SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIA DA IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL
Introdução
Devido ao fato de estarmos estudando a história da Igreja de Cristo, e sabedores de que a partir do movimento
da Reforma Protestante surgiram várias linhas de pensamento evangélicas, as quais resultaram em várias
denominações, chega a o momento de conhecermos a história de nossa própria denominação.
Há muitos que não se interessam em conhecer a história de sua própria igreja, mas esta atitude não é benéfica,
pois torna os membros da igreja ignorantes quanto à sua própria origem. Além disto, é importante observarmos porque
cremos em determinadas doutrinas, determinado modo de cultuar e determinada forma de governo.
Origem do Presbiterianismo
Como vimos anteriormente em outra lição, a Reforma foi iniciada na Alemanha pelas mãos de Martinho Lutero
em 1517. Contudo, depois que a Reforma foi iniciada outros movimentos surgiram como os anabatistas, os reformados,
e a igreja anglicana na Inglaterra. Com respeito ao nosso assunto, que é o nascimento e origem da Igreja Presbiteriana
do Brasil, nós temos que nos deter ao movimento reformado. Nosso início se deu na Europa, mas caminhou
paulatinamente aqui ser instalada aqui no Brasil:
Os seguidores do movimento iniciado por Zwinglio e estruturado por Calvino se espalharam
imediatamente por toda a Europa. Na França eles eram chamados de huguenotes; na Inglaterra,
puritanos; na Suíça e Países Baixos, reformados; na Escócia, presbiterianos.1
O nome “presbiteriano” tem a ver com a forma de governo adotada. As igrejas presbiterianas são regidas por
presbíteros, os quais formam os concílios que regem as igrejas. As igrejas reformadas não possuíam um nome
designativo de início, somente depois começou a ser denominada deste modo.
Implantação no Brasil
Bom, depois de alcançar vários países na Europa as igrejas reformadas continuaram se estendendo. Um dos
países para o qual acabaram chegando foi o Brasil. Na verdade chegaram aqui bem cedo, num período bem próximo ao
início da Reforma. Contudo, só veio a conseguir êxito mais tarde.
Primeiramente os reformados apareceram no cenário brasileiro no final de 1555, através de um grupo de
franceses cujo líder era chamado Nicolas Durand de Villegaignon. Eles se fixaram em uma das ilhas da baía de
Guanabara. Todavia, este grupo de franceses não conseguiu estabelecer o presbiterianismo no país.
A segunda investida de calvinistas aqui se deu em meados do século XVII por meio dos holandeses. Eles
ficaram aqui por um bom tempo. Todavia, quando os holandeses foram expulsos, as igrejas que foram formadas não
permaneceram, vindo a desaparecer.
O calvinismo só conseguiu ser firmado aqui no Brasil no século XIX, por meio das mãos de um americano.
Podemos resumir a história de implantação do presbiterianismo no Brasil da seguinte forma:
O presbiterianismo foi levado da Escócia para a Inglaterra; de lá, para os Estados Unidos da América. Em 1726 teve
início um despertamento espiritual, nos Estados Unidos. Este despertamento levou os presbiterianos a se
interessarem por missões estrangeiras. Missionários foram enviados para vários países, inclusive para o Brasil. No
dia 12 de agosto de 1859 chegou ao nosso país o primeiro missionário presbiteriano: Ashbel Green Simonton.2
Apesar de ter morrido aos 34 anos por causa de febre amarela (1867), Ashbel Simonton juntamente com outros
colegas, conseguiu a formação de um periódico evangélico (Imprensa Evangélica, 1864), criar o Presbitério do Rio de
Janeiro (1865) e organizar um seminário (1867).
Organização da IPB
Evidentemente, depois que a Igreja Presbiteriana foi fundada e finalmente se estabeleceu aqui no Brasil, seu
crescimento foi inevitável. Em primeira instância só havia algumas igrejas as quais estavam sob a guarda da igreja-mãe
dos Estados Unidos (Igreja Presbiteriana do norte dos Estados Unidos - PCUSA). Depois de anos de desenvolvimento,
é que finalmente vemos a igreja se separara de sua fundadora. A formação e desenvolvimento do governo conciliar da
1
NASCIMENTO, Adão Carlos. Curso para Catecúmenos. Santa Bárbara D’Oeste, SOCEP, 1993, p 65.
2
Ibid. p 65.
IPB pode ser observada em três períodos: formação de um Presbitério, formação de um Sínodo e formação da
Assembléia Geral:
1. A formação do primeiro Presbitério se deu com três igrejas (Rio, São Paulo e Brotas), ocorrido em 16 de
dezembro de 1865;
2. O Sínodo teve existência em setembro de 1888, composta de três Presbitérios (Rio de Janeiro, Campinas-Oeste
