SlideShare uma empresa Scribd logo
Tutor a distância – Talita de Moraes Marcelino
1
Centro de Educação a Distância
Universidade Anhanguera – Uniderp
Literatura Infantil
CINTIA LOURENÇO 2307352607
EDICLEIA BUENO BATISTA 2317374697
GISELE DE F. P. MATULOVIC 2330444243
GERUSALDA EMILIO 7320542263
Piracicaba – S.P.
2013
2
Introdução
No mundo que envolve o contexto educativo da literatura infantil, todas as histórias são fascinantes,
existem muitos escritores conceituados no tema de contos e estória da literatura. Utilizar esse recurso
pedagógica, é uma forma de admitir a influencia que o estimulo da imaginação tem no desenvolvimento
humano, os contos e histórias trabalham essa formação de forma divertida, criando um mundo
encantador, e facilitando o ensino aprendizagem, pois através deles é possível, trabalhar, conceitos,
educação, princípios morais, entre outros conteúdos didáticos. Os contos possibilitam ao individuo a
ampliação da visão do mundo em que se vive, possibilitando a analise critica de varias ângulos e
contextos para uma conclusão mais eficaz e ampla. Sendo assim esta apresentação objetiva se por
demonstrar a influencia da literatura no desenvolvimento e formação do individuo, como também dentro
do ensino aprendizagem nas unidades escolares, e nos projetos desenvolvidos. A importância da
reescrita que demonstra a visão de vários participantes, como também a necessidade de gravuras para
representar as histórias e prender a atenção do aluno, afinal vivemos em um momento mundial
desenvolvido tecnologicamente, o que faz com seja um grande desafio fazer da escola um local de
aprendizado lúdico e de qualidade.
3
A literatura infantil e seus caminhos.
A aquisição de conhecimentos se faz necessário no desenvolvimento infantil, partindo dessa suposição,
analisamos que a literatura infantil se faz extremamente necessário para que isso ocorra, também sendo
eficiente na aquisição do processo de aprendizagem de leitura e escrita, como também na socialização,
treino memorial e imaginário.
“bons livros poderão ser presentes e grandes fontes de prazer e conhecimento.
Descobrir estes sentimentos desde bebezinhos poderá ser uma excelente conquista
para toda a vida.” (Silva, 1992, p.47)
Por volta do fim do século XIX, o pais passa por um processo de evolução, modernizando o conceito de
educação. A população passa a ter mais acesso e interesse pela cultura, leitura, escrita, escolarização,
fazendo da escola um local de extrema necessidade para a evolução e convívio social.
Com essas rupturas, a literatura obteve o seu espaço, tornando se necessária na valorização educativa,
fazendo parte integrante do contexto escolar dos meios acadêmicos. Os livros de estórias e contos
tornaram se parte do conteúdo de português dentro das escolas, denominados Literatura Infantil.
4
A literatura infantil e seus caminhos.
Partindo desse pressuposto, as obras que são fornecidas as crianças, tornam se um grande incentivo ao
aprendizado escolar, estabelecendo o contato entre o real e o imaginário, trazendo ao aluno novas
culturas, conhecimentos de novos lugares, ampliando horizontes.
Com essas modificações o professor passa a ter um papel primordial no processo de ensino
aprendizagem, proporcionando aos alunos a possibilidade de um desenvolvimento mais amplo e que
transmite segurança, ampliando o conhecimento, e desenvolvimento a capacidade de raciocínio critico.
A estória acrescenta ao aprendizado o conceito geográfico de tempo, espaço, como regras, conceito moral
e ético, comportamento social, respeito ao próximo.
Logo através da literatura infantil torna se possível o professor trabalhar vários conteúdos, como português,
matemática, história, geografia, ciências, etc. Afinal ler e contar estórias e contos é fazer as crianças e
adolescentes pensar, questionar, raciocinar.
O professor deve ter a consciência de que a Literatura é um grande recurso pedagógico, e que se
trabalhado da forma correta ele traz inúmeras possibilidades de formação do individuo.
5
A importância da ilustração de livros literários infantis.
Atualmente existem estudos que comprovam que alunos que aprendem com contos e histórias têm
maior desempenho em sua evolução pedagógico e qualidade do ensino aprendizagem. Através da
leitura conhecemos novos mundos, aprendemos a criar novos conceitos e ideias, o livro ilustrados
mexe muito mais com o imaginário, prendendo a atenção, fascinando e encantando a todos. As
imagens falam tanto quanto a escrita, é possível através delas concluir uma história completa,
criando ideias, desenvolvendo o interesse pelos livros, e por ai vai.
O trabalho literário com a criança, ainda mais enriquecedora, pois através da imagem elas podem
compreender a narrativa, criando mentalmente os fatos relatados, e o mais interessante é que isso
ocorre de forma espontânea, natural.
A ilustração de um livro é tão importante quanto o texto escrito, pois ele traz vida, conquista as
crianças, prende a atenção, desenvolve o imaginário, cria novas possibilidades. Em um mundo
tecnologicamente evoluído, as imagens passaram de simples ilustrações, para necessidades no
contexto de leitura, tanto que nos últimos anos elas tem se destacado dentro da literatura,
demonstrando sua importância.
6
A importância da ilustração de livros literários infantis.
O exemplo disso são os livros em três D, que formam castelos, mares, casas de alto relevo, na
abertura da pagina, também existem livros com gravuras enfeitadas, como exemplo um livro de
pirata que mostra o mapa do tesouro, ale de ser em alto relevo, ele ainda trás pedras vitrais para
simbolizar o tesouro do pirata.
Esses projetos gráficos, deixam claro a importância e a diferença do entre o livro ilustrado e o sem
ilustração. Já que na era do computador, com o fenômeno da informatização o livro na visão da
criança e adolescente, tornam se tão desnecessários e desinteressantes.
Atualmente não devemos esquecer e nem desvalorizar os E-books que são os atuais livros virtuais,
e que estão se tornando de suma importância no ensino aprendizagem das crianças, porém ele
ainda é um recurso que esta disponibilizado apenas para as escolas privadas de classe alta. As
