SlideShare uma empresa Scribd logo
SHENG
Adm. Jovino Moreira da Silva, M. Sc.
jomosil@gmail.com
http://shengadm.blogspot.com
SHENG
A dúvida é a antessala do
Conhecimento
SHENG
EMENTA
Conceitos de marketing. Ambiente de
marketing. Administração de marketing.
Plano de marketing. Composto dePlano de marketing. Composto de
marketing (4Ps). Comportamento do
consumidor e atendimento ao cliente.
Mídias Sociais. Marketing para Pequenas
Empresas. Análise de mercados e
segmentação de mercado.
SHENG
Conteúdos
Parte I – Introdução
Apresentação. Introdução ao conteúdo da disciplina.
Primeiras questões sobre Marketing. Alguns elementos históricos.
Marketing como Disciplina e como Estratégia de Negócios
Parte II – Marketing: Da Visão Funcional à Visão Sistêmica
Da Troca Primitiva de Produtos à Comercialização Planejada de produtos.
A Evolução do Conhecimento Humano e sua importância para o Marketing
Evolução do Conceito de Marketing. Composto de Marketing.Evolução do Conceito de Marketing. Composto de Marketing.
Das Trocas Simbólicas às Trocas Materiais. Consumidor e Cliente.
Parte III – Marketing: Do tradicional ao Estratégico
Fatores Críticos de Sucesso: os 5R e as novas orientações no processo de
vendas. Novas tecnologias Aplicadas ao Marketing. Processos de Venda
pessoal. Tópicos Atuais em Marketing.
Tendências e tecnologias influenciando no comportamento de compra.
Comunicação integrada de marketing. Conceitos de público, mensagem e
canais. Plano estratégico de comunicação integrada de marketing. Mídia
impressa e eletrônica.
Parte IV – ESTUDO DE CASO – AVALIAÇAO DO CURSO
SHENG
Objetivos
Introduzir os conhecimentos fundamentais
de marketing para os profissionais.
Discutir os fundamentos do MarketingDiscutir os fundamentos do Marketing
desde os aspectos tradicionais até aos
avanços gerados pelas tecnologias de
informação e as exigências dos clientes
numa era de globalização.
SHENG
Metodologia e Avaliação
As aulas serão desenvolvidas de modo dinâmico
dentro de um sistema de ação de fluxo duplo o qual se
formará com a participação ativa do estudante. As
exposições envolverão a participação dos estudantes e
serão processadas segundo o Sistema de Coordenaçãoserão processadas segundo o Sistema de Coordenação
Cooperativa.
A avaliação do curso será contínua com a realização
de um estudo de caso no último dia de aula para
concluir o processo educacional.
Um site para consultas:
http://www.portaldomarketing.com.br/Artigos.htm
SHENG
Acreditar na visão constitui um conceito
radicalmente novo na filosofia econômica. A
visão nasce do conhecimento intuitivo; e isto
implica em aceitar que a lógica não é tudo, de
que nem tudo são números. A ideia consisteque nem tudo são números. A ideia consiste
simplesmente em acreditar que se visionarmos
o futuro que pretendemos somos mais capazes
de atingir o nosso objetivo. A visão é o laço
entre o sonho e a ação.
John NAISBITT e Patrícia ABURDENE
SHENG
“Consumers are statistics.
Customers are people.”Customers are people.”
Stanley Marcus
SHENG
Cenários não são para predição do futuro, mais
do que isto eles são para perceber o futuro no
presente. Peter Schwartz (The Art of the Long
View).
Empresa bem-sucedida é aquela que podeEmpresa bem-sucedida é aquela que pode
efetivamente aprender. Arie de Geus (A
Empresa Viva).
Pessoas não são dispensáveis. As demissões
quebram o know-how de qualquer organização,
destroem a capacidade já desenvolvida pelo
time. Adriaan Bekman (Entrevista em: Você S/A,
2003)
SHENG
AS SETE IDADES DA ESPÉCIE
HUMANA
FONTE: Adaptado de WOOD, R. The Future of Strategy: The Role of the New Sciences. Thresholds.Com
SHENG
As Ondas de Schumpeter
SHENG Marketing e o Futuro da Estratégia
Penetrante
Personificado
Inclusivo Capitalismo
Colaborativo
Janelas deTeia Auto-
Diálogo
Estratégico
Desenho do Capabilidade
Organizacional
Aprendizagem Coletiva
Alinhamento Coerente
Comprometimento
Janelas de
Oportunidade
Evolução dos
Negócios
Teia
Econômica
Auto-
Renovação
Desenho do
Negócio Organizacional
A Navegação
do Futuro
Modelos de Lucro
Arquitetura dos Negócios
Pontos Estratégicos de Controle
Rede de Valores
Capabilidade Diferenciada
Competências Essenciais
Recursos Essenciais
Processos Chave
Criativo e Empreendedorial Ligado, Interativo e Multi-sensação
FONTE: Adaptado de WOOD, R. The Future of Strategy: The Role of the New Sciences. Thresholds.Com
SHENG
A EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO
50 – 70 70 – 90
Dados Informação Conhecimento
Século 21
Produtos
Competição
Solução
Cooperação
Inovação
Colaboração
SHENG
Ações emAções em
MarketingMarketing
Marketing daMarketing da
Era IndustrialEra Industrial
Marketing deMarketing de
TransiçãoTransição
Marketing da EraMarketing da Era
da Informaçãoda Informação
Projetando aProjetando a
OfertaOferta
Conduzido pelaConduzido pela
EngenhariaEngenharia
Conduzido peloConduzido pelo
MarketingMarketing
Conduzido peloConduzido pelo
ClienteCliente
Personalizando aPersonalizando a
OfertaOferta
SegmentaçãoSegmentação Personalização dePersonalização de
MassaMassa
Configurada peloConfigurada pelo
ClienteCliente
Estabelecendo oEstabelecendo o Preço com basePreço com base Preço com basePreço com base Preço por período dePreço por período de
Ações em Marketing:
Da Visão Funcional à Visão Sistêmica
Estabelecendo oEstabelecendo o
Preço da OfertaPreço da Oferta
Preço com basePreço com base
em custosem custos
Preço com basePreço com base
em valorem valor
Preço por período dePreço por período de
vida útilvida útil
Comunicação daComunicação da
OfertaOferta
Com base emCom base em
persuasãopersuasão
Com base emCom base em
informaçãoinformação
Com base emCom base em
permissãopermissão
Entrega da OfertaEntrega da Oferta Canais fixosCanais fixos Canais múltiplosCanais múltiplos Canais sem emendaCanais sem emenda
(Sistemas)(Sistemas)
Ampliação daAmpliação da
OfertaOferta
ParceirosParceiros
verticaisverticais
ParceirosParceiros
horizontaishorizontais
Redes de NegóciosRedes de Negócios
[[CoCo--CriaçãoCriação]]
Suporta aSuporta a
ClientesClientes
Acesso a PessoasAcesso a Pessoas Acesso aAcesso a
InformaçõesInformações
Acesso a ProcessosAcesso a Processos
[[Voz do Cliente]Voz do Cliente]
Adaptado de: Sawhney & Kotler (2001, p.428)
SHENG
CAMINHOS PARA O FUTURO
Algumas tendências segundo Popcorn (1993):
1. O encasulamento numa Nova Década
2. A Aventura da Fantasia
3. Pequenas Indulgências
4. Egonomia
5. Sair Fora5. Sair Fora
6. Volta ao Passado
7. Sobreviver
8. Consumidor Vigilante
9. 99 Vidas
10. S. O. S. (Salve O Social)
Adaptado de: POPCORN, F. O Relatório Popcorn. Rio de Janeiro, Campus, 1993
SHENG AS GRANDES EVOLUÇÕES TECNOLÓGICAS
TÉCNICAS
ARCAICAS
TÉCNICAS
MOLARES
TÉCNICAS
MOLECULARES
Controle
das
espécies
vivas
Seleção Natural
Ausência de
finalidade.
Escala
geológica.
Opera sobre
Seleção artificial
Finalização.
Escala histórica
Opera sobre
populações
Gênio genético
Finalização
Tempo real
Opera gene por
genevivas
Opera sobre
populações
populações gene
Controle
da
matéria
Mecânico
Controle da
transmissão e
do ponto de
aplicação das
forças.
Reuniões
Termodinâmico
(quente)
Produção de
energia e
modificação das
características
da matéria por
aquecimentos e
misturas
Nanotecnológico (frio)
Controle da
transmissão e do
ponto de aplicação
das forças em escala
microscópica.
Reunião. Átomo por
átomo
SHENG
Controle
das
mensagens
Somático
Produção
por corpos
vivos,
variação das
mensagens
em função
do contexto
Midiático
Fixação, reprodução,
descontextualização e
difusão das
mensagens
Digital
Produção,
difusão e
interação em
contexto.
Controle das
mensagens bit
por bit.
Organicidade
Os membros
Transcendência
Os membros de um
Imanência
Uma grande
Regulação
dos grupos
humanos
Os membros
de um grupo
orgânico têm
conhecimento
mútuo de
suas
identidades e
de seus atos.
Os membros de um
grupo molar se
organizam por
categorias, são
unificados por líderes
e instituições, geridos
por uma burocracia ou
fundidos pelo
entusiasmo
Uma grande
coletividade em
auto-organização é
um grupo
molecular.
Utilizando todos os
recursos das
tecnologias finas,
ela valoriza sua
riqueza humana
qualidade por
qualidade
Adaptado de Pierre LÉVY (A Inteligência Coletiva, 1998)
SHENG
O CONCEITO DE MARKETING
Definição Clássica de Administração
de Marketing (Kotler):
... É a análise, o planejamento, a... É a análise, o planejamento, a
implantação e o controle de
programas destinados a levar a
efeito as trocas desejadas com
públicos visados e tendo por objetivo
o ganho pessoal ou mútuo.
SHENG
ORIENTAÇÕES EMPRESARIAIS
Orientação para a produção
Orientação para as finançasOrientação para as finanças
Orientação para as vendas
Orientação para o marketing
Orientação para o Cliente
Orientação para o Conhecimento
SHENG
O CONCEITO DE MARKETING
... É uma orientação para o cliente
tendo como retaguarda o marketing
integrado e por objetivo produzirintegrado e por objetivo produzir
satisfação ao cliente como a chave
para o atendimento das metas
organizacionais (Kotler)
SHENG
Conceito de Vendas x Marketing
FocoFoco MeiosMeios FimFim
ProdutosProdutos
VendasVendas
ee
PromoçãoPromoção
Obtenção de lucrosObtenção de lucros
através doatravés do
volume de vendasvolume de vendas
NecessidadesNecessidades
dodo
ClienteCliente
MarketingMarketing
IntegradoIntegrado
Obtenção de lucrosObtenção de lucros
através daatravés da
satisfação do clientesatisfação do cliente
(a) O conceito de vendas(a) O conceito de vendas
(b) O conceito de Marketing(b) O conceito de Marketing
SHENG
Marketing
Contemporâneo
Pesquisa e
Análise de
Mercado
Elaboração de
Plano de
Marketing
Marketing
ProgramadeAdministração
Mercadológica
Gerência de
Produtos
Distribuição e
Logística de
Marketing
Sistema de
Comunicação
em Marketing
Marketing
ProgramadeAdministração
Mercadológica
SHENG Posição de Marketing no
Ambiente de Negócio
MateriaisFinanceira
Estratégico
Marketing
S. HumanosProdução
Engenharia, P & D
Jurídico Ambiental
SHENG
Capital e Lucratividade em
Marketing
Humano
Material SocialR
Espiritual
Material
Natural
Social
Financeiro
R
R = Resultado, Lucratividade, Alavancagem = {CH + CE + CS + CF + CN +
CM }Onde C = Capital
SHENG
Ativos
Financeiros
Área onde os elementos não se
sobrepõem. Representa o potencial
de ativos
Áreas onde dois elementos se
sobrepõem. As oportunidades
Capital e Lucratividade em
Marketing
Ativos
Tangíveis
Ativos
Intangíveis
sobrepõem. As oportunidades
competitivas podem ser
parcialmente capturadas
Áreas onde os três elementos se
sobrepõem. Representa as
oportunidades que podem ser
otimamente aplicadas pela
organização. TA = Total de Ativos
=> Mercado
TA
SHENG
Capital
Consumidor
Área onde os elementos não se
sobrepõem. Representa o potencial
de ativos
Áreas onde dois elementos se
sobrepõem. As oportunidades
competitivas podem ser
Capital e Lucratividade em
Marketing
Capital
Humano
Capital
Estrutural
sobrepõem. As oportunidades
competitivas podem ser
parcialmente capturadas
Áreas onde os três elementos se
sobrepõem. Representa as
oportunidades que podem ser
otimamente aplicadas pela
organização. CT = Capital Total
CT
SHENG
O PRODUTO
[A PRODUÇÃO]
(CRIAÇÃO DA
OFERTA)
PILARES DO MARKETING
Dinâmica
Mercadológica –
Produto/Serviço –
Conceito de
Marketing
O MERCADO
[COMPETIÇÃO]
(CRIAÇÃO DA
DEMANDA)
O CLIENTE [A
EXPECTATIVA]
(COMPORTAMENTO
E COMPRA)
Marketing
SHENG A Pirâmide de Clientes
Bons
Clientes
Clientes-padrão
Pequenos clientes
Novos clientes
80% das
vendas
20% dos
custos
comerciais
Novos clientes
Prospects “frios”
Prospects “mornos”
Prospects “quentes”
Contatos
Outros
Suspects
20% das
vendas
80% dos
custos
comerciais
Fonte: Adaptado de Cury e Store, 1999
SHENG
Mercados, Bens e Comportamento
do Consumidor
TIPOS DE MERCADO
CONSUMIDOR > Bens de Consumo
PRODUTOR > Bens e Utilidades de Produção
REVENDEDOR >
ATACADISTA (Bens para mercado distribuidor)ATACADISTA (Bens para mercado distribuidor)
VAREJISTA (Bens para consumidor final)
GOVERNAMENTAL
INTERNACIONAL
O que distingue estes mercados entre si é o
papel e os motivos dos compradores e não as
características dos produtos comprados
SHENG Mercados, Bens e
Comportamento do Consumidor
Quem são os decisores da compra em cada tipo:
OS CONSUMIDORES são indivíduos e lares > Consumo pessoal
OS PRODUTORES são indivíduos e organizações que adquirem
bens e utilidades com o propósito de transformação, produção e
reprodução para colocar novos bens e utilidades à disposição dosreprodução para colocar novos bens e utilidades à disposição dos
outros compradores (revendedores e consumidores)
OS REVENDEDORES são indivíduos e organizações que
adquirem bens e utilidades e colocam à disposição de outros
revendedores e consumidores
O GOVERNO possui unidades que compram bens e serviços para
facilitar o desempenho das funções governamentais
OS INTERNACIONAIS representam todos os anteriores, mas
operando fora do país
SHENG
Mercados, Bens e
Comportamento do Consumidor
O ESTUDO DE MERCADO
Pode ser feito a partir de questões básicas que
impulsionam respostas para a elaboração de planos e
estratégias. O Administrador pode trabalhar, neste
caso, com quatro questões básicas e associa-las aos
quatro mais dois [O]:
O QUE o mercado compra? > OBJETO da compraO QUE o mercado compra? > OBJETO da compra
POR QUE o mercado compra? > OBJETIVO da compra
QUEM no mercado realiza a compra? > ORGANIZAÇÃO da
compra
COMO o mercado compra? > OPERAÇÃO da compra
Além destas, outras duas perguntas são adicionais
para o trabalho do Administrador:
QUANTO o mercado compra? > Oferta para compra
ONDE o mercado compra? > Origem da compra
SHENG
Mercados, Bens e
Comportamento do Consumidor
- Preço básico
- Ofertas e descontos
- Créditos
- Transportes
- Linhas e qualidade
- Marca
- Embalagem
- Informação
- Serviço
COMPOSTO PRODUTOCOMPOSTO PREÇO
MERCADO
- Objeto - Serviço
- Propaganda
- Venda Pessoal
- Promoção de venda
- Publicidade
COMPOSTO PONTO DE
