SlideShare uma empresa Scribd logo
O	
  que	
  são	
  
transtornos	
  menores?	
  
Cassyano	
  J	
  Correr	
  
Departamento	
  de	
  Farmácia	
  
Universidade	
  Federal	
  do	
  Paraná	
  

4.	
  Encontro	
  de	
  lideranças	
  farmacêuticas	
  
Farma&Farma	
  
Balneário	
  Camboriú,	
  SC,	
  01	
  de	
  novembro	
  de	
  2013	
  
THE	
  ECOLOGY	
  OF	
  MEDICAL	
  CARE	
  

N	
  Engl	
  J	
  Med,	
  Vol.	
  344,	
  No.	
  26	
  ·	
  June	
  28,	
  2001	
  ·	
  
1.259	
  PESSOAS	
  ENTREVISTADAS	
  (15	
  A	
  94	
  ANOS)	
  
60%	
   nenhuma	
   a6tude	
  

3 2 %	
   a u t o m e d i c a ç ã o	
  
63%	
   reportam	
   sintomas	
  
nos	
   úl6mos	
   2	
   meses	
  

8%	
   procuraram	
   médico	
  

Rev	
  Panam	
  Salud	
  Publica/Pan	
  Am	
  J	
  Public	
  Health	
  20(1),	
  2006	
  
O contínuo do autocuidado
Cuidado médico puro (-)
Responsabilidade
“abdicada”

Responsabilidade
individual

(+) Autocuidado puro
vida saudável >>> transtornos menores >>> condições crônicas e agudas >>> cuidado hospitalar
Escolhas
diárias
Prevenção e
estilo de vida

Condições
crônicas:
cuidado
Transtornos
compartilhado
menores:
manejo
assistido

Transtornos
auto-manejados

Condições
agudas

Cuidado
psiquiátrico
compulsório

Trauma
importante

CHAMBERS,	
  R.	
  What	
  we	
  know	
  about	
  the	
  prac:ce	
  and	
  impact	
  of	
  self	
  care.	
  	
  
Disponível	
  em:	
  	
  <hFp://www.selfcareconnect.co.uk/uploads/self_care_toolkit/sc4pc/chap2.pdf>.	
  	
  
J	
  R	
  Coll	
  Gen	
  Pract.	
  1981	
  September;	
  31(230):	
  548–552.	
  
What	
  is	
  a	
  minor	
  illness?	
  
•  A	
  minor	
  illness	
  can	
  be	
  de/ined	
  as	
  any	
  
condition	
  that	
  is	
  self-­limiting	
  and	
  does	
  
not	
  prevent	
  the	
  patient	
  from	
  carrying	
  out	
  
their	
  normal	
  functions	
  for	
  more	
  than	
  a	
  
short	
  period	
  of	
  time.	
  
•  “Uma	
  enfermidade	
  menor	
  pode	
  ser	
  
deWinida	
  como	
  qualquer	
  afecção	
  que	
  é	
  
auto-­‐limitada	
  e	
  que	
  não	
  impede	
  o	
  
paciente	
  de	
  realizar	
  suas	
  funções	
  
normais	
  por	
  mais	
  do	
  que	
  um	
  curto	
  
período	
  de	
  tempo.”	
  

Faculdade	
  de	
  Medicina,	
  Universidade	
  de	
  Nongham,	
  UK.	
  	
  
hFp://www.nongham.ac.uk/medicine/study/	
  	
  
What	
  is	
  a	
  minor	
  ailment?	
  
•  A	
  health	
  complaint	
  which,	
  with	
  simple	
  actions,	
  
patients	
  can	
  handle	
  themselves.	
  Simple	
  
actions	
  in	
  this	
  context	
  are	
  self-­care	
  which	
  does	
  
not	
  involve	
  a	
  doctor;	
  for	
  instance	
  seeking	
  
advice	
  in	
  a	
  pharmacy,	
  asking	
  acquaintances,	
  
taking	
  OTC	
  drugs,	
  staying	
  in	
  bed,	
  or	
  using	
  self-­
certi/ied	
  work	
  absence.	
  
•  “Uma	
  queixa	
  de	
  saúde	
  com	
  a	
  qual,	
  com	
  ações	
  
simples,	
  os	
  pacientes	
  podem	
  lidar	
  sozinhos.	
  
Ações	
  simples,	
  neste	
  contexto	
  incluem,	
  o	
  
autocuidado	
  que	
  não	
  envolve	
  um	
  médico,	
  a	
  
procura	
  de	
  conselho	
  em	
  uma	
  farmácia,	
  pedir	
  
a	
  conhecidos,	
  tomar	
  medicamentos	
  OTC,	
  
Wicar	
  na	
  cama,	
  ou	
  faltar	
  ao	
  trabalha	
  usando	
  
uma	
  justiWicativa	
  própria.”	
  

