:14-18);
3. Promessa de um filho (Gn 15);
4. O nascimento de Ismael (Gn 16);
5. Aliança, mudança de nomes e
circuncisão (Gn 17);
6. Sodoma e Gomorra (Gn 18-19);
7. Nascimento de Isaque (Gn 21);
8. Deus prova a Abraão (Gn 22);
9. Morte de Sara (Gn 23).
Introdução ao Antigo Testamento
Peregrinação de Abraão
Introdução ao Antigo Testamento
A era Patriarcal
 Isaque (Gn 24-27)
Principais eventos:
1. Uma mulher para Isaque (Gn 24);
2. Morte de Abraão (Gn 25);
3. O direito à primogenitura (Gn 25:27-
34);
4. Bênção de Jacó e Esaú (Gn 27);
Introdução ao Antigo Testamento
A era Patriarcal
 Jacó (Gn 28-36)
Principais eventos:
1. A fuga de Jacó (Gn 28);
2. A promessa em Betel (Gn 28:10-17);
3. Jacó, Raquel e Lia (Gn 29);
4. O retorno de Jacó (Gn 31);
5. De Jacó à Israel (Gn 32:22-32);
6. Reconciliação (Gn 33);
7. Israel e a promessa de Deus (Gn 35);
8. Morte de Raquel e Jacó (Gn 35).
Sete anos de pastor Jacó servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prêmio pretendia.
Os dias, na esperança de um só dia,
Passava, contentando-se com vê-la;
Porém o pai, usando de cautela,
Em lugar de Raquel lhe deu a Lia.
Vendo o triste pastor que com enganos
Assim lhe era negada a sua pastora,
Como se não a tivera merecida;
Começou a servir outros sete anos,
Dizendo: Mais servira, se não fora,
Para tão longo amor, tão curta a vida.
(Soneto XXIX. Luís de Camões, 1524-1580)
Introdução ao Antigo Testamento
A era Patriarcal
 José (Gn 37-50)
Principais eventos:
1. José vendido pelos irmãos (Gn 37);
2. Judá e Tamar (Gn 38);
3. José na casa de Potifar (Gn 39);
4. José e os dois sonhos (Gn 40);
5. José e perante Faraó (Gn 41);
6. Os irmãos de José (Gn 42-44);
7. José se revela (Gn 45);
8. O encontro de Jacó e José (Gn 45);
9. Jacó no Egito (Gn 46-47);
10. Bênção e morte (Gn 48-50).
Introdução ao Antigo Testamento
A era Patriarcal
 José (Gn 37-50)
Principais eventos:
1. José vendido pelos irmãos (Gn 37);
2. Judá e Tamar (Gn 38);
3. José na casa de Potifar (Gn 39);
4. José e os dois sonhos (Gn 40);
5. José e perante Faraó (Gn 41);
6. Os irmãos de José (Gn 42-44);
7. José se revela (Gn 45);
8. O encontro de Jacó e José (Gn 45);
9. Jacó no Egito (Gn 46-47);
10. Bênção e morte (Gn 48-50).
Introdução ao Antigo Testamento
“Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos
irriteis contra vós mesmos por me haverdes
vendido para aqui; porque, para conservação
da vida, Deus me enviou adiante de vós.
Porque já houve dois anos de fome na terra, e
ainda restam cinco anos em que não haverá
lavoura nem colheita. Deus me enviou adiante
de vós, para conservar vossa sucessão na terra
e para vos preservar a vida por um grande
livramento. Assim, não fostes vós que me
enviastes para cá, e sim Deus, que me pôs por
pai de Faraó, e senhor de toda a sua casa, e
como governador em toda a terra do Egito.”
(Gn 45:5-8)
Introdução ao Antigo Testamento
Peregrinação de Abraão
Introdução ao Antigo Testamento
Peregrinação de Abraão
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
“então, lhe foi dito: Sabe, com
certeza, que a tua posteridade será
peregrina em terra alheia, e será
reduzida à escravidão, e será afligida
por quatrocentos anos. Mas também
eu julgarei a gente a que têm de
sujeitar-se; e depois sairão com
grandes riquezas.” (Gn 15:13-14)
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 É o evento mais marcante, tanto no
sentido histórico quanto teológico;
 Calcula-se que tenha ocorrido em 1444
a.C.;
 Os personagens da história: Moisés e
Arão;
 Toda história ocupa os livros de Êxodo,
Levíticos, Números e Deuteronômio.
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 Êxodo: Narra a chamada de Moisés, a
libertação, a entrega da Lei, a construção
e consagração do Tabernáculo.
 Levítico: trata os ofícios sacerdotais e
levíticos; sacrifícios e datas sagradas; outras
leis.
 Números: Descreve grande parte da
viagem pelo deserto; as murmurações,
revoltas e a preparação para a entrada
em Canaã.
 Deuteronômio: Contém os discursos de
Moisés antes de entrarem em Canaã;
bênçãos e maldições e a morte de Moisés.
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 Deus:
1. Se apresentada como o Deus dos
Patriarcas (Êx 3:6);
2. Aquele que ouviu o clamor do povo (Êx
3:7-9);
3. Aquele que tem nome (Êx 3:14).
Introdução ao Antigo Testamento
Aspectos notáveis de Deus no Êxodo
 Deus é aquele que escolhe.
“Porque povo santo és ao Senhor teu Deus;
o Senhor teu Deus te escolheu, para que
lhe fosses o seu povo especial, de todos
os povos que há sobre a terra.” (Dt 7:6)
Introdução ao Antigo Testamento
Aspectos notáveis de Deus no Êxodo
 Deus endurece o coração do Faraó.
“E disse o Senhor a Moisés: Quando voltares
ao Egito, atenta que faças diante de
Faraó todas as maravilhas que tenho
posto na tua mão; mas eu lhe
endurecerei o coração, para que não
deixe ir o povo.” (Êx 4:21)
“Porém o coração de Faraó se endureceu,
e não os ouviu, como o Senhor tinha
falado.” (Êx 7:13)
Introdução ao Antigo Testamento
Aspectos notáveis de Deus no Êxodo
 Deus está cumprindo Sua promessa.
De libertação: “então, lhe foi dito: Sabe,
com certeza, que a tua posteridade
será peregrina em terra alheia, e será
reduzida à escravidão, e será afligida
por quatrocentos anos. Mas também eu
julgarei a gente a que têm de sujeitar-se;
e depois sairão com grandes riquezas.”
(Gn 15:13-14)
Introdução ao Antigo Testamento
Aspectos notáveis de Deus no Êxodo
 Deus está cumprindo Sua promessa.
De multiplicação: “Ora, disse o SENHOR a
Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela
e da casa de teu pai e vai para a terra
que te mostrarei; de ti farei uma grande
nação, e te abençoarei, e te
engrandecerei o nome. Sê tu uma
bênção!” (Gn 12:1-2)
