SlideShare uma empresa Scribd logo
O LIVRO DE DEUTERONÔMIO
1
 AUTOR: Moisés - 5º. Livro da lei
 DATA: 1450 – 1410 a.C.
 TÍTULO:
 Grego
Dευτερονόμιον – Deuteronomion (2ª Lei)
 Hebraico
~yir'b>D – Devarim (palavras)
 O LIVRO:
 • Bênçãos da obediência;
 • Maldições da desobediência;
 • Flexibilidade da Lei (farás e não farás).
DEUTERONÔMIO
2
 “DEUTERONÔMIO”
Quer dizer “repetição da Lei”,
ou “segunda Lei”.
Moisés repetiu e comentou a lei de Deus, ensinando
os filhos de Israel como deveriam se portar na terra
prometida com o povo acampado nas Camoinas de
Moabe (1-5).
A Planície de Moabe (Moabitas?)
ATÉ DEUTERONÔMIO...
4
GÊNESIS
Homem perdido
ÊXODO
Homem remido
LEVÍTICO
Homem cultuando
NÚMEROS
Homem servindo
DEUTERONÔMIO
Homem recebendo a promessa
GÊNESIS
Princípio da nação (Israel)
ÊXODO
Organização do povo e entrega da Lei
LEVÍTICO
Como o povo devia adorar
NÚMEROS
Peregrinação do povo
DEUTERONÔMIO
Preparação para entrar na terra
CONTEXTO GEOGRÁFICO
CONTEXTO GEOGRÁFICO
CONTEXTO GEOGRÁFICO
8
9
PROPÓSITO DO LIVRO
10
 Moisés ia preparar a nova geração para entrar e viver
na Terra Prometida, mediante uma reafirmação da Lei
do Sinai.
 Moisés destaca a segurança da Palavra de Deus e suas
promessas contidas na aliança com os patriarcas,
procurando lembrá-los do dever de serem fiéis para
que as promessas se cumpram usando uma série de
discursos
 Moisés exorta o povo a crer no SENHOR como seu
único Deus, e a ser-Lhe fiel, pois somente em seu
Libertador a nação encontraria segurança e
prosperidade na terra que estava para possuir.
DIVISAO DO LIVRO
AS “EXORTAÇÕES” DE MOISÉS:
11
1. RECORDA! 1º DISCURSO DE MOISÉS.............. (caps. 1 a 4)
(Resumo das jornadas de Israel)
2. OBEDECE! 2º DISCURSO DE MOISÉS ............... (caps. 5 a 26)
(Resumo e repetição da lei)
3. CUIDADO! DISCURSO DE MOISÉS .................. (caps. 27 a 34)
(profecias do futuro de Israel)
 4-MORTE DE MOISÉS 34
O último capítulo sobre a morte de Moisés
é um apêndice escrito mais tarde, talvez por
Josué, Eleazar ou Samuel.
FATOS IMPORTANTES
12
1. A predição de um profeta semelhante a Moisés – 18:15-19
2. O que Cristo chamou de o grande mandamento – 6:4
3.As palavras que Cristo citou contra o
tentador – 6:13,13; 8:3
4.Trechos da mais aprimorada eloquência
do mundo antigo
5.Este livro trata de um maior
número de questões de
relacionamento do que qualquer
outro livro da Bíblia
FATOS IMPORTANTES
13
FATOS IMPORTANTES
14
 É citado 356 vezes por posteriores escritores do
A.T., e mais de 190 vezes no N.T.
 Foi um dos livros favoritos de Jesus, pois o citou
mais do que qualquer outro.
 Ao refutar o diabo, por exemplo, Jesus enfrentou cada
desafio como uma citação de Deuteronômio,
vencendo-o com o simples poder da citação.
 O diabo, em Mt. 4.6, usou
o Salmo 91, citando-o fora
de contexto.
PROFECIA MESSIÂNICA
Um profeta semelhante a Moisés
(18.18-19)
A vinda de Jesus é mencionada pela
1ª vez nessa passagem.
 A missão de um profeta era transmitir
as palavras de Deus ao povo.
Moisés foi um profeta poderoso em
obras e palavras, em milagres e
palavras da Lei.
Ao proferir essa profecia messiânica,
Moisés salientou a absoluta exatidão e
convicção das palavras que o Messias
iria proferir (28.22).
DEUTERONÔMIO
16
 PENSAMENTO-CHAVE: TUDO DEPENDE DA
OBEDIÊNCIA
• uma bênção se obedecerdes
• uma maldição se desobedecerdes
 A própria vida;
 A posse da Terra prometida;
 Vitória sobre os inimigos;
 Prosperidade;
 Felicidade.
LIÇÕES BIBLICAS
17
1. As bênçãos na sua vida dependem, muitas vezes, de sua
obediência;
2. Ao ser tentado use a Palavra de Deus como espada, e a fé
como escudo;
3. Olhe para trás, e veja o que Deus já fez e como te conduziu;
4. Olhe para o alto, e veja que Deus está presente;
5. Olhe para a frente, e saiba que o justo vive pela fé.
CONTEXTO HISTÓRICO
18
 Moisés tinha então 120 anos, e a Terra Prometida
estava a sua frente. Ele tirou os israelitas da escravidão
no Egito.
 Por causa da desobediência de Israel, os israelitas
perambularam sem destino no deserto por trinta e oito
anos.
 Agora se achavam acampados
na fronteira oriental de Canaã, no
vale defronte de Bete-Peor, na
região montanhosa do Moabe, de
vista para Jericó e a planície do
Jordão.
CONTEXTO HISTÓRICO
19
Momento crucial em sua história
- novos inimigos,
novas tentações
e nova liderança.
Moisés reuniu o grupo para lembrá-los da
fidelidade do Senhor e para encorajá-los a
serem fiéis e obedientes ao seu Deus quando
possuíssem a Terra Prometida.
Anunciou Josué como seu sucessor.
CENÁRIO RELIGIOSO
20
 Trata-se de duas gerações de Israel:
• 1ª saída do Egito, tinha visto muitos milagres
executados por Moisés, recebera a Lei de maneira
miraculosa.
• Ao sair em marcha deixando o Sinai começou a
murmurar. Queixas sobre o maná, falta de gratidão.
Ciúmes na própria família de Moisés. Rebelião da
congregação e muitos líderes, até a morte de toda a
geração.
CENÁRIO RELIGIOSO
21
 2ª estava para entrar em Canaã, cresceu conhecendo a Lei e
recebendo diariamente o maná.
 Após o funeral de Arão, começou um novo período com um novo
sacerdote, Eleazar.
 Esta geração teve que
ser ensinada sobre as primeiras
lições dadas por Deus, lições
sobre murmuração, descrença
e idolatria.
 O novo período começou com grandes vitórias na Transjordânia.
 Apesar de terem recebido a Lei e o sistema Levítico, é duvidoso que
tenham guardado todos os regulamentos no deserto.
 A prova é o fato de que o requisito da circuncisão só foi observado
após a travessia do Jordão. (Josué 5.5)
MOISÉS
22
1. 40 anos no palácio de Faraó;
2. 40 anos refugiado no deserto em Midiã;
3. 40 anos como guia de Israel pelo deserto.
4. Escreveu a primeira parte da Bíblia – o
Pentateuco, quase o tamanho do NT inteiro;
5. Livrou da servidão os filhos de Israel, quase 3
milhões de pessoas;
6. Organizou o sistema de leis de Israel, uma
jurisprudência que inspira leis até hoje;
MOISÉS
23
 Moisés cumpriu sua missão:
1. Conduziu o povo de Israel do Egito até as
fronteiras da terra Prometida, mas não
entraria nela;
2. Agora prepara-se para morrer e prepara o
povo para entrar na terra
3. Numa série de discursos ele ensina a nova
geração a aliança e a vontade de Deus;
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
24
 RECORDA ! Dt 1-4
• Em 11 dias Israel chegaria onde demorou 40 anos (Dt 1:2);
• Incredulidade (Deus prometeu a Abraão a terra – Gn 17:8);
• Convite à obediência (Dt 10:12);
• Outra pessoa introduziria os israelitas em Canaã (Nm 20:12);
• Não faltou o vigor para Moisés (Dt 34:7);
• Nada faltou para o povo (Dt 2:7).
 Nos 4 Livros do Pentateuco
Deus escolhe o povo, agora,
em Dt Deus deixa o povo
escolhê-Lo
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
25
1.26 FOSTES REBELDES AO MANDADO
DO SENHOR.
O povo de Israel deveria ter entrado na terra
prometida, trinta e nove anos antes (vv. 2,3),
mas por causa da sua incredulidade e recusa
em fazer a vontade de Deus, sua entrada foi
protelada (Nm 14.33,34).
 Deixar de viver na vontade de Deus e de andar segundo o
Espírito (Rm 8.12-15; Gl 5.16) pode resultar em atraso no
plano de Deus para a nossa vida ou, até mesmo, a
supressão total desse plano.
 Devemos ter um santo receio e inquietação quanto a estar
fora da vontade do Senhor e de ser privado da sua
presença, graça e proteção em nossa vida
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
26
 1.35 NENHUM DOS HOMENS... VERÁ ESTA BOA
TERRA.
 Todos os israelitas que não quiseram entrar na terra
prometida (ver a nota anterior; ver v. 26; Nm 14.4,26-
35) perderam o direito, a partir de então, de entrar
naquela terra.
A desobediência pode, muitas vezes,
ser trágica, pois poderá resultar em
perda irreversível de oportunidade, bem
como em julgamento divino.
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
27
 1.36 PERSEVEROU EM SEGUIR AO SENHOR.
 Note as bênçãos de Deus reservadas àqueles que
"perseveram em seguir ao Senhor".
 Deus pelejará por eles (v. 30), os levará, "como um
homem leva seu filho" (v. 31), vai "adiante deles por
