SlideShare uma empresa Scribd logo
1. TEODICÉIA
•O termo foi criado em 1710 pelo filósofo Alemão
Gottfried Leibniz
•O sofrimento é uma realidade tão presente entre
pessoas boas e ruins que foi preciso cunhar uma
expressão chamada Teodicéia, a qual analisa e justifica a
aparente discrepância entre bondade de Deus e a
maldade presente na existência humana.
•Segundo define Champlin, a palavra Teodicéia vem do
grego theos (Deus) + dike (justiça). No uso comum a
palavra designa a controvérsia sobre como podemos
reconciliar a existência do mal com a bondade e a
onipotência de Deus.
•Leibniz é citado pelo mesmo Champlin como aquele que
usou o termo pela primeira vez em 1710. Assim, a
Teodicéia é a “Teoria para justificar a bondade de Deus
em vista da existência de maldade no mundo”. Na
Teodicéia examinamos e exploramos argumentos que
justificam a conduta de Deus no mundo                   1
1.1- O PROBLEMA DO MAL: O
    mais sério obstáculo à fé cristã
•   No que consiste o problema do mal? Pode-se apresentar o problema do
    mal a partir da enorme dificuldade de se sustentar concomitantemente as
    quatro proposições seguintes:
     –   Deus existe;
     –   Deus é totalmente bondoso;
     –   Deus é todo-poderoso;
     –   O mal existe.
•   O problema do mal se baseia basicamente na impossibilidade de sustentar
    as três primeiras afirmativas sem ter que negar ao mesmo tempo a quarta
    afirmativa. Caso contrário conclui-se que:
     – Se Deus existe, deseja todo o bem e é poderoso o suficiente para conseguir
       tudo o que deseja; então não deveria haver mal.
     – Se Deus existe e deseja apenas o bem, mas o mal existe então Deus não
       consegue tudo o que deseja. Portanto ele não é Todo-poderoso.
     – Se Deus existe e é Todo-poderoso, se o mal também existe; então, Deus deseja
       que o mal exista. Portanto, ele não é totalmente bondoso.
     – Finalmente, se Deus significa um Ser que ao mesmo tempo é totalmente
       bondoso e Todo-poderoso, e ainda assim o mal existe; então Deus não existe.



                                                                                  2
1.2-A DIFÍCIL TAREFA DE COMPREENDER O MAL E
                 O SOFRIMENTO
•   Um Sumário de Três Concepções Teológicas e de Diferentes Cosmovisões
    Sobre o Tema

• Primeira Concepção: Deus Determina e
  Controla Todas as Fatalidades;
• Segunda Concepção: O mal e sofrimento são
  produzidos pela pessoa humana;
• Terceira Concepção: Teísmo aberto e Teologia
  do Processo.


                                                                       3
1.3-DEUS E A RELAÇÃO COM O MAL
• se o mal não é algo separado de Deus e ao mesmo
  tempo não pode proceder de Deus, então o que é? O
  problema pode ser exposto da seguinte forma:
   – Deus é o autor de tudo que existe;
   – O mal é algo que existe;
   – Portanto, Deus é o autor do mal.
• Rejeitar a primeira premissa leva indubitavelmente ao
  dualismo.
• Negar a segunda premissa leva a uma forma de
  panteísmo e ambas as concepções não são aceitas pelo
  teísmo clássico.
• Por outro lado, negar que Deus não criou todas as
  coisas é minar a sua soberania, porém afirmar que é o
  criador de tudo pode levar à conclusão que Deus é o
  autor do mal.                                         4
1.4- CAUSAS DO SOFRIMENTO
Nossa própria culpa;
Calamidades naturais;
Forças demoníacas;
Desejos maus ;
O próprio Deus?




                             5
2. O PROPÓSITO DIVINO
       ACERCA DO SOFRIMENTO
• Segundo LEWIS CHAFER o sofrimento pode ser:
   – PREVENTIVO ( 2Cor 12:1-10); cf. Rm 8:34;
   – CORRETIVO (Hb 12:3-15), pois tem como resultados possíveis
     tanto a santidade quanto o fruto pacífico da justiça (cf. também
     Jo 15:2; 1 Co 11:29-32; 1 Jo 5:16).
   – EDUCATIVO. Os cristãos podem ser ampliados em sua vida
     espiritual pelo sofrimento. Ainda que Filho, Cristo aprendeu a
     obediência pelas coisas que Ele sofreu (Hb 5:8).
• Contudo a Bíblia avança em alguns outros propósitos:
   –   Para pôr à prova o caráter, Jo 42:1-6; Rm 5:3-5;
   –   Para ajudar os outros em situações assemelhadas, II Cor 1:3-7;
   –   Para ensinar acerca da obediência, Hb 2:10,17,18; 5:8,9;
   –   Para provar o valor da fé, I Pedro 1.6-7;
   –   Para conduzir à dependência de Deus, II Co 12:7-10. ;
   –   Para a glória de Deus, Jo 9:1-3.


