SlideShare uma empresa Scribd logo
Protestantismo na América Latina 
O avanço 
História Eclesiástica II 
Pr. André dos Santos Falcão Nascimento 
Blog: http://prfalcao.blogspot.com 
Email: goldhawk@globo.com 
Seminário Teológico Shalom
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Brasil 
 Iniciativa Metodista (Kidder e Spaulding): Décadas de 
1830 e 40. 
 Iniciativa Congregacional (Kalley) 
 Iniciativa Presbiteriana (Simonton) 
 Iniciativa Batista (Bagby) 
 Peru 
 Penzotti e Ritchie
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Iniciativa Congregacional 
 Robert Reid Kelly (1809-1888), médico escocês, com sua esposa Sarah, já 
tinham experiência em Madeira e nas Índias Ocidentais britânicas, antes de 
chegarem no RJ em 10/05/1855. 
 Inicia seu ministério com os estrangeiros residentes em Petrópolis. 
 Em 1859, atua na conversão de duas nobres, o que gera uma proibição de 
atrair prosélitos e atuar na medicina. 
 Influente na alta sociedade e no meio secular, pregando a separação Igreja- 
Estado, funda a primeira igreja brasileira, de cunho congregacional (Igreja 
Evangélica Brasileira), em 1858, batizando o primeiro brasileiro em 11/07. 
São 14 membros que, em dez anos, se transformam em 360. 
 Uma segunda igreja é fundada em 1873, em Recife. 
 Desde o início a música é importante na igreja, editando Salmos e Hinos em 
1861. Este livro, com 50 hinos serviu às igrejas que se implementavam no 
Brasil.
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Iniciativa Presbiteriana 
 Maio de 1859: Assembleia Geral da IP nos EUA nomeia Ashbel Green 
Simonton, de 26 anos, para explorar o território brasileiro. 
 Chega no RJ em 12/08, sendo seguido pelo cunhado, Alexander Blackford, 
quase um ano depois, e de Francis Schneider em 1861. 
 Após não conseguir contatar a colônia americana no Rio e ter dificuldade em 
se aproximar do portugueses, Simonton inicia estudos bíblicos em português 
em maio de 1861. Um mês depois, inicia cultos noturnos de adoração com 
sete participantes. 
 Em 12/01/1862, os dois primeiros convertidos são aceitos pra comunhão. A 
primeira igreja presbiteriana brasileira também é fundada neste ano. 
 Schneider pregou em Rio Claro sem muito sucesso, mas é em viagem de 
Blackford à cidade que encontra José Manuel da Conceição, sacerdote 
católico que se converte e é ordenado ao ministério em 1865, sendo o 
primeiro brasileiro a receber tal ofício.
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Iniciativa Presbiteriana 
 Em 1865, enquanto Blackford batiza os seis primeiros que haviam se 
convertido em São Paulo, na cidade de Brotas, o presbiterianismo avançou e 
gerou uma comunidade com 60 membros em comunhão plena e 38 crianças. 
No Rio, a igreja também possuía 60 congregantes, e em São Paulo, após 3 
anos de trabalho, 22 congregantes. 
 José Manuel acabou sendo o grande expoente da evangelização brasileira 
nos seus primeiros anos. Viajante incansável a cavalo, pregava com 
frequência a grandes plateias. Em suas viagens, seguidamente ia de casa de 
casa, ler a Bíblia, orar e conversar noite adentro. 
 Seu interesse original era a evangelização, e não a plantação de igrejas, mas 
foi responsável pela formação de pequenos grupos de brasileiros 
evangelizados através das regiões oeste e norte de São Paulo. 
 Posteriormente, em 1880, o rev. John Boyle inicia o trabalho no interior de 
São Paulo , distribuindo bíblias até Uberaba, MG, descobrindo cinquenta 
cidades e vilas em seu trabalho, gerando as bases para a futura igreja 
presbiteriana brasileira.
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Iniciativa Batista 
 Após a Guerra Civil americana, em 1865, um grupo de imigrantes sulistas aporta no 
interior de São Paulo para plantar e aproveitar o trabalho escravo ainda permitido no 
Brasil. Este grupo atrai interesse das três principais denominações americanas. 
 Após missões metodistas (1867) e presbiterianas (1869), uma igreja batista se instala 
em Santa Bárbara do Oeste em 1871 para atender especificamente ao grupo 
americano. 
 Dez anos após esta iniciativa, William Buck Bagby e sua esposa Anne aportam no 
Brasil, passando por Santa Bárbara antes de ir para Salvador. Ali fundam a primeira 
igreja batista “brasileira” em 1882 com Zachary Taylor e Antônio Teixeira de 
Albuquerque. 
 Teixeira era produto de Santa Bárbara. Conheceu o evangelho com uma Bíblia italiana 
que encontrou na livraria do seminário de Olinda, onde estudou. Comparando a 
tradução de Almeida e a católica com o original grego, concluiu que a Bíblia 
protestante tinha a melhor tradução e se converteu. Após rápida passagem entre os 
metodistas, é ordenado entre os batistas de Santa Bárbara.
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Iniciativa Batista 
 Ao longo da década de 1880, os batistas rapidamente se espalharam pelo 
Brasil. Bagby fundou a PIB do Rio de Janeiro em 1884, enquanto Teixeira 
inicia uma igreja em 1885 em sua terra natal, Maceió, com dez membros. 
 Graças às vitórias legais e ao entusiasmo evangelístico dos missionários 
batistas, a denominação chega a oito igrejas em seis estados em 1888, com 