escolas publicas que atendem em sua maioria as classes média e baixa ainda não foram
privilegiadas com os livros virtuais.
7
Contos e suas adaptações. (Chapeuzinho Vermelho)
As obras de chapeuzinho vermelho, em nossas pesquisas foi observado que os contextos gerais das
histórias são as mesmas, o que muda é o final, ou seja, a mensagem que se tem por objetivo transmitir.
Em épocas antigas os contos não era inocentes, eles normalmente tinham um final trágico, medonhos e
sangrentos, diferente dos contos mais recentes, que possuem um caráter, dócil e inocente, com finais
lindos e felizes. O conto de chapeuzinho vermelho tem várias versões inclusive a que o lobo a devora
de forma sangrenta, depois de a ter colocado em uma armadilha, como também devora a vovó da
mesma forma, bem ao estilo animal, arrancando pedaço a pedaço. Diferente da atual versão onde o
lobo, “seduz” chapeuzinho, descobre para onde ela vai, pega um atalho e chega antes, devora as duas,
porém o lenhador as salvam, e coloca pedras na barriga do lobo enquanto ele dormia e ele tem uma
grande indigestão, e todos acabam vivos e felizes para sempre. Como também existe uma versão mais
quente da história, onde chapeuzinho vai levar o lanchinho da vovó, encontra o lobo, e virar o lanchinho
do lobo, refletindo a sexualidade, nas falas sempre ficam claras as frases de duplo sentido, onde
chapeuzinho mantém relações com o lobo.
8
Contos e suas adaptações.
Atualmente foi criado uma nova versão, onde existe um pouquinho de todas as outras, tanto a parte
inocente como as traições, sexo, mentiras e mortes, a Menina da Capa Vermelha tem como
característica principal a classificação de idade, pois ela não é voltada para o publico infantil, mas sim
para o juvenil.
Como também existe uma versão cinematográfica, de chapeuzinho voltado para o infantil, onde os
personagem participam de uma investigação policial, e o inocente coelhinho é o culpado do crime, o
lobo mal é bom e amigo da chapeuzinho, e na continuidade a vovó é uma espinha que luta, e
chapeuzinho uma heroína, em alguns momentos prepotente e convencida, e teimosa.
Logo analisando as varias versões, analisamos que os contos são readaptados conforme a época, ou
seja, cada uma tem suas influencias, sejam elas, éticas, sociais, religiosas, com punições, ou
pornográficas.
Porém todas terminam com uma lição de moral, para refletirmos sobre os fatos incorretos, que
envolvem a moralidade das épocas, ou com mensagens que assustavam as mocinhas e mocinhos,
com o intuito reflexivo, demonstrando que toda ação tem uma reação.
9
Contos e suas adaptações. (A cigarra e a formiga)
O que mais se destaca nas diferenças é a parecia dos insetos envolvidos, pois no conto da Disney a
cigarra parece mais com um gafanhoto.
Mas o enredo no geral é o mesmo, demonstrando conceitos de aproveitamento e ironia por parte da
cigarra, que canta o verão todo, e ainda tenta transvias a formiga que esta trabalhando. Sendo assim
a formiga se interessa pela bagunça da cantoria e começa a dançar o que irrita a rainha do
formigueiro que faz com a pequena formiga retorne ao trabalho, e a mesma obediente o faz.
A cigarra por sua vez continua com suas canções e danças, ignorando o ciclo da vida, acreditando
que sempre estará bem agindo daquela forma.
Logo quando chega o inferno a cigarra se vê acuada com a falta de alimentos e resolve pedir ajuda a
formiguinha que por sua vez, a auxilia, porém mais uma vez tem a interferência da rainha que é a
chefe do grupo e a cigarra fica triste e vai logo se retirando. Entra nessa parte a visão de lição de
moral, pois a atitude da rainha é positiva, aceitando a cigarra, ajudando e a alimentando, mas como
tudo tem um preço, a cigarra é obrigada a cantar e animar o formigueiro.
Ambas as versões deixam clara que todos que suas qualidades e significado no mundo natural, e
todos acabam felizes para sempre.
10
Discussões teóricas.
A leitura demonstra a importância da literatura infantil no contexto educativo, tanto escolar,
como social e familiar na formação do individuo. Analisamos que apesar de serem
consideradas simples histórias que foram criadas para divertir e encantar as crianças, elas são
muito influentes na formação de conceitos e ideias, despertando, o pensamento critico e
formação de opiniões.
Sendo assim os contos de fadas, são essenciais apoios pedagógicos, um recurso significativo
ao professor, para o desenvolvimento do trabalho qualitativo, e com marcas na formação dos
alunos, tornando o ensino aprendizagem divertido e encantado, podendo dizem fascinante.
Com a utilização da literatura na formação do individuo, o professor possibilita a inserção de
um novo mundo, mesmo que imaginário, criando possibilidades e marcas na personalidade,
internalizando valores e princípios éticos e morais.
Porém o professor deve ter a consciência de deixar claro que são contos, e que devemos
diferenciar a realidade do fictício. Pois se não for assim a criança poderá criar um mundo
inexistentes, em seu contexto de formação individual, formando assim personalidades
ilusórias.
11
Discussões teóricas.
Para que fique clara nossas colocações em relação ao texto, analisamos o livro “Até as princesas
soltam PUM”, que deixa bem claro que nem sempre a vida real deve ser inspirada nos contos de
fadas. O educador deve utilizar os contos, para formar de forma significativa a criança, porém
deixando claro que são contos de fadas, e que deve se aproveitar o que ele tem de bom, e não
fantasiar coisas que são impossíveis de se viver. Deve se analisar e viabilizar critérios para a
utilização dos contos de fadas no contexto educativo, seja ela no contexto de formação social e
cognitiva, como também na leitura e escrita. O professor também deve analisar a influencia das
novas tecnologias, na formação da criança, e despertar o interesse pela leitura, sejam ela clássicas
ou não. Vivemos em um País em que a leitura não é tradicionalismo, e com a chegada da
tecnologia, tudo tornou se mais difícil em relação a formação de leitores. Porém existem meios de
integrar o tradicionalismo dos livros a virtualidade inserida atualmente no mundo, e cabe ao
professores dar o primeiro passo e criam estratégias para que esse processo aconteça de forma
