SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
REVELAÇÃO GERAL E REVELAÇÃO ESPECIAL
Introdução
Antes de estudarmos todas as doutrinas de acordo com seus vários temas, faz-se necessário que iniciemos com a
questão das fontes de onde extrairemos estas doutrinas. Cada religião tem a fonte (ou fontes) de onde procedem as suas
crenças, e com o cristianismo não poderia ser diferente. Portanto, devemos entender bem de onde é que surgiu cada
verdade da religião cristã.
No nosso caso, afirmamos que todas as verdades espirituais são provenientes de revelações dadas pelo Ser
Supremo do universo, o qual se mostrou, por meio delas, a nós. Mas o que são estas revelações? O que significa
―Revelação‖ dentro do contexto da teologia cristã? ―Revelação significa intrinsecamente a exposição daquilo que
anteriormente era desconhecido. Na teologia judaico-cristã, o termo é usado primariamente para a comunicação da
verdade divina de Deus para o homem ou seja: a Sua manifestação de Si mesmo e da Sua vontade.‖ 1
Tradicionalmente,
na teologia, a revelação divina tem sido classificada comumente como sendo de dois tipos: Revelação Geral e
Revelação Especial.
Revelação Geral
A Revelação Geral “é assim chamada porque chega a cada um de nós simplesmente por vivermos no mundo de
Deus. Deus tem se revelado desse modo desde o começo da história humana.‖2
Todo ser humano pode contemplar esta
revelação, e qualquer um tem acesso a ela, visto ela se dirigir a toda a humanidade. Ela tem em vista ―suprir a
necessidade natural das criaturas quanto ao conhecimento do seu Deus‖.3
É importante que entendamos que
―a revelação geral está radicada na criação e nas relações gerais de Deus com o homem, é dirigida ao homem como a
criatura portadora da imagem de Deus, e visa a realização do fim para o qual o homem foi criado, o que pode ser
alcançado somente quando o homem conhecer a Deus e gozar comunhão com Ele.‖4
Como a revelação geral se apresenta ao ser humano? De qual forma o ser humano entra em contato com ela?
Vejamos a seguinte explicação: ―A revelação geral não vem ao homem diretamente por comunicações verbais... Deus
fala ao homem através de toda a sua criação, nas forças e nos poderes da natureza, na constituição da mente humana, na
voz da consciência, e no governo providencial do mundo em geral‖.5
Apesar de satisfatório para conhecer alguns aspectos do Criador, a Revelação Geral não desempenha mais sua
função de modo perfeito e suficiente devido às seguintes razões:
1. O pecado maculou a Revelação Geral de tal forma que esta não mostra Deus clara e perfeitamente como antes
da entrada do pecado;
2. O homem já não consegue entender a Revelação Geral de forma correta devido à sua pecaminosidade. Assim,
ele não tem capacidade espiritual para ver claramente esta revelação deixada pelo Criador;
3. A Revelação Geral nada diz a respeito do perdão do pecado, ou sobre Cristo, ou sobre a salvação. Portanto, ela
é insuficiente para resgatar os pecadores e consumar os planos divinos.6
Base Bíblica: Sl 19:1, 2; At 14:17; Rm 1:19, 20; Rm 2:14-15
1
HENRY, Carl F. H. Revelação Especial in Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. Editor, Walter A. Elwell.
São Paulo, Vida Nova, 2009, p 299.
2
Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, p 626.
3
BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática. Campinas, Luz Para o Caminho, 1990, p 39.
4
BERKHOF, Louis. Manual de Doutrina Cristã. Campinas, Luz Para o Caminho, 1985, p 27.
5
Ibid, p 29.
6
Ibid, p 30, 31.
Base Confessional:
 Confissão de Fé de Westminster (Capítulo I , Seção I – Da Escritura Sagrada):
―Ainda que a luz da natureza e as obras da criação e da providência de tal modo manifestem a bondade, a
sabedoria e o poder de Deus, que os homens ficam inescusáveis...‖
 Catecismo Maior (perg. 2) ―Como podemos saber se existe um Deus?‖ Resposta: ―A própria luz da natureza no
homem, e as obras de Deus, claramente testificam que existe um Deus...‖7
Revelação Especial
Devido ao fato de a Revelação Geral ser insuficiente aos propósitos divinos, aprouve a Deus apresentar a
