SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
TEMA:
  •   Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar


DESTINATÁRIOS:
  •   Equipa da BE, Direcção Executiva, Coordenadores de departamento,
      Representantes de disciplina e de ciclo, Coordenadores das áreas curriculares
      não disciplinares e Representante do Ensino Especial/SPO


OBJECTIVOS:
  •   Dar a conhecer a missão das Bibliotecas Escolares no século XXI
  •   Demonstrar a importância do Modelo de Auto-Avaliação para as Bibliotecas
      Escolares
  •   Entender os factores críticos de sucesso inerentes à sua aplicação
  •   Motivar para o envolvimento de todos os agentes educativos no processo de
      avaliação


RESPONSÁVEIS:
  •   Professoras bibliotecárias


RECURSOS:
  •   Projector multimédia
  •   Computador
  •   Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
  •   Grelha para identificação de oportunidades/constrangimentos


DURAÇÃO:
  •   3 horas
METODOLOGIA/ESTRUTURA:


   •   1ª parte - 45m
       - Apresentação temática com o apoio de um PowerPoint


   •   2ª parte – 1h 30m
       - Trabalho em pequeno grupo para a identificação de:
                 - Oportunidades e constrangimentos na sua aplicação tendo em conta a
                  realidade do agrupamento
                 - Propostas impulsionadoras da mudança


   •   3ª parte – 45 m
       – Debate - conclusões




TEMÁTICAS A ABORDAR:


A missão da Biblioteca Escolar do século XXI:
   •   A biblioteca escolar como agente informativo, transformativo e formativo.
   •   Parte integrante do processo educativo.
   •   “Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em
       conjunto, os alunos atingem níveis mais elevados de literacia, de leitura, de
       aprendizagem, de resolução de problemas e competências no domínio das
       tecnologias de informação e comunicação.” (Manifesto da Unesco/IFLA, 2000).


Pertinência da existência de um Modelo de Auto-Avaliação para as Bibliotecas
Escolares
   •   A gestão da mudança é feita através da recolha sistemática de evidências
       evidence based practice (Todd. 2001) que demonstram o impacto da BE na
       escola.
•   Este modelo é uma forma de aferir “como se está a concretizar o trabalho das
       Bibliotecas Escolares, tendo como pano de fundo essencial o seu contributo para
       as aprendizagens, para o sucesso educativo e para a promoção da aprendizagem
       ao longo da vida.” (Modelo de Auto-Avaliação, RBE, 2009).
   •   Permite contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE.
   •   Permite determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos para a
       BE estão ou não a ser alcançados.
   •   Permite identificar práticas com sucesso que deverão continuar a ser
       implementadas e permite identificar pontos fracos que se impõe melhorar.
   •   “A avaliação da BE deve ainda ser incorporada no processo de auto-avaliação da
       própria escola e deve articular-se com os objectivos do projecto educativo da
       escola.” (Modelo de Auto-Avaliação, RBE, 2009).


O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de melhoria. Conceitos implicados
   •   “Instrumento pedagógico e de melhoria contínua que permite aos órgãos
       directivos e aos coordenadores avaliar o trabalho da BE e o impacto desse
       trabalho no funcionamento global da escola e nas aprendizagens dos alunos”
       (Texto da Sessão, Módulo 2, 2009).
   •   Instrumento pedagógico e regulador, inerente à gestão, que permite identificar,
       através da recolha de evidências, as áreas de sucesso e aquelas que, por
       apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, contribuindo
       desta forma para a procura de uma melhoria contínua da Biblioteca Escolar.
   •   A avaliação não deve ser entendida como um fim e sim como um processo que
       conduz à reflexão e dá origem a mudanças concretas.


