SlideShare uma empresa Scribd logo
Tema	
  IV	
  Conhecimento	
  e	
  Racionalidade	
  Científica	
  e	
  Tecnológica	
  
            	
  	
  2.	
  ESTATUTO	
  DO	
  CONHECIMENTO	
  CIENTÍFICO	
  
            	
   	
  2.3	
  	
  A	
  Racionalidade	
  Científica	
  e	
  a	
  Questão	
  da	
  Objectividade	
  
IV	
  Conhecimento	
  	
  
   	
  e	
  Racionalidade	
  	
  
   	
  Científica	
  e	
  Tecnológica	
  




          2.	
  Estatuto	
  do	
  Conhecimento	
  
              Científico	
  




                           15 ∎ a racionalidade científica e a questão da objectividade ∎ Kuhn ∎ Pensar Azul 11.º
2.3	
  A	
  Racionalidade	
  Científica	
  
       	
  e	
  a	
  Questão	
  da	
  Objectividade	
  




  Sumário	
  
  O	
  conceito	
  de	
  objectividade	
  científica	
  
  A	
  perspectiva	
  de	
  Thomas	
  Kuhn	
  
                                                            KUHN	
  
                                                          1922-­‐1996	
  
Problema	
  
O	
  conhecimento	
  científico	
  
é	
  objectivo?	
  




               15 ∎ a racionalidade científica e a questão da objectividade ∎ Kuhn ∎ Pensar Azul 11.º
A	
  ciência	
  é	
  rigorosa.	
  	
  
É	
  também	
  objectiva?	
  

Se	
  definirmos	
  conhecimento	
  objectivo	
  como	
  um	
  
conhecimento	
  que	
  descreve	
  a	
  realidade,	
  tal	
  como	
  
ela	
  é,	
  independentemente	
  das	
  características	
  	
  
do	
  investigador	
  e	
  das	
  condições	
  em	
  que	
  	
  
a	
  investigação	
  é	
  realizada,	
  	
  
então,	
  o	
  conhecimento	
  científico,	
  apesar	
  de	
  ter	
  	
  
um	
  grande	
  grau	
  de	
  exactidão	
  e	
  de	
  rigor,	
  não	
  pode	
  	
  
ser	
  considerado	
  objectivo	
  porque	
  depende:	
  
   dos	
  métodos	
  e	
  instrumentos	
  usados	
  (só	
  capta	
  da	
  realidade	
  
    aquilo	
  que	
  os	
  instrumentos	
  permitem)	
  
   da	
  participação	
  activa	
  do	
  ser	
  humano	
  naquilo	
  que	
  conhece	
  
Conceito	
  	
  
de	
  objectividade	
  científica	
  


Mas	
  se	
  definirmos	
  objectividade	
  como	
  a	
  qualidade	
  
própria	
  do	
  conhecimento	
  que	
  é	
  reconhecido	
  	
  
e	
  partilhado	
  por	
  toda	
  a	
  comunidade	
  científica,	
  	
  
em	
  virtude	
  do	
  rigor	
  metodológico	
  que	
  permite	
  	
  
a	
  qualquer	
  investigador	
  repetir	
  todas	
  as	
  operações	
  
lógico-­‐matemáticas	
  e	
  experimentais	
  	
  
e	
  obter	
  sempre	
  os	
  mesmos	
  resultados,	
  
então,	
  temos	
  de	
  aceitar	
  o	
  carácter	
  	
  
relativamente	
  objectivo	
  	
  
das	
  teorias	
  científicas.	
  
O	
  conhecimento	
  científico	
  	
  
é	
  uma	
  interpretação	
  da	
  realidade	
  	
  

Podemos	
  afirmar	
  que:	
  	
  


                  1      o	
  conhecimento	
  científico	
  não	
  traduz	
  a	
  realidade	
  
                         tal	
  como	
  ela	
  é	
  em	
  si	
  mesma,	
  nem	
  é	
  a	
  única	
  
                         maneira	
  de	
  enquadrar	
  a	
  realidade	
  


                            o	
  conhecimento	
  científico	
  fornece-­‐nos	
  uma	
  
                    2       visão	
  da	
  realidade	
  segundo	
  a	
  perspectiva	
  	
  
                            da	
  razão,	
  que	
  vê	
  a	
  vasta	
  ordem	
  do	
  Universo,	
  
                            matéria	
  viva	
  e	
  inanimada,	
  como	
  um	
  sistema	
  
                            material	
  governado	
  por	
  regras	
  que	
  a	
  mente	
  
                            humana	
  pode	
  apreender	
  
Há	
  mais	
  formas	
  	
  
de	
  interpretar	
  a	
  realidade	
  

           Há	
  diferentes	
  visões	
  da	
  realidade:	
  a	
  visão	
  científica	
  do	
  mundo	
  
      1    não	
  responde	
  a	
  todas	
  as	
  nossas	
  preocupações:	
  «mostra-­‐nos	
  	
  
           o	
  que	
  existe,	
  mas	
  não	
  o	
  que	
  é	
  que	
  se	
  há-­‐de	
  fazer	
  com	
  isso»	
  	
  



      2    O	
  conhecimento	
  
           científico	
  é	
  uma	
  	
                                     3
                                                                                      Todas	
  estas	
  
                                                                                      interpretações	
  têm	
  
           das	
  formas	
  do	
  saber	
                                             origem	
  no	
  espanto,	
  	
  
           humano,	
  mas	
  a	
  Política,	
  	
                                     na	
  curiosidade	
  perante	
  	
  
           a	
  Arte,	
  o	
  Direito	
  	
                                           o	
  mundo	
  e	
  na	
  procura	
  	
  
           ou	
  a	
  Religião	
  apresentam	
                                        de	
  sentido	
  para	
  	
  
           outras	
  visões	
  da	
  realidade	
  	
                                  a	
  existência	
  
A	
  ciência	
  moderna	
  	
  
até	
  ao	
  século	
  XIX	
  

Ao	
  estudarmos	
  a	
  história	
  da	
  Ciência,	
  damo-­‐nos	
  conta	
  
de	
  que	
  até	
  aos	
  finais	
  do	
  século	
  XIX	
  existiu	
  um	
  modelo	
  
da	
  racionalidade	
  	
  
(uma	
  chave	
  explicativa)	
  	
  
que	
  assentava	
  	
  
no	
  determinismo.	
  