Noruega:	
  Scandinavian	
  Journal	
  of	
  Primary	
  Health	
  Care,	
  2011;	
  29:	
  39–44	
  
Transtornos…	
  
Classificação	
  Internacional	
  de	
  Atenção	
  
Primária	
  (CIAP	
  2)	
  

Classificação	
  Internacional	
  de	
  Atenção	
  Primária	
  (CIAP	
  2).	
  2.	
  ed.	
  Florianópolis	
  :	
  
Sociedade	
  Brasileira	
  de	
  Medicina	
  de	
  Família	
  e	
  Comunidade,	
  2009.	
  
Problema	
  de	
  Saúde	
  
Uma	
  avaliação	
  realizada	
  por	
  um	
  pro/issional	
  da	
  saúde	
  
sobre	
  algo	
  que	
  preocupa	
  o	
  paciente,	
  o	
  pro/issional	
  
(em	
  relação	
  à	
  saúde	
  do	
  paciente)	
  ou	
  ambos.	
  
Isto	
  é,	
  qualquer	
  queixa,	
  observação	
  ou	
  evento	
  que	
  o	
  
paciente	
  ou	
  o	
  pro/issional	
  da	
  saúde	
  percebe	
  como	
  
um	
  desvio	
  da	
  normalidade,	
  e	
  que	
  já	
  afetou,	
  afeta	
  ou	
  
pode	
  afetar	
  a	
  capacidade	
  funcional	
  do	
  paciente.	
  
Um	
  problema	
  cronico	
  é	
  um	
  problema	
  de	
  saúde	
  com	
  
uma	
  duração	
  de	
  seis	
  meses	
  ou	
  mais.	
  

Juan	
  Gérvas,	
  citando	
  a	
  :	
  Neelon	
  FA,	
  Ellis	
  GJ.	
  A	
  syllabus	
  of	
  problem-­‐oriented	
  
pa:ent	
  care.	
  3rd	
  edi:on.	
  Boston:	
  LiFle,	
  Brown,	
  and	
  Co;	
  1976.	
  
Classificação	
  Internacional	
  de	
  Atenção	
  Primária	
  (CIAP	
  
2).	
  2.	
  ed.	
  Florianópolis	
  :	
  Sociedade	
  Brasileira	
  de	
  
Medicina	
  de	
  Família	
  e	
  Comunidade,	
  2009.	
  
O	
  que	
  é	
  um	
  problema	
  de	
  	
  
saúde	
  autolimitado?	
  
“Enfermidade	
  aguda	
  de	
  baixa	
  gravidade,	
  de	
  breve	
  
período	
  de	
  latência,	
  que	
  desencadeia	
  uma	
  reação	
  
orgânica	
  a	
  qual	
  tende	
  a	
  cursar	
  sem	
  dano	
  para	
  o	
  
paciente	
  e	
  que	
  pode	
  ser	
  tratada	
  de	
  forma	
  eWicaz	
  e	
  
segura	
  com	
  medicamentos	
  e	
  outros	
  produtos	
  com	
  
Winalidade	
  terapêutica,	
  cuja	
  dispensação	
  não	
  exija	
  
prescrição	
  médica,	
  incluindo	
  medicamentos	
  
industrializados	
  e	
  preparações	
  magistrais	
  -­‐	
  alopáticos	
  
ou	
  dinamizados	
  -­‐,	
  plantas	
  medicinais,	
  drogas	
  vegetais	
  
ou	
  com	
  medidas	
  não	
  farmacológicas.”	
  

Conselho	
  Federal	
  de	
  Farmácia	
  -­‐	
  Resolução	
  585/2013	
  
Sinais	
  e	
  sintomas	
  como	
  motivo	
  de	
  
consulta	
  com	
  o	
  farmacêutico	
  
Problemas	
  de	
  
saúde	
  que	
  
podem	
  ser	
  
tratados	
  com	
  
medicamentos	
  
não	
  tarjados	
  
A	
  presença	
  de	
  
sinais	
  e	
  
sintomas	
  de	
  
alerta	
  
Orientação	
  para	
  
uma	
  rede	
  de	
  
segurança	
  

Um	
  problema	
  de	
  
saúde	
  que	
  está	
  
incomodando	
  
Dúvida	
  sobre	
  
que	
  remédio	
  
usar	
  
Acha	
  que	
  não	
  
deve	
  ser	
  grave	
  e	
  
que	
  o	
  
farmacêu:co	
  
pode	
  ajudar	
  a	
  
resolver	
  
Fonte:	
  hFp://files.myopera.com/yevgeny/blog/MUR.jpeg	
  	
  
Faculdade	
  de	
  Medicina,	
  Universidade	
  de	
  Nongham,	
  UK.	
  	