simples e natural. Formando crianças cultas e interessadas na leitura e escrita, de um bom livro ,
seja ele virtual ou tradicional, fazem da literatura infantil e o habito da leitura, o marco da educação
e formação do individuo.
12
13
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
RA UMA VEZ, UMA MENININHA, MUITO TEIMOSA E DESOBEDIENTE,
NÃO RESPEITAVA NADA E NEM NINGUÉM, ELA TINHA O COSTUME
DE SAIR SEM AVISAR. SUMIA E DEIXA TODOS MUITO
PREOCUPADOS, SEM SE IMPORTAR COM AS CONSEQUÊNCIAS.
ESSA GAROTINHA MORAVA EM UMA CASINHA NA FLORESTA, COM
O PAPAI E A MAMÃE E SEU NOME CARINHOSO ERA CACHINHOS
DOURADOS.
14
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
A MENINA ADORAVA SAIR EM MEIO A FLORESTA SEM RUMO,
PEGAR BICHOS E FAZER O QUE BEM ENTENDESSE, ELA ERA
CORAJOSA NÃO TEMIA A NADA, NEM MESMO QUANDO CAIA A
NOITE...
CACHINHOS DOURADOS, SAIA NA FLORESTA ESCURA, E ANDAVA
PARA QUALQUER LADO, PROCURANDO ALGO PRA FAZER.
15
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
ATÉ QUE UM DIA NESSES PASSEIO DE FIM DE TARDE E CAIR DE
NOITE, DIANTE DAQUELE SOL POENTE, A PEQUENINA CACHINHOS
DOURADOS SE PERDE EM MEIO A FLORESTA, TUDO ISSO PORQUE
ELA FOI CORRER ATRÁS DE UM PEQUENO COELHINHO.
16
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
DEPOIS DE MUITO ANDAR, A MENINA CANSADA ADORMECEU NA
FLORESTA, SEM PREOCUPAÇÕES, ENCOSTADA EM UM GRANDE
ARVORE.
ENQUANTO ELA DORMIA, A FLORESTA ACORDAVA, TODOS OS
BICHOS NOTURNOS FAZIAM MUITO BARULHO, MAS ELA NEM SE
MEXIA, ESTAVA EM UM SONO PROFUNDO.
17
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
E AO NASCER DO SOL, CACHINHOS DOURADO DESPERTA COM OS RAIOS DE LUZ REFLETINDO EM
SEU ROSTO, DE PELE CLARO E TAMANHA BELEZA.
A MENINA OLHA A SUA VOLTA, PROCURANDO A QUAL DIREÇÃO SEGUIR, POIS ESTAVA FAMINTA.
OLHOU, OLHOU, OLHOU, ESCOLHEU O LADO A SEGUIR E SE LEVANTOU.
18
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
FOI QUANDO DEPOIS DE MUITO ANDAR, AVISTOU UMA GRACIOSA CASINHA EM MEIO A FLORESTA,
A MENINA QUE NADA TINHA DE BOA EDUCAÇÃO, JÁ FOI ENTRANDO, LOGO AVISTOU TRÊS
TAMANHOS DE TUDO QUE HAVIA DENTRO DA CASINHA, UM PRATO GRANDE, UM MÉDIO, UM
PEQUENO, CADEIRAS E CAMAS DO MESMO JEITO. FOI QUANDO ELA RESOLVEU PROVAR O QUE
HAVIA NO PRATO, JÁ QUE ESTAVA FAMINTA. PROVOU. UM ESTAVA MUITO QUENTE, OUTRO MUITO
FRIO, O OUTRO ESTAVA PERFEITO E ELA SE DELICIOU, COMEU TUDO SEM RECEIO.
19
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
DEPOIS DE TER SE ALIMENTADO, CACHINHOS DE OUTRO CAIU NOVAMENTE EM UM SONO
PROFUNDO, QUANDO ACORDOU OLHOU A SUA VOLTA E VIU TRÊS URSOS, UM PEQUENO, UM
MÉDIO E UM GRANDE. ELA TENTOU ESCAPAR, MAS NÃO TEVE JEITO, O URSO MAIOR A
SEGUROU, E DISSE MUITO BRAVO.
-VOCÊ INVADIU NOSSA CASA, COMEU NOSSA COMIGA E DORMIU NA NOSSA CAMA, SEM NOSSA
AUTORIZAÇÃO, AGORA IRA SER PUNIDA. OS URSOS SE AJEITARAM EM UM CANTO E FICARAM
ESCOLHENDO QUAL SERIO O CASTIGO DA MENINA.
20
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
DEPOIS MEU MUITO PENSAR, E FICAR OLHANDO A MENINA DESESPERADA A CHORAR, OS
URSOS DECIDIRAM CORTAR OS CACHOS LOIRO DA MENINA, E O QUE SOBRASSE DE
CABELO ELES PINTARIAM DE VERMELHO, COM UM PIGMENTO UTILIZADO EM SUAS
REFEIÇÕES QUE ELES CHAMAVAM DE URUCUM.
O URSO GRANDE SEGUROU A CABEÇA DA MENINA ENQUANTO O MÉDIO COM A
MACHADINHA ESCALPELAVA OS CACHINHOS LOIRINHOS, DEPOIS DE CORTADO VEIO O
PEQUENINO URSO, COM UM LIQUIDO AVERMELHADO E JOGO NA CABEÇA DELA, E O QUE
RESTOU DE CABELO FOI FICANDO MUITO VERMELHO.
21
CACHINHOS DOURADOS (RECONTO)
OS URSOS TERMINARAM O CASTIGO E FORAM COMER, LOGO O SONO VEIO E OS TRÊS
ADORMECERAM. A MENINA APROVEITOU A OPORTUNIDADE E FUGIU, SAIU CORRENDO
PELA FLORESTA, FOI QUANDO AVISTOU UM RIO, E SE OLHOU... ELA FICOU FEIA E CHOROU
MUITO, FOI QUANDO SE APROXIMOU UM CAÇADOR E A LEVOU PARA CASA.
CONTOU TUDO QUE ACONTECEU AOS PAIS, E PROMETEU NUNCA MAIS DESOBEDECER E
FUGIR DE CASA. CACHINHOS DOURADOS, OU MELHOR VERMELHINHA, PASSOU A SER UMA
MENINA CALMA E OBEDIENTE E LOGO OS SEUS CABEÇOS LOIROS E CACHEADOS
VOLTARAM A CRESCER. E TODOS VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE.
FIM
22
Considerações Finais
Através das pesquisas realizadas concluímos que, as estórias e contos podem ser
modificadas conforme a imaginação de cada um, sendo que a interpretação também é
realizada de forma que cada leitor considere viável a si mesmo. Como também que os
contos e estórias clássicas em sua maioria foram criadas dentro do contexto atual da
realidade da mesma, sendo por influencia ou pra influenciar, nos conceitos e formação do
individuo.
As novas tecnologias tem feito da formação de leitores um desafio dentro do contexto
escolar, sendo que cabe ao professor abordar de forma criativa o conteúdo para prender a
atenção do aluno, sendo possível intercalar e trabalhar em conjunto as mídias e os livros de
contos tradicionais.
Concluímos que o recurso pedagógico dos contos é uma grande arma na formação do
individuo e que cabe a nós futuras pedagogas aprender como trabalhar adequadamente
com esse recurso, para a formação de leitores críticos e interessados, e que isso deve
ocorrer de forma lúdica.
23
Referências Bibliográficas
COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil: Teoria, Análise e Didática. São Paulo: Ed. Moderna,
2010 (PLT 487).
GRIMM, Irmãos. Chapeuzinho Vermelho e outros contos. Trad. Ana Maria Machado. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=26727 – acesso em 19/05/2013
http://www.allposters.com.br/-sp/Cachinhos-Dourados-e-os-3-Ursos-posters_i1373288_.htm -
acesso em 18/05/2013
http://www.infoescola.com/literatura/literatura-infantil/ - acesso em 19/05/2013
http://www.mudandodeassunto.com/o-lado-oculto-dos-contos-de-fada/ - acesso em 20/05/2013
http://www.youtube.com/watch?v=9olZ8qBSQeg – acesso em 17/05/2013
http://www.youtube.com/watch?v=ibk_fLakSfc – acesso em 18/05/2013
PERRAULT, Charles. Chapeuzinho Vermelho. Trad. Rosa Freira D’Aguiar. São Paulo: Cia das
Letrinhas, 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Literatura infantil Adriano
Literatura infantil AdrianoLiteratura infantil Adriano
Literatura infantil Adriano
Adriano De Campos
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativa
Ana Paula Cecato
 