todo o caminho" e mostra-lhes "o caminho por onde
havíeis de andar" (v. 33).
 Josué, também como Calebe,
"perseverou em seguir ao Senhor“
(v. 38; Nm 14.30; 32.11,12).
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
28
 Moisés trás a lembrança do povo, os povos daquém do
Jordão,entre os quais estavam os amonitas e moabitas,
descendentes de Ló, contra os quais foi proibido
guerrear por serem seus irmãos.
Mesmo depois da recusa dos
moabitas em permitir q eu
os filhos de Israel passassem
pelos seus termos, em
obediência à orientação divina
Israel tomou outro caminho,
mais longe, que os lrevou a
leste do Jordão.
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
29
 2.7 DEUS ESTEVE CONTIGO.
 Os israelitas foram castigados por seus pecados de
rebelião e de incredulidade (v. 15; 1.26-40), porém,
Deus continuou, de certo modo, a ser com eles, por
confessarem o seu pecado (1.45,46).
 Deus continuará a abençoar
e dirigir aqueles que se
arrependem, apesar de seus
fracassos e de se apartarem
por algum tempo da vida
de santidade segundo a lei de
Deus.
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
30
 2.30 O SENHOR... ENDURECERA O SEU ESPÍRITO.
 Trata-se aqui de Seom, rei de Hesbom.
 Deus não endurece sem motivo o coração de ninguém
(Hb 3.7-13).
 Endureceu o coração de Seom porque este já voltara
seu coração contra Deus e Israel (ver Êx 7.3 nota).
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
31
3.22 O SENHOR... PELEJA POR VÓS.
Os israelitas defrontavam-se com inimigos
poderosos, aos quais não poderiam derrotar
com suas próprias forças.
 A tendência natural de Israel era temer as
consequências pavorosas da derrota.
 Sua única certeza da vitória seria mediante a confiança em
Deus (ver vv. 2,3; 1.30; 2.24,25, 31,33,36; 20.4). Quando o
crente dedicado se defronta com dificuldades parecendo
insuperáveis, bem como oposição esmagadora, Deus
promete estar com ele e lhe dar forças e poder para
cumprir a sua vontade para com ele (ver Mt 6.30 nota; Fp
4.6,7 notas).
O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás
32
 3.25 QUE ME DEIXES PASSAR.
 Moisés desobedecera gravemente a Deus, sendo-lhe então dito
que ele não entraria em Canaã (Nm 20.8-12).
Mesmo assim, ele implorou a Deus,
pedindo-lhe que revertesse a ordem e lhe
permitisse atravessar o rio Jordão e entrar
na terra prometida. Deus não o atendeu (v.
26), a fim de ensinar que o pecado de um
líder espiritual tem graves consequências e
incorrerá em juízo mais rigoroso (cf. Tg 3.1).
O funesto (mortal) fracasso de um líder
espiritual da igreja, como exemplo de
obediência ao Senhor, pode impedi-lo de
exercer certas áreas do ministério evangélico
(cf. Nm 20.12; ver 20.8,12 notas).
A ORAÇÃO DE MOISÉS NÃO FOI ATENDIDA
33
 Deus lhe disse que não orasse mais pelo
assunto,pois não seria atendido.
 É uma das poucas orações recusadas por Deus
relatada na Bíblia.
 Ao invés de entrar na terra, Moisés recebeu de
Deus a ordem de subir no monte Nebo (Pisga),
contemplar a terra e morrer.
 Nesse lugar Deus disse a Moisés
A ORAÇÃO EFICAZ
34
 A oração é uma comunicação
multifacetada entre os crentes e o
Senhor.
 Além de palavras como “oração”
e “orar”, essa atividade é descrita como invocar a Deus
(Sl 17.6).
 Invocar o nome do Senhor (Gn 4.26), clamar ao
Senhor (Sl 3.4), levantar nossa alma ao Senhor (Sl
25.1), buscar ao Senhor (Is 55.6), aproximar-se do
trono da graça com confiança (Hb 4.16) e chegar
perto de Deus (Hb 10.22).
MOTIVOS PARA A ORAÇÃO
35
 A Bíblia apresenta motivos claros para o povo de
Deus orar.
 (1) Antes de tudo, Deus ordena que o crente ore.
O mandamento para orarmos vem através
dos :
salmistas (1Cr 16.11; Sl 105.4),
dos profetas (Is 55.6; Am 5.4,6),
dos apóstolos (Ef 6.17,18; Cl 4.2; 1Ts 5.17)
e do próprio Senhor Jesus (Mt 26.41; Lc 18.1;
Jo 16.24).
 Deus aspira a comunhão conosco; mediante a oração,
mantemos o nosso relacionamento com Ele.
MOTIVOS PARA A ORAÇÃO
36
 (2) A oração é o elo de ligação que carecemos para
recebermos as bênçãos de Deus, o seu poder e o
cumprimento das suas promessas.
 Numerosas passagens bíblicas ilustram esse princípio. Jesus,
por exemplo, prometeu aos seus seguidores que receberiam o
Espírito Santo se perseverassem em pedir, buscar e bater à
porta do seu Pai celestial (Lc 11.5-13).
 Por isso, depois da ascensão de Jesus, seus seguidores
reunidos permaneceram em constante oração no cenáculo (At
1.14) até o Espírito Santo ser derramado com poder (At 1.8) no
dia de Pentecostes (At 2.1-4).
MOTIVOS PARA A ORAÇÃO
37
 Quando os apóstolos se reuniram após serem libertos da prisão pelas
autoridades judaicas, oraram fervorosamente para o Espírito Santo lhes
conceder ousadia e autoridade divina para falarem a palavra dEle.
 “E, tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos
foram cheios do Espírito Santo e anunciavam com ousadia a palavra de
Deus” (At 4.31).
 O apóstolo Paulo frequentemente pedia oração em seu próprio favor,
sabendo que a sua obra não prosperaria se os crentes não orassem por
ele (Rm 15.30-32; 2Co 1.11; Ef 6.18, 20; Fp 1.19; Cl 4.3,4.
 Tiago declara inequivocamente que o crente pode receber a cura física em
resposta à “oração da fé” (Tg 5.14,15).
MOTIVOS PARA A ORAÇÃO
38
 (3) Deus, no seu plano de salvação da humanidade,
estabeleceu que os crentes sejam seus
cooperadores no processo da redenção.
 Em certo sentido, Deus se limita às orações santas, de
fé e incessantes do seu povo.
 Muitas coisas não serão realizadas no reino de Deus se
não houver oração intercessora dos crentes (ver Êx
33.11 nota).
MOTIVOS PARA A ORAÇÃO
39
 Por exemplo:
 Deus quer enviar obreiros para evangelizar.
 Cristo ensina que tal obra não será levada a efeito dentro da
plenitude do propósito de Deus sem as orações do seu povo:
“Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua
seara” (Mt 9.38).
 Noutras palavras, o poder de Deus para cumprir muitos dos seus
propósitos é liberado somente através das orações contritas do
seu povo em favor do seu reino.
 Se não orarmos, poderemos até mesmo estorvar a execução do
propósito divino da redenção, tanto para nós mesmos, como
indivíduos, quanto para a igreja coletivamente.
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
40
Nossa oração para ser eficaz precisa
satisfazer certos requisitos.
(1) Nossas orações não serão atendidas
se não tivermos fé genuína, verdadeira.
 Jesus declarou abertamente: “Tudo o que pedirdes,
orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis” (Mc 11.24).
 Ao pai de um menino endemoninhado, Ele falou
assim: “Tudo é possível ao que crê” (Mc 9.23).
 O autor de Hebreus admoesta-nos assim: “Cheguemo-
nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé”
(Hb 10.22), e Tiago encoraja-nos a pedir com fé, não
duvidando (Tg 1.6; cf. 5.15).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
41
 (2) Além disso, a oração deve ser feita em nome de
Jesus.
 O próprio Jesus expressou esse princípio ao dizer: “E
tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para
que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma
coisa em meu nome, eu o farei” (Jo 14.13,14).
 Nossas orações devem ser
feitas em harmonia com a
pessoa, caráter e vontade de
nosso Senhor (ver Jo 14.13
nota).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
42
 (3) A oração só poderá ser eficaz se
feita segundo a perfeita vontade de
Deus.
 “E esta é a confiança que temos nele:
que, se pedirmos alguma coisa,
segundo a sua vontade, ele nos ouve”
(1Jo 5.14;).
 Uma das petições da oração modelo de
Jesus, o Pai Nosso, confirma esse fato:
“Seja feita a tua vontade, tanto na
terra como no céu” (Mt 6.10; Lc 11.2;
note a oração do próprio Jesus no
Getsêmani, Mt 26.42).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
43
Em muitos casos, sabemos qual é a
vontade de Deus, porque Ele no-la revelou
na Bíblia.
 Podemos ter certeza que será eficaz toda
oração realmente baseada nas promessas
de Deus constantes da sua Palavra.
 Elias tinha certeza de que o Deus de Israel atenderia a