Organização estrutural e funcional
   •   O Modelo estruturado em quatro domínios, subdomínios e indicadores temáticos
       que se concretizam em diversos factores críticos de sucesso e que apontam para
       zonas nucleares de intervenção em cada domínio e recolha de evidências.
       A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular
         A. 1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os
              Docentes
         A. 2. Desenvolvimento da literacia da informação
B. Leitura e Literacias
       C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade
          C. 1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento
               Curricular
          C. 2. Projectos e parcerias
       D. Gestão da Biblioteca escolar
          D. 1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços
               prestados pela BE
          D. 2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços
          D. 3. Gestão da colecção/da informação


Integração/Aplicação à realidade da escola/biblioteca escolar. Oportunidades e
constrangimentos
   •   O Modelo de Auto-Avaliação deve ser aplicado de acordo com a realidade da
       escola/biblioteca escolar, pois permitirá identificar os pontos fortes e os pontos
       fracos, fazer mudanças quando elas são necessárias e definir objectivos e
       prioridades na construção de um plano de desenvolvimento futuro.
   •   Deve ser baseado em evidence based practice (Todd, 2001).


Gestão participada das mudanças que a sua aplicação impõe. Níveis de
participação da escola.
   •   Entre os factores decisivos para o sucesso da missão da BE destacam-se os
       níveis de colaboração entre os professores bibliotecários e os restantes
       professores da escola “na identificação de recursos e no desenvolvimento de
       actividades conjuntas orientadas para o sucesso do aluno; a acessibilidade dos
       serviços prestados; a adequação da colecção e dos recursos tecnológicos”
       (Modelo de Auto-Avaliação, RBE, 2009).
   •   A avaliação é um processo que deverá ser encarado pela escola como uma
       necessidade própria e não como algo que lhe é imposto do exterior, pois todos
       irão beneficiar com a análise e reflexão realizadas.
   •   O processo de auto-avaliação deverá mobilizar toda a escola, melhorando
       através da acção colectiva as possibilidades oferecidas pela BE.

                                                        Agrupamento de Escolas da Pontinha

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividades infantil
Atividades infantilAtividades infantil
Atividades infantilelizandrare
 
Como fazer uma Biografia
Como fazer uma BiografiaComo fazer uma Biografia
Como fazer uma BiografiaSchool help
 
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-salUnicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-salKatcavenum
 
História em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-Verbal
História em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-VerbalHistória em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-Verbal
História em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-VerbalTânia Regina
 
Contos de fadas
Contos de fadasContos de fadas
Contos de fadasczuzek
 
Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.
Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.
Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.teresinhan
 
Mini sequencia didática borboletinha
Mini sequencia didática borboletinhaMini sequencia didática borboletinha
Mini sequencia didática borboletinhaAntônio Fernandes
 
Doze lendas brasileiras como nasceram as estrelas - clarice lispector -
Doze lendas brasileiras   como nasceram as estrelas - clarice lispector -Doze lendas brasileiras   como nasceram as estrelas - clarice lispector -
Doze lendas brasileiras como nasceram as estrelas - clarice lispector -VALERIADEOLIVEIRALIM
 
Projeto de Leitura - Branca de Neve
Projeto de Leitura - Branca de NeveProjeto de Leitura - Branca de Neve
Projeto de Leitura - Branca de NeveDavid M. de Lima
 
Sequência didática o mágico de oz
Sequência didática   o mágico de ozSequência didática   o mágico de oz
Sequência didática o mágico de ozpibid ING
 
Quadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de Souza
Quadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de SouzaQuadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de Souza
Quadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de SouzaSolange Goulart
 
Adivinhas com animais
Adivinhas com animaisAdivinhas com animais
Adivinhas com animaisJosé Martins
 

Mais procurados (20)

Atividades infantil
Atividades infantilAtividades infantil
Atividades infantil
 
Como fazer uma Biografia
Como fazer uma BiografiaComo fazer uma Biografia
Como fazer uma Biografia
 
Leitura colaborativa
Leitura colaborativaLeitura colaborativa
Leitura colaborativa
 
Plano curso de alemã£o
Plano curso de alemã£oPlano curso de alemã£o
Plano curso de alemã£o
 
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-salUnicamp 3 vestibular 2012   gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal
 
História em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-Verbal
História em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-VerbalHistória em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-Verbal
História em Quadrinhos com Linguagem Verbal e Não-Verbal
 
Contos de fadas
Contos de fadasContos de fadas
Contos de fadas
 
Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.
Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.
Reescrita do conto classico Chapeuzinho Vermelho.
 
