SlideShare uma empresa Scribd logo
GESTÃO DE STOCKS

Gestão de stocks ou Administração de stocks é uma área crucial a
boa administração das empresas, pois o desempenho nesta área tem
reflexos imediatos nos resultados comerciais e financeiros da empresa
Classificação de stocks
•Classes preconizadas por Plossl .

• Matéria-prima - são diversos tipos de
materiais usados no processo de fabrico e que
servirão para a obtenção do produto final;

• Componentes - subconjuntos que irão
constituir o conjunto final do produto;

• Produtos em via de fabrico - componentes
ou materiais que estão em espera no processo
produtivo;

• Produtos acabados - são os produtos finais
que se encontram para venda,
para distribuição ou armazenagem.
Vantagens na constituição de stocks

       •Podem-se constituir stocks com uma
       finalidade especulativa, comprando-se os
       mesmos a baixos preços para os vender a
       preços altos;
       • Para assegurar o consumo regular de
       um produto em caso de a sua produção ser
       irregular;
       • Geralmente, na compra de grandes
       quantidades beneficia-se de uma redução do
       preço unitário;
       • Não sendo prático
       o transporte de produtos em pequenas
       quantidades, opta-se por encher
       os veículos de transporte no intuito de
       economizar nos custos de transporte, o que se
       traduz numa constituição de stock;
Desvantagens na constituição de stocks

         Principais inconvenientes na constituição
         de stocks .
         •Um dos inconvenientes diz respeito à própria
         fragilidade de certos produtos, que não
         possuem condições de serem mantidos
         em stock ou poderão ser mantidos em
         períodos muito curtos;
         •Outro problema, diz respeito ao custo de
         posse traduzido no facto de
         existir material não vendido que vai acabar por
         imobilizar capital sem acrescentar valor;
         •A ruptura apresenta-se como um enorme
         inconveniente, visto que a ocorrência desta irá
         provocar vendas perdidas e em casos
         extremos poderá levar à perda de clientes.
Decisões na gestão de stocks
   •Periodicidade;
   •Encomenda única;
   •Mais de uma encomenda;
   • Origem;
   •Exterior ao fornecedor;
   •Do fornecedor;
   •Procura;
   •Procura constante;
   •Procura variável;
   •Procura independente;
   •Procura dependente;
   •Lead time ou tempo de aprovisionamento;
   •Lead time constante;
   •Lead time variável;
   •Sistemas de gestão de stocks;
   •Revisão contínua;
   •Revisão periódica;
   •Quantidade óptima de encomenda;
Custos da gestão de stocks
Custos de aprovisionamento
Corresponde ao custo de processamento da encomenda, que poderá ser a
compra feita a um fornecedor, mas também aos custos associados à
inspecção e transferência do material, assim como os custos relativos à
produção.
Custos de posse
São os custos directamente relacionados com a manutenção dos artigos
em stock, poderão ser de obsolescência, de deterioração ,impostos
, seguros, custo do armazém e sua manutenção e custos do capital.
Custos de ruptura
Estes custos surgem quando não há material disponível para fazer face ao(s)
pedido(s) do(s) cliente(s). Com isso, não só são gastas mais horas e trabalho
na elaboração de novos pedidos, como em casos extremos poderá levar à
perda do(s) cliente(s) .
Embora estes sejam considerados os três principais custos associados à
gestão de stocks, Plossl , refere ainda um quarto grupo, designado por custo
associado à capacidade, que são os custos relacionados com questões laborais
como horas extraordinárias ,subcontratações, despedimentos, formações e
períodos de inactividade por parte do trabalhador.
Sistemas de procura independente: modelos determinísticos
•Um dos factores principais que levam as organizações a constituir stock é a
possibilidade dessa mesma organização poder adquirir ou produzir artigos em lotes de
quantidade económica. As organizações que usam lotes de quantidade
económica, fazem-no sentido de manter um stock de artigos mais ou menos
regular, artigos esses, que têm uma procura constante e independente. Os lotes de
quantidade económica são estabelecidos por estes modelos determinísticos para
artigos com procura independente, sejam eles produzidos ou adquiridos. Para
determinar a melhor política no que toca à gestão de stocks, é necessária informação
sobre previsões da procura, custos associados à gestão de stocks e tempo de
aprovisionamento. Nos modelos determinísticos, as variáveis e todos os parâmetros
são conhecidos ou podem ser calculados. A taxa de procura e os custos são também
conhecidos com elevado grau de certeza e pressupõe-se que o tempo de
reaprovisionamento é constante e independente da procura .
Sistemas de quantidade fixa de encomenda
•As respostas às questões quando e quanto encomendar, dependem do natureza da
procura e dos parâmetros usados para caracterizar o sistema. Neste caso, é assumido
que a procura é conhecida e constante, o que significa que o número de artigos a
encomendar e o tempo entre o processamento de encomendas não sofrem também
eles variação. Os artigos são sujeitos a uma revisão contínua e quando o ponto de
encomenda atinge um determinado nível, é feito o pedido de uma nova encomenda
com um número fixo de artigos.
FLÁVIO SOARES
    8º7 , Nº6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de Materiais e de Stocks
Gestão de Materiais e de StocksGestão de Materiais e de Stocks
Gestão de Materiais e de Stocks
CLT Valuebased Services
 
Gestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhoGestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalho
jorgecs6
 
aprovisionamento
aprovisionamentoaprovisionamento
aprovisionamento
Jorge Dias
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
tiaguinho1
 
O aprovisionamento gestão de stocks
O aprovisionamento gestão de stocks O aprovisionamento gestão de stocks
O aprovisionamento gestão de stocks
Andreramos98
 
Gestão de stocks
Gestão de stocksGestão de stocks
Gestão de stocks
RitasAlmeidaMartins
 
Gestao de stocks
Gestao de stocksGestao de stocks
Gestao de stocks
warier96
 
Definição de gestão de stocks
Definição de gestão de stocksDefinição de gestão de stocks
Definição de gestão de stocks
soraiafilipa17
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
somol12
 
Aprovisionamento power point.
Aprovisionamento power point.Aprovisionamento power point.
Aprovisionamento power point.
Soraia Cardozo
 
4ºtrabalho
4ºtrabalho4ºtrabalho
4ºtrabalho
Patricia Silva
 
Gestão Material dos Stocks
Gestão Material dos StocksGestão Material dos Stocks
Gestão Material dos Stocks
Qemadonaaask
 
Aprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cvAprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cv
mauromartins1999
 
Aprovisionamento
Aprovisionamento   Aprovisionamento
Aprovisionamento
Ines Soares
 
Controle
ControleControle
Controle
André Silva
 
Gestão de stocks4º
Gestão de stocks4ºGestão de stocks4º
Gestão de stocks4º
João Barata
 
2º trabalho jorge madeira
2º trabalho  jorge  madeira2º trabalho  jorge  madeira
2º trabalho jorge madeira
warier96
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
joaocgoulart
 

Mais procurados (18)

Gestão de Materiais e de Stocks
Gestão de Materiais e de StocksGestão de Materiais e de Stocks
Gestão de Materiais e de Stocks
 
Gestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhoGestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalho
 
aprovisionamento
aprovisionamentoaprovisionamento
aprovisionamento
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
 
O aprovisionamento gestão de stocks
O aprovisionamento gestão de stocks O aprovisionamento gestão de stocks
O aprovisionamento gestão de stocks
 
Gestão de stocks
Gestão de stocksGestão de stocks
Gestão de stocks
 
Gestao de stocks
Gestao de stocksGestao de stocks
Gestao de stocks
 
Definição de gestão de stocks
Definição de gestão de stocksDefinição de gestão de stocks
Definição de gestão de stocks
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
 
Aprovisionamento power point.
Aprovisionamento power point.Aprovisionamento power point.
Aprovisionamento power point.
 
4ºtrabalho
4ºtrabalho4ºtrabalho
4ºtrabalho
 
Gestão Material dos Stocks
Gestão Material dos StocksGestão Material dos Stocks
Gestão Material dos Stocks
 
Aprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cvAprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cv
 
Aprovisionamento
Aprovisionamento   Aprovisionamento
Aprovisionamento
 
Controle
ControleControle
Controle
 
Gestão de stocks4º
Gestão de stocks4ºGestão de stocks4º
Gestão de stocks4º
 
2º trabalho jorge madeira
2º trabalho  jorge  madeira2º trabalho  jorge  madeira
2º trabalho jorge madeira
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
 

Destaque

Gestão de stocks
Gestão de stocksGestão de stocks
Gestão de stocks
telmag999
 
Gestão material dos stocks
Gestão material dos stocksGestão material dos stocks
Gestão material dos stocks
Beatriz123Letras
 
Aula parte i gestão de materiais
Aula parte i gestão de materiaisAula parte i gestão de materiais
Aula parte i gestão de materiais
Rodrigoblek
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
Charles Rebouças
 