Revelação Especial a fim de levar adiante seu plano eterno para o mundo. Podemos explicar a Revelação Especial nos
seguintes termos: ―A revelação especial está arraigada no plano de redenção de Deus, é dirigida ao homem na qualidade
de pecador, pode ser adequadamente compreendida e assimilada somente pela fé, e serve ao propósito de assegurar o
fim para o qual o homem foi criado a despeito de toda a perturbação produzida pelo pecado.‖8
Os meios pelos quais a Revelação Especial se apresentou podem ser reduzidos, de forma geral, a três tipos:
1. Teofanias ou manifestações de Deus :
a. Fogo e nuvens de fumaça (Gn 15:17; Ex 3:2; 19:9, 16, 17; 33:9; Sl 78:14; Sl 99:7);
b. Nos ventos tempestuosos (Jó 38:1; 40:6; Sl 18:10-16);
c. Anjo do Senhor (distinto de Deus - Ex 23:20-23; Is 63:8, 9; identificado com Deus - Gn 16:13; 31:11-
13; 32:28);
d. Encarnação de Cristo (Cl 1:19; 2:9).9
2. Comunicações diretas:
a. Voz audível (Gn 2:16; 3:18, 19; 4:6-15; Ex 19:9; Dt 5:4; 1Sm 3:4);
b. A sorte e o Urim e Tumim (1Sm 10:20, 21; 1Cr 24: 5-31; Ne 11:1; Nm 27:21; Dt 33:8);
c. Sonho (Nm 12:6; Dt 13:1-6; 1Sm 28:6; Jl 2:28);
d. Visão (Is 6; 21:1; Ez 1-3; 8-11; Dn 1:17; 2:19; 7-10; Am 7:1-9).10
3. Milagres:
De acordo com a Escritura, Deus também Se revela pelos milagres. É especialmente deste ponto de vista
que os milagres da Escritura devem ser estudados... Eles são, acima de tudo, manifestações de um poder
especial de Deus, sinais de Sua presença especial, e servem, com freqüência, para simbolizar verdades
espirituais. Como manifestações do reino vindouro de Deus, tornam-se subservientes à grande obra da
redenção... Eles confirmam as palavras da profecia e apontam para uma nova ordem que está sendo
estabelecida por Deus.11
Como se pode observar, a Revelação Especial é diferente da Revelação Geral na forma de se apresentar ao
homem, e igualmente diferente em seu conteúdo:
7
MARRA, Cláudio Antônio Batista. editor, O Catecismo Maior. São Paulo, Cultura Cristã, 1999, p 1.
8
BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática, p 39.
9
BERKHOF, Louis, Manual de Doutrina Cristã, p 34.
10
Ibid, p 34.
11
Ibid, p 35.
A revelação especial não serve, simplesmente, ao propósito de comunicar ao homem algum
conhecimento geral de Deus. Descobre ao homem o conhecimento específico do plano divino para a
salvação dos pecadores; da reconciliação de Deus e dos pecadores por meio de Jesus Cristo; do caminho
da salvação aberto por Sua obra redentora, da influência transformadora e santificadora do Espírito Santo,
e das exigências divinas para os que participam da vida do Espírito.12
Como está claro, a Revelação Especial é indispensável ao ser humano a fim de que este possa sair de seu estado
de pecado e entrar em comunhão com o Criador. Ou seja, a Revelação Especial tem importância imensurável por se
tratar de verdades que mudarão a situação eterna do homem. É por esta causa que Deus fez com que se registrasse esta
revelação a fim de que fosse preservada pelos séculos durante a história humana, sem os perigos de ser perdida com o
passar do tempo, ou ser ―adulterada por idéias humanas‖. Podemos então falar da relação entre a Escritura e a
Revelação Especial da seguinte forma:
Em geral pode-se dizer que a revelação especial de Deus assumiu uma forma permanente na Escritura, e
foi assim preservada para a posteridade. Deus quis que Sua revelação fosse o Seu falar perene para todas
as gerações sucessivas dos homens; e tinha, pois, de guardá-la contra a perda, corrupção e falsificação. E
Ele o fez provendo-lhe um registro infalível e vigiando-o com cuidado providencial.13
Evidentemente nem tudo que fez parte da Revelação Especial está escrito nas Escrituras (Jo 20:30-31), porém,
tudo que foi escrito é suficiente para as necessidades humanas, e suficiente para o homem cumprir os seus deveres para
com Deus (2Tm 3:16, 17).
Base Bíblica: 2Rs 17:13; Sl 103:7; Jo 1:18; Hb 1:1, 2; 1Co 2:9, 10; 1:21
Base Confessional:
 Confissão de Fé de Westminster (Capítulo I , Seção I – Da Escritura Sagrada):