sua oração por meio do fogo e, posteriormente, da
chuva, porque recebera a palavra profética do Senhor (I
Reis 18.1) e estava plenamente seguro de que nenhum
deus pagão era maior do que o Senhor Deus de Israel,
nem mais poderoso (I Reis18.21-24).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
44
 (4) Não somente devemos orar segundo a vontade de
Deus, mas também devemos estar dentro da vontade de
Deus, para que Ele nos ouça e atenda.
 Deus nos dará as coisas que pedimos, somente se buscarmos
em primeiro lugar o seu reino e sua justiça (ver Mt 6.33 nota).
 O apóstolo João declara que “qualquer coisa que lhe pedirmos,
dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos e
fazemos o que é agradável à sua vista” (1Jo 3.22 nota).
Obedecer aos mandamentos de Deus, amá-lo e
agradá-lo são condições prévias indispensáveis para
termos resposta às orações.
Tiago ao escrever que a oração do justo é eficaz,
refere-se tanto à pessoa que foi justificada pela fé
em Cristo, quanto à pessoa que está a viver uma
vida reta, obediente e temente a Deus — tal qual o
profeta Elias (Tg 5.16-18; Sl 34.13,14).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
45
 O AT acentua este mesmo ensino.
 Deus tornou claro que as orações de Moisés pelos
israelitas eram eficazes por causa do seu relacionamento
obediente com o Senhor e da sua lealdade a Ele (ver Êx
33.17 nota).
 Por outro lado, o salmista declara que se abrigarmos o
pecado em nossa vida, o Senhor não atenderá as nossas
orações (Sl 66.18; ver Tg 4.5 nota).
Eis a razão principal por que o Senhor não
atendia as orações dos israelitas idólatras e
ímpios (Is 1.15).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
46
 Mas se o povo de Deus arrepender-se e voltar-se dos
seus caminhos ímpios, o Senhor promete voltar a
atendê-lo, perdoar seus pecados e sarar a sua terra (2Cr
7.14; cf. 6.36-39; Lc 18.14).
Note que a oração do sumo sacerdote
pelo perdão dos pecados dos israelitas no
Dia da Expiação não seria atendida se antes
o seu próprio estado pecaminoso não fosse
purificado (ver Êx 26.33 nota;).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
47
 (5) Finalmente, para uma oração eficaz,
precisamos ser perseverantes.
 É essa a lição principal da parábola da viúva importuna
(Lc 18.1-7; ver 18.1 nota).
 A instrução de Jesus: “Pedi... buscai... batei”, ensina a
perseverança na oração (ver Mt 7.7,8 nota).
O apóstolo Paulo também nos exorta à
perseverança na oração (Cl 4.2 nota; 1Ts
5.17 nota).
REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ.
48
 Os santos do AT também reconheciam esse princípio.
 Por exemplo, foi somente enquanto Moisés perseverava em oração
com suas mãos erguidas a Deus, que os israelitas venciam na
batalha contra os amalequitas (ver Êx 17.11 nota).
 Depois de Elias receber a palavra profética de que ia chover, ele
continuou em oração até a chuva começar a cair (18.41-45).
 Numa ocasião anterior, esse grande profeta orou com insistência e
fervor, para Deus devolver a vida ao
filho morto da viúva de Sarepta,
até que sua oração foi atendida
(17.17-23)
PRINCÍPIOS E MÉTODOS BÍBLICOS DA ORAÇÃO
EFICAZ
49
 (1) Quais são os princípios da oração eficaz?
 (a) Para orarmos com eficácia, devemos louvar e adorar a Deus
com sinceridade (Sl 150; At 2.47; Rm 15.11;.
 (b) Intimamente ligada ao louvor, e de igual importância, vem a
ação de graças a Deus (Sl 100.4; Mt 11.25,26; Fp 4.6).
 (c) A confissão sincera de pecados conhecidos é vital à oração
da fé (Tg 5.15,16; Sl 51; Lc 18.13; 1Jo 1.9).
 (d) Deus também nos ensina a pedir de acordo com as nossas
necessidades, segundo está escrito em Tiago: deixamos de
receber as coisas de que precisamos, ou porque não pedimos,
ou porque pedimos com motivos injustos (Tg 4.2,3; Sl 27.7-12;
Mt 7.7-11; Fp 4.6).
 (e) Devemos orar de coração pelos outros, especialmente
oração intercessora (Nm 14.13-19; Sl 122.6-9; Lc 22.31,32;
23.34;).
PRINCÍPIOS E MÉTODOS BÍBLICOS DA ORAÇÃO
EFICAZ
50
 (2) Como devemos orar?
 Jesus acentua a sinceridade do nosso coração, pois não somos
atendidos na oração simplesmente pelo nosso falar de modo
vazio (Mt 6.7).
 Podemos orar em silêncio (1Sm 1.13) ou em voz alta (Ne 9.4; Ez
11.13). Podemos orar com nossas próprias palavras, ou usando
palavras diretas das Escrituras.
 Podemos orar com a nossa mente, ou podemos orar através do
Espírito (i.e., em línguas, 1Co 14.14-18).
 Podemos até mesmo orar através de gemidos, i.e., sem usar
qualquer palavra humana (Rm 8.26), sabendo que o Espírito
levará a Deus esses pedidos inaudíveis.
 Ainda outro método de orar é cantar ao Senhor (Sl 92.1,2; Ef
5.19,20; Cl 3.16).
 A oração profunda ao Senhor será, às vezes, acompanhada de
jejum (Ed 8.21; Ne 1.4; Dn 9.3,4; Lc 2.37; At 14.23; ver Mt 6.16
nota).
PRINCÍPIOS E MÉTODOS BÍBLICOS DA ORAÇÃO
EFICAZ
51
 (3) Qual a posição apropriada, do corpo, na
oração?
 A Bíblia menciona pessoas orando :
 em pé (8.22; Ne 9.4,5),
 sentadas (1Cr 17.16; Lc 10.13),
 ajoelhadas (Ed 9.5; Dn 6.10; At 20.36),
 acamadas (Sl 63.6),
 curvadas até o chão (Êx 34.8; Sl 95.6),
 prostradas no chão (2Sm 12.16; Mt 26.39)
 e de mãos levantadas aos céus (Sl 28.2; Is 1.15; 1Tm 2.8).
EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ
52
 A Bíblia está cheia de exemplos
de orações que foram
poderosas e eficazes.
 (1) Moisés fez numerosas orações
intercessórias às quais Deus
atendeu, mesmo depois de Ele
dizer a Moisés que ia proceder de
outra maneira
EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ
53
 (2) Sansão, arrependido,
orou pedindo uma
última oportunidade de
cumprir sua missão
máxima de derrotar os
filisteus; Deus atendeu
essa oração ao lhe dar
forças suficientes para
derrubar as colunas do
prédio onde os inimigos
estavam exaltando o
poder dos seus deuses
(Jz 16.21-30).
EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ
54
 (3) Deus respondeu às orações de Elias em pelo
menos quatro grandes ocasiões; em todas elas
redundaram em glória ao Deus de Israel (17-18; Tg
5.17,18).
EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ
55
 (4) O rei Ezequias adoeceu e Isaías lhe declarou
que morreria (2Rs 20.1; Is 38.1). Ezequias,
reconhecendo que sua vida e obra estavam
incompletas, virou o rosto para a parede e orou
intensamente a Deus para que prolongasse sua
vida.
 Deus mandou Isaías retornar
a Ezequias para garantir a cura
e mais quinze anos de vida
(2Rs 20.2-6; Is 38.2-6).
EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ
56
 (5) Não há dúvida de que Daniel orou ao Senhor na
cova dos leões, pedindo para não ser devorado por
eles, e Deus atendeu o seu pedido (Dn 6.10,16-22).
EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ
57
 (6) Os cristãos primitivos oraram incessantemente a
Deus pela libertação de Pedro da prisão, e Deus
enviou um anjo para libertá-lo (At 12.3-11; cf. 12.5
nota).
 Tais exemplos devem fortalecer a nossa fé e encher-
nos de disposição para
orarmos de modo eficaz,
segundo os princípios delineados
na Bíblia.
FIM DO PRIMEIRO DISCURSO
58
 Concluindo seu primeiro discurso,Moisés exorta o
povo à obediência incondicional a Deus e ratifica a
importância das três cidades de refúgio,
estabelecidas dalém do Jordão.
FIM DO PRIMEIRO DISCURSO
59
 Os filhos de Israel estavam no final de sua longa
caminhada de 40 anos pelo deserto.
 Estavam na planície a leste do Jordão, de onde se
descortinava a terra que de tão longe tinham vindo
para possuir.
Estendia-se diante deles no
esplendor da primavera.
Mas o rio Jordão, na maior
cheia do ano, parecia
intransponível ,além do grande
número de cidades fortificadas e
grandemente armadas.
FIM DO PRIMEIRO DISCURSO
60
 Os israelitas eram como jovens estudantes, que
tendo terminado seus estudos, tinham o dever de
começar a por em prática tudo aquilo que
aprenderam ao longo dos anos de estudo.
61
62
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama do AT - Deuteronômio
Panorama do AT - DeuteronômioPanorama do AT - Deuteronômio
Panorama do AT - Deuteronômio
Respirando Deus
 
