SlideShare uma empresa Scribd logo
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das
Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e
CIPE)
Enfª R1 Gabrielle Pessôa
Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº Luiz Tavares
Programa de Especialização em Cardiologia Modalidade
Residência
Março
2015
Objetivos
• Abordar o processo de enfermagem;
• Conceituar os diagnósticos de enfermagem;
• Diferenciar diagnósticos de enfermagem de diagnósticos
médicos;
• Elencar e explanar as taxonomias NANDA, NIC, NOC e
CIPE;
•Organiza-se em cinco etapas inter-relacionadas, interdependentes e
recorrentes.
O Processo de Enfermagem
•Instrumento metodológico que orienta o cuidado profissional de
Enfermagem e a documentação da prática profissional.
•A sua operacionalização e documentação evidencia a contribuição da
enfermagem na atenção à saúde da população, aumentando a visibilidade e
o reconhecimento profissional.
(Resolução COFEN 358/2009)
Etapas do Processo de Enfermagem
1- Coleta de dados de enfermagem/Histórico de
enfermagem
2- Diagnóstico de enfermagem
3- Planejamento de enfermagem
4- Implementação
5- Avaliação de enfermagem
Ao enfermeiro, incumbe a liderança na execução e
avaliação do Processo de Enfermagem.
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos Médicos
x
Diagnósticos de Enfermagem
IMPORTANTE!
“Processo de interpretação e agrupamento dos dados coletados na
primeira etapa, representando, com mais exatidão, as respostas da
pessoa, família ou coletividade humana em um dado momento do
processo saúde e doença.” (COFEN, 2009)
Os sistemas de classificação de
enfermagem podem ser utilizados
como ferramentas de auxílio e
qualificação.
Classificação de Diagnósticos de
Enfermagem da NANDA-I
• NANDA-I: North American Nursing Diagnosis
Association International
Oficializada em 1982
Eventos bienais
A participação de enfermeiros brasileiros somente em
1990 na VIII Conferência da NANDA
• Estrutura da taxonomia constituída de três níveis:
 13 Domínios
47 Classes
210 Diagnósticos de enfermagem
7 Eixos: foco diagnóstico, sujeito diagnóstico,
julgamento, localização, idade, tempo e situação do
diagnóstico.
Diagnóstico de enfermagem: Julgamento clínico das
respostas do indivíduo, da família ou da comunidade a
problemas de saúde/processos vitais, reais ou potenciais [...]
(NANDA, 2013)
NANDA-I
Domínios:
• Promoção da Saúde
• Nutrição
• Eliminação e Troca
• Atividade e repouso
• Percepção/cognição
• Autopercepção
• Papéis/relacionamentos
NANDA-I
• Sexualidade
• Enfrentamento/tolerân
cia ao estresse
• Princípios da vida
• Segurança/proteção
• Conforto
• Crescimento/desenvolvi
mento
“esfera de conhecimentos, influências e
questionamento” (NANDA, 2013)
Classe: “um grupo, conjunto ou tipo que partilha atributos comuns”
(NANDA, 2013)
Composição dos Diagnósticos de
Enfermagem
Título Definição Fatores
relacionados
Fatores de risco Características
definidoras
Dor Aguda Experiência
sensorial e
emocional
desagradável
causada por
lesões tissulares
reais ou
potenciais [...]
Agentes lesivos x Relato verbal,
fácies de dor
Risco de
Infecção
Risco
aumentado de
invasão p/
microorganismo
s patogênicos
x Procedimentos
invasivos
x
Tipos de Diagnósticos de
Enfermagem
Real
Promoção da Saúde
Risco
Síndrome
NANDA, 2013.
NIC (Nursing Interventions
Classification)
• Contempla aspectos fisiológicos e psicossociais do ser