Ainda que a luz da natureza e as obras da criação e da providência de tal modo manifestem a bondade, a sabedoria e o
poder de Deus, que os homens ficam inescusáveis, contudo não são suficientes para dar aquele conhecimento de Deus
e da sua vontade necessário para a salvação; por isso foi o Senhor servido, em diversos tempos e diferentes modos,
revelar-se e declarar à sua Igreja aquela sua vontade; e depois, para melhor preservação e propagação da verdade,
para o mais seguro estabelecimento e conforto da Igreja contra a corrupção da carne e malícia de Satanás e do
mundo, foi igualmente servido fazê-la escrever toda. Isto torna indispensável a Escritura Sagrada, tendo cessado
aqueles antigos modos de revelar Deus a sua vontade ao seu povo.
 Catecismo Maior: (perg. 2) ―Como podemos saber se existe um Deus?‖ Resposta: ―... só a sua Palavra e o seu
Espírito o revelam de um modo suficiente e eficaz, aos homens, para a sua salvação.‖14
Conclusão
Certamente Deus não revelou tudo acerca de Si mesmo, mas o que revelou é suficiente para suprir nossas
necessidades como criaturas espirituais que precisam de comunhão com Ele. Mesmo porque, ainda que Ele viesse a
revelar-Se plenamente a nós, não poderíamos compreendê-lo, pois somos finitos. ―Deus é O Incompreensível. O homem
não pode conhecê-lO como Ele é nas profundezas de Seu ser divino‖.15
O Senhor está tão acima de nós que por mais
que quiséssemos conhecer mais dEle, nunca conseguiríamos chegar a um conhecimento completo:
Não só é verdade que jamais poderemos compreender plenamente a Deus; é verdade também que jamais
poderemos compreender plenamente nem mesmo uma só coisa acerca de Deus. Sua grandeza (Sl 145:3),
12
BERKHOF, Louis. Manual de Doutrina Cristã, p 36.
13
Ibid, p 38.
14
MARRA, Cláudio Antônio Batista. editor, O Catecismo Maior, p 1.
15
BERKHOF, Louis, Manual de Doutrina Cristã. Campinas, Luz Para o Caminho, 1985, p 26.
seu entendimento (Sl 147:5), seu conhecimento (Sl 139:6) sua riqueza, sabedoria, juízos e caminhos (Rm
11:33) estão todos além da nossa capacidade de compreensão plena.16
Todavia, o conhecimento que temos por meio da Revelação Geral e por meio de Revelação Especial não
somente podem dar a alegria de salvação àqueles que O conhecem e O aceitam pela fé. O acesso a estas Revelações
torna os pecadores ainda mais culpados caso não se rendam a elas. Ou seja, quanto mais acesso ao conhecimento de
Deus, mais culpável o homem fica diante dEle ao recusá-lO.
Mas o que dizer daqueles que nunca tiveram acesso à Revelação Especial? Como poderão ser condenados por
não seguir a um Deus que nem chegaram a conhecer devidamente? A questão é que somos condenados não por causa
dos nossos pecados presentes, mas pelo pecado em Adão. E em segundo lugar, a Revelação Geral já é suficiente para
tornar alguém culpado diante do Senhor. Vejamos a seguinte explanação:
[...] Ele ativamente revela esses aspectos de si mesmo a todos, de modo que deixar de agradecer e servir
ao Criador é sempre um pecado contra o conhecimento. No final, nenhuma negação de termos recebido
esse conhecimento será admitida. Paulo usa a revelação universal do poder e da bondade de Deus como
base para a sua acusação contra toda a raça humana como pecadora e culpada diante de Deus, por causa
do nosso fracasso em servi-lo como devemos (Rm 1:18-3:19).17
16
GRUDEM, Wayne A. Teologia Sistemática. São Paulo, Vida Nova, 1999, p 102.
17
Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, p 626.
Bibliografia
— Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.
— Cláudio Antônio Batista Marra, editor, O Catecismo Maior. São Paulo, Cultura Cristã, 1999.
— Louis Berkhof, Manual de Doutrina Cristã. Campinas, Luz Para o Caminho, 1985.
— Louis Berkhof, Teologia Sistemática. Campinas, Luz Para o Caminho, 1990.
— Walter A. Elwell, Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. São Paulo,Vida Nova, 2009.
— Wayne A. Grudem, Teologia Sistemática. São Paulo, Vida Nova, 1999.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipseRespirando Deus
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos serEid Marques
 
