SlideShare uma empresa Scribd logo
ÉTICA CRISTÃ
Numa sociedade pluralista, como a em que nós vivemos, é
fundamental a existência de valores éticos definidos que
norteiem a conduta dos cristãos, de modo que venham a
oferecer um modelo de vida alternativo à sua sociedade.
ÉTICA CRISTÃ
No meio evangélico há diferentes propostas éticas, quer
conscientemente elaboradas, quer não: todas querendo a
aprovação dos cristãos, reivindicando serem bíblicas.
ÉTICA CRISTÃ
As posições básicas que podem ser adotadas quanto à questão
das normas éticas podem ser ilustradas por um caso recente que
envolveu o Comandante Lloyd Bucher, do navio-espião Pueblo,
que, com sua tripulação de 23 homens, foi capturado pelos
norte-coreanos.
ÉTICA CRISTÃ
Quando os interrogadores ameaçaram matar a tripulação,
Bucher assinou confissões, confessando falsamente a culpa de
fazer espionagem nas águas territoriais da Coréia do Norte.
ÉTICA CRISTÃ
Estas falsas confissões vieram a ser o fundamento para poupar
as vidas da tripulação e levar à sua libertação. A pergunta,
portanto, é esta: a mentira de Bucher para salvar estas vidas foi
moralmente justificada?
ÉTICA CRISTÃ
Ou, de modo mais geral, mentir para salvar uma vida é
moralmente certo em qualquer situação? Uma maneira de
responder a esta pergunta é rejeitar totalmente a noção de
moralidade.
ÉTICA CRISTÃ
AS ABORDAGENS BÁSICAS: NORMAS ÉTICAS OU FINS ÉTICOS?
A distinção entre estas duas abordagens pode ser expressada
pelas palavras teleológica e deontológica. A primeira destas
ressalta os fins ou resultados éticos das ações; a outra enfatiza
normas éticas ou princípios para a ação ética.
ÉTICA CRISTÃ
É necessário compreendê-las melhor antes que se possa
entender adequadamente a abordagem normativa adotada
neste livro.
A diferença básica entre a ética teleológica e a deontológica
pode ser explicada pelo significado das raízes das palavras. A
teleologia vem da palavra grega telos, que significa "fim" ou
"propósito."
ÉTICA CRISTÃ
A deontologia vem da palavra grega deon, que significa aquilo
que é devido. Na aplicação à ética, portanto, uma abordagem
teleológica é aquela que ressalta o fim ou o resultado da ação, e
uma abordagem deontológica depende de regras básicas
mediante as quais se pode determinar o que é devido em
qualquer caso específico, independentemente dos resultados.
ÉTICA CRISTÃ
Ou seja, a primeira é uma ética pragmática ou utilitária, que se
ocupa com se uma ação funcionará, afinal, para o bem da
maioria dos homens.
A segunda é uma ética de princípios, que se ocupa com o dever
da pessoa de fazer aquilo que é inerentemente correto à parte
das consequências que se possa prever.
ÉTICA CRISTÃ
AS NORMAS SÃO NECESSÁRIAS
As normas não somente são inescapáveis, como também são
necessárias. Elas são necessárias, se é que a pessoa quer ter
orientação relevante para as decisões da vida.
Sem algum tipo de diretriz que possa ser pensada e declarada,
pois, não há maneira de alguém fazer decisões razoáveis ou
significantes acerca de alterar modos de ação.
ÉTICA CRISTÃ
Para a ética ser relevante, portanto, deve ser normativa. Que as
declarações éticas normativas são relevantes subentende várias
coisas.