Mini sequencia didática borboletinha
Mini sequencia didática borboletinhaMini sequencia didática borboletinha
Mini sequencia didática borboletinha
 
Biografia Mauricio de Sousa
Biografia Mauricio de SousaBiografia Mauricio de Sousa
Biografia Mauricio de Sousa
 
Saresp 2010
Saresp 2010Saresp 2010
Saresp 2010
 
Doze lendas brasileiras como nasceram as estrelas - clarice lispector -
Doze lendas brasileiras   como nasceram as estrelas - clarice lispector -Doze lendas brasileiras   como nasceram as estrelas - clarice lispector -
Doze lendas brasileiras como nasceram as estrelas - clarice lispector -
 
Os três cabritinhos
Os três cabritinhosOs três cabritinhos
Os três cabritinhos
 
Vida e obra de Alice Vieira
Vida e obra de Alice Vieira  Vida e obra de Alice Vieira
Vida e obra de Alice Vieira
 
Carroça vazia
Carroça  vaziaCarroça  vazia
Carroça vazia
 
Projeto de Leitura - Branca de Neve
Projeto de Leitura - Branca de NeveProjeto de Leitura - Branca de Neve
Projeto de Leitura - Branca de Neve
 
Sequência didática o mágico de oz
Sequência didática   o mágico de ozSequência didática   o mágico de oz
Sequência didática o mágico de oz
 
O rabo do gato
O rabo do gatoO rabo do gato
O rabo do gato
 
Quadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de Souza
Quadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de SouzaQuadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de Souza
Quadro de rotina do 1º ano Professora Orientadora Solange Goulart de Souza
 
Adivinhas com animais
Adivinhas com animaisAdivinhas com animais
Adivinhas com animais
 

Destaque

Destaque (10)

Avaliação Do Workshop III
Avaliação Do Workshop IIIAvaliação Do Workshop III
Avaliação Do Workshop III
 
Plano - workshop comentário
Plano - workshop comentárioPlano - workshop comentário
Plano - workshop comentário
 
Projeto LITEA
Projeto LITEAProjeto LITEA
Projeto LITEA
 
Workshop Ppt
Workshop PptWorkshop Ppt
Workshop Ppt
 
Gerais Especificos Rosário M7
Gerais Especificos  Rosário M7Gerais Especificos  Rosário M7
Gerais Especificos Rosário M7
 
Coaching education
Coaching educationCoaching education
Coaching education
 
Projeto workshop 2011
Projeto workshop 2011Projeto workshop 2011
Projeto workshop 2011
 
Workshop coaching arte do sucesso em carreira
Workshop coaching arte do sucesso em carreiraWorkshop coaching arte do sucesso em carreira
Workshop coaching arte do sucesso em carreira
 
Education coaching
Education coachingEducation coaching
Education coaching
 
Coaching Education
Coaching EducationCoaching Education
Coaching Education
 

Semelhante a Plano - Workshop

Workshop 1ª Parte
Workshop 1ª ParteWorkshop 1ª Parte
Workshop 1ª ParteMARIA NOGUE
 
Analise Critica Ao Modelo De Auto SessãO2
Analise Critica Ao Modelo De Auto  SessãO2Analise Critica Ao Modelo De Auto  SessãO2
Analise Critica Ao Modelo De Auto SessãO2Gloria Lopes
 
Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)Suzana Marquês
 
Tarefa 2 AnáLise CríTica
Tarefa 2   AnáLise CríTicaTarefa 2   AnáLise CríTica
Tarefa 2 AnáLise CríTicaHélia Jacob
 
Modelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de PenacovaModelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de PenacovaDanielaSantos
 
Modelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEModelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEDanielaSantos
 
Apresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe PenacovaApresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe PenacovaLurdes Dias
 
Powerpoint Sessao 3 Helia Pereira
Powerpoint Sessao 3   Helia PereiraPowerpoint Sessao 3   Helia Pereira
Powerpoint Sessao 3 Helia PereiraHélia Jacob
 