4º trabalho de sm
4º trabalho de sm4º trabalho de sm
4º trabalho de sm
tiaguinho1
 
Gestão material de stocks
Gestão material de stocksGestão material de stocks
Gestão material de stocks
DanielTiagoR
 
Tecnologia
TecnologiaTecnologia
Tecnologia
matreiro
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
Patricia Silva
 
Fidelização de clientes
Fidelização de clientesFidelização de clientes
Fidelização de clientes
Eliana Valente
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de venda
triudus
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
Eliana Valente
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
Eliana Valente
 
Armazenagem de mercadorias
Armazenagem de mercadoriasArmazenagem de mercadorias
Armazenagem de mercadorias
RitasAlmeidaMartins
 
Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...
Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...
Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...
Tiago Maboni Derlan
 
1213715258 gestao de_stocks
1213715258 gestao de_stocks1213715258 gestao de_stocks
1213715258 gestao de_stocks
Carlos Serra
 
Gestao de compras
Gestao de comprasGestao de compras
Gestao de compras
ISCAP
 
Gestão de Armazens
Gestão de ArmazensGestão de Armazens
Gestão de Armazens
guestbdad729
 
Administração de materiais 2008_02
Administração de materiais 2008_02Administração de materiais 2008_02
Administração de materiais 2008_02
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
Danilo Pires
 
Armazenagem de materiais
Armazenagem de materiaisArmazenagem de materiais
Armazenagem de materiais
Jares Petros
 

Destaque (20)

Gestão de stocks
Gestão de stocksGestão de stocks
Gestão de stocks
 
Gestão material dos stocks
Gestão material dos stocksGestão material dos stocks
Gestão material dos stocks
 
Aula parte i gestão de materiais
Aula parte i gestão de materiaisAula parte i gestão de materiais
Aula parte i gestão de materiais
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 
4º trabalho de sm
4º trabalho de sm4º trabalho de sm
4º trabalho de sm
 
Gestão material de stocks
Gestão material de stocksGestão material de stocks
Gestão material de stocks
 
Tecnologia
TecnologiaTecnologia
Tecnologia
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
 
Fidelização de clientes
Fidelização de clientesFidelização de clientes
Fidelização de clientes
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de venda
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
 
Armazenagem de mercadorias
Armazenagem de mercadoriasArmazenagem de mercadorias
Armazenagem de mercadorias
 
Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...
Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...
Estudo das Operações Unitárias Na Fabricação de Tintas, Vernizes, Pigmentos e...
 
1213715258 gestao de_stocks
1213715258 gestao de_stocks1213715258 gestao de_stocks
1213715258 gestao de_stocks
 
Gestao de compras
Gestao de comprasGestao de compras
Gestao de compras
 
Gestão de Armazens
Gestão de ArmazensGestão de Armazens
Gestão de Armazens
 
Administração de materiais 2008_02
Administração de materiais 2008_02Administração de materiais 2008_02
Administração de materiais 2008_02
 
Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
 
Armazenagem de materiais
Armazenagem de materiaisArmazenagem de materiais
Armazenagem de materiais
 

Semelhante a Gestão de stocks fláá

Gestão de stocks
Gestão de stocks Gestão de stocks
Gestão de stocks
Bruno Andrade
 
Gestão de stocks4º
Gestão de stocks4ºGestão de stocks4º
Gestão de stocks4º
João Barata
 
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisõesFicha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
Leonor Alves
 
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisõesFicha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
Leonor Alves
 
Planejamento de Estoque
Planejamento de EstoquePlanejamento de Estoque
Planejamento de Estoque
Nyedson Barbosa
 
Gest estoques1
Gest estoques1Gest estoques1
Gest estoques1
Carlos Melo
 
Estoque
Estoque Estoque
Estoque
Laercio27
 
Aprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cvAprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cv
mauromartins1999
 
Aula 1 conceitos básicos
Aula 1   conceitos básicosAula 1   conceitos básicos
Aula 1 conceitos básicos
Adilson Paradella
 
Sistema de Avaliação de Estoques
Sistema de Avaliação de EstoquesSistema de Avaliação de Estoques
Sistema de Avaliação de Estoques
George Maia
 
Apresentação4
Apresentação4Apresentação4
Apresentação4
Crisleon Valadares
 
Controle de estoques (funcionalidades)
Controle de estoques (funcionalidades)Controle de estoques (funcionalidades)
Controle de estoques (funcionalidades)
Cristiano Ferreira Cesarino
 
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
carlosdenilson3
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giroO reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
Ricardo Pinheiro
 
