SlideShare uma empresa Scribd logo
CONSIDERATIONS FOR DEVELOPING EVALUATIONS OF ONLINE COURSES ACHTEMEIER, Sue D.; MORRIS, Libby, V.; FINNEGAN, Catherine L.   Concepção e Avaliação em e-Learning
Enquadramento 19-11-09 O texto é um estudo que classifica os princípios recolhidos a partir de uma extensa revisão da literatura  que foca o que actualmente melhor se faz com vista a um ensino-aprendizagem eficaz em cursos on-line.      Nele, a partir de uma revisão dos instrumentos de avaliação actualmente em uso em  treze instituições da Geórgia e vários cursos on-line a nível nacional, procura encontrar-se a presença desses princípios nos itens recolhidos. (EUA)
Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 As  boas práticas no processo de ensino-aprendizagem  devem: (Chickering & Gamson) Encorajar o contacto entre o aluno e o professor Encorajar a cooperação entre estudantes Encorajar a aprendizagem activa Enfatizar tempo na tarefa Comunicar expectativas altas Respeitar diversos talentos e formas  de apreender
Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 A avaliação deve ser precedida dos resultados a obter A avaliação deve distinguir as questões formativas e sumativas A avaliação tem de ter a forte capacidade de "buy-in“ Devem ser utilizados múltiplos métodos Os resultados da avaliação devem ser usados e partilhados - A própria avaliação deve ser avaliada Aspectos para a  qualidade da avaliação : (Palomba & Banta)
Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 Porque se realiza a avaliação? (Why) Foca o estudante ou a experiência do docente? É o desenho do curso? É a entrega? o que mudará? - Que resultados estão a ser avaliados? a que nível? (What) - Quando deverá ser realizada a avaliação? (When) - Onde e como deverá ser realizada a avaliação? (Where) - Quem deverá estar envolvido? (Who) Questões para planear a avaliação:  (Cuseo)
Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 - Boas questões devem ser trabalhadas de forma clara e simples, sem serem enviesadas ou conduzidas  para obter uma resposta isenta.   - A cada questão deve corresponder um só assunto e apresentar  categorias de resposta adequadas. - As questões devem seguir uma ordem lógica indo, preferencialmente, do geral para o específico, deixando as questões mais pessoais para o final do instrumento de avaliação. Standards para obter respostas dos alunos: (Marsh)
Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 A aula encoraja os estudantes a uma participação activa no seu próprio processo de aprendizagem? É a aprendizagem fundamentada e efectiva, por exemplo: contextual, autentica, baseada em casos, exemplos? É encorajada a resolução de problemas de forma colaborativa? O feedback é compatível com o desempenho? - A Instrução integra componentes motivacionais para a auto-eficácia e desafio? Princípios para avaliar a aprendizagem  duradoura em salas de aula on-line: (Hacker & Neiderhauser)
Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 Dimensões da aprendizagem interactiva  que podem contribuir para a compreensão do que a instrução baseada na WEB pode comportar: (Reeves & Reeves) Papel do professor Suporte metacognitivo Aprendizagem colaborativa Sensibilidade cultural Flexibilidade estrutural Fonte de motivação Orientação da tarefa Teoria da aprendizagem Orientação dos objectivos Filosofia pedagógica
Conclusões do Estudo: 19-11-09 A maior parte dos cursos não cumprem os princípios preconizados para boas práticas.  “ This research found a great disjuncture between the guidelines suggested for effective teaching and learning and the principles that were evaluated by the end-of-course evaluation instruments. The absence of questions dealing specifically with the online environment suggests that many instruments used in the evaluation of online instruction were likely taken from traditional course settings and applied directly to evaluate computer-mediated instruction.”
Conclusões do Estudo: 19-11-09 As avaliações dos cursos são "tendenciosas", ou seja, incidem sobre aspectos que levam aos resultados desejados.  Houve princípios nem sequer abordados.  “ This failure to construct an instrument specific to the educational environment allows much important information to escape assessment and may introduce irrelevant questions and erroneous information into  the evaluation process. ”
Conclusões do Estudo: 19-11-09 Apenas 8 dos 18 princípios identificados como importantes para o ensino aprendizagem foram avaliados por esses instrumentos de avaliação.  Notavelmente ausentes estiveram perguntas sobre a cooperação entre os alunos e a aprendizagem activa, elementos importantes para a aprendizagem on-line.  Nenhuma das avaliações do curso questionou  se o aluno participou em conversas on-line com o "instrutor" ou colegas de turma durante o curso, embora o diálogo seja considerado fundamental como estratégia de ensino para a construção de uma comunidade de aprendizagem on-line.
Conclusões do Estudo: 19-11-09 “ A lesson learned from these observations is that evaluation instruments seem to include what someone decides to ask the students at a given time.”  Não parece que a teoria do que constitui a melhor  prática de ensino e de aprendizagem tenha sido considerada na elaboração destes instrumentos de avaliação.
Recomendações: 19-11-09 Com base nos princípios de Cuseo,  construir instrumentos de avaliação para o ensino - aprendizagem que permitam um "feedback" real sobre o curso implementado ou a implementar.    “ Results of this study suggest a need to go back to Cuseo’s guidelines and consciously make them the starting point for the construction or revision of any online course or faculty evaluation instrument .Before creating such an instrument, one might attempt to answer Cuseo’s questions (why, what, who, when and where).”
Recomendações: 19-11-09 Se os  sete princípios de Boas Práticas no Ensino de Graduação  deverão ser abordados nas questões de avaliação, deve-se ter certeza de que tal acontece.  Podem também ser consideradas as questões sugeridas por  princípios de Effective Teaching in the Classroom on-line,  a fim de reforçar a utilidade de um instrumento para  avaliação de cursos on-line.
19-11-09 Trabalho realizado por: Luciana Grof Maria Leal Sónia Valente Teresa Rafael