A	
  Ciência	
  	
  
no	
  século	
  XX	
  

A	
  partir	
  do	
  início	
  do	
  século	
  XX,	
  
devido	
  às	
  novas	
  teorias	
  da	
  Física	
  	
  
(a	
  física	
  quântica)	
  e	
  ao	
  reconhecimento	
  
de	
  que	
  há	
  fenómenos	
  que	
  não	
  
obedecem	
  ao	
  determinismo	
  
(princípio	
  de	
  incerteza),	
  ocorreu	
  uma	
  
revolução	
  na	
  epistemologia	
  que	
  
alterou	
  o	
  modelo	
  de	
  racionalidade	
  
até	
  então	
  aceite	
  pela	
  comunidade	
  
científica.	
  
Epistemologia	
  	
  
de	
  Thomas	
  Kuhn	
  	
  

Neste	
  contexto,	
  o	
  epistemólogo	
  Thomas	
  Kuhn,	
  	
  
ao	
  pretender	
  compreender	
  o	
  processo	
  	
  
das	
  transformações	
  ocorridas	
  nas	
  ciências,	
  	
  
foi	
  levado	
  a	
  estudar	
  o	
  desenvolvimento	
  	
  
histórico	
  da	
  Ciência.	
  

O	
  que	
  Kuhn	
  constatou	
  foi	
  que	
  há	
  
momentos	
  em	
  que	
  ideias	
  científicas	
  
aceites	
  são	
  substituídas	
  por	
  outras	
  
radicalmente	
  novas	
  e	
  em	
  que	
  	
  
o	
  próprio	
  modelo	
  geral	
  de	
  explicação	
  	
  
                                                                     KUHN	
  
se	
  transforma	
  radicalmente.	
  	
  
Exemplos	
  de	
  alteração	
  	
  
do	
  modelo	
  científico	
  

Foi	
  o	
  que	
  aconteceu	
  na	
  astronomia	
  no	
  século	
  XVI,	
  
quando	
  Nicolau	
  Copérnico	
  propôs	
  o	
  heliocentrismo	
  
(em	
  substituição	
  do	
  geocentrismo),	
  ou	
  na	
  biologia,	
  	
  
no	
  século	
  XIX	
  ,	
  quando	
  Charles	
  Darwin	
  propôs	
  	
  
a	
  teoria	
  da	
  evolução	
  das	
  espécies	
  ou,	
  no	
  século	
  XX	
  
com	
  a	
  teoria	
  da	
  relatividade	
  de	
  Albert	
  Einstein.	
  	
  
Revoluções	
  	
  
científicas	
  	
  

Nos	
  casos	
  referidos	
  (heliocentrismo,	
  evolução	
  
das	
  espécies	
  e	
  relatividade),	
  as	
  novas	
  propostas	
  
de	
  explicação	
  do	
  funcionamento	
  	
  
da	
  Natureza	
  obrigaram	
  a	
  rever	
  o	
  modo	
  
como	
  se	
  concebia	
  a	
  realidade	
  nos	
  domínios	
  
da	
  Astronomia,	
  da	
  Biologia	
  e	
  da	
  Física.	
  	
  
Kuhn	
  chamou	
  revoluções	
  científicas	
  
às	
  transformações	
  radicais	
  dos	
  modelos	
  
em	
  que,	
  numa	
  determinada	
  época,	
  
assenta	
  a	
  visão	
  do	
  mundo.	
  	
  
Conceito	
  	
  
de	
  paradigma	
  

Kuhn	
  chamou	
  paradigma	
  	
  
ao	
  conjunto	
  dos	
  conceitos	
  
fundamentais	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
e	
  dos	
  procedimentos	
  
padronizados	
  que	
  orientam	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
e	
  determinam	
  a	
  prática	
  
científica	
  numa	
  dada	
  época.	
  
Ciência	
  normal	
  	
  
e	
  ciência	
  extraordinária	
  

Segundo	
  Kuhn,	
  a	
  comunidade	
  científica	
  realiza	
  
a	
  investigação	
  dentro	
  dos	
  moldes	
  de	
  um	
            ciência
paradigma	
  (ciência	
  normal).	
  	
                               normal
Ao	
  surgirem	
  anomalias	
  (factos-­‐problema)	
  	
  
não	
  explicáveis	
  à	
  luz	
  dos	
  padrões	
  aceites,	
  
entra-­‐se	
  num	
  momento	
  de	
  crise	
  e	
  polémica	
  
(ciência	
  extraordinária),	
  durante	
  o	
  qual	
  	
  
                                                                   ciência
                                                                   extraordinária
se	
  confrontam	
  hipóteses	
  de	
  solução	
  para	
  	
  
as	
  «anomalias».	
  
Incomensurabilidade	
  
dos	
  paradigmas	
  

Da	
  situação	
  de	
  crise	
  e	
  de	
  conflito	
  entre	
  os	
  conservadores	
  
e	
  os	
  inovadores,	
  surgem	
  duas	
  alternativas:	
  


                                                                             ou	
  se	
  desenvolve	
  uma	
  
      ou	
  se	
  alarga	
  e	
  reformula	
  	
                             revolução	
  científica	
  com	
  
      o	
  paradigma	
  de	
  modo	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
                                                                             a	
  imposição	
  de	
  um	
  novo	
  
      a	
  solucionar	
  as	
  anomalias	
  	
                               paradigma	
  explicativo	
  
      e	
  explicar	
  os	
  novos	
  dados	
  	
  


 Quando	
  se	
  impõe,	
  o	
  novo	
  paradigma	
  estabelece	
  uma	
  nova	
  maneira	
  
 de	
  ver	
  a	
  realidade,	
  incompatível	
  com	
  o	
  paradigma	
  anterior.	
  	
  
 É	
  a	
  incomensurabilidade	
  dos	
  paradigmas.	
  
Como	
  é	
  que	
  os	
  cientistas	
  
mudam	
  de	
  paradigma?	
  

