SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
 
[object Object],Videos  - a revolução Liberal
Séc. XVIII  -   Vésperas da Revolução Francesa  Ao lado do marido, Luís XVI, Maria Antonieta  recebe convidados num baile em Versalhes.  Ela enche a corte de gente jovem e bonita  Este mundo estava condenado a desaparecer… Luís XVI é decapitado   Em  1789 , ocorreu em França uma  Revolução que pôs fim à monarquia absoluta de Luis XVI
As novas “Ideias Francesas” ,[object Object],[object Object],Estas ideias revolucionárias assustaram alguns reis absolutistas da Europa .  Uniram-se e declararam guerra à França. ,[object Object],Napoleão Bonaparte General francês, conseguiu dominar grande parte da Europa, excepto a Inglaterra. A liberdade ou a morte
Video  sobre as  Invasões francesas
Então, Napoleão Bonaparte ordenou o Bloqueio Continental a todos os países europeus para fecharem os seus portos ao comércio com a Inglaterra.
 
[object Object],Novembro de 1807-  As primeiras tropas francesas sob o comando de  Junot   entram em Portugal, pela Beira Baixa, seguem para Castelo Branco, marcham até Lisboa onde chegam a  30 de Novembro.  Fuga para o Brasil do Príncipe Regente de Portugal, D. João VI, e de toda a família real, no Porto de Belém, às 11 horas da manhã de 27 de Novembro de 1807.
Março de 1809  -  sob o comando de  Soult , as tropas francesas entram em Portugal, em direcção ao Porto. Os portugueses pedem ajuda a Inglaterra
Durante a   segunda invasão francesa, comandada por  Soult , a ponte ruiu devido ao peso excessivo do povo que, em pânico, a atravessava; viraram-se no rio botes carregados de gente... e cerca de quatro mil pessoas morreram. Desastre da Ponte das Barcas, ligação de Gaia ao Porto
1810 3ª Invasão francesa O  exército francês  era comandado pelo  general Massena . Massena Os franceses entraram em Portugal  por Almeida, na Beira Alta e dirigiram-se  pelo centro do país até Lisboa.
O general Wellington que comandava as tropas luso-inglesas organizou a defesa e os franceses foram derrotados na Batalha do BUÇACO.
Nas Linhas de Torres Vedras exército português e inglês derrotou definitivamente os franceses. Aqui, tinham sido construídas três linhas de defesa a Lisboa – as Linhas de Torres Vedras
Anos Principais Acontecimentos 1806 Bloqueio Continental à Inglaterra Recusa de Portugal em Obedecer ao Bloqueio 1807 1ª Invasão Francesa por Junot Fuga da Família real para o Brasil e o governo do reino é entregue a uma Assembleia de Regência 1808 Desembarque das tropas inglesas em Portugal 1809 2ª Invasão Francesa- Soult 1810 3ª Invasão- Massena 1811 Retirada  dos franceses
Videos  - Sem  perder a majestade
Leitura dos documentos da página 73 e 75
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
General  Beresford,  responsável pela governação de Portugal  nomeou para cargos políticos , militares, judiciais ingleses  Reactivou a Inquisição Perseguiu os simpatizantes dos ideias revolucionários franceses Exercício de um  poder  autoritário e repressivo  sobre a população portuguesa  clima favorável a conspirações contra a situação em que o país vivia.
Gomes Freire de Andrade Em 1817, Gomes Freire de Andrade, liderou uma tentativa para mudar o regime, exigir o regresso do rei e expulsar os ingleses do nosso país. Esta tentativa não foi bem sucedida porque foram descobertos e os seus responsáveis foram presos e condenados à morte.
 