                                                                        6
2.1- UMA CONCLUSÃO QUASE
         CONCLUSIVA
• O maior sofredor que existiu: Jesus;
  – Em plena tragédia da Segunda Guerra
    Mundial, dizia Dietrich Bonhoeffer: “somente
    um Deus que sofre pode nos ajudar”
• O céu como parte da resposta;
• A cabana em chamas e a borboleta.



                                                   7

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Argumento_ontológico_Descartes
Argumento_ontológico_DescartesArgumento_ontológico_Descartes
Argumento_ontológico_Descartes
Isabel Moura
 
David Hume
David HumeDavid Hume
Apelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorânciaApelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorância
Luis De Sousa Rodrigues
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Maria Freitas
 
Cógito cartesiano de Descartes
Cógito cartesiano de DescartesCógito cartesiano de Descartes
Cógito cartesiano de Descartes
Joana Filipa Rodrigues
 
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
António Daniel
 
Descartes
DescartesDescartes
Descartes
Isabel Oliveira
 
Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin)
Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin) Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin)
Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin)
Jerbialdo
 
Trabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimentoTrabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimento
João Bastos
 
Objeções_Hume
Objeções_HumeObjeções_Hume
Objeções_Hume
Isabel Moura
 
Sera que deus existe pp bruno josé fernando
Sera que deus existe pp bruno josé fernandoSera que deus existe pp bruno josé fernando
Sera que deus existe pp bruno josé fernando
Helena Serrão
 
Santo Agostinho
Santo AgostinhoSanto Agostinho
Santo Agostinho
Elisama Lopes
 
Apresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deusApresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deus
paulomanesantos
 
O racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesianoO racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesiano
Joaquim Melro
 
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e TeleológicoMódulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Bernardo Motta
 
Princípios da Filosofia de Descartes
 Princípios da Filosofia de Descartes Princípios da Filosofia de Descartes
Princípios da Filosofia de Descartes
martinho_nuno
 
Ceticismo slides
Ceticismo slidesCeticismo slides
Ceticismo slides
Alexandre Misturini
 
Apresentação provas da existência de Deus
Apresentação provas da existência de DeusApresentação provas da existência de Deus
Apresentação provas da existência de Deus
paulomanesantos
 
Santo Agostinho e a Folosofia
Santo Agostinho e a FolosofiaSanto Agostinho e a Folosofia
Santo Agostinho e a Folosofia
André Barrozo
 
Projeto-Fundamentação_Saber_Descartes
Projeto-Fundamentação_Saber_DescartesProjeto-Fundamentação_Saber_Descartes
Projeto-Fundamentação_Saber_Descartes
Isabel Moura
 

Mais procurados (20)

Argumento_ontológico_Descartes
Argumento_ontológico_DescartesArgumento_ontológico_Descartes
Argumento_ontológico_Descartes
 
David Hume
David HumeDavid Hume
David Hume
 
Apelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorânciaApelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorância
 
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
Objetivos Teste de Filosofia Nº1 (10ºAno)
 
Cógito cartesiano de Descartes
Cógito cartesiano de DescartesCógito cartesiano de Descartes
Cógito cartesiano de Descartes
 
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
 
Descartes
DescartesDescartes
Descartes
 
Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin)
Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin) Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin)
Ensaios sobre Ateísmo (Michael Martin)
 
Trabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimentoTrabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimento
 
Objeções_Hume
Objeções_HumeObjeções_Hume
Objeções_Hume
 
Sera que deus existe pp bruno josé fernando
Sera que deus existe pp bruno josé fernandoSera que deus existe pp bruno josé fernando
Sera que deus existe pp bruno josé fernando
 
Santo Agostinho
Santo AgostinhoSanto Agostinho
Santo Agostinho
 
Apresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deusApresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deus
 
O racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesianoO racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesiano
 
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e TeleológicoMódulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
 