  
hFp://www.nongham.ac.uk/medicine/study/	
  	
  
Sinais	
  e	
  Sintomas	
  de	
  Alerta	
  

Brasil.	
  Acolhimento	
  à	
  demanda	
  espontânea	
  :	
  queixas	
  mais	
  comuns	
  na	
  Atenção	
  Básica	
  /	
  Ministério	
  da	
  Saúde,	
  
Secretaria	
  de	
  Atenção	
  à	
  Saúde,	
  Departamento	
  de	
  Atenção	
  Básica.	
  –	
  Brasília	
  :	
  Ministério	
  da	
  Saúde,	
  2012.	
  
1.  Constipação	
  intestinal	
  
2.  Tosse	
  
3.  Diarréia	
  
4.  Dor	
  de	
  ouvido	
  
5.  Rinite	
  Alérgica	
  
6.  Piolhos	
  
7.  Dor	
  de	
  cabeça	
  
8.  Indigestão	
  
9.  Sintomas	
  nasais	
  
10.  Dor	
  de	
  garganta	
  
11.  Febre	
  
12.  Sapinho	
  
13.  Sintomas	
  de	
  infecção	
  do	
  
trato	
  respiratório	
  
superior	
  
Sapinho	
  
Piolhos	
  
Tosse	
  
Cons:pação	
  
Dor	
  de	
  garganta	
  
Sintomas	
  nasais	
  
Indigestão	
  
Rinite	
  alérgica	
  
Diarréia	
  
Febre	
  
Dor	
  de	
  ouvido	
  
Dor	
  de	
  cabeça	
  
Infecção	
  do	
  trato	
  respiratório	
  superior	
  (ITRS)	
  

Health	
  Econ.	
  13:	
  73–86	
  (2004)	
  
A	
  total	
  of	
  12,567	
  cases	
  were	
  evaluated.	
  
Relevant	
  drug-­‐related	
  problems	
  in	
  OTC	
  
drug	
  use	
  are	
  frequent	
  and	
  occurred	
  in	
  
almost	
  1	
  out	
  of	
  5	
  encounters	
  (17.6%).	
  
Approximately	
  75%	
  of	
  the	
  customers	
  
requested	
  a	
  speciWic	
  OTC	
  product.	
  In	
  
these	
  cases	
  most	
  DRPs	
  was	
  identiWied	
  
(80%).	
  
The	
  most	
  frequent	
  DRPs	
  were	
  
inappropriate	
  self-­‐	
  medication,	
  
inappropriate	
  requested	
  drug,	
  dura-­‐
tion	
  of	
  drug	
  use	
  too	
  long	
  (including	
  
abuse),	
  and	
  wrong	
  dosage.	
  

pharmacoepidemiology	
  and	
  drug	
  safety	
  2012;	
  21:	
  254–260	
  
Rinite	
  alérgica	
  
Afta	
  
Artrite	
  
Pé	
  de	
  atleta	
  
Cerume	
  
Constipação	
  
Tosse	
  
Diarréia	
  
Dispepsia	
  
Dor	
  de	
  ouvido	
  
Disfunção	
  erétil	
  
Otite	
  externa	
  
Febre	
  
Gastroenterite	
  
Dor	
  de	
  cabeça	
  
Piolhos	
  
Hemorróidas	
  
Sintomas	
  de	
  gripe	
  
Verminoses	
  em	
  crianças	
  
Úlcera	
  de	
  perna	
  
Enxaqueca	
  
Eczema	
  leve	
  
Problemas	
  músculo-­‐esqueléticos	
  leves	
  
Úlcera	
  na	
  boca	
  
Náusea	
  
Excesso	
  de	
  peso	
  
Verruga	
  plantar	
  
contraceptivos	
  de	
  emergência	
  
Prevenção	
  de	
  infecções	
  do	
  trato	
  urinário	
  
Dor	
  de	
  garganta	
  
Picadas	
  /	
  mordidas	
  
Infecção	
  do	
  trato	
  respiratório	
  superior	
  

Noruega:	
  Scandinavian	
  Journal	
  of	
  Primary	
  Health	
  Care,	
  2011;	
  29:	
  39–44	
  