humano, incluindo tratamento, prevenção e promoção
da saúde.
Intervenção de enfermagem: “Qualquer tratamento baseado
no julgamento e conhecimento clínico , que seja realizado por
um enfermeiro para melhorar os resultados do
paciente/cliente. Trata-se de uma ação autônoma executada
com base científica e em benefício do cliente, ralacionada a
um DE, com vistas a atingir os melhores resultados
possíveis” (NIC, 2010)
• Estrutura taxonômica: domínios, classes e
intervenções
• 7 domínios, 30 classes, 542 intervenções e mais de 12 mil
atividades/ações.
Domínios:
• 1) Fisiológico básico
• 2)Fisiológico Complexo
• 3) Comportamental
• 4) Segurança
• 5) Família
• 6) Sistema de Saúde
• 7) Comunidade
NIC (Nursing Interventions
Classification)
Tipos de Intervenções
Intervenções diretas
Intervenções indiretas
Fonte: NIC, 2010.
NOC (Nursing Outcomes
Classification)
Resultado de enfermagem: “O estado, comportamento, ou
percepção de um indivíduo, da família e comunidade ,
mensurado ao longo de um continuum, em resposta a uma ou
mais intervenções de enfermagem.” (NOC, 2010)
Estrutura taxonômica possui 5 níveis: 7 domínios, 31 classes, 385
resultados, indicadores e escalas de mensuração.
Domínios: Saúde funcional
Saúde fisiológica
Saúde psicossocial
Conhecimento de saúde e comportamento
Saúde percebida
Saúde familiar
Saúde comunitária
Controle
da dor
Nunca
demonstra
do
Raramente
demonstra
do
Algumas
vezes
demonstra
do
Frequente
mente
demonstra
do
Consistent
emente
demonstra
do
Reconhecim
ento do
início da dor
1 2 3 4 5
Uso de
medidas
preventivas
1 2 3 4 5
NOC (Nursing Outcomes
Classification)
Fonte: NOC, 2010.
CIPE (Classificação Internacional
da Prática de Enfermagem)
Elaborada pelo Conselho Internacional dos Enfermeiros
(International Council of Nursing – ICN) em 1989.
Constitui uma uniformização das terminologias
científicas reunindo diagnósticos (fenômenos),
intervenções e resultados da prática de enfermagem, a
partir do “modelo de sete eixos”.
Descreve cuidados de enfermagem que são
desenvolvidos em uma grande variedade de cenários,
institucionais ou não.
Eixos da CIPE
1) Foco
2) Juízo
3) Recursos
4) Ação
5) Tempo
6) Localização
7) Cliente
EX.: DE: Dor aguda intensa intermitente no pé direito.
IE: Aliviar a dor com compressa fria, 3x ao dia.
Diagnóstico de enfermagem
Intervenção de enfermagem+ Termo alvo
Referências Bibliográficas
• ALMEIDA M.A. et. al. Processo de enfermagem na prática clínica [recurso
eletrônico]: estudos clínicos baseados na prática do Hospital de Clínicas de
Porto Alegre. Porto Alegre: Artmed, 2011.
• MAZONI, S.R.; RODRIGUES, C.C.; SANTOS, D.S. et. al. Classificação
Internacional para a Prática de Enfermagem e a contribuição brasileira.
Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 63, n. 2, p. 285-289, 2010.
• North American Nursing Diagnosis Association (NANDA). Diagnósticos
de Enfermagem da NANDA: Definições e classificação 2009-2011.
Tradução de Cristina Correa. Porto Alegre: Artmed, 2009.
• CIE. Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem, Versão 2.
Tradução de Hermínia Castro. Genebra, 2011.
Obrigada!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagemModelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagem
Raíssa Soeiro
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
Rafaela Amanso
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Luziane Costa
 
Etapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de EnfermagemEtapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de Enfermagem
Paulo Aragão
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
universitária
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Rodrigo Abreu
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
Sae
SaeSae
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Karynne Alves do Nascimento
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
Ricardo Augusto
 
Wanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar HortaWanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar Horta
brunafreitas543908
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
Vanessa Farias
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Fabricio Marques Moreira
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
Rodrigo Abreu
 
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIATEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
Letícia Spina Tapia
 
RCP
RCPRCP
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
Fernando Dias
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
Katia Pontes Remijo
 
Prontuário
ProntuárioProntuário
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Ravenny Caminha
 

Mais procurados (20)

Modelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagemModelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagem
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
 
Etapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de EnfermagemEtapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de Enfermagem
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
 
Wanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar HortaWanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar Horta
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIATEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
 
RCP
RCPRCP
RCP
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
Prontuário
ProntuárioProntuário
Prontuário
 
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
 

Destaque

Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomiasDiagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
resenfe2013
 
Diagnóstico de enfermagem
Diagnóstico de enfermagemDiagnóstico de enfermagem
Diagnóstico de enfermagem
danilo oliveira
 
Estudo de caso 01
Estudo de caso 01Estudo de caso 01
Estudo de caso 01
Rafael Camara
 
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEMPROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
Exposição a material biológico
Exposição a material biológicoExposição a material biológico
Exposição a material biológico
Joana Darc Calado
 
Monitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leitoMonitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leito
resenfe2013
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
resenfe2013
 
Cipesc
CipescCipesc

Destaque (8)

Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomiasDiagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
 
Diagnóstico de enfermagem
Diagnóstico de enfermagemDiagnóstico de enfermagem
Diagnóstico de enfermagem
 
Estudo de caso 01
Estudo de caso 01Estudo de caso 01
Estudo de caso 01
 
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEMPROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
 
Exposição a material biológico
Exposição a material biológicoExposição a material biológico
Exposição a material biológico
 
Monitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leitoMonitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leito
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
 
Cipesc
CipescCipesc
Cipesc
 

Semelhante a Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)

Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptxDiagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
JessiellyGuimares
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
Socorro Carneiro
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
Socorro Carneiro
 
Sae pronto unic
Sae pronto unicSae pronto unic
Sae pronto unic
Gabriela Severo Minghelli
 
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúdeAula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
LviaResende3
 
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mentalO diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
Aroldo Gavioli
 
TEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptxTEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptx
Milena Ramos
 
SAE - CIPE.pdf
SAE - CIPE.pdfSAE - CIPE.pdf
SAE - CIPE.pdf
ssuser977d8c
 
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdfAula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
LarissaMachado97
 
aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...
aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...
aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...
DouglasSantos936253
 
diagnóstico e intervenção de enfermagem
diagnóstico e intervenção de enfermagemdiagnóstico e intervenção de enfermagem
diagnóstico e intervenção de enfermagem
Criadouro Adriano Lima
 
SLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptx
SLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptxSLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptx
SLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptx
MrcioFlvioArajo
 
SAE 1.pptx
SAE 1.pptxSAE 1.pptx
SAE 1.pptx
nagelasouza1
 
363
363363
363
ufmaitz
 
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptxEEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
Judiclênia Macêdo
 
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptxEEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
CoordenaodeEnfermage2
 
aulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdfaulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdf
JuniorVeloso10
 
1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
pamelacastro71
 
DE_NANDA.pptx
DE_NANDA.pptxDE_NANDA.pptx
DE_NANDA.pptx
ThaisAndreadeOliveir
 
O-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptx
O-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptxO-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptx
O-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptx
DheniseMikaelly
 

Semelhante a Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE) (20)

Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptxDiagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
 
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
2a Aula Diagnóstico de Enfermagem - 04_12_19.pptx
 
Sae pronto unic
Sae pronto unicSae pronto unic
Sae pronto unic
 
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúdeAula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
Aula Processo de Enfermagem na atenção primária a saúde
 
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mentalO diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
 
TEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptxTEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptx
 
SAE - CIPE.pdf
SAE - CIPE.pdfSAE - CIPE.pdf
SAE - CIPE.pdf
 
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdfAula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
 
aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...
aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...
aula de Raciocinio clinico para estudantes de graduação em enfermagem e biome...
 