212 membros. Na proclamação da república, a PIB do RJ tinha 89 membros. 
Na virada do século, os batistas fundam uma igreja em SP e chegam a 2000 
membros no país inteiro. 
 Parte do crescimento batista se deve a uma nova onda de imigrantes, desta 
vez letos, que fogem da perseguição religiosa e chegam em 25 famílias em 
1890. A PIB letã em Rio Novo (SC) é formada em 1892 com 75 membros. 
Conseguindo uma grande gleba de terra em Nova Odessa, quinze colônias 
letãs formam-se no Brasil entre 1890 e 1922, principalmente de batistas. 
Treze igrejas, com 500 membros, são formadas entre eles. Após a 1ª Guerra 
Mundial, mais de 2000 letos imigram, aumentando o número de batistas no 
Brasil.
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Peru 
 No Peru, a atividade de qualquer religião que não a católica foi proibida até 
1920. 
 Francisco Penzotti, convertido em cruzada no Uruguai, trabalhou como pastor 
valdense até que os metodistas absorveram os valdenses naquele país. 
 Agente metodista da Sociedade Bíblica Americana, viajou com Andrew Milne, 
e trabalhou em Callao, no Peru, após o fracasso de Thomson em tentar 
implementar escolas Lancaster em Lima. 
 Em três meses de trabalho, Penzotti consegue reunir 50 pessoas em reuniões 
nas tardes de domingo. Para tal, ia de casa em casa distribuindo e vendendo 
Bíblias, enviando membros de casa em casa, de dois em dois, na tentativa de 
evangelizar Callao. 
 Preso em 25/07/1889 acusado de transgredir a lei, consegue, após oito 
meses encarcerado, que o Estado reconheça a legalidade dos cultos 
particulares de adoração no Peru.
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Peru 
 Com a saúde prejudicada, é substituído por Thomas Wood em 1891. 
 A obra metodista no Peru se desenvolve, com a distribuição de 18.000 
bíblias e parte delas. Uma igreja forte é estabelecida em Lima e missões 
são fundadas em outras cidades chave. 
 Posteriormente, vários missionários de diversas denominações chegam 
ao país, iniciando vários trabalhos. Inicialmente, Charles Bright, dos 
Irmãos de Plymouth da Inglaterra, chega a Callao em 1893, recebendo 
dois batistas no ano seguinte em Lima. Os batistas alugaram um salão e 
Bright, que sabia espanhol, foi o pregador. Um ano depois, o grupo se 
dividiu e Bright alugou um local anteriormente usado por anglicanos na 
Rua Negreiros. Ali, começou a realizar cultos em 1896, chegando a 30 
membros 4 anos depois.
Dois casos da propagação do evangelho na AL 
 Peru 
 Em 1907, John Ritchie, batista escocês enviado sob o 
patrocínio da Evangelical Union of South America, se une a 
Bright como líder da igreja da Rua Negreiros, onde começa a 
formar novos ministros em um Instituto Bíblico no local, em 
1910. 
 Em 1919, as diversas igrejas ligadas a da Rua Negreiros 
começam a debater uma união, e em 1922 fundam a Igreja 
Evangélica Peruana, conseguindo chegar a 44 comunidades 
em 1924, mas enfrentando estagnação a partir da década de 
30, muito em função da falta de treinamento sistemático e 
abrangente.
Protestantismo do final do séc. XIX (até 1930) 
 Surgimento do Pentecostalismo no Brasil (1910-11), México (1914), Chile 
(década de 1910). 
 Divisão dos presbiterianos brasileiros em 1903 sobre a questão da maçonaria e 
da cooperação com as juntas americanas de missões. 
 IPB: Manteve a cooperação com as juntas e aceitou que seus membros fossem 
maçons até 2011. Cresceu após a implementação do Plano Brasil em 1917, onde 
recursos das agências missionárias foram usados para implantar igrejas no interior do 
país. 
 IPI: Grupo dissidente. 
 Congresso Pan-Americano (Panamá), 1916: Busca por colaboração entre juntas 
e denominações, além de necessidade de intercomunicação e coordenação da 
obra educacional. O relacionamento e cooperação fraternais encontra 
expressão nesse Congresso. O sentimento anticatólico gera uma negativa de 
colaboração com a Igreja Católica no campo da assistência social.
Características do protestantismo latinoamericano 
 Formato dogmático, puritano e legalista. 
 Exige uma decisão transformadora de estilo de vida, envolvendo inúmeras 
implicações éticas e sociais. 
 Interiorização da fé. 
 Comunidade de fé com múltiplos relacionamentos interpessoais. 
 Escrituras como norma de fé (teologia conservadora) – 10 milhões de Bíblias 
distribuídas até 1935. 
 Liberdade de culto fora do ambiente do templo (residências, restaurantes, ao ar 
livre, etc). 
 Palavra como centro do culto e da vida, a razão de ser da Igreja. 
 Simplicidade e espontaneidade, com multiplicidade de hinos e cânticos. 
 Represálias sociais e econômicas por parte dos católicos, gerando mentalidade 
de gueto nas comunidades, alienando-se da sociedade em geral. 
 Ênfase em educação e medicina, com construção de escolas, orfanatos e 
clínicas.
Fontes 
 Texto base: CAIRNS, Earle E. O Cristianismo através dos séculos: uma 
história da igreja cristã. 3 ed. Trad. Israel Belo de Azevedo e Valdemar 
Kroker. São Paulo: Vida Nova, 2008. 
 Textos auxiliares: 
 DREHER, Martin N. Coleção História da Igreja, 4 vols. 4 ed. São Leopoldo: 
Sinodal, 1996. 
 GONZALEZ, Justo L. História ilustrada do cristianismo. 10 vols. São Paulo: 
Vida Nova, 1983