Analise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessão
Analise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessãoAnalise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessão
Analise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessãoanabelavalentim
 
Analise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela VarejaoAnalise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela VarejaoManuela Varejao
 
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2   Analise Critica Mod Auto AvTarefa 2   Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Avaevisobibliovis
 
Auto Avali Be
Auto Avali BeAuto Avali Be
Auto Avali Bejebrites
 
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]franciscarolla
 
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silvalurdesilva
 
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...subranco
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be CarrazedaModelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be CarrazedaBe Carrazeda
 
Workshop 2ª Parte
Workshop 2ª ParteWorkshop 2ª Parte
Workshop 2ª ParteMARIA NOGUE
 

Semelhante a Plano - Workshop (20)

Analise Critica Mavbe
Analise Critica MavbeAnalise Critica Mavbe
Analise Critica Mavbe
 
Workshop
WorkshopWorkshop
Workshop
 
Workshop 1ª Parte
Workshop 1ª ParteWorkshop 1ª Parte
Workshop 1ª Parte
 
Analise Critica Ao Modelo De Auto SessãO2
Analise Critica Ao Modelo De Auto  SessãO2Analise Critica Ao Modelo De Auto  SessãO2
Analise Critica Ao Modelo De Auto SessãO2
 
Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)
 
Tarefa 2 AnáLise CríTica
Tarefa 2   AnáLise CríTicaTarefa 2   AnáLise CríTica
Tarefa 2 AnáLise CríTica
 
Modelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de PenacovaModelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
 
Modelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEModelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BE
 
Apresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe PenacovaApresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe Penacova
 
Powerpoint Sessao 3 Helia Pereira
Powerpoint Sessao 3   Helia PereiraPowerpoint Sessao 3   Helia Pereira
Powerpoint Sessao 3 Helia Pereira
 
Tarefa 2
Tarefa 2Tarefa 2
Tarefa 2
 
Analise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessão
Analise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessãoAnalise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessão
Analise critica ao_modelo_de_auto_avaliacao_das_b_es -3ªsessão
 
Analise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela VarejaoAnalise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela Varejao
 
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2   Analise Critica Mod Auto AvTarefa 2   Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Av
 
Auto Avali Be
Auto Avali BeAuto Avali Be
Auto Avali Be
 
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
 
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
 
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be CarrazedaModelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
 
Workshop 2ª Parte
Workshop 2ª ParteWorkshop 2ª Parte
Workshop 2ª Parte
 

Mais de rosarioduarte

Sintese Modulo Drelvt8 01
Sintese Modulo Drelvt8 01Sintese Modulo Drelvt8 01
Sintese Modulo Drelvt8 01rosarioduarte
 
Power Point comentado
Power Point comentadoPower Point comentado
Power Point comentadorosarioduarte
 
Power Point comentado
Power Point comentadoPower Point comentado
Power Point comentadorosarioduarte
 
Powerpoint comentado
Powerpoint comentadoPowerpoint comentado
Powerpoint comentadorosarioduarte
 
Power Point de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Power Point de divulgação do processo de Auto-AvaliaçãoPower Point de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Power Point de divulgação do processo de Auto-Avaliaçãorosarioduarte
 
Power Point de divulgação do processo Auto avaliação
Power Point de divulgação do processo Auto avaliaçãoPower Point de divulgação do processo Auto avaliação
Power Point de divulgação do processo Auto avaliaçãorosarioduarte
 
Apresentação de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Apresentação de divulgação do processo de Auto-AvaliaçãoApresentação de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Apresentação de divulgação do processo de Auto-Avaliaçãorosarioduarte
 
Plano de Avaliação
Plano de AvaliaçãoPlano de Avaliação
Plano de Avaliaçãorosarioduarte
 
Plano de avaliação
Plano de avaliaçãoPlano de avaliação
Plano de avaliaçãorosarioduarte
 
Análise e comentário crítico
Análise  e comentário críticoAnálise  e comentário crítico
Análise e comentário críticorosarioduarte
 