DISTRIBUIÇÃO E VENDA
COMPOSTO
PROMOÇÃO
- Tipos de canais
- Localização dos canais
- Logística
mercadológica
- Vendas territoriais
- Objetivos
- Organização
- Operação
SHENG Mercados, Bens e
Comportamento do Consumidor
Tipos de transações ou comercializações em um
MERCADO
MERCADO CONSUMIDOR
Compras diretas ou finaisCompras diretas ou finais
Alugueis
Sem direito de aquisição no final do
contrato
Com direito de aquisição no final do
contrato (Leasing)
SHENG
Mercados, Bens e
Comportamento do Consumidor
Se um mercado é grande pode-se estuda-lo em
forma segmentada ou diferenciada
Assim, é possível distinguir, entre outros, os
seguintes sub-mercados:seguintes sub-mercados:
Mercado Jovem:
Infantil
Adolescente
Universitário
Mercado da Idade Provecta
Mercado da Raça Negra, etc.
SHENG
PRODUTO
AUMENTADO
OS ANÉIS DE
LEVITT
PRODUTO
POTENCIAL
QualidadedeSatisfaçãodo
CLIENTE(QSC)
PRODUTO
GENÉRICO
PRODUTO
ESPERADO
Conceito de Produto
Total
QualidadedeSatisfaçãodo
CLIENTE(QSC)
SHENG
PRODUTO OU SERVIÇO GENÉRICO - Corresponde ao
OBJETO fundamental que está sendo adquirido pelo
CLIENTE
PRODUTO OU SERVIÇO ESPERADO - São incrementos
ao OBJETO fundamental mas, de certa forma,
aguardados pelo CLIENTE.
OS ANÉIS DE LEVITT
aguardados pelo CLIENTE.
PRODUTO OU SERVIÇO AUMENTADO - Trata-se de
uma série de benefícios e melhorias adicionais, não
esperadas pelo CLIENTE e que sofisticam o atendimento.
PRODUTO OU SERVIÇO POTENCIAL - É a criação
constante de melhorias, benefícios e diferenciações,
baseando-se na profunda compreensão dos desejos e
necessidades do CLIENTE.
(FONTE: SHIOZAWA, 1993)
SHENG
Qualidade de Satisfação do
CLIENTE (QSC)
Uma empresa é um processo de satisfação do CLIENTE,
e não de produção de bens. (T. Leavitt)
De acordo com WHITELEY,
A única forma correta de administrar uma empresa
- e a forma mais rentável - consiste em saturá-la
com a VOZ DO CLIENTE.com a VOZ DO CLIENTE.
Para tanto,
... Todos na organização, a começar pelo líder,
precisam calibrar suas ações conforme as
necessidades, as expectativas os desejos dos
CLIENTES.
Todos dentro da empresa devem eliminar as ações ou
atitudes que não se coadunam com a satisfação das
necessidades do CLIENTE.
SHENG
Qualidade de Satisfação do
CLIENTE (QSC)
Três ações são possíveis de serem realizadas
visando a construção de uma atitude voltada para
o CLIENTE:
Determine cuidadosamente quem devem ser seus
CLIENTES;
Procure conhecer seus clientes melhor do que
eles conhecem a si mesmos. Toda a empresa deve
se envolver na identificação das necessidades e
expectativas dos CLIENTES, agora e no futuro;
Peça a todos na organização para medirem cada
ação em relação às necessidades e expectativas
dos CLIENTES e para lutarem constantemente de
modo a superar essas expectativas.
SHENG
Qualidade de Satisfação do
CLIENTE (QSC)
As seguintes quatro perguntas são importantes
quando se deseja saber como conquistar os
CLIENTES:
Quais são as necessidades e expectativas de
seus CLIENTES, e quais dessas necessidades e
expectativas importam mais para eles?expectativas importam mais para eles?
Quão bem estamos satisfazendo essas
necessidades e expectativas?
Quão bem os nossos competidores as estão
satisfazendo?
Como fazer para ultrapassar o mínimo que
satisfará nossos CLIENTES, para realmente
empolga-los?
SHENG
Qualidade de Satisfação do
CLIENTE (QSC)
QUEM SÃO OS SEUS CLIENTE?
As pessoas, em uma empresa, geralmente atendem e
servem a três tipos de CLIENTES:
CLIENTES FINAIS - Pessoas que irão usar o seu produto
ou serviço no dia a dia e - conforme você espera - ficarão
encantados. São também conhecidos como usuários
finais.
encantados. São também conhecidos como usuários
finais.
CLIENTES INTERMEDIÁRIOS - Normalmente trata-se de
revendedores e distribuidores que tornam seus produtos
e serviços disponíveis para o CLIENTE FINAL.
CLIENTES INTERNOS - Pessoas na organização a quem
você repassa o trabalho concluído para desempenharem
a próxima função no sentido de servir os CLIENTES
INTERMEDIÁRIOS e FINAIS.
SHENG
COMPORTAMENTO DO CLIENTE
No que se refere ao estudo do comportamento
do consumidor vários estudos têm sido
realizados juntamente com pesquisas
acadêmicas e alguns desses trabalhos trazem
tipologias como a que apresentamos a seguirtipologias como a que apresentamos a seguir
que é a mais usada atualmente.
Um ponto que salientamos em nosso trabalho
e para o qual tecemos críticas refere-se à
questão da fidelização, a qual tratamos em
artigo já divulgado.
SHENG
Predisposição
Prospect
Qualificado
Prospect
Volume de
informações
sobre o cliente
TipologiadoCliente
Potencial
TEMPO
Prospect
Suspect
Adaptado de Bretzke, 2003
TipologiadoCliente
Potencial
SHENG
Tipologia do Cliente Potencial
SUSPECT são as pessoas ou empresas
consideradas possíveis compradores do
produto ou serviço. Este perfil é
determinado na segmentação dedeterminado na segmentação de
produtos.
PROSPECTS são as pessoas ou empresas
que podem se beneficiar e tem o
potencial financeiro e o poder de decisão
para realizar (decidir) a compra.
SHENG
Tipologia do Cliente Potencial
Prospect Qualificado pode surgir quando se
inicia o processo de relacionamento com o
prospect e este manifesta algum tipo de
interesse na empresa, quer solicitando
literatura (display de divulgação, etc.),
assistindo um seminário, pedindo a visita deassistindo um seminário, pedindo a visita de
um vendedor, cadastrando-se no site ou indo à
loja.
É possível desenvolver um prospect ao
promover o aumento do seu conhecimento
sobre o produto/serviço, ou modificando e
alterando sua percepção através do uso da
comunicação.
SHENG
Lealdade
Clientes fies
Clientes
repetidores
Advogados de
marca
EscadadeLealdade
Tempo
Clientes
Prováveis
Clientes
potenciais
Experimentadores
Adaptado de Bretzke, 2003
EscadadeLealdade
SHENG
Escada de Lealdade
Clientes prováveis correspondem aos
conceitos dos suspects.
Clientes Potenciais envolvem os conceitos dos
chamados prospects e prospects qualificados.
Experimentadores são aqueles que realizam aExperimentadores são aqueles que realizam a
primeira compra.
Fies são aqueles que estão satisfeitos e têm
atitudes favoráveis em relação a marca,
repetem a compra, mas não concentram o seu
volume de compra naquela marca específica.
SHENG
Escada de Lealdade
Repetidores são aqueles que
concentram suas compras de produtos e
serviços, em grande parte, em uma
marca específica.
Advogados de Marca são aquelesAdvogados de Marca são aqueles
clientes que, além de repetirem as suas
compras de produtos e serviços em uma
dada marca têm um alto envolvimento
emocional com ela e ainda a indicam a
outras pessoas ou empresas.
SHENG
Númerodecompras
Clientes de
primeira compra
Clientes de
Segunda compra
Clientes Advogado
da marca
HierarquiadeClientes
Númerodecompras
Tempo
Suspect
Prospect
primeira compra
Adaptado de Bretzke, 2003
HierarquiadeClientes
SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO
DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO
Ideias preliminares
Imaginem os seguintes itens e seus
respectivo negócios industriais:
Lata de refrigeranteLata de refrigerante
Fotocopiadora
Televisores
Pipoca
Qual poderia ser uma definição de
negócio para empresas que atuam
nessas indústrias?
SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO
DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO
A Importância da Participação de
Mercado (Market Share)
Da “indústria de latas” paraDa “indústria de latas” para
“indústria de embalagens”.
Da “fotocópia” para “Sistemas
de Automação de Escritórios”
SHENG
Um pensamento
Existe uma lógica de se fazer
negócio em conformidade com os
fatos e as circunstâncias de um setorfatos e as circunstâncias de um setor
se você puder desenvolver uma visão
muito clara do que é esse setor
(A. Sloan, 1965)
SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO
DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO
De acordo com Abell,
a definição de negócio envolve a segmentação do
mercado, ou seja, a participação no mercado
resulta de uma boa definição de negócio
Estrategicamente, a questão da definição deEstrategicamente, a questão da definição de
negócio surge, pelo menos implicitamente, quando
a administração introduz um novo produto,
desativa um produto antigo, direciona um produto
existente para novos clientes, diversifica o negócio
mediante aquisições de outras empresas, ou
liquida parte das atividades através de venda.
SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO
DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO
Abell sugere as seguintes questões conceituais para se
trabalhar a posição estratégica de uma empresa em um dado
mercado:
Como devemos conceituar a definição do negócio?
Como deveríamos conceituar as mudanças na
definição do negócio?
Que fatores deveriam ser considerados na escolha deQue fatores deveriam ser considerados na escolha de
uma definição particular do negócio?
Como a questão da definição varia de acordo com o
nível organizacional?
Como a definição de um negócio individual se
relaciona com a definição de fronteiras do mercado?
Como as fronteiras do mercado são redefinidas com
o passar do tempo?
SHENG
Fatores Prevalece nos Planos
de MKT analisados
Considerado Critico
para o sucesso do
Plano, se esquecido
Demográficos 90% 40%
Market Share 90% 10%
Análise
Competitiva
90% 50%
Competitiva
Necessidades e
desejos dos
consumidores
80% 80%
Valores e Estilos
de vida
20% 70%
Política e
Economia
10% 25%
SHENG
Orientação para o Cliente:
Definição de necessidade genérica
Definição de Grupos Visados
Produtos e mensagensProdutos e mensagens
diferenciados
Pesquisa do consumidor
Estratégia de vantagem diferencial
SHENG
Marketing Integrado:
Significa que dentro da função de
marketing existem adaptação e
coordenação inteligentes dos quatrocoordenação inteligentes dos quatro
P - Produto, Preço, Ponto de
distribuição e venda, Promoção -
visando constituir sólidas relações de
troca com os clientes (Kotler)
SHENG
Administração Mercadológica
Satisfação do Cliente:
... É melhor procurada não diretamente, mas
como um subproduto da solução de problema
do cliente.do cliente.
A satisfação do cliente, da mesma forma que a
felicidade, é melhor alcançada prestando-se
formas substanciais de ajuda aos outros ao
invés de por perseguição direta. O alvo do
conceito de marketing é mais o de ajudar do
que o de agradar.
SHENG
Administração Mercadológica
SISTEMA DE MARKETING
Economia
Fornece-
dores
EMPRESA
Concorren-
tes
Intermediá-
rios
Administração Pública
ForneceFornece--
doresdores
EMPRESA
Concorren-
tes
Intermediá-
rios
MERCA-
DO
T
e
c
n
o
l
o
g
i
a
C
u
l
t
u
r
a
Administração Pública
Fonte: P. Kotler
SHENG
Administração Mercadológica
(P1) PRODUTO
DEFINIÇÃO > Objeto tangível ou serviço pelo
qual o cliente paga em dinheiro.
NÍVEIS DE PRODUTO
Produto Central > Benefícios ouProduto Central > Benefícios ou
características definem o produto
Produto Esperado > É o produto que o cliente
compra > inclui qualidade de apoio, serviços
esperados, entrega rápida, garantia de
substituição de peças, etc.
Produto Ampliado > Inclui características
adicionais que “surpreendem” o cliente
SHENG
Administração Mercadológica
DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO
O Ciclo de Vida do Produto
Início/Desenvolvimento
Introdução
Crescimento
Maturidade e
Declínio
$
Início/
Desenvolvimento
Maturidade
Declínio
Declínio
Estágios de Desenvolvimento
1.Gerar Ideias
2.Selecionar Ideias
3.Testar Ideias
4.Analisar os Negócios
5.Produzir um Protótipo
6.Fazer Teste de Marketing
Tempo
SHENG
Administração Mercadológica
(P2) PREÇO(P2) PREÇO
ConceitoConceito >> O preço está normalmenteO preço está normalmente
relacionado com o valor que o cliente desejarelacionado com o valor que o cliente deseja
pagar por um produto.pagar por um produto.
Estratégias de ApreçamentoEstratégias de Apreçamento >> a) Por acréscimoa) Por acréscimoEstratégias de ApreçamentoEstratégias de Apreçamento >> a) Por acréscimoa) Por acréscimo
sobre os Custos; b) Por alvo; c) Por Ponto desobre os Custos; b) Por alvo; c) Por Ponto de
Equilíbrio; d) Por Experiência; e) Com base noEquilíbrio; d) Por Experiência; e) Com base no
Valor; f) Com base na Concorrência; g) Para finsValor; f) Com base na Concorrência; g) Para fins
de Licitaçãode Licitação..
Outras EstratégiasOutras Estratégias >> a) Linha de Produto; b)a) Linha de Produto; b)
Produtos Opcionais; c) Produtos Cativos; d)Produtos Opcionais; c) Produtos Cativos; d)
Subprodutos; e) Pacotes deSubprodutos; e) Pacotes de ProdutosProdutos
SHENG
Administração Mercadológica
(P3) DISTRIBUIÇÃODISTRIBUIÇÃO
ComentáriosComentários > Três itens são importantes quando se
trata da Distribuição em Marketing: CLIENTES, CANAIS eCLIENTES, CANAIS e
LOGÍSTICALOGÍSTICA..
A DistribuiçãoA Distribuição > tem entre as suas responsabilidades
fazer com que o PRODUTO esteja disponível e emfazer com que o PRODUTO esteja disponível e em
condições de uso para o CLIENTE no TEMPO CERTO, na
QUANTIDADE CERTA, e no PREÇO CERTO. Estes termos
são definidos pelo CONSUMIDOR e não pela EMPRESA.
A DistribuiçãoA Distribuição > começa na casa do CLIENTE e termina
no seu produtor de matéria prima, por isso sua
ESTRATÉGIA DE DISTRIBUIÇÃO (considerando a sua
LOGÍSTICA de vanguarda e de retaguarda) tem que ser
desenvolvida no sentido inverso da produção de bens e
serviços.
SHENG
Administração Mercadológica
CANAIS DE DISTRIBUIÇÃOCANAIS DE DISTRIBUIÇÃO
ComentárioComentário > Canais de distribuição > é o conjunto de
organizações que fazem com que um produto (bem ou
serviço) esteja disponível para o CLIENTE com a
qualidade exigida, superando obstáculos de tempo,
espaço, preço e posse.
qualidade exigida, superando obstáculos de tempo,
espaço, preço e posse.
Sistemas Verticais de Marketing (SVM)Sistemas Verticais de Marketing (SVM) > Corporativos;
Contratuais; e Administrados.