diagnóstico e intervenção de enfermagem
diagnóstico e intervenção de enfermagemdiagnóstico e intervenção de enfermagem
diagnóstico e intervenção de enfermagem
 
SLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptx
SLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptxSLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptx
SLIDE PADRÃO CURSO PARECERISTA-FINAL (1).pptx
 
SAE 1.pptx
SAE 1.pptxSAE 1.pptx
SAE 1.pptx
 
363
363363
363
 
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptxEEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
 
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptxEEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
EEAN3 - Aula Proc Enf WAH.pptx
 
aulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdfaulaprocessodeenfermagem.pdf
aulaprocessodeenfermagem.pdf
 
1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
1673534962217.pptxn,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
 
DE_NANDA.pptx
DE_NANDA.pptxDE_NANDA.pptx
DE_NANDA.pptx
 
O-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptx
O-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptxO-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptx
O-Processo-de-Enfermagem-Uma-Jornada-de-Cuidado.pptx
 

Mais de resenfe2013

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
resenfe2013
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
resenfe2013
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
resenfe2013
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
resenfe2013
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
resenfe2013
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
resenfe2013
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
resenfe2013
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
resenfe2013
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
resenfe2013
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
resenfe2013
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
resenfe2013
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
resenfe2013
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
resenfe2013
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
resenfe2013
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
resenfe2013
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
resenfe2013
 

Mais de resenfe2013 (20)

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
 

Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)