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
História da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internas
História da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internasHistória da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internas
História da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internas
Andre Nascimento
 
História da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesa
História da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesaHistória da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesa
História da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesa
Andre Nascimento
 
Uma igreja genuinamente pentecostal
Uma igreja genuinamente pentecostalUma igreja genuinamente pentecostal
Uma igreja genuinamente pentecostal
Valmir Nascimento Milomem Santos
 
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidadeA renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
Álvaro Tito
 
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e heregesHistória da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
Andre Nascimento
 
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas CatólicasHistória da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
Andre Nascimento
 
História da Igreja II: Aula 5: Igrejas Reformadas
História da Igreja II: Aula 5: Igrejas ReformadasHistória da Igreja II: Aula 5: Igrejas Reformadas
História da Igreja II: Aula 5: Igrejas Reformadas
Andre Nascimento
 
Igrejas evangelicas no Brasil
Igrejas evangelicas no BrasilIgrejas evangelicas no Brasil
Igrejas evangelicas no Brasil
Pastor Robson Colaço
 
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os AnabatistasHistória da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
Andre Nascimento
 
O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas
O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadasO protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas
O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas
Rosiane Mota
 
O movimento pentecostal
O movimento pentecostalO movimento pentecostal
O movimento pentecostal
joabs
 
Quadro religião comparadas
Quadro religião comparadasQuadro religião comparadas
Quadro religião comparadas
Vítor Santos
 
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o BrasilHistória dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
Djalma C. Filho
 
A renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidadeA renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidade
cattonia
 
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja CatólicaHistória da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
Andre Nascimento
 
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e BrasilHistória da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
Andre Nascimento
 
Trabalho de história
Trabalho de históriaTrabalho de história
Trabalho de história
Cristian Gomes
 
Raizes historico teologicas do movimento pentecostal
Raizes historico teologicas do movimento pentecostalRaizes historico teologicas do movimento pentecostal
Raizes historico teologicas do movimento pentecostal
Jose Ventura
 
História da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasilHistória da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasil
Haroldo Xavier Silva
 

Mais procurados (20)

Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
 
História da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internas
História da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internasHistória da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internas
História da Igreja I: Aula 12: Tentativas de mudanças internas
 
História da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesa
História da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesaHistória da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesa
História da Igreja I: Aula 5 - Em posição de defesa
 
Uma igreja genuinamente pentecostal
Uma igreja genuinamente pentecostalUma igreja genuinamente pentecostal
Uma igreja genuinamente pentecostal
 
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidadeA renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
 
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e heregesHistória da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
 
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas CatólicasHistória da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
 
História da Igreja II: Aula 5: Igrejas Reformadas
História da Igreja II: Aula 5: Igrejas ReformadasHistória da Igreja II: Aula 5: Igrejas Reformadas
História da Igreja II: Aula 5: Igrejas Reformadas
 