Introdução ao Antigo Testamento
Aspectos notáveis de Deus no Êxodo
 Deus está cumprindo Sua promessa.
De salvação: “Porei inimizade entre ti e a
mulher, entre a tua descendência e o
seu descendente. Este te ferirá a
cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”
(Gn 3:15)
Introdução ao Antigo Testamento
Aspectos notáveis de Deus no Êxodo
 Deus quer um povo santo.
“Portanto santificai-vos, e sede santos, pois
eu sou o Senhor vosso Deus.” (Lv 20:7)
“Porque povo santo és ao Senhor teu Deus;
o Senhor teu Deus te escolheu, para que
lhe fosses o seu povo especial, de todos
os povos que há sobre a terra.” (Dt 7:6)
Introdução ao Antigo Testamento
Aspectos notáveis de Deus no Êxodo
 Deus cuida do seu povo.
Deus libertou (Êx 12:42);
Deus sustentou (Êx 16:4; Êx 16:12; Êx 17:6);
Deus orientou (Êx 40:36, 37; Nm 9:15-23);
Deus protegeu (Êx 14:19-31);
Deus se revelou (Êx 19).
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 Moisés:
40 anos no Egito - 2º filho de Anrão e
Joquebede, da tribo de Levi. Formação
religiosa no lar paterno (Êx 2.9,10);
formação intelectual, política, militar na
corte de Faraó.
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 Moisés:
40 anos no deserto de Midiã - Casado com
Zípora, filha de Jetro (Reuel), o
sacerdote (Êx 2.11-3.1); dois filhos -
Gérson e Eliézer (Êx 18.1-4).
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 Moisés:
40 anos liderando o povo - como servo do
Senhor (Dt 34.5; Hb 3.5); como profeta
(Dt 34.10,11); como sacerdote (Êx
32.11,14,30; 33.11; Nu 12.6-8); como juiz
(Êx 18.13); como ensinador (Êx 18.16;
Dt4.5); como líder e legislador (Êx 14.15;
Jo 1.17; At 7.36).
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 O povo rebelde:
Êxodo 14:10–14 (Travessia);
Êxodo 15:23–25 (Águas amargas);
Êxodo 16:1–4 (Maná);
Nm 13-14 (Rejeição do povo);
Nm 20:2-13 (Águas de Meribá).
Introdução ao Antigo Testamento
O Êxodo
 O povo rebelde:
“Porém, tão certo como eu vivo, e como
toda a terra se encherá da glória do
SENHOR, nenhum dos homens que,
tendo visto a minha glória e os prodígios
que fiz no Egito e no deserto, todavia,
me puseram à prova já dez vezes e não
obedeceram à minha voz, nenhum
deles verá a terra que, com juramento,
prometi a seus pais, sim, nenhum
daqueles que me desprezaram a verá.”
(Nm 14-21-230
Introdução ao Antigo Testamento
As Leis
 Moral: regulamenta os relacionamentos
e ações dos judeus;
 Civil: regulamenta a vida civil e jurídica
da nação de Israel;
 Cerimonial: regulamenta a religião dos
judeus (culto, oficiais, festas, etc.).
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas leis
 Circuncisão: era o símbolo do
pertencimento ao povo judeu (Gn 17:10-
12). Todo menino deveria ser
circuncidado quanto completasse 8
anos de nascido. Era o sinal visível da
aliança entre Deus e o povo.
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas leis
 Sábado: era o descanso após 6 dias de
trabalho (Êx 20:8; 31:13). Era também o
símbolo da participação na Aliança. Sua
quebra premeditada seria punida com
a morte.
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas leis
 Ano sabático: O ano sabático é o
descanso da terra (Ex 23,10-11; Lv 25,2-8),
em que ela não poderia ser cultivada. É
o ano de remissão das dívidas (Dt 15:1-2),
e  o ano da libertação de todo escravo
israelita, pelo perdão  de sua dívida (Dt
15:12). Ocorria a cada 7 anos.
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas leis
 Ano jubileu: Ocorrência a cada 7 anos
sabáticos, o próximo ano (50º.) era o ano
jubileu. Além das leis do ano sabático
válidas para o jubileu, as propriedades
eram devolvidas aos seus possuidores
originais.
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas leis
 Cidades dos Levitas: Foram separadas 48
cidades em Israel para habitação dos
levitas. Seus arredores deveriam dar
condições para criarem gado. 6 dessas
cidades eram chamadas de “cidades
de refúgio” (Nm 35:1-8).
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas leis
 Cidades de Refúgio: Eram 6 cidades
dentre as cidades dos levitas. Nelas se
refugiavam os acusados de homicídio.
Os condenados por homicídio culposo
deveriam nelas habitar até a morte do
sumo-sacerdote (Êx 21:12-13; Nm 35:6, 7;
12-15; 28). Eram as cidades de refúgio:
Quedes, Siquém, Hebrom, Bezer, Ramote
e Golã.
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas leis
 Lei do levirato: A lei ordenava que um
homem deveria se casar com a esposa
de seu irmão falecido caso este não
tenha deixado descendentes. O primeiro
filho seria considerado como sendo do
irmão morto. O homem poderia recusar-
se à assumir este compromisso (Dt 25:5-
10).
Introdução ao Antigo Testamento
Os sacerdotes
 Eram mediadores entre Deus e o povo;
 Restringidos à família de Arão (Ex 28.1;
40.12-15; Nm 16.40);
 Todos os filhos de Arão eram sacerdotes,
a não ser em caso de deficiência (Lv
21:16);
 Estavam sujeitos à leis especiais;
 Utilizavam roupas especiais durante o
ofício;
 Haviam os sacerdotes e o Sumo-
sacerdote.
Introdução ao Antigo Testamento
Os sacerdotes
 Suas funções:
I. Ministrar no santuário diante do
Senhor,
II. ensinar o povo a guardar a lei de
Deus e,
III. tomar conhecimento da vontade
divina, consultando o Urim e Tumim, Ex
28.30; Ed 2.63; Nm 16.40; 18.5)
Introdução ao Antigo Testamento
Os levitas
 Exclusivamente da tribo de Levi;
 Auxiliavam os sacerdotes na montagem,
desmontagem e transporte do
Tabernáculo;
 Serviam entre os 25 e 50 anos;
 Não possuíam terras, mas eram
sustentados pelos dízimos;
 Nm 8; Dt 12; 18.
Introdução ao Antigo Testamento
Os levitas
 Funções:
Os filhos de Coate estavam incumbidos
de transportar os móveis, depois que os
mesmos fossem cuidadosamente
cobertos pelos sacerdotes.
 
