SlideShare uma empresa Scribd logo
O LIVRO
DE
JOSUÉ
TÍTULO
O livro é universalmente designado pelo
nome do seu herói maior, que domina o
cenário do começo ao fim do conteúdo.
Tanto na Bíblia Hebraica como na
Septuaginta o nome do livro é o mesmo,
Josué. O nome “Josué”, no hebraico, quer
dizer “Deus é salvação”; e no grego, Josué,
toma a forma de “Iesous” ou Jesus.
AUTORIA
Basicamente o livro foi composto pelo próprio Josué. É claro
que algumas partes – tais como (15:13-17), (Jz 1:9-13) e (24:29-31) –
não poderiam ter sido escritas por ele. Tais passagens poderiam ter
sido escritas por Eleazar, o sumo sacerdote, ou por Finéias.
Josué, todavia, é especificado como o autor de (24: 1-26), e o
autor do livro claramente foi testemunha ocular da maioria dos
eventos registrados – veja, por exemplo, (5:1 - em alguns manuscritos
há o pronome “nós” em lugar de “os filhos de Israel”) e (5:6 – “nos”
aparece no original).
Também é evidente que o livro foi escrito pouco tempo
depois de seus eventos terem acontecido (6:25). A tradição judaica
difere um pouco de opinião, afirmando que Josué escreveu todo o
livro, com exceção dos últimos versículos, atribuídos à Finéias, neto
de Arão (Js 24:26, 33 e Nm 25:7).
O personagem principal do livro é obviamente Josué filho
de Num, um israelita da tribo de José (a “meia-tribo” de Efraim).
Josué nasceu no Egito era jovem na época do êxodo (Ex 33:11).
Seu nome era Oséias (“salvação” Nm 13:8), mas Moisés o
chamou Jesua ou Josué (“Javé é salvação”, v.16). Josué foi
escolhido por Moisés para ser seu “ministro” – provavelmente
seu “auxiliar” – e estava presente na montanha quando Moisés
recebeu a lei (Ex 24:13).
Também era guardião da tenda da congregação quando
Moisés se encontrava com Javé (33:11). Fato ou não, ele já
estava militarmente qualificado para comandar as forças
israelitas contra os amalequitas em Refidim (Ex 17:8-16). Como
representante da tribo de Efraim, percorreu a terra de Canaã
com os outros 11 espias (Nm 14:6-9).
DATA
A data pode ser calculada como
sendo de 1405 a 1370 a.C.
OBJETIVO DO LIVRO
O objetivo do livro de Josué é preservar a história da
conquista de Canaã e a divisão da terra entre as tribos. A
história revela a fidelidade do Senhor como um Deus
observador da aliança (Js 1:2-6). Mostra como Deus cumpriu
fielmente sua promessa de dar aos patriarcas uma terra e
descanso.
Aqueles dias eram dias de cumprimento das
promessas relatadas em (Dt 1.3; 11.23; 22.4,9; 23.5;
23.10,15). Demonstra também à posteridade de Israel a
grande vitória que o povo pode alcançar se tão-somente
seguir a liderança teocrática do Senhor, em vez de recorrer à
força humana.
ESBOÇO
O livro de Josué pode didaticamente ser dividido em:
1. A conquista da terra prometida – caps. 1-12.
a) A preparação para a entrada na terra (caps. 1-5).
b) A conquista da terra (caps. 6-12).
2. A ocupação da terra prometida – caps. 13-24.
a) A divisão da terra (caps. 13-22).
b) A despedida de Josué (caps. 23-24)
CONTEÚDO
A morte de Moisés marca a transição de
Deuteronômio para Josué. No final de
Deuteronômio, os israelitas estavam acampados
nas planícies de Moabe, esperando Deus ordenar
que avançassem e tomassem posse de Canaã.
Moisés, que os havia liderado até ali, não entraria
na terra (Dt 3:23-27; 32:48-52). Deus havia
instruído Moisés a transferir a liderança para Josué
(3:28; 32:23).
Pouco depois destes fatos Moisés
morreu (34:5). Após a morte de Moisés,
Josué assume a liderança do povo. O livro de
Josué nos conta como foi o cumprimento
das promessas de Deus (Js 21:45). Enfim o
povo liberto do Egito chegara à terra de
Canaã, agora tomava posse e instalava-se.
Tal como no caso da narrativa sobre as
peregrinações no deserto, o registro das atividades de
Josué é incompleto. O livro precisa ser considerado como
relato apenas parcial dos empreendimentos de Josué. O
período de tempo determinado para a conquista e a
divisão da terra de Canaã não é declarado.
Uma inferência, com base em (Js 14:6-12), é que a
conquista de Canaã foi realizada em um período de cerca
de sete anos. Supondo-se que Josué fosse da idade de
Calebe, os eventos registrados no livro de Josué
ocorreram durante um período de vinte e cinco a trinta
anos.
Certamente que tomaram posse, e entraram
em Canaã. Contudo, tomaram posse através de
muitas lutas. Muitos povos pagãos já viviam
naquela região. Os habitantes de Canaã são
inimigos hostis, idólatras pervertidos, os quais
ocuparam a terra enquanto o povo esteve no
Egito e no deserto. A terra lhes fora dada por
Deus, mas, os inimigos deviam ser desalojados e
destruídos.
Quanto à raça, a terra era ocupada por
um grupo misto que parecia serem
descendentes de Canaã, filho de Cão, filho