Princípios da Filosofia de Descartes
 Princípios da Filosofia de Descartes Princípios da Filosofia de Descartes
Princípios da Filosofia de Descartes
 
Ceticismo slides
Ceticismo slidesCeticismo slides
Ceticismo slides
 
Apresentação provas da existência de Deus
Apresentação provas da existência de DeusApresentação provas da existência de Deus
Apresentação provas da existência de Deus
 
Santo Agostinho e a Folosofia
Santo Agostinho e a FolosofiaSanto Agostinho e a Folosofia
Santo Agostinho e a Folosofia
 
Projeto-Fundamentação_Saber_Descartes
Projeto-Fundamentação_Saber_DescartesProjeto-Fundamentação_Saber_Descartes
Projeto-Fundamentação_Saber_Descartes
 

Destaque

Pequena historia da igreja
Pequena historia da igrejaPequena historia da igreja
Pequena historia da igreja
Servo33
 
O Mal e suas implicações
O Mal e suas implicaçõesO Mal e suas implicações
O Mal e suas implicações
Filipe
 
Teodicéia - Ordem e Caos
Teodicéia - Ordem e CaosTeodicéia - Ordem e Caos
Teodicéia - Ordem e Caos
Felipe de Luca
 
Bacharel em teologia
Bacharel em teologiaBacharel em teologia
Bacharel em teologia
Gcom digital factory
 
do Teocentrismo ao Antropocentrismo
do Teocentrismo ao Antropocentrismodo Teocentrismo ao Antropocentrismo
do Teocentrismo ao Antropocentrismo
Larissa Barreis
 
Estudo 3 - Hamartiologia
Estudo 3 - HamartiologiaEstudo 3 - Hamartiologia
Estudo 3 - Hamartiologia
Correios
 
Hamartiologia
HamartiologiaHamartiologia
Hamartiologia
Vilmar Nascimento
 
A Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da IgrejaA Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da Igreja
Robson Tavares Fernandes
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Isagoge do Antigo Testamento
Isagoge do Antigo TestamentoIsagoge do Antigo Testamento
Isagoge do Antigo Testamento
Otavio Dettmann Schrock
 
Deus procura os_que
Deus procura os_queDeus procura os_que
Deus procura os_que
bilibiowebsite
 
7 pneumatologia
7   pneumatologia7   pneumatologia
7 pneumatologia
Vívian Nascimento
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
capriello
 
Teofanias y Cristofanias
Teofanias y CristofaniasTeofanias y Cristofanias
Teofanias y Cristofanias
antso
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Dangelo Nascimento
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Viva a Igreja
 
Paracletologia
ParacletologiaParacletologia
Paracletologia
Feitosa Lima
 
106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1
106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1
106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1
Robson Tavares Fernandes
 
140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1
140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1
140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1
Robson Tavares Fernandes
 
Teocentrismo
TeocentrismoTeocentrismo
Teocentrismo
LariRodrigues
 

Destaque (20)

Pequena historia da igreja
Pequena historia da igrejaPequena historia da igreja
Pequena historia da igreja
 
O Mal e suas implicações
O Mal e suas implicaçõesO Mal e suas implicações
O Mal e suas implicações
 
Teodicéia - Ordem e Caos
Teodicéia - Ordem e CaosTeodicéia - Ordem e Caos
Teodicéia - Ordem e Caos
 
Bacharel em teologia
Bacharel em teologiaBacharel em teologia
Bacharel em teologia
 
do Teocentrismo ao Antropocentrismo
do Teocentrismo ao Antropocentrismodo Teocentrismo ao Antropocentrismo
do Teocentrismo ao Antropocentrismo
 
Estudo 3 - Hamartiologia
Estudo 3 - HamartiologiaEstudo 3 - Hamartiologia
Estudo 3 - Hamartiologia
 
Hamartiologia
HamartiologiaHamartiologia
Hamartiologia
 
A Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da IgrejaA Teologia e sua relação com a vida da Igreja
A Teologia e sua relação com a vida da Igreja
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
 
Isagoge do Antigo Testamento
Isagoge do Antigo TestamentoIsagoge do Antigo Testamento
Isagoge do Antigo Testamento
 
Deus procura os_que
Deus procura os_queDeus procura os_que
Deus procura os_que
 
7 pneumatologia
7   pneumatologia7   pneumatologia
7 pneumatologia
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
 
Teofanias y Cristofanias
Teofanias y CristofaniasTeofanias y Cristofanias
Teofanias y Cristofanias
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
 