FIM	
  

4.	
  Encontro	
  de	
  lideranças	
  farmacêuticas	
  
Farma&Farma	
  
Balneário	
  Camboriú,	
  SC,	
  01	
  de	
  novembro	
  de	
  2013	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreiraAcompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
Rinaldo Ferreira
 
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
04 atendente de farmácia (classificação de medicamentos)
04   atendente de farmácia (classificação de medicamentos)04   atendente de farmácia (classificação de medicamentos)
04 atendente de farmácia (classificação de medicamentos)
Elizeu Ferro
 
Atenção farmacêutica
Atenção farmacêuticaAtenção farmacêutica
Atenção farmacêutica
Aline Maria Sá Nascimento
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Clara Mota Brum
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
Ana Hollanders
 
Atendente de Farmácia - interações medicamentosas
Atendente de Farmácia - interações medicamentosasAtendente de Farmácia - interações medicamentosas
Atendente de Farmácia - interações medicamentosas
Luis Antonio Cezar Junior
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
Claudio Luis Venturini
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologia
Sheilla Sandes
 
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados FarmacêuticosMétodo Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Cassyano Correr
 
Farmacologia aula-1
Farmacologia aula-1Farmacologia aula-1
Farmacologia aula-1
Renata de O. Marinho Sampaio
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Luis Antonio Cezar Junior
 
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
Elizeu Ferro
 
Dispensação de medicamentos cepss
Dispensação de medicamentos cepssDispensação de medicamentos cepss
Dispensação de medicamentos cepss
Julia Martins Ulhoa
 
interações medicamentosas mais comuns
interações medicamentosas mais comunsinterações medicamentosas mais comuns
interações medicamentosas mais comuns
farmwaine
 
Eventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentosEventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentos
Proqualis
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula - Básica - Adsorção & Distribuição
Aula - Básica - Adsorção & DistribuiçãoAula - Básica - Adsorção & Distribuição
Aula - Básica - Adsorção & Distribuição
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
Cassyano Correr
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia
marigrace23
 

Mais procurados (20)

Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreiraAcompanhamento farmacoterapeutico   como começar! dr. rinaldo ferreira
Acompanhamento farmacoterapeutico como começar! dr. rinaldo ferreira
 
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
INTERAÇ
 
04 atendente de farmácia (classificação de medicamentos)
04   atendente de farmácia (classificação de medicamentos)04   atendente de farmácia (classificação de medicamentos)
04 atendente de farmácia (classificação de medicamentos)
 
Atenção farmacêutica
Atenção farmacêuticaAtenção farmacêutica
Atenção farmacêutica
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
 
Atendente de Farmácia - interações medicamentosas
Atendente de Farmácia - interações medicamentosasAtendente de Farmácia - interações medicamentosas
Atendente de Farmácia - interações medicamentosas
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologia
 
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados FarmacêuticosMétodo Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
Método Clínico para os Cuidados Farmacêuticos
 
Farmacologia aula-1
Farmacologia aula-1Farmacologia aula-1
Farmacologia aula-1
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
 
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
 
Dispensação de medicamentos cepss
Dispensação de medicamentos cepssDispensação de medicamentos cepss
Dispensação de medicamentos cepss
 
interações medicamentosas mais comuns
interações medicamentosas mais comunsinterações medicamentosas mais comuns
interações medicamentosas mais comuns
 
Eventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentosEventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentos
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
Aula - Básica - Adsorção & Distribuição
Aula - Básica - Adsorção & DistribuiçãoAula - Básica - Adsorção & Distribuição
Aula - Básica - Adsorção & Distribuição
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia
 

Destaque

Boas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticasBoas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticas
Cassyano Correr
 
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
angelitamelo
 
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitadosSemiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
angelitamelo
 
Prescrição farmacêutica
Prescrição farmacêuticaPrescrição farmacêutica
Prescrição farmacêutica
farmaefarma
 
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslidesharePrescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
angelitamelo
 
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaGuias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
angelitamelo
 
Prescrição Farmacêutica
Prescrição FarmacêuticaPrescrição Farmacêutica
Prescrição Farmacêutica
Rinaldo Ferreira
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
Cassyano Correr
 
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...
farmaefarma
 
Prescrição farmacêutica oficina para franqueado
Prescrição farmacêutica oficina para franqueadoPrescrição farmacêutica oficina para franqueado
Prescrição farmacêutica oficina para franqueado
farmaefarma
 
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Cassyano Correr
 
Indicação farmacêutica
Indicação farmacêuticaIndicação farmacêutica
Indicação farmacêutica
farmaefarma
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPS
Tiago Sampaio
 