de Minas e Pernambuco). Nesta ocasião houve o desligamento das igrejas-mãe dos Estados Unidos;
3. Aos 7 de janeiro de 1910 foi formada a Assembléia Geral da igreja.
Igualmente relacionado com o governo da IPB está o Manual Presbiteriano. A nova Constituição que
possuímos hoje foi formulada em 1950, e no ano seguinte foi a vez do Código de Disciplina e os Princípios de Liturgia.
Crenças da IPB
Nossa Igreja possui suas crenças peculiares assim como qualquer outra denominação evangélica, bem como
possuímos nossas características litúrgicas, forma de administração. Abaixo estão descritas um pequeno resumo das
características principais da IPB:
1.- A Bíblia tem sempre a palavra final. Ela é nossa única regra de fé e prática;
2.- Nossas doutrinas fundamentais seguem os ensinos declarados na Confissão de Fé de Westminster, e seus
Catecismos Maior e Breve;
3.- Nosso governo é realizado através de presbíteros (forma presbiteriana ou representativa);
4.- Não temos hierarquia de presbíteros;
5.- Temos uma constituição pela qual nos conduzimos administrativamente (Manual Presbiteriano);
6.- Cremos nas doutrinas cardeais da Reforma: Sola Scriptura, Sola Gracia, Sola Fide, Solus Christus, e Soli deo
Gloria;
7.- Nossa forma de batismo é aspersão. E somos adeptos do pedobatismo;
8.- Nossa liturgia segue o “princípio regulador do culto”.3
Denominações Presbiterianas do Brasil
A IPB é a mais antiga denominação presbiteriana no Brasil. Contudo, não existe somente a IPB, há também
outras igrejas presbiterianas as quais passamos a listar abaixo com uma breve explicação sobre cada uma delas:
1. Igreja Presbiteriana Independente do Brasil: “Surgiu em 1903 como uma denominação totalmente nacional, sem
vinculação com igrejas estrangeiras. Resultou do projeto nacionalista do Rev. Eduardo Carlos Pereira (1856-1923), que
entrou em conflito com o Sínodo da IPB em torno das questões missionária, educacional e maçônica.”4
2. Igreja Presbiteriana Conservadora: “A Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil surgiu em 11 de Fevereiro de
1940 quando, após dois anos de debates e discussões internas sobre questões doutrinárias, a 2ª Igreja Presbiteriana
Independente de São Paulo desligou-se da federação eclesiástica a que pertencia para tornar-se Igreja Presbiteriana
Conservadora de São Paulo.”5
3. Igreja Presbiteriana Fundamentalista: “Na década de 1950, Israel Furtado Gueiros, pastor da histórica 1ª Igreja
Presbiteriana de Recife (1878) e ligado ao Concílio Internacional de Igrejas Cristãs, fundado por Carl McIntire, liderou
uma campanha contra o Seminário do Norte sob a acusação de modernismo. Gueiros fundou outro seminário e foi
deposto pelo Presbitério de Pernambuco em julho de 1956. Em 21 de setembro do mesmo ano foi organizada a IPFB
com quatro igrejas locais (incluindo elementos batistas e congregacionais), que formaram um presbitério com 1800
membros.”6
4. Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil: “Em 1968, como resultado do "movimento de renovação" na IPB,
surgiu em Cianorte, no Paraná, a Igreja Cristã Presbiteriana. Em 1972, um segmento separou-se da IPI para formar a
3
Pontos organizados a partir do texto de Pr. Ronaldo Bezerra de Oliveira e Souza. Fonte:
http://www.ipb.org.br/tira_duvidas/mostra_duvidas.php3?id=1850. Acessado em 14.07.09.
4
MATOS, Alderi Souza de. Denominações Presbiterianas no Brasil. Fonte: http://www.mackenzie.br/10175.html. Acessado em 22.01.2011.
5
Fonte: http://www.ipcb.org.br/historia.html Acessado em 22.01.2011.
6
MATOS, Alderi Souza de. Denominações Presbiterianas no Brasil. Fonte: http://www.mackenzie.br/10175.html. Acessado em 22.01.2011.
Igreja Presbiteriana Independente Renovada, em Assis, São Paulo. Em 1975, os dois grupos se uniram, criando a Igreja
Presbiteriana Renovada do Brasil.”7
5. Igreja Presbiteriana Unida do Brasil: “Foi fundada por elementos que discordaram da postura conservadora da
IPB durante a administração do Rev. Boanerges Ribeiro (1966-1978). Surgiram dois grupos dissidentes. Em 1974,
membros do Presbitério de São Paulo criaram a Aliança de Igrejas Reformadas. Em 1978, foi criada a Federação
Nacional de Igrejas Presbiterianas (FENIP), em Atibaia. Em 1983, na cidade de Vitória, a FENIP adotou o nome de
Igreja Presbiteriana Unida do Brasil. Essa igreja adota uma postura teológica liberal e pluralista.”8
7
MATOS, Alderi Souza de. Denominações Presbiterianas no Brasil. Fonte: http://www.mackenzie.br/10175.html. Acessado em 22.01.2011.
8
Ibid.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Seitas e Heresias
Seitas e HeresiasSeitas e Heresias
Seitas e Heresias
Ricardo Gondim
 