Atps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficialAtps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficial
Regina Gidzinski
 
A importância da literatura
A importância da literaturaA importância da literatura
A importância da literatura
Thais Bueno
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
Joana Melazzo
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slides
estercotrim
 
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leituraProjeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Amanda Freitas
 
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
Universidade Federal de Roraima
 
Slide seminário
Slide seminárioSlide seminário
Slide seminário
Silvana Menezes
 
Literatura na educação infantil
Literatura na educação infantilLiteratura na educação infantil
Literatura na educação infantil
Jacqueline Campos
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
Gerdian Teixeira
 
Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantil
Ana Paula Cecato
 
Literatura infantil e juvenil aula2
Literatura  infantil e juvenil   aula2Literatura  infantil e juvenil   aula2
Literatura infantil e juvenil aula2
Carla Karinne Oliveira
 
A literatura infantil na escola
A literatura infantil na escolaA literatura infantil na escola
A literatura infantil na escola
UESPI - PI
 
Viagem encantada através da leitura
Viagem encantada através da leituraViagem encantada através da leitura
Viagem encantada através da leitura
Regina Muniz
 
Quem conta um conto aumenta um ponto
Quem conta um conto aumenta um pontoQuem conta um conto aumenta um ponto
Quem conta um conto aumenta um ponto
raimundapequeno
 
Contos na educação infantil
Contos na educação infantilContos na educação infantil
Contos na educação infantil
Rosângela Gonçalves
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenil
bielsvl14
 
Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma
Norma Almeida
 
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLALiteratura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Magno Oliveira
 

Mais procurados (20)

Literatura infantil Adriano
Literatura infantil AdrianoLiteratura infantil Adriano
Literatura infantil Adriano
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativa
 
Atps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficialAtps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficial
 
A importância da literatura
A importância da literaturaA importância da literatura
A importância da literatura
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slides
 
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leituraProjeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
Projeto de Pesquisa: A Literatura Infantil no desenvolvimento da leitura
 
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
 
Slide seminário
Slide seminárioSlide seminário
Slide seminário
 
Literatura na educação infantil
Literatura na educação infantilLiteratura na educação infantil
Literatura na educação infantil
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantil
 
Literatura infantil e juvenil aula2
Literatura  infantil e juvenil   aula2Literatura  infantil e juvenil   aula2
Literatura infantil e juvenil aula2
 
A literatura infantil na escola
A literatura infantil na escolaA literatura infantil na escola
A literatura infantil na escola
 
Viagem encantada através da leitura
Viagem encantada através da leituraViagem encantada através da leitura
Viagem encantada através da leitura
 
Quem conta um conto aumenta um ponto
Quem conta um conto aumenta um pontoQuem conta um conto aumenta um ponto
Quem conta um conto aumenta um ponto
 
Contos na educação infantil
Contos na educação infantilContos na educação infantil
Contos na educação infantil
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenil
 
Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma
 
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLALiteratura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
 

Destaque

Atps literatura infantil
Atps literatura infantilAtps literatura infantil
Atps literatura infantil
Paulo Wanderson
 
SEMINARIO DE PESQUISA
SEMINARIO DE PESQUISA SEMINARIO DE PESQUISA
SEMINARIO DE PESQUISA
Karlla Costa
 
A literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do GloboA literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do Globo
+ Aloisio Magalhães
 
Atividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerio
Atividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerioAtividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerio
Atividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerio
Cisco Kunsagi
 
Literatura infantil brasileira
Literatura infantil brasileiraLiteratura infantil brasileira
Literatura infantil brasileira
Silvana Aranda
 
Monografia Rita Pedagogia 2012
Monografia Rita Pedagogia 2012Monografia Rita Pedagogia 2012
Monografia Rita Pedagogia 2012
Biblioteca Campus VII
 
Noções de literatura infantil
Noções de literatura infantilNoções de literatura infantil
Noções de literatura infantil
ma.no.el.ne.ves
 
Portefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anosPortefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anos
bib2009
 
livro infantil
livro infantillivro infantil
livro infantil
Adila Trubat
 
Como surgiu a didática
Como surgiu a didáticaComo surgiu a didática
Como surgiu a didática
Karina Mareci
 
Musica na Educação Infantil
Musica  na  Educação InfantilMusica  na  Educação Infantil
Musica na Educação Infantil
lucavao2010
 
Psicomotricidade - 1
Psicomotricidade - 1Psicomotricidade - 1
Psicomotricidade - 1
Educação Infantil
 
Aula de psicomotricidade, 26 02-12 1
Aula de psicomotricidade, 26 02-12  1Aula de psicomotricidade, 26 02-12  1
Aula de psicomotricidade, 26 02-12 1
Miguel Aquino
 
Projeto literatura infantil
Projeto literatura infantilProjeto literatura infantil
Projeto literatura infantil
Shirley Costa
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
rivanialeao
 
A música na educação infantil
A música na educação infantilA música na educação infantil
A música na educação infantil
jaqueegervasio
 
Uma HistóRia De Cores
Uma HistóRia De CoresUma HistóRia De Cores
Uma HistóRia De Cores
Bé E Alice
 
Projeto Música na escola
Projeto Música na escolaProjeto Música na escola
Projeto Música na escola
Venicio Borges
 
Psicomotricidade e Aprendizagem
Psicomotricidade e AprendizagemPsicomotricidade e Aprendizagem
Psicomotricidade e Aprendizagem
fulviafosco
 
31 atividades motoras
31 atividades motoras31 atividades motoras
31 atividades motoras
SimoneHelenDrumond
 

Destaque (20)

Atps literatura infantil
Atps literatura infantilAtps literatura infantil
Atps literatura infantil
 
SEMINARIO DE PESQUISA
SEMINARIO DE PESQUISA SEMINARIO DE PESQUISA
SEMINARIO DE PESQUISA
 
A literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do GloboA literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do Globo
 
Atividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerio
Atividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerioAtividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerio
Atividade colaborativa estratégia dinâmica e competitiva paulo rogerio
 
Literatura infantil brasileira
Literatura infantil brasileiraLiteratura infantil brasileira
Literatura infantil brasileira
 
Monografia Rita Pedagogia 2012
Monografia Rita Pedagogia 2012Monografia Rita Pedagogia 2012
Monografia Rita Pedagogia 2012
 
Noções de literatura infantil
Noções de literatura infantilNoções de literatura infantil
Noções de literatura infantil
 
Portefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anosPortefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anos
 
livro infantil
livro infantillivro infantil
livro infantil
 
Como surgiu a didática
Como surgiu a didáticaComo surgiu a didática
Como surgiu a didática
 
Musica na Educação Infantil
Musica  na  Educação InfantilMusica  na  Educação Infantil
Musica na Educação Infantil
 
Psicomotricidade - 1
Psicomotricidade - 1Psicomotricidade - 1
Psicomotricidade - 1
 
Aula de psicomotricidade, 26 02-12 1
Aula de psicomotricidade, 26 02-12  1Aula de psicomotricidade, 26 02-12  1
Aula de psicomotricidade, 26 02-12 1
 
Projeto literatura infantil
Projeto literatura infantilProjeto literatura infantil
Projeto literatura infantil
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
 
A música na educação infantil
A música na educação infantilA música na educação infantil
A música na educação infantil
 
Uma HistóRia De Cores
Uma HistóRia De CoresUma HistóRia De Cores
Uma HistóRia De Cores
 
Projeto Música na escola
Projeto Música na escolaProjeto Música na escola
Projeto Música na escola
 
Psicomotricidade e Aprendizagem
Psicomotricidade e AprendizagemPsicomotricidade e Aprendizagem
Psicomotricidade e Aprendizagem
 
31 atividades motoras
31 atividades motoras31 atividades motoras
31 atividades motoras
 

Semelhante a Atps -literatura_infantil

Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantil
mkbariotto
 
Adriana franciellen erika
Adriana  franciellen erikaAdriana  franciellen erika
Adriana franciellen erika
Fernando Pissuto
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura ok
Marcia Silva
 
Contador de Histórias
Contador de HistóriasContador de Histórias
Contador de Histórias
Ainsf Eder Dalberto
 
Contagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantilContagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantil
cefaprodematupa
 