Os filhos de Gérson cuidavam das
cobertas, cortinas e véus do Templo.
 
Os filhos de Merari tinham a tarefa de
transportar e erguer a armação do
tabernáculo e seu átrio. (ver em Nm 3 e
4).
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Algumas mulheres importantes
 Tamar (Gn 38:1-30): Astuta, teve gêmeos com
Judá após este se recusar a dar seu filho Selá
em casamento, após o falecimento de Er e
Onã.
 Raabe (Js 2:1-24; 6:22-27): Prostituta na cidade
de Jericó. Ajudou aos espiais de Israel. Casou-se
com Salmon e gerou Boaz.
 Rute (Rt): Moabita, assumiu a fé no Deus de
Israel e acompanhou a sogra Noemi. Casou-se
com Boaz.
 Bate-seba (2 Sm 11): Esposa de Urias, oficial do
rei Davi. Envolvida no adultério escandaloso. Da
união com Davi nasceu o rei Salomão.
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
A tomada de Canaã
 Josué
É chamado de Oséias, que significa
“salvação” (Nm 13:8; 14:6);
Josué significa “O Senhor é salvação” e é
outra grafia para o nome Jesus.
Primogênito de Num, da tribo de Efraim;
Foi o sucessor de Moisés na entrada do
povo na terra prometida;
Estava entre os 12 espias enviados por
Moisés à Canaã.
Escrito por volta de 1400 a. C.
Introdução ao Antigo Testamento
A comissão de Josué
“Sucedeu, depois da morte de Moisés,
servo do SENHOR, que este falou a Josué,
filho de Num, servidor de Moisés, dizendo:
Moisés, meu servo, é morto; dispõe-te,
agora, passa este Jordão, tu e todo este
povo, à terra que eu dou aos filhos de
Israel.” (Js 1:1-2)
Introdução ao Antigo Testamento
A comissão de Josué
“Todo lugar que pisar a planta do vosso pé,
vo-lo tenho dado, como eu prometi a
Moisés. Desde o deserto e o Líbano até ao
grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos
heteus e até ao mar Grande para o poente
do sol será o vosso limite.” (Js 1:3-4)
Introdução ao Antigo Testamento
A comissão de Josué
“Ninguém te poderá resistir todos os dias da
tua vida; como fui com Moisés, assim serei
contigo; não te deixarei, nem te
desampararei. Sê forte e corajoso, porque
tu farás este povo herdar a terra que, sob
juramento, prometi dar a seus pais. Tão-
somente sê forte e mui corajoso para teres
o cuidado de fazer segundo toda a lei que
meu servo Moisés te ordenou; dela não te
desvies, nem para a direita nem para a
esquerda, para que sejas bem-sucedido
por onde quer que andares.” (Js 3:5-7)
Introdução ao Antigo Testamento
A comissão de Josué
“Não cesses de falar deste Livro da Lei;
antes, medita nele dia e noite, para que
tenhas cuidado de fazer segundo tudo
quanto nele está escrito; então, farás
prosperar o teu caminho e serás bem-
sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e
corajoso; não temas, nem te espantes,
porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por
onde quer que andares.” (Js 3:8-9)
Introdução ao Antigo Testamento
A tomada de Canaã
 Eventos principais
1. Espias enviados à Jericó (Js 2);
2. Passagem pelo Jordão (Js 3; 4);
3. Circuncisão, Páscoa, Maná e Teofania
(Js 5);
4. A queda de Jericó (Js 6);
5. Acã e a derrota em Ai (Js 7);
6. A destruição de Ai (Js 8);
7. Os gibeonitas (Js 9);
8. Vitórias de Josué (Js 10, 11);
9. Distribuição da terra (Js 13-19;
10. Cidades dos levitas (Js 20-21);
11. Despedida e morte (Js 22-24).
Introdução ao Antigo Testamento
O período dos Juízes
 A era pré-monárquica
2 livros tratam sobre este período: Juízes e
Rute;
Escrito por Samuel, engloba o período
desde o assentamento até o início da
monarquia (1400 - 1050 a.C.);
Introdução ao Antigo Testamento
O período dos Juízes
 Marcas do período:
1. A desobediência na conquista;
2. Uma outra geração (Jz 2:10);
3. O ciclo dos Juízes (Jz 2:10-23);
4. Casamentos mistos e idolatria;
5. “Fizeram os filhos de Israel o que era mau
perante o Senhor” (Jz 6:1);
6. “Naqueles dias, não havia rei em Israel;
cada um fazia o que achava mais reto” (Jz
17:6; 21:25).
Introdução ao Antigo Testamento
O ciclo de Juízes
Desobediência/PECADO
Sofrimento/SERVIDÃO
Clamor/ARREPENDIMENTO
Livramento/SALVAÇÃO
Introdução ao Antigo Testamento
O período dos Juízes
 A história de Rute:
1. Ocorre durante o período de Juízes;
2. Autoria atribuída à Samuel;
3. Data de 1000 a. C.;
4. O pano-de-fundo é a história de imigração
de Elimeleque com sua família para Moabe
e o retorno de Noemi para Israel com sua
nora Rute;
5. Presença da lei do levirato.
Introdução ao Antigo Testamento
O período dos Juízes
 Esboço do livro:
I. Fome e imigração de Elimeleque (1:1-5);
Morre Elimeleque:
“Não há nada tão ruim que não possa piorar”.
Morrem Malom e Quiliom:
“Pra ficar ruim ainda precisa melhorar muito”.
II. Noemi e Rute decidem ir para Judá (1:6-18);
- O fim da fome em Israel;
- A conversão de Rute (1:16-17);
III. Um triste regresso (1:19-22);
- A amargura da vida;
- Um triste regresso;
Introdução ao Antigo Testamento
O período dos Juízes
 Esboço do livro:
IV. Um bom amigo (2:1-23);
- A respiga do trigo;
- A “casualidade”;
- Boaz é o resgatador (2:20)
V. Nobre resolução (3:1-18);
- O plano de Noemi;
- A promessa de casamento;
VI. O casamento de Boaz e Rute (4:1-16);
- O outro resgatador;
VII. A promessa (4:17:22).
- A raiz do rei Davi;
- A genealogia de Jesus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo TestamentoDisciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
faculdadeteologica
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
Moisés Sampaio
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Os livros Apócrifos
Os livros ApócrifosOs livros Apócrifos
Os livros Apócrifos
Viva a Igreja
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Gesiel Oliveira
 
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Márcio Martins
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Escatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutórioEscatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutório
Viva a Igreja
 
Estudo sobre o evangelho de Marcos
Estudo sobre o evangelho de MarcosEstudo sobre o evangelho de Marcos
Estudo sobre o evangelho de Marcos
RODRIGO FERREIRA
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
Rosana Eugenio Dos Santos
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
Respirando Deus
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
Pastor W. Costa
 
Disciplina de Escatologia
Disciplina de EscatologiaDisciplina de Escatologia
Disciplina de Escatologia
faculdadeteologica
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica
Marcos Aurélio
 
Panorama do AT - Êxodo
Panorama do AT -  ÊxodoPanorama do AT -  Êxodo
Panorama do AT - Êxodo
Respirando Deus
 
Lição 10 o governo do anticristo
Lição 10   o governo do anticristoLição 10   o governo do anticristo
Lição 10 o governo do anticristo
Virgilio Silva
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
Antonio Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo TestamentoDisciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
 
45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias
 
Os livros Apócrifos
Os livros ApócrifosOs livros Apócrifos
Os livros Apócrifos
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
 
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Escatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutórioEscatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutório
 
Estudo sobre o evangelho de Marcos
Estudo sobre o evangelho de MarcosEstudo sobre o evangelho de Marcos
Estudo sobre o evangelho de Marcos
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
 
Disciplina de Escatologia
Disciplina de EscatologiaDisciplina de Escatologia
Disciplina de Escatologia
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica
 
Panorama do AT - Êxodo
Panorama do AT -  ÊxodoPanorama do AT -  Êxodo
Panorama do AT - Êxodo
 
Lição 10 o governo do anticristo
Lição 10   o governo do anticristoLição 10   o governo do anticristo
Lição 10 o governo do anticristo
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
 

Destaque

Introdução ao Estudo do Antigo Testamento - completo
Introdução ao Estudo do Antigo Testamento - completoIntrodução ao Estudo do Antigo Testamento - completo
Introdução ao Estudo do Antigo Testamento - completo
Francelia Carvalho Oliveira
 
Introdução: Antigo Testamento
Introdução: Antigo TestamentoIntrodução: Antigo Testamento
Introdução: Antigo Testamento
Rubens da Silva Dias Junior
 
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTOtelas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
MOISESTEIX by AgenciaKmz
 
Panorama do Antigo Testamento
Panorama do Antigo TestamentoPanorama do Antigo Testamento
Panorama do Antigo Testamento
Alberto Simonton
 
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo TestamentoCronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Amor pela EBD
 
1. Antigo Testamento: Introdução
1. Antigo Testamento: Introdução1. Antigo Testamento: Introdução
1. Antigo Testamento: Introdução
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo TestamentoCronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Amor pela EBD
 
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
Robson Tavares Fernandes
 
Antiguo Testamento
Antiguo TestamentoAntiguo Testamento
Antiguo Testamento
bychristian
 
Deus procura os_que
Deus procura os_queDeus procura os_que
Deus procura os_que
bilibiowebsite
 
O curso de vida do rev moon3
O curso de vida do rev moon3O curso de vida do rev moon3
O curso de vida do rev moon3
Christian Lepelletier
 
Palestra vertical- Parte I
Palestra vertical- Parte I Palestra vertical- Parte I
Palestra vertical- Parte I
Gabi Baticioto
 
O Mal e suas implicações
O Mal e suas implicaçõesO Mal e suas implicações
O Mal e suas implicações
Filipe
 
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
José Carlos Polozi
 
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do ATTeodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
Gcom digital factory
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
capriello
 
Teologia I (Bibliologia e Teontologia)
Teologia I (Bibliologia e Teontologia)Teologia I (Bibliologia e Teontologia)
Teologia I (Bibliologia e Teontologia)
Israel serique
 
Israel Na Escatologia BíBlica
Israel Na Escatologia BíBlicaIsrael Na Escatologia BíBlica
Israel Na Escatologia BíBlica
svinforec
 
[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12
[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12
[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12
José Carlos Polozi
 
[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...
[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...
[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...
José Carlos Polozi
 