Qual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismoQual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismoJulio MontSant
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo André Rocha
 
Soteriologia: Aspectos Fundamentais da Salvação
Soteriologia: Aspectos Fundamentais da SalvaçãoSoteriologia: Aspectos Fundamentais da Salvação
Soteriologia: Aspectos Fundamentais da SalvaçãoDilean Melo
 
Estudo 3 (Maturidade)
Estudo 3 (Maturidade)Estudo 3 (Maturidade)
Estudo 3 (Maturidade)Daniel Junior
 
Apostila caravana do arrependimento
Apostila   caravana do arrependimentoApostila   caravana do arrependimento
Apostila caravana do arrependimentoLuã França
 
Teologia sistemática ii
Teologia sistemática iiTeologia sistemática ii
Teologia sistemática iissuser2f0b10
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoRODRIGO FERREIRA
 
Lição 11 - A segunda vinda de Cristo
Lição 11 - A segunda vinda de CristoLição 11 - A segunda vinda de Cristo
Lição 11 - A segunda vinda de CristoÉder Tomé
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSSandra Dias
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoRespirando Deus
 

Mais procurados (20)

Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
Qual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismoQual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismo
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
Soteriologia: Aspectos Fundamentais da Salvação
Soteriologia: Aspectos Fundamentais da SalvaçãoSoteriologia: Aspectos Fundamentais da Salvação
Soteriologia: Aspectos Fundamentais da Salvação
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
 
Teologia sistemática
Teologia sistemáticaTeologia sistemática
Teologia sistemática
 
Estudo 3 (Maturidade)
Estudo 3 (Maturidade)Estudo 3 (Maturidade)
Estudo 3 (Maturidade)
 
Apostila caravana do arrependimento
Apostila   caravana do arrependimentoApostila   caravana do arrependimento
Apostila caravana do arrependimento
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
Teologia sistemática ii
Teologia sistemática iiTeologia sistemática ii
Teologia sistemática ii
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da Salvação
 
Lição 11 - A segunda vinda de Cristo
Lição 11 - A segunda vinda de CristoLição 11 - A segunda vinda de Cristo
Lição 11 - A segunda vinda de Cristo
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - Levítico
 
1 genesis
1 genesis1 genesis
1 genesis
 

Semelhante a Revelação Geral e Revelação Especial

Estudo sobre as Escrituras
Estudo sobre as EscriturasEstudo sobre as Escrituras
Estudo sobre as EscriturasAlberto Simonton
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capricapriello
 
MATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIA
MATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIAMATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIA
MATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIAInsituto Propósitos de Ensino
 
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveiraAs grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveiraIvaneo Silva
 
Lição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deusLição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deusboasnovassena
 
teologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdfteologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdfrafaellemos86
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptxRubens Sohn
 
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoLição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoRegio Davis
 
RED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
RED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxRED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
RED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxlindalva da cruz
 
Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)
Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)
Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)Jorge A. Ferreira
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoDangelo Nascimento
 