Sistemas Horizontais de Marketing (SHMSistemas Horizontais de Marketing (SHM) > joint-
venture entre empresas do mesmo ramo industrial (Ex.
bebidas + alimentos; veículos; etc.)
Estratégias de DistribuiçãoEstratégias de Distribuição > Cobertura do Mercado;
Controle do Canal; Análise e Controle de Custos
SHENG
Administração Mercadológica
(P4) PROMOÇÃO
Uma Definição > Segundo a Associação Norte-
Americana de Agências de Propaganda PROMOÇÃO pode
ser definida como > a interpretação para o publico, ou
para determinados segmentos do público, da informação
relativa a um produto ou serviço legalmente levado ao
para determinados segmentos do público, da informação
relativa a um produto ou serviço legalmente levado ao
mercado. (Murphy)
Objetivos > A promoção tem três objetivos (Murphy)
como sejam: informar, persuadir e lembrar.
Mix de Promoção > é programa global de comunicações
de uma empresa > Consiste de: propaganda, venda
pessoal, promoção de vendas e relações públicas.
(Murphy)
SHENG
Administração Mercadológica
Marketing e Comunicação - Tópicos de Estratégia de
COMUNICAÇÃO
Identificar a meta:
Embora a fim último da comunicação seja alcançar os objetivos da
estrutura mercadológica são precisas várias etapas mentais para
chegar até o cliente para fazê-lo comprar um produto.
Pelo menos duas sequencias podem ser consideradas quando se trataPelo menos duas sequencias podem ser consideradas quando se trata
de envolver o cliente na compra:
aprender, sentir e fazer > aplica-se quando o envolvimento na
compra e elevado e existe vários produtos à disposição;
conhecer, comprar e utilizar > quando se exige pouco envolvimento
no processo de compra.
Conhecer qual a sequencia que o cliente seguirá é importante para se
promover a comunicação em Marketing
SHENG
“FATORES CHAVE DE SUCESSO
NOS NEGÓCIOS: 5Rs!”
Os 5 R’s são uma ferramenta orientada par alavancar o
sucesso de negócios, e torná-los mais lucrativos, através da
manutenção e permanência dos Clientes.
O Marketing, como qualquer área de conhecimento, não
ficou parado ou estabilizado nessa era Infoeconômica e
são muitas as ideias que surgem no sentido de mantê-losão muitas as ideias que surgem no sentido de mantê-lo
atualizado ou para ampliar o seu conteúdo com novos
conceitos, sempre tendo como foco a satisfação do Cliente,
agora seguindo para encontrar soluções para alcançar as
expectativas do Cliente.
Vejamos, então, o que significa este novo conjunto de
ferramentas que torna o Marketing cada vez mais
dinâmico.
SHENG
Os 5R’s são:
1 Relevância
Informação: Encontrar os produtos e serviços que o
cliente quer.
Ação: Ser uma fonte de benefícios e soluções para oAção: Ser uma fonte de benefícios e soluções para o
cliente.
2 Reconhecimento
Informação: Ser único ou diferente para o cliente.
Ação: Produzir um serviço ou produto com
características que levem o cliente a comprar de
você e não dos concorrentes.
SHENG
3 Receptividade
Informação: Pesquisar onde encontrar o seu cliente.
Ação: Gerar aproximação física com o seu cliente.
4 Responsividade
Informação: Fazer contato comercial com o seu
cliente.
Ação: Gerar a resposta do seu cliente sob a forma da
primeira compra.
5 Relacionamento
Informação: Cultivar um relacionamento, fazer do
cliente um cliente para toda a vida.
Ação: Transformar a primeira compra em compras
sucessivas, estabelecer um relacionamento
comercial duradouro com o seu cliente.
SHENG
Destes 5R’s dois são considerados críticos e requerem do
administrador uma atenção diferenciada. São eles: A
Relevância e o Reconhecimento.
“É obrigatório você encontrar o serviço que os clientes
procuram e desejam, e colocar nesses serviços o diferencial que
fará com que esses mesmos clientes procurem você, e não um
dos seus concorrentes.
Estes dois fatores, a Relevância eEstes dois fatores, a Relevância e
o Reconhecimento, precisam ser projetados e gerenciados, ao
longo do tempo, uma vez que os concorrentes podem e devem
copiar o que faz você ganhar clientes, e o diferencial, então,
desaparece, podendo levar junto os clientes que você obteve”.
(FARIA, 2010)
Na figura a seguir mostramos o posicionamento destes dois R’s
e porque eles devem ser priorizados e mantidos em nível
relevante de atenção:
SHENG
Fonte:
Faria, 2010
SHENG
Administração Mercadológica
Alguns Objetivos da Comunicação
Dar a conhecer a existência de um produto,
as suas características, seu modo de
utilizaçãoutilização
Fazer gostar de um produto, marca ou
empresa
Fazer agir, incitar o consumidor a comprar
ou a aderir a uma causa ou a participar de
um evento, etc.
SHENG
Administração Mercadológica
Estratégias de Comunicação
Estratégias Concorrenciais
Comparativas
De posicionamento
Promocionais
De adesão IncondicionalDe adesão Incondicional
De Canibalização
Estratégias de Desenvolvimento
Extensivas
Intensivas
Estratégias de Fidelização
Publicidade Institucional
SHENG
Processos à
Montante
Processo
Capital Humano
Insumos
Capital Técnico
Capital Financ.
Competição
Administração MercadológicaAdministração Mercadológica
O SISTEMA EMPRESARALE O AMBIENTE
DE MARKETING
Processo
Produtivo
Processos
à Jusante
Biotech
.
Tecnol.
Inform.
Conhec.
Capital Cultural
Capital Natural
Produtos
Mercados
Logística
Legal
Competição
Capital
Espiritual
FONTE: Própria, do Autor
SHENG
Ambiente ExternoAmbiente Externo
Administração Mercadológica
REPRESENTAÇÃO DO AMBIENTE DE MARKETING
Macroambiente
Economia
Ambiente de Mercado
AmbienteAmbiente
OrganizacionalOrganizacional
Economia
Tecnologia
Política Pública
Cultura
Número de Compradores
Poder Aquisitivo
Necessidades e Desejos
Hábitos de Compra
Matriz da Empresa
Departamentos
Divisão
Canais e Agentes
Fonte: P. Kotller
SHENG
Administração Mercadológica
O CONCEITO DE AMBIENTE EM MARKETING
Segundo Kotler, ambiente é a
totalidade de forças e de entidades que
são externa e potencialmente relevantes
a um particular agente.a um particular agente.
No caso de Marketing o seu ambiente
será formado pela totalidade de forças e
entidades que possam afetar o
desempenho de um produto ou de todo
o negócio
SHENG Administração Mercadológica
MODELO
INPUTS OUTPUTS
Crescimento vendas
Retorno Vendas
Retorno Investimento
Lucro Esperado
•Preço Atacado
•Descontos Comuns
•Visitas de vendas e
Assist.
•Propaganda e
Promoção Especiais
Composto de
Marketing
para o
Uma representação de Input-Output das decisões
de Marketing e o Ambiente da Empresa
Fatoresde
Previsãodo
ambiente
DE
ESTRATÉGI
A DE
MARKETIN
G DA
EMPRESA
Crescimento
População
Renda Pessoal
Fatores Culturais
Perspectivas de
Custos
Hipóteses sobre resposta
de Marketing
Perspectivas quanto à
concorrência
Promoção Especiais
•Descontos Especiais
para Propaganda
Cooperativa
•Políticas de Crédito
•Políticas de Entrega•Características do
Produto
•Características da
Embalagem
•Preço no Varejo
•Ofertas especiais
dirigidas ao consumidor
•Propaganda dirigida ao
consumidor
para o
Comércio
Composto de
Marketing
para o
Consumidor
FONTE: Própria, do Autor
SHENG
Administração Mercadológica
As organizações e as mudanças ambientais
De acordo com Kotler, uma organização deve adaptar-se
continuamente ao ambiente em mutação ou ser dominada por ele.
As seguintes situações podem ser estudadas e consideradas do
ponto de vista da estratégia empresarial:
Uma empresa passiva [reativa ou ativa] defronta-se com a extinção;
Uma empresa adaptativa sobreviverá com um crescimentoUma empresa adaptativa sobreviverá com um crescimento
modesto; e
Uma empresa criativa [proativa] prosperará além de contribuir para as
mudanças
Diante desta percepção devemos estar preparados para
desenvolver e realizar Estratégias de Processo e de
Mercado, a fim de tornarmos as organizações sempre
preparadas para o sucesso. Os quadros 1 e 2 a seguir
mostram alguns pontos para diagnosticar a complexidade
das mudanças
SHENG
Administração Mercadológica
AS RELAÇÕES AMBIENTAIS - O ECOSSISTEMA
O Conceito de ECOSSISTEMA
A Ecologia é um estudo das relações mútuas
entre os organismos e seus ambientes.entre os organismos e seus ambientes.
A ECOLOGIA ensina que as relações entre os
organismos estão em um delicado equilíbrio e
que as consequências de uma perturbação em
qualquer uma das partes podem ser amplas e
causar enormes prejuízos e desastres para
ambas.
SHENG
Administração Mercadológica
Ambientes e Estratégias
ESTRATÉGIAS SOBRE
OS PROCESSOS
REATI
VA
ATIVA ADAPTA
TIVA
PRO
ATIVA
AÇÃO 20% 40% 60% 80%
VISÃO (V) Muito fraca
Do Dono
Fraca
Dos
Diretores
Definida
no Topo
Diretores
Declarada
para todos
MISSÃO (M) Do Dono Dos
Diretores
Declarada
no Topo
Diretores
Declarada
para todos
OBJETIVOS (O) Do Dono
CP>>LP
Dos
Diretores
CP>LP
Dos
Gerentes
CP</=LP
De todos
CP<LP
PRODUTO (P) Fraco Fraco Forte Forte
FOCO (F) Fraca Fraca Forte Forte
ATIVIDADE 80% 60% 40% 20%
FONTE: Própria, do Autor
SHENG
Administração Mercadológica
Ambientes e Estratégias
ESTRATÉGIAS
SOBRE OS
MERCADOS
REATI
VA
ATIVA ADAPTATIVA PRO
ATIVA
AÇÃO 20% 40% 60% 80%AÇÃO 20% 40% 60% 80%
QUALIDADE (Q) Inspeção Controle Total Integral
CUSTOS ( C ) CD>>CS CD>/=CS CD</=CS CD<<CS
PRAZOS (P) Interno Int/Ext Externo Externo
ÉTICA (E) Situação Situação Forte Forte
SEGURANÇA (S) Fraca Fraca Forte Forte
ATIVIDADE 80% 60% 40% 20%
FONTE: Própria, do Autor
SHENG
Administração Mercadológica
Ambientes e Estratégias
OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS DA
EMPRESA
OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS DA
EMPRESA
OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS EM
MERCADOLOGIA
DECISÕES EM MERCADOLOGIA
PROGRAMAS DE MERCADOLOGIA
SHENG
Administração Mercadológica
OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS DA EMPRESA
Nas organizações bem administradas
[Adaptativas e Proativas] existe uma
hierarquização de processos e de objetivos ehierarquização de processos e de objetivos e
nunca de FUNÇÕES. Podemos dizer que existe
uma convergência holística entre objetivos
MACRO, MESO e MICRO os quais traduzem a
VISÃO e a MISSÃO e o total da AÇÃO [Pensar] e
da ATIVIDADE [Fazer] do Líder da empresa de
forma explícita e participativa.
SHENG
Administração Mercadológica
CAAC - Círculo de AÇÃO
AMORIZADA E
COLABORATIVA - Hierarquia
de Objetivos Explícitos como
PROCESSO:
Macro ObjetivosMacro Objetivos
Meso Objetivos
Micro Objetivos
Centro de Coordenação Geral
[Um modelo de Hierarquia de
Objetivos]
SHENG
Administração Mercadológica
Para P. Drucker, os objetivos gerais de uma
empresa concentra a definição de metas nas
seguintes áreas básicas:
Marketing
InovaçãoInovação
Produtividade
Recursos Físicos
Insumos (utilidades) requeridos
Recursos Financeiros
Organização Humana
Responsabilidade Social
SHENG
Administração Mercadológica
De acordo com Ansoff, os elementos básicos que
podem contribuir para a determinação das
estratégias da empresa estão na combinação
PRODUTO-MERCADOPRODUTO-MERCADO
Dedicar AÇÕES às categorias de produto e aos
segmentos de mercado permite ao
EMPREENDEDOR conduzir o negócio ao alcance
dos objetivos e assim aos resultados desejados da
empresa
SHENG
Administração Mercadológica
ESTRATÉGIA DA EMPRESA
No devido momento estudaremos com maior
profundidade os componentes da Estratégia da
Empresa. Como salienta Davis,
Para serem explícitos, será necessário definir aPara serem explícitos, será necessário definir a
estratégia como um compromisso de recursos,
feito a longo prazo com o fim de alcançar uma
meta específica em um ambiente competitivo
Uma estratégia é o melhor caminho para se
alcançar os objetivos tendo em conta a
concorrência, os recursos em mutação e a
variabilidade do meio ambiente
SHENG
Administração Mercadológica
OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS EM MARKETING
OBJETIVOS
Volume de vendas
Participação no Mercado
Contribuição para os Resultados RequeridosContribuição para os Resultados Requeridos
CRITÉRIOS DA ESTRATÉGIA
Consistência Interna
Consistência Externa
Capacidade dos Recursos
Tempo
Grau de Risco
SHENG
Administração Mercadológica
DECISÕES EM MERCADOLOGIA
Decisões são juízos que resolvem
controvérsias (Davis).
É importante para o administrador deÉ importante para o administrador de
Marketing saber distinguir as decisões
com base na complexidade, ou seja:
Decisões Rotineiras e decisões não
rotineiras ou importantes e
inovativas.
SHENG
Administração Mercadológica
Formulação e execução de um Programa de Marketing
Objetivos da Empresa
Estratégias da
Empresa
Análise da Empresa
Objetivos
de
Marketing
Estratégias
de
Processo
de
Revisão
Auditoria da
Empresa
Auditoria
Ambiental
Prognóstico Prognóstico
Oportunidade
de
Marketing
Programa
de
Marketing
Controle e
Avaliação
Execução
Revisão
SHENG
Referências e Bibliografia
Consultada
AAKER, David A. Administração estratégica de mercado. Porto Alegre:
Bookman, 2001.
CURRY, Joy e STORA, Ludovic. Cliente, Capital da Empresa. São Paulo: Nobel,
1999
DAVIS, Kenneth R. Administración en Mercadotecnia. México: Editorial
Limusa, 1988.
DIAS, Sergio Roberto (Coord.) Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva, 2003.
FARIA, C. A. MERCATUS. Artigos diversos:
http://www.merkatus.com.br/02_os5rs/index.htmhttp://www.merkatus.com.br/02_os5rs/index.htm
HAGUE, P. e JACKSON, P. Faça a sua Pesquisa de Mercado. São Paulo: Nobel,
1987.
FURLONG, C. B. Marketing para reter Clientes. Rio de Janeiro: Campus, 1984
HATELEY, B. “BJ”, e SCHMIDT , W. H. Um Pavão na Terra dos Pinguins. São
Paulo: Negócios, 2001.
JOHANSSON, J. K. e NONAKA, I. Determinação. Rio de Janeiro: Campus,
2001.
KOTLER e ARMSTRONG. Princípios de Marketing. São Paulo: Pearson, 2003.
LEVITT, T. A Imaginação de Marketing. São Paulo: Atlas, 1985.
WHITELEY, R. C. A Empresa totalmente voltada para o Cliente. Rio de Janeiro:
Campus, 1992.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Branding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de MarcasBranding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de Marcas
Valente Branding
 