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
Robson Tavares Fernandes
 
12. O Livro de Rute
12. O Livro de Rute12. O Livro de Rute
10. O Livro de Josué
10. O Livro de Josué10. O Livro de Josué
10. O Livro de Josué
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Números
Panorama do AT - NúmerosPanorama do AT - Números
Panorama do AT - Números
Respirando Deus
 
Aula 5 - Números
Aula 5 - NúmerosAula 5 - Números
Aula 5 - Números
Gustavo Zimmermann
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Livro de números
Livro de númerosLivro de números
Livro de números
pbmarcelo
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Gesiel Oliveira
 
Livros históricos aula 2
Livros  históricos aula 2Livros  históricos aula 2
Livros históricos aula 2
Moisés Sampaio
 
O Livro de Esdras
O Livro de EsdrasO Livro de Esdras
O Livro de Esdras
Amor pela EBD
 
Aula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros PoéticosAula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros Poéticos
Gustavo Zimmermann
 
Atos
AtosAtos
Aula 4 - Levíticos
Aula 4 - LevíticosAula 4 - Levíticos
Aula 4 - Levíticos
Gustavo Zimmermann
 
Livros Históricos
Livros  HistóricosLivros  Históricos
Livros Históricos
Moisés Sampaio
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
mbrandao7
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Mais procurados (20)

Panorama do AT - Deuteronômio
Panorama do AT - DeuteronômioPanorama do AT - Deuteronômio
Panorama do AT - Deuteronômio
 
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
 
12. O Livro de Rute
12. O Livro de Rute12. O Livro de Rute
12. O Livro de Rute
 
10. O Livro de Josué
10. O Livro de Josué10. O Livro de Josué
10. O Livro de Josué
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
 
Panorama do AT - Números
Panorama do AT - NúmerosPanorama do AT - Números
Panorama do AT - Números
 
Aula 5 - Números
Aula 5 - NúmerosAula 5 - Números
Aula 5 - Números
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
Livro de números
Livro de númerosLivro de números
Livro de números
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
 
Livros históricos aula 2
Livros  históricos aula 2Livros  históricos aula 2
Livros históricos aula 2
 
O Livro de Esdras
O Livro de EsdrasO Livro de Esdras
O Livro de Esdras
 
Aula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros PoéticosAula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros Poéticos
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
Aula 4 - Levíticos
Aula 4 - LevíticosAula 4 - Levíticos
Aula 4 - Levíticos
 
Livros Históricos
Livros  HistóricosLivros  Históricos
Livros Históricos
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
 
44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias
 

Destaque

Teologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômioTeologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômio
José Santos
 
Deuteronômio
Deuteronômio Deuteronômio
Deuteronômio
Sergio Zilochi
 
5 deuteronomio
5 deuteronomio5 deuteronomio
5 deuteronomio
Pib Penha
 
43 Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)
43   Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)43   Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)
43 Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)
Robson Tavares Fernandes
 
5 Lições do livro de Deuteronômio
5 Lições do livro de Deuteronômio5 Lições do livro de Deuteronômio
5 Lições do livro de Deuteronômio
Lucas Soares
 
39 Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)
39   Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)39   Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)
39 Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)
Robson Tavares Fernandes
 
Deuteronômio 28
Deuteronômio 28Deuteronômio 28
Deuteronômio 28
evangelismo emslides
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
Moisés Sampaio
 
Irei
IreiIrei
Ibadep deuteronômio
Ibadep  deuteronômioIbadep  deuteronômio
Ibadep deuteronômio
Nivaldo R. Santos
 
14 ise - levítico - números - deuteronômio
14   ise - levítico - números - deuteronômio14   ise - levítico - números - deuteronômio
14 ise - levítico - números - deuteronômio
Léo Mendonça
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
09 jesus ministered needs
09 jesus ministered needs09 jesus ministered needs
09 jesus ministered needs
chucho1943
 
Los patriarcas
Los patriarcasLos patriarcas
Los patriarcas
Ma Daniela Nieva
 
de roeping van Samuel
de roeping van Samuelde roeping van Samuel
de roeping van Samuel
goedbericht
 
Tabernáculo
TabernáculoTabernáculo
Tabernáculo
Julio Rodas
 
03 does job fear god for naught
03 does job fear god for naught03 does job fear god for naught
03 does job fear god for naught
chucho1943
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
Alberto Simonton
 
I samuel
I samuelI samuel
I samuel
Élida Rolim
 
Cronologia juego biblico
Cronologia juego biblicoCronologia juego biblico
Cronologia juego biblico
Samuel Gimenez
 

Destaque (20)

Teologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômioTeologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômio
 
Deuteronômio
Deuteronômio Deuteronômio
Deuteronômio
 
5 deuteronomio
5 deuteronomio5 deuteronomio
5 deuteronomio
 
43 Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)
43   Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)43   Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)
43 Estudo Panorâmico da Bíblia (Deuteronômio)
 
5 Lições do livro de Deuteronômio
5 Lições do livro de Deuteronômio5 Lições do livro de Deuteronômio
5 Lições do livro de Deuteronômio
 
39 Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)
39   Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)39   Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)
39 Estudo Panorâmico da Bíblia (Êxodo)
 
Deuteronômio 28
Deuteronômio 28Deuteronômio 28
Deuteronômio 28
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
 
Irei
IreiIrei
Irei
 
Ibadep deuteronômio
Ibadep  deuteronômioIbadep  deuteronômio
Ibadep deuteronômio
 
14 ise - levítico - números - deuteronômio
14   ise - levítico - números - deuteronômio14   ise - levítico - números - deuteronômio
14 ise - levítico - números - deuteronômio
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
 
09 jesus ministered needs
09 jesus ministered needs09 jesus ministered needs
09 jesus ministered needs
 
Los patriarcas
Los patriarcasLos patriarcas
Los patriarcas
 
de roeping van Samuel
de roeping van Samuelde roeping van Samuel
de roeping van Samuel
 