de Noé (Gn 10:15-20). Há na Bíblia várias
listas desses grupos (Gn 10; Dt 7:1; Js 3:10).
Além disso, podem ser identificados pelas
suas localidades:
a) Heteus – dos filhos de Hete, que se estabeleceram na Ásia Menor.
b) Girgaseus – da região ocidental do mar da Galiléia.
c) Amorreus – povo montanhês dos planaltos ao oeste e leste do mar
morto.
d) Cananeus – tecnicamente, da parte norte.
e) Ferezeus – associados com os cananeus no norte.
f) Heveus – os pacíficos gibeonitas perto de Jerusalém.
g) Jebuseus – tribo guerreira estabelecida em torno de Jerusalém.
Religiosa e moralmente, a terra vivia infestada
de idolatria completamente degradada. Visto que as
divindades dos cananeus não teriam caráter moral,
não é de surpreender que a moralidade daquele povo
fosse extremamente baixa.
A brutalidade e imoralidade que se destacam
nas narrativas sobre esses deuses é algo muito pior
que qualquer outra coisa vista no Oriente Próximo.
Vejamos abaixo alguns deuses encontrados na terra
de Canaã naquela época:
a) El – era o deus supremo. Era reputado como principal divindade cananéia.
Simbolizado como um touro entre um rebanho de vacas, o povo se referia a ele
como “pai touro”. Poemas ugaríticos descrevem-no como um tirano cruel e
sanguinário, de sensualidade incontrolável.
b) Baal – era filho de El e o seu sucessor. Seu nome quer dizer “Senhor”.
Dominava o grupo cananeu e como monarca reinante dos deuses, ele controlaria
os céus e a terra. Era o deus da chuva e da vegetação.
c) Anate – era irmã de Baal e uma das três deusas protetoras do sexo e da guerra.
Concomitantemente com o culto da prostituição sagrada, havia o morticínio
infantil.
d) Asterote (Astarte) – era esposa de Baal e também deusa do sexo e da guerra.
e) Asera – era a esposa de El.
f) Moloque e Milcom – de origem amonita, eram deuses da orgia, do mesmo
modo que Camos era a divindade nacional dos moabitas.
g) Mote – deus da morte, era o principal adversário de Baal.
h) Iom – deus do mar, foi derrotado por Baal.
Josué foi divinamente comissionado para dividir
o território conquistado entre as nove tribos e meia.
Rúben, Gade e metade da tribo de Manassés tinham
recebido seus quinhões a leste do rio Jordão, sob
Moisés e Eleazar (Js 13:8-33; Nm 32). Durante o
período da conquista o acampamento de Israel ficava
localizado em Gilgal, ligeiramente para nordeste de
Jericó, perto do Jordão.
Sob a supervisão de Josué e Eleazar foram
distribuídos os quinhões de algumas tribos, enquanto
Israel ainda estava acampado ali. Silo foi estabelecida
como centro religioso de Israel (Js 18:1).
A tribo de Levi não recebeu quinhão na
forma de território, porquanto eram responsáveis
pelos serviços religiosos por toda a nação. As
diversas tribos foram encarregadas da obrigação
de selecionarem cidades para os levitas. Terras de
pasto, em redor de cada uma das quarenta e oito
cidades, foram igualmente providas, pelo que os
levitas podiam dar pasto a seu gado vacum e
ovino.
Depois de relatar várias batalhas vitoriosas, e de
demonstrar a divisão da terra entre as doze tribos de
Israel, o livro aproxima-se do fim com as palavras do
grande líder Josué. Josué envelhecera. Sabia que não iria
viver muito mais tempo. Queria transmitir ao povo
algumas palavras finais de advertência.
Levando em conta o destaque que a aliança tem no
pentateuco, e sabendo a respeito dos itens envolvidos
numa cerimônia de instituição e renovação, torna-se
evidente que o livro de Josué consta de um livro de
renovação da aliança.
Êxodo registra a instituição da aliança com a
primeira geração saída do Egito (cap.19-24).
Deuteronômio registra a reiteração dos eventos e
termos das aliança registrada em Êxodo, mas
dentro de um contexto de levar ao registro da
renovação daquela aliança com a segunda
geração de Israel. Josué, por sua vez, registra os
eventos que levaram à renovação da antiga
aliança com a terceira geração(cap.24).
Convocou os dirigentes com o todo
povo, e recomendou que se lembrassem do
poder e da fidelidade de Deus e os
admoestou a serem fiéis (Js 24:14).
Igualmente preveniu-os contra a apostasia
(Js 24:15). Com cento e dez anos de idade,
morreu Josué, o grande homem de Deus. O
livro termina com sua morte a declaração de
que o povo servia ao Senhor (Js 24:31).
De acordo com o conteúdo narrado no livro
podemos perceber as seguintes ênfases:
1. A fidelidade divina em conceder a Israel a terra
de Canaã (Gn 13:15);
2. A importância da Lei Escrita (Js 1:8; 8:32-35;
23:6-16; 24:26-27);
3. A santidade de Deus ao julgar os pecados dos
cananeus (Dt 7:1-6).
A desigualdade da distribuição da terra é
bastante surpreendente. Por que uma porção gigante