Aula Mix de Marketing
Aula Mix de MarketingAula Mix de Marketing
Aula Mix de Marketing
PROF. SHASTIN
 
EstratéGias De Marketing
EstratéGias De MarketingEstratéGias De Marketing
EstratéGias De Marketing
Lucia Vera
 
Introdução ao marketing 2012_01
Introdução ao marketing 2012_01Introdução ao marketing 2012_01
Introdução ao marketing 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Estratégias de Marketing
Estratégias de MarketingEstratégias de Marketing
Estratégias de Marketing
IDCE - Escola de Negócios
 
Educação corporativa
Educação corporativaEducação corporativa
Educação corporativa
Gerisval Pessoa
 
Branding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de MarcasBranding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de Marcas
Breno Brito
 
Evolução do Marketing
Evolução do MarketingEvolução do Marketing
Evolução do Marketing
Henrique Filipe Ribeiro
 
MÓdulo De IntroduÇÃo Ao Marketing
MÓdulo De IntroduÇÃo Ao MarketingMÓdulo De IntroduÇÃo Ao Marketing
MÓdulo De IntroduÇÃo Ao Marketing
Thiago Lúcio
 
Marca e Identidade: Como começar
Marca e Identidade: Como começarMarca e Identidade: Como começar
Marca e Identidade: Como começar
Renato Melo
 
Mix Marketing - 4Ps
Mix Marketing - 4PsMix Marketing - 4Ps
Mix Marketing - 4Ps
Nyedson Barbosa
 
Posicionamento de Marcas
Posicionamento de MarcasPosicionamento de Marcas
Posicionamento de Marcas
Daniel Branco
 
Aula 01 introdução marketing digital
Aula 01   introdução marketing digitalAula 01   introdução marketing digital
Aula 01 introdução marketing digital
Maria Alice Jovinski
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Letícia Vilela de Aquino
 
Mapeamento da jornada do cliente
Mapeamento da jornada do cliente Mapeamento da jornada do cliente
Mapeamento da jornada do cliente
Cra-es Conselho
 
Palestra Experiência do Cliente
Palestra Experiência do ClientePalestra Experiência do Cliente
Palestra Experiência do Cliente
Marcus Pimenta
 
Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
Denis Carlos Sodré
 
Plano de Marketing - passo a passo
Plano de Marketing - passo a passoPlano de Marketing - passo a passo
Plano de Marketing - passo a passo
Samantha Col Debella
 
Fundamentos de marketing
Fundamentos de marketingFundamentos de marketing
Fundamentos de marketing
Carlos Rocha
 
Aula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do ConsumidorAula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do Consumidor
Felipe Duarte Silva
 

Mais procurados (20)

Branding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de MarcasBranding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de Marcas
 
Aula Mix de Marketing
Aula Mix de MarketingAula Mix de Marketing
Aula Mix de Marketing
 
EstratéGias De Marketing
EstratéGias De MarketingEstratéGias De Marketing
EstratéGias De Marketing
 
Introdução ao marketing 2012_01
Introdução ao marketing 2012_01Introdução ao marketing 2012_01
Introdução ao marketing 2012_01
 
Estratégias de Marketing
Estratégias de MarketingEstratégias de Marketing
Estratégias de Marketing
 
Educação corporativa
Educação corporativaEducação corporativa
Educação corporativa
 
Branding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de MarcasBranding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de Marcas
 
Evolução do Marketing
Evolução do MarketingEvolução do Marketing
Evolução do Marketing
 
MÓdulo De IntroduÇÃo Ao Marketing
MÓdulo De IntroduÇÃo Ao MarketingMÓdulo De IntroduÇÃo Ao Marketing
MÓdulo De IntroduÇÃo Ao Marketing
 
Marca e Identidade: Como começar
Marca e Identidade: Como começarMarca e Identidade: Como começar
Marca e Identidade: Como começar
 
Mix Marketing - 4Ps
Mix Marketing - 4PsMix Marketing - 4Ps
Mix Marketing - 4Ps
 
Posicionamento de Marcas
Posicionamento de MarcasPosicionamento de Marcas
Posicionamento de Marcas
 
Aula 01 introdução marketing digital
Aula 01   introdução marketing digitalAula 01   introdução marketing digital
Aula 01 introdução marketing digital
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
 
Mapeamento da jornada do cliente
Mapeamento da jornada do cliente Mapeamento da jornada do cliente
Mapeamento da jornada do cliente
 
Palestra Experiência do Cliente
Palestra Experiência do ClientePalestra Experiência do Cliente
Palestra Experiência do Cliente
 
Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
 
Plano de Marketing - passo a passo
Plano de Marketing - passo a passoPlano de Marketing - passo a passo
Plano de Marketing - passo a passo
 
Fundamentos de marketing
Fundamentos de marketingFundamentos de marketing
Fundamentos de marketing
 
Aula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do ConsumidorAula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do Consumidor
 

Destaque

Planejamento e gestão de Portais Corporativos
Planejamento e gestão de Portais CorporativosPlanejamento e gestão de Portais Corporativos
Planejamento e gestão de Portais Corporativos
Suzana Ribeiro
 
Performance e educação
Performance e educaçãoPerformance e educação
Performance e educação
PIBID_Teatro2014
 
Fundamentos de marketing mkt
Fundamentos de marketing   mktFundamentos de marketing   mkt
Fundamentos de marketing mkt
Priscilla Lima
 
Aula 4 administração mercadologica gestao mkt
Aula 4   administração mercadologica gestao mktAula 4   administração mercadologica gestao mkt
Aula 4 administração mercadologica gestao mkt
MKTMAIS
 
