SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Tabelas de Verdade
Uma tabela de verdade é um dispositivo gráfico que nos permite ver em que
condições uma proposição é verdadeira ou falsa.
Tabela de Verdade da Negação
Se P for verdadeira, a sua negação é falsa.
Se P for falsa, a sua negação é verdadeira.
Exemplo: “O João está a dormir” - Se isto for verdade, dizer “O João não está a
dormir” é falso. Mas se for falso, então dizer “O João não está a dormir” é
verdadeiro.
P ~P
V
F
F
V
Tabela de Verdade da Conjunção
Uma conjunção só é verdadeira caso as duas
proposições simples que a compõem forem
verdadeiras.
Exemplo: “O Zé gosta de jogar à bola e surfar”
Isto só é verdade caso ele goste realmente dos dois.
Basta não gostar de uma coisa e aquilo já é falso.
P Q P ⋀ Q
V
V
F
F
V
F
V
F
V
F
F
F
Tabela de Verdade da Disjunção Inclusiva
Numa disjunção inclusiva basta que um dos elementos
seja verdadeiro para que a proposição complexa seja
verdadeira. Só é falsa caso as duas proposições que a
compõem sejam falsas.
Exemplo: “Vou ao café ou ao cinema”
Basta-me ir a um deles para que aquela proposição seja verdadeira.
P Q P ⋁ Q
V
V
F
F
V
F
V
F
V
V
V
F
Tabela de Verdade da Disjunção Exclusiva
As disjunções exclusivas só são verdadeiras caso uma das
duas proposições que as compõem forem verdadeiras.
Não podem ser ambas falsas, nem podem ser ambas
verdadeiras.
Exemplo: “O João ou nasceu em Setembro ou em Outubro”.
O João só pode ter nascido num desses meses. Não pode ter nascido nos dois.
Não pode não ter nascido em nenhum.
P Q P ⊻ Q
V
V
F
F
V
F
V
F
F
V
V
F
Tabela de Verdade da Condicional
Uma condicional só é falsa quando a antecedente (a
proposição que vem antes) é verdadeira e a
consequente (a proposição que vem depois) é falsa.
Pode parecer estranho a condicional ser verdadeira
quando a antecedente é falsa e a consequente
verdadeira.
Mas veja-se este exemplo: “Se tiro 10 no teste então passo de ano”. Posso não
tirar 10 no teste e tirar antes 15 ou 17, caso em que passo na mesma.
P Q P ➝ Q
V
V
F
F
V
F
V
F
V
F
V
V
Tabela de Verdade da Bicondicional
Uma bicondicional só é verdadeira
quando ambas as
proposições têm o mesmo valor de verdade.
Exemplo: “Vou à ao de filosofia se e
só se for sobre lógica”.
Só se as duas forem falsas - Não vou à aula de filosofia e a aula não é sobre
lógica - ou verdadeiras - vou à aula de filosofia e a aula é sobre lógica - é que a
proposição complexa é verdadeira.
P Q P ↔️ Q
V
V
F
F
V
F
V
F
V
F
F
V
Tabelas de verdade com mais que uma conectiva
O que fazer quando é preciso uma tabela de verdade para proposições com duas
ou mais conectivas verofuncionais?
O processo é o mesmo que para as tabelas de verdade com apenas uma
conectiva.
Temos de colocar do lado esquerdo as proposições simples (P, Q, R, …)
juntamente com as várias possibilidades de combinação de valores de verdade.
Tabelas de verdade com mais que uma conectiva
P Q R
V V V
V V F
V F V
V F F
F V V
F V F
F F V
F F F
Tabelas de verdade com mais que uma conectiva
Existe uma fórmula para saber o número de linhas necessárias numa tabela de
verdade: 2^n. Em que n = número de variáveis.
Se tivermos 2, então 2^2 = 4 linhas.
Se tivermos 3, então 2^3 = 8 linhas.
...
Tabelas de verdade com mais que uma conectiva
Para obter a combinação de todos os valores de verdade possíveis vai alternando
V e F as vezes necessárias.
Se houver apenas uma alterna V e F uma vez - como vimos na tabela de verdade
da negação.
Se houverem duas, alterna V e F de dois em dois na primeira variável e de um
em um na segundo - como vimos nas outras tabelas de verdade.
Se houverem três, alterna V e F de quatro em quatro na primeira, dois em dois na
segunda e um em um na terceira.
Inspetores de Circunstância
Um inspetor de circunstância é um dispositivo gráfico com uma sequência de
tabelas de verdade que mostra o valor de verdade de cada premissa e da
conclusão em todas as circunstâncias possíveis. Permitindo ver se o argumento é
ou não válido.
Inspetores de Circunstância
Vejamos como funciona com o seguinte argumento (já formalizado):
P → Q; P; ∴ Q
Inspetores de Circunstância
Este argumento é válido porque não há nenhuma situação em que as premissas
sejam verdadeiras e a conclusão falsa.
P Q P → Q P ∴ Q
V V V V V
V F F V F
F V V F V
F F V F F
Inspetores de Circunstância
O argumento é inválido porque é possível que as premissas sejam verdadeiras e
a conclusão falsa.
P Q P → Q Q ∴ P
V V V V V
V F F F V
F V V V F
F F V F F