Igrejas evangelicas no Brasil
Igrejas evangelicas no BrasilIgrejas evangelicas no Brasil
Igrejas evangelicas no Brasil
 
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os AnabatistasHistória da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
História da Igreja II: Aula 4: Reforma Radical: Muntzer e os Anabatistas
 
O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas
O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadasO protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas
O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas
 
O movimento pentecostal
O movimento pentecostalO movimento pentecostal
O movimento pentecostal
 
Quadro religião comparadas
Quadro religião comparadasQuadro religião comparadas
Quadro religião comparadas
 
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o BrasilHistória dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
 
A renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidadeA renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidade
 
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja CatólicaHistória da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
História da Igreja I: Aula 7: Desenvolvimento da Igreja Católica
 
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e BrasilHistória da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
 
Trabalho de história
Trabalho de históriaTrabalho de história
Trabalho de história
 
Raizes historico teologicas do movimento pentecostal
Raizes historico teologicas do movimento pentecostalRaizes historico teologicas do movimento pentecostal
Raizes historico teologicas do movimento pentecostal
 
História da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasilHistória da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasil
 

Destaque

História da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XX
História da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XXHistória da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XX
História da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XX
Andre Nascimento
 
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos RacionalistasHistória da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
Andre Nascimento
 
História da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos Tempos
História da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos TemposHistória da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos Tempos
História da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos Tempos
Andre Nascimento
 
História da Igreja I - Aula 1 - Introdução
História da Igreja I - Aula 1 - IntroduçãoHistória da Igreja I - Aula 1 - Introdução
História da Igreja I - Aula 1 - Introdução
Andre Nascimento
 
História da Igreja I: Aula 13: Oposição Externa
História da Igreja I: Aula 13: Oposição ExternaHistória da Igreja I: Aula 13: Oposição Externa
História da Igreja I: Aula 13: Oposição Externa
Andre Nascimento
 
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
Andre Nascimento
 
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré ReformaHistória da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
Andre Nascimento
 
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais ApostólicosHistória da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
Andre Nascimento
 
História da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e Escolástica
História da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e EscolásticaHistória da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e Escolástica
História da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e Escolástica
Andre Nascimento
 
História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)
História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)
História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)
Andre Nascimento
 
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1   deus dá sua lei ao povo de israelLição 1   deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Adriano Pascoa
 
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas EscriturasPurgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Adriano Pascoa
 
Anibal pereira dos reis o ecumenismo e os batistas
Anibal pereira dos reis   o ecumenismo e os batistasAnibal pereira dos reis   o ecumenismo e os batistas
Anibal pereira dos reis o ecumenismo e os batistasDeusdete Soares
 

Destaque (13)

História da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XX
História da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XXHistória da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XX
História da Igreja II: Aula 13: A Igreja no Século XX
 
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos RacionalistasHistória da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
 
História da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos Tempos
História da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos TemposHistória da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos Tempos
História da Igreja I: Aula 2 - Cristo e a Plenitude dos Tempos
 
História da Igreja I - Aula 1 - Introdução
História da Igreja I - Aula 1 - IntroduçãoHistória da Igreja I - Aula 1 - Introdução
História da Igreja I - Aula 1 - Introdução
 
História da Igreja I: Aula 13: Oposição Externa
História da Igreja I: Aula 13: Oposição ExternaHistória da Igreja I: Aula 13: Oposição Externa
História da Igreja I: Aula 13: Oposição Externa
 
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
 
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré ReformaHistória da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
História da Igreja II: Aula 1: Pré Reforma
 
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais ApostólicosHistória da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
 
História da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e Escolástica
História da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e EscolásticaHistória da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e Escolástica
História da Igreja I: Aula 11: Cruzadas, Reformas Monásticas e Escolástica
 
História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)
História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)
História da Igreja I: Aula 8: Império e Cristianismo Latino Teutônico (1/2)
 
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1   deus dá sua lei ao povo de israelLição 1   deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
 
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas EscriturasPurgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
Purgatório - A Doutrina Explicada e Refutada a Luz das Sagradas Escrituras
 
Anibal pereira dos reis o ecumenismo e os batistas
Anibal pereira dos reis   o ecumenismo e os batistasAnibal pereira dos reis   o ecumenismo e os batistas
Anibal pereira dos reis o ecumenismo e os batistas
 

Semelhante a História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)

História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
andreisantos7
 
História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
andreisantos7
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Monergista Post
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Monergista Post
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
A história dos batistas
A história dos batistasA história dos batistas
A história dos batistas
Verdade Gospel
 