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação TICs
Avaliação TICsAvaliação TICs
Avaliação TICs
Márcia Claro
 
2ªTarefa 2.2
2ªTarefa 2.22ªTarefa 2.2
2ªTarefa 2.2
isabelsantosilva
 
S2 6
S2 6S2 6
Ana Violante - análise crítica
Ana Violante - análise críticaAna Violante - análise crítica
Ana Violante - análise crítica
Ana Violante
 
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto
AnáLise CríTica Ao Modelo De AutoAnáLise CríTica Ao Modelo De Auto
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto
candidaribeiro
 
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
biblioavrt2
 
Os nove jeitos mais comuns de avaliar
Os nove jeitos mais comuns de avaliarOs nove jeitos mais comuns de avaliar
Os nove jeitos mais comuns de avaliar
Maju Ramos
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
Ana Claudia Dalcin
 
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
mariaantoniadocarmo
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
Fernanda Esberard
 
Plano - Workshop
Plano - WorkshopPlano - Workshop
Plano - Workshop
rosarioduarte
 
12.avaliação mediadora
12.avaliação mediadora12.avaliação mediadora
12.avaliação mediadora
Gêrlan Cardoso da Silva
 
Sessão nº2
Sessão nº2Sessão nº2
Sessão nº2
cristinamlcoelho
 
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samyTecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
PROIDDBahiana
 
Apresentacao Modelo Auto Avaliacao Escola
Apresentacao Modelo Auto  Avaliacao EscolaApresentacao Modelo Auto  Avaliacao Escola
Apresentacao Modelo Auto Avaliacao Escola
Cristina Felício
 
Avaliar Para Quê
Avaliar Para QuêAvaliar Para Quê
Avaliar Para Quê
Paula Peres
 
Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4
rbento
 

Mais procurados (17)

Avaliação TICs
Avaliação TICsAvaliação TICs
Avaliação TICs
 
2ªTarefa 2.2
2ªTarefa 2.22ªTarefa 2.2
2ªTarefa 2.2
 
S2 6
S2 6S2 6
S2 6
 
Ana Violante - análise crítica
Ana Violante - análise críticaAna Violante - análise crítica
Ana Violante - análise crítica
 