A	
  escolha	
  de	
  um	
  paradigma	
  depende:	
  	
  


          1
                 de	
  factores	
  objectivos	
  	
  
                 Características	
  de	
  uma	
  
                  boa	
  teoria	
  científica:	
  	
  
                                                            2   de	
  factores	
  subjectivos	
  
                                                                …	
  
                   a	
  exactidão	
  
                   a	
  consistência	
  
                   o	
  alcance	
  
                   a	
  simplicidade	
  
                   a	
  fecundidade	
  
Dificuldades	
  na	
  aplicação	
  
de	
  critérios	
  

Principais	
  dificuldades	
  na	
  escolha	
  de	
  uma	
  teoria	
  	
  
(factores	
  objectivos	
  e	
  subjectivos):	
  



          1
                                                      os	
  defensores	
  de	
  teorias	
  
                 imprecisão	
  	
  
                 na	
  aplicação	
             3      diferentes	
  são	
  como	
  falantes	
  	
  
                 individual	
  	
                     de	
  linguagens	
  diferentes	
  
                 dos	
  critérios	
  


                                                4
                                                          dificuldade	
  de	
  comunicação	
  	
  
                                                          entre	
  teorias	
  diferentes	
  
           2      conflitos	
  entre	
  
                  os	
  critérios	
  
                                                          (incomensurabilidade	
  	
  
                                                          dos	
  paradigmas)	
  
A	
  nova	
  teoria	
  	
  
impõe-­‐se	
  	
  
A	
  nova	
  teoria	
  impõe-­‐se,	
  pois:	
  



          1       leva	
  alguns	
  cientistas	
  
                  a	
  interessar-­‐se	
  por	
                   2   leva	
  outros	
  a	
  tentar	
  
                  ela,	
  discutindo-­‐a	
                            ajustar	
  a	
  velha	
  teoria	
  



                               convence	
  outros	
  	
  
                     3         das	
  suas	
  vantagens	
  	
  
Resumo	
  




         um	
  conhecimento	
  rigoroso	
  	
       objectivo	
  no	
  sentido	
  de	
  ter	
  	
  
         e	
  credível,	
  partilhável	
  por	
     o	
  acordo	
  de	
  toda	
  a	
  comunidade	
  
         toda	
  a	
  comunidade	
                  científica,	
  que	
  pode	
  testar	
  a	
  sua	
  
         científica,	
  mas	
  não	
  reproduz	
     validade,	
  repetindo	
  as	
  
         fielmente	
  a	
  realidade	
               operações	
  lógico-­‐matemáticas	
  
                                                    descritas	
  e	
  chegar	
  sempre	
  a	
  um	
  
                                                    mesmo	
  resultado	
  
Resumo	
  
                                    a	
  escolha	
  de	
  uma	
  teoria	
  depende	
  de	
  uma	
  
                                    mistura	
  de	
  factores	
  objectivos	
  e	
  subjectivos	
  
      Thomas	
  Kuhn,	
  
      depois	
  de	
                a	
  Ciência	
  evolui	
  de	
  forma	
  descontínua	
  

      investigar	
  	
              há	
  períodos	
  de	
  ciência	
  normal,	
  em	
  que	
  
      o	
  modo	
  como	
           vigora	
  um	
  determinado	
  paradigma	
  

      evolui	
  a	
  Ciência,	
     há	
  momentos	
  de	
  crise,	
  ou	
  de	
  ciência	
  extraordinária,	
  
                                    de	
  que	
  pode	
  resultar,	
  quer	
  a	
  correcção	
  e	
  
      conclui	
  que	
              alargamento	
  do	
  paradigma	
  quer	
  a	
  sua	
  substituição	
  
                                    por	
  outro	
  
                                    neste	
  caso,	
  há	
  uma	
  revolução	
  científica:	
  dá-­‐
                                    se	
  uma	
  ruptura	
  no	
  modo	
  de	
  conceber	
  a	
  
                                    realidade	
  

                                    o	
  novo	
  paradigma	
  consagra	
  uma	
  visão	
  da	
  
                                    Ciência	
  e	
  da	
  realidade	
  totalmente	
  nova	
  e	
  
                                    incompatível	
  	
  com	
  a	
  anteriormente	
  adoptada	
  

                                    este	
  novo	
  paradigma	
  transforma-­‐se	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
                                    em	
  «ciência	
  normal»,	
  e	
  será	
  sujeito	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
                                    ao	
  mesmo	
  processo	
  de	
  confrontação	
  
Resumo	
  

        Ciência	
  normal	
                                     Revolução	
  científica	
  
        Paradigma	
  A	
                                        Novo	
  paradigma	
  




                       Incomensurabilidade	
  dos	
  paradigmas	
  




                        Dificuldade	
  em	
  mudar	
  de	
  paradigma	
  




                           A	
  mudança	
  depende	
  da	
  pressão	
  	
  
                  da	
  comunidade	
  científica	
  sobre	
  os	
  indivíduos	
  
Exercício	
  

Indique	
  os	
  conceitos	
  em	
  falta	
  nos	
  espaços	
  em	
  branco.




    A convicção de que existem relações fixas e necessárias entre fenómenos

    naturais é o determinismo.

    Os modelos teóricos descritivos e interpretativos que combinam e interligam

    conjuntos de leis e hipóteses explicativas coerentes são teorias científicas.
Exercício	
  

Diga	
  quais	
  são	
  as	
  afirmações	
  verdadeiras	
  e	
  quais	
  são	
  as	
  falsas.	
  

   Afirmações	
                                                                                     V	
  /	
  F	
  


   Albert	
  Einstein	
  propôs	
  a	
  teórica	
  heliocêntrica.	
                                 ?
                                                                                                    F

   Charles	
  Darwin	
  propôs	
  a	
  teoria	
  da	
  evolução	
  das	
  espécies.	
  
                                                                                                      ?
                                                                                                      V


   Nicolau	
  Copérnico	
  propôs	
  a	
  teoria	
  da	
  relatividade.	
  
                                                                                                      ?
                                                                                                      F
Exercício	
  

Diga	
  quais	
  são	
  as	
  afirmações	
  verdadeiras	
  e	
  quais	
  são	
  as	
  falsas.	
  


   Afirmações	
                                                                                                                V	
  /	
  F	
  


   Chama-­‐se	
  ciência	
  paradigmática	
  ao	
  processo	
  de	
  renovação	
  de	
  uma	
  teoria	
  científica.	
  	
        ?
                                                                                                                                 F

   Chama-­‐se	
  ciência	
  extraordinária	
  ao	
  período	
  de	
  crise	
  e	
  polémica	
  durante	
  
   o	
  qual	
  se	
  confrontam	
  hipóteses	
  de	
  solução	
  para	
  as	
  «anomalias».	
                                   ?
                                                                                                                                 V


   Chama-­‐se	
  revoluções	
  científicas	
  às	
  transformações	
  radicais	
  dos	
  regimes	
  políticos	
  
   com	
  poder	
  sobre	
  a	
  investigação	
  científica.	
  	
