SlideShare uma empresa Scribd logo
1
Palestrante Profº. Affonso d’Anzicourt
Professor e Palestrante da Escola Nacional de Seguros,
Contador, Perito Judicial Federal por Nomeação, Advogado
Especializado em Direito Tributário e Societário.
 O que é o simples nacional?
 Definição de microempresa e empresa de pequeno porte;
 Quem não poderá se beneficiar do simples nacional
 Características do regime simples nacional;
 As sociedades corretoras de seguros podem optar pelo simples
nacional;
 Como fazer para aderir a este sistema de tributação;
 Quais as vantagens de trocar o lucro presumido pelo simples nacional;
 Para aderir ao simples nacional tenho que fazer alguma alteração no
contrato social?
 O que deve fazer o corretor pessoa física para se beneficiar do simples
nacional?
 Sugestões para elaboração do contrato social;
 Definição de faixa de enquadramento;
 Inicio de atividade
 Desmembramento de sociedade;
 Omissão de receita;
 Limite para permanecer no simples nacional;
 Dividas impede a opção?
 Da fiscalização;
 Entendendo o artigo 179 da Constituição Federal.
É uma forma de tributação simplificada, prevista na Lei
Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006 e a Lei
Complementar 147, de 7 de agosto de 2014, que disciplinam as
normas gerais relativas ao tratamento diferenciado e favorecido a
ser dispensado às microempresas e empresas de pequeno porte
abrangendo a participação de todos os Entes Federados (União,
Estados, Distrito Federal e Municípios).
•
São as sociedades ou empresas que em cada ano-
calendário, tenham receita bruta igual ou inferior a
R$360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais).
•
São aquelas que em cada ano-calendário, tenham
receita bruta superior a R$360.000,00 (trezentos e
sessenta mil reais) e igual ou inferior a R$3.600.000,00
(três milhões e seiscentos mil reais).
• A Empresa cujo o capital social participe outra pessoa jurídica;
• A Empresa cujo capital social participe pessoa física que seja
inscrita como empresário ou seja sócia de outra empresa que
receba tratamento jurídico diferenciado nos termos desta Lei
Complementar, desde que a receita bruta global ultrapasse o
limite de que trata o inciso II do caput do artigo 3º da LC 123/06;
• A Empresa cujo titular ou sócio participe com mais de 10% (dez
por cento) do capital de outra empresa não beneficiada por esta
Lei Complementar, desde que a receita bruta global ultrapasse o
limite de que trata o inciso II do caput do artigo 3º da LC 123/06;
• A Empresa resultante ou remanescente de cisão ou qualquer
outra forma de desmembramento de pessoa jurídica que
tenha ocorrido em um dos 5 (cinco) anos-calendário
anteriores;
• A Empresa constituída sob a forma de sociedade por ações e,
• veja mais no artigo 3º § 4º e itens seguintes sobre os
impedimentos.
• Sua adesão é facultativa;
• Irretratável para todo o ano-calendário;
• Abrange os seguintes tributos e contribuições: IRPJ, CSLL, PIS,
COFINS, ISS, INSS - Contribuição para a Seguridade Social
destinada à Previdência Social a cargo da pessoa jurídica (CPP);
• Recolhimento dos tributos abrangidos mediante documento
único de arrecadação - DAS;
• Apresentação de declaração única e simplificada de informações
socioeconômicas e fiscais e,
• Prazo para recolhimento do DAS até o dia 20 do mês
subsequente àquele em que houver sido auferida a receita
bruta.
A Tributação Pelos Simples Nacional
1) Acesse o sitio do Simples Nacional, da Receita Federal:
http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/Servicos/
Grupo.aspx?grp=4
2) Clique em “Solicitação de Opção pelo Simples Nacional” através
do código ou certificado digital. O código de acesso tem que ser
gerado no próprio sito do simples nacional.
Observação I - Em que anexo estão enquadradas?
Observação II - O anexo para as sociedades corretoras de seguros é o III.
• Geração de emprego e renda;
• Redução da carga Tributária;
• Incidência de INSS somente da parte do funcionário. A sociedade
não paga mais INSS sobre o total da folha de pagamento;
• Pode pagar salário mais comissões para todos os funcionários, desta
forma, aumentando sua produtividade;
• Distribuição de lucro pode ser mensal;
• INSS sobre o pró-labore recolherá somente o que for descontado
do sócio;
• O fim das obrigações acessórias junto a Receita Federal.
