SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
HISTÓRIA DA
ARTE
RESUMO
ARTE MODERNA
Nesse período da história, do final do século XIX até
meados do século XX, temos uma arte intimamente
relacionada com seu tempo. Ou seja, o artista moderno
permite que acontecimentos que o rodeiam influenciem
sua arte
E a partir de agora, esses artistas serão classificados em
grupos
Claro que, individualmente, cada um tem seu jeito
próprio de fazer arte, mas em conjunto esses artistas
têm características ou objetivos em comum. Por isso
costuma-se dizer que fazem parte de um Movimento
Artístico
CONTEXTO HISTÓRICO
O primeiro movimento artístico do período da arte
moderna, o Movimento Impressionista, surge no
período conhecido como Bélle Époque, em Paris
(esse nome, “bela época” vem da prosperidade e
paz em que se encontravam).
Baseava-se na observação direta do efeito da
luz solar nos objetos para registrar em suas telas
as constantes alterações que essa luz provocava
IMPRESSIONISMO
O nome do grupo, Impressionistas, vem da obra “Impressão,
nascer do Sol”, de Claude Monet. Nessa obra o artista
procurou capturar o instante exato em o sol está nascendo.
Não há preocupação com o contorno das formas nem com
linhas e sombras, apenas com o reflexo da luz e das cores
O mesmo acontece
em “Le Moulin de la
Galette”, de Pierre-
Auguste Renoir.
O espectador tem a
impressão de estar
sentado na mesa
assistindo às
pessoas dançando.
Quase dá pra ouvir
a música tocando,
as pessoas
conversando, as
risadas.
No Brasil as
características do
Movimento
Impressionista estão
presentes nas obras
de Eliseu Visconti
É possível traçar um paralelo entre a pintura e a
mais nova invenção da época: a fotografia. Ela
tornou possível obter um retrato da sua família
em poucas horas e não mais em anos, como
antigamente.
Os pintores poderiam se sentir ameaçada com
isso (alguns se tornaram fotógrafos) mas, de
certa forma os impressionistas conseguiram
despertar novamente o interesse das pessoas
O Impressionismo e a fotografia
As primeiras fotografias em preto e
branco eram feitas em poucas
horas
Bem diferente do passado: a
Monalisa, por exemplo, ficou
depois de 4 anos!
O pintor impressionista sai do ateliê e
passa a registrar as pessoas e as
paisagens de maneira rápida também,
no momento em que estavam
acontecendo
No final das contas não houve concorrência entre pintores e fotógrafos: a
primeira exposição dos Impressionistas foi feita, inclusive, no estúdio do
fotógrafo Nadar
A pintura que se desenvolveu de 1886,
depois da última exposição Impressionista,
até o surgimento do Cubismo, em 1907,
abrange pintores de tendências bem
diversas entre si.
São os chamados artistas pós-
impressionistas.
Alguns deles apresentam características
PÓS IMPRESSIONISMO
É o caso, por exemplo, de
Vincent Van Gogh.
Alguns afirmam que esse
artista era Expressionista,
outros o classifica como
Fauvista (vamos
conhecer esses
movimentos na próxima
aula).
O fato é que Van Gogh
possuía uma pincelada
única, extremamente
emplastada de tinta,
agressiva e ao mesmo
tempo cheia de
delicadeza.
Seu jeito de pintar, único e
Temos também os artistas conhecidos como Pontilhistas.
Como o nome indica, esses artistas aplicavam pequenos
pontos de tintas na tela que, vistos de longe, pareciam se
misturar e formar as cores.
E temos também Paul Cézanne. Ele é considerado
por alguns o pai do Modernismo. Diferente dos
Impressionistas, Cézanne usava o preto e cores
terrosas e buscava a solidez das rochas, pois
para ele tudo é importante, portanto tudo é
pintura.
SIMBOLISMO
Mas dentre os Pós-
Impressionistas podemos
destacar um grupo de
artistas que se
preocupava em expressar
sentimentos pessoais
profundos rejeitando o
naturalismo e o realismo
em favor do romantismo:
os simbolistas
Para eles as cores, as linhas e
a forma poderiam ser
usadas para descrever e
para expressar, como na
HISTÓRIA DA
ARTERESUMO
ISMOS – MOVIMENTOS
DA ARTE MODERNA
Influenciados pelo advento da
fotografia, procuraram captar a
impressão da luz nas cores dos
objetos
Com o tempo esse tipo de pintura foi
perdendo o brilho e, um pouco antes
da Primeira Guerra Mundial eclodir,
em 1914, o artista moderno sente a
necessidade de produzir uma arte
mais substancial, com maior peso e
relevância
São os chamados Movimentos de
Vanguarda, que vamos conhecer
agora, ou Ismos (de Modernismo)
CONTEXTO HISTÓRICO
Durante a realização do Salão de
Outono em Paris, em 1905, alguns
jovens pintores foram chamados pelo
crítico LouisVauxcelles de fauves (do
francês “feras”).Assim, ficaram
conhecidos como fauvistas.
FAUVISMO - 1905
O artista fauvista age
por instinto (como