A Revelação e a Missão de Deus.pdf
A Revelação e a Missão de Deus.pdfA Revelação e a Missão de Deus.pdf
A Revelação e a Missão de Deus.pdf
EnioSilva20
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
Antonio Rodrigues
 
17 periodo da vida de jesus
17  periodo da vida de jesus17  periodo da vida de jesus
17 periodo da vida de jesus
Pib Penha
 
Palestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblicaPalestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblica
ADMILTON SOARES
 
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
Transição e Implantação de Células nas IgrejasTransição e Implantação de Células nas Igrejas
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
Edinéia Almeida
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
Eid Marques
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
Taciano Cassimiro Cassimiro
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Éder Tomé
 
Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
Eriovaldo Santin
 
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
fogotv
 
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptxLição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e OfertasLição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
Éder Tomé
 
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptxSlides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
Hugo Machado
 
A Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A ConversãoA Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A Conversão
Jonathan Anderson
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
Márcio Martins
 

Mais procurados (20)

Seitas e Heresias
Seitas e HeresiasSeitas e Heresias
Seitas e Heresias
 
A Revelação e a Missão de Deus.pdf
A Revelação e a Missão de Deus.pdfA Revelação e a Missão de Deus.pdf
A Revelação e a Missão de Deus.pdf
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
 
17 periodo da vida de jesus
17  periodo da vida de jesus17  periodo da vida de jesus
17 periodo da vida de jesus
 
Palestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblicaPalestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblica
 
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
Transição e Implantação de Células nas IgrejasTransição e Implantação de Células nas Igrejas
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
 
Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Culto e Liturgia
 
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
 
Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Teologia do Pacto
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
 
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptxLição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
 
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e OfertasLição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
 
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptxSlides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
 
A Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A ConversãoA Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A Conversão
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
 

Destaque

A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no BrasilA História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
Jocarli Junior
 
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
Joao Franca
 
O que significa ser presbiteriano
O que significa ser presbiterianoO que significa ser presbiteriano
O que significa ser presbiteriano
IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE RICHMOND, CA
 
Introdução à Constituição da IPB
Introdução à Constituição da IPBIntrodução à Constituição da IPB
Introdução à Constituição da IPB
efandrades
 
Os 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do CalvinismoOs 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do Calvinismo
prmaycon
 