Sim. Como já foi dito anteriormente, no que tange ao INSS da folha de
pagamento, a Sociedade irá recolher somente o que for descontado do
funcionário. O mesmo procedimento quanto ao INSS de pró-labore,
restando apenas como encargos por parte da sociedade o FGTS.
Por ser o Simples Nacional uma forma de tributação, não está
previsto qualquer alteração em contrato social. Reporto-me ao
artigo 3º, § 3º da Lei Complementar 123/06, que diz:
“O enquadramento do empresário ou da sociedade simples ou
empresária como microempresa ou empresa de pequeno porte bem
como o seu desenquadramento não implicarão alteração, denúncia
ou qualquer restrição em relação a contratos por elas
anteriormente firmados.”
Constituir uma sociedade corretora de seguros, seja ela uma sociedade
limitada, simples (simples pura) ou uma EIRELI, e não esquecer que o
código do CNAE é o 6622.300.
No sítio da FENACOR:
http://www.fenacor.org.br/codigoCivil.asp
http://www.fenacor.org.br/download/eireli.pdf
Vejamos o que diz a Lei Complementar 123/2006 em seu Artigo 18, § 1:
Para efeito de determinação da alíquota, o sujeito passivo utilizará a
receita bruta acumulada nos 12 (doze) meses anteriores ao do período de
apuração.
• §
O inciso IX, do § 4º do artigo 3º da Lei Complementar 123/2006,
chama atenção para que não haja neste período nenhum
desmembramento de sociedade com objetivo de se beneficiar do
tratamento diferenciado concedido pela Lei.
Sendo o fato gerador do tributo a Receita da Sociedade, a mesma
terá que ser declarada integralmente. Para tanto, não deverá
conter nenhuma omissão do seu faturamento seja no mês ou no
ano. Vejamos o que prevê a Lei em seu artigo 34:
Aplicam-se à microempresa e à empresa de pequeno porte optantes pelo
Simples Nacional todas as presunções de omissão de receita existentes
nas legislações de regência dos impostos e contribuições incluídos no
Simples Nacional.
De acordo com o artigo 3º e o parágrafo 9º, o limite era de R$
3.600.000,00 e foi alterado pelo § 9º A da Lei Complementar
147/2014, que diz:
§ 9º-A. Os efeitos da exclusão prevista no § 9º dar-se-ão no ano-
calendário subsequente se o excesso verificado em relação à
receita bruta não for superior a 20% (vinte por cento) do limite
referido no inciso II do caput.
Ultrapassando o previsto no §9º A, a sociedade escolherá sua
forma de tributação mais adequada. Seja lucro presumido ou lucro
real.
A Sociedade deverá proceder o parcelamento de tributos e
contribuições juntos aos órgãos.
Art. 33. A competência para fiscalizar o cumprimento das obrigações
principais e acessórias relativas ao Simples Nacional e para verificar a
ocorrência das hipóteses previstas no art. 29 desta Lei
Complementar é da Secretaria da Receita Federal e das Secretarias
de Fazenda ou de Finanças do Estado ou do Distrito Federal, segundo
a localização do estabelecimento, e, tratando-se de prestação de
serviços incluídos na competência tributária municipal, a competência
será também do respectivo Município.
Sim, o artigo 1.180 do Código Civil de 2002 diz:
“Além dos demais livros exigidos por lei, é indispensável o
Diário, que pode ser substituído por fichas no caso de
escrituração mecanizada ou eletrônica.
Parágrafo único. A adoção de fichas não dispensa o uso de livro
apropriado para o lançamento do balanço patrimonial e do de
resultado econômico.”
Sim, veja o que diz o artigo 179 da CF/88.
CAPÍTULO I
DOS PRINCÍPIOS GERAIS DA ATIVIDADE ECONÔMICA
Art. 179. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios
dispensarão às microempresas e às empresas de pequeno porte,
assim definidas em lei, tratamento jurídico diferenciado, visando a
incentivá-las pela simplificação de suas obrigações administrativas,
tributárias, previdenciárias e creditícias, ou pela eliminação ou
redução destas por meio de lei.
Finalizando
A espera por este benefício para as micros e pequenas sociedade foi
muito longa, mas tenho certeza que os benefícios trazido por ela, será
muito maior. Tais como:
Geração de emprego e renda, a busca de crescimento das micros e
pequenas sociedades e uma tributação mais justas.
E o mais importante de todas, depois de 26 anos, prevaleceu o que
está prescrito na nossa Constituição Federal de 1988.
Profº. Affonso d’Anzicourt
www.funenseg.org.br
www.facebook.com/EscolaNacionaldeSeguros
www.twitter.com/EscoladeSeguros