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto
AnáLise CríTica Ao Modelo De AutoAnáLise CríTica Ao Modelo De Auto
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto
 
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
 
Os nove jeitos mais comuns de avaliar
Os nove jeitos mais comuns de avaliarOs nove jeitos mais comuns de avaliar
Os nove jeitos mais comuns de avaliar
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
 
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
 
Plano - Workshop
Plano - WorkshopPlano - Workshop
Plano - Workshop
 
12.avaliação mediadora
12.avaliação mediadora12.avaliação mediadora
12.avaliação mediadora
 
Sessão nº2
Sessão nº2Sessão nº2
Sessão nº2
 
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samyTecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
 
Apresentacao Modelo Auto Avaliacao Escola
Apresentacao Modelo Auto  Avaliacao EscolaApresentacao Modelo Auto  Avaliacao Escola
Apresentacao Modelo Auto Avaliacao Escola
 
Avaliar Para Quê
Avaliar Para QuêAvaliar Para Quê
Avaliar Para Quê
 
Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4
 

Destaque

Cael Resumo
Cael ResumoCael Resumo
Cael Resumo
Maria Leal
 
Quality Guidelines Herrington Et Al
Quality Guidelines Herrington Et AlQuality Guidelines Herrington Et Al
Quality Guidelines Herrington Et Al
Teresa Fernandes
 
Avaliacao Aprendizagens Online Doc
Avaliacao Aprendizagens Online DocAvaliacao Aprendizagens Online Doc
Avaliacao Aprendizagens Online Doc
Maria Leal
 
Analise E Reflexao(3)
Analise E Reflexao(3)Analise E Reflexao(3)
Analise E Reflexao(3)
Maria Leal
 
Act3(2)
Act3(2)Act3(2)
Act3(2)
Maria Leal
 
Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)
Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)
Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)
Maria Leal
 
E Learning Quality
E Learning QualityE Learning Quality
E Learning Quality
Maria Leal
 
Futuralia
FuturaliaFuturalia
Entrevista redes sociais_marialeal
Entrevista redes sociais_marialealEntrevista redes sociais_marialeal
Entrevista redes sociais_marialeal
Maria Leal
 
Identidade_Privacidade_GrupoI
Identidade_Privacidade_GrupoIIdentidade_Privacidade_GrupoI
Identidade_Privacidade_GrupoI
malmeidaUAB
 
Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Maria Leal
 
Análise de entrevista grupo leonard_odavinci
Análise de entrevista grupo leonard_odavinciAnálise de entrevista grupo leonard_odavinci
Análise de entrevista grupo leonard_odavinci
Maria Leal
 
Modelo De Avaliacao
Modelo De AvaliacaoModelo De Avaliacao
Modelo De Avaliacao
Maria Leal
 
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Maria Leal
 
C Ae L 2.2
C Ae L 2.2C Ae L 2.2
C Ae L 2.2
Maria Leal
 
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Maria Leal
 
E PortefóLios
E PortefóLiosE PortefóLios
E PortefóLios
Maria Leal
 
Proposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso Online
Proposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso OnlineProposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso Online
Proposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso Online
Maria Leal
 
Trabalho Cae Sandra Monica(2)
Trabalho Cae Sandra Monica(2)Trabalho Cae Sandra Monica(2)
Trabalho Cae Sandra Monica(2)
Maria Leal
 

Destaque (19)

Cael Resumo
Cael ResumoCael Resumo
Cael Resumo
 
Quality Guidelines Herrington Et Al
Quality Guidelines Herrington Et AlQuality Guidelines Herrington Et Al
Quality Guidelines Herrington Et Al
 
Avaliacao Aprendizagens Online Doc
Avaliacao Aprendizagens Online DocAvaliacao Aprendizagens Online Doc
Avaliacao Aprendizagens Online Doc
 
Analise E Reflexao(3)
Analise E Reflexao(3)Analise E Reflexao(3)
Analise E Reflexao(3)
 