01 agência de popaganda
01   agência de popaganda01   agência de popaganda
01 agência de popaganda
Thiago Ianatoni
 
Palestra ifsp out 2011eventos
Palestra ifsp out 2011eventosPalestra ifsp out 2011eventos
Palestra ifsp out 2011eventos
Lígia Beatriz
 
02 planejamento estratégico
02   planejamento estratégico02   planejamento estratégico
02 planejamento estratégico
Thiago Ianatoni
 
Aula 03 13.09 - planejamento i
Aula 03   13.09 - planejamento iAula 03   13.09 - planejamento i
Aula 03 13.09 - planejamento i
Thiago Ianatoni
 
A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...
A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...
A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...
gesplan
 
Estratégias de Marketing para o Mercado Global
Estratégias de Marketing para o Mercado GlobalEstratégias de Marketing para o Mercado Global
Estratégias de Marketing para o Mercado Global
Marketing Puro
 
Marketing de relacionamento, Satisfação e Lealdade
Marketing de relacionamento, Satisfação e LealdadeMarketing de relacionamento, Satisfação e Lealdade
Marketing de relacionamento, Satisfação e Lealdade
Kesia Rozzett Oliveira
 
Estrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e VendasEstrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e Vendas
Felipe Perlino
 
Estrategias Marketing Janaira Franca
Estrategias Marketing Janaira FrancaEstrategias Marketing Janaira Franca
Estrategias Marketing Janaira Franca
Profa. Janaíra França
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
Reginaldo Dal`Bó
 
ADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionaisADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionais
Gabriel Faustino
 
Aulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.JrAulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.Jr
Sergio Luis Seloti Jr
 
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviçosGestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
BWS Contabilidade, Consultoria e Perícias
 

Destaque (17)

Planejamento e gestão de Portais Corporativos
Planejamento e gestão de Portais CorporativosPlanejamento e gestão de Portais Corporativos
Planejamento e gestão de Portais Corporativos
 
Performance e educação
Performance e educaçãoPerformance e educação
Performance e educação
 
Fundamentos de marketing mkt
Fundamentos de marketing   mktFundamentos de marketing   mkt
Fundamentos de marketing mkt
 
Aula 4 administração mercadologica gestao mkt
Aula 4   administração mercadologica gestao mktAula 4   administração mercadologica gestao mkt
Aula 4 administração mercadologica gestao mkt
 
01 agência de popaganda
01   agência de popaganda01   agência de popaganda
01 agência de popaganda
 
Palestra ifsp out 2011eventos
Palestra ifsp out 2011eventosPalestra ifsp out 2011eventos
Palestra ifsp out 2011eventos
 
02 planejamento estratégico
02   planejamento estratégico02   planejamento estratégico
02 planejamento estratégico
 
Aula 03 13.09 - planejamento i
Aula 03   13.09 - planejamento iAula 03   13.09 - planejamento i
Aula 03 13.09 - planejamento i
 
A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...
A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...
A Gestão do Desempenho Corporativo - Planejamento Econômico-Financeiro Integr...
 
Estratégias de Marketing para o Mercado Global
Estratégias de Marketing para o Mercado GlobalEstratégias de Marketing para o Mercado Global
Estratégias de Marketing para o Mercado Global
 
Marketing de relacionamento, Satisfação e Lealdade
Marketing de relacionamento, Satisfação e LealdadeMarketing de relacionamento, Satisfação e Lealdade
Marketing de relacionamento, Satisfação e Lealdade
 
Estrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e VendasEstrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e Vendas
 
Estrategias Marketing Janaira Franca
Estrategias Marketing Janaira FrancaEstrategias Marketing Janaira Franca
Estrategias Marketing Janaira Franca
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
 
ADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionaisADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionais
 
Aulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.JrAulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Marketing II - 2007 - Prof. Sergio.Jr
 
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviçosGestão da qualidade: operações de produção e de serviços
Gestão da qualidade: operações de produção e de serviços
 

Semelhante a Fundamentos de marketing

Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissionalMarketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Guilherme Minuzzi
 
marketing_de_moda_01 (2).ppt
marketing_de_moda_01 (2).pptmarketing_de_moda_01 (2).ppt
marketing_de_moda_01 (2).ppt
Thayanne5
 
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
Elton Rodrigues
 
Artigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSC
Artigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSCArtigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSC
Artigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSC
Jorge Mendes
 
Marketing - Revisão de Conceitos
Marketing - Revisão de ConceitosMarketing - Revisão de Conceitos
Marketing - Revisão de Conceitos
Luiz Agner
 
Curso sobre Plano de negócios
Curso sobre Plano de negóciosCurso sobre Plano de negócios
Curso sobre Plano de negócios
Click Conhecimento
 
Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
Denis Carlos Sodré
 
FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08
Elton Rodrigues
 
Planejamento de marketing #1
Planejamento de marketing #1Planejamento de marketing #1
Planejamento de marketing #1
Alexandre Rodriguez
 
Texto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercado
Texto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercadoTexto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercado
Texto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercado
Cárbio Almeida Waqued
 
Apresentação comercial
Apresentação comercialApresentação comercial
Apresentação comercial
Aline Corso
 
Estratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperar
Estratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperarEstratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperar
Estratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperar
Leandro Brandão
 
Planejamento Estratégico 2010-2015
Planejamento Estratégico 2010-2015Planejamento Estratégico 2010-2015
Planejamento Estratégico 2010-2015
Agência ebrand
 
Material de Estudo - DMKT
Material de Estudo - DMKTMaterial de Estudo - DMKT
Material de Estudo - DMKT
Gabriela Almeida
 
Web e Marketing: A comunicação no ambiente digital
Web e Marketing: A comunicação no ambiente digitalWeb e Marketing: A comunicação no ambiente digital
Web e Marketing: A comunicação no ambiente digital
Luciana Maryllac
 
Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"
Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"
Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"
Francisco Teixeira
 
Comp Do Consumidor S1 2008
Comp Do Consumidor S1 2008Comp Do Consumidor S1 2008
Comp Do Consumidor S1 2008
Valter Cardoso
 
Relações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoRelações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissão
DAC UFS
 
Função marketing
Função marketingFunção marketing
Função marketing
EvelyneBorges
 
Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.
Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.
Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.
GrupoSelpe
 

Semelhante a Fundamentos de marketing (20)

Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissionalMarketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
 
marketing_de_moda_01 (2).ppt
marketing_de_moda_01 (2).pptmarketing_de_moda_01 (2).ppt
marketing_de_moda_01 (2).ppt
 
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
 
Artigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSC
Artigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSCArtigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSC
Artigo Científico - Implementação do Marketing no CCS da PMSC
 
Marketing - Revisão de Conceitos
Marketing - Revisão de ConceitosMarketing - Revisão de Conceitos
Marketing - Revisão de Conceitos
 
Curso sobre Plano de negócios
Curso sobre Plano de negóciosCurso sobre Plano de negócios
Curso sobre Plano de negócios
 
Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
 
FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Planejamento de aula - Adm. de Marketing I - 12.08
 
Planejamento de marketing #1
Planejamento de marketing #1Planejamento de marketing #1
Planejamento de marketing #1
 
Texto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercado
Texto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercadoTexto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercado
Texto de apoio fundamentos de marketing e comunicação com o mercado
 
Apresentação comercial
Apresentação comercialApresentação comercial
Apresentação comercial
 
Estratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperar
Estratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperarEstratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperar
Estratégias de marketing para fazer o seu negócio prosperar
 
Planejamento Estratégico 2010-2015
Planejamento Estratégico 2010-2015Planejamento Estratégico 2010-2015
Planejamento Estratégico 2010-2015
 
Material de Estudo - DMKT
Material de Estudo - DMKTMaterial de Estudo - DMKT
Material de Estudo - DMKT
 
Web e Marketing: A comunicação no ambiente digital
Web e Marketing: A comunicação no ambiente digitalWeb e Marketing: A comunicação no ambiente digital
Web e Marketing: A comunicação no ambiente digital
 
Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"
Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"
Workshop "Comportamento do Consumidor: 10 ferramentas para o sucesso"
 
Comp Do Consumidor S1 2008
Comp Do Consumidor S1 2008Comp Do Consumidor S1 2008
Comp Do Consumidor S1 2008
 
Relações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoRelações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissão
 
Função marketing
Função marketingFunção marketing
Função marketing
 
Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.
Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.
Porque avaliar soft skills é fundamental na predição do Recrutamento e Seleção.
 

Último

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 

Último (20)