Tabernáculo
TabernáculoTabernáculo
Tabernáculo
 
03 does job fear god for naught
03 does job fear god for naught03 does job fear god for naught
03 does job fear god for naught
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
 
I samuel
I samuelI samuel
I samuel
 
Cronologia juego biblico
Cronologia juego biblicoCronologia juego biblico
Cronologia juego biblico
 

Semelhante a Deuteronomio 1

Deuteronomio 5
Deuteronomio 5Deuteronomio 5
Deuteronomio 5
Elisa Schenk
 
Deuteronomio 4
Deuteronomio 4Deuteronomio 4
Deuteronomio 4
Elisa Schenk
 
Deuteronômio
DeuteronômioDeuteronômio
Deuteronômio
Élida Rolim
 
Deuteronomio 7
Deuteronomio 7Deuteronomio 7
Deuteronomio 7
Elisa Schenk
 
Deuteronomio 8
Deuteronomio 8Deuteronomio 8
Deuteronomio 8
Elisa Schenk
 
Deuteronomio 6
Deuteronomio 6Deuteronomio 6
Deuteronomio 6
Elisa Schenk
 
Josue seminario 1
Josue seminario 1Josue seminario 1
Josue seminario 1
Elisa Schenk
 
dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...
dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...
dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...
Tiago Silva
 
[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...
[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...
[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...
José Carlos Polozi
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
Ailton da Silva
 
Lição 13 (1° 14) o legado de moisés
Lição 13 (1° 14) o legado de moisésLição 13 (1° 14) o legado de moisés
Lição 13 (1° 14) o legado de moisés
Pr. Andre Luiz
 
Lição 09 - A geração que fracassou na terra da promessa
Lição 09 - A geração que fracassou na terra da promessaLição 09 - A geração que fracassou na terra da promessa
Lição 09 - A geração que fracassou na terra da promessa
Éder Tomé
 
6 exodo 1 12
6 exodo 1 126 exodo 1 12
6 exodo 1 12
PIB Penha
 
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS.""EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
Marcos Nascimento
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
PIB Penha - SP
 
O Livro dos Juizes
O Livro dos JuizesO Livro dos Juizes
O Livro dos Juizes
Élida Rolim
 
4 números
4 números4 números
4 números
PIB Penha
 
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
Lição 10   sofonias - o juízo vindouroLição 10   sofonias - o juízo vindouro
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
cledsondrumms
 
Livro de Mórmon
Livro de Mórmon Livro de Mórmon
Livro de Mórmon
Michael Santos
 
Daniel nosso conteporaneo
Daniel nosso conteporaneoDaniel nosso conteporaneo
Daniel nosso conteporaneo
Antonio Augusto Siqueira
 

Semelhante a Deuteronomio 1 (20)

Deuteronomio 5
Deuteronomio 5Deuteronomio 5
Deuteronomio 5
 
Deuteronomio 4
Deuteronomio 4Deuteronomio 4
Deuteronomio 4
 
Deuteronômio
DeuteronômioDeuteronômio
Deuteronômio
 
Deuteronomio 7
Deuteronomio 7Deuteronomio 7
Deuteronomio 7
 
Deuteronomio 8
Deuteronomio 8Deuteronomio 8
Deuteronomio 8
 
Deuteronomio 6
Deuteronomio 6Deuteronomio 6
Deuteronomio 6
 
Josue seminario 1
Josue seminario 1Josue seminario 1
Josue seminario 1
 
dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...
dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...
dokumen.tips_pentateuco-exodo-pr-erivelton-rodrigues-estivesse-no-pensamento-...
 
[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...
[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...
[EBD Maranata] Lição 08 - Moisés | Revista Heróis do Antigo Testamento | 26/0...
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
 
Lição 13 (1° 14) o legado de moisés
Lição 13 (1° 14) o legado de moisésLição 13 (1° 14) o legado de moisés
Lição 13 (1° 14) o legado de moisés
 
Lição 09 - A geração que fracassou na terra da promessa
Lição 09 - A geração que fracassou na terra da promessaLição 09 - A geração que fracassou na terra da promessa
Lição 09 - A geração que fracassou na terra da promessa
 
6 exodo 1 12
6 exodo 1 126 exodo 1 12
6 exodo 1 12
 
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS.""EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
 
O Livro dos Juizes
O Livro dos JuizesO Livro dos Juizes
O Livro dos Juizes
 
4 números
4 números4 números
4 números
 
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
Lição 10   sofonias - o juízo vindouroLição 10   sofonias - o juízo vindouro
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
 
Livro de Mórmon
Livro de Mórmon Livro de Mórmon
Livro de Mórmon
 
Daniel nosso conteporaneo
Daniel nosso conteporaneoDaniel nosso conteporaneo
Daniel nosso conteporaneo
 

Mais de Elisa Schenk

Estudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinaiEstudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinai
Elisa Schenk
 
Josue seminario 5
Josue seminario 5Josue seminario 5
Josue seminario 5
Elisa Schenk
 
Josue seminario 8.1
Josue seminario 8.1Josue seminario 8.1
Josue seminario 8.1
Elisa Schenk
 
Josue seminario 7
Josue seminario 7Josue seminario 7
Josue seminario 7
Elisa Schenk
 
Josue seminario 6
Josue seminario 6Josue seminario 6
Josue seminario 6
Elisa Schenk
 
Josue seminario 4
Josue seminario 4 Josue seminario 4
Josue seminario 4
Elisa Schenk
 
Josue seminario 3
Josue seminario 3 Josue seminario 3
Josue seminario 3
Elisa Schenk
 
Josue seminario 2
Josue seminario 2Josue seminario 2
Josue seminario 2
Elisa Schenk
 
Deuteronomio 3
Deuteronomio 3Deuteronomio 3
Deuteronomio 3
Elisa Schenk
 
Deuteronomio 2
Deuteronomio 2Deuteronomio 2
Deuteronomio 2
Elisa Schenk
 

Mais de Elisa Schenk (10)

Estudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinaiEstudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinai
 
Josue seminario 5
Josue seminario 5Josue seminario 5
Josue seminario 5
 
Josue seminario 8.1
Josue seminario 8.1Josue seminario 8.1
Josue seminario 8.1
 
Josue seminario 7
Josue seminario 7Josue seminario 7
Josue seminario 7
 
Josue seminario 6
Josue seminario 6Josue seminario 6
Josue seminario 6
 
Josue seminario 4
Josue seminario 4 Josue seminario 4
Josue seminario 4
 
Josue seminario 3
Josue seminario 3 Josue seminario 3
Josue seminario 3
 
Josue seminario 2
Josue seminario 2Josue seminario 2
Josue seminario 2
 
Deuteronomio 3
Deuteronomio 3Deuteronomio 3
Deuteronomio 3
 
Deuteronomio 2
Deuteronomio 2Deuteronomio 2
Deuteronomio 2
 

Último

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 

Último (20)