                                                              ?
                                                                                                                               F
Exercício	
  

Diga	
  quais	
  são	
  as	
  afirmações	
  verdadeiras	
  e	
  quais	
  são	
  as	
  falsas.	
  


   Afirmações	
                                                                                     V	
  /	
  F	
  


   Chama-­‐se	
  incomensurabilidade	
  dos	
  paradigmas	
  à	
  impossibilidade	
  
   de	
  comparar	
  os	
  paradigmas	
  com	
  o	
  senso	
  comum.	
  	
                             ?
                                                                                                       F

   Chama-­‐se	
  incomensurabilidade	
  dos	
  paradigmas	
  à	
  impossibilidade	
  
   de	
  comparar	
  os	
  paradigmas	
  mediante	
  um	
  critério	
  comum,	
  por	
  
   serem	
  modelos	
  incompatíveis	
  entre	
  si.	
  	
  
                                                                                                       ?
                                                                                                       V


   Revoluções	
  científicas	
  são	
  as	
  transformações	
  radicais	
  dos	
  modelos	
  
   em	
  que	
  assenta	
  a	
  visão	
  do	
  mundo	
  de	
  uma	
  determinada	
  época.	
           ?
                                                                                                       V
Glossário	
  


       •  Teorias	
  científicas	
  	
  
       São	
  modelos	
  teóricos	
  descritivos	
  	
  
       e	
  interpretativos	
  que	
  combinam	
  e	
  
       interligam	
  conjuntos	
  de	
  leis	
  e	
  
       hipóteses	
  explicativas	
  coerentes,	
  
       permitindo	
  deduzir	
  novas	
  leis	
  	
  
       ou	
  formular	
  hipóteses	
  com	
  vista	
  à	
  
       explicação	
  de	
  novos	
  factos.	
  
Glossário	
  


       Determinismo	
  	
  

       É	
  a	
  convicção	
  de	
  que	
  existem	
  relações	
  fixas	
  	
  
       e	
  necessárias	
  entre	
  fenómenos	
  naturais,	
  	
  
       de	
  tal	
  modo	
  que	
  o	
  que	
  acontece	
  não	
  poderia	
  
       deixar	
  de	
  acontecer	
  porque	
  está	
  ligado	
  	
  
       a	
  causas	
  anteriores.	
  
Glossário	
  


       Paradigma	
  	
  
       No	
  contexto	
  da	
  reflexão	
  
       epistemológica	
  de	
  Thomas	
  Khun,	
  
       designa	
  o	
  conjunto	
  dos	
  conceitos	
  
       fundamentais	
  e	
  dos	
  procedimentos	
  
       padronizados	
  aceites	
  pela	
  
       comunidade	
  científica	
  que	
  orienta	
  	
  
       e	
  determina	
  a	
  prática	
  científica.	
  
Glossário	
  


       Ciência	
  normal	
  	
  

       Designação	
  atribuída	
  por	
  Thomas	
  
       Kuhn	
  ao	
  desenvolvimento	
  da	
  Ciência	
  
       realizado	
  no	
  respeito	
  pelas	
  crenças	
  
       básicas	
  e	
  pelos	
  procedimentos	
  
       padronizados	
  próprios	
  de	
  um	
  dado	
  
       paradigma.	
  
Glossário	
  


       Ciência	
  extraordinária	
  	
  

       Designação	
  atribuída	
  por	
  Thomas	
  Kuhn	
  	
  
       aos	
  momentos	
  de	
  crise	
  e	
  confronto	
  entre	
  
       propostas	
  explicativas	
  novas,	
  incompatíveis	
  
       com	
  as	
  concepções	
  e	
  os	
  procedimentos	
  	
  
       do	
  «velho»	
  paradigma.	
  Uma	
  fase	
  de	
  ciência	
  
       normal	
  dá	
  lugar	
  a	
  uma	
  outra	
  de	
  ciência	
  
       extraordinária	
  que,	
  por	
  sua	
  vez,	
  passará	
  	
  
       a	
  ciência	
  normal,	
  e	
  assim	
  sucessivamente.	
  
Glossário	
  


       Incomensurabilidade	
  dos	
  paradigmas	
  	
  

       Conceito	
  criado	
  por	
  Thomas	
  Kuhn	
  para	
  
       designar	
  a	
  impossibilidade	
  de	
  
       comparar	
  os	
  paradigmas	
  mediante	
  um	
  
       critério	
  comum,	
  uma	
  vez	
  que	
  propõem	
  
       modos	
  de	
  conceber	
  a	
  realidade	
  e	
  a	
  
       Ciência	
  incompatíveis	
  entre	
  si.	
  
Tema	
  IV	
  Conhecimento	
  e	
  Racionalidade	
  Científica	
  e	
  Tecnológica	
  
            	
  	
  2.	
  ESTATUTO	
  DO	
  CONHECIMENTO	
  CIENTÍFICO	
  
            	
   	
  2.3	
  	
  A	
  Racionalidade	
  Científica	
  e	
  a	
  Questão	
  da	
  Objectividade	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordináriaA ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordinária
Luis De Sousa Rodrigues
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
FilipaFonseca
 
Teoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de DescartesTeoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de Descartes
Elisabete Silva
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
j_sdias
 
Método_conjeturas_refutações_Popper
Método_conjeturas_refutações_PopperMétodo_conjeturas_refutações_Popper
Método_conjeturas_refutações_Popper
Isabel Moura
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - Popper
Jorge Barbosa
 
Hume
HumeHume
Objectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científicaObjectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científica
AMLDRP
 
O problema da indução
O problema da induçãoO problema da indução
O problema da indução
Luis De Sousa Rodrigues
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
gracacruz
 
Conhecimento vulgar e conhecimento científico
Conhecimento vulgar e conhecimento científicoConhecimento vulgar e conhecimento científico
Conhecimento vulgar e conhecimento científico
António Padrão
 
O ceticismo de hume
O ceticismo de humeO ceticismo de hume
O ceticismo de hume
Luis De Sousa Rodrigues
 
Karl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o FalsificacionismoKarl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o Falsificacionismo
guestbdb4ab6
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
Isabel Moura
 
David hume e o Empirismo
David hume e o EmpirismoDavid hume e o Empirismo
David hume e o Empirismo
Joana Filipa Rodrigues
 
Disciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofiaDisciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofia
Filazambuja
 