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 

Fundamentos de marketing

  • 1. SHENG Adm. Jovino Moreira da Silva, M. Sc. jomosil@gmail.com http://shengadm.blogspot.com
  • 2. SHENG A dúvida é a antessala do Conhecimento
  • 3. SHENG EMENTA Conceitos de marketing. Ambiente de marketing. Administração de marketing. Plano de marketing. Composto dePlano de marketing. Composto de marketing (4Ps). Comportamento do consumidor e atendimento ao cliente. Mídias Sociais. Marketing para Pequenas Empresas. Análise de mercados e segmentação de mercado.
  • 4. SHENG Conteúdos Parte I – Introdução Apresentação. Introdução ao conteúdo da disciplina. Primeiras questões sobre Marketing. Alguns elementos históricos. Marketing como Disciplina e como Estratégia de Negócios Parte II – Marketing: Da Visão Funcional à Visão Sistêmica Da Troca Primitiva de Produtos à Comercialização Planejada de produtos. A Evolução do Conhecimento Humano e sua importância para o Marketing Evolução do Conceito de Marketing. Composto de Marketing.Evolução do Conceito de Marketing. Composto de Marketing. Das Trocas Simbólicas às Trocas Materiais. Consumidor e Cliente. Parte III – Marketing: Do tradicional ao Estratégico Fatores Críticos de Sucesso: os 5R e as novas orientações no processo de vendas. Novas tecnologias Aplicadas ao Marketing. Processos de Venda pessoal. Tópicos Atuais em Marketing. Tendências e tecnologias influenciando no comportamento de compra. Comunicação integrada de marketing. Conceitos de público, mensagem e canais. Plano estratégico de comunicação integrada de marketing. Mídia impressa e eletrônica. Parte IV – ESTUDO DE CASO – AVALIAÇAO DO CURSO
  • 5. SHENG Objetivos Introduzir os conhecimentos fundamentais de marketing para os profissionais. Discutir os fundamentos do MarketingDiscutir os fundamentos do Marketing desde os aspectos tradicionais até aos avanços gerados pelas tecnologias de informação e as exigências dos clientes numa era de globalização.
  • 6. SHENG Metodologia e Avaliação As aulas serão desenvolvidas de modo dinâmico dentro de um sistema de ação de fluxo duplo o qual se formará com a participação ativa do estudante. As exposições envolverão a participação dos estudantes e serão processadas segundo o Sistema de Coordenaçãoserão processadas segundo o Sistema de Coordenação Cooperativa. A avaliação do curso será contínua com a realização de um estudo de caso no último dia de aula para concluir o processo educacional. Um site para consultas: http://www.portaldomarketing.com.br/Artigos.htm
  • 7. SHENG Acreditar na visão constitui um conceito radicalmente novo na filosofia econômica. A visão nasce do conhecimento intuitivo; e isto implica em aceitar que a lógica não é tudo, de que nem tudo são números. A ideia consisteque nem tudo são números. A ideia consiste simplesmente em acreditar que se visionarmos o futuro que pretendemos somos mais capazes de atingir o nosso objetivo. A visão é o laço entre o sonho e a ação. John NAISBITT e Patrícia ABURDENE
  • 8. SHENG “Consumers are statistics. Customers are people.”Customers are people.” Stanley Marcus
  • 9. SHENG Cenários não são para predição do futuro, mais do que isto eles são para perceber o futuro no presente. Peter Schwartz (The Art of the Long View). Empresa bem-sucedida é aquela que podeEmpresa bem-sucedida é aquela que pode efetivamente aprender. Arie de Geus (A Empresa Viva). Pessoas não são dispensáveis. As demissões quebram o know-how de qualquer organização, destroem a capacidade já desenvolvida pelo time. Adriaan Bekman (Entrevista em: Você S/A, 2003)
  • 10. SHENG AS SETE IDADES DA ESPÉCIE HUMANA FONTE: Adaptado de WOOD, R. The Future of Strategy: The Role of the New Sciences. Thresholds.Com
  • 11. SHENG As Ondas de Schumpeter
  • 12. SHENG Marketing e o Futuro da Estratégia Penetrante Personificado Inclusivo Capitalismo Colaborativo Janelas deTeia Auto- Diálogo Estratégico Desenho do Capabilidade Organizacional Aprendizagem Coletiva Alinhamento Coerente Comprometimento Janelas de Oportunidade Evolução dos Negócios Teia Econômica Auto- Renovação Desenho do Negócio Organizacional A Navegação do Futuro Modelos de Lucro Arquitetura dos Negócios Pontos Estratégicos de Controle Rede de Valores Capabilidade Diferenciada Competências Essenciais Recursos Essenciais Processos Chave Criativo e Empreendedorial Ligado, Interativo e Multi-sensação FONTE: Adaptado de WOOD, R. The Future of Strategy: The Role of the New Sciences. Thresholds.Com
  • 13. SHENG A EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO 50 – 70 70 – 90 Dados Informação Conhecimento Século 21 Produtos Competição Solução Cooperação Inovação Colaboração
  • 14. SHENG Ações emAções em MarketingMarketing Marketing daMarketing da Era IndustrialEra Industrial Marketing deMarketing de TransiçãoTransição Marketing da EraMarketing da Era da Informaçãoda Informação Projetando aProjetando a OfertaOferta Conduzido pelaConduzido pela EngenhariaEngenharia Conduzido peloConduzido pelo MarketingMarketing Conduzido peloConduzido pelo ClienteCliente Personalizando aPersonalizando a OfertaOferta SegmentaçãoSegmentação Personalização dePersonalização de MassaMassa Configurada peloConfigurada pelo ClienteCliente Estabelecendo oEstabelecendo o Preço com basePreço com base Preço com basePreço com base Preço por período dePreço por período de Ações em Marketing: Da Visão Funcional à Visão Sistêmica Estabelecendo oEstabelecendo o Preço da OfertaPreço da Oferta Preço com basePreço com base em custosem custos Preço com basePreço com base em valorem valor Preço por período dePreço por período de vida útilvida útil Comunicação daComunicação da OfertaOferta Com base emCom base em persuasãopersuasão Com base emCom base em informaçãoinformação Com base emCom base em permissãopermissão Entrega da OfertaEntrega da Oferta Canais fixosCanais fixos Canais múltiplosCanais múltiplos Canais sem emendaCanais sem emenda (Sistemas)(Sistemas) Ampliação daAmpliação da OfertaOferta ParceirosParceiros verticaisverticais ParceirosParceiros horizontaishorizontais Redes de NegóciosRedes de Negócios [[CoCo--CriaçãoCriação]] Suporta aSuporta a ClientesClientes Acesso a PessoasAcesso a Pessoas Acesso aAcesso a InformaçõesInformações Acesso a ProcessosAcesso a Processos [[Voz do Cliente]Voz do Cliente] Adaptado de: Sawhney & Kotler (2001, p.428)
  • 15. SHENG CAMINHOS PARA O FUTURO Algumas tendências segundo Popcorn (1993): 1. O encasulamento numa Nova Década 2. A Aventura da Fantasia 3. Pequenas Indulgências 4. Egonomia 5. Sair Fora5. Sair Fora 6. Volta ao Passado 7. Sobreviver 8. Consumidor Vigilante 9. 99 Vidas 10. S. O. S. (Salve O Social) Adaptado de: POPCORN, F. O Relatório Popcorn. Rio de Janeiro, Campus, 1993
  • 16. SHENG AS GRANDES EVOLUÇÕES TECNOLÓGICAS TÉCNICAS ARCAICAS TÉCNICAS MOLARES TÉCNICAS MOLECULARES Controle das espécies vivas Seleção Natural Ausência de finalidade. Escala geológica. Opera sobre Seleção artificial Finalização. Escala histórica Opera sobre populações Gênio genético Finalização Tempo real Opera gene por genevivas Opera sobre populações populações gene Controle da matéria Mecânico Controle da transmissão e do ponto de aplicação das forças. Reuniões Termodinâmico (quente) Produção de energia e modificação das características da matéria por aquecimentos e misturas Nanotecnológico (frio) Controle da transmissão e do ponto de aplicação das forças em escala microscópica. Reunião. Átomo por átomo
  • 17. SHENG Controle das mensagens Somático Produção por corpos vivos, variação das mensagens em função do contexto Midiático Fixação, reprodução, descontextualização e difusão das mensagens Digital Produção, difusão e interação em contexto. Controle das mensagens bit por bit. Organicidade Os membros Transcendência Os membros de um Imanência Uma grande Regulação dos grupos humanos Os membros de um grupo orgânico têm conhecimento mútuo de suas identidades e de seus atos. Os membros de um grupo molar se organizam por categorias, são unificados por líderes e instituições, geridos por uma burocracia ou fundidos pelo entusiasmo Uma grande coletividade em auto-organização é um grupo molecular. Utilizando todos os recursos das tecnologias finas, ela valoriza sua riqueza humana qualidade por qualidade Adaptado de Pierre LÉVY (A Inteligência Coletiva, 1998)
  • 18. SHENG O CONCEITO DE MARKETING Definição Clássica de Administração de Marketing (Kotler): ... É a análise, o planejamento, a... É a análise, o planejamento, a implantação e o controle de programas destinados a levar a efeito as trocas desejadas com públicos visados e tendo por objetivo o ganho pessoal ou mútuo.
  • 19. SHENG ORIENTAÇÕES EMPRESARIAIS Orientação para a produção Orientação para as finançasOrientação para as finanças Orientação para as vendas Orientação para o marketing Orientação para o Cliente Orientação para o Conhecimento
  • 20. SHENG O CONCEITO DE MARKETING ... É uma orientação para o cliente tendo como retaguarda o marketing integrado e por objetivo produzirintegrado e por objetivo produzir satisfação ao cliente como a chave para o atendimento das metas organizacionais (Kotler)
  • 21. SHENG Conceito de Vendas x Marketing FocoFoco MeiosMeios FimFim ProdutosProdutos VendasVendas ee PromoçãoPromoção Obtenção de lucrosObtenção de lucros através doatravés do volume de vendasvolume de vendas NecessidadesNecessidades dodo ClienteCliente MarketingMarketing IntegradoIntegrado Obtenção de lucrosObtenção de lucros através daatravés da satisfação do clientesatisfação do cliente (a) O conceito de vendas(a) O conceito de vendas (b) O conceito de Marketing(b) O conceito de Marketing
  • 22. SHENG Marketing Contemporâneo Pesquisa e Análise de Mercado Elaboração de Plano de Marketing Marketing ProgramadeAdministração Mercadológica Gerência de Produtos Distribuição e Logística de Marketing Sistema de Comunicação em Marketing Marketing ProgramadeAdministração Mercadológica
  • 23. SHENG Posição de Marketing no Ambiente de Negócio MateriaisFinanceira Estratégico Marketing S. HumanosProdução Engenharia, P & D Jurídico Ambiental
  • 24. SHENG Capital e Lucratividade em Marketing Humano Material SocialR Espiritual Material Natural Social Financeiro R R = Resultado, Lucratividade, Alavancagem = {CH + CE + CS + CF + CN + CM }Onde C = Capital
  • 25. SHENG Ativos Financeiros Área onde os elementos não se sobrepõem. Representa o potencial de ativos Áreas onde dois elementos se sobrepõem. As oportunidades Capital e Lucratividade em Marketing Ativos Tangíveis Ativos Intangíveis sobrepõem. As oportunidades competitivas podem ser parcialmente capturadas Áreas onde os três elementos se sobrepõem. Representa as oportunidades que podem ser otimamente aplicadas pela organização. TA = Total de Ativos => Mercado TA
  • 26. SHENG Capital Consumidor Área onde os elementos não se sobrepõem. Representa o potencial de ativos Áreas onde dois elementos se sobrepõem. As oportunidades competitivas podem ser Capital e Lucratividade em Marketing Capital Humano Capital Estrutural sobrepõem. As oportunidades competitivas podem ser parcialmente capturadas Áreas onde os três elementos se sobrepõem. Representa as oportunidades que podem ser otimamente aplicadas pela organização. CT = Capital Total CT
  • 27. SHENG O PRODUTO [A PRODUÇÃO] (CRIAÇÃO DA OFERTA) PILARES DO MARKETING Dinâmica Mercadológica – Produto/Serviço – Conceito de Marketing O MERCADO [COMPETIÇÃO] (CRIAÇÃO DA DEMANDA) O CLIENTE [A EXPECTATIVA] (COMPORTAMENTO E COMPRA) Marketing
  • 28. SHENG A Pirâmide de Clientes Bons Clientes Clientes-padrão Pequenos clientes Novos clientes 80% das vendas 20% dos custos comerciais Novos clientes Prospects “frios” Prospects “mornos” Prospects “quentes” Contatos Outros Suspects 20% das vendas 80% dos custos comerciais Fonte: Adaptado de Cury e Store, 1999
  • 29. SHENG Mercados, Bens e Comportamento do Consumidor TIPOS DE MERCADO CONSUMIDOR > Bens de Consumo PRODUTOR > Bens e Utilidades de Produção REVENDEDOR > ATACADISTA (Bens para mercado distribuidor)ATACADISTA (Bens para mercado distribuidor) VAREJISTA (Bens para consumidor final) GOVERNAMENTAL INTERNACIONAL O que distingue estes mercados entre si é o papel e os motivos dos compradores e não as características dos produtos comprados
  • 30. SHENG Mercados, Bens e Comportamento do Consumidor Quem são os decisores da compra em cada tipo: OS CONSUMIDORES são indivíduos e lares > Consumo pessoal OS PRODUTORES são indivíduos e organizações que adquirem bens e utilidades com o propósito de transformação, produção e reprodução para colocar novos bens e utilidades à disposição dosreprodução para colocar novos bens e utilidades à disposição dos outros compradores (revendedores e consumidores) OS REVENDEDORES são indivíduos e organizações que adquirem bens e utilidades e colocam à disposição de outros revendedores e consumidores O GOVERNO possui unidades que compram bens e serviços para facilitar o desempenho das funções governamentais OS INTERNACIONAIS representam todos os anteriores, mas operando fora do país
  • 31. SHENG Mercados, Bens e Comportamento do Consumidor O ESTUDO DE MERCADO Pode ser feito a partir de questões básicas que impulsionam respostas para a elaboração de planos e estratégias. O Administrador pode trabalhar, neste caso, com quatro questões básicas e associa-las aos quatro mais dois [O]: O QUE o mercado compra? > OBJETO da compraO QUE o mercado compra? > OBJETO da compra POR QUE o mercado compra? > OBJETIVO da compra QUEM no mercado realiza a compra? > ORGANIZAÇÃO da compra COMO o mercado compra? > OPERAÇÃO da compra Além destas, outras duas perguntas são adicionais para o trabalho do Administrador: QUANTO o mercado compra? > Oferta para compra ONDE o mercado compra? > Origem da compra