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De NeveProjeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Escola BN
 
trabalho
trabalhotrabalho
Rita cristina professor inovador
Rita cristina  professor inovadorRita cristina  professor inovador
Rita cristina professor inovador
SimoneHelenDrumond
 
10 rita cristina professor inovador
10 rita cristina  professor inovador10 rita cristina  professor inovador
10 rita cristina professor inovador
SimoneHelenDrumond
 
A importância de contar histórias
A importância de contar históriasA importância de contar histórias
A importância de contar histórias
Margarete Tesch
 
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTILA ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
Rossita Figueira
 
Atps lite (2)
Atps lite (2)Atps lite (2)
Atps lite (2)
Hosana Souza
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
Pedro da Silva
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
Rossita Figueira
 
Slides idalice
Slides   idaliceSlides   idalice
Slides idalice
Idalice Cruz Araujo
 
Arte10
Arte10Arte10
Arte10
renatotf
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
Fernando Pissuto
 
Programa de Oficinas
Programa de OficinasPrograma de Oficinas
Programa de Oficinas
marianasimsim
 
Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..
Pedro França
 
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramentoLiteratura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Ana Lúcia Hennemann
 

Semelhante a Atps -literatura_infantil (20)

Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantil
 
Adriana franciellen erika
Adriana  franciellen erikaAdriana  franciellen erika
Adriana franciellen erika
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura ok
 
Contador de Histórias
Contador de HistóriasContador de Histórias
Contador de Histórias
 
Contagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantilContagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantil
 
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De NeveProjeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
Projeto De Literatura Infantil Da Branca De Neve
 
trabalho
trabalhotrabalho
trabalho
 
Rita cristina professor inovador
Rita cristina  professor inovadorRita cristina  professor inovador
Rita cristina professor inovador
 
10 rita cristina professor inovador
10 rita cristina  professor inovador10 rita cristina  professor inovador
10 rita cristina professor inovador
 
A importância de contar histórias
A importância de contar históriasA importância de contar histórias
A importância de contar histórias
 
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTILA ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
 
Atps lite (2)
Atps lite (2)Atps lite (2)
Atps lite (2)
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
 
Slides idalice
Slides   idaliceSlides   idalice
Slides idalice
 
Arte10
Arte10Arte10
Arte10
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
 
Programa de Oficinas
Programa de OficinasPrograma de Oficinas
Programa de Oficinas
 
Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..
 
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramentoLiteratura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
Literatura infantil auxilio no processo de alfabetização e letramento
 

Mais de mkbariotto

TCC - Universidade do sagrado coração
TCC - Universidade do sagrado coraçãoTCC - Universidade do sagrado coração
TCC - Universidade do sagrado coração
mkbariotto
 
Tcc anhanguera a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc anhanguera   a dificuldade no ensino de leitura na educaçãoTcc anhanguera   a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc anhanguera a dificuldade no ensino de leitura na educação
mkbariotto
 
Tcc a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc   a dificuldade no ensino de leitura na educaçãoTcc   a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc a dificuldade no ensino de leitura na educação
mkbariotto
 
Supremo blá blá-blá
Supremo blá blá-bláSupremo blá blá-blá
Supremo blá blá-blá
mkbariotto
 
Relatorio estagio pedagogia_thais f. uliana
Relatorio estagio pedagogia_thais f. ulianaRelatorio estagio pedagogia_thais f. uliana
Relatorio estagio pedagogia_thais f. uliana
mkbariotto
 
Pscopedagogia a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...
Pscopedagogia   a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...Pscopedagogia   a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...
Pscopedagogia a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...
mkbariotto
 
Proposta de trabalho semana das crianças
Proposta de trabalho semana das criançasProposta de trabalho semana das crianças
Proposta de trabalho semana das crianças
mkbariotto
 
Projeto multidisciplinar iii autodesenvolvimento
Projeto multidisciplinar iii   autodesenvolvimentoProjeto multidisciplinar iii   autodesenvolvimento
Projeto multidisciplinar iii autodesenvolvimento
mkbariotto
 
Pec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidade
Pec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidadePec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidade
Pec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidade
mkbariotto
 
Pe template autodesenvolvimento_políticas educacionais
Pe template autodesenvolvimento_políticas educacionaisPe template autodesenvolvimento_políticas educacionais
Pe template autodesenvolvimento_políticas educacionais
mkbariotto
 
Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015
Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015
Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015
mkbariotto
 
Mapa conceitual
Mapa conceitualMapa conceitual
Mapa conceitual
mkbariotto
 
Ee template autodesenvolvimento_educação especial
Ee template autodesenvolvimento_educação especialEe template autodesenvolvimento_educação especial
Ee template autodesenvolvimento_educação especial
mkbariotto
 
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionaisCp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionais
mkbariotto
 
Colorir terapia
Colorir   terapiaColorir   terapia
Colorir terapia
mkbariotto
 
TCC - Facon
TCC - FaconTCC - Facon
TCC - Facon
mkbariotto
 
Caderno de estagio ef
Caderno de estagio efCaderno de estagio ef
Caderno de estagio ef
mkbariotto
 
Caderno de estágio ed inf 2014 - anhanguera
Caderno de estágio ed inf 2014 - anhangueraCaderno de estágio ed inf 2014 - anhanguera
Caderno de estágio ed inf 2014 - anhanguera
mkbariotto
 
Caderno de estágio ed inf 2014 trabalho de conclusão do
Caderno de estágio ed inf 2014   trabalho de conclusão doCaderno de estágio ed inf 2014   trabalho de conclusão do
Caderno de estágio ed inf 2014 trabalho de conclusão do
mkbariotto
 
Banner anhanguera
Banner anhangueraBanner anhanguera
Banner anhanguera
mkbariotto
 

Mais de mkbariotto (20)

TCC - Universidade do sagrado coração
TCC - Universidade do sagrado coraçãoTCC - Universidade do sagrado coração
TCC - Universidade do sagrado coração
 
Tcc anhanguera a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc anhanguera   a dificuldade no ensino de leitura na educaçãoTcc anhanguera   a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc anhanguera a dificuldade no ensino de leitura na educação
 
Tcc a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc   a dificuldade no ensino de leitura na educaçãoTcc   a dificuldade no ensino de leitura na educação
Tcc a dificuldade no ensino de leitura na educação
 
Supremo blá blá-blá
Supremo blá blá-bláSupremo blá blá-blá
Supremo blá blá-blá
 
Relatorio estagio pedagogia_thais f. uliana
Relatorio estagio pedagogia_thais f. ulianaRelatorio estagio pedagogia_thais f. uliana
Relatorio estagio pedagogia_thais f. uliana
 
Pscopedagogia a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...
Pscopedagogia   a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...Pscopedagogia   a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...
Pscopedagogia a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais na...
 