Destaque (20)

Introdução ao Estudo do Antigo Testamento - completo
Introdução ao Estudo do Antigo Testamento - completoIntrodução ao Estudo do Antigo Testamento - completo
Introdução ao Estudo do Antigo Testamento - completo
 
Introdução: Antigo Testamento
Introdução: Antigo TestamentoIntrodução: Antigo Testamento
Introdução: Antigo Testamento
 
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTOtelas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
 
Panorama do Antigo Testamento
Panorama do Antigo TestamentoPanorama do Antigo Testamento
Panorama do Antigo Testamento
 
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo TestamentoCronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
 
1. Antigo Testamento: Introdução
1. Antigo Testamento: Introdução1. Antigo Testamento: Introdução
1. Antigo Testamento: Introdução
 
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo TestamentoCronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
 
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)38   Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
38 Estudo Panorâmico da Bíblia (Gênesis)
 
Antiguo Testamento
Antiguo TestamentoAntiguo Testamento
Antiguo Testamento
 
Deus procura os_que
Deus procura os_queDeus procura os_que
Deus procura os_que
 
O curso de vida do rev moon3
O curso de vida do rev moon3O curso de vida do rev moon3
O curso de vida do rev moon3
 
Palestra vertical- Parte I
Palestra vertical- Parte I Palestra vertical- Parte I
Palestra vertical- Parte I
 
O Mal e suas implicações
O Mal e suas implicaçõesO Mal e suas implicações
O Mal e suas implicações
 
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
 
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do ATTeodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
 
Teologia I (Bibliologia e Teontologia)
Teologia I (Bibliologia e Teontologia)Teologia I (Bibliologia e Teontologia)
Teologia I (Bibliologia e Teontologia)
 
Israel Na Escatologia BíBlica
Israel Na Escatologia BíBlicaIsrael Na Escatologia BíBlica
Israel Na Escatologia BíBlica
 
[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12
[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12
[EBD Maranata] Lição 01 - Abel | Revista Heróis do Antigo Testamento | 08/01/12
 
[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...
[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...
[EBD Maranata] Lição 1 - Uma vida de prosperidade | Revista A base para uma v...
 

Semelhante a Introdução ao Antigo Testamento

introducao ao velho testamento VT.pptx
introducao  ao velho testamento  VT.pptxintroducao  ao velho testamento  VT.pptx
introducao ao velho testamento VT.pptx
bpclaudio11
 
Ebd adbvv-genesis-licao 1
Ebd adbvv-genesis-licao 1Ebd adbvv-genesis-licao 1
Ebd adbvv-genesis-licao 1
Figueiredo Marc
 
BIBLILOGIA rossi.pdf
BIBLILOGIA rossi.pdfBIBLILOGIA rossi.pdf
BIBLILOGIA rossi.pdf
Rossi Aguiar Aguiar
 
EEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - PentateucoEEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - Pentateuco
Jamerson Maia
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 Ensinai
Lisanro Cronje
 
Lição 1 e 2 _ Edilson.pdf
Lição 1 e 2 _ Edilson.pdfLição 1 e 2 _ Edilson.pdf
Lição 1 e 2 _ Edilson.pdf
EdilsonJanuariodeSou
 
Apocalipse versículo por versículo
Apocalipse versículo por versículoApocalipse versículo por versículo
Apocalipse versículo por versículo
Jane Cristina
 
Bíblia de Estudo Pentecostal.pdf
Bíblia de Estudo Pentecostal.pdfBíblia de Estudo Pentecostal.pdf
Bíblia de Estudo Pentecostal.pdf
Ferreira Silva
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
3. gênesis
3. gênesis3. gênesis
3. gênesis
mbrandao7
 
Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015
Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015
Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015
Pr. Andre Luiz
 
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.pptPANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
Lisanro Cronje
 
Apocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdf
Apocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdfApocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdf
Apocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdf
PrDanielBarros
 
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptxpanorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
Márcio Azevedo
 
panoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdf
panoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdfpanoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdf
panoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdf
bpclaudio11
 
Panorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptx
Panorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptxPanorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptx
Panorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptx
Edna Maria Coutinho Januário
 
PENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICOPENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICO
Rubens Sohn
 
Panorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdfPanorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdf
Priscila Puga
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
CEILANDIA
 

Semelhante a Introdução ao Antigo Testamento (20)

introducao ao velho testamento VT.pptx
introducao  ao velho testamento  VT.pptxintroducao  ao velho testamento  VT.pptx
introducao ao velho testamento VT.pptx
 
Ebd adbvv-genesis-licao 1
Ebd adbvv-genesis-licao 1Ebd adbvv-genesis-licao 1
Ebd adbvv-genesis-licao 1
 
BIBLILOGIA rossi.pdf
BIBLILOGIA rossi.pdfBIBLILOGIA rossi.pdf
BIBLILOGIA rossi.pdf
 
EEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - PentateucoEEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - Pentateuco
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 Ensinai
 
Lição 1 e 2 _ Edilson.pdf
Lição 1 e 2 _ Edilson.pdfLição 1 e 2 _ Edilson.pdf
Lição 1 e 2 _ Edilson.pdf
 
Apocalipse versículo por versículo
Apocalipse versículo por versículoApocalipse versículo por versículo
Apocalipse versículo por versículo
 
Bíblia de Estudo Pentecostal.pdf
Bíblia de Estudo Pentecostal.pdfBíblia de Estudo Pentecostal.pdf
Bíblia de Estudo Pentecostal.pdf
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
 
3. gênesis
3. gênesis3. gênesis
3. gênesis
 
Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015
Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015
Gênesis, o Livro da Criação Divina - Lição 01 - 4ºTrimestre 2015
 
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.pptPANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
 
Apocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdf
Apocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdfApocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdf
Apocalipse-Versículo-por-Versículo-cpad.pdf
 
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptxpanorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
 
panoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdf
panoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdfpanoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdf
panoramavelhotestamentooinicodetudo-221023024210-914436a2.pdf
 
Panorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptx
Panorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptxPanorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptx
Panorama-do-antigo-testamento_parte-2.pptx
 
PENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICOPENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 1 IBADEP BÁSICO
 
Panorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdfPanorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdf
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
 
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
 

Mais de Viva a Igreja

Como interpretar a Bíblia 4
Como interpretar a Bíblia 4Como interpretar a Bíblia 4
Como interpretar a Bíblia 4
Viva a Igreja
 
Como interpretar a Bíblia 3
Como interpretar a Bíblia 3Como interpretar a Bíblia 3
Como interpretar a Bíblia 3
Viva a Igreja
 
Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2
Viva a Igreja
 
Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1
Viva a Igreja
 
Termo de compromisso
Termo de compromissoTermo de compromisso
Termo de compromisso
Viva a Igreja
 
Curso para novos membros
Curso para novos membrosCurso para novos membros
Curso para novos membros
Viva a Igreja
 
Regimento Interno
Regimento InternoRegimento Interno
Regimento Interno
Viva a Igreja
 
Regras Parlamentares
Regras ParlamentaresRegras Parlamentares
Regras Parlamentares
Viva a Igreja
 
Estatuto da Igreja Batista do Natal
Estatuto da Igreja Batista do NatalEstatuto da Igreja Batista do Natal
Estatuto da Igreja Batista do Natal
Viva a Igreja
 
Pacto e Comunhão Batistas
Pacto e Comunhão BatistasPacto e Comunhão Batistas
Pacto e Comunhão Batistas
Viva a Igreja
 
Uma igreja vivendo em pequenos grupos
Uma igreja vivendo em pequenos gruposUma igreja vivendo em pequenos grupos
Uma igreja vivendo em pequenos grupos
Viva a Igreja
 
5 Solas da Reforma Protestante
5 Solas da Reforma Protestante5 Solas da Reforma Protestante
5 Solas da Reforma Protestante
Viva a Igreja
 
Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!
Viva a Igreja
 
Vivendo em Pequenos Grupos
Vivendo em Pequenos GruposVivendo em Pequenos Grupos
Vivendo em Pequenos Grupos
Viva a Igreja
 