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)
Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)
Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)
Lucas Gheller
 
SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014
SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014
SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014
Fabio Rodrigues de Oliveira
 
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita'' Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
yurineres7
 
O simples nacional
O simples nacionalO simples nacional
O simples nacional
Alberto Campos
 
FSA informativo PERT - MP 783 2017 - REFIS
FSA  informativo PERT - MP 783 2017 - REFISFSA  informativo PERT - MP 783 2017 - REFIS
FSA informativo PERT - MP 783 2017 - REFIS
Eric Marcel Zanata Petry
 
Emenda - Tributar distribuição de lucros e dividendos
Emenda - Tributar distribuição de lucros e dividendosEmenda - Tributar distribuição de lucros e dividendos
Emenda - Tributar distribuição de lucros e dividendos
Lindbergh Farias
 
Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno PorteLei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
Kleiton Barbosa
 
E-Book Grátis Palestra Simples Nacional
E-Book Grátis Palestra Simples NacionalE-Book Grátis Palestra Simples Nacional
E-Book Grátis Palestra Simples Nacional
Carlos Rocha
 
Aula tf 6 contribuições
Aula tf 6   contribuiçõesAula tf 6   contribuições
Aula tf 6 contribuições
Fernandinhaparisi
 
Lucro presumido legislação e apuração
Lucro presumido legislação e apuraçãoLucro presumido legislação e apuração
Lucro presumido legislação e apuração
Bruno_fbrandao
 
Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais
Fly01
 
Holding patrimonial familiar
Holding patrimonial familiarHolding patrimonial familiar
Holding patrimonial familiar
Fatima Garcia
 
DÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONAL
DÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONALDÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONAL
DÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONAL
MARCO AURÉLIO BICALHO DE ABREU CHAGAS
 
Trabalho de direito tributário
Trabalho de direito tributárioTrabalho de direito tributário
Trabalho de direito tributário
Sirzi Luppi
 
Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012
Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012
Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012
luciapaoliello
 
Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...
Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...
Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...
Tania Gurgel
 
Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...
Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...
Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...
E-Commerce Brasil
 
Fesdt guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012
Fesdt   guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012Fesdt   guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012
Fesdt guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012
Tacio Lacerda Gama
 
Repartição de Receitas Tributárias
Repartição de Receitas TributáriasRepartição de Receitas Tributárias
Repartição de Receitas Tributárias
alexdpdireito
 

Mais procurados (19)

Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)
Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)
Rotinas administrativas - Escrita Fiscal (Simples Nacional)
 
SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014
SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014
SIMPLES NACIONAL: Alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014
 
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita'' Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
 
O simples nacional
O simples nacionalO simples nacional
O simples nacional
 
FSA informativo PERT - MP 783 2017 - REFIS
FSA  informativo PERT - MP 783 2017 - REFISFSA  informativo PERT - MP 783 2017 - REFIS
FSA informativo PERT - MP 783 2017 - REFIS
 
Emenda - Tributar distribuição de lucros e dividendos
Emenda - Tributar distribuição de lucros e dividendosEmenda - Tributar distribuição de lucros e dividendos
Emenda - Tributar distribuição de lucros e dividendos
 
Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno PorteLei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
 
E-Book Grátis Palestra Simples Nacional
E-Book Grátis Palestra Simples NacionalE-Book Grátis Palestra Simples Nacional
E-Book Grátis Palestra Simples Nacional
 
Aula tf 6 contribuições
Aula tf 6   contribuiçõesAula tf 6   contribuições
Aula tf 6 contribuições
 
Lucro presumido legislação e apuração
Lucro presumido legislação e apuraçãoLucro presumido legislação e apuração
Lucro presumido legislação e apuração
 
Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais
 
Holding patrimonial familiar
Holding patrimonial familiarHolding patrimonial familiar
Holding patrimonial familiar
 
DÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONAL
DÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONALDÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONAL
DÚVIDAS SOBRE DESENQUADRAMENTO DE EMPRESA DO SIMPLES NACIONAL
 
Trabalho de direito tributário
Trabalho de direito tributárioTrabalho de direito tributário
Trabalho de direito tributário
 
Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012
Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012
Vi congresso direito_tributario - paraná - abril 2012
 
Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...
Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...
Prorelit programa-quitacao-contencioso-e-dplat-declaracao-de-planejamento-tri...
 
Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...
Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...
Palestra – convênio 93 impactos fiscais e jurídicos no e commerce e projetos ...
 