ÉTICA CRISTÃ
O ÉTICO COMO UNIVERSAL
Kierkegaard acreditava que "o ético como tal é o universal, e
como o universal, aplica-se a todas as pessoas, o que pode ser
expressado doutro ponto de vista, dizendo que é aplicável a cada
instante." Ou, "o ético como tal é o universal, e também, como o
universal, é o manifesto, o revelado."
ÉTICA CRISTÃ
Diz, de fato: "O ético é o universal, e, como tal, também é o
divino." E, tendo em vista este fato, "tem-se, portanto, um
direito de dizer que, fundamentalmente, todo dever é um dever
diante de Deus."
Isto não deve deixar dúvida alguma de que Kierkegaard
acreditava sinceramente nas obrigações morais universais, até o
ponto de chamar o dever moral de obrigação divina.
ÉTICA CRISTÃ
O INDIVIDUAL RELIGIOSO SOBRE O UNIVERSAL ÉTICO
Há ocasiões em que o dever direto do indivíduo diante de Deus
entra em conflito com seu dever universal diante doutros
homens. Em tais ocasiões a ética bem como o universal devem
ser transcendidos polo individual religioso.
ÉTICA CRISTÃ
"A fé é exatamente este paradoxo, que o individual como o
particular é mais alto que o universal, é justificado diante dele,
não é subordinado, mas, sim, superior. É, e permanece sendo
para toda a eternidade, um paradoxo, inacessível ao
pensamento."
ÉTICA CRISTÃ
Este paradoxo da responsabilidade religiosa do indivíduo sobre
seu dever ético é focalizado no relato de Abraão e Isaque.
Quando Deus mandou a Abraão que matasse seu filho a quem
amava de todo o coração e em quem colocava suas esperanças
para a bênção futura, Abraão tinha de suspender sua
responsabilidade ética a fim de expressar seu dever a Deus.
ÉTICA CRISTÃ
"Na vida de Abraão não há expressão mais alta da ética do que
esta, que o pai ame seu filho. Por que, então, Abraão fez isto?
Por amor a Deus e (em completa identidade com isto) por amor
a ele mesmo."
ÉTICA CRISTÃ
Destarte, a despeito do imperativo moral universal acerca do
matar, e por causa da sua fé em Deus, Abraão foi além da ética
de modo total. Demonstrou que o individual religioso está mais
alto do que o universal ético.
ÉTICA CRISTÃ
CONCLUSÃO
A conclusão da primeira parte deste estudo foi que a posição
ética básica do cristão inclui várias normas. Duas destas formam
a base para a responsabilidade social do cristão:
(I) outros homens devem ser respeitados como pessoas (i.e.,
fins) e não usados como coisas (i.e., meios);
ÉTICA CRISTÃ
(2) muitas pessoas são de maior valor do que uma só pessoa.
Na linguagem bíblica isto significa que (1) o cristão deve amar
seu próximo (Mt 22: 39) e (2) que cada outra pessoa, amigo ou
inimigo, é nosso próximo (Mt 5:43,44; Lc 10: 29ss.).
ÉTICA CRISTÃ
Em síntese, o cristão tem uma responsabilidade diante do seu
próximo, e o mundo inteiro de pessoas se constitui em seus
vizinhos. Todos os homens são a descendência ou filhos de
Deus1 e, portanto, são irmãos naturais uns dos outros, feitos à
imagem e semelhança de Deus (At 17:26, 28).
E nesta fraternidade de pessoas criadas, Deus encarregou cada
uma com a responsabilidade pelas outras. O amor exige que
sejamos os guardiães do nosso irmão.
ÉTICA CRISTÃ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
Moisés Sampaio
 