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giroO reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
Ricardo Pinheiro
 
Gestão de estoques aula 02
Gestão de estoques  aula 02Gestão de estoques  aula 02
Gestão de estoques aula 02
Sirlei Vieira
 
Armazenagem e Estoque
Armazenagem e EstoqueArmazenagem e Estoque
Armazenagem e Estoque
TamiresSerafim
 
Aula 03 - Administração de Materiais
Aula 03 - Administração de MateriaisAula 03 - Administração de Materiais
Aula 03 - Administração de Materiais
pcm1nd
 
Gerenciando seu empreendimento e7
Gerenciando seu empreendimento   e7Gerenciando seu empreendimento   e7
Gerenciando seu empreendimento e7
silviofsouza
 

Semelhante a Gestão de stocks fláá (20)

Gestão de stocks
Gestão de stocks Gestão de stocks
Gestão de stocks
 
Gestão de stocks4º
Gestão de stocks4ºGestão de stocks4º
Gestão de stocks4º
 
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisõesFicha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
 
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisõesFicha de trabalho nº15   mod 4 - cv- revisões
Ficha de trabalho nº15 mod 4 - cv- revisões
 
Planejamento de Estoque
Planejamento de EstoquePlanejamento de Estoque
Planejamento de Estoque
 
Gest estoques1
Gest estoques1Gest estoques1
Gest estoques1
 
Estoque
Estoque Estoque
Estoque
 
Aprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cvAprovisionamento mauro 9º cv
Aprovisionamento mauro 9º cv
 
Aula 1 conceitos básicos
Aula 1   conceitos básicosAula 1   conceitos básicos
Aula 1 conceitos básicos
 
Sistema de Avaliação de Estoques
Sistema de Avaliação de EstoquesSistema de Avaliação de Estoques
Sistema de Avaliação de Estoques
 
Apresentação4
Apresentação4Apresentação4
Apresentação4
 
Controle de estoques (funcionalidades)
Controle de estoques (funcionalidades)Controle de estoques (funcionalidades)
Controle de estoques (funcionalidades)
 
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giroO reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
 
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giroO reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
 
Gestão de estoques aula 02
Gestão de estoques  aula 02Gestão de estoques  aula 02
Gestão de estoques aula 02
 
Armazenagem e Estoque
Armazenagem e EstoqueArmazenagem e Estoque
Armazenagem e Estoque
 
Aula 03 - Administração de Materiais
Aula 03 - Administração de MateriaisAula 03 - Administração de Materiais
Aula 03 - Administração de Materiais
 
Gerenciando seu empreendimento e7
Gerenciando seu empreendimento   e7Gerenciando seu empreendimento   e7
Gerenciando seu empreendimento e7
 

Mais de flaaviosoares

T i po l o g i a s
T i po l o g i a sT i po l o g i a s
T i po l o g i a s
flaaviosoares
 
T i po l o g i a s
T i po l o g i a sT i po l o g i a s
T i po l o g i a s
flaaviosoares
 
T i po l o g i a s
T i po l o g i a sT i po l o g i a s
T i po l o g i a s
flaaviosoares
 
Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)
Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)
Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)
flaaviosoares
 
Power point armazenamento (sm)
Power point   armazenamento (sm)Power point   armazenamento (sm)
Power point armazenamento (sm)
flaaviosoares
 
6º trabalho
6º trabalho6º trabalho
6º trabalho
flaaviosoares
 
4ºtrabalho
4ºtrabalho4ºtrabalho
4ºtrabalho
flaaviosoares
 

Mais de flaaviosoares (7)

T i po l o g i a s
T i po l o g i a sT i po l o g i a s
T i po l o g i a s
 
T i po l o g i a s
T i po l o g i a sT i po l o g i a s
T i po l o g i a s
 
T i po l o g i a s
T i po l o g i a sT i po l o g i a s
T i po l o g i a s
 
Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)
Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)
Power point - armazenagem de mercadorias - (sm)
 
Power point armazenamento (sm)
Power point   armazenamento (sm)Power point   armazenamento (sm)
Power point armazenamento (sm)
 