Paracletologia
ParacletologiaParacletologia
Paracletologia
 
106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1
106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1
106 estudo panoramico-da_biblia-introducao_ao_novo_testamento-parte_1
 
140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1
140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1
140 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_1
 
Teocentrismo
TeocentrismoTeocentrismo
Teocentrismo
 

Semelhante a Teodicéia e teologia do AT

O problema do mal texto de rachels em problemas da filosofia
O problema do mal   texto de rachels em problemas da filosofiaO problema do mal   texto de rachels em problemas da filosofia
O problema do mal texto de rachels em problemas da filosofia
Luis De Sousa Rodrigues
 
PECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxPECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptx
SouzaRoberto
 
PECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxPECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptx
Francisco Almoxarifado
 
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptxLição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
Joel Silva
 
Jovens25 lição07
Jovens25   lição07Jovens25   lição07
Jovens25 lição07
ipbjn
 
Estudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismoEstudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismo
Paulo Dias Nogueira
 
A soberania de deus sobre o mal david mathis. (1)
A soberania de deus sobre o mal   david mathis. (1)A soberania de deus sobre o mal   david mathis. (1)
A soberania de deus sobre o mal david mathis. (1)
JaneEyreFernandes
 
Lição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentiosLição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentios
Natalino das Neves Neves
 
Ebd série - lição -02 - 2º-trimestre 2016
Ebd   série - lição -02 - 2º-trimestre 2016Ebd   série - lição -02 - 2º-trimestre 2016
Ebd série - lição -02 - 2º-trimestre 2016
Joel Silva
 
Ebd lições séries 02 - 2º trimestre 2016
Ebd   lições séries 02 - 2º trimestre 2016Ebd   lições séries 02 - 2º trimestre 2016
Ebd lições séries 02 - 2º trimestre 2016
Joel Silva
 
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANAO PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
Sandra Dias
 
Voce pode vencer a
Voce pode vencer aVoce pode vencer a
Voce pode vencer a
Mensagens Virtuais
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
Marcianno Teofilo
 
5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aula
Monergista Post
 
5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aula
Joel Silva
 
INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r ...
INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r  ...INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r  ...
INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r ...
ConservoConstrues
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
Isaias Christal
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 083º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 08
Joel Silva
 
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Santidade x pecado
Santidade x pecadoSantidade x pecado
Santidade x pecado
Edmilson Fernandes
 

Semelhante a Teodicéia e teologia do AT (20)

O problema do mal texto de rachels em problemas da filosofia
O problema do mal   texto de rachels em problemas da filosofiaO problema do mal   texto de rachels em problemas da filosofia
O problema do mal texto de rachels em problemas da filosofia
 
PECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxPECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptx
 
PECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxPECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptx
 
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptxLição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
 
Jovens25 lição07
Jovens25   lição07Jovens25   lição07
Jovens25 lição07
 
Estudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismoEstudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismo
 
A soberania de deus sobre o mal david mathis. (1)
A soberania de deus sobre o mal   david mathis. (1)A soberania de deus sobre o mal   david mathis. (1)
A soberania de deus sobre o mal david mathis. (1)
 
Lição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentiosLição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentios
 
Ebd série - lição -02 - 2º-trimestre 2016
Ebd   série - lição -02 - 2º-trimestre 2016Ebd   série - lição -02 - 2º-trimestre 2016
Ebd série - lição -02 - 2º-trimestre 2016
 
Ebd lições séries 02 - 2º trimestre 2016
Ebd   lições séries 02 - 2º trimestre 2016Ebd   lições séries 02 - 2º trimestre 2016
Ebd lições séries 02 - 2º trimestre 2016
 
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANAO PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
 
Voce pode vencer a
Voce pode vencer aVoce pode vencer a
Voce pode vencer a
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aula
 
5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aula
 
INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r ...
INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r  ...INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r  ...
INTRODUÇÃO a harmatiologia.pptx nnnm nnnmn mnnnmn mmnm mnnnmn ffff errr r r ...
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 083º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 08
 
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
 
Santidade x pecado
Santidade x pecadoSantidade x pecado
Santidade x pecado
 

Mais de Gcom digital factory

Eleição - João Calvino
Eleição - João CalvinoEleição - João Calvino
Eleição - João Calvino
Gcom digital factory
 