Análise e comentário crítico
Análise  e comentário críticoAnálise  e comentário crítico
Análise e comentário críticorosarioduarte
 
Enunciados gerais - Específicos
Enunciados gerais - EspecíficosEnunciados gerais - Específicos
Enunciados gerais - Específicosrosarioduarte
 
Enunciados gerais - específicos
Enunciados gerais - específicosEnunciados gerais - específicos
Enunciados gerais - específicosrosarioduarte
 

Mais de rosarioduarte (20)

Quadro RosáRio M6
Quadro RosáRio M6Quadro RosáRio M6
Quadro RosáRio M6
 
Sintese Modulo Drelvt8 01
Sintese Modulo Drelvt8 01Sintese Modulo Drelvt8 01
Sintese Modulo Drelvt8 01
 
Power Point comentado
Power Point comentadoPower Point comentado
Power Point comentado
 
Power Point comentado
Power Point comentadoPower Point comentado
Power Point comentado
 
Powerpoint comentado
Powerpoint comentadoPowerpoint comentado
Powerpoint comentado
 
Power Point de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Power Point de divulgação do processo de Auto-AvaliaçãoPower Point de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Power Point de divulgação do processo de Auto-Avaliação
 
Power Point de divulgação do processo Auto avaliação
Power Point de divulgação do processo Auto avaliaçãoPower Point de divulgação do processo Auto avaliação
Power Point de divulgação do processo Auto avaliação
 
Apresentação de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Apresentação de divulgação do processo de Auto-AvaliaçãoApresentação de divulgação do processo de Auto-Avaliação
Apresentação de divulgação do processo de Auto-Avaliação
 
Plano de Avaliação
Plano de AvaliaçãoPlano de Avaliação
Plano de Avaliação
 
Plano de avaliação
Plano de avaliaçãoPlano de avaliação
Plano de avaliação
 
Acções futuras
Acções futurasAcções futuras
Acções futuras
 
Acções futuras
Acções futurasAcções futuras
Acções futuras
 
Tabela
TabelaTabela
Tabela
 
Tabela
TabelaTabela
Tabela
 
Análise e comentário crítico
Análise  e comentário críticoAnálise  e comentário crítico
Análise e comentário crítico
 
Análise e comentário crítico
Análise  e comentário críticoAnálise  e comentário crítico
Análise e comentário crítico
 
Quadro
QuadroQuadro
Quadro
 
Quadro
QuadroQuadro
Quadro
 
Enunciados gerais - Específicos
Enunciados gerais - EspecíficosEnunciados gerais - Específicos
Enunciados gerais - Específicos
 
Enunciados gerais - específicos
Enunciados gerais - específicosEnunciados gerais - específicos
Enunciados gerais - específicos
 

Último

Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdfApresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdfCarlos Gomes
 
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdfConcurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdfGuilhermeRodrigues896381
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Dirceu Resende
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfRodolpho Concurde
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)Alessandro Almeida
 
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdfCertificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdfLarissa Souza
 

Último (6)

Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdfApresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
 
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdfConcurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdfCertificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
 