Fesdt guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012
Fesdt   guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012Fesdt   guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012
Fesdt guerra fiscal e a glosa unilateral de créditos.gramado 2012
 
Repartição de Receitas Tributárias
Repartição de Receitas TributáriasRepartição de Receitas Tributárias
Repartição de Receitas Tributárias
 

Destaque

Presentation e-Millennium ERP Omni-Channel
Presentation e-Millennium ERP Omni-ChannelPresentation e-Millennium ERP Omni-Channel
Presentation e-Millennium ERP Omni-Channel
Octavio Yoshio Hozawa
 
Canais de Venda On-line no Seguro de Automóvel
Canais de Venda On-line no Seguro de AutomóvelCanais de Venda On-line no Seguro de Automóvel
Canais de Venda On-line no Seguro de Automóvel
Escola Nacional de Seguros
 
Como se mide la calidad de la proteína
Como se mide la calidad de la proteína Como se mide la calidad de la proteína
Como se mide la calidad de la proteína
Raul Retuerto
 
Manual basico saude_publica
Manual basico saude_publicaManual basico saude_publica
Manual basico saude_publica
Catalogo Livre Walmec Tratores
 
Apresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab spApresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab sp
DeSordi
 
Legislação vigente do sistema nacional de seguro
Legislação vigente do sistema nacional de seguroLegislação vigente do sistema nacional de seguro
Legislação vigente do sistema nacional de seguro
luzienne moraes
 
Transform your Insurance Processes with BPM and Decision Management
Transform your Insurance Processes with BPM and Decision ManagementTransform your Insurance Processes with BPM and Decision Management
Transform your Insurance Processes with BPM and Decision Management
IBM WebSphereIndia
 
Insurance new business process diagram
Insurance new business process diagramInsurance new business process diagram
Insurance new business process diagram
abhinayverma
 
Plataformas de vendas integradas - Omnichannel
Plataformas de vendas integradas - OmnichannelPlataformas de vendas integradas - Omnichannel
Plataformas de vendas integradas - Omnichannel
Kenneth Corrêa
 
Apresentação de slides pronto
Apresentação de slides prontoApresentação de slides pronto
Apresentação de slides pronto
candidacbertao
 

Destaque (10)

Presentation e-Millennium ERP Omni-Channel
Presentation e-Millennium ERP Omni-ChannelPresentation e-Millennium ERP Omni-Channel
Presentation e-Millennium ERP Omni-Channel
 
Canais de Venda On-line no Seguro de Automóvel
Canais de Venda On-line no Seguro de AutomóvelCanais de Venda On-line no Seguro de Automóvel
Canais de Venda On-line no Seguro de Automóvel
 
Como se mide la calidad de la proteína
Como se mide la calidad de la proteína Como se mide la calidad de la proteína
Como se mide la calidad de la proteína
 
Manual basico saude_publica
Manual basico saude_publicaManual basico saude_publica
Manual basico saude_publica
 
Apresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab spApresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab sp
 
Legislação vigente do sistema nacional de seguro
Legislação vigente do sistema nacional de seguroLegislação vigente do sistema nacional de seguro
Legislação vigente do sistema nacional de seguro
 
Transform your Insurance Processes with BPM and Decision Management
Transform your Insurance Processes with BPM and Decision ManagementTransform your Insurance Processes with BPM and Decision Management
Transform your Insurance Processes with BPM and Decision Management
 
Insurance new business process diagram
Insurance new business process diagramInsurance new business process diagram
Insurance new business process diagram
 
Plataformas de vendas integradas - Omnichannel
Plataformas de vendas integradas - OmnichannelPlataformas de vendas integradas - Omnichannel
Plataformas de vendas integradas - Omnichannel
 
Apresentação de slides pronto
Apresentação de slides prontoApresentação de slides pronto
Apresentação de slides pronto
 

Semelhante a A Tributação Pelos Simples Nacional

Reunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de Cargas
Reunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de CargasReunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de Cargas
Reunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de Cargas
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
SIMPLES NACIONAL2.pptx
SIMPLES NACIONAL2.pptxSIMPLES NACIONAL2.pptx
SIMPLES NACIONAL2.pptx
josepaulocamolezsilv1
 
E book benefícios fiscais simples nacional
E book benefícios fiscais simples nacionalE book benefícios fiscais simples nacional
E book benefícios fiscais simples nacional
maurocesarpaesalmeid
 
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
 Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci... Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
Andréia Lima
 
WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...
WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...
WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...
Maria Betania Alves
 
Montarempresa
MontarempresaMontarempresa
Montarempresa
Penttágono
 
eBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdf
eBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdfeBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdf
eBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdf
JULIOCESARCONSULTORI
 
Justificação inicial da lei SisTENET de isenção para startups
Justificação inicial da lei SisTENET de isenção para startupsJustificação inicial da lei SisTENET de isenção para startups
Justificação inicial da lei SisTENET de isenção para startups
Startupi
 
Empresarial 4
Empresarial 4Empresarial 4
Empresarial 4
Norberto Gonzaga
 
Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz
Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz
Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz
Tania Gurgel
 
Artigos CMA - A Tributação do Investidor Anjo
Artigos CMA - A Tributação do Investidor AnjoArtigos CMA - A Tributação do Investidor Anjo
Artigos CMA - A Tributação do Investidor Anjo
Marketingcma
 
Livros Fiscais e IRPJ.pptx
Livros Fiscais e IRPJ.pptxLivros Fiscais e IRPJ.pptx
Livros Fiscais e IRPJ.pptx
Carla Dimarães
 
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Chico Macena
 
PIS e COFINS na Prática
PIS e COFINS na PráticaPIS e COFINS na Prática
PIS e COFINS na Prática
Fabio Rodrigues de Oliveira
 
Apresentação do trabalho lucro real
Apresentação do trabalho   lucro realApresentação do trabalho   lucro real
Apresentação do trabalho lucro real
Carlos Moura
 
Slides usados no módulo - Lucro Presumido.pdf
Slides usados no módulo - Lucro Presumido.pdfSlides usados no módulo - Lucro Presumido.pdf
Slides usados no módulo - Lucro Presumido.pdf
MartesonCasteloBranc1
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Apresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faapApresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faap
Tacio Lacerda Gama
 
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Tania Gurgel
 
Cooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributários
Cooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributáriosCooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributários
Cooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributários
Jesus Bandeira
 

Semelhante a A Tributação Pelos Simples Nacional (20)

Reunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de Cargas
Reunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de CargasReunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de Cargas
Reunião COMJOVEM - Palestra Gestão Tributária no Transporte Rodoviária de Cargas
 
SIMPLES NACIONAL2.pptx
SIMPLES NACIONAL2.pptxSIMPLES NACIONAL2.pptx
SIMPLES NACIONAL2.pptx
 
E book benefícios fiscais simples nacional
E book benefícios fiscais simples nacionalE book benefícios fiscais simples nacional
E book benefícios fiscais simples nacional
 
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
 Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci... Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
 
WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...
WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...
WORKSHOP " Pequenas Empresas – Riscos e Cuidados Tributários, Contábeis e a R...
 
Montarempresa
MontarempresaMontarempresa
Montarempresa
 
eBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdf
eBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdfeBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdf
eBOOK-Simples-Nacional-Alteracoes-2018.pdf
 
Justificação inicial da lei SisTENET de isenção para startups
Justificação inicial da lei SisTENET de isenção para startupsJustificação inicial da lei SisTENET de isenção para startups
Justificação inicial da lei SisTENET de isenção para startups
 
Empresarial 4
Empresarial 4Empresarial 4
Empresarial 4
 
Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz
Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz
Oficio sobre a revisão das disposições do Convênio 93/2015 ao Confaz
 
Artigos CMA - A Tributação do Investidor Anjo
Artigos CMA - A Tributação do Investidor AnjoArtigos CMA - A Tributação do Investidor Anjo
Artigos CMA - A Tributação do Investidor Anjo
 
Livros Fiscais e IRPJ.pptx
Livros Fiscais e IRPJ.pptxLivros Fiscais e IRPJ.pptx
Livros Fiscais e IRPJ.pptx
 
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
 
PIS e COFINS na Prática
PIS e COFINS na PráticaPIS e COFINS na Prática
PIS e COFINS na Prática
 
Apresentação do trabalho lucro real
Apresentação do trabalho   lucro realApresentação do trabalho   lucro real
Apresentação do trabalho lucro real
 
Slides usados no módulo - Lucro Presumido.pdf
Slides usados no módulo - Lucro Presumido.pdfSlides usados no módulo - Lucro Presumido.pdf
Slides usados no módulo - Lucro Presumido.pdf
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Apresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faapApresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faap
 
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
 
Cooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributários
Cooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributáriosCooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributários
Cooperativas embasamento jurídico e seus relacionamentos tributários
 