  • 32. SHENG Mercados, Bens e Comportamento do Consumidor - Preço básico - Ofertas e descontos - Créditos - Transportes - Linhas e qualidade - Marca - Embalagem - Informação - Serviço COMPOSTO PRODUTOCOMPOSTO PREÇO MERCADO - Objeto - Serviço - Propaganda - Venda Pessoal - Promoção de venda - Publicidade COMPOSTO PONTO DE DISTRIBUIÇÃO E VENDA COMPOSTO PROMOÇÃO - Tipos de canais - Localização dos canais - Logística mercadológica - Vendas territoriais - Objetivos - Organização - Operação
  • 33. SHENG Mercados, Bens e Comportamento do Consumidor Tipos de transações ou comercializações em um MERCADO MERCADO CONSUMIDOR Compras diretas ou finaisCompras diretas ou finais Alugueis Sem direito de aquisição no final do contrato Com direito de aquisição no final do contrato (Leasing)
  • 34. SHENG Mercados, Bens e Comportamento do Consumidor Se um mercado é grande pode-se estuda-lo em forma segmentada ou diferenciada Assim, é possível distinguir, entre outros, os seguintes sub-mercados:seguintes sub-mercados: Mercado Jovem: Infantil Adolescente Universitário Mercado da Idade Provecta Mercado da Raça Negra, etc.
  • 36. SHENG PRODUTO OU SERVIÇO GENÉRICO - Corresponde ao OBJETO fundamental que está sendo adquirido pelo CLIENTE PRODUTO OU SERVIÇO ESPERADO - São incrementos ao OBJETO fundamental mas, de certa forma, aguardados pelo CLIENTE. OS ANÉIS DE LEVITT aguardados pelo CLIENTE. PRODUTO OU SERVIÇO AUMENTADO - Trata-se de uma série de benefícios e melhorias adicionais, não esperadas pelo CLIENTE e que sofisticam o atendimento. PRODUTO OU SERVIÇO POTENCIAL - É a criação constante de melhorias, benefícios e diferenciações, baseando-se na profunda compreensão dos desejos e necessidades do CLIENTE. (FONTE: SHIOZAWA, 1993)
  • 37. SHENG Qualidade de Satisfação do CLIENTE (QSC) Uma empresa é um processo de satisfação do CLIENTE, e não de produção de bens. (T. Leavitt) De acordo com WHITELEY, A única forma correta de administrar uma empresa - e a forma mais rentável - consiste em saturá-la com a VOZ DO CLIENTE.com a VOZ DO CLIENTE. Para tanto, ... Todos na organização, a começar pelo líder, precisam calibrar suas ações conforme as necessidades, as expectativas os desejos dos CLIENTES. Todos dentro da empresa devem eliminar as ações ou atitudes que não se coadunam com a satisfação das necessidades do CLIENTE.
  • 38. SHENG Qualidade de Satisfação do CLIENTE (QSC) Três ações são possíveis de serem realizadas visando a construção de uma atitude voltada para o CLIENTE: Determine cuidadosamente quem devem ser seus CLIENTES; Procure conhecer seus clientes melhor do que eles conhecem a si mesmos. Toda a empresa deve se envolver na identificação das necessidades e expectativas dos CLIENTES, agora e no futuro; Peça a todos na organização para medirem cada ação em relação às necessidades e expectativas dos CLIENTES e para lutarem constantemente de modo a superar essas expectativas.
  • 39. SHENG Qualidade de Satisfação do CLIENTE (QSC) As seguintes quatro perguntas são importantes quando se deseja saber como conquistar os CLIENTES: Quais são as necessidades e expectativas de seus CLIENTES, e quais dessas necessidades e expectativas importam mais para eles?expectativas importam mais para eles? Quão bem estamos satisfazendo essas necessidades e expectativas? Quão bem os nossos competidores as estão satisfazendo? Como fazer para ultrapassar o mínimo que satisfará nossos CLIENTES, para realmente empolga-los?
  • 40. SHENG Qualidade de Satisfação do CLIENTE (QSC) QUEM SÃO OS SEUS CLIENTE? As pessoas, em uma empresa, geralmente atendem e servem a três tipos de CLIENTES: CLIENTES FINAIS - Pessoas que irão usar o seu produto ou serviço no dia a dia e - conforme você espera - ficarão encantados. São também conhecidos como usuários finais. encantados. São também conhecidos como usuários finais. CLIENTES INTERMEDIÁRIOS - Normalmente trata-se de revendedores e distribuidores que tornam seus produtos e serviços disponíveis para o CLIENTE FINAL. CLIENTES INTERNOS - Pessoas na organização a quem você repassa o trabalho concluído para desempenharem a próxima função no sentido de servir os CLIENTES INTERMEDIÁRIOS e FINAIS.
  • 41. SHENG COMPORTAMENTO DO CLIENTE No que se refere ao estudo do comportamento do consumidor vários estudos têm sido realizados juntamente com pesquisas acadêmicas e alguns desses trabalhos trazem tipologias como a que apresentamos a seguirtipologias como a que apresentamos a seguir que é a mais usada atualmente. Um ponto que salientamos em nosso trabalho e para o qual tecemos críticas refere-se à questão da fidelização, a qual tratamos em artigo já divulgado.
  • 42. SHENG Predisposição Prospect Qualificado Prospect Volume de informações sobre o cliente TipologiadoCliente Potencial TEMPO Prospect Suspect Adaptado de Bretzke, 2003 TipologiadoCliente Potencial
  • 43. SHENG Tipologia do Cliente Potencial SUSPECT são as pessoas ou empresas consideradas possíveis compradores do produto ou serviço. Este perfil é determinado na segmentação dedeterminado na segmentação de produtos. PROSPECTS são as pessoas ou empresas que podem se beneficiar e tem o potencial financeiro e o poder de decisão para realizar (decidir) a compra.
  • 44. SHENG Tipologia do Cliente Potencial Prospect Qualificado pode surgir quando se inicia o processo de relacionamento com o prospect e este manifesta algum tipo de interesse na empresa, quer solicitando literatura (display de divulgação, etc.), assistindo um seminário, pedindo a visita deassistindo um seminário, pedindo a visita de um vendedor, cadastrando-se no site ou indo à loja. É possível desenvolver um prospect ao promover o aumento do seu conhecimento sobre o produto/serviço, ou modificando e alterando sua percepção através do uso da comunicação.
  • 46. SHENG Escada de Lealdade Clientes prováveis correspondem aos conceitos dos suspects. Clientes Potenciais envolvem os conceitos dos chamados prospects e prospects qualificados. Experimentadores são aqueles que realizam aExperimentadores são aqueles que realizam a primeira compra. Fies são aqueles que estão satisfeitos e têm atitudes favoráveis em relação a marca, repetem a compra, mas não concentram o seu volume de compra naquela marca específica.
  • 47. SHENG Escada de Lealdade Repetidores são aqueles que concentram suas compras de produtos e serviços, em grande parte, em uma marca específica. Advogados de Marca são aquelesAdvogados de Marca são aqueles clientes que, além de repetirem as suas compras de produtos e serviços em uma dada marca têm um alto envolvimento emocional com ela e ainda a indicam a outras pessoas ou empresas.
  • 48. SHENG Númerodecompras Clientes de primeira compra Clientes de Segunda compra Clientes Advogado da marca HierarquiadeClientes Númerodecompras Tempo Suspect Prospect primeira compra Adaptado de Bretzke, 2003 HierarquiadeClientes
  • 49. SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO Ideias preliminares Imaginem os seguintes itens e seus respectivo negócios industriais: Lata de refrigeranteLata de refrigerante Fotocopiadora Televisores Pipoca Qual poderia ser uma definição de negócio para empresas que atuam nessas indústrias?
  • 50. SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO A Importância da Participação de Mercado (Market Share) Da “indústria de latas” paraDa “indústria de latas” para “indústria de embalagens”. Da “fotocópia” para “Sistemas de Automação de Escritórios”
  • 51. SHENG Um pensamento Existe uma lógica de se fazer negócio em conformidade com os fatos e as circunstâncias de um setorfatos e as circunstâncias de um setor se você puder desenvolver uma visão muito clara do que é esse setor (A. Sloan, 1965)
  • 52. SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO De acordo com Abell, a definição de negócio envolve a segmentação do mercado, ou seja, a participação no mercado resulta de uma boa definição de negócio Estrategicamente, a questão da definição deEstrategicamente, a questão da definição de negócio surge, pelo menos implicitamente, quando a administração introduz um novo produto, desativa um produto antigo, direciona um produto existente para novos clientes, diversifica o negócio mediante aquisições de outras empresas, ou liquida parte das atividades através de venda.
  • 53. SHENG PARTICIPAÇÃO DE MERCADO DEFINIÇÃO DE NEGÓCIO Abell sugere as seguintes questões conceituais para se trabalhar a posição estratégica de uma empresa em um dado mercado: Como devemos conceituar a definição do negócio? Como deveríamos conceituar as mudanças na definição do negócio? Que fatores deveriam ser considerados na escolha deQue fatores deveriam ser considerados na escolha de uma definição particular do negócio? Como a questão da definição varia de acordo com o nível organizacional? Como a definição de um negócio individual se relaciona com a definição de fronteiras do mercado? Como as fronteiras do mercado são redefinidas com o passar do tempo?
  • 54. SHENG Fatores Prevalece nos Planos de MKT analisados Considerado Critico para o sucesso do Plano, se esquecido Demográficos 90% 40% Market Share 90% 10% Análise Competitiva 90% 50% Competitiva Necessidades e desejos dos consumidores 80% 80% Valores e Estilos de vida 20% 70% Política e Economia 10% 25%
  • 55. SHENG Orientação para o Cliente: Definição de necessidade genérica Definição de Grupos Visados Produtos e mensagensProdutos e mensagens diferenciados Pesquisa do consumidor Estratégia de vantagem diferencial
  • 56. SHENG Marketing Integrado: Significa que dentro da função de marketing existem adaptação e coordenação inteligentes dos quatrocoordenação inteligentes dos quatro P - Produto, Preço, Ponto de distribuição e venda, Promoção - visando constituir sólidas relações de troca com os clientes (Kotler)
  • 57. SHENG Administração Mercadológica Satisfação do Cliente: ... É melhor procurada não diretamente, mas como um subproduto da solução de problema do cliente.do cliente. A satisfação do cliente, da mesma forma que a felicidade, é melhor alcançada prestando-se formas substanciais de ajuda aos outros ao invés de por perseguição direta. O alvo do conceito de marketing é mais o de ajudar do que o de agradar.
  • 58. SHENG Administração Mercadológica SISTEMA DE MARKETING Economia Fornece- dores EMPRESA Concorren- tes Intermediá- rios Administração Pública ForneceFornece-- doresdores EMPRESA Concorren- tes Intermediá- rios MERCA- DO T e c n o l o g i a C u l t u r a Administração Pública Fonte: P. Kotler
  • 59. SHENG Administração Mercadológica (P1) PRODUTO DEFINIÇÃO > Objeto tangível ou serviço pelo qual o cliente paga em dinheiro. NÍVEIS DE PRODUTO Produto Central > Benefícios ouProduto Central > Benefícios ou características definem o produto Produto Esperado > É o produto que o cliente compra > inclui qualidade de apoio, serviços esperados, entrega rápida, garantia de substituição de peças, etc. Produto Ampliado > Inclui características adicionais que “surpreendem” o cliente
  • 60. SHENG Administração Mercadológica DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO O Ciclo de Vida do Produto Início/Desenvolvimento Introdução Crescimento Maturidade e Declínio $ Início/ Desenvolvimento Maturidade Declínio Declínio Estágios de Desenvolvimento 1.Gerar Ideias 2.Selecionar Ideias 3.Testar Ideias 4.Analisar os Negócios 5.Produzir um Protótipo 6.Fazer Teste de Marketing Tempo
  • 61. SHENG Administração Mercadológica (P2) PREÇO(P2) PREÇO ConceitoConceito >> O preço está normalmenteO preço está normalmente relacionado com o valor que o cliente desejarelacionado com o valor que o cliente deseja pagar por um produto.pagar por um produto. Estratégias de ApreçamentoEstratégias de Apreçamento >> a) Por acréscimoa) Por acréscimoEstratégias de ApreçamentoEstratégias de Apreçamento >> a) Por acréscimoa) Por acréscimo sobre os Custos; b) Por alvo; c) Por Ponto desobre os Custos; b) Por alvo; c) Por Ponto de Equilíbrio; d) Por Experiência; e) Com base noEquilíbrio; d) Por Experiência; e) Com base no Valor; f) Com base na Concorrência; g) Para finsValor; f) Com base na Concorrência; g) Para fins de Licitaçãode Licitação.. Outras EstratégiasOutras Estratégias >> a) Linha de Produto; b)a) Linha de Produto; b) Produtos Opcionais; c) Produtos Cativos; d)Produtos Opcionais; c) Produtos Cativos; d) Subprodutos; e) Pacotes deSubprodutos; e) Pacotes de ProdutosProdutos
  • 62. SHENG Administração Mercadológica (P3) DISTRIBUIÇÃODISTRIBUIÇÃO ComentáriosComentários > Três itens são importantes quando se trata da Distribuição em Marketing: CLIENTES, CANAIS eCLIENTES, CANAIS e LOGÍSTICALOGÍSTICA.. A DistribuiçãoA Distribuição > tem entre as suas responsabilidades fazer com que o PRODUTO esteja disponível e emfazer com que o PRODUTO esteja disponível e em condições de uso para o CLIENTE no TEMPO CERTO, na QUANTIDADE CERTA, e no PREÇO CERTO. Estes termos são definidos pelo CONSUMIDOR e não pela EMPRESA. A DistribuiçãoA Distribuição > começa na casa do CLIENTE e termina no seu produtor de matéria prima, por isso sua ESTRATÉGIA DE DISTRIBUIÇÃO (considerando a sua LOGÍSTICA de vanguarda e de retaguarda) tem que ser desenvolvida no sentido inverso da produção de bens e serviços.
  • 63. SHENG Administração Mercadológica CANAIS DE DISTRIBUIÇÃOCANAIS DE DISTRIBUIÇÃO ComentárioComentário > Canais de distribuição > é o conjunto de organizações que fazem com que um produto (bem ou serviço) esteja disponível para o CLIENTE com a qualidade exigida, superando obstáculos de tempo, espaço, preço e posse. qualidade exigida, superando obstáculos de tempo, espaço, preço e posse. Sistemas Verticais de Marketing (SVM)Sistemas Verticais de Marketing (SVM) > Corporativos; Contratuais; e Administrados. Sistemas Horizontais de Marketing (SHMSistemas Horizontais de Marketing (SHM) > joint- venture entre empresas do mesmo ramo industrial (Ex. bebidas + alimentos; veículos; etc.) Estratégias de DistribuiçãoEstratégias de Distribuição > Cobertura do Mercado; Controle do Canal; Análise e Controle de Custos