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasilantonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
A história da igreja batista
A história da igreja batistaA história da igreja batista
A história da igreja batista
Yndrews Filliph
 
História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2
Eliezer Almeida
 
Metodismono brasil
Metodismono brasilMetodismono brasil
Metodismono brasil
Paulo Dias Nogueira
 
Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!
Leonardo Pereira
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
Alberto Simonton
 
Metodismo no brasil os primórdios da obra missionária
Metodismo no brasil   os primórdios da obra missionáriaMetodismo no brasil   os primórdios da obra missionária
Metodismo no brasil os primórdios da obra missionária
Paulo Dias Nogueira
 
tabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptxtabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptx
Pib Penha
 
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMOPROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
LviaGarcia7
 
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptxeclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
Belmirofil
 
PG-Na História do Adventismo-Cap6.pptx
PG-Na História do Adventismo-Cap6.pptxPG-Na História do Adventismo-Cap6.pptx
PG-Na História do Adventismo-Cap6.pptx
NitsnPsevdonim
 
História do metodismo no brasil
História do metodismo no brasilHistória do metodismo no brasil
História do metodismo no brasil
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...
A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...
A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...
Vanildo Zugno
 

Semelhante a História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2) (20)

História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
 
História das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xxHistória das missões na igreja brasileira do século xx
História das missões na igreja brasileira do século xx
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
A história dos batistas
A história dos batistasA história dos batistas
A história dos batistas
 
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasilantonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
antonio inacio ferraz-Congregaçáo Cristã do Brasil
 
A história da igreja batista
A história da igreja batistaA história da igreja batista
A história da igreja batista
 
História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2
 
Metodismono brasil
Metodismono brasilMetodismono brasil
Metodismono brasil
 
Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!Diversidade religiosa!
Diversidade religiosa!
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
 
Metodismo no brasil os primórdios da obra missionária
Metodismo no brasil   os primórdios da obra missionáriaMetodismo no brasil   os primórdios da obra missionária
Metodismo no brasil os primórdios da obra missionária
 
tabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptxtabela das religiões.pptx
tabela das religiões.pptx
 
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMOPROTESTANTISMO DE  MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
PROTESTANTISMO DE MISSÕES HISTORIA DO CRISTIANISMO
 
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptxeclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
 
PG-Na História do Adventismo-Cap6.pptx
PG-Na História do Adventismo-Cap6.pptxPG-Na História do Adventismo-Cap6.pptx
PG-Na História do Adventismo-Cap6.pptx
 
História do metodismo no brasil
História do metodismo no brasilHistória do metodismo no brasil
História do metodismo no brasil
 
A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...
A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...
A Igreja católica e as mulheres no contexto de romanização da Igreja no Rio G...
 

Mais de Andre Nascimento

Aula Jonatas 76: A ceia do senhor
Aula Jonatas 76: A ceia do senhorAula Jonatas 76: A ceia do senhor
Aula Jonatas 76: A ceia do senhor
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 75: Um corpo estranho
Aula Jonatas 75: Um corpo estranhoAula Jonatas 75: Um corpo estranho
Aula Jonatas 75: Um corpo estranho
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13
Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13
Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2a
Pensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2aPensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2a
Pensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2a
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 74: O valor da adoração
Aula Jonatas 74: O valor da adoraçãoAula Jonatas 74: O valor da adoração
Aula Jonatas 74: O valor da adoração
Andre Nascimento
 
Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6
Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6
Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 73: Obra x manobra
Aula Jonatas 73: Obra x manobraAula Jonatas 73: Obra x manobra
Aula Jonatas 73: Obra x manobra
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11
Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11
Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 72: A lição da figueira
Aula Jonatas 72: A lição da figueiraAula Jonatas 72: A lição da figueira
Aula Jonatas 72: A lição da figueira
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19
Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19
Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 71: O fim dos tempos
Aula Jonatas 71: O fim dos temposAula Jonatas 71: O fim dos tempos
Aula Jonatas 71: O fim dos tempos
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 70: Vencendo os obstáculos
Aula Jonatas 70: Vencendo os obstáculosAula Jonatas 70: Vencendo os obstáculos
Aula Jonatas 70: Vencendo os obstáculos
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3
Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3
Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1b
Pensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1bPensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1b
Pensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1b
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 68: O ofertante vem antes da oferta
Aula Jonatas 68: O ofertante vem antes da ofertaAula Jonatas 68: O ofertante vem antes da oferta
Aula Jonatas 68: O ofertante vem antes da oferta
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23
Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23
Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 67: Misericórdia quero
Aula Jonatas 67: Misericórdia queroAula Jonatas 67: Misericórdia quero
Aula Jonatas 67: Misericórdia quero
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6
Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6
Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6
Andre Nascimento
 