Act3(2)
Act3(2)Act3(2)
Act3(2)
 
Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)
Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)
Avaliacao Em Contexto Online Perspectivas Ver Tr(2)
 
E Learning Quality
E Learning QualityE Learning Quality
E Learning Quality
 
Futuralia
FuturaliaFuturalia
Futuralia
 
Entrevista redes sociais_marialeal
Entrevista redes sociais_marialealEntrevista redes sociais_marialeal
Entrevista redes sociais_marialeal
 
Identidade_Privacidade_GrupoI
Identidade_Privacidade_GrupoIIdentidade_Privacidade_GrupoI
Identidade_Privacidade_GrupoI
 
Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3
 
Análise de entrevista grupo leonard_odavinci
Análise de entrevista grupo leonard_odavinciAnálise de entrevista grupo leonard_odavinci
Análise de entrevista grupo leonard_odavinci
 
Modelo De Avaliacao
Modelo De AvaliacaoModelo De Avaliacao
Modelo De Avaliacao
 
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
 
C Ae L 2.2
C Ae L 2.2C Ae L 2.2
C Ae L 2.2
 
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
 
E PortefóLios
E PortefóLiosE PortefóLios
E PortefóLios
 
Proposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso Online
Proposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso OnlineProposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso Online
Proposta De Modelo De AvaliaçãO De Um Curso Online
 
Trabalho Cae Sandra Monica(2)
Trabalho Cae Sandra Monica(2)Trabalho Cae Sandra Monica(2)
Trabalho Cae Sandra Monica(2)
 

Semelhante a Considerations for Developing Evaluations of Online Courses

Avaliação e Internet
Avaliação e InternetAvaliação e Internet
Avaliação e Internet
andreadc
 
E-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-line
E-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-lineE-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-line
E-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-line
Ministério da Educação
 
Proposta de design_final_de_avaliação
Proposta de design_final_de_avaliaçãoProposta de design_final_de_avaliação
Proposta de design_final_de_avaliação
Externato Secundário do Soito
 
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Adelaide Dias
 
# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD
# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD
# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD
TelEduc
 
Apresentacao maabe a_escola 4ªsessão
Apresentacao maabe a_escola 4ªsessãoApresentacao maabe a_escola 4ªsessão
Apresentacao maabe a_escola 4ªsessão
anabelavalentim
 
Iniciativa De Design Instrucional Em Uma Instituição De Ensino Superior
Iniciativa De Design Instrucional Em Uma  Instituição De Ensino SuperiorIniciativa De Design Instrucional Em Uma  Instituição De Ensino Superior
Iniciativa De Design Instrucional Em Uma Instituição De Ensino Superior
Interaction Design Association Chapter São Paulo
 
E PortefóLios Versaofinal
E PortefóLios VersaofinalE PortefóLios Versaofinal
Webquest uma metodologia de ensino e aprendizagem
Webquest uma metodologia de ensino e aprendizagemWebquest uma metodologia de ensino e aprendizagem
Webquest uma metodologia de ensino e aprendizagem
Maria Julia Rangel de Bonis
 
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
Margarida Mota
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
NoemiaMaria
 
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdfProjeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Olivia Moreira
 
Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...
Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...
Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...
Karlla Costa
 
Avaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_ed
Avaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_edAvaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_ed
Avaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_ed
Ana Paula Costa de Oliveira
 
Sessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexaoSessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexao
esperancasantos
 
Sessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexaoSessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexao
esperancasantos
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
escolawashington
 
Proposta De Modelo De Avaliacao 2
Proposta De Modelo De Avaliacao 2Proposta De Modelo De Avaliacao 2
Cp
CpCp
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
lurdesilva
 

Semelhante a Considerations for Developing Evaluations of Online Courses (20)

Avaliação e Internet
Avaliação e InternetAvaliação e Internet
Avaliação e Internet
 
E-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-line
E-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-lineE-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-line
E-Portefólios - Uma ferramenta de Avaliação de Cursos On-line
 