Plano - Workshop

  • 1. TEMA: • Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar DESTINATÁRIOS: • Equipa da BE, Direcção Executiva, Coordenadores de departamento, Representantes de disciplina e de ciclo, Coordenadores das áreas curriculares não disciplinares e Representante do Ensino Especial/SPO OBJECTIVOS: • Dar a conhecer a missão das Bibliotecas Escolares no século XXI • Demonstrar a importância do Modelo de Auto-Avaliação para as Bibliotecas Escolares • Entender os factores críticos de sucesso inerentes à sua aplicação • Motivar para o envolvimento de todos os agentes educativos no processo de avaliação RESPONSÁVEIS: • Professoras bibliotecárias RECURSOS: • Projector multimédia • Computador • Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares • Grelha para identificação de oportunidades/constrangimentos DURAÇÃO: • 3 horas
  • 2. METODOLOGIA/ESTRUTURA: • 1ª parte - 45m - Apresentação temática com o apoio de um PowerPoint • 2ª parte – 1h 30m - Trabalho em pequeno grupo para a identificação de: - Oportunidades e constrangimentos na sua aplicação tendo em conta a realidade do agrupamento - Propostas impulsionadoras da mudança • 3ª parte – 45 m – Debate - conclusões TEMÁTICAS A ABORDAR: A missão da Biblioteca Escolar do século XXI: • A biblioteca escolar como agente informativo, transformativo e formativo. • Parte integrante do processo educativo. • “Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os alunos atingem níveis mais elevados de literacia, de leitura, de aprendizagem, de resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação.” (Manifesto da Unesco/IFLA, 2000). Pertinência da existência de um Modelo de Auto-Avaliação para as Bibliotecas Escolares • A gestão da mudança é feita através da recolha sistemática de evidências evidence based practice (Todd. 2001) que demonstram o impacto da BE na escola.
  • 3. Este modelo é uma forma de aferir “como se está a concretizar o trabalho das Bibliotecas Escolares, tendo como pano de fundo essencial o seu contributo para as aprendizagens, para o sucesso educativo e para a promoção da aprendizagem ao longo da vida.” (Modelo de Auto-Avaliação, RBE, 2009). • Permite contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE. • Permite determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos para a BE estão ou não a ser alcançados. • Permite identificar práticas com sucesso que deverão continuar a ser implementadas e permite identificar pontos fracos que se impõe melhorar. • “A avaliação da BE deve ainda ser incorporada no processo de auto-avaliação da própria escola e deve articular-se com os objectivos do projecto educativo da escola.” (Modelo de Auto-Avaliação, RBE, 2009). O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de melhoria. Conceitos implicados • “Instrumento pedagógico e de melhoria contínua que permite aos órgãos directivos e aos coordenadores avaliar o trabalho da BE e o impacto desse trabalho no funcionamento global da escola e nas aprendizagens dos alunos” (Texto da Sessão, Módulo 2, 2009). • Instrumento pedagógico e regulador, inerente à gestão, que permite identificar, através da recolha de evidências, as áreas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, contribuindo desta forma para a procura de uma melhoria contínua da Biblioteca Escolar. • A avaliação não deve ser entendida como um fim e sim como um processo que conduz à reflexão e dá origem a mudanças concretas. Organização estrutural e funcional • O Modelo estruturado em quatro domínios, subdomínios e indicadores temáticos que se concretizam em diversos factores críticos de sucesso e que apontam para zonas nucleares de intervenção em cada domínio e recolha de evidências. A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A. 1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os Docentes A. 2. Desenvolvimento da literacia da informação
  • 4. B. Leitura e Literacias C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade C. 1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento Curricular C. 2. Projectos e parcerias D. Gestão da Biblioteca escolar D. 1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE D. 2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços D. 3. Gestão da colecção/da informação Integração/Aplicação à realidade da escola/biblioteca escolar. Oportunidades e constrangimentos • O Modelo de Auto-Avaliação deve ser aplicado de acordo com a realidade da escola/biblioteca escolar, pois permitirá identificar os pontos fortes e os pontos fracos, fazer mudanças quando elas são necessárias e definir objectivos e prioridades na construção de um plano de desenvolvimento futuro. • Deve ser baseado em evidence based practice (Todd, 2001). Gestão participada das mudanças que a sua aplicação impõe. Níveis de participação da escola. • Entre os factores decisivos para o sucesso da missão da BE destacam-se os níveis de colaboração entre os professores bibliotecários e os restantes professores da escola “na identificação de recursos e no desenvolvimento de actividades conjuntas orientadas para o sucesso do aluno; a acessibilidade dos serviços prestados; a adequação da colecção e dos recursos tecnológicos” (Modelo de Auto-Avaliação, RBE, 2009). • A avaliação é um processo que deverá ser encarado pela escola como uma necessidade própria e não como algo que lhe é imposto do exterior, pois todos irão beneficiar com a análise e reflexão realizadas. • O processo de auto-avaliação deverá mobilizar toda a escola, melhorando através da acção colectiva as possibilidades oferecidas pela BE. Agrupamento de Escolas da Pontinha