SlideShare uma empresa Scribd logo
LISTA DE HERESIAS E TRADIÇÕES HUMANAS
ADOTADAS e PERPETUADAS pela IGREJA CATÓLICA ROMANA.
HERESIAS: são aquelas doutrinas e práticas contrárias à Bíblia. Elas são também chamadas de "tradições humanas"
ou "doutrinas dos homens". Tanto Pedro como Paulo previram e alertaram que nos últimos dias "falsos professores"
iriam surgir na Igreja e trazer consigo, "heresias de perdição" e "doutrinas de demônios". (Leia II Pedro 2:1-3, e I
Timóteo 4:1-5). Jesus reprovou os Fariseus, porque eles transgrediram os mandamentos de Deus ao manterem suas
tradições. "Mas, em vão" Ele disse "me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens " (Mateus
15:3,9.)
156 d.C. Surge o termo “Igreja católica”.
300 d.C. As velas de parafina foram introduzidas na igreja cerca de
310 d.C. As preces para os mortos e o sinal da Cruz. Ambas surgiram 300 anos após Cristo
312 d.C. Início da adoração aos santos.
370 d.C. Principia-se o uso dos altares e velas. Pelo fim do século IV, o culto dos santos foi introduzido por Basílio
de Cesaréia e Gregório Nazianzeno. Também apareceu pela primeira vez o uso do incenso e turíbulo na igreja, pela
influência dos prosélitos vindos do paganismo.
375 d.C. A Veneração aos anjos e santos mortos
394 d.C. A Missa, como uma celebração diária
400 d.C. Maria passa a ser considerada “mãe de Deus” e os católicos começam a interceder pelos mortos.
400 d.C. Paulino de Nola ordena que se reze pelos defuntos, e ensina o sinal da cruz feito no ar.
431 d.C. Instituição do culto à Maria no concílio de Éfeso.
451 d.C. Surge a doutrina da virgindade perpétua de Maria.
500 d.C Os Padres passaram a se vestir diferentemente dos leigos
593 d.C. A doutrina do Purgatório foi estabelecida primeiro, por Gregório o Grande
600 d.C. Gregório, o Grande, torna-se o primeiro Papa oficialmente aceito. Podemos considerar a Instituição da
Igreja Católica Apostólica Romana daqui para a frente.
600 d.C. O Latim, como língua das orações e dos cultos nas igrejas, foi também imposto pelo Papa Gregório I.
607 d.C. O assassino Imperador Phocas dá ao Bispo de Roma o direito de primazia universal sobre a cristandade,
depois do II Concílio de Constantinopla.
609 d.C A invocação dos santos e anjos é posta como lei da igreja.
709 d.C. O ato de beijar os pés do Papa
787 d.C. Instituição ao culto às imagens e às relíquias no II Concílio de Nicéia.
795 d.C. O incenso foi posto por lei nas cerimônias da igreja por Leão III
850 d.C. Concílio de Paiva. Instituição do rosário e da coroa da virgem Maria e da doutrina da transubstanciação*.
850 d.C. A Água Benta, misturada com uma pitada de sal e abençoada pelo padre
880 d.C. Início da canonização dos santos.
890 d.C. A Veneração a São José
965 d.C. O Batismo dos sinos foi instituído pelo papa João XIV
995 d.C. A Canonização dos santos mortos, foi feita pelo Papa João XV.
998 d.C. Jejuar as sextas-feiras e durante as Quaresmas
998 d.C. É estabelecida a festa aos mortos, “dia de finados’’ por Odilon.
1000 d.C. A confissão auricular generaliza-se e os ministérios e os ministros da igreja arrogam para si o célebre
“Ego te Absolvo’’. A missa começa a chamar-se sacrifício. E organizam-se as peregrinações (romarias).
1073 d.C. Hildebrando chega a cadeia Papal, tomando o nome de Gregório VIII. Foi responsável por implantar a
doutrina do celibato (estado de pessoa que se mantém solteira) na igreja.
1075 d.C. Gregório VII exigiu que os padres casados se divorciassem de seus cônjuges e abandonassem seus filhos.
1076 d.C. É declarada a infalibilidade da igreja