50 anos - SAF IPVG
50 anos - SAF IPVG50 anos - SAF IPVG
50 anos - SAF IPVG
Felipe Cangussu
 
Ipb
IpbIpb
Uma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igreja
Uma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igrejaUma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igreja
Uma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igreja
ETENAC - Escola Teológica Nova Aliança em Cristo
 
Para Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo Anglada
Para Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo AngladaPara Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo Anglada
Para Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo Anglada
Hilton da Silva
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
Sle & saf
Sle & safSle & saf
Sle & saf
pauloalambert
 
Projeto do templo evangélico
Projeto do templo evangélicoProjeto do templo evangélico
Projeto do templo evangélico
Lourenil Ferreira
 
Em que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianosEm que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianos
IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE RICHMOND, CA
 
Missiologia
MissiologiaMissiologia
Missiologia
Hebert Balieiro
 
Eclesiologia igreja
Eclesiologia   igrejaEclesiologia   igreja
Eclesiologia igreja
Zé Vitor Rabelo
 
Projeto Igreja
Projeto IgrejaProjeto Igreja
Projeto Igreja
Maricollaneri
 
Sacramentos e batismo
Sacramentos e batismoSacramentos e batismo
Sacramentos e batismo
Eric Araújo
 
Cinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismoCinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismo
Luiz Guilherme Guimarães Coelho
 
Lição 04
Lição 04Lição 04
Lição 04
Escol Dominical
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
Coop. Fabio Silva
 

Destaque (20)

A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no BrasilA História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
 
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
 
O que significa ser presbiteriano
O que significa ser presbiterianoO que significa ser presbiteriano
O que significa ser presbiteriano
 
Introdução à Constituição da IPB
Introdução à Constituição da IPBIntrodução à Constituição da IPB
Introdução à Constituição da IPB
 
Os 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do CalvinismoOs 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do Calvinismo
 
50 anos - SAF IPVG
50 anos - SAF IPVG50 anos - SAF IPVG
50 anos - SAF IPVG
 
Ipb
IpbIpb
Ipb
 
Uma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igreja
Uma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igrejaUma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igreja
Uma reflexão bíblica sobre os sistemas de governo e ordenanças da igreja
 
Para Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo Anglada
Para Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo AngladaPara Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo Anglada
Para Vós e Vossos Filhos - O Batismo Cristão - Paulo Anglada
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
Sle & saf
Sle & safSle & saf
Sle & saf
 
Projeto do templo evangélico
Projeto do templo evangélicoProjeto do templo evangélico
Projeto do templo evangélico
 
Em que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianosEm que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianos
 
Missiologia
MissiologiaMissiologia
Missiologia
 
Eclesiologia igreja
Eclesiologia   igrejaEclesiologia   igreja
Eclesiologia igreja
 
Projeto Igreja
Projeto IgrejaProjeto Igreja
Projeto Igreja
 
Sacramentos e batismo
Sacramentos e batismoSacramentos e batismo
Sacramentos e batismo
 
Cinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismoCinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismo
 
Lição 04
Lição 04Lição 04
Lição 04
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
 

Semelhante a História da Igreja Presbiteriana do Brasil

1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Monergista Post
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Monergista Post
 
Congregacionalismo Brasileiro.pptx
Congregacionalismo Brasileiro.pptxCongregacionalismo Brasileiro.pptx
Congregacionalismo Brasileiro.pptx
JAlexAlex
 
História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)
História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)
História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)
Andre Nascimento
 
Identidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas BrasileirosIdentidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas Brasileiros
usr_isaltino
 
Congregação cristã no brasil
Congregação cristã no brasilCongregação cristã no brasil
Congregação cristã no brasil
prantoniocarlos
 
História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
andreisantos7
 
História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
andreisantos7
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
Andre Nascimento
 
Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!
Leonardo Pereira
 
Reforma protestante e protestantismo brasileiro
Reforma protestante e protestantismo brasileiro   Reforma protestante e protestantismo brasileiro
Reforma protestante e protestantismo brasileiro
Paulo Dias Nogueira
 