Mip
MipMip
Módulo farmácia prescrição medicamentosa
Módulo farmácia   prescrição medicamentosaMódulo farmácia   prescrição medicamentosa
Módulo farmácia prescrição medicamentosa
Leonardo Alves
 
Complexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapiaComplexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapia
Cassyano Correr
 
Farmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_final
Farmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_finalFarmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_final
Farmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_final
angelitamelo
 
Pirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de AprendizagemPirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de Aprendizagem
Cassyano Correr
 
Semiologia farmaceutica
Semiologia farmaceuticaSemiologia farmaceutica
Semiologia farmaceutica
Cláudio Ferreira
 
Asma Brônquica
Asma BrônquicaAsma Brônquica
Asma Brônquica
Cassyano Correr
 

Destaque (20)

Boas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticasBoas práticas para revisões sistemáticas
Boas práticas para revisões sistemáticas
 
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
 
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitadosSemiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
 
Prescrição farmacêutica
Prescrição farmacêuticaPrescrição farmacêutica
Prescrição farmacêutica
 
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslidesharePrescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
 
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaGuias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
 
Prescrição Farmacêutica
Prescrição FarmacêuticaPrescrição Farmacêutica
Prescrição Farmacêutica
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
 
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Noemia Liege Maria da Cunha Be...
 
Prescrição farmacêutica oficina para franqueado
Prescrição farmacêutica oficina para franqueadoPrescrição farmacêutica oficina para franqueado
Prescrição farmacêutica oficina para franqueado
 
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
Projeto DEPICT: um novo sistema para caracterização dos componentes das inter...
 
Indicação farmacêutica
Indicação farmacêuticaIndicação farmacêutica
Indicação farmacêutica
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPS
 
Mip
MipMip
Mip
 
Módulo farmácia prescrição medicamentosa
Módulo farmácia   prescrição medicamentosaMódulo farmácia   prescrição medicamentosa
Módulo farmácia prescrição medicamentosa
 
Complexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapiaComplexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapia
 
Farmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_final
Farmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_finalFarmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_final
Farmacêutico clínico prescrição_farmacêutica_unifal_2015_final
 
Pirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de AprendizagemPirâmide de Aprendizagem
Pirâmide de Aprendizagem
 
Semiologia farmaceutica
Semiologia farmaceuticaSemiologia farmaceutica
Semiologia farmaceutica
 
Asma Brônquica
Asma BrônquicaAsma Brônquica
Asma Brônquica
 

Semelhante a O que são transtornos menores?

4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...
farmaefarma
 
Eventos Adversos a Medicamentos-aula (1).ppt
Eventos Adversos a Medicamentos-aula (1).pptEventos Adversos a Medicamentos-aula (1).ppt
Eventos Adversos a Medicamentos-aula (1).ppt
anaadreis
 
Epidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternáriaEpidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternária
Vinicius Moreira
 
aula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptxaula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptx
MayaraPereira87
 
8901
89018901
8901
Mlopes008
 
Semiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicadaSemiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicada
Centro Universitário Ages
 
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - SobrediagnósticoPrevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Segurança de Medicamentos
Segurança de MedicamentosSegurança de Medicamentos
Segurança de Medicamentos
Safia Naser
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
Cassyano Correr
 
Documentoo tcc
Documentoo tccDocumentoo tcc
Documentoo tcc
raaafinha
 
Aula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicação
Ana Filadelfi
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Clarissa Lessa
 
Aula31 07 2014
Aula31 07 2014Aula31 07 2014
Aula31 07 2014
Inaiara Bragante
 
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesaMedicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
Núcleo de Psicologia/Associação Oncológica do Algarve
 
Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós BariátricaAderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Simone Marchesini
 
Erros de Medicação - Marcelo Polacow
Erros de Medicação - Marcelo PolacowErros de Medicação - Marcelo Polacow
Erros de Medicação - Marcelo Polacow
Marcelo Polacow Bisson
 
Melhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMS
Melhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMSMelhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMS
Melhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMS
Proqualis
 
Medicina Alternativa
Medicina AlternativaMedicina Alternativa
Medicina Alternativa
carlos
 
Urm lenita wannmacher
Urm   lenita wannmacherUrm   lenita wannmacher
Urm lenita wannmacher
Luiz Fernando Lopes
 
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...
farmaefarma
 

Semelhante a O que são transtornos menores? (20)

4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dr. Cassyano Correr - O que é Trans...
 