  • 1. Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE) Enfª R1 Gabrielle Pessôa Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº Luiz Tavares Programa de Especialização em Cardiologia Modalidade Residência Março 2015
  • 2. Objetivos • Abordar o processo de enfermagem; • Conceituar os diagnósticos de enfermagem; • Diferenciar diagnósticos de enfermagem de diagnósticos médicos; • Elencar e explanar as taxonomias NANDA, NIC, NOC e CIPE;
  • 3. •Organiza-se em cinco etapas inter-relacionadas, interdependentes e recorrentes. O Processo de Enfermagem •Instrumento metodológico que orienta o cuidado profissional de Enfermagem e a documentação da prática profissional. •A sua operacionalização e documentação evidencia a contribuição da enfermagem na atenção à saúde da população, aumentando a visibilidade e o reconhecimento profissional. (Resolução COFEN 358/2009)
  • 4. Etapas do Processo de Enfermagem 1- Coleta de dados de enfermagem/Histórico de enfermagem 2- Diagnóstico de enfermagem 3- Planejamento de enfermagem 4- Implementação 5- Avaliação de enfermagem Ao enfermeiro, incumbe a liderança na execução e avaliação do Processo de Enfermagem.
  • 6. Diagnósticos de Enfermagem IMPORTANTE! “Processo de interpretação e agrupamento dos dados coletados na primeira etapa, representando, com mais exatidão, as respostas da pessoa, família ou coletividade humana em um dado momento do processo saúde e doença.” (COFEN, 2009) Os sistemas de classificação de enfermagem podem ser utilizados como ferramentas de auxílio e qualificação.
  • 7. Classificação de Diagnósticos de Enfermagem da NANDA-I • NANDA-I: North American Nursing Diagnosis Association International Oficializada em 1982 Eventos bienais A participação de enfermeiros brasileiros somente em 1990 na VIII Conferência da NANDA
  • 8. • Estrutura da taxonomia constituída de três níveis:  13 Domínios 47 Classes 210 Diagnósticos de enfermagem 7 Eixos: foco diagnóstico, sujeito diagnóstico, julgamento, localização, idade, tempo e situação do diagnóstico. Diagnóstico de enfermagem: Julgamento clínico das respostas do indivíduo, da família ou da comunidade a problemas de saúde/processos vitais, reais ou potenciais [...] (NANDA, 2013) NANDA-I
  • 9. Domínios: • Promoção da Saúde • Nutrição • Eliminação e Troca • Atividade e repouso • Percepção/cognição • Autopercepção • Papéis/relacionamentos NANDA-I • Sexualidade • Enfrentamento/tolerân cia ao estresse • Princípios da vida • Segurança/proteção • Conforto • Crescimento/desenvolvi mento “esfera de conhecimentos, influências e questionamento” (NANDA, 2013) Classe: “um grupo, conjunto ou tipo que partilha atributos comuns” (NANDA, 2013)
  • 10. Composição dos Diagnósticos de Enfermagem Título Definição Fatores relacionados Fatores de risco Características definidoras Dor Aguda Experiência sensorial e emocional desagradável causada por lesões tissulares reais ou potenciais [...] Agentes lesivos x Relato verbal, fácies de dor Risco de Infecção Risco aumentado de invasão p/ microorganismo s patogênicos x Procedimentos invasivos x
  • 11. Tipos de Diagnósticos de Enfermagem Real Promoção da Saúde Risco Síndrome NANDA, 2013.
  • 12. NIC (Nursing Interventions Classification) • Contempla aspectos fisiológicos e psicossociais do ser humano, incluindo tratamento, prevenção e promoção da saúde. Intervenção de enfermagem: “Qualquer tratamento baseado no julgamento e conhecimento clínico , que seja realizado por um enfermeiro para melhorar os resultados do paciente/cliente. Trata-se de uma ação autônoma executada com base científica e em benefício do cliente, ralacionada a um DE, com vistas a atingir os melhores resultados possíveis” (NIC, 2010)
  • 13. • Estrutura taxonômica: domínios, classes e intervenções • 7 domínios, 30 classes, 542 intervenções e mais de 12 mil atividades/ações. Domínios: • 1) Fisiológico básico • 2)Fisiológico Complexo • 3) Comportamental • 4) Segurança • 5) Família • 6) Sistema de Saúde • 7) Comunidade NIC (Nursing Interventions Classification)
  • 14. Tipos de Intervenções Intervenções diretas Intervenções indiretas Fonte: NIC, 2010.
  • 15. NOC (Nursing Outcomes Classification) Resultado de enfermagem: “O estado, comportamento, ou percepção de um indivíduo, da família e comunidade , mensurado ao longo de um continuum, em resposta a uma ou mais intervenções de enfermagem.” (NOC, 2010) Estrutura taxonômica possui 5 níveis: 7 domínios, 31 classes, 385 resultados, indicadores e escalas de mensuração. Domínios: Saúde funcional Saúde fisiológica Saúde psicossocial Conhecimento de saúde e comportamento Saúde percebida Saúde familiar Saúde comunitária
  • 17. CIPE (Classificação Internacional da Prática de Enfermagem) Elaborada pelo Conselho Internacional dos Enfermeiros (International Council of Nursing – ICN) em 1989. Constitui uma uniformização das terminologias científicas reunindo diagnósticos (fenômenos), intervenções e resultados da prática de enfermagem, a partir do “modelo de sete eixos”. Descreve cuidados de enfermagem que são desenvolvidos em uma grande variedade de cenários, institucionais ou não.
  • 18. Eixos da CIPE 1) Foco 2) Juízo 3) Recursos 4) Ação 5) Tempo 6) Localização 7) Cliente EX.: DE: Dor aguda intensa intermitente no pé direito. IE: Aliviar a dor com compressa fria, 3x ao dia. Diagnóstico de enfermagem Intervenção de enfermagem+ Termo alvo
  • 19. Referências Bibliográficas • ALMEIDA M.A. et. al. Processo de enfermagem na prática clínica [recurso eletrônico]: estudos clínicos baseados na prática do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Porto Alegre: Artmed, 2011. • MAZONI, S.R.; RODRIGUES, C.C.; SANTOS, D.S. et. al. Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem e a contribuição brasileira. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 63, n. 2, p. 285-289, 2010. • North American Nursing Diagnosis Association (NANDA). Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: Definições e classificação 2009-2011. Tradução de Cristina Correa. Porto Alegre: Artmed, 2009. • CIE. Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem, Versão 2. Tradução de Hermínia Castro. Genebra, 2011.