Proposta de design_final_de_avaliação
Proposta de design_final_de_avaliaçãoProposta de design_final_de_avaliação
Proposta de design_final_de_avaliação
 
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
 
# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD
# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD
# Avaliação Formativa em Ambientes de EaD
 
Apresentacao maabe a_escola 4ªsessão
Apresentacao maabe a_escola 4ªsessãoApresentacao maabe a_escola 4ªsessão
Apresentacao maabe a_escola 4ªsessão
 
Iniciativa De Design Instrucional Em Uma Instituição De Ensino Superior
Iniciativa De Design Instrucional Em Uma  Instituição De Ensino SuperiorIniciativa De Design Instrucional Em Uma  Instituição De Ensino Superior
Iniciativa De Design Instrucional Em Uma Instituição De Ensino Superior
 
E PortefóLios Versaofinal
E PortefóLios VersaofinalE PortefóLios Versaofinal
E PortefóLios Versaofinal
 
Webquest uma metodologia de ensino e aprendizagem
Webquest uma metodologia de ensino e aprendizagemWebquest uma metodologia de ensino e aprendizagem
Webquest uma metodologia de ensino e aprendizagem
 
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdfProjeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
 
Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...
Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...
Aula 7. texto zanon e althaus (2008). instrumentos de avaliação na pratica pe...
 
Avaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_ed
Avaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_edAvaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_ed
Avaliacao no design_instrucional_e_qualidade_da_ed
 
Sessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexaoSessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexao
 
Sessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexaoSessão 6 reflexao
Sessão 6 reflexao
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Proposta De Modelo De Avaliacao 2
Proposta De Modelo De Avaliacao 2Proposta De Modelo De Avaliacao 2
Proposta De Modelo De Avaliacao 2
 