A vida do novo convertido
A vida do novo convertidoA vida do novo convertido
A vida do novo convertido
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Evangelismo estudo pratico
Evangelismo   estudo pratico Evangelismo   estudo pratico
Evangelismo estudo pratico
Prof Edilson Porfírio
 
Maturidade CRISTA
Maturidade CRISTAMaturidade CRISTA
Maturidade CRISTA
vagner costa
 
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - SoteriologiaDoutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Roberto Trindade
 
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns DesafiosLição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Éder Tomé
 
Interpretação bíblica método oica
Interpretação bíblica   método oicaInterpretação bíblica   método oica
Interpretação bíblica método oica
Pastor Juscelino Freitas
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
Respirando Deus
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
Alberto Nery
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
André Rocha
 
Os Quatro Evangelhos
Os Quatro EvangelhosOs Quatro Evangelhos
Os Quatro Evangelhos
Michele L D Pain
 
As cartas pastorais
As cartas pastoraisAs cartas pastorais
As cartas pastorais
guest1671d3
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
Respirando Deus
 
Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 
Sinais que antecedem a vinda de cristo ilustrado
Sinais que antecedem a vinda de cristo   ilustradoSinais que antecedem a vinda de cristo   ilustrado
Sinais que antecedem a vinda de cristo ilustrado
ANTONIO CORDEIRO DA SILVA - ADORADOR
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
Alípio Vallim
 
Lição 11 - O governo do anticristo e o falso profeta
Lição 11 - O governo do anticristo e o falso profetaLição 11 - O governo do anticristo e o falso profeta
Lição 11 - O governo do anticristo e o falso profeta
Sergio Silva
 
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Éder Tomé
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)
guest9c2db2e
 

Mais procurados (20)

Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
 
A vida do novo convertido
A vida do novo convertidoA vida do novo convertido
A vida do novo convertido
 
Evangelismo estudo pratico
Evangelismo   estudo pratico Evangelismo   estudo pratico
Evangelismo estudo pratico
 
Maturidade CRISTA
Maturidade CRISTAMaturidade CRISTA
Maturidade CRISTA
 
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - SoteriologiaDoutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
 
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns DesafiosLição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
 
Interpretação bíblica método oica
Interpretação bíblica   método oicaInterpretação bíblica   método oica
Interpretação bíblica método oica
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
Os Quatro Evangelhos
Os Quatro EvangelhosOs Quatro Evangelhos
Os Quatro Evangelhos
 
As cartas pastorais
As cartas pastoraisAs cartas pastorais
As cartas pastorais
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
 
Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia aula 1
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
Sinais que antecedem a vinda de cristo ilustrado
Sinais que antecedem a vinda de cristo   ilustradoSinais que antecedem a vinda de cristo   ilustrado
Sinais que antecedem a vinda de cristo ilustrado
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
 
Lição 11 - O governo do anticristo e o falso profeta
Lição 11 - O governo do anticristo e o falso profetaLição 11 - O governo do anticristo e o falso profeta
Lição 11 - O governo do anticristo e o falso profeta
 
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)
 

Destaque

psicologia e liderança
psicologia e liderançapsicologia e liderança
psicologia e liderança
faculdadeteologica
 
introdução á psicanálise
introdução á psicanáliseintrodução á psicanálise
introdução á psicanálise
faculdadeteologica
 
psicologia da educação
psicologia da educaçãopsicologia da educação
psicologia da educação
faculdadeteologica
 
aconselhamento pastoral
aconselhamento pastoralaconselhamento pastoral
aconselhamento pastoral
faculdadeteologica
 
psicologia familiar
psicologia familiarpsicologia familiar
psicologia familiar
faculdadeteologica
 
psicologia da religião
psicologia da religiãopsicologia da religião
psicologia da religião
faculdadeteologica
 
psicologia social
psicologia socialpsicologia social
psicologia social
faculdadeteologica
 
introdução à psicologia
introdução à psicologiaintrodução à psicologia
introdução à psicologia
faculdadeteologica
 
psicologia pastoral
psicologia pastoralpsicologia pastoral
psicologia pastoral
faculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
faculdadeteologica
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i
faculdadeteologica
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii
faculdadeteologica
 
7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel
faculdadeteologica
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
faculdadeteologica
 
5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos
faculdadeteologica
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
faculdadeteologica
 
6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías
faculdadeteologica
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
faculdadeteologica
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
faculdadeteologica
 

Destaque (19)

psicologia e liderança
psicologia e liderançapsicologia e liderança
psicologia e liderança
 
introdução á psicanálise
introdução á psicanáliseintrodução á psicanálise
introdução á psicanálise
 
psicologia da educação
psicologia da educaçãopsicologia da educação
psicologia da educação
 
aconselhamento pastoral
aconselhamento pastoralaconselhamento pastoral
aconselhamento pastoral
 
psicologia familiar
psicologia familiarpsicologia familiar
psicologia familiar
 
psicologia da religião
psicologia da religiãopsicologia da religião
psicologia da religião
 
psicologia social
psicologia socialpsicologia social
psicologia social
 
introdução à psicologia
introdução à psicologiaintrodução à psicologia
introdução à psicologia
 
psicologia pastoral
psicologia pastoralpsicologia pastoral
psicologia pastoral
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii
 