Cesário verde
Cesário verdeCesário verde
Cesário verde
ameliapadrao
 

Mais procurados (20)

A ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordináriaA ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordinária
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
 
Teoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de DescartesTeoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de Descartes
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 
Método_conjeturas_refutações_Popper
Método_conjeturas_refutações_PopperMétodo_conjeturas_refutações_Popper
Método_conjeturas_refutações_Popper
 
O problema da indução
O problema da induçãoO problema da indução
O problema da indução
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - Popper
 
Hume
HumeHume
Hume
 
Popper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismoPopper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismo
 
Objectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científicaObjectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científica
 
O problema da indução
O problema da induçãoO problema da indução
O problema da indução
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Conhecimento vulgar e conhecimento científico
Conhecimento vulgar e conhecimento científicoConhecimento vulgar e conhecimento científico
Conhecimento vulgar e conhecimento científico
 
O ceticismo de hume
O ceticismo de humeO ceticismo de hume
O ceticismo de hume
 
Karl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o FalsificacionismoKarl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o Falsificacionismo
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
 
David hume e o Empirismo
David hume e o EmpirismoDavid hume e o Empirismo
David hume e o Empirismo
 
Disciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofiaDisciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofia
 
Cesário verde
Cesário verdeCesário verde
Cesário verde
 

Destaque

Intermedio
IntermedioIntermedio
Racionalidade na prática administrativa
Racionalidade na prática administrativaRacionalidade na prática administrativa
Racionalidade na prática administrativa
Gabriel Siqueira
 
Kuhn - Alguns sites
Kuhn - Alguns sitesKuhn - Alguns sites
Kuhn - Alguns sites
Joaquim Melro
 
Formar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-p
Formar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-pFormar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-p
Formar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-p
Queite Lima
 
Ser geografo
Ser geografoSer geografo
Ser geografo
Pessoal
 
Kuhn-11º N (2009)
Kuhn-11º N (2009)Kuhn-11º N (2009)
Kuhn-11º N (2009)
Joaquim Melro
 
Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...
Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...
Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...
Luciano Monteiro
 
Fauna De Alberta,Canadá E Serra Do Araripe
Fauna  De  Alberta,Canadá E Serra Do AraripeFauna  De  Alberta,Canadá E Serra Do Araripe
Fauna De Alberta,Canadá E Serra Do Araripe
Centro de Estudos em Biomoléculas Aplicadas a Saúde
 
2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa
2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa
2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
Revoluções Científicas - Thomas S. Kuhn
Revoluções Científicas - Thomas S. KuhnRevoluções Científicas - Thomas S. Kuhn
Revoluções Científicas - Thomas S. Kuhn
Diogo Provete
 
Aula 5 adolescência e alteridade
Aula 5   adolescência e alteridadeAula 5   adolescência e alteridade
Aula 5 adolescência e alteridade
ariadnemonitoria
 
A escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmasA escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmas
Luis De Sousa Rodrigues
 
A incomensurabilidade dos paradigmas
A incomensurabilidade dos paradigmasA incomensurabilidade dos paradigmas
A incomensurabilidade dos paradigmas
Luis De Sousa Rodrigues
 
Paleontologia - tafonomia
Paleontologia - tafonomiaPaleontologia - tafonomia
Paleontologia - tafonomia
Juliano van Melis
 
Alteridade
AlteridadeAlteridade
Dr4 identidade e alteridade Marco Araújo
Dr4 identidade e alteridade Marco AraújoDr4 identidade e alteridade Marco Araújo
Dr4 identidade e alteridade Marco Araújo
mega
 
O que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhnO que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhn
Míria Alves Cirqueira
 
Thomas kuhn
Thomas kuhnThomas kuhn
Thomas kuhn
António Daniel
 

Destaque (20)

Intermedio
IntermedioIntermedio
Intermedio
 
Racionalidade na prática administrativa
Racionalidade na prática administrativaRacionalidade na prática administrativa
Racionalidade na prática administrativa
 
Kuhn - Alguns sites
Kuhn - Alguns sitesKuhn - Alguns sites
Kuhn - Alguns sites
 
Formar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-p
Formar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-pFormar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-p
Formar professores-como-profissionais-reflexivos-donald-schon-p
 
Ser geografo
Ser geografoSer geografo
Ser geografo
 
Kuhn-11º N (2009)
Kuhn-11º N (2009)Kuhn-11º N (2009)
Kuhn-11º N (2009)
 
Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...
Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...
Alteridade e paradigma na Chegança de Laranjeiras/SE - XIV Cong. Brasileiro d...
 
Fauna De Alberta,Canadá E Serra Do Araripe
Fauna  De  Alberta,Canadá E Serra Do AraripeFauna  De  Alberta,Canadá E Serra Do Araripe
Fauna De Alberta,Canadá E Serra Do Araripe
 
2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa
2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa
2010-06-13-Palestra-Os Paradigmas do Amor-Rosana De Rosa
 
As críticas a kuhn
As críticas a kuhnAs críticas a kuhn
As críticas a kuhn
 
Revoluções Científicas - Thomas S. Kuhn
Revoluções Científicas - Thomas S. KuhnRevoluções Científicas - Thomas S. Kuhn
Revoluções Científicas - Thomas S. Kuhn
 
Aula 5 adolescência e alteridade
Aula 5   adolescência e alteridadeAula 5   adolescência e alteridade
Aula 5 adolescência e alteridade
 
A escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmasA escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmas
 
A incomensurabilidade dos paradigmas
A incomensurabilidade dos paradigmasA incomensurabilidade dos paradigmas
A incomensurabilidade dos paradigmas
 
As teses centrais de teoria de kuhn
As teses centrais de teoria de kuhnAs teses centrais de teoria de kuhn
As teses centrais de teoria de kuhn
 
Paleontologia - tafonomia
Paleontologia - tafonomiaPaleontologia - tafonomia
Paleontologia - tafonomia
 
Alteridade
AlteridadeAlteridade
Alteridade
 
Dr4 identidade e alteridade Marco Araújo
Dr4 identidade e alteridade Marco AraújoDr4 identidade e alteridade Marco Araújo
Dr4 identidade e alteridade Marco Araújo
 
O que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhnO que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhn
 
Thomas kuhn
Thomas kuhnThomas kuhn
Thomas kuhn
 

Semelhante a A racionalidade científica e os Paradigmas - Kuhn

Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...
Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...
Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...
Marta Caregnato
 