Proposta de trabalho semana das crianças
Proposta de trabalho semana das criançasProposta de trabalho semana das crianças
Proposta de trabalho semana das crianças
 
Projeto multidisciplinar iii autodesenvolvimento
Projeto multidisciplinar iii   autodesenvolvimentoProjeto multidisciplinar iii   autodesenvolvimento
Projeto multidisciplinar iii autodesenvolvimento
 
Pec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidade
Pec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidadePec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidade
Pec aula 5_colaborativa_template extensão à comunidade
 
Pe template autodesenvolvimento_políticas educacionais
Pe template autodesenvolvimento_políticas educacionaisPe template autodesenvolvimento_políticas educacionais
Pe template autodesenvolvimento_políticas educacionais
 
Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015
Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015
Normalização de-trabalhos-academicos-e-produção-cientifica-2015
 
Mapa conceitual
Mapa conceitualMapa conceitual
Mapa conceitual
 
Ee template autodesenvolvimento_educação especial
Ee template autodesenvolvimento_educação especialEe template autodesenvolvimento_educação especial
Ee template autodesenvolvimento_educação especial
 
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionaisCp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionais
 
Colorir terapia
Colorir   terapiaColorir   terapia
Colorir terapia
 
TCC - Facon
TCC - FaconTCC - Facon
TCC - Facon
 
Caderno de estagio ef
Caderno de estagio efCaderno de estagio ef
Caderno de estagio ef
 
Caderno de estágio ed inf 2014 - anhanguera
Caderno de estágio ed inf 2014 - anhangueraCaderno de estágio ed inf 2014 - anhanguera
Caderno de estágio ed inf 2014 - anhanguera
 
Caderno de estágio ed inf 2014 trabalho de conclusão do
Caderno de estágio ed inf 2014   trabalho de conclusão doCaderno de estágio ed inf 2014   trabalho de conclusão do
Caderno de estágio ed inf 2014 trabalho de conclusão do
 