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 

Deuteronomio 1

  • 1. O LIVRO DE DEUTERONÔMIO 1  AUTOR: Moisés - 5º. Livro da lei  DATA: 1450 – 1410 a.C.  TÍTULO:  Grego Dευτερονόμιον – Deuteronomion (2ª Lei)  Hebraico ~yir'b>D – Devarim (palavras)  O LIVRO:  • Bênçãos da obediência;  • Maldições da desobediência;  • Flexibilidade da Lei (farás e não farás).
  • 2. DEUTERONÔMIO 2  “DEUTERONÔMIO” Quer dizer “repetição da Lei”, ou “segunda Lei”. Moisés repetiu e comentou a lei de Deus, ensinando os filhos de Israel como deveriam se portar na terra prometida com o povo acampado nas Camoinas de Moabe (1-5).
  • 3. A Planície de Moabe (Moabitas?)
  • 4. ATÉ DEUTERONÔMIO... 4 GÊNESIS Homem perdido ÊXODO Homem remido LEVÍTICO Homem cultuando NÚMEROS Homem servindo DEUTERONÔMIO Homem recebendo a promessa GÊNESIS Princípio da nação (Israel) ÊXODO Organização do povo e entrega da Lei LEVÍTICO Como o povo devia adorar NÚMEROS Peregrinação do povo DEUTERONÔMIO Preparação para entrar na terra
  • 8. 8
  • 9. 9
  • 10. PROPÓSITO DO LIVRO 10  Moisés ia preparar a nova geração para entrar e viver na Terra Prometida, mediante uma reafirmação da Lei do Sinai.  Moisés destaca a segurança da Palavra de Deus e suas promessas contidas na aliança com os patriarcas, procurando lembrá-los do dever de serem fiéis para que as promessas se cumpram usando uma série de discursos  Moisés exorta o povo a crer no SENHOR como seu único Deus, e a ser-Lhe fiel, pois somente em seu Libertador a nação encontraria segurança e prosperidade na terra que estava para possuir.
  • 11. DIVISAO DO LIVRO AS “EXORTAÇÕES” DE MOISÉS: 11 1. RECORDA! 1º DISCURSO DE MOISÉS.............. (caps. 1 a 4) (Resumo das jornadas de Israel) 2. OBEDECE! 2º DISCURSO DE MOISÉS ............... (caps. 5 a 26) (Resumo e repetição da lei) 3. CUIDADO! DISCURSO DE MOISÉS .................. (caps. 27 a 34) (profecias do futuro de Israel)  4-MORTE DE MOISÉS 34 O último capítulo sobre a morte de Moisés é um apêndice escrito mais tarde, talvez por Josué, Eleazar ou Samuel.
  • 12. FATOS IMPORTANTES 12 1. A predição de um profeta semelhante a Moisés – 18:15-19 2. O que Cristo chamou de o grande mandamento – 6:4 3.As palavras que Cristo citou contra o tentador – 6:13,13; 8:3 4.Trechos da mais aprimorada eloquência do mundo antigo 5.Este livro trata de um maior número de questões de relacionamento do que qualquer outro livro da Bíblia
  • 14. FATOS IMPORTANTES 14  É citado 356 vezes por posteriores escritores do A.T., e mais de 190 vezes no N.T.  Foi um dos livros favoritos de Jesus, pois o citou mais do que qualquer outro.  Ao refutar o diabo, por exemplo, Jesus enfrentou cada desafio como uma citação de Deuteronômio, vencendo-o com o simples poder da citação.  O diabo, em Mt. 4.6, usou o Salmo 91, citando-o fora de contexto.
  • 15. PROFECIA MESSIÂNICA Um profeta semelhante a Moisés (18.18-19) A vinda de Jesus é mencionada pela 1ª vez nessa passagem.  A missão de um profeta era transmitir as palavras de Deus ao povo. Moisés foi um profeta poderoso em obras e palavras, em milagres e palavras da Lei. Ao proferir essa profecia messiânica, Moisés salientou a absoluta exatidão e convicção das palavras que o Messias iria proferir (28.22).
  • 16. DEUTERONÔMIO 16  PENSAMENTO-CHAVE: TUDO DEPENDE DA OBEDIÊNCIA • uma bênção se obedecerdes • uma maldição se desobedecerdes  A própria vida;  A posse da Terra prometida;  Vitória sobre os inimigos;  Prosperidade;  Felicidade.
  • 17. LIÇÕES BIBLICAS 17 1. As bênçãos na sua vida dependem, muitas vezes, de sua obediência; 2. Ao ser tentado use a Palavra de Deus como espada, e a fé como escudo; 3. Olhe para trás, e veja o que Deus já fez e como te conduziu; 4. Olhe para o alto, e veja que Deus está presente; 5. Olhe para a frente, e saiba que o justo vive pela fé.
  • 18. CONTEXTO HISTÓRICO 18  Moisés tinha então 120 anos, e a Terra Prometida estava a sua frente. Ele tirou os israelitas da escravidão no Egito.  Por causa da desobediência de Israel, os israelitas perambularam sem destino no deserto por trinta e oito anos.  Agora se achavam acampados na fronteira oriental de Canaã, no vale defronte de Bete-Peor, na região montanhosa do Moabe, de vista para Jericó e a planície do Jordão.
  • 19. CONTEXTO HISTÓRICO 19 Momento crucial em sua história - novos inimigos, novas tentações e nova liderança. Moisés reuniu o grupo para lembrá-los da fidelidade do Senhor e para encorajá-los a serem fiéis e obedientes ao seu Deus quando possuíssem a Terra Prometida. Anunciou Josué como seu sucessor.
  • 20. CENÁRIO RELIGIOSO 20  Trata-se de duas gerações de Israel: • 1ª saída do Egito, tinha visto muitos milagres executados por Moisés, recebera a Lei de maneira miraculosa. • Ao sair em marcha deixando o Sinai começou a murmurar. Queixas sobre o maná, falta de gratidão. Ciúmes na própria família de Moisés. Rebelião da congregação e muitos líderes, até a morte de toda a geração.
  • 21. CENÁRIO RELIGIOSO 21  2ª estava para entrar em Canaã, cresceu conhecendo a Lei e recebendo diariamente o maná.  Após o funeral de Arão, começou um novo período com um novo sacerdote, Eleazar.  Esta geração teve que ser ensinada sobre as primeiras lições dadas por Deus, lições sobre murmuração, descrença e idolatria.  O novo período começou com grandes vitórias na Transjordânia.  Apesar de terem recebido a Lei e o sistema Levítico, é duvidoso que tenham guardado todos os regulamentos no deserto.  A prova é o fato de que o requisito da circuncisão só foi observado após a travessia do Jordão. (Josué 5.5)
  • 22. MOISÉS 22 1. 40 anos no palácio de Faraó; 2. 40 anos refugiado no deserto em Midiã; 3. 40 anos como guia de Israel pelo deserto. 4. Escreveu a primeira parte da Bíblia – o Pentateuco, quase o tamanho do NT inteiro; 5. Livrou da servidão os filhos de Israel, quase 3 milhões de pessoas; 6. Organizou o sistema de leis de Israel, uma jurisprudência que inspira leis até hoje;
  • 23. MOISÉS 23  Moisés cumpriu sua missão: 1. Conduziu o povo de Israel do Egito até as fronteiras da terra Prometida, mas não entraria nela; 2. Agora prepara-se para morrer e prepara o povo para entrar na terra 3. Numa série de discursos ele ensina a nova geração a aliança e a vontade de Deus;
  • 24. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 24  RECORDA ! Dt 1-4 • Em 11 dias Israel chegaria onde demorou 40 anos (Dt 1:2); • Incredulidade (Deus prometeu a Abraão a terra – Gn 17:8); • Convite à obediência (Dt 10:12); • Outra pessoa introduziria os israelitas em Canaã (Nm 20:12); • Não faltou o vigor para Moisés (Dt 34:7); • Nada faltou para o povo (Dt 2:7).  Nos 4 Livros do Pentateuco Deus escolhe o povo, agora, em Dt Deus deixa o povo escolhê-Lo
  • 25. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 25 1.26 FOSTES REBELDES AO MANDADO DO SENHOR. O povo de Israel deveria ter entrado na terra prometida, trinta e nove anos antes (vv. 2,3), mas por causa da sua incredulidade e recusa em fazer a vontade de Deus, sua entrada foi protelada (Nm 14.33,34).  Deixar de viver na vontade de Deus e de andar segundo o Espírito (Rm 8.12-15; Gl 5.16) pode resultar em atraso no plano de Deus para a nossa vida ou, até mesmo, a supressão total desse plano.  Devemos ter um santo receio e inquietação quanto a estar fora da vontade do Senhor e de ser privado da sua presença, graça e proteção em nossa vida
  • 26. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 26  1.35 NENHUM DOS HOMENS... VERÁ ESTA BOA TERRA.  Todos os israelitas que não quiseram entrar na terra prometida (ver a nota anterior; ver v. 26; Nm 14.4,26- 35) perderam o direito, a partir de então, de entrar naquela terra. A desobediência pode, muitas vezes, ser trágica, pois poderá resultar em perda irreversível de oportunidade, bem como em julgamento divino.