Mais de Escola Nacional de Seguros

Marketing Digital na Prática
Marketing Digital na PráticaMarketing Digital na Prática
Marketing Digital na Prática
Escola Nacional de Seguros
 
Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos NegóciosComo Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios
Escola Nacional de Seguros
 
Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...
Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...
Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...
Escola Nacional de Seguros
 
Carreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca Expansão
Carreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca ExpansãoCarreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca Expansão
Carreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca Expansão
Escola Nacional de Seguros
 
O Crescimento do Mercado de Seguros e sua Importância
O Crescimento do Mercado de Seguros e sua ImportânciaO Crescimento do Mercado de Seguros e sua Importância
O Crescimento do Mercado de Seguros e sua Importância
Escola Nacional de Seguros
 
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"
Escola Nacional de Seguros
 
Comercialização de Seguros Através de Meios Remotos
Comercialização de Seguros Através de Meios RemotosComercialização de Seguros Através de Meios Remotos
Comercialização de Seguros Através de Meios Remotos
Escola Nacional de Seguros
 
Palestra Canais de Distribuição
Palestra Canais de DistribuiçãoPalestra Canais de Distribuição
Palestra Canais de Distribuição
Escola Nacional de Seguros
 
Como Administrar uma Corretora de Seguros
Como Administrar uma Corretora de SegurosComo Administrar uma Corretora de Seguros
Como Administrar uma Corretora de Seguros
Escola Nacional de Seguros
 
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"
Escola Nacional de Seguros
 
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em SegurosWebinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Escola Nacional de Seguros
 
Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...
Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...
Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...
Escola Nacional de Seguros
 
Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...
Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...
Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...
Escola Nacional de Seguros
 
Seminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos Sólidos
Seminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos SólidosSeminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos Sólidos
Seminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos Sólidos
Escola Nacional de Seguros
 
Seminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio Atual
Seminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio AtualSeminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio Atual
Seminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio Atual
Escola Nacional de Seguros
 
Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...
Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...
Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...
Escola Nacional de Seguros
 
Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...
Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...
Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...
Escola Nacional de Seguros
 
Como Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos NegóciosComo Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos Negócios
Escola Nacional de Seguros
 
A Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de Seguros
A Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de SegurosA Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de Seguros
A Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de Seguros
Escola Nacional de Seguros
 
Panorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e Saúde
Panorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e SaúdePanorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e Saúde
Panorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e Saúde
Escola Nacional de Seguros
 

Mais de Escola Nacional de Seguros (20)

Marketing Digital na Prática
Marketing Digital na PráticaMarketing Digital na Prática
Marketing Digital na Prática
 
Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos NegóciosComo Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios
 
Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...
Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...
Seminário Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mer...
 
Carreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca Expansão
Carreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca ExpansãoCarreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca Expansão
Carreiras em Seguros - Oportunidades de um Setor em Franca Expansão
 
O Crescimento do Mercado de Seguros e sua Importância
O Crescimento do Mercado de Seguros e sua ImportânciaO Crescimento do Mercado de Seguros e sua Importância
O Crescimento do Mercado de Seguros e sua Importância
 
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor"
 
Comercialização de Seguros Através de Meios Remotos
Comercialização de Seguros Através de Meios RemotosComercialização de Seguros Através de Meios Remotos
Comercialização de Seguros Através de Meios Remotos
 
Palestra Canais de Distribuição
Palestra Canais de DistribuiçãoPalestra Canais de Distribuição
Palestra Canais de Distribuição
 
Como Administrar uma Corretora de Seguros
Como Administrar uma Corretora de SegurosComo Administrar uma Corretora de Seguros
Como Administrar uma Corretora de Seguros
 
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"
Criatividade, Inovação e o Aplicativo "Venda Mais, Corretor!"
 
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em SegurosWebinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
 
Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...
Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...
Seminário de Seguros de RC: Nanotecnologias - Da Precaução à Responsabilizaçã...
 
Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...
Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...
Seminário de Seguros de RC: Conceitos e as Coberturas Securitárias de Conform...
 
Seminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos Sólidos
Seminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos SólidosSeminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos Sólidos
Seminário de Seguros de RC: Política Nacional de Resíduos Sólidos
 
Seminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio Atual
Seminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio AtualSeminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio Atual
Seminário de Seguros de RC: Organismos Geneticamente Modificados - Estágio Atual
 
Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...
Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...
Seminário de Seguros de RC: Exploração de Petróleo e Gás - Riscos, Responsabi...
 
Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...
Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...
Seminário de Seguros de RC: Riscos Complexos da Sociedade Pós-moderna, Desafi...
 