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMOPROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
LviaGarcia7
 
A história da igreja batista
A história da igreja batistaA história da igreja batista
A história da igreja batista
Yndrews Filliph
 
Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
Luiz Henrique Ferreira
 
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasilantonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
Pequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasile
Pequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasilePequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasile
Pequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasile
Paulo Dias Nogueira
 
Slide show módulo iii
Slide show   módulo iiiSlide show   módulo iii
Slide show módulo iii
semnazarenovirtual
 
Aula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptx
Aula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptxAula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptx
Aula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptx
repertoriorenan
 
tabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptxtabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptx
Pib Penha
 

Semelhante a História da Igreja Presbiteriana do Brasil (20)

1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
Congregacionalismo Brasileiro.pptx
Congregacionalismo Brasileiro.pptxCongregacionalismo Brasileiro.pptx
Congregacionalismo Brasileiro.pptx
 
História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)
História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)
História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)
 
Identidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas BrasileirosIdentidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas Brasileiros
 
Congregação cristã no brasil
Congregação cristã no brasilCongregação cristã no brasil
Congregação cristã no brasil
 
História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
 
História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
 
Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!
 
Reforma protestante e protestantismo brasileiro
Reforma protestante e protestantismo brasileiro   Reforma protestante e protestantismo brasileiro
Reforma protestante e protestantismo brasileiro
 
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMOPROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
 
A história da igreja batista
A história da igreja batistaA história da igreja batista
A história da igreja batista
 
Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
 
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasilantonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
 
Pequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasile
Pequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasilePequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasile
Pequena historia da_autonomia_do_metodismo_brasile
 
Slide show módulo iii
Slide show   módulo iiiSlide show   módulo iii
Slide show módulo iii
 
Aula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptx
Aula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptxAula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptx
Aula 14 - Contrarrefotrma Cat.ólica.pptx
 
tabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptxtabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptx
 

Mais de Alberto Simonton

Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
Alberto Simonton
 
O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
Alberto Simonton
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
Alberto Simonton
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
Alberto Simonton
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Alberto Simonton
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
Alberto Simonton
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
Alberto Simonton
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
Alberto Simonton
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Alberto Simonton
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
Alberto Simonton
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
Alberto Simonton
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
Alberto Simonton
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja Católica
Alberto Simonton
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
Alberto Simonton
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Alberto Simonton
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
Alberto Simonton
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Alberto Simonton
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
Alberto Simonton
 

Mais de Alberto Simonton (20)

Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
 
O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja Católica
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
 

Último

Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 

Último (10)

Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 

História da Igreja Presbiteriana do Brasil

  • 1. HISTÓRIA DA IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL Introdução Devido ao fato de estarmos estudando a história da Igreja de Cristo, e sabedores de que a partir do movimento da Reforma Protestante surgiram várias linhas de pensamento evangélicas, as quais resultaram em várias denominações, chega a o momento de conhecermos a história de nossa própria denominação. Há muitos que não se interessam em conhecer a história de sua própria igreja, mas esta atitude não é benéfica, pois torna os membros da igreja ignorantes quanto à sua própria origem. Além disto, é importante observarmos porque cremos em determinadas doutrinas, determinado modo de cultuar e determinada forma de governo. Origem do Presbiterianismo Como vimos anteriormente em outra lição, a Reforma foi iniciada na Alemanha pelas mãos de Martinho Lutero em 1517. Contudo, depois que a Reforma foi iniciada outros movimentos surgiram como os anabatistas, os reformados, e a igreja anglicana na Inglaterra. Com respeito ao nosso assunto, que é o nascimento e origem da Igreja Presbiteriana do Brasil, nós temos que nos deter ao movimento reformado. Nosso início se deu na Europa, mas caminhou paulatinamente aqui ser instalada aqui no Brasil: Os seguidores do movimento iniciado por Zwinglio e estruturado por Calvino se espalharam imediatamente por toda a Europa. Na França eles eram chamados de huguenotes; na Inglaterra, puritanos; na Suíça e Países Baixos, reformados; na Escócia, presbiterianos.1 O nome “presbiteriano” tem a ver com a forma de governo adotada. As igrejas presbiterianas são regidas por presbíteros, os quais formam os concílios que regem as igrejas. As igrejas reformadas não possuíam um nome designativo de início, somente depois começou a ser denominada deste modo. Implantação no Brasil Bom, depois de alcançar vários países na Europa as igrejas reformadas continuaram se estendendo. Um dos países para o qual acabaram chegando foi o Brasil. Na verdade chegaram aqui bem cedo, num período bem próximo ao início da Reforma. Contudo, só veio a conseguir êxito mais tarde. Primeiramente os reformados apareceram no cenário brasileiro no final de 1555, através de um grupo de franceses cujo líder era chamado Nicolas Durand de Villegaignon. Eles se fixaram em uma das ilhas da baía de Guanabara. Todavia, este grupo de franceses não conseguiu estabelecer o presbiterianismo no país. A segunda investida de calvinistas aqui se deu em meados do século XVII por meio dos holandeses. Eles ficaram aqui por um bom tempo. Todavia, quando os holandeses foram expulsos, as igrejas que foram formadas não permaneceram, vindo a desaparecer. O calvinismo só conseguiu ser firmado aqui no Brasil no século XIX, por meio das mãos de um americano. Podemos resumir a história de implantação do presbiterianismo no Brasil da seguinte forma: O presbiterianismo foi levado da Escócia para a Inglaterra; de lá, para os Estados Unidos da América. Em 1726 teve início um despertamento espiritual, nos Estados Unidos. Este despertamento levou os presbiterianos a se interessarem por missões estrangeiras. Missionários foram enviados para vários países, inclusive para o Brasil. No dia 12 de agosto de 1859 chegou ao nosso país o primeiro missionário presbiteriano: Ashbel Green Simonton.2 Apesar de ter morrido aos 34 anos por causa de febre amarela (1867), Ashbel Simonton juntamente com outros colegas, conseguiu a formação de um periódico evangélico (Imprensa Evangélica, 1864), criar o Presbitério do Rio de Janeiro (1865) e organizar um seminário (1867). Organização da IPB Evidentemente, depois que a Igreja Presbiteriana foi fundada e finalmente se estabeleceu aqui no Brasil, seu crescimento foi inevitável. Em primeira instância só havia algumas igrejas as quais estavam sob a guarda da igreja-mãe dos Estados Unidos (Igreja Presbiteriana do norte dos Estados Unidos - PCUSA). Depois de anos de desenvolvimento, é que finalmente vemos a igreja se separara de sua fundadora. A formação e desenvolvimento do governo conciliar da 1 NASCIMENTO, Adão Carlos. Curso para Catecúmenos. Santa Bárbara D’Oeste, SOCEP, 1993, p 65. 2 Ibid. p 65.