A preparação da Revolução - 1820 O Sinédrio Sociedade secreta, criada no Porto, em 1818 Formado por um conjunto de burgueses portuenses e alguns militares, dirigidos pelo juiz   Manuel Fernandes Tomás . No dia 24 de Agosto de  1820,  os conspiradores fizeram rebentar a  REVOLUÇÃO… … que começou no  PORTO… … espalhando-se por todo o  País Lisboa em festa, recebe os revolucionários nortenhos que se manifestam contra a monarquia absoluta e contra a presença dos ingleses Era o triunfo da Revolução Liberal Os ingleses foram afastados. Criou-se um  Governo Provisório Fim do Absolutismo
Em 1817 (no ano seguinte), um grupo de liberais do Porto (constituído por juízes, comerciantes, proprietários e militares) formou uma associação secreta – o Sinédrio – que era liderada por Fernandes Tomás e tinha como objectivo preparar uma revolução. A 24 de Agosto de 1820, aproveitando a ausência de Beresford (general inglês nomeado por D. João VI como marechal do exército português, a quem foram concedidos grandes poderes para acabar com qualquer tipo de conspirações liberais), o Sinédrio fez despoletar , no Porto, a Revolução Liberal. Rapidamente, a revolução se estendeu a Lisboa e ao resto do país. Os ingleses foram afastados do governo e os revolucionários criaram um  governo provisório  (Junta Provisional de Governo do Reino) que, de imediato, tomou medidas para resolver os problemas do reino. Fernandes Tomás Leitura da pág 71 , doc 87
Manuel Fernandes Tomás, um dos principais líderes da Constituição de 1822 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugalcattonia
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo portuguêscattonia
 
6 02 a sociedade industrial e urbana
6 02 a sociedade industrial e urbana6 02 a sociedade industrial e urbana
6 02 a sociedade industrial e urbanaVítor Santos
 
Tratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro BrasileiroTratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro BrasileiroAna Barreiros
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820JoanaRitaSilva
 
A Revolução Americana
A Revolução Americana   A Revolução Americana
A Revolução Americana Susana Simões
 
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviiiVítor Santos
 
A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90BarbaraSilveira9
 
4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeia4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeiaVítor Santos
 
Invasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugalInvasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugalSara Catarina
 
A sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeA sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeSusana Simões
 
00 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_500 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_5Vítor Santos
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoAna Barreiros
 
Revolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºanoRevolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºanoLuisMagina
 
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatívelA guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatívelAnabela Sobral
 

Mais procurados (20)

Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugal
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
6 02 a sociedade industrial e urbana
6 02 a sociedade industrial e urbana6 02 a sociedade industrial e urbana
6 02 a sociedade industrial e urbana
 
Tratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro BrasileiroTratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro Brasileiro
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
 
A Revolução Americana
A Revolução Americana   A Revolução Americana
A Revolução Americana
 
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
 
A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90
 
4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeia4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeia
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
 
11. revolução francesa
11. revolução francesa11. revolução francesa
11. revolução francesa
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
 
Invasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugalInvasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugal
 
A sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeA sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo Regime
 
00 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_500 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_5
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
 
Revolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºanoRevolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºano
 
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatívelA guerra civil entre d. pedro e d. miguel   compatível
A guerra civil entre d. pedro e d. miguel compatível
 

Destaque

As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesasjdlimaaear
 
1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos Liberais1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos LiberaisSandra Sousa
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalinoborgia
 
Império português no século XVIII
Império português no século XVIIIImpério português no século XVIII
Império português no século XVIIIcruchinho
 
Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...
Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...
Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...maria.antonia
 
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822maria.antonia
 
Teste hgp 3 correção
Teste hgp 3   correçãoTeste hgp 3   correção
Teste hgp 3 correçãoAna Pereira
 
Teste hgp a vida nos campos e nas cidades século xix
Teste hgp a vida nos campos e nas cidades século xixTeste hgp a vida nos campos e nas cidades século xix
Teste hgp a vida nos campos e nas cidades século xixAna Pereira
 
O Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIIIO Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIIIBeatriz Moscatel
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiCarlos Vaz
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoAna Barreiros
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismocruchinho
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820José Palma
 
Teste hgp 2 correção
Teste hgp 2   correçãoTeste hgp 2   correção
Teste hgp 2 correçãoAna Pereira
 
Império e monarquia absoluta no século XVIII
Império e monarquia absoluta no século XVIIIImpério e monarquia absoluta no século XVIII
Império e monarquia absoluta no século XVIIIcruchinho
 
Mini ficha avaliação correção
Mini ficha avaliação   correçãoMini ficha avaliação   correção
Mini ficha avaliação correçãoAna Pereira
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Testejdlimaaear
 

Destaque (20)

O Absolutismo
O AbsolutismoO Absolutismo
O Absolutismo
 
As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesas
 
1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos Liberais1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos Liberais
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
 
Friso CronolóGico
Friso CronolóGicoFriso CronolóGico
Friso CronolóGico
 
Império português no século XVIII
Império português no século XVIIIImpério português no século XVIII
Império português no século XVIII
 
Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...
Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...
Ficha de avaliação - HGP - 6ºAno - O Império Português no Século XVIII/ D. Jo...
 