Educação discursos e saberes
Educação discursos e saberesEducação discursos e saberes
Educação discursos e saberes
academicoseconcursos
 
A evolução da razão no ocidente
A evolução da razão no ocidenteA evolução da razão no ocidente
A evolução da razão no ocidente
Roberto Monteiro de Oliveira
 
A evolução da razão no ocidente (2)
A evolução da razão no ocidente (2)A evolução da razão no ocidente (2)
A evolução da razão no ocidente (2)
Roberto Monteiro de Oliveira
 
Metodocientifico
MetodocientificoMetodocientifico
Metodocientifico
Maicon Luiz
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
Diogo Castro
 
Trabalho de epistemologia marta kerr 2º período
Trabalho de epistemologia marta kerr   2º períodoTrabalho de epistemologia marta kerr   2º período
Trabalho de epistemologia marta kerr 2º período
Rita Gonçalves
 
Apostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador iApostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador i
Elizabete Dias
 
Khun, pop..
Khun, pop..Khun, pop..
Khun, pop..
pyteroliva
 
A01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientificaA01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientifica
Adriana Guimarães
 
Verificab..
Verificab..Verificab..
Verificab..
pyteroliva
 
Reflexões em torno das novas retóricas sobre a ciência
Reflexões em torno das novas retóricas sobre a ciênciaReflexões em torno das novas retóricas sobre a ciência
Reflexões em torno das novas retóricas sobre a ciência
Cilmara Cristina Dos Santos
 
Ciência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmasCiência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmas
Nicemara Cardoso
 
Construtivismo ferreira
Construtivismo ferreiraConstrutivismo ferreira
Construtivismo ferreira
Milena Rossetti
 
Metamorfose da ciência
Metamorfose da ciência Metamorfose da ciência
Metamorfose da ciência
nextfiocruz
 
perspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionaisperspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionais
themis dovera
 
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Ficha de Leitura
Ficha de Leitura Ficha de Leitura
Ficha de Leitura
Advogadassqn
 

Semelhante a A racionalidade científica e os Paradigmas - Kuhn (20)

Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...
Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...
Imaginário e ciênciaImaginário e ciência: novas perspectivas do conhecimento ...
 
Educação discursos e saberes
Educação discursos e saberesEducação discursos e saberes
Educação discursos e saberes
 
A evolução da razão no ocidente
A evolução da razão no ocidenteA evolução da razão no ocidente
A evolução da razão no ocidente
 
A evolução da razão no ocidente (2)
A evolução da razão no ocidente (2)A evolução da razão no ocidente (2)
A evolução da razão no ocidente (2)
 
Metodocientifico
MetodocientificoMetodocientifico
Metodocientifico
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Trabalho de epistemologia marta kerr 2º período
Trabalho de epistemologia marta kerr   2º períodoTrabalho de epistemologia marta kerr   2º período
Trabalho de epistemologia marta kerr 2º período
 
Apostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador iApostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador i
 
Khun, pop..
Khun, pop..Khun, pop..
Khun, pop..
 
A01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientificaA01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientifica
 
Verificab..
Verificab..Verificab..
Verificab..
 
Reflexões em torno das novas retóricas sobre a ciência
Reflexões em torno das novas retóricas sobre a ciênciaReflexões em torno das novas retóricas sobre a ciência
Reflexões em torno das novas retóricas sobre a ciência
 
Ciência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmasCiência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmas
 
Construtivismo ferreira
Construtivismo ferreiraConstrutivismo ferreira
Construtivismo ferreira
 
Metamorfose da ciência
Metamorfose da ciência Metamorfose da ciência
Metamorfose da ciência
 
perspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionaisperspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionais
 
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
 
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...( Espiritismo)   # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
( Espiritismo) # - andre henrique - a revolucao do espirito # perspectivas ...
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
 
Ficha de Leitura
Ficha de Leitura Ficha de Leitura
Ficha de Leitura
 

Mais de Helena Serrão

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
Helena Serrão
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
Helena Serrão
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
Helena Serrão
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
Helena Serrão
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Helena Serrão
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
Helena Serrão
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Helena Serrão
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
Helena Serrão
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Helena Serrão
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
Helena Serrão
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartes
Helena Serrão
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Helena Serrão
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
Helena Serrão
 
Pp4
Pp4Pp4
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
Helena Serrão
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
Helena Serrão
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Helena Serrão
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Helena Serrão
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
Helena Serrão
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
Helena Serrão
 

Mais de Helena Serrão (20)

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartes
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Pp4
Pp4Pp4
Pp4
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
 