Pode ou não pode?
Pode ou não pode?Pode ou não pode?
Pode ou não pode?
Viva a Igreja
 
Hermenêutica III - Hermenêutica especial
Hermenêutica III - Hermenêutica especialHermenêutica III - Hermenêutica especial
Hermenêutica III - Hermenêutica especial
Viva a Igreja
 
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica GeralHermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
Viva a Igreja
 
Hermenêutica I - Regras Fundamentais
Hermenêutica I - Regras FundamentaisHermenêutica I - Regras Fundamentais
Hermenêutica I - Regras Fundamentais
Viva a Igreja
 
Introdução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizadoIntrodução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizado
Viva a Igreja
 
Os Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutórioOs Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutório
Viva a Igreja
 

Mais de Viva a Igreja (20)

Como interpretar a Bíblia 4
Como interpretar a Bíblia 4Como interpretar a Bíblia 4
Como interpretar a Bíblia 4
 
Como interpretar a Bíblia 3
Como interpretar a Bíblia 3Como interpretar a Bíblia 3
Como interpretar a Bíblia 3
 
Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2
 
Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1
 
Termo de compromisso
Termo de compromissoTermo de compromisso
Termo de compromisso
 
Curso para novos membros
Curso para novos membrosCurso para novos membros
Curso para novos membros
 
Regimento Interno
Regimento InternoRegimento Interno
Regimento Interno
 
Regras Parlamentares
Regras ParlamentaresRegras Parlamentares
Regras Parlamentares
 
Estatuto da Igreja Batista do Natal
Estatuto da Igreja Batista do NatalEstatuto da Igreja Batista do Natal
Estatuto da Igreja Batista do Natal
 
Pacto e Comunhão Batistas
Pacto e Comunhão BatistasPacto e Comunhão Batistas
Pacto e Comunhão Batistas
 
Uma igreja vivendo em pequenos grupos
Uma igreja vivendo em pequenos gruposUma igreja vivendo em pequenos grupos
Uma igreja vivendo em pequenos grupos
 
5 Solas da Reforma Protestante
5 Solas da Reforma Protestante5 Solas da Reforma Protestante
5 Solas da Reforma Protestante
 
Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!Discipulado: uma necessidade urgente!
Discipulado: uma necessidade urgente!
 
Vivendo em Pequenos Grupos
Vivendo em Pequenos GruposVivendo em Pequenos Grupos
Vivendo em Pequenos Grupos
 
Pode ou não pode?
Pode ou não pode?Pode ou não pode?
Pode ou não pode?
 
Hermenêutica III - Hermenêutica especial
Hermenêutica III - Hermenêutica especialHermenêutica III - Hermenêutica especial
Hermenêutica III - Hermenêutica especial
 
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica GeralHermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
 
Hermenêutica I - Regras Fundamentais
Hermenêutica I - Regras FundamentaisHermenêutica I - Regras Fundamentais
Hermenêutica I - Regras Fundamentais
 
Introdução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizadoIntrodução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizado
 
Os Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutórioOs Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutório
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 