uma fera) não
permitindo que o
lado racional interfira
na pintura.
Por isso, a principal
característica desse
grupo é a
simplificação das
formas e o emprego
das cores puras.
Essas características
podem ser vistas em
Os artistas cubistas passaram a
representar os objetos com todas as suas
partes num mesmo plano. É como se
estivessem abertos e apresentassem todos
os lados no plano frontal em relação ao
espectador.
CUBISMO - 1907
CUBISMOANALÍTICO
Pablo Picasso é considerado o pai do Cubismo. Em “Guernica” ele
retrata a GuerraCivil Espanhola em que morreram vários civis da
cidade de Guernica. Ele fragmentou as formas dos seres e colocou
tudo em plano frontal (observe as figuras em perfil com os dois
olhos de frente). Além disso usou poucas cores. Essas são as
características do Cubismo Analítico.
CUBISMO
SINTÉTICO
já em “A Guitarra”, Picasso
introduziu alterações ao nível
da utilização de novos
materiais, incorporando-os na
obra ao misturar tinta com
materiais exteriores.
A partir deste método os
quadros passam então a
integrar objetos comuns, pelo
método da colagem, como o
papel, cartão, tecido, madeira,
corda, entre outros objetos do
dia a dia. Essas são as
Uma tela abstrata não representa a realidade que
nos cerca, nem narra com imagens uma cena
histórica, literária, religiosa ou mitológica.
A principal característica do movimento
abstracionismo é ausência de relação imediata
entre as formas e as cores representadas e as
formas e as cores reais de um ser.
Nesse sentido, a pintura abstrata pode ser
ABSTRACIONISMO - 1910
INFORMAL
Kandinsky é o
principal
representante
desse estilo
abstrato onde
as formas e as
cores são
criadas
livremente
GEOMÉTRICO
Já na obra de Piet
Mondrian as formas e
as cores são
organizadas de
maneira que a
composição resultante
é apenas a expressão
de uma concepção
geométrica.
No período da história da arte moderna,
um grupo de artistas procurou expressar
as emoções humanas e interpretar as
angústias que caracterizam
psicologicamente o homem do início do
século XX. É o que chamamos de
subjetivismo na arte.
EXPRESSIONISMO - 1920
A pintura “O Grito”, de
Edvard Munch, retrata
justamanete esse estado de
angústia interna que tanto o
afligia, como ele mesmo
descreveu:
“Passeava com dois amigos
amigos ao pôr-do-sol – o céu
o céu ficou de súbito
vermelho-sangue – eu parei,
parei, exausto, e inclinei-me
me sobre a mureta– havia
havia sangue e línguas de
de fogo sobre o azul escuro do
escuro do fjord e sobre a
cidade – os meus amigos
O surrealismo foi um movimento da literatura e
das artes plásticas que começou na França, em
1924, sob a liderança do escritor André Breton.
Influenciados pelo estudos do subconsciente,
do psicanalista Sigmund Freud, a arte
surrealista não resulta de pensamentos
racionais e lógicos do artista; ela é, isto sim,
SURREALISMO - 1924
O principal artista surrealista foi o espanhol Salvador Dali. Ele mesmo
admitiu que sua obra era uma loucura: “Como posso querer que meus
amigos entendam as coisas loucas que passam pela minha cabeça, se
eu mesmo, não entendo?”
Na busca por novos caminhos esses
artistas idealizaram a Semana de Arte
Moderna, realizada em fevereiro de 1922
no Teatro Municipal de São Paulo
(também chamada apenas de Semana
de 22)
No evento foram apresentados concertos
e conferências, além de exposições de
artistas plásticos.
(CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO FEITO POR DI CAVALCANTI)
MODERNISMO NO BRASIL
INFLUÊNCIA EUROPEIA NA ARTE
BRASILEIRA
SURREALISMOEXPRESSIONISMO CUBISMO
Anita
Malfatti
Ismael
Nery
Vicente
do Rêgo Monteiro
Em 1928,Tarsila do Amaral, juntamente
com seu marido, o escritor Oswald de
Andrade, deu início a uma nova fase: a
Antropofágica (aquele que come)
A teoria antropofágica propunha que o
artista deveria “deglutir” a arte europeia e
Movimento Antropofágico
“Abaporu” é o melhor exemplo desse
antropofagismo:
Tarsila consegue aplicar várias
características de diferentes movimentos
europeus: formas expressionistas, um
tanto surrealistas, um pouco de
abstracionismo e até fauvismo. Porém são
apenas traços desses movimentos. O que
ela quis mesmo foi retratar o homem
trabalhador brasileiro (indicados pelas
mãos e pés enormes e cabeça pequena),
as cores da bandeira do Brasil, assim como
o clima e a vegetação típica brasileira.
Abaporu é uma palavra de origem tupi e
tupi e significa “homem que come”. Mais
uma alusão às nossas raízes culturais.
http://arteeducacaodf.blogspot.com.br/
PRÓXIMA AULA –
ARTE CONTEMPORÂNEA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
CEF16
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
annaartes
 
