SlideShare uma empresa Scribd logo
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ O QUE É ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
Em 1990, Hepler e Strand utilizaram pela primeira vez na literatura científica o termo “Pharma-
ceutical Care”, que foi traduzido em nosso país para Atenção Farmacêutica.
“Atenção Farmacêutica é a provisão responsável do tratamento farmacológico com o
objetivo de alcançar resultados satisfatórios na saúde, melhorando a qualidade de vida
do paciente”.
Esses resultados são:
„
„ Diminuição do processo da enfermidade;
„
„ Cura da enfermidade;
„
„ Diminuição ou eliminação dos sintomas;
Esse serviço é muito confundido com a orientação e assistência ao paciente, porém Atenção
Farmacêutica abrange muito mais setores.
„
„ ATENÇÃO FARMACÊUTICA X ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA
Enquanto assistência farmacêutica é
um conjunto de ações realizadas por far-
macêuticos que tem como objetivo orien-
tar o uso e as restrições de medicamentos
aos pacientes, a Atenção Farmacêutica
é a relação direta do farmacêutico com o
paciente, realizando o controle do uso de
medicações com os interesses do próprio
paciente.
O processo de Atenção Farmacêutica obe-
dece a uma sequência de passos conhecida
como método clínico. O método clínico in-
clui desde a coleta de dados, identificação
de problemas, implantação de um plano de
cuidado e seguimento do paciente.
1
ATENÇÃO
FARMACÊUTICA
>
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 2
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ O QUE É FARMÁCIA CLÍNICA?
A farmácia, no início do século XX, remetia à figura do
boticário, que preparava e comercializava produtos me-
dicinais.
A partir da Segunda Guerra Mundial este papel tradicional
começou a ser alterado onde a preparação de medica-
mentos foi se tornando responsabilidade da indústria far-
macêutica.
Com isso, alguns profissionais farmacêuticos sentiram-se
frustrados, pois os conhecimentos já não estavam mais
sendo aplicados na prática e os mesmos começaram a
converterem-se em meros dispensadores de produtos fa-
bricados, distanciando-se da equipe de saúde e do pa-
ciente.
Essa indignação, gerou na década de 1960, um movimen-
to profissional que, questionando sua formação e atitudes,
determinou como poderiam ser corrigidos os problemas que estavam sendo detectados, o que
levou posteriormente, á criação do termo “farmácia clínica”.
No Brasil, o tema ganhou força na década de 1980, iniciando-se na área hospitalar, em que esta
prática se desenvolveu com mais força.
Ainda hoje, existe o mito de que farmácia clínica é uma atividade que somente é realizada no
ambiente hospitalar, pois envolve toda a equipe envolvida na área da saúde, mas na verdade, o
profissional que está voltado para o exercício da clínica age como clínico em qualquer ambien-
te no qual se requeira uma postura de avaliação de situação para identificação e resolução de
problemas de saúde.
O farmacêutico que promove Atenção Farmacêutica, percebe sua responsabilidade de atuar e
age identificando e ajudando a solucionar o problema, motivo o qual não pode ser restringida ao
ambiente hospitalar, e sim, em qualquer situação que envolva o uso racional dos medicamentos.
„
„ COMO DEVE SER O MODELO A SER SEGUIDO NA ATENÇÃO
FARMACÊUTICA?
Basicamente, a Atenção Farmacêutica é um modelo que abrange os seguintes itens:
„
„ A Consulta com o farmacêutico;
„
„ Verificação do tratamento medicamentoso em uso;
„
„ Checagem do problema e promoção de soluções.
„
„ COMO FAZER ISSO?
„
„ Utilizar metodologias para a prestação do serviço;
„
„ Efetuar o registro das ações e resultados.
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 3
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ CONCEITO DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA:
“ÉummodelodepráticafarmacêuticadesenvolvidanocontextodaAssistênciaFarmacêutica.
Compreende atitudes, valores éticos, comportamentos, habilidades, compromissos e
corresponsabilidades, na prevenção de doenças, promoção e recuperação da saúde, de
forma integrada a equipe de saúde.
É a interação direta do farmacêutico com o usuário, visando uma farmacoterapia racional,
e a obtenção de resultados definidos e mensuráveis, voltados para a melhoria da qualidade
de vida. Esta interação também deve envolver as concepções dos seus sujeitos, respeitadas
as suas especificidades biopsicossociais, sob a ótica da integralidade das ações de saúde”.
„
„ QUAIS OS BENEFÍCIOS PARA O PACIENTE?
„
„ Melhora na saúde do paciente;
„
„ Redução dos problemas relacionados ao uso de medicamentos;
„
„ Facilidade em se comunicar com o profissional farmacêutico;
„
„ Esclarecimento de dúvidas;
„
„ Maior confiança na exposição de problemas;
„
„ Maior segurança e eficácia no tratamento.
„
„ QUAIS OS BENEFÍCIOS PARA A FARMÁCIA?
„
„ Farmácia vista como um estabelecimento de saúde;
„
„ Aumentar o nível de confiança do paciente, em relação a farmácia e ao farmacêutico;
„
„ Obter informações maiores e melhores sobre o cliente;
„
„ Associação de vendas;
„
„ Maior fidelização dos clientes.
„
„ O QUE POSSIBILITA A ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
„
„ Orientação em caso de reações adversas;
„
„ Acompanhamento da terapia medicamentosa;
„
„ Melhora na qualidade de vida do paciente;
„
„ Verificação da efetividade do tratamento;
„
„ Identificação dos problemas relacionados ao medicamento;
„
„ Intervenção para solução de problemas.
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 4
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ COMO IMPLANTAR A ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA
FARMÁCIA OU DROGARIA?
Pode ser dividida em duas etapas:
„
„ 1ª - PLANEJAMENTO
A) Aspecto Profissional:
„
„ Somente o farmacêutico pode prestar o serviço de Atenção Farmacêutica, determinando
horários e datas para a prestação do serviço.
B) Buscando Conhecimento:
„
„ O farmacêutico que deseja prestar esse serviço, deverá buscar mais conhecimentos sobre:
farmácia clínica, farmacologia, terapias não medicamentosas e interpretação de exames
laboratoriais. Outras habilidades que o profissional precisa são: desenvolver a comunicação
adequada, monitorar o processo dos pacientes, e estar constantemente informado sobre
medicamentos.
„
„ Para implementar a Atenção Farmacêutica, é necessário que o profissional tenha atitude
para buscar os conhecimentos e habilidades necessárias para a execução de uma Atenção
Farmacêutica de qualidade, havendo sempre, a vontade de aprender.
C) Elaboração de um POP (Procedimento Operacional Padrão):
„
„ Criar a metodologia que será aplicada, através de um questionário para coleta de informações,
onde será mensurado e avaliado o estado do paciente.
D) Infraestrutura
O local deve conter:
„
„ Uma mesa, preferencialmente redonda (o que possibilita uma maior interação entre o
farmacêutico e o paciente).
„
„ Proporcionar conforto;
„
„ Ser isolado (é importante que não aconteça interrupções e principalmente, que ninguém
mais escute o que esta sendo dito).
„
„ 2ª - EXECUÇÃO DO SERVIÇO:
A) Oferta e seleção dos pacientes:
„
„ Oferecer a Atenção Farmacêutica aos pacientes que realmente necessitam;
„
„ Deve ser definido, o quanto será cobrado, e se será cobrado;
„
„ Abordar explicações como: O que é o serviço? Quais os benefícios?
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 5
GENÉRICOS EUROFARMA
B) Entrevistas:
Esta etapa contempla:
„
„ Estudo do caso do paciente;
„
„ Avaliação do tratamento;
„
„ Intervenção quando necessário.