Aula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de Davi
Aula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de DaviAula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de Davi
Aula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de Davi
Andre Nascimento
 
Pensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11a
Pensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11aPensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11a
Pensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11a
Andre Nascimento
 

Mais de Andre Nascimento (20)

Aula Jonatas 76: A ceia do senhor
Aula Jonatas 76: A ceia do senhorAula Jonatas 76: A ceia do senhor
Aula Jonatas 76: A ceia do senhor
 
Aula Jonatas 75: Um corpo estranho
Aula Jonatas 75: Um corpo estranhoAula Jonatas 75: Um corpo estranho
Aula Jonatas 75: Um corpo estranho
 
Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13
Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13
Pensamentos Elevados #15: O amor 1 Co 13.13
 
Pensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2a
Pensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2aPensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2a
Pensamentos Elevados #14: Multiplicadores Jd 2a
 
Aula Jonatas 74: O valor da adoração
Aula Jonatas 74: O valor da adoraçãoAula Jonatas 74: O valor da adoração
Aula Jonatas 74: O valor da adoração
 
Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6
Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6
Pensamentos elevados #13: Fé hb11.1 3,6
 
Aula Jonatas 73: Obra x manobra
Aula Jonatas 73: Obra x manobraAula Jonatas 73: Obra x manobra
Aula Jonatas 73: Obra x manobra
 
Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11
Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11
Pensamentos Elevados #12: O sangue Lv 17.11
 
Aula Jonatas 72: A lição da figueira
Aula Jonatas 72: A lição da figueiraAula Jonatas 72: A lição da figueira
Aula Jonatas 72: A lição da figueira
 
Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19
Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19
Pensamentos Elevados #10: Uma oportunidade Lc. 21.8, 12-19
 
Aula Jonatas 71: O fim dos tempos
Aula Jonatas 71: O fim dos temposAula Jonatas 71: O fim dos tempos
Aula Jonatas 71: O fim dos tempos
 
Aula Jonatas 70: Vencendo os obstáculos
Aula Jonatas 70: Vencendo os obstáculosAula Jonatas 70: Vencendo os obstáculos
Aula Jonatas 70: Vencendo os obstáculos
 
Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3
Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3
Pensamentos Elevados #9: Esperança viva 1 Pe 1.3
 
Pensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1b
Pensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1bPensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1b
Pensamentos Elevados #7: Ame até o fim jo13.1b
 
Aula Jonatas 68: O ofertante vem antes da oferta
Aula Jonatas 68: O ofertante vem antes da ofertaAula Jonatas 68: O ofertante vem antes da oferta
Aula Jonatas 68: O ofertante vem antes da oferta
 
Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23
Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23
Pensamentos Elevados #8: Santos! Jo 14.23
 
Aula Jonatas 67: Misericórdia quero
Aula Jonatas 67: Misericórdia queroAula Jonatas 67: Misericórdia quero
Aula Jonatas 67: Misericórdia quero
 
Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6
Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6
Pensamentos Elevados # 6: Misericórdia quero Os 6.6
 
Aula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de Davi
Aula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de DaviAula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de Davi
Aula Jonatas 66: Jesus Cristo, filho de Davi
 
Pensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11a
Pensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11aPensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11a
Pensamentos Elevados #5: A tristeza de Deus Ez 33.11a
 

Último

O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
André Luiz Marques
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
JaquelineSantosBasto
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 

Último (15)

O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 

História da Igreja II: Aula 12: Protestantismo na AL e Brasil (parte 2)