Como Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos NegóciosComo Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos Negócios
Como Fazer das Redes Sociais Uma Oportunidade para Novos Negócios
 
A Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de Seguros
A Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de SegurosA Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de Seguros
A Importância do Aprimoramento Contínuo no Mercado de Seguros
 
Panorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e Saúde
Panorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e SaúdePanorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e Saúde
Panorama do Mercado Internacional de Seguros de Vida e Saúde
 

Último

P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 

A Tributação Pelos Simples Nacional

  • 1. 1
  • 2. Palestrante Profº. Affonso d’Anzicourt Professor e Palestrante da Escola Nacional de Seguros, Contador, Perito Judicial Federal por Nomeação, Advogado Especializado em Direito Tributário e Societário.
  • 3.  O que é o simples nacional?  Definição de microempresa e empresa de pequeno porte;  Quem não poderá se beneficiar do simples nacional  Características do regime simples nacional;  As sociedades corretoras de seguros podem optar pelo simples nacional;  Como fazer para aderir a este sistema de tributação;  Quais as vantagens de trocar o lucro presumido pelo simples nacional;  Para aderir ao simples nacional tenho que fazer alguma alteração no contrato social?
  • 4.  O que deve fazer o corretor pessoa física para se beneficiar do simples nacional?  Sugestões para elaboração do contrato social;  Definição de faixa de enquadramento;  Inicio de atividade  Desmembramento de sociedade;  Omissão de receita;  Limite para permanecer no simples nacional;  Dividas impede a opção?  Da fiscalização;  Entendendo o artigo 179 da Constituição Federal.
  • 5. É uma forma de tributação simplificada, prevista na Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006 e a Lei Complementar 147, de 7 de agosto de 2014, que disciplinam as normas gerais relativas ao tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às microempresas e empresas de pequeno porte abrangendo a participação de todos os Entes Federados (União, Estados, Distrito Federal e Municípios).
  • 6. • São as sociedades ou empresas que em cada ano- calendário, tenham receita bruta igual ou inferior a R$360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais). • São aquelas que em cada ano-calendário, tenham receita bruta superior a R$360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) e igual ou inferior a R$3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais).
  • 7. • A Empresa cujo o capital social participe outra pessoa jurídica; • A Empresa cujo capital social participe pessoa física que seja inscrita como empresário ou seja sócia de outra empresa que receba tratamento jurídico diferenciado nos termos desta Lei Complementar, desde que a receita bruta global ultrapasse o limite de que trata o inciso II do caput do artigo 3º da LC 123/06; • A Empresa cujo titular ou sócio participe com mais de 10% (dez por cento) do capital de outra empresa não beneficiada por esta Lei Complementar, desde que a receita bruta global ultrapasse o limite de que trata o inciso II do caput do artigo 3º da LC 123/06;
  • 8. • A Empresa resultante ou remanescente de cisão ou qualquer outra forma de desmembramento de pessoa jurídica que tenha ocorrido em um dos 5 (cinco) anos-calendário anteriores; • A Empresa constituída sob a forma de sociedade por ações e, • veja mais no artigo 3º § 4º e itens seguintes sobre os impedimentos.
  • 9. • Sua adesão é facultativa; • Irretratável para todo o ano-calendário; • Abrange os seguintes tributos e contribuições: IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, ISS, INSS - Contribuição para a Seguridade Social destinada à Previdência Social a cargo da pessoa jurídica (CPP); • Recolhimento dos tributos abrangidos mediante documento único de arrecadação - DAS; • Apresentação de declaração única e simplificada de informações socioeconômicas e fiscais e, • Prazo para recolhimento do DAS até o dia 20 do mês subsequente àquele em que houver sido auferida a receita bruta.
  • 11. 1) Acesse o sitio do Simples Nacional, da Receita Federal: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/Servicos/ Grupo.aspx?grp=4 2) Clique em “Solicitação de Opção pelo Simples Nacional” através do código ou certificado digital. O código de acesso tem que ser gerado no próprio sito do simples nacional. Observação I - Em que anexo estão enquadradas? Observação II - O anexo para as sociedades corretoras de seguros é o III.