Eventos Adversos a Medicamentos-aula (1).ppt
Eventos Adversos a Medicamentos-aula (1).pptEventos Adversos a Medicamentos-aula (1).ppt
Eventos Adversos a Medicamentos-aula (1).ppt
 
Epidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternáriaEpidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternária
 
aula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptxaula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptx
 
8901
89018901
8901
 
Semiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicadaSemiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicada
 
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - SobrediagnósticoPrevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
 
Segurança de Medicamentos
Segurança de MedicamentosSegurança de Medicamentos
Segurança de Medicamentos
 
Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
 
Documentoo tcc
Documentoo tccDocumentoo tcc
Documentoo tcc
 
Aula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicação
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
 
Aula31 07 2014
Aula31 07 2014Aula31 07 2014
Aula31 07 2014
 
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesaMedicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
 
Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós BariátricaAderência ao Tratamento Pós Bariátrica
Aderência ao Tratamento Pós Bariátrica
 
Erros de Medicação - Marcelo Polacow
Erros de Medicação - Marcelo PolacowErros de Medicação - Marcelo Polacow
Erros de Medicação - Marcelo Polacow
 
Melhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMS
Melhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMSMelhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMS
Melhorar a segurança no uso de medicação - Tópico 11_Guia Curricular da OMS
 
Medicina Alternativa
Medicina AlternativaMedicina Alternativa
Medicina Alternativa
 
Urm lenita wannmacher
Urm   lenita wannmacherUrm   lenita wannmacher
Urm lenita wannmacher
 
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...
4° Encontro de Lideranças Farmacêuticas - Dra. Dayani Galato - Papel do Farma...
 

Mais de Cassyano Correr

Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e FunçãoServiços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Cassyano Correr
 
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
Cassyano Correr
 
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Cassyano Correr
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Cassyano Correr
 
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Cassyano Correr
 
Revisão sobre Adesão ao Tratamento
Revisão sobre Adesão ao TratamentoRevisão sobre Adesão ao Tratamento
Revisão sobre Adesão ao Tratamento
Cassyano Correr
 
Revisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão ArterialRevisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão Arterial
Cassyano Correr
 
Revisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes MellitusRevisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes Mellitus
Cassyano Correr
 
Cuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidezCuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidez
Cassyano Correr
 
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à SaúdeGestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Cassyano Correr
 
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiosePicadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Cassyano Correr
 
Condições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colíriosCondições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colírios
Cassyano Correr
 
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Cassyano Correr
 
QSSF-Brasil
QSSF-BrasilQSSF-Brasil
QSSF-Brasil
Cassyano Correr
 
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitáriaAvaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Cassyano Correr
 
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitáriaAvaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Cassyano Correr
 
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
Cassyano Correr
 
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Cassyano Correr
 
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Cassyano Correr
 

Mais de Cassyano Correr (20)

Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e FunçãoServiços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
Serviços Clínicos Farmacêuticos - Estrutura e Função
 
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
10 Passos para a criação de um serviço farmacêutico de sucesso
 
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
Assistência Farmacêutica Avançada - Road Show Brasília - Nov2017
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
 
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
Atuação clínica do farmacêutico - Congresso Riopharma 2015
 
Revisão sobre Adesão ao Tratamento
Revisão sobre Adesão ao TratamentoRevisão sobre Adesão ao Tratamento
Revisão sobre Adesão ao Tratamento
 
Revisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão ArterialRevisão sobre Hipertensão Arterial
Revisão sobre Hipertensão Arterial
 
Revisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes MellitusRevisão sobre Diabetes Mellitus
Revisão sobre Diabetes Mellitus
 
Cuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidezCuidados farmacêuticos na gravidez
Cuidados farmacêuticos na gravidez
 
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à SaúdeGestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
Gestão Clínica de Medicamentos na Atenção Primária à Saúde
 
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiosePicadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
 
Condições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colíriosCondições oftálmicas e colírios
Condições oftálmicas e colírios
 
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
Efeitos da atenção farmacêutica em pacientes com diabetes tipo 2 em farmácia ...
 
QSSF-Brasil
QSSF-BrasilQSSF-Brasil
QSSF-Brasil
 
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitáriaAvaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
Avaliação da pressão arterial na farmácia comunitária
 
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitáriaAvaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
Avaliação da glicemia capilar na farmácia comunitária
 
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
 
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
Serviços Farmacêuticos Clínicos: O que dizem as Revisões Sistemáticas?
 
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
 
Os problemas dos MIPs
Os problemas dos MIPsOs problemas dos MIPs
Os problemas dos MIPs
 

O que são transtornos menores?