A racionalidade científica e os Paradigmas - Kuhn

  • 1. Tema  IV  Conhecimento  e  Racionalidade  Científica  e  Tecnológica      2.  ESTATUTO  DO  CONHECIMENTO  CIENTÍFICO      2.3    A  Racionalidade  Científica  e  a  Questão  da  Objectividade  
  • 2. IV  Conhecimento      e  Racionalidade      Científica  e  Tecnológica   2.  Estatuto  do  Conhecimento   Científico   15 ∎ a racionalidade científica e a questão da objectividade ∎ Kuhn ∎ Pensar Azul 11.º
  • 3. 2.3  A  Racionalidade  Científica    e  a  Questão  da  Objectividade   Sumário   O  conceito  de  objectividade  científica   A  perspectiva  de  Thomas  Kuhn   KUHN   1922-­‐1996  
  • 4. Problema   O  conhecimento  científico   é  objectivo?   15 ∎ a racionalidade científica e a questão da objectividade ∎ Kuhn ∎ Pensar Azul 11.º
  • 5. A  ciência  é  rigorosa.     É  também  objectiva?   Se  definirmos  conhecimento  objectivo  como  um   conhecimento  que  descreve  a  realidade,  tal  como   ela  é,  independentemente  das  características     do  investigador  e  das  condições  em  que     a  investigação  é  realizada,     então,  o  conhecimento  científico,  apesar  de  ter     um  grande  grau  de  exactidão  e  de  rigor,  não  pode     ser  considerado  objectivo  porque  depende:     dos  métodos  e  instrumentos  usados  (só  capta  da  realidade   aquilo  que  os  instrumentos  permitem)     da  participação  activa  do  ser  humano  naquilo  que  conhece  
  • 6. Conceito     de  objectividade  científica   Mas  se  definirmos  objectividade  como  a  qualidade   própria  do  conhecimento  que  é  reconhecido     e  partilhado  por  toda  a  comunidade  científica,     em  virtude  do  rigor  metodológico  que  permite     a  qualquer  investigador  repetir  todas  as  operações   lógico-­‐matemáticas  e  experimentais     e  obter  sempre  os  mesmos  resultados,   então,  temos  de  aceitar  o  carácter     relativamente  objectivo     das  teorias  científicas.  
  • 7. O  conhecimento  científico     é  uma  interpretação  da  realidade     Podemos  afirmar  que:     1 o  conhecimento  científico  não  traduz  a  realidade   tal  como  ela  é  em  si  mesma,  nem  é  a  única   maneira  de  enquadrar  a  realidade   o  conhecimento  científico  fornece-­‐nos  uma   2 visão  da  realidade  segundo  a  perspectiva     da  razão,  que  vê  a  vasta  ordem  do  Universo,   matéria  viva  e  inanimada,  como  um  sistema   material  governado  por  regras  que  a  mente   humana  pode  apreender  
  • 8. Há  mais  formas     de  interpretar  a  realidade   Há  diferentes  visões  da  realidade:  a  visão  científica  do  mundo   1 não  responde  a  todas  as  nossas  preocupações:  «mostra-­‐nos     o  que  existe,  mas  não  o  que  é  que  se  há-­‐de  fazer  com  isso»     2 O  conhecimento   científico  é  uma     3 Todas  estas   interpretações  têm   das  formas  do  saber   origem  no  espanto,     humano,  mas  a  Política,     na  curiosidade  perante     a  Arte,  o  Direito     o  mundo  e  na  procura     ou  a  Religião  apresentam   de  sentido  para     outras  visões  da  realidade     a  existência  
  • 9. A  ciência  moderna     até  ao  século  XIX   Ao  estudarmos  a  história  da  Ciência,  damo-­‐nos  conta   de  que  até  aos  finais  do  século  XIX  existiu  um  modelo   da  racionalidade     (uma  chave  explicativa)     que  assentava     no  determinismo.  
  • 10. A  Ciência     no  século  XX   A  partir  do  início  do  século  XX,   devido  às  novas  teorias  da  Física     (a  física  quântica)  e  ao  reconhecimento   de  que  há  fenómenos  que  não   obedecem  ao  determinismo   (princípio  de  incerteza),  ocorreu  uma   revolução  na  epistemologia  que   alterou  o  modelo  de  racionalidade   até  então  aceite  pela  comunidade   científica.  
  • 11. Epistemologia     de  Thomas  Kuhn     Neste  contexto,  o  epistemólogo  Thomas  Kuhn,     ao  pretender  compreender  o  processo     das  transformações  ocorridas  nas  ciências,     foi  levado  a  estudar  o  desenvolvimento     histórico  da  Ciência.   O  que  Kuhn  constatou  foi  que  há   momentos  em  que  ideias  científicas   aceites  são  substituídas  por  outras   radicalmente  novas  e  em  que     o  próprio  modelo  geral  de  explicação     KUHN   se  transforma  radicalmente.    
  • 12. Exemplos  de  alteração     do  modelo  científico   Foi  o  que  aconteceu  na  astronomia  no  século  XVI,   quando  Nicolau  Copérnico  propôs  o  heliocentrismo   (em  substituição  do  geocentrismo),  ou  na  biologia,     no  século  XIX  ,  quando  Charles  Darwin  propôs     a  teoria  da  evolução  das  espécies  ou,  no  século  XX   com  a  teoria  da  relatividade  de  Albert  Einstein.    
  • 13. Revoluções     científicas     Nos  casos  referidos  (heliocentrismo,  evolução   das  espécies  e  relatividade),  as  novas  propostas   de  explicação  do  funcionamento     da  Natureza  obrigaram  a  rever  o  modo   como  se  concebia  a  realidade  nos  domínios   da  Astronomia,  da  Biologia  e  da  Física.     Kuhn  chamou  revoluções  científicas   às  transformações  radicais  dos  modelos   em  que,  numa  determinada  época,   assenta  a  visão  do  mundo.    
  • 14. Conceito     de  paradigma   Kuhn  chamou  paradigma     ao  conjunto  dos  conceitos   fundamentais                                                                     e  dos  procedimentos   padronizados  que  orientam               e  determinam  a  prática   científica  numa  dada  época.  
  • 15. Ciência  normal     e  ciência  extraordinária   Segundo  Kuhn,  a  comunidade  científica  realiza   a  investigação  dentro  dos  moldes  de  um   ciência paradigma  (ciência  normal).     normal Ao  surgirem  anomalias  (factos-­‐problema)     não  explicáveis  à  luz  dos  padrões  aceites,   entra-­‐se  num  momento  de  crise  e  polémica   (ciência  extraordinária),  durante  o  qual     ciência extraordinária se  confrontam  hipóteses  de  solução  para     as  «anomalias».  
  • 16. Incomensurabilidade   dos  paradigmas   Da  situação  de  crise  e  de  conflito  entre  os  conservadores   e  os  inovadores,  surgem  duas  alternativas:   ou  se  desenvolve  uma   ou  se  alarga  e  reformula     revolução  científica  com   o  paradigma  de  modo                     a  imposição  de  um  novo   a  solucionar  as  anomalias     paradigma  explicativo   e  explicar  os  novos  dados     Quando  se  impõe,  o  novo  paradigma  estabelece  uma  nova  maneira   de  ver  a  realidade,  incompatível  com  o  paradigma  anterior.     É  a  incomensurabilidade  dos  paradigmas.  