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
 
Teste hgp 3 correção
Teste hgp 3   correçãoTeste hgp 3   correção
Teste hgp 3 correção
 
Teste hgp a vida nos campos e nas cidades século xix
Teste hgp a vida nos campos e nas cidades século xixTeste hgp a vida nos campos e nas cidades século xix
Teste hgp a vida nos campos e nas cidades século xix
 
O Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIIIO Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIII
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviii
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
 
Teste hgp 2 correção
Teste hgp 2   correçãoTeste hgp 2   correção
Teste hgp 2 correção
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Império e monarquia absoluta no século XVIII
Império e monarquia absoluta no século XVIIIImpério e monarquia absoluta no século XVIII
Império e monarquia absoluta no século XVIII
 
Mini ficha avaliação correção
Mini ficha avaliação   correçãoMini ficha avaliação   correção
Mini ficha avaliação correção
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
 

Semelhante a Revolução Liberal de 1820 e descontentamento dos portugueses

1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp011820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01blade40p
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismoJoana12so
 
A Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptxA Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptxNuno Faustino
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaMC123456789
 
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)Ligia Eiras
 
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   CompletoA ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completoricardup
 
14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismoVanessa Jorge
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820joanacunha9406
 
A Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal PortuguesaA Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal Portuguesakikatitic
 
A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808ProfessoresColeguium
 
A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808ProfessoresColeguium
 
Processo de independência do Brasil
Processo de independência do BrasilProcesso de independência do Brasil
Processo de independência do BrasilAna Souza
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Laboratório de História
 
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugalVítor Santos
 
Revolução e invasões francesas
Revolução e invasões francesasRevolução e invasões francesas
Revolução e invasões francesaspereiraepereira1
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções LiberaisCarlos Vieira
 

Semelhante a Revolução Liberal de 1820 e descontentamento dos portugueses (20)

Apresentação resumida do liberalismo em Portugal
Apresentação resumida do liberalismo em PortugalApresentação resumida do liberalismo em Portugal
Apresentação resumida do liberalismo em Portugal
 
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp011820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 
A Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptxA Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptx
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
 
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   CompletoA ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
 
Revolução de 1820
Revolução de 1820Revolução de 1820
Revolução de 1820
 
14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo
 
1820 E O Liberalismo
1820 E O Liberalismo1820 E O Liberalismo
1820 E O Liberalismo
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820
 
A Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal PortuguesaA Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal Portuguesa
 
A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808
 
A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 
Processo de independência do Brasil
Processo de independência do BrasilProcesso de independência do Brasil
Processo de independência do Brasil
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
 
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
 
Revolução e invasões francesas
Revolução e invasões francesasRevolução e invasões francesas
Revolução e invasões francesas
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções Liberais
 

Mais de Carla Teixeira

A civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptA civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptCarla Teixeira
 
1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.pptCarla Teixeira
 
a polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppta polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.pptCarla Teixeira
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1Carla Teixeira
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3Carla Teixeira
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2Carla Teixeira
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2Carla Teixeira
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2Carla Teixeira
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7Carla Teixeira
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Carla Teixeira
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Carla Teixeira
 

Mais de Carla Teixeira (20)

A civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptA civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.ppt
 
1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt
 
a polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppta polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppt
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1
 
Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2
 
Neoclássico parte3
Neoclássico parte3Neoclássico parte3
Neoclássico parte3
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 