Faz-se a coleta de informações sobre o paciente, incluindo a pesquisa sobre a patologia envolvi-
da, quais os medicamentos utilizados, a dosagem, qual a frequência utilizada e como o paciente
está se sentindo.
C) Atendimentos futuros:
„
„ Acompanhamento do tratamento;
„
„ Intervenção quando necessário.
„
„ PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEDICAMENTO:
“Ocorrem quando a farmacoterapia está interferindo no resultado esperado, prejudicando
a qualidade de vida do paciente”.
Principais causas:
„
„ Ao medicamento;
„
„ Relacionada ao sistema de saúde;
„
„ Relacionada ao usuário;
„
„ Aos profissionais de saúde.
„
„ COMO FAZER PARA IDENTIFICAR OS PROBLEMAS
RELACIONADOS AOS MEDICAMENTOS?
A) Necessidade
1. Necessita de tratamento farmacológico adicional ou
2. Tratamento farmacológico desnecessário;
B) Efetividade
3. Medicamento inadequado ou
4. Dose do medicamento inferior à necessitada;
C) Segurança
5. Dose do medicamento superior à necessitada ou
6. Reação Adversa aos Medicamentos;
D) Adesão
7. O tratamento proposto está sendo aderido da forma correta, quais as dúvidas e impedimentos?
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 6
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ QUAIS AS CAUSAS?
Podem ser agrupadas de acordo com as seguintes causas:
1) O paciente apresenta uma reação adversa;
2) O paciente usa medicamentos que não esta sendo efetivo para ele;
3) O paciente não usa os medicamentos que precisaria;
4) O paciente usa dose inferior ou o tratamento ocorre por tempo insuficiente;
5) O paciente usa os medicamentos que não precisaria;
6) O paciente usa uma dose superior e indevida;
„
„ QUAIS OS CONCEITOS E DIFERENÇAS EM RELAÇÃO Á
ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
São eles:
„
„ Farmacovigilância;
„
„ Atendimento Farmacêutico;
„
„ Acompanhamento Farmacoterapêutico;
„
„ Intervenção Farmacêutica.
„
„ O QUE É A FARMACOVIGILÂNCIA?
“É o acompanhamento das possíveis reações adversas, colaborando para o monitoramento
e segurança dos medicamentos”.
Na medida em que o Sistema de Farmacovigilância retroalimenta a Atenção Farmacêutica, por
meio de alertas e informes técnicos, informações sobre medicamentos e intercâmbio de infor-
mações, potencializa as ações clínicas individuais (acompanhamento/seguimento, dispensação,
educação...),outras atividades de Atenção e Assistência Farmacêutica como o processo de se-
leção de medicamentos, a produção de protocolos clínicos com prática baseada em evidências,
integrada nas ações interdisciplinares e multiprofissionais, entre outras.
A Atenção Farmacêutica é uma das entradas do sistema de Farmacovigilancia, ao identificar e
avaliar problemas/riscos relacionados a segurança, efetividade e desvios da qualidade de medi-
camentos, por meio do acompanhamento/seguimento Farmacoterapêutico ou outros compo-
nentes da Atenção Farmacêutica.
Isto inclui a documentação e a avaliação dos resultados, gerando notificações e novos dados
para o Sistema, por meio de estudos complementares.
Dessa forma, obtém-se a melhora da capacidade de avaliação da relação benefício/risco, oti-
mizando os resultados da terapêutica e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e
adequação do arsenal terapêutico.
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 7
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ O QUE É ATENDIMENTO FARMACÊUTICO?
É o contato entre o farmacêutico e o paciente, visando buscar a resolução de problemas rela-
cionados com a saúde, envolvendo, ou não, a utilização de medicamentos.
Promove:
„
„ Interação com o paciente;
„
„ Esclarecimento de dúvidas;
„
„ Solução de problemas de saúde.
„
„ ETAPAS DO ATENDIMENTO FARMACÊUTICO:
a) Escuta do paciente;
b) Identificação de necessidades;
c) Análise da situação;
d) Tomada de decisões;
e) Definição de condutas;
f) Documentação dos procedimentos;
g) Avaliação dos resultados.
„
„ O QUE É O ACOMPANHAMENTO FARMACOTERAPÊUTICO?
O acompanhamento Farmacoterapêutico é um processo no qual o farmacêutico se responsabi-
liza pelas necessidades do usuário relacionadas ao medicamento, através da detecção, preven-
ção e resolução de Problemas Relacionados a Medicamentos (PRM), cujo objetivo é alcançar
resultados e a melhora da qualidade de vida do usuário.
Este é o serviço clínico mais complexo que o farmacêutico pode prestar, pois exige grande
habilidade, além de conhecimentos de farmacologia, para alcançar os objetivos propostos e
está diretamente relacionado com o conceito de Atenção Farmacêutica proposto por Hepler e
Strand, em 1990, sob a denominação de Pharmaceutical care.
„
„ O QUE É A INTERVENÇÃO FARMACÊUTICA?
“Ação planejada, documentada e realizada em conjunto ao paciente e aos demais
profissionais de saúde, que tem por objetivo, resolver ou prevenir problemas que interferem
ou possam interferir na farmacoterapia”.
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 8
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ LEGISLAÇÃO SOBRE O SERVIÇO DE ATENÇÃO
FARMACÊUTICA:
O serviço de Atenção Farmacêutica é regulamentado pela ANVISA e preconizado pela RDC
44/09, onde:
“RDC 44/09:
1) Permite a Atenção Farmacêutica em domicílio: Desde de que haja um outro farmacêutico
presente para os demais pacientes do estabelecimento;
2) Serviços de Aferição de Temperatura Corporal, Pressão Arterial e Glicemia: Considerados
ferramentas eficazes para promoção do acompanhamento Farmacoterapeutico”.
„
„ O QUE É NECESSÁRIO PARA IMPLANTAR O SERVIÇO DE
ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
São necessários:
„
„ Autorização prévia da Vigilância Sanitária;
„
„ Deixar claro ao paciente, que o serviço não representa consulta médica e nem possui esta
finalidade;
„
„ Elaboração de protocolos e formas de documentar esta atividade;
„
„ Consentimento do paciente;
„
„ Registros com as seguintes informações:
a) Informações do paciente;
b) Informações do profissional responsável (nome e nº do CRF);
c) Informações das orientações e intervenções farmacêuticas;
d) Informação dos resultados.
„
„ POP do serviço;
„
„ Encaminhamento para outros profissionais de saúde, juntamente com copia dos registros
efetuados na Atenção Farmacêutica.
„
„ COMO FIDELIZAR O CLIENTE ATRAVÉS DE ATENÇÃO
FARMACÊUTICA?
Pode se:
„
„ Criação de um cadastro com registro dos medicamentos utilizados pelo cliente;
„
„ Ficha de acompanhamento terapêutico;
„
„ Agendamento das consultas farmacêuticas.
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 9
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ QUE TIPOS DE ABORDAGENS PODEM SER FEITAS?
Na prática diária o farmacêutico atenderá seus pacientes um a um, em consultas individualiza-
das, onde inicialmente, o objetivo será coletar e organizar dados do paciente, utilizando princi-
palmente, a entrevista clínica.
„
„ COMO REALIZAR O CADASTRO DO PACIENTE?
Deverá criar-se, uma ficha para registro do atendimento, a qual será arquivada no prontuário do
paciente.
De posse de todas as informações necessárias, o farmacêutico será capaz de revisar a medica-
ção em uma abordagem clínica e identificar problemas relacionados à farmacoterapia presentes
e potenciais do paciente.
Deve-se elaborar um plano de cuidado em conjunto com o paciente, que pode incluir interven-
ções farmacêuticas e/ou encaminhamento a outros profissionais.
Deverá ser entregue ao paciente ao final da consulta a Declaração de Serviço Farmacêutico, que
registra e materializa o atendimento.
Por fim, o farmacêutico deve agendar o retorno, a fim de avaliar os resultados de suas condutas.
Todo processo é reiniciado no surgimento de novos problemas, queixas ou mudanças significa-