Revista fé para hoje número 39 - ano 2013
Revista fé para hoje   número 39 - ano 2013Revista fé para hoje   número 39 - ano 2013
Revista fé para hoje número 39 - ano 2013Rosemary Targa
 
Panorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação ProgressivaPanorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação ProgressivaRicardo Gondim
 
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das EscriturasCap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das EscriturasPetula
 
3 doutrina social da igreja a pessoa humana
3 doutrina social da igreja   a pessoa humana3 doutrina social da igreja   a pessoa humana
3 doutrina social da igreja a pessoa humanaJorge Eduardo Brandán
 

Semelhante a Revelação Geral e Revelação Especial (20)

Estudo sobre as Escrituras
Estudo sobre as EscriturasEstudo sobre as Escrituras
Estudo sobre as Escrituras
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
 
MATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIA
MATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIAMATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIA
MATERIAL DE APOIO - E-BOOK - CURSO TEOLOGIA DA BÍBLIA
 
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveiraAs grandes doutrinas da bíblia   raimundo de oliveira
As grandes doutrinas da bíblia raimundo de oliveira
 
Lição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deusLição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deus
 
teologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdfteologia familia e louvor.pdf
teologia familia e louvor.pdf
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 4.pptx
 
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoLição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
 
RED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
RED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxRED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
RED267-Aula8.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
O MINISTÉRIO PROFÉTICO
O MINISTÉRIO PROFÉTICOO MINISTÉRIO PROFÉTICO
O MINISTÉRIO PROFÉTICO
 
Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)
Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)
Teologia da Revelação (Revelação Universal de Deus)
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
 
Revista fé para hoje número 39 - ano 2013
Revista fé para hoje   número 39 - ano 2013Revista fé para hoje   número 39 - ano 2013
Revista fé para hoje número 39 - ano 2013
 
Panorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação ProgressivaPanorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação Progressiva
 
A Revelação de Deus
A Revelação de DeusA Revelação de Deus
A Revelação de Deus
 
A verdade sobre o homem Paul Washer
A verdade sobre o homem   Paul WasherA verdade sobre o homem   Paul Washer
A verdade sobre o homem Paul Washer
 
Bibliologia 2
Bibliologia 2Bibliologia 2
Bibliologia 2
 
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das EscriturasCap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
 
3 doutrina social da igreja a pessoa humana
3 doutrina social da igreja   a pessoa humana3 doutrina social da igreja   a pessoa humana
3 doutrina social da igreja a pessoa humana
 
Pneumatologia 6
Pneumatologia 6Pneumatologia 6
Pneumatologia 6
 

Mais de Alberto Simonton

Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaAlberto Simonton
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsAlberto Simonton
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteAlberto Simonton
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e LuteroAlberto Simonton
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoAlberto Simonton
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoAlberto Simonton
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesAlberto Simonton
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaAlberto Simonton
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldiçãoAlberto Simonton
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilAlberto Simonton
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãAlberto Simonton
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaAlberto Simonton
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialAlberto Simonton
 

Mais de Alberto Simonton (20)

Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
 
O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja Católica
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
 

Último

Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 

Último (10)

Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 

Revelação Geral e Revelação Especial

  • 1. REVELAÇÃO GERAL E REVELAÇÃO ESPECIAL Introdução Antes de estudarmos todas as doutrinas de acordo com seus vários temas, faz-se necessário que iniciemos com a questão das fontes de onde extrairemos estas doutrinas. Cada religião tem a fonte (ou fontes) de onde procedem as suas crenças, e com o cristianismo não poderia ser diferente. Portanto, devemos entender bem de onde é que surgiu cada verdade da religião cristã. No nosso caso, afirmamos que todas as verdades espirituais são provenientes de revelações dadas pelo Ser Supremo do universo, o qual se mostrou, por meio delas, a nós. Mas o que são estas revelações? O que significa ―Revelação‖ dentro do contexto da teologia cristã? ―Revelação significa intrinsecamente a exposição daquilo que anteriormente era desconhecido. Na teologia judaico-cristã, o termo é usado primariamente para a comunicação da verdade divina de Deus para o homem ou seja: a Sua manifestação de Si mesmo e da Sua vontade.‖ 1 Tradicionalmente, na teologia, a revelação divina tem sido classificada comumente como sendo de dois tipos: Revelação Geral e Revelação Especial. Revelação Geral A Revelação Geral “é assim chamada porque chega a cada um de nós simplesmente por vivermos no mundo de Deus. Deus tem se revelado desse modo desde o começo da história humana.‖2 Todo ser humano pode contemplar esta revelação, e qualquer um tem acesso a ela, visto ela se dirigir a toda a humanidade. Ela tem em vista ―suprir a necessidade natural das criaturas quanto ao conhecimento do seu Deus‖.3 É importante que entendamos que ―a revelação geral está radicada na criação e nas relações gerais de Deus com o homem, é dirigida ao homem como a criatura portadora da imagem de Deus, e visa a realização do fim para o qual o homem foi criado, o que pode ser alcançado somente quando o homem conhecer a Deus e gozar comunhão com Ele.‖4 Como a revelação geral se apresenta ao ser humano? De qual forma o ser humano entra em contato com ela? Vejamos a seguinte explicação: ―A revelação geral não vem ao homem diretamente por comunicações verbais... Deus fala ao homem através de toda a sua criação, nas forças e nos poderes da natureza, na constituição da mente humana, na voz da consciência, e no governo providencial do mundo em geral‖.5 Apesar de satisfatório para conhecer alguns aspectos do Criador, a Revelação Geral não desempenha mais sua função de modo perfeito e suficiente devido às seguintes razões: 1. O pecado maculou a Revelação Geral de tal forma que esta não mostra Deus clara e perfeitamente como antes da entrada do pecado; 2. O homem já não consegue entender a Revelação Geral de forma correta devido à sua pecaminosidade. Assim, ele não tem capacidade espiritual para ver claramente esta revelação deixada pelo Criador; 3. A Revelação Geral nada diz a respeito do perdão do pecado, ou sobre Cristo, ou sobre a salvação. Portanto, ela é insuficiente para resgatar os pecadores e consumar os planos divinos.6 Base Bíblica: Sl 19:1, 2; At 14:17; Rm 1:19, 20; Rm 2:14-15 1 HENRY, Carl F. H. Revelação Especial in Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. Editor, Walter A. Elwell. São Paulo, Vida Nova, 2009, p 299. 2 Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, p 626. 3 BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática. Campinas, Luz Para o Caminho, 1990, p 39. 4 BERKHOF, Louis. Manual de Doutrina Cristã. Campinas, Luz Para o Caminho, 1985, p 27. 5 Ibid, p 29. 6 Ibid, p 30, 31.