Introdução ao Antigo Testamento

  • 1. Introdução ao Antigo Testamento Pr. Handerson Xavier
  • 2. Introdução ao Antigo Testamento A Bíblia  Vem do grego e significa “livro”.  Formada pelos livros Canônicos. Inspirados Inerrantes Infalíveis Suficientes  66 livros considerados autoritativos.  “Sola Scriptura” da Reforma Protestante.  Termo utilizado por João Crisóstomo (sec. IV).
  • 3. Introdução ao Antigo Testamento O material utilizado  Papiro
  • 4. Introdução ao Antigo Testamento O material utilizado  Pergaminho
  • 5. Introdução ao Antigo Testamento O formato dos livros  Rolo
  • 6. Introdução ao Antigo Testamento O Grande Rolo de Isaías http://dss.collections.imj.org.il/isaiah
  • 7. Introdução ao Antigo Testamento O formato dos livros  Códices (códex) Codex Sinaiticus: escrito em grego, data do séc. IV. Único que contém todo o Novo Testamento.
  • 8. Introdução ao Antigo Testamento O formato dos livros  Códices (códex) Codex Vaticanus: escrito em grego, data do séc. IV. Contém praticamente toda a Bíblia.
  • 9. Introdução ao Antigo Testamento O formato dos livros  Códices (códex) Codex Alexandrinus: escrito em grego, data do séc. V. Contém toda a Septuaginta e o Novo Testamento.
  • 10. Introdução ao Antigo Testamento O formato dos livros  Códices (códex) Codex Leningradensis: Um dos mais antigos e o mais completo com o texto massorético. Data do ano 1008 d.C.
  • 11. Introdução ao Antigo Testamento As traduções  A Vulgata Tradução em latim da Bíblia. Feita entre os séculos IV e V por São Jerônimo. É a versão oficial da Igreja Católica desde o concílio de Trento (1546).  A Septuaginta Tradução grega a partir do texto hebraico do Antigo Testamento. Feita entre os séculos III a.C. e I a. C.
  • 12. Introdução ao Antigo Testamento Outras traduções históricas  A Bíblia de Wycliffe Tradução para o inglês da Vulgata. Feita entre os anos 1382 e 1395.
  • 13. Introdução ao Antigo Testamento Outras traduções históricas  A Bíblia de Lutero Tradução para o alemão feita por Lutero no séc. XVI a partir dos originais.
  • 14. Introdução ao Antigo Testamento Outras traduções históricas  A Bíblia de Tyndale Escrita para o inglês a partir do séc. XVI. Composta por todo o NT e metade do AT.
  • 15. Introdução ao Antigo Testamento Outras traduções históricas  A Bíblia King James (Rei Tiago) Feita no início do séc. XVII a pedido do Rei Tiago (ou Jaime I). É a versão oficial da Igreja Anglicana.
  • 16. Introdução ao Antigo Testamento Outras traduções históricas  A Bíblia em português Séculos XIII e XIV com D. Diniz. Todas eram traduções católicas. Em 1628 nasce João Ferreira D’Almeida, que se converte em 1642. Como membro da Igreja Reformada Holandesa foi evangelista, pastor, teólogo e tradutor. Em 1670 concluiu sua tradução do Novo Testamento, que só foi publicado em 1681.
  • 17. Introdução ao Antigo Testamento Outras traduções históricas  A Bíblia em português Somente em 1819 a Bíblia completa foi publicada.
  • 18. Introdução ao Antigo Testamento O Antigo Testamento Hebraico (Tanakh)
  • 19. Introdução ao Antigo Testamento O Antigo Testamento Católico
  • 20. Introdução ao Antigo Testamento O Antigo Testamento Protestante
  • 21. Introdução ao Antigo Testamento Elementos essenciais à compreensão  Elemento histórico  Elemento cultural  Elemento geográfico  Elemento literário  Revelacional  Teológico
  • 22. Introdução ao Antigo Testamento O Pentateuco  “Os cinco primeiros livros”.  Atribuídos à Moisés.  Chamados de Torá, ou Livros da Lei.  No AT é chamado de: 1. Lei: Js 8:34; Ed 10:3; Ne 8:2,7,14; 2. Livro da Lei: s 1:8; 8:34; 2 Rs 22:8; 3. Livro de Moisés: Ed 6:18; Ne 13:1; 4. Livro do Senhor: Ed 7:10; 1 Cr 16:40; 5. Lei de Deus: Js 24:26; Ne 8:18; 6. Livro da Lei do Senhor: 2 Cr 17:9.
  • 23. Introdução ao Antigo Testamento O Pentateuco  No NT é chamado de: 1. Livro da Lei: Gl 3:10; 2. Livro de Moisés: Mc 12:26; 3. Lei: Mt 12:5; Lc 16:16; Jo 7:19; 4. Lei de Moisés: Lc 2:22; Jo 7:23; 5. Lei do Senhor: Lc 2:23-24.
  • 24. Introdução ao Antigo Testamento Autoria do Pentateuco  A visão ortodoxa da autoria mosaica.  O questionamento da autoria: 1. Racionalismo (séc. XVI); 2. Iluminismo (séc. XVIII); 3. Deísmo/liberalismo; 4. Deus não se revela. René Descartes, séc. XVI John Locke, séc. XVIII
  • 25. Introdução ao Antigo Testamento Teoria documentária  Nega a revelação sobrenatural.  Nega a doutrina da inspiração.  O AT é o resultado das experiências religiosas dos judeus.  Segundo a teoria, o AT é a união de vários documentos editados em seu formato final no pós-exílio. Julius Wellhausen Gerhard Von Rad
  • 26. Introdução ao Antigo Testamento Teoria documentária  Os documento JEDP Documento J (Jeová, Jeovista) Data: 950 ou 850 a.C. Documento E (Elohista) Data: 850 ou 750 a.C. Documento D (Deuteronomista) Data: 650 a.C. Documento P (Sacerdotal) Data: 525 ou 450 a.C.
  • 27. Introdução ao Antigo Testamento Avaliação crítica da teoria documentária 1. Não prova a não autoria de Moisés. 2. Não há concordância entre os adeptos. 3. Anula a credibilidade do Pentateuco. 4. Retira seu caráter normativo. 5. Invalida o esforço da composição. 6. Não há evidências históricas da teoria. 7. Considera o autor mal-intencionado. 8. Nega a intervenção de Deus. 9. Nega a revelação especial.
  • 28. Introdução ao Antigo Testamento Evidências da autoria mosaica  Evidências internas 1. Deus manda Moisés escrever (Êx 17:14); 2. Moisés e o Livro da Aliança (Êx 24:4-8); 3. Moisés escreveu a caminhada (Êx 33:2); 4. Moisés é o escritor (Êx 31:9, 24); 5. Foi testemunha ocular (Nm 11:7-8); 6. Conhecia o Egito e o percurso do Êxodo; 7. Moisés teve tempo o suficiente para escrevê-lo.
  • 29. Introdução ao Antigo Testamento Evidências da autoria mosaica  Evidências externas 1. No livro de Josué, Moisés é tido como autor do Pentateuco (Js 1:7-8); 2. Em Jz, Moisés é autor do Pentateuco (Jz 3:4); 3. As referências nos livros históricos (1 Rs 2:3; 2 Rs 14:6; 21:8; Ed 6:18; Ne 13:1);
  • 30. Introdução ao Antigo Testamento Evidências da autoria mosaica  Evidências no Novo Testamento 1. Cristo cita Moisés como autor (Mt 19:8); 2. Circuncisão é “Lei de Moisés” (Jo 7:23); 3. Outras referências (At 3:22-23; 13:38-39; 15:5,21; 26:22; 28:23; Rm 10:5,19; 1 Co 9:9; 2 Co 3:15; Ap 15:3).
  • 31. Introdução ao Antigo Testamento Estrutura do Antigo Testamento
  • 32. Introdução ao Antigo Testamento Conceitos essenciais para compreensão  Antropomorfismo: Deus se apresenta com aspectos físicos e emocionais humanos. “Então, se arrependeu o Senhor de ter feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração” (Gn 6:6). “Então, desceu o Senhor para ver a cidade e a torre, que os filhos dos homens edificavam” (Gn 11:5).
  • 33. Introdução ao Antigo Testamento Conceitos essenciais para compreensão  Teofania: toda manifestação visível de Deus. “Apareceu o Senhor a Abraão nos carvalhais de Manre, quando ele estava assentado à entrada da tenda, no maior calor do dia” (Gn 18:1). “Apareceu-lhe o do Senhor numa chama de fogo, no meio de uma sarça” (Êx 3:2).
  • 34.
  • 35. Introdução ao Antigo Testamento Cronologia do Dilúvio
  • 36. Introdução ao Antigo Testamento O livro de Gênesis  Abreviatura: Gn  Autor: Moisés  Data: 1450/1410 AC.  Versículo-chave: 1:1; 12:1-2  Frase-chave: Começos, origens;
  • 37. Introdução ao Antigo Testamento O livro de Gênesis  Eventos-chave: 1. A criação (caps 1,2) 2. A queda (cap 3) 3. A primeira civilização (cap 4) 4. O dilúvio (cap 5-9) 5. A dispersão das nações (caps 10-11) 6. Abraão (caps 12 a 25) 7. Isaque (caps 17 a 35) 8. Jacó (caps 25 a 35) 9. José (caps 37 a 50)
  • 38. Introdução ao Antigo Testamento O livro de Gênesis As origens A origem de todas as coisas; “No princípio, Criou Deus os céus e a terra” (Gn 1:1); “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (Gn 2:3); A origem do homem e da mulher; “Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gn 1:27);
  • 39. Introdução ao Antigo Testamento O livro de Gênesis As origens A origem do pecado “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao seu marido, e ele comeu” (Gn 3:6); “O Senhor Deus, por isso, o lançou fora do jardim do Éden, a fim de lavrar a terra de que fora tomado” (Gn 3:23).