Surrealismo - 3ºAno do Ensino Médio
Surrealismo - 3ºAno do Ensino MédioSurrealismo - 3ºAno do Ensino Médio
Surrealismo - 3ºAno do Ensino Médio
Mariene Candeia
 

Mais procurados (20)

Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
Expressionismo
Expressionismo Expressionismo
Expressionismo
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
 
Op Art
Op ArtOp Art
Op Art
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
 
Arte Conceitual
Arte ConceitualArte Conceitual
Arte Conceitual
 
Surrealismo - 3ºAno do Ensino Médio
Surrealismo - 3ºAno do Ensino MédioSurrealismo - 3ºAno do Ensino Médio
Surrealismo - 3ºAno do Ensino Médio
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Aula 10 Expressionismo Abstrato
Aula 10  Expressionismo AbstratoAula 10  Expressionismo Abstrato
Aula 10 Expressionismo Abstrato
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"
 
Releitura de uma obra de arte (2)
Releitura de uma obra de arte (2)Releitura de uma obra de arte (2)
Releitura de uma obra de arte (2)
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Pop arte
Pop artePop arte
Pop arte
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 

Destaque

PINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCION
PINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCIONPINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCION
PINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCION
JUAN DIEGO
 
50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho
50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho
50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho
TIP
 
Pablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismoPablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismo
Meire Falco
 
PINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMO
PINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMOPINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMO
PINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMO
JUAN DIEGO
 

Destaque (20)

PINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCION
PINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCIONPINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCION
PINTURA DEL SIGLO XX (I). VANGUARDIAS: FAUVISMO, EXPRESIONISMO Y ABSTRACCION
 
Seminário sobre o cubismo
Seminário sobre o cubismoSeminário sobre o cubismo
Seminário sobre o cubismo
 
Expresionismo, cubismo y dadaísmo.
Expresionismo, cubismo y dadaísmo.Expresionismo, cubismo y dadaísmo.
Expresionismo, cubismo y dadaísmo.
 