  • 2. Base Confessional:  Confissão de Fé de Westminster (Capítulo I , Seção I – Da Escritura Sagrada): ―Ainda que a luz da natureza e as obras da criação e da providência de tal modo manifestem a bondade, a sabedoria e o poder de Deus, que os homens ficam inescusáveis...‖  Catecismo Maior (perg. 2) ―Como podemos saber se existe um Deus?‖ Resposta: ―A própria luz da natureza no homem, e as obras de Deus, claramente testificam que existe um Deus...‖7 Revelação Especial Devido ao fato de a Revelação Geral ser insuficiente aos propósitos divinos, aprouve a Deus apresentar a Revelação Especial a fim de levar adiante seu plano eterno para o mundo. Podemos explicar a Revelação Especial nos seguintes termos: ―A revelação especial está arraigada no plano de redenção de Deus, é dirigida ao homem na qualidade de pecador, pode ser adequadamente compreendida e assimilada somente pela fé, e serve ao propósito de assegurar o fim para o qual o homem foi criado a despeito de toda a perturbação produzida pelo pecado.‖8 Os meios pelos quais a Revelação Especial se apresentou podem ser reduzidos, de forma geral, a três tipos: 1. Teofanias ou manifestações de Deus : a. Fogo e nuvens de fumaça (Gn 15:17; Ex 3:2; 19:9, 16, 17; 33:9; Sl 78:14; Sl 99:7); b. Nos ventos tempestuosos (Jó 38:1; 40:6; Sl 18:10-16); c. Anjo do Senhor (distinto de Deus - Ex 23:20-23; Is 63:8, 9; identificado com Deus - Gn 16:13; 31:11- 13; 32:28); d. Encarnação de Cristo (Cl 1:19; 2:9).9 2. Comunicações diretas: a. Voz audível (Gn 2:16; 3:18, 19; 4:6-15; Ex 19:9; Dt 5:4; 1Sm 3:4); b. A sorte e o Urim e Tumim (1Sm 10:20, 21; 1Cr 24: 5-31; Ne 11:1; Nm 27:21; Dt 33:8); c. Sonho (Nm 12:6; Dt 13:1-6; 1Sm 28:6; Jl 2:28); d. Visão (Is 6; 21:1; Ez 1-3; 8-11; Dn 1:17; 2:19; 7-10; Am 7:1-9).10 3. Milagres: De acordo com a Escritura, Deus também Se revela pelos milagres. É especialmente deste ponto de vista que os milagres da Escritura devem ser estudados... Eles são, acima de tudo, manifestações de um poder especial de Deus, sinais de Sua presença especial, e servem, com freqüência, para simbolizar verdades espirituais. Como manifestações do reino vindouro de Deus, tornam-se subservientes à grande obra da redenção... Eles confirmam as palavras da profecia e apontam para uma nova ordem que está sendo estabelecida por Deus.11 Como se pode observar, a Revelação Especial é diferente da Revelação Geral na forma de se apresentar ao homem, e igualmente diferente em seu conteúdo: 7 MARRA, Cláudio Antônio Batista. editor, O Catecismo Maior. São Paulo, Cultura Cristã, 1999, p 1. 8 BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática, p 39. 9 BERKHOF, Louis, Manual de Doutrina Cristã, p 34. 10 Ibid, p 34. 11 Ibid, p 35.
  • 3. A revelação especial não serve, simplesmente, ao propósito de comunicar ao homem algum conhecimento geral de Deus. Descobre ao homem o conhecimento específico do plano divino para a salvação dos pecadores; da reconciliação de Deus e dos pecadores por meio de Jesus Cristo; do caminho da salvação aberto por Sua obra redentora, da influência transformadora e santificadora do Espírito Santo, e das exigências divinas para os que participam da vida do Espírito.12 Como está claro, a Revelação Especial é indispensável ao ser humano a fim de que este possa sair de seu estado de pecado e entrar em comunhão com o Criador. Ou seja, a Revelação Especial tem importância imensurável por se tratar de verdades que mudarão a situação eterna do homem. É por esta causa que Deus fez com que se registrasse esta revelação a fim de que fosse preservada pelos séculos durante a história humana, sem os perigos de ser perdida com o passar do tempo, ou ser ―adulterada por idéias humanas‖. Podemos então falar da relação entre a Escritura e a Revelação Especial da seguinte forma: Em geral pode-se dizer que a revelação especial de Deus assumiu uma forma permanente na Escritura, e foi assim preservada para a posteridade. Deus quis que Sua revelação fosse o Seu falar perene para todas as gerações sucessivas dos homens; e tinha, pois, de guardá-la contra a perda, corrupção e falsificação. E Ele o fez provendo-lhe um registro infalível e vigiando-o com cuidado providencial.13 Evidentemente nem tudo que fez parte da Revelação Especial está escrito nas Escrituras (Jo 20:30-31), porém, tudo que foi escrito é suficiente para as necessidades humanas, e suficiente para o homem cumprir os seus deveres para com Deus (2Tm 3:16, 17). Base Bíblica: 2Rs 17:13; Sl 103:7; Jo 1:18; Hb 1:1, 2; 1Co 2:9, 10; 1:21 Base Confessional:  