Novo Mapa das Religiões no Brasil
Novo Mapa das Religiões no BrasilNovo Mapa das Religiões no Brasil
Novo Mapa das Religiões no Brasil
Gcom digital factory
 
Doutrina da palavra
Doutrina da palavraDoutrina da palavra
Doutrina da palavra
Gcom digital factory
 
Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
Gcom digital factory
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
Gcom digital factory
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
Gcom digital factory
 
Teologia sistemática, introdução
Teologia sistemática, introduçãoTeologia sistemática, introdução
Teologia sistemática, introdução
Gcom digital factory
 
Teologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologiaTeologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologia
Gcom digital factory
 
Como ler o antigo testamento
Como ler o antigo testamentoComo ler o antigo testamento
Como ler o antigo testamento
Gcom digital factory
 
Teo at 3 credo historico
Teo at 3   credo historicoTeo at 3   credo historico
Teo at 3 credo historico
Gcom digital factory
 
Deus no antigo testamento
Deus no antigo testamentoDeus no antigo testamento
Deus no antigo testamento
Gcom digital factory
 
Teologia do antigo testamento p1
Teologia do antigo testamento p1Teologia do antigo testamento p1
Teologia do antigo testamento p1
Gcom digital factory
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
Gcom digital factory
 
O problema do mal
O problema do malO problema do mal
O problema do mal
Gcom digital factory
 
Liberalismo Teológico
Liberalismo TeológicoLiberalismo Teológico
Liberalismo Teológico
Gcom digital factory
 
Teologia Contemporânea
Teologia ContemporâneaTeologia Contemporânea
Teologia Contemporânea
Gcom digital factory
 
Revista contemporanea
Revista contemporaneaRevista contemporanea
Revista contemporanea
Gcom digital factory
 
Teologia gay
Teologia gayTeologia gay
Teologia gay
Gcom digital factory
 
Teologia da prosperidade
Teologia da prosperidadeTeologia da prosperidade
Teologia da prosperidade
Gcom digital factory
 

Mais de Gcom digital factory (20)

Eleição - João Calvino
Eleição - João CalvinoEleição - João Calvino
Eleição - João Calvino
 
face to face
face to faceface to face
face to face
 
Novo Mapa das Religiões no Brasil
Novo Mapa das Religiões no BrasilNovo Mapa das Religiões no Brasil
Novo Mapa das Religiões no Brasil
 
Doutrina da palavra
Doutrina da palavraDoutrina da palavra
Doutrina da palavra
 
Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
 
Teologia sistemática, introdução
Teologia sistemática, introduçãoTeologia sistemática, introdução
Teologia sistemática, introdução
 
Teologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologiaTeologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologia
 
Como ler o antigo testamento
Como ler o antigo testamentoComo ler o antigo testamento
Como ler o antigo testamento
 
Teo at 3 credo historico
Teo at 3   credo historicoTeo at 3   credo historico
Teo at 3 credo historico
 
Deus no antigo testamento
Deus no antigo testamentoDeus no antigo testamento
Deus no antigo testamento
 
Teologia do antigo testamento p1
Teologia do antigo testamento p1Teologia do antigo testamento p1
Teologia do antigo testamento p1
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
O problema do mal
O problema do malO problema do mal
O problema do mal
 
Liberalismo Teológico
Liberalismo TeológicoLiberalismo Teológico
Liberalismo Teológico
 
Teologia Contemporânea
Teologia ContemporâneaTeologia Contemporânea
Teologia Contemporânea
 
Revista contemporanea
Revista contemporaneaRevista contemporanea
Revista contemporanea
 
Teologia gay
Teologia gayTeologia gay
Teologia gay
 
Teologia da prosperidade
Teologia da prosperidadeTeologia da prosperidade
Teologia da prosperidade
 

Último

14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 

Último (14)