para Judá, Efraim e Manassés, e uma parte pequena
para os outros? A partilha realizou-se mediante
“sorteio”, revelando assim a vontade de Deus (Js
18:6, 10; Pv 16:33). Como foi dado a José o direito da
primogenitura (1Cr 5:1,2), seus dois filhos Efraim e
Manassés receberam a grande parte do centro.
Quanto aos levitas, eles não receberam terras
(Js 18:7), mas cidades espalhadas pela nação para
habitarem (Js 14:4; 21:1-42). Nesta época Silo foi
estabelecida como centro religioso de Israel (Js 18:1).
TEMAS ESPECIAIS - Divisão das Terras
A invasão de Josué cumpriu o
segundo aspecto da aliança do Senhor
com Abraão: a entrega da terra de
Canaã. As últimas palavras do Senhor a
Moisés enfatizaram a infalibilidade da
sua Palavra no cumprimento da
promessa de dar Canaã às tribos de Jacó
(Dt 34:4).
TEMAS ESPECIAIS - Cumprimento da Promessa
A esta altura precisamos compreender que apesar de
Israel ser o povo do Senhor, a salvação de Javé e suas bênção
não estavam presas à esta nação. Qualquer que quisesse entrar
em comunhão e aliança com o Senhor poderia fazê-lo. É assim
que vemos por exemplo, Raabe, sendo salva por meio de sua fé
(Js 2:12-21; 6:22-25; Hb 11:31).
Deus não estava interessado em salvar somente o povo
de Israel (Sl 117). Pelo contrário, queria usar Israel como
instrumento para proclamá-lO (Sl 96:3). Lembremo-nos que
Deus não escolheu a nação de Israel se esquecendo das outras
nações. Deus nunca tirou os olhos de todos os povos da terra
(Is 42:6).
TEMAS ESPECIAIS - Salvação a Todas as Nações
1. O “Príncipe do exército” é uma cristofania, sem
dúvida (Js 5:14). E o próprio Josué, é nesse livro, o
tipo por excelência de Cristo, tanto no seu nome
(“Jesus”, ou “salvação” do Senhor) e na sua obra de
trazer o povo ao descanso (Hb 4:6-10).
2. Josué demonstrou que verdadeiramente era um
tipo de Jesus Cristo que, em um sentido maior e
mais profundo, traria seu povo seguramente desta
vida para sua residência eterna.
TEMAS ESPECIAIS – Cristologia em Josué
Como se justifica que um povo
escolhido por Deus se apossasse da
Canaã, massacrando a população,
tomando a sua terra e riquezas? Israel
impõe armas contra os pagãos em vez
de pregar a Palavra. Por que não foram
enviados a Canaã como evangelistas em
vez de carrascos?
TEMAS ESPECIAIS - Análise moral da conquista de Canaã
Israel não foi designado para ser apenas uma
organização religiosa, mas um governo civil com
obrigações da aliança perante o Senhor. Como tal, sua
primeira comissão era executar o julgamento de uma
sociedade corrupta e violenta de acordo com aliança
noéica (Gn 9:6).
Os israelitas tomando a terra e destruindo os
cananeus eram a manifestação do juízo de Deus contra
um povo ímpio, promíscuo, idólatra, regidos por um
sistema inspirado e dirigido por Satanás. (Lv 18:24, 25;
20:22; Gn 15:16; Dt 9:4, 5)
Outra razão é que Moisés encarregou solenemente
o seu povo de destruir os cananeus – não somente para
puni-los por causa de sua iniquidade, mas também para
impedir a contaminação do povo escolhido por Deus
(Lv 18:24-28; 20:33; Dt 12:31 e 20:17, 18).
Por fim, o texto declara muitas vezes que o Senhor
era o verdadeiro dono da terra de Canaã e podia dá-la ou
negá-la a quem quisesse. Assim, aquela terra pertencia a
Deus, e já havia sido prometida a Abraão e sua
descendência, mesmo que naquele tempo estivesse
inapropriadamente ocupada pelos cananeus.
Geograficamente, a terra de “Canaã” compunha-se de
toda a faixa ocidental desde Sidom, ao norte, até Gaza e
Sodoma, no sul (Gn 10:19). O nome “Canaã” denominava, em
geral, toda a área em que se estabeleceram os filhos de Canaã.
Deus chamou a Terra Prometida de “boa terra” (Dt 8:7-
10), contrastando-a com a monotonia e a aridez do Egito
(Dt 11:8-14). Aquele deveria ser o descanso de Israel, sua
herança e o lugar onde Deus habitaria (Dt 12:9, 11). Depois de
suportar a escravidão no Egito e a penúria no deserto, os
israelitas finalmente seriam capazes de encontrar descanso em
sua Terra Prometida (Js 1:13, 15; 11:23; 21:44; 22:4; 23:1).
TEMAS ESPECIAIS – Terra que Mana Leite e Mel
O profeta Ezequiel chamou a terra de Israel de
“coroa de todas as terras” (Ez 20:6, 15) e Daniel a
chama de “terra gloriosa” (Dn 8:9; 11:16 e 41). Em
várias ocasiões, ela é descrita como “a terra que
mana leite e mel” (Ex 3:8, 17; 13:5; 33:3; Lv 20:24;
Nm 13:27; Dt 6:3; 11:9; etc).
Trata-se de uma declaração proverbial, que
significa “terra de abundância”, lugar de pastos
tranquilos e de jardins, onde os rebanhos podiam
pastar e as abelhas coletavam pólen para fazer mel.
Até à próxima aula
sobre o livro dos
JUÍZES!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os Poéticos
Os PoéticosOs Poéticos
Os Poéticos
Egmon Pereira
 