1094 d.C. No concílio de Clermont a Igreja católica cria as Indulgências (venda de salvação).
1100 d.C. Institui-se na Igreja Católica o pagamento pelas missas e pelo culto aos santos.
1160 d.C. A Igreja Católica estabelece os Sete Sacramentos.
1184 d.C. A “Santa Inquisição” é estabelecida no Concílio de Verona.
1190 d.C. A venda de Indulgências, usualmente considerada como a compra do perdão que permite indultar o pecado
1215 d.C. O Dogma da Transubstanciação foi decretado pelo Papa Inocêncio III
1215 d.C. A Confissão dos pecados ao padre, uma vez ao ano, foi instituída pelo Papa Inocêncio III, no Conselho de
Lateran
1220 d.C. A adoração à Hóstia, foi decretada pelo Papa Honório
1227 d.C. Entra a campainha na missa por ordem de Gregório IX
1229 d.C. A Igreja Católica proíbe aos leigos a leitura da Bíblia.
1264 d.C. Urbano IV determina pela primeira vez a festa do corpo de Deus (Corpus Christi).
1275 d.C. A transubstanciação da hóstia (partícula circular de massa de trigo sem fermento, que o sacerdote consagra
na missa) é transformada em artigo de fé.
1287 d.C. A proibição da Bíblia aos leigos, e a sua inclusão na lista de livros proibidos pelo conselho de Valência
1287 d.C. O Escapulário foi inventado por Simon Stock, um monge inglês, no ano de .... Trata-se de uma tira de
tecido marrom, com o desenho da Virgem, que supõe conter virtudes sobrenaturais para proteger de todos os perigos,
aqueles que as vestirem sobre a pele nua.
1311 d.C. Inicia-se a primeira procissão do S. Sacramento
1317 d.C. João XXII ordena a reza “Ave Maria’’.
1355 d.C. Na França, o “Santo Sudário” aparece pela 1ª vez.
1360 d.C. Começa a hóstia a ser levada em procissão.
1414 d.C. A Igreja Romana proibiu o cálice aos fiéis, pela instituição de um tipo só no Conselho de Constância
1439 d.C. A Doutrina do Purgatório foi proclamada como dogma de fé, pelo Conselho de Florença
1439 d.C. A doutrina dos 7 Sacramentos
1545 d.C. O Conselho de Trento, ocorrido no ano de 1545, declarou que a Tradição tivesse autoridade igual à Bíblia
1546 d.C. Os livros apócrifos também foram incluídos à Bíblia pelo Conselho de Trento
1560 d.C. O Credo do Papa Pius IV, foi imposto como credo oficial 1560 anos após Cristo e os Apóstolos
1573 d.C. A Igreja Católica altera a Bíblia original com cononicidade* de sete livros apócrifos*.
1854 d.C. O papa Pio XII cria o dogma da Imaculada Conceição de Maria.
1854 d.C. A Concepção Imaculada da Virgem Maria foi proclamada pelo Papa Pius IX
1870 d.C. 1870, o Concílio do Vaticano I, declara a infalibilidade do Papa.
1931 d.C. No ano de 1931, o mesmo Papa, Pius XI, reafirmou a doutrina a qual Maria era "a Mãe de Deus"
1950 d.C. É proclamado o dogma da Assunção da Virgem Maria.
1965 d.C. Reaproximação entre a Igreja Católica Ortodoxa*. O Papa Paulo VI extingue oficialmente a Inquisição.
1967 d.C. O papa Paulo VI proíbe os católicos romanos de frequentarem cultos evangélicos.
2001 d.C. O papa João Paulo II pediu à igreja latino-americana para fomentar uma “ação pastoral decidida” contra as
seitas evangélicas, as quais definiu como um “grave obstáculo para a evangelização do continente”.
CONCLUSÃO
Qual será a próxima invenção? A Igreja Romana diz que nunca muda; mas mesmo assim, ela não tem feito
nada mais do que inventar doutrinas contrárias à Bíblia, e vir praticando ritos e cerimonias que largamente vieram de
paganismo. Um estudioso descobriu que 75% dos ritos e cerimonias da Igreja Romana, são de origem pagã.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
7. arrebatamento
7. arrebatamento7. arrebatamento
7. arrebatamento
Moisés Sampaio
 