7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
 
5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
 
6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 

Semelhante a ética cristã

EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptxEBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf
14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf
14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf
João Carlos Butske da Silva
 
TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A
TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A
TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A
Josilene Braga
 
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Carlos Silva
 
O protestantismo e os valores éticos
O protestantismo e os valores éticosO protestantismo e os valores éticos
O protestantismo e os valores éticos
Hospital Dr. Hevio Auto
 
Etica e religiao
Etica e religiaoEtica e religiao
Etica e religiao
Altemar Oliveira
 
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Paulo Dias Nogueira
 
1 filosofia e ética
1 filosofia e ética1 filosofia e ética
1 filosofia e ética
Israel serique
 
2 filosofia e ética panorama histórico
2 filosofia e ética panorama histórico2 filosofia e ética panorama histórico
2 filosofia e ética panorama histórico
Israel serique
 
Apresentação de Etica.ppt
Apresentação de Etica.pptApresentação de Etica.ppt
Apresentação de Etica.ppt
Samara Fernandes
 
A lei de Deus
A lei  de  DeusA lei  de  Deus
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.pptPROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
betokg
 
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.pptPROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
betokg
 
Filosofia
 Filosofia Filosofia
Filosofia
marco aurelio iurk
 
Psicologia, Religião e Ética
Psicologia, Religião e ÉticaPsicologia, Religião e Ética
Psicologia, Religião e Ética
Liliam Da Paixão
 
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
DraEvenlySilva
 
Encarnação
EncarnaçãoEncarnação
Encarnação
Elder Moraes
 
Sentido da existência humana 11º b andreia
Sentido da existência humana 11º b andreiaSentido da existência humana 11º b andreia
Sentido da existência humana 11º b andreia
mluisavalente
 
éTica cristã 2010.2 puc-rio
éTica cristã 2010.2 puc-rioéTica cristã 2010.2 puc-rio
éTica cristã 2010.2 puc-rio
Edson Theodoro Froes
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 133º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
Joel Oliveira
 

Semelhante a ética cristã (20)

EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptxEBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
 
14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf
14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf
14-Principios_Basicos_da_Etica_Crista.pdf
 
TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A
TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A
TRABALHO DE FILOSOFIA 3º A
 
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
 
O protestantismo e os valores éticos
O protestantismo e os valores éticosO protestantismo e os valores éticos
O protestantismo e os valores éticos
 
Etica e religiao
Etica e religiaoEtica e religiao
Etica e religiao
 
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
 
1 filosofia e ética
1 filosofia e ética1 filosofia e ética
1 filosofia e ética
 
2 filosofia e ética panorama histórico
2 filosofia e ética panorama histórico2 filosofia e ética panorama histórico
2 filosofia e ética panorama histórico
 
Apresentação de Etica.ppt
Apresentação de Etica.pptApresentação de Etica.ppt
Apresentação de Etica.ppt
 
A lei de Deus
A lei  de  DeusA lei  de  Deus
A lei de Deus
 
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.pptPROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
 
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.pptPROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
PROVA FINAL Filosofia e Educação Cristã.ppt
 
Filosofia
 Filosofia Filosofia
Filosofia
 
Psicologia, Religião e Ética
Psicologia, Religião e ÉticaPsicologia, Religião e Ética
Psicologia, Religião e Ética
 
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
 
Encarnação
EncarnaçãoEncarnação
Encarnação
 
Sentido da existência humana 11º b andreia
Sentido da existência humana 11º b andreiaSentido da existência humana 11º b andreia
Sentido da existência humana 11º b andreia
 
éTica cristã 2010.2 puc-rio
éTica cristã 2010.2 puc-rioéTica cristã 2010.2 puc-rio
éTica cristã 2010.2 puc-rio
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 133º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
 

Mais de faculdadeteologica

8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
faculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
faculdadeteologica
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
faculdadeteologica
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia
faculdadeteologica
 
10 mobilização missionária
10 mobilização missionária10 mobilização missionária
10 mobilização missionária
faculdadeteologica
 
9 missão urbana
9 missão urbana9 missão urbana
9 missão urbana
faculdadeteologica
 