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
1. período interbíblico
1. período interbíblico1. período interbíblico
1. período interbíblico
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Respirando Deus
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
mbrandao7
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
Rubens Sohn
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
O Livro de Jó
O Livro de JóO Livro de Jó
O Livro de Jó
Escola Dominical Adnv
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
mbrandao7
 
Aula 13 - Juízes
Aula 13 - JuízesAula 13 - Juízes
Aula 13 - Juízes
ibrdoamor
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
mbrandao7
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - Levítico
Respirando Deus
 
O Livro de Esdras
O Livro de EsdrasO Livro de Esdras
O Livro de Esdras
Amor pela EBD
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
Rosana Eugenio Dos Santos
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Teologia do livro de Samuel
Teologia do livro de SamuelTeologia do livro de Samuel
Teologia do livro de Samuel
Jean Francesco
 
Estudo do livro de juízes
Estudo do livro de juízesEstudo do livro de juízes
Estudo do livro de juízes
raianderson santos silva
 
9. O Livro de Deuteronômios
9. O Livro de Deuteronômios9. O Livro de Deuteronômios
9. O Livro de Deuteronômios
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Mais procurados (20)

Os Poéticos
Os PoéticosOs Poéticos
Os Poéticos
 
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
 
1. período interbíblico
1. período interbíblico1. período interbíblico
1. período interbíblico
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
 
O Livro de Jó
O Livro de JóO Livro de Jó
O Livro de Jó
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
 
Aula 13 - Juízes
Aula 13 - JuízesAula 13 - Juízes
Aula 13 - Juízes
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - Levítico
 
O Livro de Esdras
O Livro de EsdrasO Livro de Esdras
O Livro de Esdras
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
 
Teologia do livro de Samuel
Teologia do livro de SamuelTeologia do livro de Samuel
Teologia do livro de Samuel
 
Estudo do livro de juízes
Estudo do livro de juízesEstudo do livro de juízes
Estudo do livro de juízes
 
9. O Livro de Deuteronômios
9. O Livro de Deuteronômios9. O Livro de Deuteronômios
9. O Livro de Deuteronômios
 

Destaque

Josué informações e curiosidades
Josué   informações e curiosidadesJosué   informações e curiosidades
Josué informações e curiosidades
Clube_Santo
 
Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
Alberto Simonton
 
Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1
Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1
Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1
igreja-crista
 
12. O Livro de Rute
12. O Livro de Rute12. O Livro de Rute
Adoração - Aula 01 - Culto e Adoração
Adoração - Aula 01 - Culto e AdoraçãoAdoração - Aula 01 - Culto e Adoração
Adoração - Aula 01 - Culto e Adoração
fa.sodre
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia

Destaque (6)

Josué informações e curiosidades
Josué   informações e curiosidadesJosué   informações e curiosidades
Josué informações e curiosidades
 
Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
 
Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1
Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1
Introducao Biblica - O caráter da Biblia - Aula1
 
12. O Livro de Rute
12. O Livro de Rute12. O Livro de Rute
12. O Livro de Rute
 
Adoração - Aula 01 - Culto e Adoração
Adoração - Aula 01 - Culto e AdoraçãoAdoração - Aula 01 - Culto e Adoração
Adoração - Aula 01 - Culto e Adoração
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Culto e Liturgia
 

Semelhante a O livro de Josué

Josue seminario 6
Josue seminario 6Josue seminario 6
Josue seminario 6
Elisa Schenk
 
Josué
JosuéJosué
MÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.ppt
MÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.pptMÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.ppt
MÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.ppt
Paulo David
 
1. Base de Estudo sobre o livro de Josué
1. Base de Estudo sobre o livro de Josué1. Base de Estudo sobre o livro de Josué
1. Base de Estudo sobre o livro de Josué
Diegomalfato
 
LIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptx
LIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptxLIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptx
LIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptx
Paulo David
 