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulaçãoEscatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Natalino das Neves Neves
 
Heresias da igreja católica romana
Heresias da igreja católica romanaHeresias da igreja católica romana
Heresias da igreja católica romana
Roberto Wagner G. dos Santos
 
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
Wander Sousa
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Adriano Pascoa
 
Panorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1PedroPanorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1Pedro
Respirando Deus
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
faculdadeteologica
 
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - IntroduçãoSeitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Luan Almeida
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
Efesios introdução
Efesios introduçãoEfesios introdução
Efesios introdução
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)
Jose Moraes
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média CristãAula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Adriano Pascoa
 
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIATEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
ASD Remanescentes
 
O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19
O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19
O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19
Projeto Preparar um Povo
 
Igreja católica desmascarada
Igreja católica desmascaradaIgreja católica desmascarada
Igreja católica desmascarada
REFORMADOR PROTESTANTE
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama Antigo Testamento
Panorama Antigo TestamentoPanorama Antigo Testamento
Panorama Antigo Testamento
Dagmar Wendt
 

Mais procurados (20)

Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
7. arrebatamento
7. arrebatamento7. arrebatamento
7. arrebatamento
 
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulaçãoEscatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
 
Heresias da igreja católica romana
Heresias da igreja católica romanaHeresias da igreja católica romana
Heresias da igreja católica romana
 
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
 
Panorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1PedroPanorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1Pedro
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - IntroduçãoSeitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
Seitas, heresias e falsos ensinos - Introdução
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
Efesios introdução
Efesios introduçãoEfesios introdução
Efesios introdução
 
Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
 
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média CristãAula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
 
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIATEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
TEXTOS ADULTERADOS DA BIBLIA
 
O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19
O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19
O QUE JOSEPH RATZINGER DISSE SOBRE MATEUS 28:19
 
Igreja católica desmascarada
Igreja católica desmascaradaIgreja católica desmascarada
Igreja católica desmascarada
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
 
Panorama Antigo Testamento
Panorama Antigo TestamentoPanorama Antigo Testamento
Panorama Antigo Testamento
 

Semelhante a Lista de heresias da Igreja Católica

30a atos
30a atos30a atos
30a atos
PIB Penha
 
19 periodo da igreja primitiva
19  periodo da igreja primitiva19  periodo da igreja primitiva
19 periodo da igreja primitiva
Pib Penha
 
enganos do Catolicismo
enganos do Catolicismoenganos do Catolicismo
enganos do Catolicismo
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4
PIBJA
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Luiz Costa Junior
 
14 periodo da igreja primitiva
14  periodo da igreja primitiva14  periodo da igreja primitiva
14 periodo da igreja primitiva
PIB Penha
 
#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx
#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx
#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx
waltermelechco1
 
Vários motivos para não sermos católicos romanos
Vários motivos para não sermos católicos romanosVários motivos para não sermos católicos romanos
Vários motivos para não sermos católicos romanos
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Aula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptxAula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptx
DenisAurlio2
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
Nelson Faustino
 
O catolicismo romano para leitura
O catolicismo romano para leituraO catolicismo romano para leitura
O catolicismo romano para leitura
Davidson Da Costa Ramos
 
História da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do OrienteHistória da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do Oriente
Glauco Gonçalves
 
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptxMaria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
JailsonAndersen
 
Apresentação2 reforma
Apresentação2 reformaApresentação2 reforma
Apresentação2 reforma
Carla Teixeira
 
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
ESCRIBAVALDEMIR
 
Reforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° AnoReforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° Ano
danibronstrup
 
Reforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EMReforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EM
danibronstrup
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
A renovação espiritual e religiosa.pptx de portugal
A renovação espiritual e religiosa.pptx de portugalA renovação espiritual e religiosa.pptx de portugal
A renovação espiritual e religiosa.pptx de portugal
Cecília Gomes
 
Celibato [I]
Celibato [I]Celibato [I]
Celibato [I]
Blog VALDERI
 

Semelhante a Lista de heresias da Igreja Católica (20)

30a atos
30a atos30a atos
30a atos
 
19 periodo da igreja primitiva
19  periodo da igreja primitiva19  periodo da igreja primitiva
19 periodo da igreja primitiva
 
enganos do Catolicismo
enganos do Catolicismoenganos do Catolicismo
enganos do Catolicismo
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 4
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
14 periodo da igreja primitiva
14  periodo da igreja primitiva14  periodo da igreja primitiva
14 periodo da igreja primitiva
 
#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx
#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx
#DesviosDaICAR-02.11.16.pptx
 
Vários motivos para não sermos católicos romanos
Vários motivos para não sermos católicos romanosVários motivos para não sermos católicos romanos
Vários motivos para não sermos católicos romanos
 
Aula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptxAula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptx
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
O catolicismo romano para leitura
O catolicismo romano para leituraO catolicismo romano para leitura
O catolicismo romano para leitura
 
História da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do OrienteHistória da Igreja - O Cisma do Oriente
História da Igreja - O Cisma do Oriente
 
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptxMaria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
 
Apresentação2 reforma
Apresentação2 reformaApresentação2 reforma
Apresentação2 reforma
 
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
 
Reforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° AnoReforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° Ano
 
Reforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EMReforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EM
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
 