14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 

Teodicéia e teologia do AT

  • 1. 1. TEODICÉIA •O termo foi criado em 1710 pelo filósofo Alemão Gottfried Leibniz •O sofrimento é uma realidade tão presente entre pessoas boas e ruins que foi preciso cunhar uma expressão chamada Teodicéia, a qual analisa e justifica a aparente discrepância entre bondade de Deus e a maldade presente na existência humana. •Segundo define Champlin, a palavra Teodicéia vem do grego theos (Deus) + dike (justiça). No uso comum a palavra designa a controvérsia sobre como podemos reconciliar a existência do mal com a bondade e a onipotência de Deus. •Leibniz é citado pelo mesmo Champlin como aquele que usou o termo pela primeira vez em 1710. Assim, a Teodicéia é a “Teoria para justificar a bondade de Deus em vista da existência de maldade no mundo”. Na Teodicéia examinamos e exploramos argumentos que justificam a conduta de Deus no mundo 1
  • 2. 1.1- O PROBLEMA DO MAL: O mais sério obstáculo à fé cristã • No que consiste o problema do mal? Pode-se apresentar o problema do mal a partir da enorme dificuldade de se sustentar concomitantemente as quatro proposições seguintes: – Deus existe; – Deus é totalmente bondoso; – Deus é todo-poderoso; – O mal existe. • O problema do mal se baseia basicamente na impossibilidade de sustentar as três primeiras afirmativas sem ter que negar ao mesmo tempo a quarta afirmativa. Caso contrário conclui-se que: – Se Deus existe, deseja todo o bem e é poderoso o suficiente para conseguir tudo o que deseja; então não deveria haver mal. – Se Deus existe e deseja apenas o bem, mas o mal existe então Deus não consegue tudo o que deseja. Portanto ele não é Todo-poderoso. – Se Deus existe e é Todo-poderoso, se o mal também existe; então, Deus deseja que o mal exista. Portanto, ele não é totalmente bondoso. – Finalmente, se Deus significa um Ser que ao mesmo tempo é totalmente bondoso e Todo-poderoso, e ainda assim o mal existe; então Deus não existe. 2
  • 3. 1.2-A DIFÍCIL TAREFA DE COMPREENDER O MAL E O SOFRIMENTO • Um Sumário de Três Concepções Teológicas e de Diferentes Cosmovisões Sobre o Tema • Primeira Concepção: Deus Determina e Controla Todas as Fatalidades; • Segunda Concepção: O mal e sofrimento são produzidos pela pessoa humana; • Terceira Concepção: Teísmo aberto e Teologia do Processo. 3
  • 4. 1.3-DEUS E A RELAÇÃO COM O MAL • se o mal não é algo separado de Deus e ao mesmo tempo não pode proceder de Deus, então o que é? O problema pode ser exposto da seguinte forma: – Deus é o autor de tudo que existe; – O mal é algo que existe; – Portanto, Deus é o autor do mal. • Rejeitar a primeira premissa leva indubitavelmente ao dualismo. • Negar a segunda premissa leva a uma forma de panteísmo e ambas as concepções não são aceitas pelo teísmo clássico. • Por outro lado, negar que Deus não criou todas as coisas é minar a sua soberania, porém afirmar que é o criador de tudo pode levar à conclusão que Deus é o autor do mal. 4
  • 5. 1.4- CAUSAS DO SOFRIMENTO Nossa própria culpa; Calamidades naturais; Forças demoníacas; Desejos maus ; O próprio Deus? 5
  • 6. 2. O PROPÓSITO DIVINO ACERCA DO SOFRIMENTO • Segundo LEWIS CHAFER o sofrimento pode ser: – PREVENTIVO ( 2Cor 12:1-10); cf. Rm 8:34; – CORRETIVO (Hb 12:3-15), pois tem como resultados possíveis tanto a santidade quanto o fruto pacífico da justiça (cf. também Jo 15:2; 1 Co 11:29-32; 1 Jo 5:16). – EDUCATIVO. Os cristãos podem ser ampliados em sua vida espiritual pelo sofrimento. Ainda que Filho, Cristo aprendeu a obediência pelas coisas que Ele sofreu (Hb 5:8). • Contudo a Bíblia avança em alguns outros propósitos: – Para pôr à prova o caráter, Jo 42:1-6; Rm 5:3-5; – Para ajudar os outros em situações assemelhadas, II Cor 1:3-7; – Para ensinar acerca da obediência, Hb 2:10,17,18; 5:8,9; – Para provar o valor da fé, I Pedro 1.6-7; – Para conduzir à dependência de Deus, II Co 12:7-10. ; – Para a glória de Deus, Jo 9:1-3. 6
  • 7. 2.1- UMA CONCLUSÃO QUASE CONCLUSIVA • O maior sofredor que existiu: Jesus; – Em plena tragédia da Segunda Guerra Mundial, dizia Dietrich Bonhoeffer: “somente um Deus que sofre pode nos ajudar” • O céu como parte da resposta; • A cabana em chamas e a borboleta. 7