Banner anhanguera
Banner anhangueraBanner anhanguera
Banner anhanguera
 

Atps -literatura_infantil

  • 1. Tutor a distância – Talita de Moraes Marcelino 1 Centro de Educação a Distância Universidade Anhanguera – Uniderp Literatura Infantil CINTIA LOURENÇO 2307352607 EDICLEIA BUENO BATISTA 2317374697 GISELE DE F. P. MATULOVIC 2330444243 GERUSALDA EMILIO 7320542263 Piracicaba – S.P. 2013
  • 2. 2 Introdução No mundo que envolve o contexto educativo da literatura infantil, todas as histórias são fascinantes, existem muitos escritores conceituados no tema de contos e estória da literatura. Utilizar esse recurso pedagógica, é uma forma de admitir a influencia que o estimulo da imaginação tem no desenvolvimento humano, os contos e histórias trabalham essa formação de forma divertida, criando um mundo encantador, e facilitando o ensino aprendizagem, pois através deles é possível, trabalhar, conceitos, educação, princípios morais, entre outros conteúdos didáticos. Os contos possibilitam ao individuo a ampliação da visão do mundo em que se vive, possibilitando a analise critica de varias ângulos e contextos para uma conclusão mais eficaz e ampla. Sendo assim esta apresentação objetiva se por demonstrar a influencia da literatura no desenvolvimento e formação do individuo, como também dentro do ensino aprendizagem nas unidades escolares, e nos projetos desenvolvidos. A importância da reescrita que demonstra a visão de vários participantes, como também a necessidade de gravuras para representar as histórias e prender a atenção do aluno, afinal vivemos em um momento mundial desenvolvido tecnologicamente, o que faz com seja um grande desafio fazer da escola um local de aprendizado lúdico e de qualidade.
  • 3. 3 A literatura infantil e seus caminhos. A aquisição de conhecimentos se faz necessário no desenvolvimento infantil, partindo dessa suposição, analisamos que a literatura infantil se faz extremamente necessário para que isso ocorra, também sendo eficiente na aquisição do processo de aprendizagem de leitura e escrita, como também na socialização, treino memorial e imaginário. “bons livros poderão ser presentes e grandes fontes de prazer e conhecimento. Descobrir estes sentimentos desde bebezinhos poderá ser uma excelente conquista para toda a vida.” (Silva, 1992, p.47) Por volta do fim do século XIX, o pais passa por um processo de evolução, modernizando o conceito de educação. A população passa a ter mais acesso e interesse pela cultura, leitura, escrita, escolarização, fazendo da escola um local de extrema necessidade para a evolução e convívio social. Com essas rupturas, a literatura obteve o seu espaço, tornando se necessária na valorização educativa, fazendo parte integrante do contexto escolar dos meios acadêmicos. Os livros de estórias e contos tornaram se parte do conteúdo de português dentro das escolas, denominados Literatura Infantil.
  • 4. 4 A literatura infantil e seus caminhos. Partindo desse pressuposto, as obras que são fornecidas as crianças, tornam se um grande incentivo ao aprendizado escolar, estabelecendo o contato entre o real e o imaginário, trazendo ao aluno novas culturas, conhecimentos de novos lugares, ampliando horizontes. Com essas modificações o professor passa a ter um papel primordial no processo de ensino aprendizagem, proporcionando aos alunos a possibilidade de um desenvolvimento mais amplo e que transmite segurança, ampliando o conhecimento, e desenvolvimento a capacidade de raciocínio critico. A estória acrescenta ao aprendizado o conceito geográfico de tempo, espaço, como regras, conceito moral e ético, comportamento social, respeito ao próximo. Logo através da literatura infantil torna se possível o professor trabalhar vários conteúdos, como português, matemática, história, geografia, ciências, etc. Afinal ler e contar estórias e contos é fazer as crianças e adolescentes pensar, questionar, raciocinar. O professor deve ter a consciência de que a Literatura é um grande recurso pedagógico, e que se trabalhado da forma correta ele traz inúmeras possibilidades de formação do individuo.
  • 5. 5 A importância da ilustração de livros literários infantis. Atualmente existem estudos que comprovam que alunos que aprendem com contos e histórias têm maior desempenho em sua evolução pedagógico e qualidade do ensino aprendizagem. Através da leitura conhecemos novos mundos, aprendemos a criar novos conceitos e ideias, o livro ilustrados mexe muito mais com o imaginário, prendendo a atenção, fascinando e encantando a todos. As imagens falam tanto quanto a escrita, é possível através delas concluir uma história completa, criando ideias, desenvolvendo o interesse pelos livros, e por ai vai. O trabalho literário com a criança, ainda mais enriquecedora, pois através da imagem elas podem compreender a narrativa, criando mentalmente os fatos relatados, e o mais interessante é que isso ocorre de forma espontânea, natural. A ilustração de um livro é tão importante quanto o texto escrito, pois ele traz vida, conquista as crianças, prende a atenção, desenvolve o imaginário, cria novas possibilidades. Em um mundo tecnologicamente evoluído, as imagens passaram de simples ilustrações, para necessidades no contexto de leitura, tanto que nos últimos anos elas tem se destacado dentro da literatura, demonstrando sua importância.
  • 6. 6 A importância da ilustração de livros literários infantis. O exemplo disso são os livros em três D, que formam castelos, mares, casas de alto relevo, na abertura da pagina, também existem livros com gravuras enfeitadas, como exemplo um livro de pirata que mostra o mapa do tesouro, ale de ser em alto relevo, ele ainda trás pedras vitrais para simbolizar o tesouro do pirata. Esses projetos gráficos, deixam claro a importância e a diferença do entre o livro ilustrado e o sem ilustração. Já que na era do computador, com o fenômeno da informatização o livro na visão da criança e adolescente, tornam se tão desnecessários e desinteressantes. Atualmente não devemos esquecer e nem desvalorizar os E-books que são os atuais livros virtuais, e que estão se tornando de suma importância no ensino aprendizagem das crianças, porém ele ainda é um recurso que esta disponibilizado apenas para as escolas privadas de classe alta. As escolas publicas que atendem em sua maioria as classes média e baixa ainda não foram privilegiadas com os livros virtuais.
  • 7. 7 Contos e suas adaptações. (Chapeuzinho Vermelho) As obras de chapeuzinho vermelho, em nossas pesquisas foi observado que os contextos gerais das histórias são as mesmas, o que muda é o final, ou seja, a mensagem que se tem por objetivo transmitir. Em épocas antigas os contos não era inocentes, eles normalmente tinham um final trágico, medonhos e sangrentos, diferente dos contos mais recentes, que possuem um caráter, dócil e inocente, com finais lindos e felizes. O conto de chapeuzinho vermelho tem várias versões inclusive a que o lobo a devora de forma sangrenta, depois de a ter colocado em uma armadilha, como também devora a vovó da mesma forma, bem ao estilo animal, arrancando pedaço a pedaço. Diferente da atual versão onde o lobo, “seduz” chapeuzinho, descobre para onde ela vai, pega um atalho e chega antes, devora as duas, porém o lenhador as salvam, e coloca pedras na barriga do lobo enquanto ele dormia e ele tem uma grande indigestão, e todos acabam vivos e felizes para sempre. Como também existe uma versão mais quente da história, onde chapeuzinho vai levar o lanchinho da vovó, encontra o lobo, e virar o lanchinho do lobo, refletindo a sexualidade, nas falas sempre ficam claras as frases de duplo sentido, onde chapeuzinho mantém relações com o lobo.
  • 8. 8 Contos e suas adaptações. Atualmente foi criado uma nova versão, onde existe um pouquinho de todas as outras, tanto a parte inocente como as traições, sexo, mentiras e mortes, a Menina da Capa Vermelha tem como característica principal a classificação de idade, pois ela não é voltada para o publico infantil, mas sim para o juvenil. Como também existe uma versão cinematográfica, de chapeuzinho voltado para o infantil, onde os personagem participam de uma investigação policial, e o inocente coelhinho é o culpado do crime, o lobo mal é bom e amigo da chapeuzinho, e na continuidade a vovó é uma espinha que luta, e chapeuzinho uma heroína, em alguns momentos prepotente e convencida, e teimosa. Logo analisando as varias versões, analisamos que os contos são readaptados conforme a época, ou seja, cada uma tem suas influencias, sejam elas, éticas, sociais, religiosas, com punições, ou pornográficas. Porém todas terminam com uma lição de moral, para refletirmos sobre os fatos incorretos, que envolvem a moralidade das épocas, ou com mensagens que assustavam as mocinhas e mocinhos, com o intuito reflexivo, demonstrando que toda ação tem uma reação.