tivas no tratamento.
„
„ É NECESSÁRIO QUE O FARMACÊUTICO SE ESPECIALIZE EM
ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
Por ser um assunto muito amplo, atualmente existem cursos de extensão e de pós-graduação
que enfocam mais profundamente do que nos cursos de graduação, temas como farmácia clí-
nica, farmacologia, aspectos humanísticos da farmacoterapia, não excluindo os conhecimentos
de logística do medicamento.
„
„ EM QUAIS ÁREAS PODE ATUAR O PROFISSIONAL QUE SE
ESPECIALIZA EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
O especialista em Atenção Farmacêutica pode atuar em todos os locais que prestam cuidado
direto ao paciente, ou seja, em farmácias comunitárias (entendidas como drogarias, farmácias e
farmácias com manipulação), em farmácias hospitalares, em farmácias de Unidades Básicas de
Saúde (UBS), em atendimento domiciliar, em consultórios multiprofissionais, em ambulatórios,
em instituições de longa permanência, ou seja, em todo local em que haja usuários de medica-
mentos. O campo de atuação é vasto e tende a crescer nos próximos anos, fruto dos resultados
positivos que esta prática vem demonstrando no Brasil e em vários outros países.
„
„ QUAL A DEFINIÇÃO DE SERVIÇOS FARMACÊUTICOS?
Serviços farmacêuticos podem ser entendidos como um conjunto de ações, exercidas pelo far-
macêutico ou sob sua supervisão, prestadas no decorrer das diversas atividades integrantes do
campo da assistência farmacêutica, que respondem às necessidades e demandas da população,
sustentadas em critérios técnico-científicos e nas políticas de saúde. Estes serviços podem as-
sumir diversas características dependendo dos objetivos a serem atingidos e do local no qual a
prática farmacêutica se desenvolve.
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 10
GENÉRICOS EUROFARMA
Os serviços farmacêuticos podem estar dirigidos ao medicamento (aquisição, armazenamen-
to, distribuição, estocagem, manipulação, garantia da qualidade, entre outros) e ao paciente
(dispensação, aconselhamento farmacêutico, acompanhamento Farmacoterapêutico, detecção
e notificação de reações adversas a medicamentos e a educação em saúde, entre outros). A
demanda por cada um desses serviços depende do local em que serão aplicados, mas todos
devem ser realizados de forma articulada com os demais profissionais que atuam na atenção
direta do paciente.
„
„ QUAL A RELAÇÃO ENTRE ATENÇÃO FARMACÊUTICA E
SERVIÇOS FARMACÊUTICOS?
Na atualidade, serviços como dispensação, indicação farmacêutica, detecção e notificação de
reações adversas a medicamentos e educação em saúde, são considerados também como
componentes da prática da Atenção Farmacêutica. Porém, todos estes serviços devem ser rea-
lizados para contribuir com a prevenção e detecção de resultados negativos da farmacoterapia,
que integram os objetivos da prática da Atenção Farmacêutica. A resolução de problemas de-
tectados a partir de intervenções ou propostas de intervenções farmacêuticas são alcançadas
por meio da prática do acompanhamento Farmacoterapêutico.
„
„ QUE TIPO DE SUPORTE TÉCNICO O ESPECIALISTA EM
ATENÇÃO FARMACÊUTICA PODE OFERECER A MÉDICOS E
AOS DEMAIS PROFISSIONAIS DA SAÚDE?
A atuação do farmacêutico deve ser encarada não como um suporte técnico. Trata-se, na re-
alidade, da inserção do farmacêutico na linha de cuidado do paciente, ou seja, um profissional
indispensável que tem um conhecimento técnico estratégico para contribuir para a resolução
de problemas de saúde relacionados a medicamentos e que está preparado para aplicá-lo por
meio de técnicas de escuta e intervenção.
No caso da Atenção Farmacêutica, o farmacêutico se encarrega de reduzir, ao mínimo possível,
a morbidade e a mortalidade resultante da utilização de medicamentos, por meio da aplicação
dos conhecimentos aprofundados que detém sobre medicamentos.
„
„ QUAL O DIFERENCIAL DE UMA FARMÁCIA OU DROGARIA QUE POSSUI
UM PROFISSIONAL ESPECIALISTA EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
Muitas farmácias ainda desconhecem o potencial da atuação do farmacêutico em seu estabe-
lecimento e frequentemente delegam-lhes a execução de tarefas que poderiam ser realizadas
por profissionais que não possuem o conhecimento técnico sobre medicamentos que o farma-
cêutico possui.
O próprio farmacêutico, muitas vezes, desconhece seu potencial em função de não ter sido
preparado, no curso de graduação, para utilizá-lo no ambiente da farmácia. Este profissional,
dotado de conhecimento científico importante sobre os medicamentos e com possibilidades
concretas de aplicá-los em benefício dos indivíduos e do sistema de saúde, deve ser mais bem
utilizado na área assistencial.
As farmácias que investirem na contratação de especialistas ou no preparo de seus farmacêu-
ticos nesse campo promoverão um salto de qualidade em seu atendimento, contribuindo para
que o comércio de medicamentos seja mais qualificado.
Com isso, pensando-se a longo prazo, certamente serão os estabelecimentos escolhidos pelos
usuários de medicamentos, pois passará segurança e acolhimento em relação aos tratamentos.
>
<
ATENÇÃO FARMACÊUTICA 11
GENÉRICOS EUROFARMA
„
„ QUAIS COMPETÊNCIAS ESPERA-SE DE UM FARMACÊUTICO
QUE SE ESPECIALIZA EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA?
Pretende-se que o farmacêutico:
„
„ Esteja apto a entender a prestação da Atenção Farmacêutica como uma responsabilidade
profissional para com o paciente;
„
„ Que o farmacêutico desenvolva o raciocínio clínico, avaliando, de forma estruturada, as
queixas dos pacientes e as suas possíveis relações com os medicamentos utilizados;
„
„ Que o farmacêutico estabeleça condutas de encaminhamento para outros profissionais ao
estar diante de problemas de saúde que necessitem de investigação especializada;
„
„ Que o farmacêutico estabeleça relação positiva com os demais membros da equipe de
saúde, compartilhando dados e decisões diante dos problemas relacionados a medicamentos
suspeitos;
„
„ Que contribua para a otimização dos resultados da farmacoterapia, adesão ao tratamento,
detecção e notificação de reações adversas a medicamentos.
Os farmacêuticos precisam estar dispostos a se preparar para aplicar seus conhecimentos de
forma integral para atender às demandas sociais e contribuir para a melhora dos resultados
Farmacoterapêutico. Somente com esta atitude seu papel será reconhecido na sociedade,
e a Atenção Farmacêutica ganhará espaço como uma importante ferramenta na adesão e
eficácia de diversos tratamentos.
Bibliografia:
HEPLER, C.D. The third wave in pharmaceutical education: the clinical movement. Am. J. Pharm. Educ., v.51, n.4, p.369-385, 1987.
HEPLER, C.D.; STRAND, L.M. Opportunities and responsibilities in pharmaceutical care. Am. J. Hosp. Pharm., v.47, n.3, p.533-
543, 1990.
FREITAS, O.; CHAUD, M.V.; UETA, J.; SHUHAMA, I.K. O farmacêutico e a farmácia: Uma análise retrospectiva e prospectiva. Rev.
Pharm. Bras., v.30, n. p.85-87, 2002.
MENEZES, E.B.B. Atenção Farmacêutica em xeque. Rev. Pharm. Bras., v.22, n. p.28, 2000.
OLIVEIRA, A.B.; OYAKAWA, C.N.; MIGUEL, M.D.; ZANIN, S.M.W.; MONTRUCCHIO, D.P. Obstáculos da Atenção Farmacêutica no
Brasil. Rev. Bras. Ciên. Farm.,v.41, n.4, p.409-413, 2005.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). The role of the pharmacist in the health care system. Geneva: OMS, 1994. 24p.
(Report of a WHO Meeting).
PEREIRA, L.R.L.;FREITAS, O. A evolução da Atenção Farmacêutica e a perspectiva para o Brasil. ºRev Bras. Ciên. v. 44, n. 4,
P.601-611., 2008.
Autora: Tânia Assuncion Dantas - consultora farmacêutica Desenvolva Consultoria
<