6 josué
6 josué6 josué
6 josué
PIB Penha
 
8 a conquista de canaa - 8 aula
8   a conquista de canaa - 8 aula8   a conquista de canaa - 8 aula
8 a conquista de canaa - 8 aula
PIB Penha
 
Bibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula UnicaBibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula Unica
neymattos
 
Josue seminario 1
Josue seminario 1Josue seminario 1
Josue seminario 1
Elisa Schenk
 
A conquista de canaã lição 04
A conquista de canaã  lição 04A conquista de canaã  lição 04
A conquista de canaã lição 04
Mariângela Domeniche Perdomo
 
2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf
2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf
2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf
FbioBezerra18
 
Lição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra PrometidaLição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Éder Tomé
 
Catequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josuéCatequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josué
Maria Thereza Tosta Camillo
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
PIB Penha
 
Geografia de Israel
Geografia de IsraelGeografia de Israel
Geografia de Israel
Ad Junior
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
mbrandao7
 
Introdução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelhoIntrodução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelho
Cláudio Fajardo
 
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
PIB Penha
 
Livro de Juízes Antigo Testamento
Livro de Juízes Antigo TestamentoLivro de Juízes Antigo Testamento
Livro de Juízes Antigo Testamento
Leandro Nazareth Souto
 
Livros Históricos. Introdução Livros Históricos. Introdução
Livros Históricos. Introdução Livros Históricos. IntroduçãoLivros Históricos. Introdução Livros Históricos. Introdução
Livros Históricos. Introdução Livros Históricos. Introdução
nutomasala
 

Semelhante a O livro de Josué (20)

Josue seminario 6
Josue seminario 6Josue seminario 6
Josue seminario 6
 
Josué
JosuéJosué
Josué
 
MÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.ppt
MÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.pptMÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.ppt
MÊS DA BÍBLIA 2022: LIVRO DE JOSUÉ.ppt
 
1. Base de Estudo sobre o livro de Josué
1. Base de Estudo sobre o livro de Josué1. Base de Estudo sobre o livro de Josué
1. Base de Estudo sobre o livro de Josué
 
LIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptx
LIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptxLIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptx
LIVRO DE JOSUÉ: Em Busca da Terra Livre.pptx
 
6 josué
6 josué6 josué
6 josué
 
8 a conquista de canaa - 8 aula
8   a conquista de canaa - 8 aula8   a conquista de canaa - 8 aula
8 a conquista de canaa - 8 aula
 
Bibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula UnicaBibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula Unica
 
Josue seminario 1
Josue seminario 1Josue seminario 1
Josue seminario 1
 
A conquista de canaã lição 04
A conquista de canaã  lição 04A conquista de canaã  lição 04
A conquista de canaã lição 04
 
2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf
2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf
2T2020_L1_jovens_criciuma.pdf
 
Lição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra PrometidaLição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra Prometida
 
Catequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josuéCatequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josué
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
 
Geografia de Israel
Geografia de IsraelGeografia de Israel
Geografia de Israel
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
 
Introdução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelhoIntrodução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelho
 
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
 
Livro de Juízes Antigo Testamento
Livro de Juízes Antigo TestamentoLivro de Juízes Antigo Testamento
Livro de Juízes Antigo Testamento
 
Livros Históricos. Introdução Livros Históricos. Introdução
Livros Históricos. Introdução Livros Históricos. IntroduçãoLivros Históricos. Introdução Livros Históricos. Introdução
Livros Históricos. Introdução Livros Históricos. Introdução
 

Mais de Alberto Simonton

O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
Alberto Simonton
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
Alberto Simonton
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Alberto Simonton
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
Alberto Simonton
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
Alberto Simonton
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
Alberto Simonton
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Alberto Simonton
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
Alberto Simonton
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
Alberto Simonton
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
Alberto Simonton
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja Católica
Alberto Simonton
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
Alberto Simonton
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Alberto Simonton
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
Alberto Simonton
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
Alberto Simonton
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Alberto Simonton
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
Alberto Simonton
 
I Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação MinisterialI Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação Ministerial
Alberto Simonton
 

Mais de Alberto Simonton (20)

O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja Católica
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
 
I Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação MinisterialI Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação Ministerial
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 