  • 9. 9 Contos e suas adaptações. (A cigarra e a formiga) O que mais se destaca nas diferenças é a parecia dos insetos envolvidos, pois no conto da Disney a cigarra parece mais com um gafanhoto. Mas o enredo no geral é o mesmo, demonstrando conceitos de aproveitamento e ironia por parte da cigarra, que canta o verão todo, e ainda tenta transvias a formiga que esta trabalhando. Sendo assim a formiga se interessa pela bagunça da cantoria e começa a dançar o que irrita a rainha do formigueiro que faz com a pequena formiga retorne ao trabalho, e a mesma obediente o faz. A cigarra por sua vez continua com suas canções e danças, ignorando o ciclo da vida, acreditando que sempre estará bem agindo daquela forma. Logo quando chega o inferno a cigarra se vê acuada com a falta de alimentos e resolve pedir ajuda a formiguinha que por sua vez, a auxilia, porém mais uma vez tem a interferência da rainha que é a chefe do grupo e a cigarra fica triste e vai logo se retirando. Entra nessa parte a visão de lição de moral, pois a atitude da rainha é positiva, aceitando a cigarra, ajudando e a alimentando, mas como tudo tem um preço, a cigarra é obrigada a cantar e animar o formigueiro. Ambas as versões deixam clara que todos que suas qualidades e significado no mundo natural, e todos acabam felizes para sempre.
  • 10. 10 Discussões teóricas. A leitura demonstra a importância da literatura infantil no contexto educativo, tanto escolar, como social e familiar na formação do individuo. Analisamos que apesar de serem consideradas simples histórias que foram criadas para divertir e encantar as crianças, elas são muito influentes na formação de conceitos e ideias, despertando, o pensamento critico e formação de opiniões. Sendo assim os contos de fadas, são essenciais apoios pedagógicos, um recurso significativo ao professor, para o desenvolvimento do trabalho qualitativo, e com marcas na formação dos alunos, tornando o ensino aprendizagem divertido e encantado, podendo dizem fascinante. Com a utilização da literatura na formação do individuo, o professor possibilita a inserção de um novo mundo, mesmo que imaginário, criando possibilidades e marcas na personalidade, internalizando valores e princípios éticos e morais. Porém o professor deve ter a consciência de deixar claro que são contos, e que devemos diferenciar a realidade do fictício. Pois se não for assim a criança poderá criar um mundo inexistentes, em seu contexto de formação individual, formando assim personalidades ilusórias.
  • 11. 11 Discussões teóricas. Para que fique clara nossas colocações em relação ao texto, analisamos o livro “Até as princesas soltam PUM”, que deixa bem claro que nem sempre a vida real deve ser inspirada nos contos de fadas. O educador deve utilizar os contos, para formar de forma significativa a criança, porém deixando claro que são contos de fadas, e que deve se aproveitar o que ele tem de bom, e não fantasiar coisas que são impossíveis de se viver. Deve se analisar e viabilizar critérios para a utilização dos contos de fadas no contexto educativo, seja ela no contexto de formação social e cognitiva, como também na leitura e escrita. O professor também deve analisar a influencia das novas tecnologias, na formação da criança, e despertar o interesse pela leitura, sejam ela clássicas ou não. Vivemos em um País em que a leitura não é tradicionalismo, e com a chegada da tecnologia, tudo tornou se mais difícil em relação a formação de leitores. Porém existem meios de integrar o tradicionalismo dos livros a virtualidade inserida atualmente no mundo, e cabe ao professores dar o primeiro passo e criam estratégias para que esse processo aconteça de forma simples e natural. Formando crianças cultas e interessadas na leitura e escrita, de um bom livro , seja ele virtual ou tradicional, fazem da literatura infantil e o habito da leitura, o marco da educação e formação do individuo.
  • 12. 12
  • 13. 13 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) RA UMA VEZ, UMA MENININHA, MUITO TEIMOSA E DESOBEDIENTE, NÃO RESPEITAVA NADA E NEM NINGUÉM, ELA TINHA O COSTUME DE SAIR SEM AVISAR. SUMIA E DEIXA TODOS MUITO PREOCUPADOS, SEM SE IMPORTAR COM AS CONSEQUÊNCIAS. ESSA GAROTINHA MORAVA EM UMA CASINHA NA FLORESTA, COM O PAPAI E A MAMÃE E SEU NOME CARINHOSO ERA CACHINHOS DOURADOS.
  • 14. 14 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) A MENINA ADORAVA SAIR EM MEIO A FLORESTA SEM RUMO, PEGAR BICHOS E FAZER O QUE BEM ENTENDESSE, ELA ERA CORAJOSA NÃO TEMIA A NADA, NEM MESMO QUANDO CAIA A NOITE... CACHINHOS DOURADOS, SAIA NA FLORESTA ESCURA, E ANDAVA PARA QUALQUER LADO, PROCURANDO ALGO PRA FAZER.
  • 15. 15 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) ATÉ QUE UM DIA NESSES PASSEIO DE FIM DE TARDE E CAIR DE NOITE, DIANTE DAQUELE SOL POENTE, A PEQUENINA CACHINHOS DOURADOS SE PERDE EM MEIO A FLORESTA, TUDO ISSO PORQUE ELA FOI CORRER ATRÁS DE UM PEQUENO COELHINHO.
  • 16. 16 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) DEPOIS DE MUITO ANDAR, A MENINA CANSADA ADORMECEU NA FLORESTA, SEM PREOCUPAÇÕES, ENCOSTADA EM UM GRANDE ARVORE. ENQUANTO ELA DORMIA, A FLORESTA ACORDAVA, TODOS OS BICHOS NOTURNOS FAZIAM MUITO BARULHO, MAS ELA NEM SE MEXIA, ESTAVA EM UM SONO PROFUNDO.
  • 17. 17 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) E AO NASCER DO SOL, CACHINHOS DOURADO DESPERTA COM OS RAIOS DE LUZ REFLETINDO EM SEU ROSTO, DE PELE CLARO E TAMANHA BELEZA. A MENINA OLHA A SUA VOLTA, PROCURANDO A QUAL DIREÇÃO SEGUIR, POIS ESTAVA FAMINTA. OLHOU, OLHOU, OLHOU, ESCOLHEU O LADO A SEGUIR E SE LEVANTOU.
  • 18. 18 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) FOI QUANDO DEPOIS DE MUITO ANDAR, AVISTOU UMA GRACIOSA CASINHA EM MEIO A FLORESTA, A MENINA QUE NADA TINHA DE BOA EDUCAÇÃO, JÁ FOI ENTRANDO, LOGO AVISTOU TRÊS TAMANHOS DE TUDO QUE HAVIA DENTRO DA CASINHA, UM PRATO GRANDE, UM MÉDIO, UM PEQUENO, CADEIRAS E CAMAS DO MESMO JEITO. FOI QUANDO ELA RESOLVEU PROVAR O QUE HAVIA NO PRATO, JÁ QUE ESTAVA FAMINTA. PROVOU. UM ESTAVA MUITO QUENTE, OUTRO MUITO FRIO, O OUTRO ESTAVA PERFEITO E ELA SE DELICIOU, COMEU TUDO SEM RECEIO.
  • 19. 19 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) DEPOIS DE TER SE ALIMENTADO, CACHINHOS DE OUTRO CAIU NOVAMENTE EM UM SONO PROFUNDO, QUANDO ACORDOU OLHOU A SUA VOLTA E VIU TRÊS URSOS, UM PEQUENO, UM MÉDIO E UM GRANDE. ELA TENTOU ESCAPAR, MAS NÃO TEVE JEITO, O URSO MAIOR A SEGUROU, E DISSE MUITO BRAVO. -VOCÊ INVADIU NOSSA CASA, COMEU NOSSA COMIGA E DORMIU NA NOSSA CAMA, SEM NOSSA AUTORIZAÇÃO, AGORA IRA SER PUNIDA. OS URSOS SE AJEITARAM EM UM CANTO E FICARAM ESCOLHENDO QUAL SERIO O CASTIGO DA MENINA.
  • 20. 20 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) DEPOIS MEU MUITO PENSAR, E FICAR OLHANDO A MENINA DESESPERADA A CHORAR, OS URSOS DECIDIRAM CORTAR OS CACHOS LOIRO DA MENINA, E O QUE SOBRASSE DE CABELO ELES PINTARIAM DE VERMELHO, COM UM PIGMENTO UTILIZADO EM SUAS REFEIÇÕES QUE ELES CHAMAVAM DE URUCUM. O URSO GRANDE SEGUROU A CABEÇA DA MENINA ENQUANTO O MÉDIO COM A MACHADINHA ESCALPELAVA OS CACHINHOS LOIRINHOS, DEPOIS DE CORTADO VEIO O PEQUENINO URSO, COM UM LIQUIDO AVERMELHADO E JOGO NA CABEÇA DELA, E O QUE RESTOU DE CABELO FOI FICANDO MUITO VERMELHO.
  • 21. 21 CACHINHOS DOURADOS (RECONTO) OS URSOS TERMINARAM O CASTIGO E FORAM COMER, LOGO O SONO VEIO E OS TRÊS ADORMECERAM. A MENINA APROVEITOU A OPORTUNIDADE E FUGIU, SAIU CORRENDO PELA FLORESTA, FOI QUANDO AVISTOU UM RIO, E SE OLHOU... ELA FICOU FEIA E CHOROU MUITO, FOI QUANDO SE APROXIMOU UM CAÇADOR E A LEVOU PARA CASA. CONTOU TUDO QUE ACONTECEU AOS PAIS, E PROMETEU NUNCA MAIS DESOBEDECER E FUGIR DE CASA. CACHINHOS DOURADOS, OU MELHOR VERMELHINHA, PASSOU A SER UMA MENINA CALMA E OBEDIENTE E LOGO OS SEUS CABEÇOS LOIROS E CACHEADOS VOLTARAM A CRESCER. E TODOS VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE. FIM
  • 22. 22 Considerações Finais Através das pesquisas realizadas concluímos que, as estórias e contos podem ser modificadas conforme a imaginação de cada um, sendo que a interpretação também é realizada de forma que cada leitor considere viável a si mesmo. Como também que os contos e estórias clássicas em sua maioria foram criadas dentro do contexto atual da realidade da mesma, sendo por influencia ou pra influenciar, nos conceitos e formação do individuo. As novas tecnologias tem feito da formação de leitores um desafio dentro do contexto escolar, sendo que cabe ao professor abordar de forma criativa o conteúdo para prender a atenção do aluno, sendo possível intercalar e trabalhar em conjunto as mídias e os livros de contos tradicionais. Concluímos que o recurso pedagógico dos contos é uma grande arma na formação do individuo e que cabe a nós futuras pedagogas aprender como trabalhar adequadamente com esse recurso, para a formação de leitores críticos e interessados, e que isso deve ocorrer de forma lúdica.
  • 23. 23 Referências Bibliográficas COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil: Teoria, Análise e Didática. São Paulo: Ed. Moderna, 2010 (PLT 487). GRIMM, Irmãos. Chapeuzinho Vermelho e outros contos. Trad. Ana Maria Machado. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009. http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=26727 – acesso em 19/05/2013 http://www.allposters.com.br/-sp/Cachinhos-Dourados-e-os-3-Ursos-posters_i1373288_.htm - acesso em 18/05/2013 http://www.infoescola.com/literatura/literatura-infantil/ - acesso em 19/05/2013 http://www.mudandodeassunto.com/o-lado-oculto-dos-contos-de-fada/ - acesso em 20/05/2013 http://www.youtube.com/watch?v=9olZ8qBSQeg – acesso em 17/05/2013 http://www.youtube.com/watch?v=ibk_fLakSfc – acesso em 18/05/2013 PERRAULT, Charles. Chapeuzinho Vermelho. Trad. Rosa Freira D’Aguiar. São Paulo: Cia das Letrinhas, 2010.