  • 1. Protestantismo na América Latina O avanço História Eclesiástica II Pr. André dos Santos Falcão Nascimento Blog: http://prfalcao.blogspot.com Email: goldhawk@globo.com Seminário Teológico Shalom
  • 2. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Brasil  Iniciativa Metodista (Kidder e Spaulding): Décadas de 1830 e 40.  Iniciativa Congregacional (Kalley)  Iniciativa Presbiteriana (Simonton)  Iniciativa Batista (Bagby)  Peru  Penzotti e Ritchie
  • 3. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Iniciativa Congregacional  Robert Reid Kelly (1809-1888), médico escocês, com sua esposa Sarah, já tinham experiência em Madeira e nas Índias Ocidentais britânicas, antes de chegarem no RJ em 10/05/1855.  Inicia seu ministério com os estrangeiros residentes em Petrópolis.  Em 1859, atua na conversão de duas nobres, o que gera uma proibição de atrair prosélitos e atuar na medicina.  Influente na alta sociedade e no meio secular, pregando a separação Igreja- Estado, funda a primeira igreja brasileira, de cunho congregacional (Igreja Evangélica Brasileira), em 1858, batizando o primeiro brasileiro em 11/07. São 14 membros que, em dez anos, se transformam em 360.  Uma segunda igreja é fundada em 1873, em Recife.  Desde o início a música é importante na igreja, editando Salmos e Hinos em 1861. Este livro, com 50 hinos serviu às igrejas que se implementavam no Brasil.
  • 4. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Iniciativa Presbiteriana  Maio de 1859: Assembleia Geral da IP nos EUA nomeia Ashbel Green Simonton, de 26 anos, para explorar o território brasileiro.  Chega no RJ em 12/08, sendo seguido pelo cunhado, Alexander Blackford, quase um ano depois, e de Francis Schneider em 1861.  Após não conseguir contatar a colônia americana no Rio e ter dificuldade em se aproximar do portugueses, Simonton inicia estudos bíblicos em português em maio de 1861. Um mês depois, inicia cultos noturnos de adoração com sete participantes.  Em 12/01/1862, os dois primeiros convertidos são aceitos pra comunhão. A primeira igreja presbiteriana brasileira também é fundada neste ano.  Schneider pregou em Rio Claro sem muito sucesso, mas é em viagem de Blackford à cidade que encontra José Manuel da Conceição, sacerdote católico que se converte e é ordenado ao ministério em 1865, sendo o primeiro brasileiro a receber tal ofício.
  • 5. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Iniciativa Presbiteriana  Em 1865, enquanto Blackford batiza os seis primeiros que haviam se convertido em São Paulo, na cidade de Brotas, o presbiterianismo avançou e gerou uma comunidade com 60 membros em comunhão plena e 38 crianças. No Rio, a igreja também possuía 60 congregantes, e em São Paulo, após 3 anos de trabalho, 22 congregantes.  José Manuel acabou sendo o grande expoente da evangelização brasileira nos seus primeiros anos. Viajante incansável a cavalo, pregava com frequência a grandes plateias. Em suas viagens, seguidamente ia de casa de casa, ler a Bíblia, orar e conversar noite adentro.  Seu interesse original era a evangelização, e não a plantação de igrejas, mas foi responsável pela formação de pequenos grupos de brasileiros evangelizados através das regiões oeste e norte de São Paulo.  Posteriormente, em 1880, o rev. John Boyle inicia o trabalho no interior de São Paulo , distribuindo bíblias até Uberaba, MG, descobrindo cinquenta cidades e vilas em seu trabalho, gerando as bases para a futura igreja presbiteriana brasileira.
  • 6. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Iniciativa Batista  Após a Guerra Civil americana, em 1865, um grupo de imigrantes sulistas aporta no interior de São Paulo para plantar e aproveitar o trabalho escravo ainda permitido no Brasil. Este grupo atrai interesse das três principais denominações americanas.  Após missões metodistas (1867) e presbiterianas (1869), uma igreja batista se instala em Santa Bárbara do Oeste em 1871 para atender especificamente ao grupo americano.  Dez anos após esta iniciativa, William Buck Bagby e sua esposa Anne aportam no Brasil, passando por Santa Bárbara antes de ir para Salvador. Ali fundam a primeira igreja batista “brasileira” em 1882 com Zachary Taylor e Antônio Teixeira de Albuquerque.  Teixeira era produto de Santa Bárbara. Conheceu o evangelho com uma Bíblia italiana que encontrou na livraria do seminário de Olinda, onde estudou. Comparando a tradução de Almeida e a católica com o original grego, concluiu que a Bíblia protestante tinha a melhor tradução e se converteu. Após rápida passagem entre os metodistas, é ordenado entre os batistas de Santa Bárbara.