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia Hospitalar
Safia Naser
 
08 atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)
08   atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)08   atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)
08 atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)
Elizeu Ferro
 
Atenção farmacêutica
Atenção farmacêuticaAtenção farmacêutica
Atenção farmacêutica
Aline Maria Sá Nascimento
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
Venturini Cláudio Luís
 
“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.
“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.
“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 
Legislação farmaceutica
Legislação farmaceuticaLegislação farmaceutica
Legislação farmaceutica
Safia Naser
 
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmáciaAula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Patrícia Lopes
 
2ª aula origem e evolução da farmácia
2ª aula   origem e evolução da farmácia2ª aula   origem e evolução da farmácia
2ª aula origem e evolução da farmácia
Claudio Luis Venturini
 
Lei Nº 5.991/73 - Comércio Farmacêutico
Lei Nº 5.991/73 - Comércio FarmacêuticoLei Nº 5.991/73 - Comércio Farmacêutico
Lei Nº 5.991/73 - Comércio Farmacêutico
Marcelo Polacow Bisson
 
Líquidos Semissólidos
Líquidos SemissólidosLíquidos Semissólidos
Líquidos Semissólidos
Janaina Villanova
 
Política Nacional de Medicamentos Portaria 3916 De 1998
Política Nacional de Medicamentos   Portaria 3916 De 1998Política Nacional de Medicamentos   Portaria 3916 De 1998
Política Nacional de Medicamentos Portaria 3916 De 1998
Marcelo Polacow Bisson
 
Código de ética da profissão farmacêutica
Código de ética da profissão farmacêuticaCódigo de ética da profissão farmacêutica
Código de ética da profissão farmacêutica
Marcelo Polacow Bisson
 
Aula 2 prm
Aula 2   prmAula 2   prm
Boas práticas de manipulação
Boas práticas de manipulaçãoBoas práticas de manipulação
Boas práticas de manipulação
ManuelaLins2
 
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição -   Palestra CrfMedicamento Isento de Prescrição -   Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra Crf
Marcelo Polacow Bisson
 
Farmacovigilância - Hospital Sírio Libanês
Farmacovigilância - Hospital Sírio LibanêsFarmacovigilância - Hospital Sírio Libanês
Farmacovigilância - Hospital Sírio Libanês
Arquivo-FClinico
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
Cassyano Correr
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologia
Jaqueline Almeida
 
Uso racional de medicamentos
Uso racional de medicamentosUso racional de medicamentos
Uso racional de medicamentos
Pedro Azevedo
 
Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreiraAcompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
Rinaldo Ferreira
 

Mais procurados (20)

Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia Hospitalar
 
08 atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)
08   atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)08   atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)
08 atendente de farmácia (tipos de famácia parte 01)
 
Atenção farmacêutica
Atenção farmacêuticaAtenção farmacêutica
Atenção farmacêutica
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 
“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.
“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.
“Assistência Farmacêutica No Sus”. Renata Macedo.
 
Legislação farmaceutica
Legislação farmaceuticaLegislação farmaceutica
Legislação farmaceutica
 
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmáciaAula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
 
2ª aula origem e evolução da farmácia
2ª aula   origem e evolução da farmácia2ª aula   origem e evolução da farmácia
2ª aula origem e evolução da farmácia
 
Lei Nº 5.991/73 - Comércio Farmacêutico
Lei Nº 5.991/73 - Comércio FarmacêuticoLei Nº 5.991/73 - Comércio Farmacêutico
Lei Nº 5.991/73 - Comércio Farmacêutico
 
Líquidos Semissólidos
Líquidos SemissólidosLíquidos Semissólidos
Líquidos Semissólidos
 
Política Nacional de Medicamentos Portaria 3916 De 1998
Política Nacional de Medicamentos   Portaria 3916 De 1998Política Nacional de Medicamentos   Portaria 3916 De 1998
Política Nacional de Medicamentos Portaria 3916 De 1998
 
Código de ética da profissão farmacêutica
Código de ética da profissão farmacêuticaCódigo de ética da profissão farmacêutica
Código de ética da profissão farmacêutica
 
Aula 2 prm
Aula 2   prmAula 2   prm
Aula 2 prm
 
Boas práticas de manipulação
Boas práticas de manipulaçãoBoas práticas de manipulação
Boas práticas de manipulação
 
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição -   Palestra CrfMedicamento Isento de Prescrição -   Palestra Crf
Medicamento Isento de Prescrição - Palestra Crf
 
Farmacovigilância - Hospital Sírio Libanês
Farmacovigilância - Hospital Sírio LibanêsFarmacovigilância - Hospital Sírio Libanês
Farmacovigilância - Hospital Sírio Libanês
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologia
 
Uso racional de medicamentos
Uso racional de medicamentosUso racional de medicamentos
Uso racional de medicamentos
 
Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreiraAcompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
 

Semelhante a atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf

Conceitos de Atenção Farmacêutica
Conceitos de  Atenção FarmacêuticaConceitos de  Atenção Farmacêutica
Conceitos de Atenção Farmacêutica
Marcelo Polacow Bisson
 
metodo clinicopara atencao farmaceutica
 metodo clinicopara atencao farmaceutica metodo clinicopara atencao farmaceutica
metodo clinicopara atencao farmaceutica
ARNON ANDRADE
 
Método Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção FarmacêuticaMétodo Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção Farmacêutica
Bruna Bernardi
 
Farmacoté..
Farmacoté..Farmacoté..
Farmacoté..
henriquetabosa
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdf
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdfatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdf
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdf
ProfYasminBlanco
 