  • 12. • Geração de emprego e renda; • Redução da carga Tributária; • Incidência de INSS somente da parte do funcionário. A sociedade não paga mais INSS sobre o total da folha de pagamento; • Pode pagar salário mais comissões para todos os funcionários, desta forma, aumentando sua produtividade; • Distribuição de lucro pode ser mensal; • INSS sobre o pró-labore recolherá somente o que for descontado do sócio; • O fim das obrigações acessórias junto a Receita Federal.
  • 13. Sim. Como já foi dito anteriormente, no que tange ao INSS da folha de pagamento, a Sociedade irá recolher somente o que for descontado do funcionário. O mesmo procedimento quanto ao INSS de pró-labore, restando apenas como encargos por parte da sociedade o FGTS.
  • 14. Por ser o Simples Nacional uma forma de tributação, não está previsto qualquer alteração em contrato social. Reporto-me ao artigo 3º, § 3º da Lei Complementar 123/06, que diz: “O enquadramento do empresário ou da sociedade simples ou empresária como microempresa ou empresa de pequeno porte bem como o seu desenquadramento não implicarão alteração, denúncia ou qualquer restrição em relação a contratos por elas anteriormente firmados.”
  • 15. Constituir uma sociedade corretora de seguros, seja ela uma sociedade limitada, simples (simples pura) ou uma EIRELI, e não esquecer que o código do CNAE é o 6622.300. No sítio da FENACOR: http://www.fenacor.org.br/codigoCivil.asp http://www.fenacor.org.br/download/eireli.pdf
  • 16. Vejamos o que diz a Lei Complementar 123/2006 em seu Artigo 18, § 1: Para efeito de determinação da alíquota, o sujeito passivo utilizará a receita bruta acumulada nos 12 (doze) meses anteriores ao do período de apuração.
  • 18. O inciso IX, do § 4º do artigo 3º da Lei Complementar 123/2006, chama atenção para que não haja neste período nenhum desmembramento de sociedade com objetivo de se beneficiar do tratamento diferenciado concedido pela Lei.
  • 19. Sendo o fato gerador do tributo a Receita da Sociedade, a mesma terá que ser declarada integralmente. Para tanto, não deverá conter nenhuma omissão do seu faturamento seja no mês ou no ano. Vejamos o que prevê a Lei em seu artigo 34: Aplicam-se à microempresa e à empresa de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional todas as presunções de omissão de receita existentes nas legislações de regência dos impostos e contribuições incluídos no Simples Nacional.
  • 20. De acordo com o artigo 3º e o parágrafo 9º, o limite era de R$ 3.600.000,00 e foi alterado pelo § 9º A da Lei Complementar 147/2014, que diz: § 9º-A. Os efeitos da exclusão prevista no § 9º dar-se-ão no ano- calendário subsequente se o excesso verificado em relação à receita bruta não for superior a 20% (vinte por cento) do limite referido no inciso II do caput. Ultrapassando o previsto no §9º A, a sociedade escolherá sua forma de tributação mais adequada. Seja lucro presumido ou lucro real.
  • 21. A Sociedade deverá proceder o parcelamento de tributos e contribuições juntos aos órgãos.
  • 22. Art. 33. A competência para fiscalizar o cumprimento das obrigações principais e acessórias relativas ao Simples Nacional e para verificar a ocorrência das hipóteses previstas no art. 29 desta Lei Complementar é da Secretaria da Receita Federal e das Secretarias de Fazenda ou de Finanças do Estado ou do Distrito Federal, segundo a localização do estabelecimento, e, tratando-se de prestação de serviços incluídos na competência tributária municipal, a competência será também do respectivo Município.
  • 23. Sim, o artigo 1.180 do Código Civil de 2002 diz: “Além dos demais livros exigidos por lei, é indispensável o Diário, que pode ser substituído por fichas no caso de escrituração mecanizada ou eletrônica. Parágrafo único. A adoção de fichas não dispensa o uso de livro apropriado para o lançamento do balanço patrimonial e do de resultado econômico.”
  • 24. Sim, veja o que diz o artigo 179 da CF/88. CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS DA ATIVIDADE ECONÔMICA Art. 179. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios dispensarão às microempresas e às empresas de pequeno porte, assim definidas em lei, tratamento jurídico diferenciado, visando a incentivá-las pela simplificação de suas obrigações administrativas, tributárias, previdenciárias e creditícias, ou pela eliminação ou redução destas por meio de lei.
  • 25. Finalizando A espera por este benefício para as micros e pequenas sociedade foi muito longa, mas tenho certeza que os benefícios trazido por ela, será muito maior. Tais como: Geração de emprego e renda, a busca de crescimento das micros e pequenas sociedades e uma tributação mais justas. E o mais importante de todas, depois de 26 anos, prevaleceu o que está prescrito na nossa Constituição Federal de 1988. Profº. Affonso d’Anzicourt