  • 40. Introdução ao Antigo Testamento O livro de Gênesis As origens A origem da promessa “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn 3:15).
  • 41.
  • 42. Introdução ao Antigo Testamento O contexto do Dilúvio “Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração; então, se arrependeu o SENHOR de ter feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração. Disse o SENHOR: Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus; porque me arrependo de os haver feito. Porém Noé achou graça diante do SENHOR.” (Gn 6:5-8)
  • 43. Introdução ao Antigo Testamento Cronologia do Dilúvio
  • 44. Introdução ao Antigo Testamento A confusão das línguas (Gn 11)  Os propósitos das construção: 1. Engrandecimento; 2. Desobediência (Gn 9:1). “Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra.” (Gn 11:4)
  • 45. Introdução ao Antigo Testamento A era Patriarcal  Abraão (Gn 12 a 25) Principais eventos: 1. A chamada (Gn 12); 2. Promessa da terra (Gn 13:14-18); 3. Promessa de um filho (Gn 15); 4. O nascimento de Ismael (Gn 16); 5. Aliança, mudança de nomes e circuncisão (Gn 17); 6. Sodoma e Gomorra (Gn 18-19); 7. Nascimento de Isaque (Gn 21); 8. Deus prova a Abraão (Gn 22); 9. Morte de Sara (Gn 23).
  • 46. Introdução ao Antigo Testamento Peregrinação de Abraão
  • 47. Introdução ao Antigo Testamento A era Patriarcal  Isaque (Gn 24-27) Principais eventos: 1. Uma mulher para Isaque (Gn 24); 2. Morte de Abraão (Gn 25); 3. O direito à primogenitura (Gn 25:27- 34); 4. Bênção de Jacó e Esaú (Gn 27);
  • 48. Introdução ao Antigo Testamento A era Patriarcal  Jacó (Gn 28-36) Principais eventos: 1. A fuga de Jacó (Gn 28); 2. A promessa em Betel (Gn 28:10-17); 3. Jacó, Raquel e Lia (Gn 29); 4. O retorno de Jacó (Gn 31); 5. De Jacó à Israel (Gn 32:22-32); 6. Reconciliação (Gn 33); 7. Israel e a promessa de Deus (Gn 35); 8. Morte de Raquel e Jacó (Gn 35).
  • 49. Sete anos de pastor Jacó servia Labão, pai de Raquel, serrana bela; Mas não servia ao pai, servia a ela, E a ela só por prêmio pretendia. Os dias, na esperança de um só dia, Passava, contentando-se com vê-la; Porém o pai, usando de cautela, Em lugar de Raquel lhe deu a Lia. Vendo o triste pastor que com enganos Assim lhe era negada a sua pastora, Como se não a tivera merecida; Começou a servir outros sete anos, Dizendo: Mais servira, se não fora, Para tão longo amor, tão curta a vida. (Soneto XXIX. Luís de Camões, 1524-1580)
  • 50. Introdução ao Antigo Testamento A era Patriarcal  José (Gn 37-50) Principais eventos: 1. José vendido pelos irmãos (Gn 37); 2. Judá e Tamar (Gn 38); 3. José na casa de Potifar (Gn 39); 4. José e os dois sonhos (Gn 40); 5. José e perante Faraó (Gn 41); 6. Os irmãos de José (Gn 42-44); 7. José se revela (Gn 45); 8. O encontro de Jacó e José (Gn 45); 9. Jacó no Egito (Gn 46-47); 10. Bênção e morte (Gn 48-50).
  • 51. Introdução ao Antigo Testamento A era Patriarcal  José (Gn 37-50) Principais eventos: 1. José vendido pelos irmãos (Gn 37); 2. Judá e Tamar (Gn 38); 3. José na casa de Potifar (Gn 39); 4. José e os dois sonhos (Gn 40); 5. José e perante Faraó (Gn 41); 6. Os irmãos de José (Gn 42-44); 7. José se revela (Gn 45); 8. O encontro de Jacó e José (Gn 45); 9. Jacó no Egito (Gn 46-47); 10. Bênção e morte (Gn 48-50).
  • 52. Introdução ao Antigo Testamento “Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos irriteis contra vós mesmos por me haverdes vendido para aqui; porque, para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós. Porque já houve dois anos de fome na terra, e ainda restam cinco anos em que não haverá lavoura nem colheita. Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra e para vos preservar a vida por um grande livramento. Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus, que me pôs por pai de Faraó, e senhor de toda a sua casa, e como governador em toda a terra do Egito.” (Gn 45:5-8)
  • 53. Introdução ao Antigo Testamento Peregrinação de Abraão
  • 54. Introdução ao Antigo Testamento Peregrinação de Abraão
  • 55. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo “então, lhe foi dito: Sabe, com certeza, que a tua posteridade será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos. Mas também eu julgarei a gente a que têm de sujeitar-se; e depois sairão com grandes riquezas.” (Gn 15:13-14)
  • 56. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  É o evento mais marcante, tanto no sentido histórico quanto teológico;  Calcula-se que tenha ocorrido em 1444 a.C.;  Os personagens da história: Moisés e Arão;  Toda história ocupa os livros de Êxodo, Levíticos, Números e Deuteronômio.
  • 57. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  Êxodo: Narra a chamada de Moisés, a libertação, a entrega da Lei, a construção e consagração do Tabernáculo.  Levítico: trata os ofícios sacerdotais e levíticos; sacrifícios e datas sagradas; outras leis.  Números: Descreve grande parte da viagem pelo deserto; as murmurações, revoltas e a preparação para a entrada em Canaã.  Deuteronômio: Contém os discursos de Moisés antes de entrarem em Canaã; bênçãos e maldições e a morte de Moisés.
  • 58. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  Deus: 1. Se apresentada como o Deus dos Patriarcas (Êx 3:6); 2. Aquele que ouviu o clamor do povo (Êx 3:7-9); 3. Aquele que tem nome (Êx 3:14).
  • 59. Introdução ao Antigo Testamento Aspectos notáveis de Deus no Êxodo  Deus é aquele que escolhe. “Porque povo santo és ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra.” (Dt 7:6)
  • 60. Introdução ao Antigo Testamento Aspectos notáveis de Deus no Êxodo  Deus endurece o coração do Faraó. “E disse o Senhor a Moisés: Quando voltares ao Egito, atenta que faças diante de Faraó todas as maravilhas que tenho posto na tua mão; mas eu lhe endurecerei o coração, para que não deixe ir o povo.” (Êx 4:21) “Porém o coração de Faraó se endureceu, e não os ouviu, como o Senhor tinha falado.” (Êx 7:13)
  • 61. Introdução ao Antigo Testamento Aspectos notáveis de Deus no Êxodo  Deus está cumprindo Sua promessa. De libertação: “então, lhe foi dito: Sabe, com certeza, que a tua posteridade será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos. Mas também eu julgarei a gente a que têm de sujeitar-se; e depois sairão com grandes riquezas.” (Gn 15:13-14)
  • 62. Introdução ao Antigo Testamento Aspectos notáveis de Deus no Êxodo  Deus está cumprindo Sua promessa. De multiplicação: “Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção!” (Gn 12:1-2)
  • 63. Introdução ao Antigo Testamento Aspectos notáveis de Deus no Êxodo  Deus está cumprindo Sua promessa. De salvação: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gn 3:15)
  • 64. Introdução ao Antigo Testamento Aspectos notáveis de Deus no Êxodo  Deus quer um povo santo. “Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso Deus.” (Lv 20:7) “Porque povo santo és ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra.” (Dt 7:6)
  • 65. Introdução ao Antigo Testamento Aspectos notáveis de Deus no Êxodo  Deus cuida do seu povo. Deus libertou (Êx 12:42); Deus sustentou (Êx 16:4; Êx 16:12; Êx 17:6); Deus orientou (Êx 40:36, 37; Nm 9:15-23); Deus protegeu (Êx 14:19-31); Deus se revelou (Êx 19).
  • 66. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  Moisés: 40 anos no Egito - 2º filho de Anrão e Joquebede, da tribo de Levi. Formação religiosa no lar paterno (Êx 2.9,10); formação intelectual, política, militar na corte de Faraó.
  • 67. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  Moisés: 40 anos no deserto de Midiã - Casado com Zípora, filha de Jetro (Reuel), o sacerdote (Êx 2.11-3.1); dois filhos - Gérson e Eliézer (Êx 18.1-4).
  • 68. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  Moisés: 40 anos liderando o povo - como servo do Senhor (Dt 34.5; Hb 3.5); como profeta (Dt 34.10,11); como sacerdote (Êx 32.11,14,30; 33.11; Nu 12.6-8); como juiz (Êx 18.13); como ensinador (Êx 18.16; Dt4.5); como líder e legislador (Êx 14.15; Jo 1.17; At 7.36).
  • 69. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  O povo rebelde: Êxodo 14:10–14 (Travessia); Êxodo 15:23–25 (Águas amargas); Êxodo 16:1–4 (Maná); Nm 13-14 (Rejeição do povo); Nm 20:2-13 (Águas de Meribá).