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
martinsfmf
 
Atenção farmacêutica a grupos de risco
Atenção farmacêutica a grupos de riscoAtenção farmacêutica a grupos de risco
Atenção farmacêutica a grupos de risco
Nemesio Silva
 
Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologia
Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologiaAtenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologia
Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologia
farmwaine
 
Farmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdfFarmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdf
Daiane Santos
 
A Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico ClínicoA Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico Clínico
Marcelo Polacow Bisson
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptxatenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
AlineRibeiro648347
 
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptxatenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
AlineRibeiro648347
 
Atenção farmacêutica aula i
Atenção farmacêutica    aula iAtenção farmacêutica    aula i
Atenção farmacêutica aula i
Larissa Oliveira Rocha
 
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdfUFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
AnaFilipaFidalgoLope
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
ProfYasminBlanco
 
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
Elizeu Ferro
 
Assistencia farmaceutica
Assistencia farmaceuticaAssistencia farmaceutica
Assistencia farmaceutica
jlpgemeinder
 
Farmácia Clínica como iniciar a fazer .
Farmácia Clínica como iniciar a fazer .Farmácia Clínica como iniciar a fazer .
Farmácia Clínica como iniciar a fazer .
OdilonCalian1
 
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Helen Ramos
 

Semelhante a atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf (20)

Conceitos de Atenção Farmacêutica
Conceitos de  Atenção FarmacêuticaConceitos de  Atenção Farmacêutica
Conceitos de Atenção Farmacêutica
 
metodo clinicopara atencao farmaceutica
 metodo clinicopara atencao farmaceutica metodo clinicopara atencao farmaceutica
metodo clinicopara atencao farmaceutica
 
Método Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção FarmacêuticaMétodo Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção Farmacêutica
 
Farmacoté..
Farmacoté..Farmacoté..
Farmacoté..
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdf
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdfatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdf
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pdf
 
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
 
Atenção farmacêutica a grupos de risco
Atenção farmacêutica a grupos de riscoAtenção farmacêutica a grupos de risco
Atenção farmacêutica a grupos de risco
 
Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologia
Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologiaAtenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologia
Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica em cronologia
 
Farmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdfFarmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdf
 
A Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico ClínicoA Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico Clínico
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptxatenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
 
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptxatenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
atenofarmacutica-aulai-121219111500-phpapp02.pptx
 
Atenção farmacêutica aula i
Atenção farmacêutica    aula iAtenção farmacêutica    aula i
Atenção farmacêutica aula i
 
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdfUFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
 
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
 
Assistencia farmaceutica
Assistencia farmaceuticaAssistencia farmaceutica
Assistencia farmaceutica
 
Farmácia Clínica como iniciar a fazer .
Farmácia Clínica como iniciar a fazer .Farmácia Clínica como iniciar a fazer .
Farmácia Clínica como iniciar a fazer .
 
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
 

Mais de Naidilene Aguilar

Aula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalala
Aula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalalaAula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalala
Aula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalala
Naidilene Aguilar
 
fracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefava
fracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefavafracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefava
fracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefava
Naidilene Aguilar
 
_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx
_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx
_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx
Naidilene Aguilar
 
PRM para aula 2.pdf
PRM para aula 2.pdfPRM para aula 2.pdf
PRM para aula 2.pdf
Naidilene Aguilar
 
PRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdfPRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdf
Naidilene Aguilar
 
Gama módulo 26
Gama   módulo 26Gama   módulo 26
Gama módulo 26
Naidilene Aguilar
 
Descrição do equipamento
Descrição do equipamentoDescrição do equipamento
Descrição do equipamento
Naidilene Aguilar
 
Aldeidos cetonas 2014_hb
Aldeidos cetonas 2014_hbAldeidos cetonas 2014_hb
Aldeidos cetonas 2014_hb
Naidilene Aguilar
 
3
33
óTica profissional
óTica profissionalóTica profissional
óTica profissional
Naidilene Aguilar
 
Manual de aplica o e descarte seguro de
Manual de aplica  o e descarte seguro deManual de aplica  o e descarte seguro de
Manual de aplica o e descarte seguro de
Naidilene Aguilar
 
Sífilis
SífilisSífilis

Mais de Naidilene Aguilar (12)

Aula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalala
Aula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalalaAula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalala
Aula_1_Atomo e modelos atômicos.ppt lalala
 
fracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefava
fracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefavafracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefava
fracionamento.pdffqfqfqqvfavvdvaefefqefava
 
_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx
_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx
_Conceito_Assist_Farmac_Atividade_Ciclo.pptx
 
PRM para aula 2.pdf
PRM para aula 2.pdfPRM para aula 2.pdf
PRM para aula 2.pdf
 
PRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdfPRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdf
 
Gama módulo 26
Gama   módulo 26Gama   módulo 26
Gama módulo 26
 
Descrição do equipamento
Descrição do equipamentoDescrição do equipamento
Descrição do equipamento
 
Aldeidos cetonas 2014_hb
Aldeidos cetonas 2014_hbAldeidos cetonas 2014_hb
Aldeidos cetonas 2014_hb
 
3
33
3
 
óTica profissional
óTica profissionalóTica profissional
óTica profissional
 
Manual de aplica o e descarte seguro de
Manual de aplica  o e descarte seguro deManual de aplica  o e descarte seguro de
Manual de aplica o e descarte seguro de
 
Sífilis
SífilisSífilis
Sífilis
 

Último

Quest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdf
Quest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdfQuest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdf
Quest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdf
ighormt
 
Psicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tcc
Psicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tccPsicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tcc
Psicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tcc
rosilenenunes9
 
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
LuFelype
 
Guia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudávelGuia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudável
barbosakennedy04
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...
Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...
Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...
Sergio Wilfrido Vazquez Apestegui
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
AdrianoPompiroCarval
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Fabiano Pessanha
 

Último (8)

Quest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdf
Quest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdfQuest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdf
Quest+Áes para Treinamento Ginecologia.pdf
 
Psicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tcc
Psicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tccPsicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tcc
Psicologia hospitalar ansiedade e abordagens da tcc
 
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
 
Guia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudávelGuia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudável
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...
Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...
Saiba agora como aumentar o número de atendimentos médicos sem comprometer a ...
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
 

atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf

  • 1. GENÉRICOS EUROFARMA „ „ O QUE É ATENÇÃO FARMACÊUTICA? Em 1990, Hepler e Strand utilizaram pela primeira vez na literatura científica o termo “Pharma- ceutical Care”, que foi traduzido em nosso país para Atenção Farmacêutica. “Atenção Farmacêutica é a provisão responsável do tratamento farmacológico com o objetivo de alcançar resultados satisfatórios na saúde, melhorando a qualidade de vida do paciente”. Esses resultados são: „ „ Diminuição do processo da enfermidade; „ „ Cura da enfermidade; „ „ Diminuição ou eliminação dos sintomas; Esse serviço é muito confundido com a orientação e assistência ao paciente, porém Atenção Farmacêutica abrange muito mais setores. „ „ ATENÇÃO FARMACÊUTICA X ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Enquanto assistência farmacêutica é um conjunto de ações realizadas por far- macêuticos que tem como objetivo orien- tar o uso e as restrições de medicamentos aos pacientes, a Atenção Farmacêutica é a relação direta do farmacêutico com o paciente, realizando o controle do uso de medicações com os interesses do próprio paciente. O processo de Atenção Farmacêutica obe- dece a uma sequência de passos conhecida como método clínico. O método clínico in- clui desde a coleta de dados, identificação de problemas, implantação de um plano de cuidado e seguimento do paciente. 1 ATENÇÃO FARMACÊUTICA >
  • 2. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 2 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ O QUE É FARMÁCIA CLÍNICA? A farmácia, no início do século XX, remetia à figura do boticário, que preparava e comercializava produtos me- dicinais. A partir da Segunda Guerra Mundial este papel tradicional começou a ser alterado onde a preparação de medica- mentos foi se tornando responsabilidade da indústria far- macêutica. Com isso, alguns profissionais farmacêuticos sentiram-se frustrados, pois os conhecimentos já não estavam mais sendo aplicados na prática e os mesmos começaram a converterem-se em meros dispensadores de produtos fa- bricados, distanciando-se da equipe de saúde e do pa- ciente. Essa indignação, gerou na década de 1960, um movimen- to profissional que, questionando sua formação e atitudes, determinou como poderiam ser corrigidos os problemas que estavam sendo detectados, o que levou posteriormente, á criação do termo “farmácia clínica”. No Brasil, o tema ganhou força na década de 1980, iniciando-se na área hospitalar, em que esta prática se desenvolveu com mais força. Ainda hoje, existe o mito de que farmácia clínica é uma atividade que somente é realizada no ambiente hospitalar, pois envolve toda a equipe envolvida na área da saúde, mas na verdade, o profissional que está voltado para o exercício da clínica age como clínico em qualquer ambien- te no qual se requeira uma postura de avaliação de situação para identificação e resolução de problemas de saúde. O farmacêutico que promove Atenção Farmacêutica, percebe sua responsabilidade de atuar e age identificando e ajudando a solucionar o problema, motivo o qual não pode ser restringida ao ambiente hospitalar, e sim, em qualquer situação que envolva o uso racional dos medicamentos. „ „ COMO DEVE SER O MODELO A SER SEGUIDO NA ATENÇÃO FARMACÊUTICA? Basicamente, a Atenção Farmacêutica é um modelo que abrange os seguintes itens: „ „ A Consulta com o farmacêutico; „ „ Verificação do tratamento medicamentoso em uso; „ „ Checagem do problema e promoção de soluções. „ „ COMO FAZER ISSO? „ „ Utilizar metodologias para a prestação do serviço; „ „ Efetuar o registro das ações e resultados. > <
  • 3. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 3 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ CONCEITO DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA: “ÉummodelodepráticafarmacêuticadesenvolvidanocontextodaAssistênciaFarmacêutica. Compreende atitudes, valores éticos, comportamentos, habilidades, compromissos e corresponsabilidades, na prevenção de doenças, promoção e recuperação da saúde, de forma integrada a equipe de saúde. É a interação direta do farmacêutico com o usuário, visando uma farmacoterapia racional, e a obtenção de resultados definidos e mensuráveis, voltados para a melhoria da qualidade de vida. Esta interação também deve envolver as concepções dos seus sujeitos, respeitadas as suas especificidades biopsicossociais, sob a ótica da integralidade das ações de saúde”. „ „ QUAIS OS BENEFÍCIOS PARA O PACIENTE? „ „ Melhora na saúde do paciente; „ „ Redução dos problemas relacionados ao uso de medicamentos; „ „ Facilidade em se comunicar com o profissional farmacêutico; „ „ Esclarecimento de dúvidas; „ „ Maior confiança na exposição de problemas; „ „ Maior segurança e eficácia no tratamento. „ „ QUAIS OS BENEFÍCIOS PARA A FARMÁCIA? „ „ Farmácia vista como um estabelecimento de saúde; „ „ Aumentar o nível de confiança do paciente, em relação a farmácia e ao farmacêutico; „ „ Obter informações maiores e melhores sobre o cliente; „ „ Associação de vendas; „ „ Maior fidelização dos clientes. „ „ O QUE POSSIBILITA A ATENÇÃO FARMACÊUTICA? „ „ Orientação em caso de reações adversas; „ „ Acompanhamento da terapia medicamentosa; „ „ Melhora na qualidade de vida do paciente; „ „ Verificação da efetividade do tratamento; „ „ Identificação dos problemas relacionados ao medicamento; „ „ Intervenção para solução de problemas. > <
  • 4. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 4 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ COMO IMPLANTAR A ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA FARMÁCIA OU DROGARIA? Pode ser dividida em duas etapas: „ „ 1ª - PLANEJAMENTO A) Aspecto Profissional: „ „ Somente o farmacêutico pode prestar o serviço de Atenção Farmacêutica, determinando horários e datas para a prestação do serviço. B) Buscando Conhecimento: „ „ O farmacêutico que deseja prestar esse serviço, deverá buscar mais conhecimentos sobre: farmácia clínica, farmacologia, terapias não medicamentosas e interpretação de exames laboratoriais. Outras habilidades que o profissional precisa são: desenvolver a comunicação adequada, monitorar o processo dos pacientes, e estar constantemente informado sobre medicamentos. „ „ Para implementar a Atenção Farmacêutica, é necessário que o profissional tenha atitude para buscar os conhecimentos e habilidades necessárias para a execução de uma Atenção Farmacêutica de qualidade, havendo sempre, a vontade de aprender. C) Elaboração de um POP (Procedimento Operacional Padrão): „ „ Criar a metodologia que será aplicada, através de um questionário para coleta de informações, onde será mensurado e avaliado o estado do paciente. D) Infraestrutura O local deve conter: „ „ Uma mesa, preferencialmente redonda (o que possibilita uma maior interação entre o farmacêutico e o paciente). „ „ Proporcionar conforto; „ „ Ser isolado (é importante que não aconteça interrupções e principalmente, que ninguém mais escute o que esta sendo dito). „ „ 2ª - EXECUÇÃO DO SERVIÇO: A) Oferta e seleção dos pacientes: „ „ Oferecer a Atenção Farmacêutica aos pacientes que realmente necessitam; „ „ Deve ser definido, o quanto será cobrado, e se será cobrado; „ „ Abordar explicações como: O que é o serviço? Quais os benefícios? > <