Cp
CpCp
Cp
 
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
 

Último

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 

Considerations for Developing Evaluations of Online Courses

  • 1. CONSIDERATIONS FOR DEVELOPING EVALUATIONS OF ONLINE COURSES ACHTEMEIER, Sue D.; MORRIS, Libby, V.; FINNEGAN, Catherine L. Concepção e Avaliação em e-Learning
  • 2. Enquadramento 19-11-09 O texto é um estudo que classifica os princípios recolhidos a partir de uma extensa revisão da literatura que foca o que actualmente melhor se faz com vista a um ensino-aprendizagem eficaz em cursos on-line.     Nele, a partir de uma revisão dos instrumentos de avaliação actualmente em uso em  treze instituições da Geórgia e vários cursos on-line a nível nacional, procura encontrar-se a presença desses princípios nos itens recolhidos. (EUA)
  • 3. Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 As boas práticas no processo de ensino-aprendizagem devem: (Chickering & Gamson) Encorajar o contacto entre o aluno e o professor Encorajar a cooperação entre estudantes Encorajar a aprendizagem activa Enfatizar tempo na tarefa Comunicar expectativas altas Respeitar diversos talentos e formas de apreender
  • 4. Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 A avaliação deve ser precedida dos resultados a obter A avaliação deve distinguir as questões formativas e sumativas A avaliação tem de ter a forte capacidade de "buy-in“ Devem ser utilizados múltiplos métodos Os resultados da avaliação devem ser usados e partilhados - A própria avaliação deve ser avaliada Aspectos para a qualidade da avaliação : (Palomba & Banta)
  • 5. Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 Porque se realiza a avaliação? (Why) Foca o estudante ou a experiência do docente? É o desenho do curso? É a entrega? o que mudará? - Que resultados estão a ser avaliados? a que nível? (What) - Quando deverá ser realizada a avaliação? (When) - Onde e como deverá ser realizada a avaliação? (Where) - Quem deverá estar envolvido? (Who) Questões para planear a avaliação: (Cuseo)
  • 6. Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 - Boas questões devem ser trabalhadas de forma clara e simples, sem serem enviesadas ou conduzidas para obter uma resposta isenta.   - A cada questão deve corresponder um só assunto e apresentar  categorias de resposta adequadas. - As questões devem seguir uma ordem lógica indo, preferencialmente, do geral para o específico, deixando as questões mais pessoais para o final do instrumento de avaliação. Standards para obter respostas dos alunos: (Marsh)
  • 7. Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 A aula encoraja os estudantes a uma participação activa no seu próprio processo de aprendizagem? É a aprendizagem fundamentada e efectiva, por exemplo: contextual, autentica, baseada em casos, exemplos? É encorajada a resolução de problemas de forma colaborativa? O feedback é compatível com o desempenho? - A Instrução integra componentes motivacionais para a auto-eficácia e desafio? Princípios para avaliar a aprendizagem duradoura em salas de aula on-line: (Hacker & Neiderhauser)
  • 8. Ideias centrais que contribuem para a definição da qualidade da avaliação Enquadramento 19-11-09 Dimensões da aprendizagem interactiva que podem contribuir para a compreensão do que a instrução baseada na WEB pode comportar: (Reeves & Reeves) Papel do professor Suporte metacognitivo Aprendizagem colaborativa Sensibilidade cultural Flexibilidade estrutural Fonte de motivação Orientação da tarefa Teoria da aprendizagem Orientação dos objectivos Filosofia pedagógica
  • 9. Conclusões do Estudo: 19-11-09 A maior parte dos cursos não cumprem os princípios preconizados para boas práticas. “ This research found a great disjuncture between the guidelines suggested for effective teaching and learning and the principles that were evaluated by the end-of-course evaluation instruments. The absence of questions dealing specifically with the online environment suggests that many instruments used in the evaluation of online instruction were likely taken from traditional course settings and applied directly to evaluate computer-mediated instruction.”
  • 10. Conclusões do Estudo: 19-11-09 As avaliações dos cursos são "tendenciosas", ou seja, incidem sobre aspectos que levam aos resultados desejados. Houve princípios nem sequer abordados. “ This failure to construct an instrument specific to the educational environment allows much important information to escape assessment and may introduce irrelevant questions and erroneous information into  the evaluation process. ”
  • 11. Conclusões do Estudo: 19-11-09 Apenas 8 dos 18 princípios identificados como importantes para o ensino aprendizagem foram avaliados por esses instrumentos de avaliação. Notavelmente ausentes estiveram perguntas sobre a cooperação entre os alunos e a aprendizagem activa, elementos importantes para a aprendizagem on-line. Nenhuma das avaliações do curso questionou  se o aluno participou em conversas on-line com o "instrutor" ou colegas de turma durante o curso, embora o diálogo seja considerado fundamental como estratégia de ensino para a construção de uma comunidade de aprendizagem on-line.
  • 12. Conclusões do Estudo: 19-11-09 “ A lesson learned from these observations is that evaluation instruments seem to include what someone decides to ask the students at a given time.” Não parece que a teoria do que constitui a melhor  prática de ensino e de aprendizagem tenha sido considerada na elaboração destes instrumentos de avaliação.
  • 13. Recomendações: 19-11-09 Com base nos princípios de Cuseo, construir instrumentos de avaliação para o ensino - aprendizagem que permitam um "feedback" real sobre o curso implementado ou a implementar.  “ Results of this study suggest a need to go back to Cuseo’s guidelines and consciously make them the starting point for the construction or revision of any online course or faculty evaluation instrument .Before creating such an instrument, one might attempt to answer Cuseo’s questions (why, what, who, when and where).”
  • 14. Recomendações: 19-11-09 Se os sete princípios de Boas Práticas no Ensino de Graduação deverão ser abordados nas questões de avaliação, deve-se ter certeza de que tal acontece. Podem também ser consideradas as questões sugeridas por princípios de Effective Teaching in the Classroom on-line, a fim de reforçar a utilidade de um instrumento para  avaliação de cursos on-line.
  • 15. 19-11-09 Trabalho realizado por: Luciana Grof Maria Leal Sónia Valente Teresa Rafael