A renovação espiritual e religiosa.pptx de portugal
A renovação espiritual e religiosa.pptx de portugalA renovação espiritual e religiosa.pptx de portugal
A renovação espiritual e religiosa.pptx de portugal
 
Celibato [I]
Celibato [I]Celibato [I]
Celibato [I]
 

Mais de Alberto Simonton

Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
Alberto Simonton
 
O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
Alberto Simonton
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
Alberto Simonton
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
Alberto Simonton
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Alberto Simonton
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
Alberto Simonton
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
Alberto Simonton
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
Alberto Simonton
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Alberto Simonton
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
Alberto Simonton
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
Alberto Simonton
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
Alberto Simonton
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
Alberto Simonton
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Alberto Simonton
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
Alberto Simonton
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
Alberto Simonton
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Alberto Simonton
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
Alberto Simonton
 

Mais de Alberto Simonton (20)

Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
 
O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
 

Último

O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 

Último (10)

O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 

Lista de heresias da Igreja Católica

  • 1. LISTA DE HERESIAS E TRADIÇÕES HUMANAS ADOTADAS e PERPETUADAS pela IGREJA CATÓLICA ROMANA. HERESIAS: são aquelas doutrinas e práticas contrárias à Bíblia. Elas são também chamadas de "tradições humanas" ou "doutrinas dos homens". Tanto Pedro como Paulo previram e alertaram que nos últimos dias "falsos professores" iriam surgir na Igreja e trazer consigo, "heresias de perdição" e "doutrinas de demônios". (Leia II Pedro 2:1-3, e I Timóteo 4:1-5). Jesus reprovou os Fariseus, porque eles transgrediram os mandamentos de Deus ao manterem suas tradições. "Mas, em vão" Ele disse "me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens " (Mateus 15:3,9.) 156 d.C. Surge o termo “Igreja católica”. 300 d.C. As velas de parafina foram introduzidas na igreja cerca de 310 d.C. As preces para os mortos e o sinal da Cruz. Ambas surgiram 300 anos após Cristo 312 d.C. Início da adoração aos santos. 370 d.C. Principia-se o uso dos altares e velas. Pelo fim do século IV, o culto dos santos foi introduzido por Basílio de Cesaréia e Gregório Nazianzeno. Também apareceu pela primeira vez o uso do incenso e turíbulo na igreja, pela influência dos prosélitos vindos do paganismo. 375 d.C. A Veneração aos anjos e santos mortos 394 d.C. A Missa, como uma celebração diária 400 d.C. Maria passa a ser considerada “mãe de Deus” e os católicos começam a interceder pelos mortos. 400 d.C. Paulino de Nola ordena que se reze pelos defuntos, e ensina o sinal da cruz feito no ar. 431 d.C. Instituição do culto à Maria no concílio de Éfeso. 451 d.C. Surge a doutrina da virgindade perpétua de Maria. 500 d.C Os Padres passaram a se vestir diferentemente dos leigos 593 d.C. A doutrina do Purgatório foi estabelecida primeiro, por Gregório o Grande 600 d.C. Gregório, o Grande, torna-se o primeiro Papa oficialmente aceito. Podemos considerar a Instituição da Igreja Católica Apostólica Romana daqui para a frente. 600 d.C. O Latim, como língua das orações e dos cultos nas igrejas, foi também imposto pelo Papa Gregório I. 607 d.C. O assassino Imperador Phocas dá ao Bispo de Roma o direito de primazia universal sobre a cristandade, depois do II Concílio de Constantinopla. 609 d.C A invocação dos santos e anjos é posta como lei da igreja. 709 d.C. O ato de beijar os pés do Papa 787 d.C. Instituição ao culto às imagens e às relíquias no II Concílio de Nicéia. 795 d.C. O incenso foi posto por lei nas cerimônias da igreja por Leão III 850 d.C. Concílio de Paiva. Instituição do rosário e da coroa da virgem Maria e da doutrina da transubstanciação*. 850 d.C. A Água Benta, misturada com uma pitada de sal e abençoada pelo padre 880 d.C. Início da canonização dos santos.