  • 70. Introdução ao Antigo Testamento O Êxodo  O povo rebelde: “Porém, tão certo como eu vivo, e como toda a terra se encherá da glória do SENHOR, nenhum dos homens que, tendo visto a minha glória e os prodígios que fiz no Egito e no deserto, todavia, me puseram à prova já dez vezes e não obedeceram à minha voz, nenhum deles verá a terra que, com juramento, prometi a seus pais, sim, nenhum daqueles que me desprezaram a verá.” (Nm 14-21-230
  • 71. Introdução ao Antigo Testamento As Leis  Moral: regulamenta os relacionamentos e ações dos judeus;  Civil: regulamenta a vida civil e jurídica da nação de Israel;  Cerimonial: regulamenta a religião dos judeus (culto, oficiais, festas, etc.).
  • 72. Introdução ao Antigo Testamento Algumas leis  Circuncisão: era o símbolo do pertencimento ao povo judeu (Gn 17:10- 12). Todo menino deveria ser circuncidado quanto completasse 8 anos de nascido. Era o sinal visível da aliança entre Deus e o povo.
  • 73. Introdução ao Antigo Testamento Algumas leis  Sábado: era o descanso após 6 dias de trabalho (Êx 20:8; 31:13). Era também o símbolo da participação na Aliança. Sua quebra premeditada seria punida com a morte.
  • 74. Introdução ao Antigo Testamento Algumas leis  Ano sabático: O ano sabático é o descanso da terra (Ex 23,10-11; Lv 25,2-8), em que ela não poderia ser cultivada. É o ano de remissão das dívidas (Dt 15:1-2), e  o ano da libertação de todo escravo israelita, pelo perdão  de sua dívida (Dt 15:12). Ocorria a cada 7 anos.
  • 75. Introdução ao Antigo Testamento Algumas leis  Ano jubileu: Ocorrência a cada 7 anos sabáticos, o próximo ano (50º.) era o ano jubileu. Além das leis do ano sabático válidas para o jubileu, as propriedades eram devolvidas aos seus possuidores originais.
  • 76. Introdução ao Antigo Testamento Algumas leis  Cidades dos Levitas: Foram separadas 48 cidades em Israel para habitação dos levitas. Seus arredores deveriam dar condições para criarem gado. 6 dessas cidades eram chamadas de “cidades de refúgio” (Nm 35:1-8).
  • 77. Introdução ao Antigo Testamento Algumas leis  Cidades de Refúgio: Eram 6 cidades dentre as cidades dos levitas. Nelas se refugiavam os acusados de homicídio. Os condenados por homicídio culposo deveriam nelas habitar até a morte do sumo-sacerdote (Êx 21:12-13; Nm 35:6, 7; 12-15; 28). Eram as cidades de refúgio: Quedes, Siquém, Hebrom, Bezer, Ramote e Golã.
  • 78. Introdução ao Antigo Testamento Algumas leis  Lei do levirato: A lei ordenava que um homem deveria se casar com a esposa de seu irmão falecido caso este não tenha deixado descendentes. O primeiro filho seria considerado como sendo do irmão morto. O homem poderia recusar- se à assumir este compromisso (Dt 25:5- 10).
  • 79. Introdução ao Antigo Testamento Os sacerdotes  Eram mediadores entre Deus e o povo;  Restringidos à família de Arão (Ex 28.1; 40.12-15; Nm 16.40);  Todos os filhos de Arão eram sacerdotes, a não ser em caso de deficiência (Lv 21:16);  Estavam sujeitos à leis especiais;  Utilizavam roupas especiais durante o ofício;  Haviam os sacerdotes e o Sumo- sacerdote.
  • 80. Introdução ao Antigo Testamento Os sacerdotes  Suas funções: I. Ministrar no santuário diante do Senhor, II. ensinar o povo a guardar a lei de Deus e, III. tomar conhecimento da vontade divina, consultando o Urim e Tumim, Ex 28.30; Ed 2.63; Nm 16.40; 18.5)
  • 81. Introdução ao Antigo Testamento Os levitas  Exclusivamente da tribo de Levi;  Auxiliavam os sacerdotes na montagem, desmontagem e transporte do Tabernáculo;  Serviam entre os 25 e 50 anos;  Não possuíam terras, mas eram sustentados pelos dízimos;  Nm 8; Dt 12; 18.
  • 82. Introdução ao Antigo Testamento Os levitas  Funções: Os filhos de Coate estavam incumbidos de transportar os móveis, depois que os mesmos fossem cuidadosamente cobertos pelos sacerdotes.   Os filhos de Gérson cuidavam das cobertas, cortinas e véus do Templo.   Os filhos de Merari tinham a tarefa de transportar e erguer a armação do tabernáculo e seu átrio. (ver em Nm 3 e 4).
  • 83.
  • 86. Introdução ao Antigo Testamento Algumas mulheres importantes  Tamar (Gn 38:1-30): Astuta, teve gêmeos com Judá após este se recusar a dar seu filho Selá em casamento, após o falecimento de Er e Onã.  Raabe (Js 2:1-24; 6:22-27): Prostituta na cidade de Jericó. Ajudou aos espiais de Israel. Casou-se com Salmon e gerou Boaz.  Rute (Rt): Moabita, assumiu a fé no Deus de Israel e acompanhou a sogra Noemi. Casou-se com Boaz.  Bate-seba (2 Sm 11): Esposa de Urias, oficial do rei Davi. Envolvida no adultério escandaloso. Da união com Davi nasceu o rei Salomão.
  • 92. Introdução ao Antigo Testamento A tomada de Canaã  Josué É chamado de Oséias, que significa “salvação” (Nm 13:8; 14:6); Josué significa “O Senhor é salvação” e é outra grafia para o nome Jesus. Primogênito de Num, da tribo de Efraim; Foi o sucessor de Moisés na entrada do povo na terra prometida; Estava entre os 12 espias enviados por Moisés à Canaã. Escrito por volta de 1400 a. C.
  • 93. Introdução ao Antigo Testamento A comissão de Josué “Sucedeu, depois da morte de Moisés, servo do SENHOR, que este falou a Josué, filho de Num, servidor de Moisés, dizendo: Moisés, meu servo, é morto; dispõe-te, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel.” (Js 1:1-2)
  • 94. Introdução ao Antigo Testamento A comissão de Josué “Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu prometi a Moisés. Desde o deserto e o Líbano até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até ao mar Grande para o poente do sol será o vosso limite.” (Js 1:3-4)
  • 95. Introdução ao Antigo Testamento A comissão de Josué “Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei. Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais. Tão- somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares.” (Js 3:5-7)
  • 96. Introdução ao Antigo Testamento A comissão de Josué “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem- sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.” (Js 3:8-9)
  • 97. Introdução ao Antigo Testamento A tomada de Canaã  Eventos principais 1. Espias enviados à Jericó (Js 2); 2. Passagem pelo Jordão (Js 3; 4); 3. Circuncisão, Páscoa, Maná e Teofania (Js 5); 4. A queda de Jericó (Js 6); 5. Acã e a derrota em Ai (Js 7); 6. A destruição de Ai (Js 8); 7. Os gibeonitas (Js 9); 8. Vitórias de Josué (Js 10, 11); 9. Distribuição da terra (Js 13-19; 10. Cidades dos levitas (Js 20-21); 11. Despedida e morte (Js 22-24).
  • 98.
  • 99.
  • 100. Introdução ao Antigo Testamento O período dos Juízes  A era pré-monárquica 2 livros tratam sobre este período: Juízes e Rute; Escrito por Samuel, engloba o período desde o assentamento até o início da monarquia (1400 - 1050 a.C.);
  • 101. Introdução ao Antigo Testamento O período dos Juízes  Marcas do período: 1. A desobediência na conquista; 2. Uma outra geração (Jz 2:10); 3. O ciclo dos Juízes (Jz 2:10-23); 4. Casamentos mistos e idolatria; 5. “Fizeram os filhos de Israel o que era mau perante o Senhor” (Jz 6:1); 6. “Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto” (Jz 17:6; 21:25).
  • 102. Introdução ao Antigo Testamento O ciclo de Juízes Desobediência/PECADO Sofrimento/SERVIDÃO Clamor/ARREPENDIMENTO Livramento/SALVAÇÃO
  • 103.
  • 104. Introdução ao Antigo Testamento O período dos Juízes  A história de Rute: 1. Ocorre durante o período de Juízes; 2. Autoria atribuída à Samuel; 3. Data de 1000 a. C.; 4. O pano-de-fundo é a história de imigração de Elimeleque com sua família para Moabe e o retorno de Noemi para Israel com sua nora Rute; 5. Presença da lei do levirato.
  • 105.
  • 106. Introdução ao Antigo Testamento O período dos Juízes  Esboço do livro: I. Fome e imigração de Elimeleque (1:1-5); Morre Elimeleque: “Não há nada tão ruim que não possa piorar”. Morrem Malom e Quiliom: “Pra ficar ruim ainda precisa melhorar muito”. II. Noemi e Rute decidem ir para Judá (1:6-18); - O fim da fome em Israel; - A conversão de Rute (1:16-17); III. Um triste regresso (1:19-22); - A amargura da vida; - Um triste regresso;
  • 107. Introdução ao Antigo Testamento O período dos Juízes  Esboço do livro: IV. Um bom amigo (2:1-23); - A respiga do trigo; - A “casualidade”; - Boaz é o resgatador (2:20) V. Nobre resolução (3:1-18); - O plano de Noemi; - A promessa de casamento; VI. O casamento de Boaz e Rute (4:1-16); - O outro resgatador; VII. A promessa (4:17:22). - A raiz do rei Davi; - A genealogia de Jesus.