  • 1. O  que  são   transtornos  menores?   Cassyano  J  Correr   Departamento  de  Farmácia   Universidade  Federal  do  Paraná   4.  Encontro  de  lideranças  farmacêuticas   Farma&Farma   Balneário  Camboriú,  SC,  01  de  novembro  de  2013  
  • 2. THE  ECOLOGY  OF  MEDICAL  CARE   N  Engl  J  Med,  Vol.  344,  No.  26  ·  June  28,  2001  ·  
  • 3. 1.259  PESSOAS  ENTREVISTADAS  (15  A  94  ANOS)   60%   nenhuma   a6tude   3 2 %   a u t o m e d i c a ç ã o   63%   reportam   sintomas   nos   úl6mos   2   meses   8%   procuraram   médico   Rev  Panam  Salud  Publica/Pan  Am  J  Public  Health  20(1),  2006  
  • 4. O contínuo do autocuidado Cuidado médico puro (-) Responsabilidade “abdicada” Responsabilidade individual (+) Autocuidado puro vida saudável >>> transtornos menores >>> condições crônicas e agudas >>> cuidado hospitalar Escolhas diárias Prevenção e estilo de vida Condições crônicas: cuidado Transtornos compartilhado menores: manejo assistido Transtornos auto-manejados Condições agudas Cuidado psiquiátrico compulsório Trauma importante CHAMBERS,  R.  What  we  know  about  the  prac:ce  and  impact  of  self  care.     Disponível  em:    <hFp://www.selfcareconnect.co.uk/uploads/self_care_toolkit/sc4pc/chap2.pdf>.    
  • 5.
  • 6.
  • 7. J  R  Coll  Gen  Pract.  1981  September;  31(230):  548–552.  
  • 8. What  is  a  minor  illness?   •  A  minor  illness  can  be  de/ined  as  any   condition  that  is  self-­limiting  and  does   not  prevent  the  patient  from  carrying  out   their  normal  functions  for  more  than  a   short  period  of  time.   •  “Uma  enfermidade  menor  pode  ser   deWinida  como  qualquer  afecção  que  é   auto-­‐limitada  e  que  não  impede  o   paciente  de  realizar  suas  funções   normais  por  mais  do  que  um  curto   período  de  tempo.”   Faculdade  de  Medicina,  Universidade  de  Nongham,  UK.     hFp://www.nongham.ac.uk/medicine/study/    
  • 9. What  is  a  minor  ailment?   •  A  health  complaint  which,  with  simple  actions,   patients  can  handle  themselves.  Simple   actions  in  this  context  are  self-­care  which  does   not  involve  a  doctor;  for  instance  seeking   advice  in  a  pharmacy,  asking  acquaintances,   taking  OTC  drugs,  staying  in  bed,  or  using  self-­ certi/ied  work  absence.   •  “Uma  queixa  de  saúde  com  a  qual,  com  ações   simples,  os  pacientes  podem  lidar  sozinhos.   Ações  simples,  neste  contexto  incluem,  o   autocuidado  que  não  envolve  um  médico,  a   procura  de  conselho  em  uma  farmácia,  pedir   a  conhecidos,  tomar  medicamentos  OTC,   Wicar  na  cama,  ou  faltar  ao  trabalha  usando   uma  justiWicativa  própria.”   Noruega:  Scandinavian  Journal  of  Primary  Health  Care,  2011;  29:  39–44  
  • 11. Classificação  Internacional  de  Atenção   Primária  (CIAP  2)   Classificação  Internacional  de  Atenção  Primária  (CIAP  2).  2.  ed.  Florianópolis  :   Sociedade  Brasileira  de  Medicina  de  Família  e  Comunidade,  2009.  
  • 12. Problema  de  Saúde   Uma  avaliação  realizada  por  um  pro/issional  da  saúde   sobre  algo  que  preocupa  o  paciente,  o  pro/issional   (em  relação  à  saúde  do  paciente)  ou  ambos.   Isto  é,  qualquer  queixa,  observação  ou  evento  que  o   paciente  ou  o  pro/issional  da  saúde  percebe  como   um  desvio  da  normalidade,  e  que  já  afetou,  afeta  ou   pode  afetar  a  capacidade  funcional  do  paciente.   Um  problema  cronico  é  um  problema  de  saúde  com   uma  duração  de  seis  meses  ou  mais.   Juan  Gérvas,  citando  a  :  Neelon  FA,  Ellis  GJ.  A  syllabus  of  problem-­‐oriented   pa:ent  care.  3rd  edi:on.  Boston:  LiFle,  Brown,  and  Co;  1976.  