  • 2. 890 d.C. A Veneração a São José 965 d.C. O Batismo dos sinos foi instituído pelo papa João XIV 995 d.C. A Canonização dos santos mortos, foi feita pelo Papa João XV. 998 d.C. Jejuar as sextas-feiras e durante as Quaresmas 998 d.C. É estabelecida a festa aos mortos, “dia de finados’’ por Odilon. 1000 d.C. A confissão auricular generaliza-se e os ministérios e os ministros da igreja arrogam para si o célebre “Ego te Absolvo’’. A missa começa a chamar-se sacrifício. E organizam-se as peregrinações (romarias). 1073 d.C. Hildebrando chega a cadeia Papal, tomando o nome de Gregório VIII. Foi responsável por implantar a doutrina do celibato (estado de pessoa que se mantém solteira) na igreja. 1075 d.C. Gregório VII exigiu que os padres casados se divorciassem de seus cônjuges e abandonassem seus filhos. 1076 d.C. É declarada a infalibilidade da igreja 1094 d.C. No concílio de Clermont a Igreja católica cria as Indulgências (venda de salvação). 1100 d.C. Institui-se na Igreja Católica o pagamento pelas missas e pelo culto aos santos. 1160 d.C. A Igreja Católica estabelece os Sete Sacramentos. 1184 d.C. A “Santa Inquisição” é estabelecida no Concílio de Verona. 1190 d.C. A venda de Indulgências, usualmente considerada como a compra do perdão que permite indultar o pecado 1215 d.C. O Dogma da Transubstanciação foi decretado pelo Papa Inocêncio III 1215 d.C. A Confissão dos pecados ao padre, uma vez ao ano, foi instituída pelo Papa Inocêncio III, no Conselho de Lateran 1220 d.C. A adoração à Hóstia, foi decretada pelo Papa Honório 1227 d.C. Entra a campainha na missa por ordem de Gregório IX 1229 d.C. A Igreja Católica proíbe aos leigos a leitura da Bíblia. 1264 d.C. Urbano IV determina pela primeira vez a festa do corpo de Deus (Corpus Christi). 1275 d.C. A transubstanciação da hóstia (partícula circular de massa de trigo sem fermento, que o sacerdote consagra na missa) é transformada em artigo de fé. 1287 d.C. A proibição da Bíblia aos leigos, e a sua inclusão na lista de livros proibidos pelo conselho de Valência 1287 d.C. O Escapulário foi inventado por Simon Stock, um monge inglês, no ano de .... Trata-se de uma tira de tecido marrom, com o desenho da Virgem, que supõe conter virtudes sobrenaturais para proteger de todos os perigos, aqueles que as vestirem sobre a pele nua. 1311 d.C. Inicia-se a primeira procissão do S. Sacramento 1317 d.C. João XXII ordena a reza “Ave Maria’’. 1355 d.C. Na França, o “Santo Sudário” aparece pela 1ª vez.
  • 3. 1360 d.C. Começa a hóstia a ser levada em procissão. 1414 d.C. A Igreja Romana proibiu o cálice aos fiéis, pela instituição de um tipo só no Conselho de Constância 1439 d.C. A Doutrina do Purgatório foi proclamada como dogma de fé, pelo Conselho de Florença 1439 d.C. A doutrina dos 7 Sacramentos 1545 d.C. O Conselho de Trento, ocorrido no ano de 1545, declarou que a Tradição tivesse autoridade igual à Bíblia 1546 d.C. Os livros apócrifos também foram incluídos à Bíblia pelo Conselho de Trento 1560 d.C. O Credo do Papa Pius IV, foi imposto como credo oficial 1560 anos após Cristo e os Apóstolos 1573 d.C. A Igreja Católica altera a Bíblia original com cononicidade* de sete livros apócrifos*. 1854 d.C. O papa Pio XII cria o dogma da Imaculada Conceição de Maria. 1854 d.C. A Concepção Imaculada da Virgem Maria foi proclamada pelo Papa Pius IX 1870 d.C. 1870, o Concílio do Vaticano I, declara a infalibilidade do Papa. 1931 d.C. No ano de 1931, o mesmo Papa, Pius XI, reafirmou a doutrina a qual Maria era "a Mãe de Deus" 1950 d.C. É proclamado o dogma da Assunção da Virgem Maria. 1965 d.C. Reaproximação entre a Igreja Católica Ortodoxa*. O Papa Paulo VI extingue oficialmente a Inquisição. 1967 d.C. O papa Paulo VI proíbe os católicos romanos de frequentarem cultos evangélicos. 2001 d.C. O papa João Paulo II pediu à igreja latino-americana para fomentar uma “ação pastoral decidida” contra as seitas evangélicas, as quais definiu como um “grave obstáculo para a evangelização do continente”. CONCLUSÃO Qual será a próxima invenção? A Igreja Romana diz que nunca muda; mas mesmo assim, ela não tem feito nada mais do que inventar doutrinas contrárias à Bíblia, e vir praticando ritos e cerimonias que largamente vieram de paganismo. Um estudioso descobriu que 75% dos ritos e cerimonias da Igreja Romana, são de origem pagã.