50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho
50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho
50 Tons de Arte com Luiz Nunes e Lucia Castanho
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
O universo da arte
O universo da arteO universo da arte
O universo da arte
 
Arte conceitual - Seminário
Arte conceitual - SeminárioArte conceitual - Seminário
Arte conceitual - Seminário
 
Vanguardias
VanguardiasVanguardias
Vanguardias
 
Arte Moderna - Cubismo
Arte Moderna - CubismoArte Moderna - Cubismo
Arte Moderna - Cubismo
 
Ppt vanguardia 2016
Ppt vanguardia 2016Ppt vanguardia 2016
Ppt vanguardia 2016
 
Web Design > Movimentos artisticos
Web Design > Movimentos artisticosWeb Design > Movimentos artisticos
Web Design > Movimentos artisticos
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Renacimiento Quatroccentto
Renacimiento QuatroccenttoRenacimiento Quatroccentto
Renacimiento Quatroccentto
 
Pablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismoPablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismo
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
 
PINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMO
PINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMOPINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMO
PINTURA DEL SIGLO XX (II). VANGUARDIAS. DADAISMO Y SURREALISMO
 
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiroSemana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
 
ART NOUVEAU, JUGENDSTIL, TIFFANY, SEZESSION, MODERN STYLE, LIBERTY STYLE, FLO...
ART NOUVEAU, JUGENDSTIL, TIFFANY, SEZESSION, MODERN STYLE, LIBERTY STYLE, FLO...ART NOUVEAU, JUGENDSTIL, TIFFANY, SEZESSION, MODERN STYLE, LIBERTY STYLE, FLO...
ART NOUVEAU, JUGENDSTIL, TIFFANY, SEZESSION, MODERN STYLE, LIBERTY STYLE, FLO...
 
Arte completa
Arte completaArte completa
Arte completa
 

Semelhante a História da arte - Arte Moderna

O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
Sofia Oliveira
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
CEF16
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
eduardoalves354978
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
CEF16
 
Seminários história da arte 04
Seminários história da arte   04Seminários história da arte   04
Seminários história da arte 04
Gabriela Lemos
 

Semelhante a História da arte - Arte Moderna (20)

Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
 
Arte
ArteArte
Arte
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
História da arte - Arte Moderna - resumo
História da arte - Arte Moderna -  resumoHistória da arte - Arte Moderna -  resumo
História da arte - Arte Moderna - resumo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
 
Modernismo na pintura as vanguardas 2
Modernismo na pintura   as vanguardas 2Modernismo na pintura   as vanguardas 2
Modernismo na pintura as vanguardas 2
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
8ºano
8ºano8ºano
8ºano
 
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e SurrealismoCubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
 
Cursinho novo1
Cursinho novo1Cursinho novo1
Cursinho novo1
 
A Arte
A ArteA Arte
A Arte
 
Seminários história da arte 04
Seminários história da arte   04Seminários história da arte   04
Seminários história da arte 04
 
História da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismoHistória da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismo
 

Mais de Lú Carvalho

Mais de Lú Carvalho (20)

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas Nativistas
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Brasil Regência
Brasil RegênciaBrasil Regência
Brasil Regência
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Rugendas II
Rugendas IIRugendas II
Rugendas II
 
Rugendas I
Rugendas IRugendas I
Rugendas I
 
Paul Harro-Harring
Paul Harro-HarringPaul Harro-Harring
Paul Harro-Harring
 
Debret
DebretDebret
Debret
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
 
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e IncasCivilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima
 
Império Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e CarolingeoImpério Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e Carolingeo
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 

Último

Último (20)