  • 5. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 5 GENÉRICOS EUROFARMA B) Entrevistas: Esta etapa contempla: „ „ Estudo do caso do paciente; „ „ Avaliação do tratamento; „ „ Intervenção quando necessário. Faz-se a coleta de informações sobre o paciente, incluindo a pesquisa sobre a patologia envolvi- da, quais os medicamentos utilizados, a dosagem, qual a frequência utilizada e como o paciente está se sentindo. C) Atendimentos futuros: „ „ Acompanhamento do tratamento; „ „ Intervenção quando necessário. „ „ PROBLEMAS RELACIONADOS AO MEDICAMENTO: “Ocorrem quando a farmacoterapia está interferindo no resultado esperado, prejudicando a qualidade de vida do paciente”. Principais causas: „ „ Ao medicamento; „ „ Relacionada ao sistema de saúde; „ „ Relacionada ao usuário; „ „ Aos profissionais de saúde. „ „ COMO FAZER PARA IDENTIFICAR OS PROBLEMAS RELACIONADOS AOS MEDICAMENTOS? A) Necessidade 1. Necessita de tratamento farmacológico adicional ou 2. Tratamento farmacológico desnecessário; B) Efetividade 3. Medicamento inadequado ou 4. Dose do medicamento inferior à necessitada; C) Segurança 5. Dose do medicamento superior à necessitada ou 6. Reação Adversa aos Medicamentos; D) Adesão 7. O tratamento proposto está sendo aderido da forma correta, quais as dúvidas e impedimentos? > <
  • 6. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 6 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ QUAIS AS CAUSAS? Podem ser agrupadas de acordo com as seguintes causas: 1) O paciente apresenta uma reação adversa; 2) O paciente usa medicamentos que não esta sendo efetivo para ele; 3) O paciente não usa os medicamentos que precisaria; 4) O paciente usa dose inferior ou o tratamento ocorre por tempo insuficiente; 5) O paciente usa os medicamentos que não precisaria; 6) O paciente usa uma dose superior e indevida; „ „ QUAIS OS CONCEITOS E DIFERENÇAS EM RELAÇÃO Á ATENÇÃO FARMACÊUTICA? São eles: „ „ Farmacovigilância; „ „ Atendimento Farmacêutico; „ „ Acompanhamento Farmacoterapêutico; „ „ Intervenção Farmacêutica. „ „ O QUE É A FARMACOVIGILÂNCIA? “É o acompanhamento das possíveis reações adversas, colaborando para o monitoramento e segurança dos medicamentos”. Na medida em que o Sistema de Farmacovigilância retroalimenta a Atenção Farmacêutica, por meio de alertas e informes técnicos, informações sobre medicamentos e intercâmbio de infor- mações, potencializa as ações clínicas individuais (acompanhamento/seguimento, dispensação, educação...),outras atividades de Atenção e Assistência Farmacêutica como o processo de se- leção de medicamentos, a produção de protocolos clínicos com prática baseada em evidências, integrada nas ações interdisciplinares e multiprofissionais, entre outras. A Atenção Farmacêutica é uma das entradas do sistema de Farmacovigilancia, ao identificar e avaliar problemas/riscos relacionados a segurança, efetividade e desvios da qualidade de medi- camentos, por meio do acompanhamento/seguimento Farmacoterapêutico ou outros compo- nentes da Atenção Farmacêutica. Isto inclui a documentação e a avaliação dos resultados, gerando notificações e novos dados para o Sistema, por meio de estudos complementares. Dessa forma, obtém-se a melhora da capacidade de avaliação da relação benefício/risco, oti- mizando os resultados da terapêutica e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e adequação do arsenal terapêutico. > <
  • 7. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 7 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ O QUE É ATENDIMENTO FARMACÊUTICO? É o contato entre o farmacêutico e o paciente, visando buscar a resolução de problemas rela- cionados com a saúde, envolvendo, ou não, a utilização de medicamentos. Promove: „ „ Interação com o paciente; „ „ Esclarecimento de dúvidas; „ „ Solução de problemas de saúde. „ „ ETAPAS DO ATENDIMENTO FARMACÊUTICO: a) Escuta do paciente; b) Identificação de necessidades; c) Análise da situação; d) Tomada de decisões; e) Definição de condutas; f) Documentação dos procedimentos; g) Avaliação dos resultados. „ „ O QUE É O ACOMPANHAMENTO FARMACOTERAPÊUTICO? O acompanhamento Farmacoterapêutico é um processo no qual o farmacêutico se responsabi- liza pelas necessidades do usuário relacionadas ao medicamento, através da detecção, preven- ção e resolução de Problemas Relacionados a Medicamentos (PRM), cujo objetivo é alcançar resultados e a melhora da qualidade de vida do usuário. Este é o serviço clínico mais complexo que o farmacêutico pode prestar, pois exige grande habilidade, além de conhecimentos de farmacologia, para alcançar os objetivos propostos e está diretamente relacionado com o conceito de Atenção Farmacêutica proposto por Hepler e Strand, em 1990, sob a denominação de Pharmaceutical care. „ „ O QUE É A INTERVENÇÃO FARMACÊUTICA? “Ação planejada, documentada e realizada em conjunto ao paciente e aos demais profissionais de saúde, que tem por objetivo, resolver ou prevenir problemas que interferem ou possam interferir na farmacoterapia”. > <
  • 8. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 8 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ LEGISLAÇÃO SOBRE O SERVIÇO DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA: O serviço de Atenção Farmacêutica é regulamentado pela ANVISA e preconizado pela RDC 44/09, onde: “RDC 44/09: 1) Permite a Atenção Farmacêutica em domicílio: Desde de que haja um outro farmacêutico presente para os demais pacientes do estabelecimento; 2) Serviços de Aferição de Temperatura Corporal, Pressão Arterial e Glicemia: Considerados ferramentas eficazes para promoção do acompanhamento Farmacoterapeutico”. „ „ O QUE É NECESSÁRIO PARA IMPLANTAR O SERVIÇO DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA? São necessários: „ „ Autorização prévia da Vigilância Sanitária; „ „ Deixar claro ao paciente, que o serviço não representa consulta médica e nem possui esta finalidade; „ „ Elaboração de protocolos e formas de documentar esta atividade; „ „ Consentimento do paciente; „ „ Registros com as seguintes informações: a) Informações do paciente; b) Informações do profissional responsável (nome e nº do CRF); c) Informações das orientações e intervenções farmacêuticas; d) Informação dos resultados. „ „ POP do serviço; „ „ Encaminhamento para outros profissionais de saúde, juntamente com copia dos registros efetuados na Atenção Farmacêutica. „ „ COMO FIDELIZAR O CLIENTE ATRAVÉS DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA? Pode se: „ „ Criação de um cadastro com registro dos medicamentos utilizados pelo cliente; „ „ Ficha de acompanhamento terapêutico; „ „ Agendamento das consultas farmacêuticas. > <
  • 9. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 9 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ QUE TIPOS DE ABORDAGENS PODEM SER FEITAS? Na prática diária o farmacêutico atenderá seus pacientes um a um, em consultas individualiza- das, onde inicialmente, o objetivo será coletar e organizar dados do paciente, utilizando princi- palmente, a entrevista clínica. „ „ COMO REALIZAR O CADASTRO DO PACIENTE? Deverá criar-se, uma ficha para registro do atendimento, a qual será arquivada no prontuário do paciente. De posse de todas as informações necessárias, o farmacêutico será capaz de revisar a medica- ção em uma abordagem clínica e identificar problemas relacionados à farmacoterapia presentes e potenciais do paciente. Deve-se elaborar um plano de cuidado em conjunto com o paciente, que pode incluir interven- ções farmacêuticas e/ou encaminhamento a outros profissionais. Deverá ser entregue ao paciente ao final da consulta a Declaração de Serviço Farmacêutico, que registra e materializa o atendimento. Por fim, o farmacêutico deve agendar o retorno, a fim de avaliar os resultados de suas condutas. Todo processo é reiniciado no surgimento de novos problemas, queixas ou mudanças significa- tivas no tratamento. „ „ É