6º trabalho
6º trabalho6º trabalho
6º trabalho
 
4ºtrabalho
4ºtrabalho4ºtrabalho
4ºtrabalho
 

Gestão de stocks fláá

  • 1. GESTÃO DE STOCKS Gestão de stocks ou Administração de stocks é uma área crucial a boa administração das empresas, pois o desempenho nesta área tem reflexos imediatos nos resultados comerciais e financeiros da empresa
  • 2. Classificação de stocks •Classes preconizadas por Plossl . • Matéria-prima - são diversos tipos de materiais usados no processo de fabrico e que servirão para a obtenção do produto final; • Componentes - subconjuntos que irão constituir o conjunto final do produto; • Produtos em via de fabrico - componentes ou materiais que estão em espera no processo produtivo; • Produtos acabados - são os produtos finais que se encontram para venda, para distribuição ou armazenagem.
  • 3. Vantagens na constituição de stocks •Podem-se constituir stocks com uma finalidade especulativa, comprando-se os mesmos a baixos preços para os vender a preços altos; • Para assegurar o consumo regular de um produto em caso de a sua produção ser irregular; • Geralmente, na compra de grandes quantidades beneficia-se de uma redução do preço unitário; • Não sendo prático o transporte de produtos em pequenas quantidades, opta-se por encher os veículos de transporte no intuito de economizar nos custos de transporte, o que se traduz numa constituição de stock;
  • 4. Desvantagens na constituição de stocks Principais inconvenientes na constituição de stocks . •Um dos inconvenientes diz respeito à própria fragilidade de certos produtos, que não possuem condições de serem mantidos em stock ou poderão ser mantidos em períodos muito curtos; •Outro problema, diz respeito ao custo de posse traduzido no facto de existir material não vendido que vai acabar por imobilizar capital sem acrescentar valor; •A ruptura apresenta-se como um enorme inconveniente, visto que a ocorrência desta irá provocar vendas perdidas e em casos extremos poderá levar à perda de clientes.
  • 5. Decisões na gestão de stocks •Periodicidade; •Encomenda única; •Mais de uma encomenda; • Origem; •Exterior ao fornecedor; •Do fornecedor; •Procura; •Procura constante; •Procura variável; •Procura independente; •Procura dependente; •Lead time ou tempo de aprovisionamento; •Lead time constante; •Lead time variável; •Sistemas de gestão de stocks; •Revisão contínua; •Revisão periódica; •Quantidade óptima de encomenda;
  • 6. Custos da gestão de stocks Custos de aprovisionamento Corresponde ao custo de processamento da encomenda, que poderá ser a compra feita a um fornecedor, mas também aos custos associados à inspecção e transferência do material, assim como os custos relativos à produção. Custos de posse São os custos directamente relacionados com a manutenção dos artigos em stock, poderão ser de obsolescência, de deterioração ,impostos , seguros, custo do armazém e sua manutenção e custos do capital. Custos de ruptura Estes custos surgem quando não há material disponível para fazer face ao(s) pedido(s) do(s) cliente(s). Com isso, não só são gastas mais horas e trabalho na elaboração de novos pedidos, como em casos extremos poderá levar à perda do(s) cliente(s) . Embora estes sejam considerados os três principais custos associados à gestão de stocks, Plossl , refere ainda um quarto grupo, designado por custo associado à capacidade, que são os custos relacionados com questões laborais como horas extraordinárias ,subcontratações, despedimentos, formações e períodos de inactividade por parte do trabalhador.
  • 7. Sistemas de procura independente: modelos determinísticos •Um dos factores principais que levam as organizações a constituir stock é a possibilidade dessa mesma organização poder adquirir ou produzir artigos em lotes de quantidade económica. As organizações que usam lotes de quantidade económica, fazem-no sentido de manter um stock de artigos mais ou menos regular, artigos esses, que têm uma procura constante e independente. Os lotes de quantidade económica são estabelecidos por estes modelos determinísticos para artigos com procura independente, sejam eles produzidos ou adquiridos. Para determinar a melhor política no que toca à gestão de stocks, é necessária informação sobre previsões da procura, custos associados à gestão de stocks e tempo de aprovisionamento. Nos modelos determinísticos, as variáveis e todos os parâmetros são conhecidos ou podem ser calculados. A taxa de procura e os custos são também conhecidos com elevado grau de certeza e pressupõe-se que o tempo de reaprovisionamento é constante e independente da procura . Sistemas de quantidade fixa de encomenda •As respostas às questões quando e quanto encomendar, dependem do natureza da procura e dos parâmetros usados para caracterizar o sistema. Neste caso, é assumido que a procura é conhecida e constante, o que significa que o número de artigos a encomendar e o tempo entre o processamento de encomendas não sofrem também eles variação. Os artigos são sujeitos a uma revisão contínua e quando o ponto de encomenda atinge um determinado nível, é feito o pedido de uma nova encomenda com um número fixo de artigos.
  • 8. FLÁVIO SOARES 8º7 , Nº6