Último (10)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 

O livro de Josué

  • 2. TÍTULO O livro é universalmente designado pelo nome do seu herói maior, que domina o cenário do começo ao fim do conteúdo. Tanto na Bíblia Hebraica como na Septuaginta o nome do livro é o mesmo, Josué. O nome “Josué”, no hebraico, quer dizer “Deus é salvação”; e no grego, Josué, toma a forma de “Iesous” ou Jesus.
  • 3. AUTORIA Basicamente o livro foi composto pelo próprio Josué. É claro que algumas partes – tais como (15:13-17), (Jz 1:9-13) e (24:29-31) – não poderiam ter sido escritas por ele. Tais passagens poderiam ter sido escritas por Eleazar, o sumo sacerdote, ou por Finéias. Josué, todavia, é especificado como o autor de (24: 1-26), e o autor do livro claramente foi testemunha ocular da maioria dos eventos registrados – veja, por exemplo, (5:1 - em alguns manuscritos há o pronome “nós” em lugar de “os filhos de Israel”) e (5:6 – “nos” aparece no original). Também é evidente que o livro foi escrito pouco tempo depois de seus eventos terem acontecido (6:25). A tradição judaica difere um pouco de opinião, afirmando que Josué escreveu todo o livro, com exceção dos últimos versículos, atribuídos à Finéias, neto de Arão (Js 24:26, 33 e Nm 25:7).
  • 4. O personagem principal do livro é obviamente Josué filho de Num, um israelita da tribo de José (a “meia-tribo” de Efraim). Josué nasceu no Egito era jovem na época do êxodo (Ex 33:11). Seu nome era Oséias (“salvação” Nm 13:8), mas Moisés o chamou Jesua ou Josué (“Javé é salvação”, v.16). Josué foi escolhido por Moisés para ser seu “ministro” – provavelmente seu “auxiliar” – e estava presente na montanha quando Moisés recebeu a lei (Ex 24:13). Também era guardião da tenda da congregação quando Moisés se encontrava com Javé (33:11). Fato ou não, ele já estava militarmente qualificado para comandar as forças israelitas contra os amalequitas em Refidim (Ex 17:8-16). Como representante da tribo de Efraim, percorreu a terra de Canaã com os outros 11 espias (Nm 14:6-9).
  • 5. DATA A data pode ser calculada como sendo de 1405 a 1370 a.C.
  • 6. OBJETIVO DO LIVRO O objetivo do livro de Josué é preservar a história da conquista de Canaã e a divisão da terra entre as tribos. A história revela a fidelidade do Senhor como um Deus observador da aliança (Js 1:2-6). Mostra como Deus cumpriu fielmente sua promessa de dar aos patriarcas uma terra e descanso. Aqueles dias eram dias de cumprimento das promessas relatadas em (Dt 1.3; 11.23; 22.4,9; 23.5; 23.10,15). Demonstra também à posteridade de Israel a grande vitória que o povo pode alcançar se tão-somente seguir a liderança teocrática do Senhor, em vez de recorrer à força humana.
  • 7. ESBOÇO O livro de Josué pode didaticamente ser dividido em: 1. A conquista da terra prometida – caps. 1-12. a) A preparação para a entrada na terra (caps. 1-5). b) A conquista da terra (caps. 6-12). 2. A ocupação da terra prometida – caps. 13-24. a) A divisão da terra (caps. 13-22). b) A despedida de Josué (caps. 23-24)
  • 8. CONTEÚDO A morte de Moisés marca a transição de Deuteronômio para Josué. No final de Deuteronômio, os israelitas estavam acampados nas planícies de Moabe, esperando Deus ordenar que avançassem e tomassem posse de Canaã. Moisés, que os havia liderado até ali, não entraria na terra (Dt 3:23-27; 32:48-52). Deus havia instruído Moisés a transferir a liderança para Josué (3:28; 32:23).
  • 9. Pouco depois destes fatos Moisés morreu (34:5). Após a morte de Moisés, Josué assume a liderança do povo. O livro de Josué nos conta como foi o cumprimento das promessas de Deus (Js 21:45). Enfim o povo liberto do Egito chegara à terra de Canaã, agora tomava posse e instalava-se.
  • 10. Tal como no caso da narrativa sobre as peregrinações no deserto, o registro das atividades de Josué é incompleto. O livro precisa ser considerado como relato apenas parcial dos empreendimentos de Josué. O período de tempo determinado para a conquista e a divisão da terra de Canaã não é declarado. Uma inferência, com base em (Js 14:6-12), é que a conquista de Canaã foi realizada em um período de cerca de sete anos. Supondo-se que Josué fosse da idade de Calebe, os eventos registrados no livro de Josué ocorreram durante um período de vinte e cinco a trinta anos.
  • 11. Certamente que tomaram posse, e entraram em Canaã. Contudo, tomaram posse através de muitas lutas. Muitos povos pagãos já viviam naquela região. Os habitantes de Canaã são inimigos hostis, idólatras pervertidos, os quais ocuparam a terra enquanto o povo esteve no Egito e no deserto. A terra lhes fora dada por Deus, mas, os inimigos deviam ser desalojados e destruídos.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17. Quanto à raça, a terra era ocupada por um grupo misto que parecia serem descendentes de Canaã, filho de Cão, filho de Noé (Gn 10:15-20). Há na Bíblia várias listas desses grupos (Gn 10; Dt 7:1; Js 3:10). Além disso, podem ser identificados pelas suas localidades:
  • 18. a) Heteus – dos filhos de Hete, que se estabeleceram na Ásia Menor. b) Girgaseus – da região ocidental do mar da Galiléia. c) Amorreus – povo montanhês dos planaltos ao oeste e leste do mar morto. d) Cananeus – tecnicamente, da parte norte. e) Ferezeus – associados com os cananeus no norte. f) Heveus – os pacíficos gibeonitas perto de Jerusalém. g) Jebuseus – tribo guerreira estabelecida em torno de Jerusalém.
  • 19.
  • 20. Religiosa e moralmente, a terra vivia infestada de idolatria completamente degradada. Visto que as divindades dos cananeus não teriam caráter moral, não é de surpreender que a moralidade daquele povo fosse extremamente baixa. A brutalidade e imoralidade que se destacam nas narrativas sobre esses deuses é algo muito pior que qualquer outra coisa vista no Oriente Próximo. Vejamos abaixo alguns deuses encontrados na terra de Canaã naquela época:
  • 21. a) El – era o deus supremo. Era reputado como principal divindade cananéia. Simbolizado como um touro entre um rebanho de vacas, o povo se referia a ele como “pai touro”. Poemas ugaríticos descrevem-no como um tirano cruel e sanguinário, de sensualidade incontrolável. b) Baal – era filho de El e o seu sucessor. Seu nome quer dizer “Senhor”. Dominava o grupo cananeu e como monarca reinante dos deuses, ele controlaria os céus e a terra. Era o deus da chuva e da vegetação. c) Anate – era irmã de Baal e uma das três deusas protetoras do sexo e da guerra. Concomitantemente com o culto da prostituição sagrada, havia o morticínio infantil. d) Asterote (Astarte) – era esposa de Baal e também deusa do sexo e da guerra. e) Asera – era a esposa de El. f) Moloque e Milcom – de origem amonita, eram deuses da orgia, do mesmo modo que Camos era a divindade nacional dos moabitas. g) Mote – deus da morte, era o principal adversário de Baal. h) Iom – deus do mar, foi derrotado por Baal.
  • 22. Josué foi divinamente comissionado para dividir o território conquistado entre as nove tribos e meia. Rúben, Gade e metade da tribo de Manassés tinham recebido seus quinhões a leste do rio Jordão, sob Moisés e Eleazar (Js 13:8-33; Nm 32). Durante o período da conquista o acampamento de Israel ficava localizado em Gilgal, ligeiramente para nordeste de Jericó, perto do Jordão. Sob a supervisão de Josué e Eleazar foram distribuídos os quinhões de algumas tribos, enquanto Israel ainda estava acampado ali. Silo foi estabelecida como centro religioso de Israel (Js 18:1).
  • 23. A tribo de Levi não recebeu quinhão na forma de território, porquanto eram responsáveis pelos serviços religiosos por toda a nação. As diversas tribos foram encarregadas da obrigação de selecionarem cidades para os levitas. Terras de pasto, em redor de cada uma das quarenta e oito cidades, foram igualmente providas, pelo que os levitas podiam dar pasto a seu gado vacum e ovino.
  • 24. Depois de relatar várias batalhas vitoriosas, e de demonstrar a divisão da terra entre as doze tribos de Israel, o livro aproxima-se do fim com as palavras do grande líder Josué. Josué envelhecera. Sabia que não iria viver muito mais tempo. Queria transmitir ao povo algumas palavras finais de advertência. Levando em conta o destaque que a aliança tem no pentateuco, e sabendo a respeito dos itens envolvidos numa cerimônia de instituição e renovação, torna-se evidente que o livro de Josué consta de um livro de renovação da aliança.
  • 25. Êxodo registra a instituição da aliança com a primeira geração saída do Egito (cap.19-24). Deuteronômio registra a reiteração dos eventos e termos das aliança registrada em Êxodo, mas dentro de um contexto de levar ao registro da renovação daquela aliança com a segunda geração de Israel. Josué, por sua vez, registra os eventos que levaram à renovação da antiga aliança com a terceira geração(cap.24).
  • 26. Convocou os dirigentes com o todo povo, e recomendou que se lembrassem do poder e da fidelidade de Deus e os admoestou a serem fiéis (Js 24:14). Igualmente preveniu-os contra a apostasia (Js 24:15). Com cento e dez anos de idade, morreu Josué, o grande homem de Deus. O livro termina com sua morte a declaração de que o povo servia ao Senhor (Js 24:31).
  • 27. De acordo com o conteúdo narrado no livro podemos perceber as seguintes ênfases: 1. A fidelidade divina em conceder a Israel a terra de Canaã (Gn 13:15); 2. A importância da Lei Escrita (Js 1:8; 8:32-35; 23:6-16; 24:26-27); 3. A santidade de Deus ao julgar os pecados dos cananeus (Dt 7:1-6).