  • 27. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 27  1.36 PERSEVEROU EM SEGUIR AO SENHOR.  Note as bênçãos de Deus reservadas àqueles que "perseveram em seguir ao Senhor".  Deus pelejará por eles (v. 30), os levará, "como um homem leva seu filho" (v. 31), vai "adiante deles por todo o caminho" e mostra-lhes "o caminho por onde havíeis de andar" (v. 33).  Josué, também como Calebe, "perseverou em seguir ao Senhor“ (v. 38; Nm 14.30; 32.11,12).
  • 28. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 28  Moisés trás a lembrança do povo, os povos daquém do Jordão,entre os quais estavam os amonitas e moabitas, descendentes de Ló, contra os quais foi proibido guerrear por serem seus irmãos. Mesmo depois da recusa dos moabitas em permitir q eu os filhos de Israel passassem pelos seus termos, em obediência à orientação divina Israel tomou outro caminho, mais longe, que os lrevou a leste do Jordão.
  • 29. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 29  2.7 DEUS ESTEVE CONTIGO.  Os israelitas foram castigados por seus pecados de rebelião e de incredulidade (v. 15; 1.26-40), porém, Deus continuou, de certo modo, a ser com eles, por confessarem o seu pecado (1.45,46).  Deus continuará a abençoar e dirigir aqueles que se arrependem, apesar de seus fracassos e de se apartarem por algum tempo da vida de santidade segundo a lei de Deus.
  • 30. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 30  2.30 O SENHOR... ENDURECERA O SEU ESPÍRITO.  Trata-se aqui de Seom, rei de Hesbom.  Deus não endurece sem motivo o coração de ninguém (Hb 3.7-13).  Endureceu o coração de Seom porque este já voltara seu coração contra Deus e Israel (ver Êx 7.3 nota).
  • 31. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 31 3.22 O SENHOR... PELEJA POR VÓS. Os israelitas defrontavam-se com inimigos poderosos, aos quais não poderiam derrotar com suas próprias forças.  A tendência natural de Israel era temer as consequências pavorosas da derrota.  Sua única certeza da vitória seria mediante a confiança em Deus (ver vv. 2,3; 1.30; 2.24,25, 31,33,36; 20.4). Quando o crente dedicado se defronta com dificuldades parecendo insuperáveis, bem como oposição esmagadora, Deus promete estar com ele e lhe dar forças e poder para cumprir a sua vontade para com ele (ver Mt 6.30 nota; Fp 4.6,7 notas).
  • 32. O 1O DISCURSO DE MOISÉS: Olhe para trás 32  3.25 QUE ME DEIXES PASSAR.  Moisés desobedecera gravemente a Deus, sendo-lhe então dito que ele não entraria em Canaã (Nm 20.8-12). Mesmo assim, ele implorou a Deus, pedindo-lhe que revertesse a ordem e lhe permitisse atravessar o rio Jordão e entrar na terra prometida. Deus não o atendeu (v. 26), a fim de ensinar que o pecado de um líder espiritual tem graves consequências e incorrerá em juízo mais rigoroso (cf. Tg 3.1). O funesto (mortal) fracasso de um líder espiritual da igreja, como exemplo de obediência ao Senhor, pode impedi-lo de exercer certas áreas do ministério evangélico (cf. Nm 20.12; ver 20.8,12 notas).
  • 33. A ORAÇÃO DE MOISÉS NÃO FOI ATENDIDA 33  Deus lhe disse que não orasse mais pelo assunto,pois não seria atendido.  É uma das poucas orações recusadas por Deus relatada na Bíblia.  Ao invés de entrar na terra, Moisés recebeu de Deus a ordem de subir no monte Nebo (Pisga), contemplar a terra e morrer.  Nesse lugar Deus disse a Moisés
  • 34. A ORAÇÃO EFICAZ 34  A oração é uma comunicação multifacetada entre os crentes e o Senhor.  Além de palavras como “oração” e “orar”, essa atividade é descrita como invocar a Deus (Sl 17.6).  Invocar o nome do Senhor (Gn 4.26), clamar ao Senhor (Sl 3.4), levantar nossa alma ao Senhor (Sl 25.1), buscar ao Senhor (Is 55.6), aproximar-se do trono da graça com confiança (Hb 4.16) e chegar perto de Deus (Hb 10.22).
  • 35. MOTIVOS PARA A ORAÇÃO 35  A Bíblia apresenta motivos claros para o povo de Deus orar.  (1) Antes de tudo, Deus ordena que o crente ore. O mandamento para orarmos vem através dos : salmistas (1Cr 16.11; Sl 105.4), dos profetas (Is 55.6; Am 5.4,6), dos apóstolos (Ef 6.17,18; Cl 4.2; 1Ts 5.17) e do próprio Senhor Jesus (Mt 26.41; Lc 18.1; Jo 16.24).  Deus aspira a comunhão conosco; mediante a oração, mantemos o nosso relacionamento com Ele.
  • 36. MOTIVOS PARA A ORAÇÃO 36  (2) A oração é o elo de ligação que carecemos para recebermos as bênçãos de Deus, o seu poder e o cumprimento das suas promessas.  Numerosas passagens bíblicas ilustram esse princípio. Jesus, por exemplo, prometeu aos seus seguidores que receberiam o Espírito Santo se perseverassem em pedir, buscar e bater à porta do seu Pai celestial (Lc 11.5-13).  Por isso, depois da ascensão de Jesus, seus seguidores reunidos permaneceram em constante oração no cenáculo (At 1.14) até o Espírito Santo ser derramado com poder (At 1.8) no dia de Pentecostes (At 2.1-4).
  • 37. MOTIVOS PARA A ORAÇÃO 37  Quando os apóstolos se reuniram após serem libertos da prisão pelas autoridades judaicas, oraram fervorosamente para o Espírito Santo lhes conceder ousadia e autoridade divina para falarem a palavra dEle.  “E, tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo e anunciavam com ousadia a palavra de Deus” (At 4.31).  O apóstolo Paulo frequentemente pedia oração em seu próprio favor, sabendo que a sua obra não prosperaria se os crentes não orassem por ele (Rm 15.30-32; 2Co 1.11; Ef 6.18, 20; Fp 1.19; Cl 4.3,4.  Tiago declara inequivocamente que o crente pode receber a cura física em resposta à “oração da fé” (Tg 5.14,15).
  • 38. MOTIVOS PARA A ORAÇÃO 38  (3) Deus, no seu plano de salvação da humanidade, estabeleceu que os crentes sejam seus cooperadores no processo da redenção.  Em certo sentido, Deus se limita às orações santas, de fé e incessantes do seu povo.  Muitas coisas não serão realizadas no reino de Deus se não houver oração intercessora dos crentes (ver Êx 33.11 nota).
  • 39. MOTIVOS PARA A ORAÇÃO 39  Por exemplo:  Deus quer enviar obreiros para evangelizar.  Cristo ensina que tal obra não será levada a efeito dentro da plenitude do propósito de Deus sem as orações do seu povo: “Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara” (Mt 9.38).  Noutras palavras, o poder de Deus para cumprir muitos dos seus propósitos é liberado somente através das orações contritas do seu povo em favor do seu reino.  Se não orarmos, poderemos até mesmo estorvar a execução do propósito divino da redenção, tanto para nós mesmos, como indivíduos, quanto para a igreja coletivamente.
  • 40. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 40 Nossa oração para ser eficaz precisa satisfazer certos requisitos. (1) Nossas orações não serão atendidas se não tivermos fé genuína, verdadeira.  Jesus declarou abertamente: “Tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis” (Mc 11.24).  Ao pai de um menino endemoninhado, Ele falou assim: “Tudo é possível ao que crê” (Mc 9.23).  O autor de Hebreus admoesta-nos assim: “Cheguemo- nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé” (Hb 10.22), e Tiago encoraja-nos a pedir com fé, não duvidando (Tg 1.6; cf. 5.15).
  • 41. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 41  (2) Além disso, a oração deve ser feita em nome de Jesus.  O próprio Jesus expressou esse princípio ao dizer: “E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei” (Jo 14.13,14).  Nossas orações devem ser feitas em harmonia com a pessoa, caráter e vontade de nosso Senhor (ver Jo 14.13 nota).
  • 42. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 42  (3) A oração só poderá ser eficaz se feita segundo a perfeita vontade de Deus.  “E esta é a confiança que temos nele: que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve” (1Jo 5.14;).  Uma das petições da oração modelo de Jesus, o Pai Nosso, confirma esse fato: “Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu” (Mt 6.10; Lc 11.2; note a oração do próprio Jesus no Getsêmani, Mt 26.42).
  • 43. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 43 Em muitos casos, sabemos qual é a vontade de Deus, porque Ele no-la revelou na Bíblia.  Podemos ter certeza que será eficaz toda oração realmente baseada nas promessas de Deus constantes da sua Palavra.  Elias tinha certeza de que o Deus de Israel atenderia a sua oração por meio do fogo e, posteriormente, da chuva, porque recebera a palavra profética do Senhor (I Reis 18.1) e estava plenamente seguro de que nenhum deus pagão era maior do que o Senhor Deus de Israel, nem mais poderoso (I Reis18.21-24).