7 teologia da missão
7 teologia da missão7 teologia da missão
7 teologia da missão
faculdadeteologica
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
faculdadeteologica
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
faculdadeteologica
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
faculdadeteologica
 
3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão
faculdadeteologica
 
2 teologia da m issão
2 teologia da m issão2 teologia da m issão
2 teologia da m issão
faculdadeteologica
 
1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia
faculdadeteologica
 
doutrinas bíblicas
doutrinas bíblicasdoutrinas bíblicas
doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 

Mais de faculdadeteologica (14)

8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia
 
10 mobilização missionária
10 mobilização missionária10 mobilização missionária
10 mobilização missionária
 
9 missão urbana
9 missão urbana9 missão urbana
9 missão urbana
 
7 teologia da missão
7 teologia da missão7 teologia da missão
7 teologia da missão
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
 
3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão
 
2 teologia da m issão
2 teologia da m issão2 teologia da m issão
2 teologia da m issão
 
1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia
 
doutrinas bíblicas
doutrinas bíblicasdoutrinas bíblicas
doutrinas bíblicas
 

Último

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 

Último (14)

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 

ética cristã

  • 2. Numa sociedade pluralista, como a em que nós vivemos, é fundamental a existência de valores éticos definidos que norteiem a conduta dos cristãos, de modo que venham a oferecer um modelo de vida alternativo à sua sociedade. ÉTICA CRISTÃ
  • 3. No meio evangélico há diferentes propostas éticas, quer conscientemente elaboradas, quer não: todas querendo a aprovação dos cristãos, reivindicando serem bíblicas. ÉTICA CRISTÃ
  • 4. As posições básicas que podem ser adotadas quanto à questão das normas éticas podem ser ilustradas por um caso recente que envolveu o Comandante Lloyd Bucher, do navio-espião Pueblo, que, com sua tripulação de 23 homens, foi capturado pelos norte-coreanos. ÉTICA CRISTÃ
  • 5. Quando os interrogadores ameaçaram matar a tripulação, Bucher assinou confissões, confessando falsamente a culpa de fazer espionagem nas águas territoriais da Coréia do Norte. ÉTICA CRISTÃ
  • 6. Estas falsas confissões vieram a ser o fundamento para poupar as vidas da tripulação e levar à sua libertação. A pergunta, portanto, é esta: a mentira de Bucher para salvar estas vidas foi moralmente justificada? ÉTICA CRISTÃ
  • 7. Ou, de modo mais geral, mentir para salvar uma vida é moralmente certo em qualquer situação? Uma maneira de responder a esta pergunta é rejeitar totalmente a noção de moralidade. ÉTICA CRISTÃ
  • 8. AS ABORDAGENS BÁSICAS: NORMAS ÉTICAS OU FINS ÉTICOS? A distinção entre estas duas abordagens pode ser expressada pelas palavras teleológica e deontológica. A primeira destas ressalta os fins ou resultados éticos das ações; a outra enfatiza normas éticas ou princípios para a ação ética. ÉTICA CRISTÃ
  • 9. É necessário compreendê-las melhor antes que se possa entender adequadamente a abordagem normativa adotada neste livro. A diferença básica entre a ética teleológica e a deontológica pode ser explicada pelo significado das raízes das palavras. A teleologia vem da palavra grega telos, que significa "fim" ou "propósito." ÉTICA CRISTÃ
  • 10. A deontologia vem da palavra grega deon, que significa aquilo que é devido. Na aplicação à ética, portanto, uma abordagem teleológica é aquela que ressalta o fim ou o resultado da ação, e uma abordagem deontológica depende de regras básicas mediante as quais se pode determinar o que é devido em qualquer caso específico, independentemente dos resultados. ÉTICA CRISTÃ