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

História da arte - Arte Moderna

  • 2. Nesse período da história, do final do século XIX até meados do século XX, temos uma arte intimamente relacionada com seu tempo. Ou seja, o artista moderno permite que acontecimentos que o rodeiam influenciem sua arte E a partir de agora, esses artistas serão classificados em grupos Claro que, individualmente, cada um tem seu jeito próprio de fazer arte, mas em conjunto esses artistas têm características ou objetivos em comum. Por isso costuma-se dizer que fazem parte de um Movimento Artístico CONTEXTO HISTÓRICO
  • 3. O primeiro movimento artístico do período da arte moderna, o Movimento Impressionista, surge no período conhecido como Bélle Époque, em Paris (esse nome, “bela época” vem da prosperidade e paz em que se encontravam). Baseava-se na observação direta do efeito da luz solar nos objetos para registrar em suas telas as constantes alterações que essa luz provocava IMPRESSIONISMO
  • 4. O nome do grupo, Impressionistas, vem da obra “Impressão, nascer do Sol”, de Claude Monet. Nessa obra o artista procurou capturar o instante exato em o sol está nascendo. Não há preocupação com o contorno das formas nem com linhas e sombras, apenas com o reflexo da luz e das cores
  • 5. O mesmo acontece em “Le Moulin de la Galette”, de Pierre- Auguste Renoir. O espectador tem a impressão de estar sentado na mesa assistindo às pessoas dançando. Quase dá pra ouvir a música tocando, as pessoas conversando, as risadas.
  • 6. No Brasil as características do Movimento Impressionista estão presentes nas obras de Eliseu Visconti
  • 7. É possível traçar um paralelo entre a pintura e a mais nova invenção da época: a fotografia. Ela tornou possível obter um retrato da sua família em poucas horas e não mais em anos, como antigamente. Os pintores poderiam se sentir ameaçada com isso (alguns se tornaram fotógrafos) mas, de certa forma os impressionistas conseguiram despertar novamente o interesse das pessoas O Impressionismo e a fotografia
  • 8. As primeiras fotografias em preto e branco eram feitas em poucas horas Bem diferente do passado: a Monalisa, por exemplo, ficou depois de 4 anos! O pintor impressionista sai do ateliê e passa a registrar as pessoas e as paisagens de maneira rápida também, no momento em que estavam acontecendo No final das contas não houve concorrência entre pintores e fotógrafos: a primeira exposição dos Impressionistas foi feita, inclusive, no estúdio do fotógrafo Nadar
  • 9. A pintura que se desenvolveu de 1886, depois da última exposição Impressionista, até o surgimento do Cubismo, em 1907, abrange pintores de tendências bem diversas entre si. São os chamados artistas pós- impressionistas. Alguns deles apresentam características PÓS IMPRESSIONISMO
  • 10. É o caso, por exemplo, de Vincent Van Gogh. Alguns afirmam que esse artista era Expressionista, outros o classifica como Fauvista (vamos conhecer esses movimentos na próxima aula). O fato é que Van Gogh possuía uma pincelada única, extremamente emplastada de tinta, agressiva e ao mesmo tempo cheia de delicadeza. Seu jeito de pintar, único e
  • 11. Temos também os artistas conhecidos como Pontilhistas. Como o nome indica, esses artistas aplicavam pequenos pontos de tintas na tela que, vistos de longe, pareciam se misturar e formar as cores.
  • 12. E temos também Paul Cézanne. Ele é considerado por alguns o pai do Modernismo. Diferente dos Impressionistas, Cézanne usava o preto e cores terrosas e buscava a solidez das rochas, pois para ele tudo é importante, portanto tudo é pintura.
  • 13. SIMBOLISMO Mas dentre os Pós- Impressionistas podemos destacar um grupo de artistas que se preocupava em expressar sentimentos pessoais profundos rejeitando o naturalismo e o realismo em favor do romantismo: os simbolistas Para eles as cores, as linhas e a forma poderiam ser usadas para descrever e para expressar, como na
  • 14. HISTÓRIA DA ARTERESUMO ISMOS – MOVIMENTOS DA ARTE MODERNA
  • 15. Influenciados pelo advento da fotografia, procuraram captar a impressão da luz nas cores dos objetos Com o tempo esse tipo de pintura foi perdendo o brilho e, um pouco antes da Primeira Guerra Mundial eclodir, em 1914, o artista moderno sente a necessidade de produzir uma arte mais substancial, com maior peso e relevância São os chamados Movimentos de Vanguarda, que vamos conhecer agora, ou Ismos (de Modernismo) CONTEXTO HISTÓRICO
  • 16. Durante a realização do Salão de Outono em Paris, em 1905, alguns jovens pintores foram chamados pelo crítico LouisVauxcelles de fauves (do francês “feras”).Assim, ficaram conhecidos como fauvistas. FAUVISMO - 1905