  • 44. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 44  (4) Não somente devemos orar segundo a vontade de Deus, mas também devemos estar dentro da vontade de Deus, para que Ele nos ouça e atenda.  Deus nos dará as coisas que pedimos, somente se buscarmos em primeiro lugar o seu reino e sua justiça (ver Mt 6.33 nota).  O apóstolo João declara que “qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos o que é agradável à sua vista” (1Jo 3.22 nota). Obedecer aos mandamentos de Deus, amá-lo e agradá-lo são condições prévias indispensáveis para termos resposta às orações. Tiago ao escrever que a oração do justo é eficaz, refere-se tanto à pessoa que foi justificada pela fé em Cristo, quanto à pessoa que está a viver uma vida reta, obediente e temente a Deus — tal qual o profeta Elias (Tg 5.16-18; Sl 34.13,14).
  • 45. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 45  O AT acentua este mesmo ensino.  Deus tornou claro que as orações de Moisés pelos israelitas eram eficazes por causa do seu relacionamento obediente com o Senhor e da sua lealdade a Ele (ver Êx 33.17 nota).  Por outro lado, o salmista declara que se abrigarmos o pecado em nossa vida, o Senhor não atenderá as nossas orações (Sl 66.18; ver Tg 4.5 nota). Eis a razão principal por que o Senhor não atendia as orações dos israelitas idólatras e ímpios (Is 1.15).
  • 46. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 46  Mas se o povo de Deus arrepender-se e voltar-se dos seus caminhos ímpios, o Senhor promete voltar a atendê-lo, perdoar seus pecados e sarar a sua terra (2Cr 7.14; cf. 6.36-39; Lc 18.14). Note que a oração do sumo sacerdote pelo perdão dos pecados dos israelitas no Dia da Expiação não seria atendida se antes o seu próprio estado pecaminoso não fosse purificado (ver Êx 26.33 nota;).
  • 47. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 47  (5) Finalmente, para uma oração eficaz, precisamos ser perseverantes.  É essa a lição principal da parábola da viúva importuna (Lc 18.1-7; ver 18.1 nota).  A instrução de Jesus: “Pedi... buscai... batei”, ensina a perseverança na oração (ver Mt 7.7,8 nota). O apóstolo Paulo também nos exorta à perseverança na oração (Cl 4.2 nota; 1Ts 5.17 nota).
  • 48. REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 48  Os santos do AT também reconheciam esse princípio.  Por exemplo, foi somente enquanto Moisés perseverava em oração com suas mãos erguidas a Deus, que os israelitas venciam na batalha contra os amalequitas (ver Êx 17.11 nota).  Depois de Elias receber a palavra profética de que ia chover, ele continuou em oração até a chuva começar a cair (18.41-45).  Numa ocasião anterior, esse grande profeta orou com insistência e fervor, para Deus devolver a vida ao filho morto da viúva de Sarepta, até que sua oração foi atendida (17.17-23)
  • 49. PRINCÍPIOS E MÉTODOS BÍBLICOS DA ORAÇÃO EFICAZ 49  (1) Quais são os princípios da oração eficaz?  (a) Para orarmos com eficácia, devemos louvar e adorar a Deus com sinceridade (Sl 150; At 2.47; Rm 15.11;.  (b) Intimamente ligada ao louvor, e de igual importância, vem a ação de graças a Deus (Sl 100.4; Mt 11.25,26; Fp 4.6).  (c) A confissão sincera de pecados conhecidos é vital à oração da fé (Tg 5.15,16; Sl 51; Lc 18.13; 1Jo 1.9).  (d) Deus também nos ensina a pedir de acordo com as nossas necessidades, segundo está escrito em Tiago: deixamos de receber as coisas de que precisamos, ou porque não pedimos, ou porque pedimos com motivos injustos (Tg 4.2,3; Sl 27.7-12; Mt 7.7-11; Fp 4.6).  (e) Devemos orar de coração pelos outros, especialmente oração intercessora (Nm 14.13-19; Sl 122.6-9; Lc 22.31,32; 23.34;).
  • 50. PRINCÍPIOS E MÉTODOS BÍBLICOS DA ORAÇÃO EFICAZ 50  (2) Como devemos orar?  Jesus acentua a sinceridade do nosso coração, pois não somos atendidos na oração simplesmente pelo nosso falar de modo vazio (Mt 6.7).  Podemos orar em silêncio (1Sm 1.13) ou em voz alta (Ne 9.4; Ez 11.13). Podemos orar com nossas próprias palavras, ou usando palavras diretas das Escrituras.  Podemos orar com a nossa mente, ou podemos orar através do Espírito (i.e., em línguas, 1Co 14.14-18).  Podemos até mesmo orar através de gemidos, i.e., sem usar qualquer palavra humana (Rm 8.26), sabendo que o Espírito levará a Deus esses pedidos inaudíveis.  Ainda outro método de orar é cantar ao Senhor (Sl 92.1,2; Ef 5.19,20; Cl 3.16).  A oração profunda ao Senhor será, às vezes, acompanhada de jejum (Ed 8.21; Ne 1.4; Dn 9.3,4; Lc 2.37; At 14.23; ver Mt 6.16 nota).
  • 51. PRINCÍPIOS E MÉTODOS BÍBLICOS DA ORAÇÃO EFICAZ 51  (3) Qual a posição apropriada, do corpo, na oração?  A Bíblia menciona pessoas orando :  em pé (8.22; Ne 9.4,5),  sentadas (1Cr 17.16; Lc 10.13),  ajoelhadas (Ed 9.5; Dn 6.10; At 20.36),  acamadas (Sl 63.6),  curvadas até o chão (Êx 34.8; Sl 95.6),  prostradas no chão (2Sm 12.16; Mt 26.39)  e de mãos levantadas aos céus (Sl 28.2; Is 1.15; 1Tm 2.8).
  • 52. EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ 52  A Bíblia está cheia de exemplos de orações que foram poderosas e eficazes.  (1) Moisés fez numerosas orações intercessórias às quais Deus atendeu, mesmo depois de Ele dizer a Moisés que ia proceder de outra maneira
  • 53. EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ 53  (2) Sansão, arrependido, orou pedindo uma última oportunidade de cumprir sua missão máxima de derrotar os filisteus; Deus atendeu essa oração ao lhe dar forças suficientes para derrubar as colunas do prédio onde os inimigos estavam exaltando o poder dos seus deuses (Jz 16.21-30).
  • 54. EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ 54  (3) Deus respondeu às orações de Elias em pelo menos quatro grandes ocasiões; em todas elas redundaram em glória ao Deus de Israel (17-18; Tg 5.17,18).
  • 55. EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ 55  (4) O rei Ezequias adoeceu e Isaías lhe declarou que morreria (2Rs 20.1; Is 38.1). Ezequias, reconhecendo que sua vida e obra estavam incompletas, virou o rosto para a parede e orou intensamente a Deus para que prolongasse sua vida.  Deus mandou Isaías retornar a Ezequias para garantir a cura e mais quinze anos de vida (2Rs 20.2-6; Is 38.2-6).
  • 56. EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ 56  (5) Não há dúvida de que Daniel orou ao Senhor na cova dos leões, pedindo para não ser devorado por eles, e Deus atendeu o seu pedido (Dn 6.10,16-22).
  • 57. EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ 57  (6) Os cristãos primitivos oraram incessantemente a Deus pela libertação de Pedro da prisão, e Deus enviou um anjo para libertá-lo (At 12.3-11; cf. 12.5 nota).  Tais exemplos devem fortalecer a nossa fé e encher- nos de disposição para orarmos de modo eficaz, segundo os princípios delineados na Bíblia.
  • 58. FIM DO PRIMEIRO DISCURSO 58  Concluindo seu primeiro discurso,Moisés exorta o povo à obediência incondicional a Deus e ratifica a importância das três cidades de refúgio, estabelecidas dalém do Jordão.
  • 59. FIM DO PRIMEIRO DISCURSO 59  Os filhos de Israel estavam no final de sua longa caminhada de 40 anos pelo deserto.  Estavam na planície a leste do Jordão, de onde se descortinava a terra que de tão longe tinham vindo para possuir. Estendia-se diante deles no esplendor da primavera. Mas o rio Jordão, na maior cheia do ano, parecia intransponível ,além do grande número de cidades fortificadas e grandemente armadas.
  • 60. FIM DO PRIMEIRO DISCURSO 60  Os israelitas eram como jovens estudantes, que tendo terminado seus estudos, tinham o dever de começar a por em prática tudo aquilo que aprenderam ao longo dos anos de estudo.
  • 61. 61

Notas do Editor

  1. Moabe – neto de ló, nascido do incesto com sua filha (Gn.19:30-37)