  • 2. IPB pode ser observada em três períodos: formação de um Presbitério, formação de um Sínodo e formação da Assembléia Geral: 1. A formação do primeiro Presbitério se deu com três igrejas (Rio, São Paulo e Brotas), ocorrido em 16 de dezembro de 1865; 2. O Sínodo teve existência em setembro de 1888, composta de três Presbitérios (Rio de Janeiro, Campinas-Oeste de Minas e Pernambuco). Nesta ocasião houve o desligamento das igrejas-mãe dos Estados Unidos; 3. Aos 7 de janeiro de 1910 foi formada a Assembléia Geral da igreja. Igualmente relacionado com o governo da IPB está o Manual Presbiteriano. A nova Constituição que possuímos hoje foi formulada em 1950, e no ano seguinte foi a vez do Código de Disciplina e os Princípios de Liturgia. Crenças da IPB Nossa Igreja possui suas crenças peculiares assim como qualquer outra denominação evangélica, bem como possuímos nossas características litúrgicas, forma de administração. Abaixo estão descritas um pequeno resumo das características principais da IPB: 1.- A Bíblia tem sempre a palavra final. Ela é nossa única regra de fé e prática; 2.- Nossas doutrinas fundamentais seguem os ensinos declarados na Confissão de Fé de Westminster, e seus Catecismos Maior e Breve; 3.- Nosso governo é realizado através de presbíteros (forma presbiteriana ou representativa); 4.- Não temos hierarquia de presbíteros; 5.- Temos uma constituição pela qual nos conduzimos administrativamente (Manual Presbiteriano); 6.- Cremos nas doutrinas cardeais da Reforma: Sola Scriptura, Sola Gracia, Sola Fide, Solus Christus, e Soli deo Gloria; 7.- Nossa forma de batismo é aspersão. E somos adeptos do pedobatismo; 8.- Nossa liturgia segue o “princípio regulador do culto”.3 Denominações Presbiterianas do Brasil A IPB é a mais antiga denominação presbiteriana no Brasil. Contudo, não existe somente a IPB, há também outras igrejas presbiterianas as quais passamos a listar abaixo com uma breve explicação sobre cada uma delas: 1. Igreja Presbiteriana Independente do Brasil: “Surgiu em 1903 como uma denominação totalmente nacional, sem vinculação com igrejas estrangeiras. Resultou do projeto nacionalista do Rev. Eduardo Carlos Pereira (1856-1923), que entrou em conflito com o Sínodo da IPB em torno das questões missionária, educacional e maçônica.”4 2. Igreja Presbiteriana Conservadora: “A Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil surgiu em 11 de Fevereiro de 1940 quando, após dois anos de debates e discussões internas sobre questões doutrinárias, a 2ª Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo desligou-se da federação eclesiástica a que pertencia para tornar-se Igreja Presbiteriana Conservadora de São Paulo.”5 3. Igreja Presbiteriana Fundamentalista: “Na década de 1950, Israel Furtado Gueiros, pastor da histórica 1ª Igreja Presbiteriana de Recife (1878) e ligado ao Concílio Internacional de Igrejas Cristãs, fundado por Carl McIntire, liderou uma campanha contra o Seminário do Norte sob a acusação de modernismo. Gueiros fundou outro seminário e foi deposto pelo Presbitério de Pernambuco em julho de 1956. Em 21 de setembro do mesmo ano foi organizada a IPFB com quatro igrejas locais (incluindo elementos batistas e congregacionais), que formaram um presbitério com 1800 membros.”6 4. Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil: “Em 1968, como resultado do "movimento de renovação" na IPB, surgiu em Cianorte, no Paraná, a Igreja Cristã Presbiteriana. Em 1972, um segmento separou-se da IPI para formar a 3 Pontos organizados a partir do texto de Pr. Ronaldo Bezerra de Oliveira e Souza. Fonte: http://www.ipb.org.br/tira_duvidas/mostra_duvidas.php3?id=1850. Acessado em 14.07.09. 4 MATOS, Alderi Souza de. Denominações Presbiterianas no Brasil. Fonte: http://www.mackenzie.br/10175.html. Acessado em 22.01.2011. 5 Fonte: http://www.ipcb.org.br/historia.html Acessado em 22.01.2011. 6 MATOS, Alderi Souza de. Denominações Presbiterianas no Brasil. Fonte: http://www.mackenzie.br/10175.html. Acessado em 22.01.2011.
  • 3. Igreja Presbiteriana Independente Renovada, em Assis, São Paulo. Em 1975, os dois grupos se uniram, criando a Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil.”7 5. Igreja Presbiteriana Unida do Brasil: “Foi fundada por elementos que discordaram da postura conservadora da IPB durante a administração do Rev. Boanerges Ribeiro (1966-1978). Surgiram dois grupos dissidentes. Em 1974, membros do Presbitério de São Paulo criaram a Aliança de Igrejas Reformadas. Em 1978, foi criada a Federação Nacional de Igrejas Presbiterianas (FENIP), em Atibaia. Em 1983, na cidade de Vitória, a FENIP adotou o nome de Igreja Presbiteriana Unida do Brasil. Essa igreja adota uma postura teológica liberal e pluralista.”8 7 MATOS, Alderi Souza de. Denominações Presbiterianas no Brasil. Fonte: http://www.mackenzie.br/10175.html. Acessado em 22.01.2011. 8 Ibid.