Confissão de Fé de Westminster (Capítulo I , Seção I – Da Escritura Sagrada): Ainda que a luz da natureza e as obras da criação e da providência de tal modo manifestem a bondade, a sabedoria e o poder de Deus, que os homens ficam inescusáveis, contudo não são suficientes para dar aquele conhecimento de Deus e da sua vontade necessário para a salvação; por isso foi o Senhor servido, em diversos tempos e diferentes modos, revelar-se e declarar à sua Igreja aquela sua vontade; e depois, para melhor preservação e propagação da verdade, para o mais seguro estabelecimento e conforto da Igreja contra a corrupção da carne e malícia de Satanás e do mundo, foi igualmente servido fazê-la escrever toda. Isto torna indispensável a Escritura Sagrada, tendo cessado aqueles antigos modos de revelar Deus a sua vontade ao seu povo.  Catecismo Maior: (perg. 2) ―Como podemos saber se existe um Deus?‖ Resposta: ―... só a sua Palavra e o seu Espírito o revelam de um modo suficiente e eficaz, aos homens, para a sua salvação.‖14 Conclusão Certamente Deus não revelou tudo acerca de Si mesmo, mas o que revelou é suficiente para suprir nossas necessidades como criaturas espirituais que precisam de comunhão com Ele. Mesmo porque, ainda que Ele viesse a revelar-Se plenamente a nós, não poderíamos compreendê-lo, pois somos finitos. ―Deus é O Incompreensível. O homem não pode conhecê-lO como Ele é nas profundezas de Seu ser divino‖.15 O Senhor está tão acima de nós que por mais que quiséssemos conhecer mais dEle, nunca conseguiríamos chegar a um conhecimento completo: Não só é verdade que jamais poderemos compreender plenamente a Deus; é verdade também que jamais poderemos compreender plenamente nem mesmo uma só coisa acerca de Deus. Sua grandeza (Sl 145:3), 12 BERKHOF, Louis. Manual de Doutrina Cristã, p 36. 13 Ibid, p 38. 14 MARRA, Cláudio Antônio Batista. editor, O Catecismo Maior, p 1. 15 BERKHOF, Louis, Manual de Doutrina Cristã. Campinas, Luz Para o Caminho, 1985, p 26.
  • 4. seu entendimento (Sl 147:5), seu conhecimento (Sl 139:6) sua riqueza, sabedoria, juízos e caminhos (Rm 11:33) estão todos além da nossa capacidade de compreensão plena.16 Todavia, o conhecimento que temos por meio da Revelação Geral e por meio de Revelação Especial não somente podem dar a alegria de salvação àqueles que O conhecem e O aceitam pela fé. O acesso a estas Revelações torna os pecadores ainda mais culpados caso não se rendam a elas. Ou seja, quanto mais acesso ao conhecimento de Deus, mais culpável o homem fica diante dEle ao recusá-lO. Mas o que dizer daqueles que nunca tiveram acesso à Revelação Especial? Como poderão ser condenados por não seguir a um Deus que nem chegaram a conhecer devidamente? A questão é que somos condenados não por causa dos nossos pecados presentes, mas pelo pecado em Adão. E em segundo lugar, a Revelação Geral já é suficiente para tornar alguém culpado diante do Senhor. Vejamos a seguinte explanação: [...] Ele ativamente revela esses aspectos de si mesmo a todos, de modo que deixar de agradecer e servir ao Criador é sempre um pecado contra o conhecimento. No final, nenhuma negação de termos recebido esse conhecimento será admitida. Paulo usa a revelação universal do poder e da bondade de Deus como base para a sua acusação contra toda a raça humana como pecadora e culpada diante de Deus, por causa do nosso fracasso em servi-lo como devemos (Rm 1:18-3:19).17 16 GRUDEM, Wayne A. Teologia Sistemática. São Paulo, Vida Nova, 1999, p 102. 17 Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, p 626.
  • 5. Bibliografia — Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999. — Cláudio Antônio Batista Marra, editor, O Catecismo Maior. São Paulo, Cultura Cristã, 1999. — Louis Berkhof, Manual de Doutrina Cristã. Campinas, Luz Para o Caminho, 1985. — Louis Berkhof, Teologia Sistemática. Campinas, Luz Para o Caminho, 1990. — Walter A. Elwell, Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. São Paulo,Vida Nova, 2009. — Wayne A. Grudem, Teologia Sistemática. São Paulo, Vida Nova, 1999.