  • 7. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Iniciativa Batista  Ao longo da década de 1880, os batistas rapidamente se espalharam pelo Brasil. Bagby fundou a PIB do Rio de Janeiro em 1884, enquanto Teixeira inicia uma igreja em 1885 em sua terra natal, Maceió, com dez membros.  Graças às vitórias legais e ao entusiasmo evangelístico dos missionários batistas, a denominação chega a oito igrejas em seis estados em 1888, com 212 membros. Na proclamação da república, a PIB do RJ tinha 89 membros. Na virada do século, os batistas fundam uma igreja em SP e chegam a 2000 membros no país inteiro.  Parte do crescimento batista se deve a uma nova onda de imigrantes, desta vez letos, que fogem da perseguição religiosa e chegam em 25 famílias em 1890. A PIB letã em Rio Novo (SC) é formada em 1892 com 75 membros. Conseguindo uma grande gleba de terra em Nova Odessa, quinze colônias letãs formam-se no Brasil entre 1890 e 1922, principalmente de batistas. Treze igrejas, com 500 membros, são formadas entre eles. Após a 1ª Guerra Mundial, mais de 2000 letos imigram, aumentando o número de batistas no Brasil.
  • 8. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Peru  No Peru, a atividade de qualquer religião que não a católica foi proibida até 1920.  Francisco Penzotti, convertido em cruzada no Uruguai, trabalhou como pastor valdense até que os metodistas absorveram os valdenses naquele país.  Agente metodista da Sociedade Bíblica Americana, viajou com Andrew Milne, e trabalhou em Callao, no Peru, após o fracasso de Thomson em tentar implementar escolas Lancaster em Lima.  Em três meses de trabalho, Penzotti consegue reunir 50 pessoas em reuniões nas tardes de domingo. Para tal, ia de casa em casa distribuindo e vendendo Bíblias, enviando membros de casa em casa, de dois em dois, na tentativa de evangelizar Callao.  Preso em 25/07/1889 acusado de transgredir a lei, consegue, após oito meses encarcerado, que o Estado reconheça a legalidade dos cultos particulares de adoração no Peru.
  • 9. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Peru  Com a saúde prejudicada, é substituído por Thomas Wood em 1891.  A obra metodista no Peru se desenvolve, com a distribuição de 18.000 bíblias e parte delas. Uma igreja forte é estabelecida em Lima e missões são fundadas em outras cidades chave.  Posteriormente, vários missionários de diversas denominações chegam ao país, iniciando vários trabalhos. Inicialmente, Charles Bright, dos Irmãos de Plymouth da Inglaterra, chega a Callao em 1893, recebendo dois batistas no ano seguinte em Lima. Os batistas alugaram um salão e Bright, que sabia espanhol, foi o pregador. Um ano depois, o grupo se dividiu e Bright alugou um local anteriormente usado por anglicanos na Rua Negreiros. Ali, começou a realizar cultos em 1896, chegando a 30 membros 4 anos depois.
  • 10. Dois casos da propagação do evangelho na AL  Peru  Em 1907, John Ritchie, batista escocês enviado sob o patrocínio da Evangelical Union of South America, se une a Bright como líder da igreja da Rua Negreiros, onde começa a formar novos ministros em um Instituto Bíblico no local, em 1910.  Em 1919, as diversas igrejas ligadas a da Rua Negreiros começam a debater uma união, e em 1922 fundam a Igreja Evangélica Peruana, conseguindo chegar a 44 comunidades em 1924, mas enfrentando estagnação a partir da década de 30, muito em função da falta de treinamento sistemático e abrangente.
  • 11. Protestantismo do final do séc. XIX (até 1930)  Surgimento do Pentecostalismo no Brasil (1910-11), México (1914), Chile (década de 1910).  Divisão dos presbiterianos brasileiros em 1903 sobre a questão da maçonaria e da cooperação com as juntas americanas de missões.  IPB: Manteve a cooperação com as juntas e aceitou que seus membros fossem maçons até 2011. Cresceu após a implementação do Plano Brasil em 1917, onde recursos das agências missionárias foram usados para implantar igrejas no interior do país.  IPI: Grupo dissidente.  Congresso Pan-Americano (Panamá), 1916: Busca por colaboração entre juntas e denominações, além de necessidade de intercomunicação e coordenação da obra educacional. O relacionamento e cooperação fraternais encontra expressão nesse Congresso. O sentimento anticatólico gera uma negativa de colaboração com a Igreja Católica no campo da assistência social.
  • 12. Características do protestantismo latinoamericano  Formato dogmático, puritano e legalista.  Exige uma decisão transformadora de estilo de vida, envolvendo inúmeras implicações éticas e sociais.  Interiorização da fé.  Comunidade de fé com múltiplos relacionamentos interpessoais.  Escrituras como norma de fé (teologia conservadora) – 10 milhões de Bíblias distribuídas até 1935.  Liberdade de culto fora do ambiente do templo (residências, restaurantes, ao ar livre, etc).  Palavra como centro do culto e da vida, a razão de ser da Igreja.  Simplicidade e espontaneidade, com multiplicidade de hinos e cânticos.  Represálias sociais e econômicas por parte dos católicos, gerando mentalidade de gueto nas comunidades, alienando-se da sociedade em geral.  Ênfase em educação e medicina, com construção de escolas, orfanatos e clínicas.
  • 13. Fontes  Texto base: CAIRNS, Earle E. O Cristianismo através dos séculos: uma história da igreja cristã. 3 ed. Trad. Israel Belo de Azevedo e Valdemar Kroker. São Paulo: Vida Nova, 2008.  Textos auxiliares:  DREHER, Martin N. Coleção História da Igreja, 4 vols. 4 ed. São Leopoldo: Sinodal, 1996.  GONZALEZ, Justo L. História ilustrada do cristianismo. 10 vols. São Paulo: Vida Nova, 1983