NECESSÁRIO QUE O FARMACÊUTICO SE ESPECIALIZE EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA? Por ser um assunto muito amplo, atualmente existem cursos de extensão e de pós-graduação que enfocam mais profundamente do que nos cursos de graduação, temas como farmácia clí- nica, farmacologia, aspectos humanísticos da farmacoterapia, não excluindo os conhecimentos de logística do medicamento. „ „ EM QUAIS ÁREAS PODE ATUAR O PROFISSIONAL QUE SE ESPECIALIZA EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA? O especialista em Atenção Farmacêutica pode atuar em todos os locais que prestam cuidado direto ao paciente, ou seja, em farmácias comunitárias (entendidas como drogarias, farmácias e farmácias com manipulação), em farmácias hospitalares, em farmácias de Unidades Básicas de Saúde (UBS), em atendimento domiciliar, em consultórios multiprofissionais, em ambulatórios, em instituições de longa permanência, ou seja, em todo local em que haja usuários de medica- mentos. O campo de atuação é vasto e tende a crescer nos próximos anos, fruto dos resultados positivos que esta prática vem demonstrando no Brasil e em vários outros países. „ „ QUAL A DEFINIÇÃO DE SERVIÇOS FARMACÊUTICOS? Serviços farmacêuticos podem ser entendidos como um conjunto de ações, exercidas pelo far- macêutico ou sob sua supervisão, prestadas no decorrer das diversas atividades integrantes do campo da assistência farmacêutica, que respondem às necessidades e demandas da população, sustentadas em critérios técnico-científicos e nas políticas de saúde. Estes serviços podem as- sumir diversas características dependendo dos objetivos a serem atingidos e do local no qual a prática farmacêutica se desenvolve. > <
  • 10. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 10 GENÉRICOS EUROFARMA Os serviços farmacêuticos podem estar dirigidos ao medicamento (aquisição, armazenamen- to, distribuição, estocagem, manipulação, garantia da qualidade, entre outros) e ao paciente (dispensação, aconselhamento farmacêutico, acompanhamento Farmacoterapêutico, detecção e notificação de reações adversas a medicamentos e a educação em saúde, entre outros). A demanda por cada um desses serviços depende do local em que serão aplicados, mas todos devem ser realizados de forma articulada com os demais profissionais que atuam na atenção direta do paciente. „ „ QUAL A RELAÇÃO ENTRE ATENÇÃO FARMACÊUTICA E SERVIÇOS FARMACÊUTICOS? Na atualidade, serviços como dispensação, indicação farmacêutica, detecção e notificação de reações adversas a medicamentos e educação em saúde, são considerados também como componentes da prática da Atenção Farmacêutica. Porém, todos estes serviços devem ser rea- lizados para contribuir com a prevenção e detecção de resultados negativos da farmacoterapia, que integram os objetivos da prática da Atenção Farmacêutica. A resolução de problemas de- tectados a partir de intervenções ou propostas de intervenções farmacêuticas são alcançadas por meio da prática do acompanhamento Farmacoterapêutico. „ „ QUE TIPO DE SUPORTE TÉCNICO O ESPECIALISTA EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA PODE OFERECER A MÉDICOS E AOS DEMAIS PROFISSIONAIS DA SAÚDE? A atuação do farmacêutico deve ser encarada não como um suporte técnico. Trata-se, na re- alidade, da inserção do farmacêutico na linha de cuidado do paciente, ou seja, um profissional indispensável que tem um conhecimento técnico estratégico para contribuir para a resolução de problemas de saúde relacionados a medicamentos e que está preparado para aplicá-lo por meio de técnicas de escuta e intervenção. No caso da Atenção Farmacêutica, o farmacêutico se encarrega de reduzir, ao mínimo possível, a morbidade e a mortalidade resultante da utilização de medicamentos, por meio da aplicação dos conhecimentos aprofundados que detém sobre medicamentos. „ „ QUAL O DIFERENCIAL DE UMA FARMÁCIA OU DROGARIA QUE POSSUI UM PROFISSIONAL ESPECIALISTA EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA? Muitas farmácias ainda desconhecem o potencial da atuação do farmacêutico em seu estabe- lecimento e frequentemente delegam-lhes a execução de tarefas que poderiam ser realizadas por profissionais que não possuem o conhecimento técnico sobre medicamentos que o farma- cêutico possui. O próprio farmacêutico, muitas vezes, desconhece seu potencial em função de não ter sido preparado, no curso de graduação, para utilizá-lo no ambiente da farmácia. Este profissional, dotado de conhecimento científico importante sobre os medicamentos e com possibilidades concretas de aplicá-los em benefício dos indivíduos e do sistema de saúde, deve ser mais bem utilizado na área assistencial. As farmácias que investirem na contratação de especialistas ou no preparo de seus farmacêu- ticos nesse campo promoverão um salto de qualidade em seu atendimento, contribuindo para que o comércio de medicamentos seja mais qualificado. Com isso, pensando-se a longo prazo, certamente serão os estabelecimentos escolhidos pelos usuários de medicamentos, pois passará segurança e acolhimento em relação aos tratamentos. > <
  • 11. ATENÇÃO FARMACÊUTICA 11 GENÉRICOS EUROFARMA „ „ QUAIS COMPETÊNCIAS ESPERA-SE DE UM FARMACÊUTICO QUE SE ESPECIALIZA EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA? Pretende-se que o farmacêutico: „ „ Esteja apto a entender a prestação da Atenção Farmacêutica como uma responsabilidade profissional para com o paciente; „ „ Que o farmacêutico desenvolva o raciocínio clínico, avaliando, de forma estruturada, as queixas dos pacientes e as suas possíveis relações com os medicamentos utilizados; „ „ Que o farmacêutico estabeleça condutas de encaminhamento para outros profissionais ao estar diante de problemas de saúde que necessitem de investigação especializada; „ „ Que o farmacêutico estabeleça relação positiva com os demais membros da equipe de saúde, compartilhando dados e decisões diante dos problemas relacionados a medicamentos suspeitos; „ „ Que contribua para a otimização dos resultados da farmacoterapia, adesão ao tratamento, detecção e notificação de reações adversas a medicamentos. Os farmacêuticos precisam estar dispostos a se preparar para aplicar seus conhecimentos de forma integral para atender às demandas sociais e contribuir para a melhora dos resultados Farmacoterapêutico. Somente com esta atitude seu papel será reconhecido na sociedade, e a Atenção Farmacêutica ganhará espaço como uma importante ferramenta na adesão e eficácia de diversos tratamentos. Bibliografia: HEPLER, C.D. The third wave in pharmaceutical education: the clinical movement. Am. J. Pharm. Educ., v.51, n.4, p.369-385, 1987. HEPLER, C.D.; STRAND, L.M. Opportunities and responsibilities in pharmaceutical care. Am. J. Hosp. Pharm., v.47, n.3, p.533- 543, 1990. FREITAS, O.; CHAUD, M.V.; UETA, J.; SHUHAMA, I.K. O farmacêutico e a farmácia: Uma análise retrospectiva e prospectiva. Rev. Pharm. Bras., v.30, n. p.85-87, 2002. MENEZES, E.B.B. Atenção Farmacêutica em xeque. Rev. Pharm. Bras., v.22, n. p.28, 2000. OLIVEIRA, A.B.; OYAKAWA, C.N.; MIGUEL, M.D.; ZANIN, S.M.W.; MONTRUCCHIO, D.P. Obstáculos da Atenção Farmacêutica no Brasil. Rev. Bras. Ciên. Farm.,v.41, n.4, p.409-413, 2005. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). The role of the pharmacist in the health care system. Geneva: OMS, 1994. 24p. (Report of a WHO Meeting). PEREIRA, L.R.L.;FREITAS, O. A evolução da Atenção Farmacêutica e a perspectiva para o Brasil. ºRev Bras. Ciên. v. 44, n. 4, P.601-611., 2008. Autora: Tânia Assuncion Dantas - consultora farmacêutica Desenvolva Consultoria <