  • 17. Como  é  que  os  cientistas   mudam  de  paradigma?   A  escolha  de  um  paradigma  depende:     1 de  factores  objectivos     Características  de  uma   boa  teoria  científica:     2 de  factores  subjectivos   …     a  exactidão     a  consistência     o  alcance     a  simplicidade     a  fecundidade  
  • 18. Dificuldades  na  aplicação   de  critérios   Principais  dificuldades  na  escolha  de  uma  teoria     (factores  objectivos  e  subjectivos):   1 os  defensores  de  teorias   imprecisão     na  aplicação   3 diferentes  são  como  falantes     individual     de  linguagens  diferentes   dos  critérios   4 dificuldade  de  comunicação     entre  teorias  diferentes   2 conflitos  entre   os  critérios   (incomensurabilidade     dos  paradigmas)  
  • 19. A  nova  teoria     impõe-­‐se     A  nova  teoria  impõe-­‐se,  pois:   1 leva  alguns  cientistas   a  interessar-­‐se  por   2 leva  outros  a  tentar   ela,  discutindo-­‐a   ajustar  a  velha  teoria   convence  outros     3 das  suas  vantagens    
  • 20. Resumo   um  conhecimento  rigoroso     objectivo  no  sentido  de  ter     e  credível,  partilhável  por   o  acordo  de  toda  a  comunidade   toda  a  comunidade   científica,  que  pode  testar  a  sua   científica,  mas  não  reproduz   validade,  repetindo  as   fielmente  a  realidade   operações  lógico-­‐matemáticas   descritas  e  chegar  sempre  a  um   mesmo  resultado  
  • 21. Resumo   a  escolha  de  uma  teoria  depende  de  uma   mistura  de  factores  objectivos  e  subjectivos   Thomas  Kuhn,   depois  de   a  Ciência  evolui  de  forma  descontínua   investigar     há  períodos  de  ciência  normal,  em  que   o  modo  como   vigora  um  determinado  paradigma   evolui  a  Ciência,   há  momentos  de  crise,  ou  de  ciência  extraordinária,   de  que  pode  resultar,  quer  a  correcção  e   conclui  que   alargamento  do  paradigma  quer  a  sua  substituição   por  outro   neste  caso,  há  uma  revolução  científica:  dá-­‐ se  uma  ruptura  no  modo  de  conceber  a   realidade   o  novo  paradigma  consagra  uma  visão  da   Ciência  e  da  realidade  totalmente  nova  e   incompatível    com  a  anteriormente  adoptada   este  novo  paradigma  transforma-­‐se                                             em  «ciência  normal»,  e  será  sujeito                                       ao  mesmo  processo  de  confrontação  
  • 22. Resumo   Ciência  normal   Revolução  científica   Paradigma  A   Novo  paradigma   Incomensurabilidade  dos  paradigmas   Dificuldade  em  mudar  de  paradigma   A  mudança  depende  da  pressão     da  comunidade  científica  sobre  os  indivíduos  
  • 23. Exercício   Indique  os  conceitos  em  falta  nos  espaços  em  branco. A convicção de que existem relações fixas e necessárias entre fenómenos naturais é o determinismo. Os modelos teóricos descritivos e interpretativos que combinam e interligam conjuntos de leis e hipóteses explicativas coerentes são teorias científicas.
  • 24. Exercício   Diga  quais  são  as  afirmações  verdadeiras  e  quais  são  as  falsas.   Afirmações   V  /  F   Albert  Einstein  propôs  a  teórica  heliocêntrica.   ? F Charles  Darwin  propôs  a  teoria  da  evolução  das  espécies.   ? V Nicolau  Copérnico  propôs  a  teoria  da  relatividade.   ? F
  • 25. Exercício   Diga  quais  são  as  afirmações  verdadeiras  e  quais  são  as  falsas.   Afirmações   V  /  F   Chama-­‐se  ciência  paradigmática  ao  processo  de  renovação  de  uma  teoria  científica.     ? F Chama-­‐se  ciência  extraordinária  ao  período  de  crise  e  polémica  durante   o  qual  se  confrontam  hipóteses  de  solução  para  as  «anomalias».   ? V Chama-­‐se  revoluções  científicas  às  transformações  radicais  dos  regimes  políticos   com  poder  sobre  a  investigação  científica.     ? F
  • 26. Exercício   Diga  quais  são  as  afirmações  verdadeiras  e  quais  são  as  falsas.   Afirmações   V  /  F   Chama-­‐se  incomensurabilidade  dos  paradigmas  à  impossibilidade   de  comparar  os  paradigmas  com  o  senso  comum.     ? F Chama-­‐se  incomensurabilidade  dos  paradigmas  à  impossibilidade   de  comparar  os  paradigmas  mediante  um  critério  comum,  por   serem  modelos  incompatíveis  entre  si.     ? V Revoluções  científicas  são  as  transformações  radicais  dos  modelos   em  que  assenta  a  visão  do  mundo  de  uma  determinada  época.   ? V
  • 27. Glossário   •  Teorias  científicas     São  modelos  teóricos  descritivos     e  interpretativos  que  combinam  e   interligam  conjuntos  de  leis  e   hipóteses  explicativas  coerentes,   permitindo  deduzir  novas  leis     ou  formular  hipóteses  com  vista  à   explicação  de  novos  factos.  
  • 28. Glossário   Determinismo     É  a  convicção  de  que  existem  relações  fixas     e  necessárias  entre  fenómenos  naturais,     de  tal  modo  que  o  que  acontece  não  poderia   deixar  de  acontecer  porque  está  ligado     a  causas  anteriores.  
  • 29. Glossário   Paradigma     No  contexto  da  reflexão   epistemológica  de  Thomas  Khun,   designa  o  conjunto  dos  conceitos   fundamentais  e  dos  procedimentos   padronizados  aceites  pela   comunidade  científica  que  orienta     e  determina  a  prática  científica.  
  • 30. Glossário   Ciência  normal     Designação  atribuída  por  Thomas   Kuhn  ao  desenvolvimento  da  Ciência   realizado  no  respeito  pelas  crenças   básicas  e  pelos  procedimentos   padronizados  próprios  de  um  dado   paradigma.  
  • 31. Glossário   Ciência  extraordinária     Designação  atribuída  por  Thomas  Kuhn     aos  momentos  de  crise  e  confronto  entre   propostas  explicativas  novas,  incompatíveis   com  as  concepções  e  os  procedimentos     do  «velho»  paradigma.  Uma  fase  de  ciência   normal  dá  lugar  a  uma  outra  de  ciência   extraordinária  que,  por  sua  vez,  passará     a  ciência  normal,  e  assim  sucessivamente.  
  • 32. Glossário   Incomensurabilidade  dos  paradigmas     Conceito  criado  por  Thomas  Kuhn  para   designar  a  impossibilidade  de   comparar  os  paradigmas  mediante  um   critério  comum,  uma  vez  que  propõem   modos  de  conceber  a  realidade  e  a   Ciência  incompatíveis  entre  si.  
  • 33. Tema  IV  Conhecimento  e  Racionalidade  Científica  e  Tecnológica      2.  ESTATUTO  DO  CONHECIMENTO  CIENTÍFICO      2.3    A  Racionalidade  Científica  e  a  Questão  da  Objectividade