  • 28. A desigualdade da distribuição da terra é bastante surpreendente. Por que uma porção gigante para Judá, Efraim e Manassés, e uma parte pequena para os outros? A partilha realizou-se mediante “sorteio”, revelando assim a vontade de Deus (Js 18:6, 10; Pv 16:33). Como foi dado a José o direito da primogenitura (1Cr 5:1,2), seus dois filhos Efraim e Manassés receberam a grande parte do centro. Quanto aos levitas, eles não receberam terras (Js 18:7), mas cidades espalhadas pela nação para habitarem (Js 14:4; 21:1-42). Nesta época Silo foi estabelecida como centro religioso de Israel (Js 18:1). TEMAS ESPECIAIS - Divisão das Terras
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32. A invasão de Josué cumpriu o segundo aspecto da aliança do Senhor com Abraão: a entrega da terra de Canaã. As últimas palavras do Senhor a Moisés enfatizaram a infalibilidade da sua Palavra no cumprimento da promessa de dar Canaã às tribos de Jacó (Dt 34:4). TEMAS ESPECIAIS - Cumprimento da Promessa
  • 33. A esta altura precisamos compreender que apesar de Israel ser o povo do Senhor, a salvação de Javé e suas bênção não estavam presas à esta nação. Qualquer que quisesse entrar em comunhão e aliança com o Senhor poderia fazê-lo. É assim que vemos por exemplo, Raabe, sendo salva por meio de sua fé (Js 2:12-21; 6:22-25; Hb 11:31). Deus não estava interessado em salvar somente o povo de Israel (Sl 117). Pelo contrário, queria usar Israel como instrumento para proclamá-lO (Sl 96:3). Lembremo-nos que Deus não escolheu a nação de Israel se esquecendo das outras nações. Deus nunca tirou os olhos de todos os povos da terra (Is 42:6). TEMAS ESPECIAIS - Salvação a Todas as Nações
  • 34. 1. O “Príncipe do exército” é uma cristofania, sem dúvida (Js 5:14). E o próprio Josué, é nesse livro, o tipo por excelência de Cristo, tanto no seu nome (“Jesus”, ou “salvação” do Senhor) e na sua obra de trazer o povo ao descanso (Hb 4:6-10). 2. Josué demonstrou que verdadeiramente era um tipo de Jesus Cristo que, em um sentido maior e mais profundo, traria seu povo seguramente desta vida para sua residência eterna. TEMAS ESPECIAIS – Cristologia em Josué
  • 35. Como se justifica que um povo escolhido por Deus se apossasse da Canaã, massacrando a população, tomando a sua terra e riquezas? Israel impõe armas contra os pagãos em vez de pregar a Palavra. Por que não foram enviados a Canaã como evangelistas em vez de carrascos? TEMAS ESPECIAIS - Análise moral da conquista de Canaã
  • 36. Israel não foi designado para ser apenas uma organização religiosa, mas um governo civil com obrigações da aliança perante o Senhor. Como tal, sua primeira comissão era executar o julgamento de uma sociedade corrupta e violenta de acordo com aliança noéica (Gn 9:6). Os israelitas tomando a terra e destruindo os cananeus eram a manifestação do juízo de Deus contra um povo ímpio, promíscuo, idólatra, regidos por um sistema inspirado e dirigido por Satanás. (Lv 18:24, 25; 20:22; Gn 15:16; Dt 9:4, 5)
  • 37. Outra razão é que Moisés encarregou solenemente o seu povo de destruir os cananeus – não somente para puni-los por causa de sua iniquidade, mas também para impedir a contaminação do povo escolhido por Deus (Lv 18:24-28; 20:33; Dt 12:31 e 20:17, 18). Por fim, o texto declara muitas vezes que o Senhor era o verdadeiro dono da terra de Canaã e podia dá-la ou negá-la a quem quisesse. Assim, aquela terra pertencia a Deus, e já havia sido prometida a Abraão e sua descendência, mesmo que naquele tempo estivesse inapropriadamente ocupada pelos cananeus.
  • 38. Geograficamente, a terra de “Canaã” compunha-se de toda a faixa ocidental desde Sidom, ao norte, até Gaza e Sodoma, no sul (Gn 10:19). O nome “Canaã” denominava, em geral, toda a área em que se estabeleceram os filhos de Canaã. Deus chamou a Terra Prometida de “boa terra” (Dt 8:7- 10), contrastando-a com a monotonia e a aridez do Egito (Dt 11:8-14). Aquele deveria ser o descanso de Israel, sua herança e o lugar onde Deus habitaria (Dt 12:9, 11). Depois de suportar a escravidão no Egito e a penúria no deserto, os israelitas finalmente seriam capazes de encontrar descanso em sua Terra Prometida (Js 1:13, 15; 11:23; 21:44; 22:4; 23:1). TEMAS ESPECIAIS – Terra que Mana Leite e Mel
  • 39. O profeta Ezequiel chamou a terra de Israel de “coroa de todas as terras” (Ez 20:6, 15) e Daniel a chama de “terra gloriosa” (Dn 8:9; 11:16 e 41). Em várias ocasiões, ela é descrita como “a terra que mana leite e mel” (Ex 3:8, 17; 13:5; 33:3; Lv 20:24; Nm 13:27; Dt 6:3; 11:9; etc). Trata-se de uma declaração proverbial, que significa “terra de abundância”, lugar de pastos tranquilos e de jardins, onde os rebanhos podiam pastar e as abelhas coletavam pólen para fazer mel.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46. Até à próxima aula sobre o livro dos JUÍZES!