  • 17. O artista fauvista age por instinto (como uma fera) não permitindo que o lado racional interfira na pintura. Por isso, a principal característica desse grupo é a simplificação das formas e o emprego das cores puras. Essas características podem ser vistas em
  • 18. Os artistas cubistas passaram a representar os objetos com todas as suas partes num mesmo plano. É como se estivessem abertos e apresentassem todos os lados no plano frontal em relação ao espectador. CUBISMO - 1907
  • 19. CUBISMOANALÍTICO Pablo Picasso é considerado o pai do Cubismo. Em “Guernica” ele retrata a GuerraCivil Espanhola em que morreram vários civis da cidade de Guernica. Ele fragmentou as formas dos seres e colocou tudo em plano frontal (observe as figuras em perfil com os dois olhos de frente). Além disso usou poucas cores. Essas são as características do Cubismo Analítico.
  • 20. CUBISMO SINTÉTICO já em “A Guitarra”, Picasso introduziu alterações ao nível da utilização de novos materiais, incorporando-os na obra ao misturar tinta com materiais exteriores. A partir deste método os quadros passam então a integrar objetos comuns, pelo método da colagem, como o papel, cartão, tecido, madeira, corda, entre outros objetos do dia a dia. Essas são as
  • 21. Uma tela abstrata não representa a realidade que nos cerca, nem narra com imagens uma cena histórica, literária, religiosa ou mitológica. A principal característica do movimento abstracionismo é ausência de relação imediata entre as formas e as cores representadas e as formas e as cores reais de um ser. Nesse sentido, a pintura abstrata pode ser ABSTRACIONISMO - 1910
  • 22. INFORMAL Kandinsky é o principal representante desse estilo abstrato onde as formas e as cores são criadas livremente
  • 23. GEOMÉTRICO Já na obra de Piet Mondrian as formas e as cores são organizadas de maneira que a composição resultante é apenas a expressão de uma concepção geométrica.
  • 24. No período da história da arte moderna, um grupo de artistas procurou expressar as emoções humanas e interpretar as angústias que caracterizam psicologicamente o homem do início do século XX. É o que chamamos de subjetivismo na arte. EXPRESSIONISMO - 1920
  • 25. A pintura “O Grito”, de Edvard Munch, retrata justamanete esse estado de angústia interna que tanto o afligia, como ele mesmo descreveu: “Passeava com dois amigos amigos ao pôr-do-sol – o céu o céu ficou de súbito vermelho-sangue – eu parei, parei, exausto, e inclinei-me me sobre a mureta– havia havia sangue e línguas de de fogo sobre o azul escuro do escuro do fjord e sobre a cidade – os meus amigos
  • 26. O surrealismo foi um movimento da literatura e das artes plásticas que começou na França, em 1924, sob a liderança do escritor André Breton. Influenciados pelo estudos do subconsciente, do psicanalista Sigmund Freud, a arte surrealista não resulta de pensamentos racionais e lógicos do artista; ela é, isto sim, SURREALISMO - 1924
  • 27. O principal artista surrealista foi o espanhol Salvador Dali. Ele mesmo admitiu que sua obra era uma loucura: “Como posso querer que meus amigos entendam as coisas loucas que passam pela minha cabeça, se eu mesmo, não entendo?”
  • 28. Na busca por novos caminhos esses artistas idealizaram a Semana de Arte Moderna, realizada em fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo (também chamada apenas de Semana de 22) No evento foram apresentados concertos e conferências, além de exposições de artistas plásticos. (CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO FEITO POR DI CAVALCANTI) MODERNISMO NO BRASIL
  • 29. INFLUÊNCIA EUROPEIA NA ARTE BRASILEIRA SURREALISMOEXPRESSIONISMO CUBISMO Anita Malfatti Ismael Nery Vicente do Rêgo Monteiro
  • 30. Em 1928,Tarsila do Amaral, juntamente com seu marido, o escritor Oswald de Andrade, deu início a uma nova fase: a Antropofágica (aquele que come) A teoria antropofágica propunha que o artista deveria “deglutir” a arte europeia e Movimento Antropofágico
  • 31. “Abaporu” é o melhor exemplo desse antropofagismo: Tarsila consegue aplicar várias características de diferentes movimentos europeus: formas expressionistas, um tanto surrealistas, um pouco de abstracionismo e até fauvismo. Porém são apenas traços desses movimentos. O que ela quis mesmo foi retratar o homem trabalhador brasileiro (indicados pelas mãos e pés enormes e cabeça pequena), as cores da bandeira do Brasil, assim como o clima e a vegetação típica brasileira. Abaporu é uma palavra de origem tupi e tupi e significa “homem que come”. Mais uma alusão às nossas raízes culturais.