  • 11. Ou seja, a primeira é uma ética pragmática ou utilitária, que se ocupa com se uma ação funcionará, afinal, para o bem da maioria dos homens. A segunda é uma ética de princípios, que se ocupa com o dever da pessoa de fazer aquilo que é inerentemente correto à parte das consequências que se possa prever. ÉTICA CRISTÃ
  • 12. AS NORMAS SÃO NECESSÁRIAS As normas não somente são inescapáveis, como também são necessárias. Elas são necessárias, se é que a pessoa quer ter orientação relevante para as decisões da vida. Sem algum tipo de diretriz que possa ser pensada e declarada, pois, não há maneira de alguém fazer decisões razoáveis ou significantes acerca de alterar modos de ação. ÉTICA CRISTÃ
  • 13. Para a ética ser relevante, portanto, deve ser normativa. Que as declarações éticas normativas são relevantes subentende várias coisas. ÉTICA CRISTÃ
  • 14. O ÉTICO COMO UNIVERSAL Kierkegaard acreditava que "o ético como tal é o universal, e como o universal, aplica-se a todas as pessoas, o que pode ser expressado doutro ponto de vista, dizendo que é aplicável a cada instante." Ou, "o ético como tal é o universal, e também, como o universal, é o manifesto, o revelado." ÉTICA CRISTÃ
  • 15. Diz, de fato: "O ético é o universal, e, como tal, também é o divino." E, tendo em vista este fato, "tem-se, portanto, um direito de dizer que, fundamentalmente, todo dever é um dever diante de Deus." Isto não deve deixar dúvida alguma de que Kierkegaard acreditava sinceramente nas obrigações morais universais, até o ponto de chamar o dever moral de obrigação divina. ÉTICA CRISTÃ
  • 16. O INDIVIDUAL RELIGIOSO SOBRE O UNIVERSAL ÉTICO Há ocasiões em que o dever direto do indivíduo diante de Deus entra em conflito com seu dever universal diante doutros homens. Em tais ocasiões a ética bem como o universal devem ser transcendidos polo individual religioso. ÉTICA CRISTÃ
  • 17. "A fé é exatamente este paradoxo, que o individual como o particular é mais alto que o universal, é justificado diante dele, não é subordinado, mas, sim, superior. É, e permanece sendo para toda a eternidade, um paradoxo, inacessível ao pensamento." ÉTICA CRISTÃ
  • 18. Este paradoxo da responsabilidade religiosa do indivíduo sobre seu dever ético é focalizado no relato de Abraão e Isaque. Quando Deus mandou a Abraão que matasse seu filho a quem amava de todo o coração e em quem colocava suas esperanças para a bênção futura, Abraão tinha de suspender sua responsabilidade ética a fim de expressar seu dever a Deus. ÉTICA CRISTÃ
  • 19. "Na vida de Abraão não há expressão mais alta da ética do que esta, que o pai ame seu filho. Por que, então, Abraão fez isto? Por amor a Deus e (em completa identidade com isto) por amor a ele mesmo." ÉTICA CRISTÃ
  • 20. Destarte, a despeito do imperativo moral universal acerca do matar, e por causa da sua fé em Deus, Abraão foi além da ética de modo total. Demonstrou que o individual religioso está mais alto do que o universal ético. ÉTICA CRISTÃ
  • 21. CONCLUSÃO A conclusão da primeira parte deste estudo foi que a posição ética básica do cristão inclui várias normas. Duas destas formam a base para a responsabilidade social do cristão: (I) outros homens devem ser respeitados como pessoas (i.e., fins) e não usados como coisas (i.e., meios); ÉTICA CRISTÃ
  • 22. (2) muitas pessoas são de maior valor do que uma só pessoa. Na linguagem bíblica isto significa que (1) o cristão deve amar seu próximo (Mt 22: 39) e (2) que cada outra pessoa, amigo ou inimigo, é nosso próximo (Mt 5:43,44; Lc 10: 29ss.). ÉTICA CRISTÃ
  • 23. Em síntese, o cristão tem uma responsabilidade diante do seu próximo, e o mundo inteiro de pessoas se constitui em seus vizinhos. Todos os homens são a descendência ou filhos de Deus1 e, portanto, são irmãos naturais uns dos outros, feitos à imagem e semelhança de Deus (At 17:26, 28). E nesta fraternidade de pessoas criadas, Deus encarregou cada uma com a responsabilidade pelas outras. O amor exige que sejamos os guardiães do nosso irmão. ÉTICA CRISTÃ