  • 64. SHENG Administração Mercadológica (P4) PROMOÇÃO Uma Definição > Segundo a Associação Norte- Americana de Agências de Propaganda PROMOÇÃO pode ser definida como > a interpretação para o publico, ou para determinados segmentos do público, da informação relativa a um produto ou serviço legalmente levado ao para determinados segmentos do público, da informação relativa a um produto ou serviço legalmente levado ao mercado. (Murphy) Objetivos > A promoção tem três objetivos (Murphy) como sejam: informar, persuadir e lembrar. Mix de Promoção > é programa global de comunicações de uma empresa > Consiste de: propaganda, venda pessoal, promoção de vendas e relações públicas. (Murphy)
  • 65. SHENG Administração Mercadológica Marketing e Comunicação - Tópicos de Estratégia de COMUNICAÇÃO Identificar a meta: Embora a fim último da comunicação seja alcançar os objetivos da estrutura mercadológica são precisas várias etapas mentais para chegar até o cliente para fazê-lo comprar um produto. Pelo menos duas sequencias podem ser consideradas quando se trataPelo menos duas sequencias podem ser consideradas quando se trata de envolver o cliente na compra: aprender, sentir e fazer > aplica-se quando o envolvimento na compra e elevado e existe vários produtos à disposição; conhecer, comprar e utilizar > quando se exige pouco envolvimento no processo de compra. Conhecer qual a sequencia que o cliente seguirá é importante para se promover a comunicação em Marketing
  • 66. SHENG “FATORES CHAVE DE SUCESSO NOS NEGÓCIOS: 5Rs!” Os 5 R’s são uma ferramenta orientada par alavancar o sucesso de negócios, e torná-los mais lucrativos, através da manutenção e permanência dos Clientes. O Marketing, como qualquer área de conhecimento, não ficou parado ou estabilizado nessa era Infoeconômica e são muitas as ideias que surgem no sentido de mantê-losão muitas as ideias que surgem no sentido de mantê-lo atualizado ou para ampliar o seu conteúdo com novos conceitos, sempre tendo como foco a satisfação do Cliente, agora seguindo para encontrar soluções para alcançar as expectativas do Cliente. Vejamos, então, o que significa este novo conjunto de ferramentas que torna o Marketing cada vez mais dinâmico.
  • 67. SHENG Os 5R’s são: 1 Relevância Informação: Encontrar os produtos e serviços que o cliente quer. Ação: Ser uma fonte de benefícios e soluções para oAção: Ser uma fonte de benefícios e soluções para o cliente. 2 Reconhecimento Informação: Ser único ou diferente para o cliente. Ação: Produzir um serviço ou produto com características que levem o cliente a comprar de você e não dos concorrentes.
  • 68. SHENG 3 Receptividade Informação: Pesquisar onde encontrar o seu cliente. Ação: Gerar aproximação física com o seu cliente. 4 Responsividade Informação: Fazer contato comercial com o seu cliente. Ação: Gerar a resposta do seu cliente sob a forma da primeira compra. 5 Relacionamento Informação: Cultivar um relacionamento, fazer do cliente um cliente para toda a vida. Ação: Transformar a primeira compra em compras sucessivas, estabelecer um relacionamento comercial duradouro com o seu cliente.
  • 69. SHENG Destes 5R’s dois são considerados críticos e requerem do administrador uma atenção diferenciada. São eles: A Relevância e o Reconhecimento. “É obrigatório você encontrar o serviço que os clientes procuram e desejam, e colocar nesses serviços o diferencial que fará com que esses mesmos clientes procurem você, e não um dos seus concorrentes. Estes dois fatores, a Relevância eEstes dois fatores, a Relevância e o Reconhecimento, precisam ser projetados e gerenciados, ao longo do tempo, uma vez que os concorrentes podem e devem copiar o que faz você ganhar clientes, e o diferencial, então, desaparece, podendo levar junto os clientes que você obteve”. (FARIA, 2010) Na figura a seguir mostramos o posicionamento destes dois R’s e porque eles devem ser priorizados e mantidos em nível relevante de atenção:
  • 71. SHENG Administração Mercadológica Alguns Objetivos da Comunicação Dar a conhecer a existência de um produto, as suas características, seu modo de utilizaçãoutilização Fazer gostar de um produto, marca ou empresa Fazer agir, incitar o consumidor a comprar ou a aderir a uma causa ou a participar de um evento, etc.
  • 72. SHENG Administração Mercadológica Estratégias de Comunicação Estratégias Concorrenciais Comparativas De posicionamento Promocionais De adesão IncondicionalDe adesão Incondicional De Canibalização Estratégias de Desenvolvimento Extensivas Intensivas Estratégias de Fidelização Publicidade Institucional
  • 73. SHENG Processos à Montante Processo Capital Humano Insumos Capital Técnico Capital Financ. Competição Administração MercadológicaAdministração Mercadológica O SISTEMA EMPRESARALE O AMBIENTE DE MARKETING Processo Produtivo Processos à Jusante Biotech . Tecnol. Inform. Conhec. Capital Cultural Capital Natural Produtos Mercados Logística Legal Competição Capital Espiritual FONTE: Própria, do Autor
  • 74. SHENG Ambiente ExternoAmbiente Externo Administração Mercadológica REPRESENTAÇÃO DO AMBIENTE DE MARKETING Macroambiente Economia Ambiente de Mercado AmbienteAmbiente OrganizacionalOrganizacional Economia Tecnologia Política Pública Cultura Número de Compradores Poder Aquisitivo Necessidades e Desejos Hábitos de Compra Matriz da Empresa Departamentos Divisão Canais e Agentes Fonte: P. Kotller
  • 75. SHENG Administração Mercadológica O CONCEITO DE AMBIENTE EM MARKETING Segundo Kotler, ambiente é a totalidade de forças e de entidades que são externa e potencialmente relevantes a um particular agente.a um particular agente. No caso de Marketing o seu ambiente será formado pela totalidade de forças e entidades que possam afetar o desempenho de um produto ou de todo o negócio
  • 76. SHENG Administração Mercadológica MODELO INPUTS OUTPUTS Crescimento vendas Retorno Vendas Retorno Investimento Lucro Esperado •Preço Atacado •Descontos Comuns •Visitas de vendas e Assist. •Propaganda e Promoção Especiais Composto de Marketing para o Uma representação de Input-Output das decisões de Marketing e o Ambiente da Empresa Fatoresde Previsãodo ambiente DE ESTRATÉGI A DE MARKETIN G DA EMPRESA Crescimento População Renda Pessoal Fatores Culturais Perspectivas de Custos Hipóteses sobre resposta de Marketing Perspectivas quanto à concorrência Promoção Especiais •Descontos Especiais para Propaganda Cooperativa •Políticas de Crédito •Políticas de Entrega•Características do Produto •Características da Embalagem •Preço no Varejo •Ofertas especiais dirigidas ao consumidor •Propaganda dirigida ao consumidor para o Comércio Composto de Marketing para o Consumidor FONTE: Própria, do Autor
  • 77. SHENG Administração Mercadológica As organizações e as mudanças ambientais De acordo com Kotler, uma organização deve adaptar-se continuamente ao ambiente em mutação ou ser dominada por ele. As seguintes situações podem ser estudadas e consideradas do ponto de vista da estratégia empresarial: Uma empresa passiva [reativa ou ativa] defronta-se com a extinção; Uma empresa adaptativa sobreviverá com um crescimentoUma empresa adaptativa sobreviverá com um crescimento modesto; e Uma empresa criativa [proativa] prosperará além de contribuir para as mudanças Diante desta percepção devemos estar preparados para desenvolver e realizar Estratégias de Processo e de Mercado, a fim de tornarmos as organizações sempre preparadas para o sucesso. Os quadros 1 e 2 a seguir mostram alguns pontos para diagnosticar a complexidade das mudanças
  • 78. SHENG Administração Mercadológica AS RELAÇÕES AMBIENTAIS - O ECOSSISTEMA O Conceito de ECOSSISTEMA A Ecologia é um estudo das relações mútuas entre os organismos e seus ambientes.entre os organismos e seus ambientes. A ECOLOGIA ensina que as relações entre os organismos estão em um delicado equilíbrio e que as consequências de uma perturbação em qualquer uma das partes podem ser amplas e causar enormes prejuízos e desastres para ambas.
  • 79. SHENG Administração Mercadológica Ambientes e Estratégias ESTRATÉGIAS SOBRE OS PROCESSOS REATI VA ATIVA ADAPTA TIVA PRO ATIVA AÇÃO 20% 40% 60% 80% VISÃO (V) Muito fraca Do Dono Fraca Dos Diretores Definida no Topo Diretores Declarada para todos MISSÃO (M) Do Dono Dos Diretores Declarada no Topo Diretores Declarada para todos OBJETIVOS (O) Do Dono CP>>LP Dos Diretores CP>LP Dos Gerentes CP</=LP De todos CP<LP PRODUTO (P) Fraco Fraco Forte Forte FOCO (F) Fraca Fraca Forte Forte ATIVIDADE 80% 60% 40% 20% FONTE: Própria, do Autor
  • 80. SHENG Administração Mercadológica Ambientes e Estratégias ESTRATÉGIAS SOBRE OS MERCADOS REATI VA ATIVA ADAPTATIVA PRO ATIVA AÇÃO 20% 40% 60% 80%AÇÃO 20% 40% 60% 80% QUALIDADE (Q) Inspeção Controle Total Integral CUSTOS ( C ) CD>>CS CD>/=CS CD</=CS CD<<CS PRAZOS (P) Interno Int/Ext Externo Externo ÉTICA (E) Situação Situação Forte Forte SEGURANÇA (S) Fraca Fraca Forte Forte ATIVIDADE 80% 60% 40% 20% FONTE: Própria, do Autor
  • 81. SHENG Administração Mercadológica Ambientes e Estratégias OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS DA EMPRESA OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS DA EMPRESA OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS EM MERCADOLOGIA DECISÕES EM MERCADOLOGIA PROGRAMAS DE MERCADOLOGIA
  • 82. SHENG Administração Mercadológica OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS DA EMPRESA Nas organizações bem administradas [Adaptativas e Proativas] existe uma hierarquização de processos e de objetivos ehierarquização de processos e de objetivos e nunca de FUNÇÕES. Podemos dizer que existe uma convergência holística entre objetivos MACRO, MESO e MICRO os quais traduzem a VISÃO e a MISSÃO e o total da AÇÃO [Pensar] e da ATIVIDADE [Fazer] do Líder da empresa de forma explícita e participativa.
  • 83. SHENG Administração Mercadológica CAAC - Círculo de AÇÃO AMORIZADA E COLABORATIVA - Hierarquia de Objetivos Explícitos como PROCESSO: Macro ObjetivosMacro Objetivos Meso Objetivos Micro Objetivos Centro de Coordenação Geral [Um modelo de Hierarquia de Objetivos]
  • 84. SHENG Administração Mercadológica Para P. Drucker, os objetivos gerais de uma empresa concentra a definição de metas nas seguintes áreas básicas: Marketing InovaçãoInovação Produtividade Recursos Físicos Insumos (utilidades) requeridos Recursos Financeiros Organização Humana Responsabilidade Social
  • 85. SHENG Administração Mercadológica De acordo com Ansoff, os elementos básicos que podem contribuir para a determinação das estratégias da empresa estão na combinação PRODUTO-MERCADOPRODUTO-MERCADO Dedicar AÇÕES às categorias de produto e aos segmentos de mercado permite ao EMPREENDEDOR conduzir o negócio ao alcance dos objetivos e assim aos resultados desejados da empresa
  • 86. SHENG Administração Mercadológica ESTRATÉGIA DA EMPRESA No devido momento estudaremos com maior profundidade os componentes da Estratégia da Empresa. Como salienta Davis, Para serem explícitos, será necessário definir aPara serem explícitos, será necessário definir a estratégia como um compromisso de recursos, feito a longo prazo com o fim de alcançar uma meta específica em um ambiente competitivo Uma estratégia é o melhor caminho para se alcançar os objetivos tendo em conta a concorrência, os recursos em mutação e a variabilidade do meio ambiente
  • 87. SHENG Administração Mercadológica OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS EM MARKETING OBJETIVOS Volume de vendas Participação no Mercado Contribuição para os Resultados RequeridosContribuição para os Resultados Requeridos CRITÉRIOS DA ESTRATÉGIA Consistência Interna Consistência Externa Capacidade dos Recursos Tempo Grau de Risco
  • 88. SHENG Administração Mercadológica DECISÕES EM MERCADOLOGIA Decisões são juízos que resolvem controvérsias (Davis). É importante para o administrador deÉ importante para o administrador de Marketing saber distinguir as decisões com base na complexidade, ou seja: Decisões Rotineiras e decisões não rotineiras ou importantes e inovativas.
  • 89. SHENG Administração Mercadológica Formulação e execução de um Programa de Marketing Objetivos da Empresa Estratégias da Empresa Análise da Empresa Objetivos de Marketing Estratégias de Processo de Revisão Auditoria da Empresa Auditoria Ambiental Prognóstico Prognóstico Oportunidade de Marketing Programa de Marketing Controle e Avaliação Execução Revisão
  • 90. SHENG Referências e Bibliografia Consultada AAKER, David A. Administração estratégica de mercado. Porto Alegre: Bookman, 2001. CURRY, Joy e STORA, Ludovic. Cliente, Capital da Empresa. São Paulo: Nobel, 1999 DAVIS, Kenneth R. Administración en Mercadotecnia. México: Editorial Limusa, 1988. DIAS, Sergio Roberto (Coord.) Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva, 2003. FARIA, C. A. MERCATUS. Artigos diversos: http://www.merkatus.com.br/02_os5rs/index.htmhttp://www.merkatus.com.br/02_os5rs/index.htm HAGUE, P. e JACKSON, P. Faça a sua Pesquisa de Mercado. São Paulo: Nobel, 1987. FURLONG, C. B. Marketing para reter Clientes. Rio de Janeiro: Campus, 1984 HATELEY, B. “BJ”, e SCHMIDT , W. H. Um Pavão na Terra dos Pinguins. São Paulo: Negócios, 2001. JOHANSSON, J. K. e NONAKA, I. Determinação. Rio de Janeiro: Campus, 2001. KOTLER e ARMSTRONG. Princípios de Marketing. São Paulo: Pearson, 2003. LEVITT, T. A Imaginação de Marketing. São Paulo: Atlas, 1985. WHITELEY, R. C. A Empresa totalmente voltada para o Cliente. Rio de Janeiro: Campus, 1992.