  • 13. Classificação  Internacional  de  Atenção  Primária  (CIAP   2).  2.  ed.  Florianópolis  :  Sociedade  Brasileira  de   Medicina  de  Família  e  Comunidade,  2009.  
  • 14. O  que  é  um  problema  de     saúde  autolimitado?   “Enfermidade  aguda  de  baixa  gravidade,  de  breve   período  de  latência,  que  desencadeia  uma  reação   orgânica  a  qual  tende  a  cursar  sem  dano  para  o   paciente  e  que  pode  ser  tratada  de  forma  eWicaz  e   segura  com  medicamentos  e  outros  produtos  com   Winalidade  terapêutica,  cuja  dispensação  não  exija   prescrição  médica,  incluindo  medicamentos   industrializados  e  preparações  magistrais  -­‐  alopáticos   ou  dinamizados  -­‐,  plantas  medicinais,  drogas  vegetais   ou  com  medidas  não  farmacológicas.”   Conselho  Federal  de  Farmácia  -­‐  Resolução  585/2013  
  • 15. Sinais  e  sintomas  como  motivo  de   consulta  com  o  farmacêutico   Problemas  de   saúde  que   podem  ser   tratados  com   medicamentos   não  tarjados   A  presença  de   sinais  e   sintomas  de   alerta   Orientação  para   uma  rede  de   segurança   Um  problema  de   saúde  que  está   incomodando   Dúvida  sobre   que  remédio   usar   Acha  que  não   deve  ser  grave  e   que  o   farmacêu:co   pode  ajudar  a   resolver   Fonte:  hFp://files.myopera.com/yevgeny/blog/MUR.jpeg    
  • 16. Faculdade  de  Medicina,  Universidade  de  Nongham,  UK.     hFp://www.nongham.ac.uk/medicine/study/    
  • 17. Sinais  e  Sintomas  de  Alerta   Brasil.  Acolhimento  à  demanda  espontânea  :  queixas  mais  comuns  na  Atenção  Básica  /  Ministério  da  Saúde,   Secretaria  de  Atenção  à  Saúde,  Departamento  de  Atenção  Básica.  –  Brasília  :  Ministério  da  Saúde,  2012.  
  • 18. 1.  Constipação  intestinal   2.  Tosse   3.  Diarréia   4.  Dor  de  ouvido   5.  Rinite  Alérgica   6.  Piolhos   7.  Dor  de  cabeça   8.  Indigestão   9.  Sintomas  nasais   10.  Dor  de  garganta   11.  Febre   12.  Sapinho   13.  Sintomas  de  infecção  do   trato  respiratório   superior  
  • 19. Sapinho   Piolhos   Tosse   Cons:pação   Dor  de  garganta   Sintomas  nasais   Indigestão   Rinite  alérgica   Diarréia   Febre   Dor  de  ouvido   Dor  de  cabeça   Infecção  do  trato  respiratório  superior  (ITRS)   Health  Econ.  13:  73–86  (2004)  
  • 20.
  • 21.
  • 22. A  total  of  12,567  cases  were  evaluated.   Relevant  drug-­‐related  problems  in  OTC   drug  use  are  frequent  and  occurred  in   almost  1  out  of  5  encounters  (17.6%).   Approximately  75%  of  the  customers   requested  a  speciWic  OTC  product.  In   these  cases  most  DRPs  was  identiWied   (80%).   The  most  frequent  DRPs  were   inappropriate  self-­‐  medication,   inappropriate  requested  drug,  dura-­‐ tion  of  drug  use  too  long  (including   abuse),  and  wrong  dosage.   pharmacoepidemiology  and  drug  safety  2012;  21:  254–260  
  • 23. Rinite  alérgica   Afta   Artrite   Pé  de  atleta   Cerume   Constipação   Tosse   Diarréia   Dispepsia   Dor  de  ouvido   Disfunção  erétil   Otite  externa   Febre   Gastroenterite   Dor  de  cabeça   Piolhos   Hemorróidas   Sintomas  de  gripe   Verminoses  em  crianças   Úlcera  de  perna   Enxaqueca   Eczema  leve   Problemas  músculo-­‐esqueléticos  leves   Úlcera  na  boca   Náusea   Excesso  de  peso   Verruga  plantar   contraceptivos  de  emergência   Prevenção  de  infecções  do  trato  urinário   Dor  de  garganta   Picadas  /  mordidas   Infecção  do  trato  respiratório  superior   Noruega:  Scandinavian  Journal  of  Primary  Health  Care,  2011;  29:  39–44  
  • 24.
  • 25. FIM   4.  Encontro  de  lideranças  farmacêuticas   Farma&Farma   Balneário  Camboriú,  SC,  01  de  novembro  de  2013