Revolução Liberal de 1820 e descontentamento dos portugueses

  • 1.  
  • 2.
  • 3. Séc. XVIII - Vésperas da Revolução Francesa Ao lado do marido, Luís XVI, Maria Antonieta recebe convidados num baile em Versalhes. Ela enche a corte de gente jovem e bonita Este mundo estava condenado a desaparecer… Luís XVI é decapitado Em 1789 , ocorreu em França uma Revolução que pôs fim à monarquia absoluta de Luis XVI
  • 4.
  • 5. Video sobre as Invasões francesas
  • 6. Então, Napoleão Bonaparte ordenou o Bloqueio Continental a todos os países europeus para fecharem os seus portos ao comércio com a Inglaterra.
  • 7.  
  • 8.
  • 9.
  • 10. Março de 1809 - sob o comando de Soult , as tropas francesas entram em Portugal, em direcção ao Porto. Os portugueses pedem ajuda a Inglaterra
  • 11. Durante a segunda invasão francesa, comandada por Soult , a ponte ruiu devido ao peso excessivo do povo que, em pânico, a atravessava; viraram-se no rio botes carregados de gente... e cerca de quatro mil pessoas morreram. Desastre da Ponte das Barcas, ligação de Gaia ao Porto
  • 12. 1810 3ª Invasão francesa O exército francês era comandado pelo general Massena . Massena Os franceses entraram em Portugal por Almeida, na Beira Alta e dirigiram-se pelo centro do país até Lisboa.
  • 13. O general Wellington que comandava as tropas luso-inglesas organizou a defesa e os franceses foram derrotados na Batalha do BUÇACO.
  • 14. Nas Linhas de Torres Vedras exército português e inglês derrotou definitivamente os franceses. Aqui, tinham sido construídas três linhas de defesa a Lisboa – as Linhas de Torres Vedras
  • 15. Anos Principais Acontecimentos 1806 Bloqueio Continental à Inglaterra Recusa de Portugal em Obedecer ao Bloqueio 1807 1ª Invasão Francesa por Junot Fuga da Família real para o Brasil e o governo do reino é entregue a uma Assembleia de Regência 1808 Desembarque das tropas inglesas em Portugal 1809 2ª Invasão Francesa- Soult 1810 3ª Invasão- Massena 1811 Retirada dos franceses
  • 16. Videos - Sem perder a majestade
  • 17. Leitura dos documentos da página 73 e 75
  • 18.
  • 19. General Beresford, responsável pela governação de Portugal nomeou para cargos políticos , militares, judiciais ingleses Reactivou a Inquisição Perseguiu os simpatizantes dos ideias revolucionários franceses Exercício de um poder autoritário e repressivo sobre a população portuguesa clima favorável a conspirações contra a situação em que o país vivia.
  • 20. Gomes Freire de Andrade Em 1817, Gomes Freire de Andrade, liderou uma tentativa para mudar o regime, exigir o regresso do rei e expulsar os ingleses do nosso país. Esta tentativa não foi bem sucedida porque foram descobertos e os seus responsáveis foram presos e condenados à morte.
  • 21.  
  • 22. A preparação da Revolução - 1820 O Sinédrio Sociedade secreta, criada no Porto, em 1818 Formado por um conjunto de burgueses portuenses e alguns militares, dirigidos pelo juiz Manuel Fernandes Tomás . No dia 24 de Agosto de 1820, os conspiradores fizeram rebentar a REVOLUÇÃO… … que começou no PORTO… … espalhando-se por todo o País Lisboa em festa, recebe os revolucionários nortenhos que se manifestam contra a monarquia absoluta e contra a presença dos ingleses Era o triunfo da Revolução Liberal Os ingleses foram afastados. Criou-se um Governo Provisório Fim do Absolutismo
  • 23. Em 1817 (no ano seguinte), um grupo de liberais do Porto (constituído por juízes, comerciantes, proprietários e militares) formou uma associação secreta – o Sinédrio – que era liderada por Fernandes Tomás e tinha como objectivo preparar uma revolução. A 24 de Agosto de 1820, aproveitando a ausência de Beresford (general inglês nomeado por D. João VI como marechal do exército português, a quem foram concedidos grandes poderes para acabar com qualquer tipo de conspirações liberais), o Sinédrio fez despoletar , no Porto, a Revolução Liberal. Rapidamente, a revolução se estendeu a Lisboa e ao resto do país. Os ingleses foram afastados do governo e os revolucionários criaram um governo provisório (Junta Provisional de Governo do Reino) que, de imediato, tomou medidas para resolver os problemas do reino. Fernandes Tomás Leitura da pág 71 , doc 87
  • 24.
  • 25.  

Notas do Editor

  1. Elisabete Ferreira