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3
Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3
Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3Manuel Matos
 
Aula1 proposicoes e conectivos (1)
Aula1 proposicoes e conectivos (1)Aula1 proposicoes e conectivos (1)
Aula1 proposicoes e conectivos (1)SEDUC-PA
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidasHelena Serrão
 
Princípios de lógica
Princípios de lógicaPrincípios de lógica
Princípios de lógicafiloscar
 
Logica computacional
Logica computacionalLogica computacional
Logica computacionalJota Thin
 
Lógica e teoria de conjuntos ppt
Lógica e teoria de conjuntos  pptLógica e teoria de conjuntos  ppt
Lógica e teoria de conjuntos pptPedro Teixeira
 
Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursosApostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursosiran rodrigues
 
Tautologias, contradições, contigências e equivalências
Tautologias, contradições, contigências e equivalênciasTautologias, contradições, contigências e equivalências
Tautologias, contradições, contigências e equivalênciasAristóteles Meneses
 
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestre
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestreApostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestre
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestreMaria de Lourdes Lourenço
 
Parte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weberParte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weberAlini Teixeira
 
Apostila completa de_lógica_-_204_páginas
Apostila completa de_lógica_-_204_páginasApostila completa de_lógica_-_204_páginas
Apostila completa de_lógica_-_204_páginasErica Surmay
 
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdadeApostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdadeGina Pagu
 
Inss 2016 raciocínio lógico 2
Inss 2016   raciocínio lógico 2Inss 2016   raciocínio lógico 2
Inss 2016 raciocínio lógico 2Jose Nicodemos
 

Mais procurados (19)

Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3
Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3
Unidade 3 cap 1.2 (b) e cap 1.3
 
Aula1 proposicoes e conectivos (1)
Aula1 proposicoes e conectivos (1)Aula1 proposicoes e conectivos (1)
Aula1 proposicoes e conectivos (1)
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidas
 
Bizu Concurso
Bizu ConcursoBizu Concurso
Bizu Concurso
 
Princípios de lógica
Princípios de lógicaPrincípios de lógica
Princípios de lógica
 
Construção da tabela verdade
Construção da tabela verdadeConstrução da tabela verdade
Construção da tabela verdade
 
Contrução da tabela verdade
Contrução da tabela verdadeContrução da tabela verdade
Contrução da tabela verdade
 
Logica computacional
Logica computacionalLogica computacional
Logica computacional
 
Lógica e teoria de conjuntos ppt
Lógica e teoria de conjuntos  pptLógica e teoria de conjuntos  ppt
Lógica e teoria de conjuntos ppt
 
Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursosApostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
 
Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursosApostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
 
Tautologias, contradições, contigências e equivalências
Tautologias, contradições, contigências e equivalênciasTautologias, contradições, contigências e equivalências
Tautologias, contradições, contigências e equivalências
 
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestre
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestreApostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestre
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade 6 ano 2 bimestre
 
Parte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weberParte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weber
 
Apostila completa de_lógica_-_204_páginas
Apostila completa de_lógica_-_204_páginasApostila completa de_lógica_-_204_páginas
Apostila completa de_lógica_-_204_páginas
 
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdadeApostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade
Apostila logica proposicoes-conectivos-tabela-verdade
 
Aula 2 raciocínio lógico
Aula 2   raciocínio lógicoAula 2   raciocínio lógico
Aula 2 raciocínio lógico
 
Inss 2016 raciocínio lógico 2
Inss 2016   raciocínio lógico 2Inss 2016   raciocínio lógico 2
Inss 2016 raciocínio lógico 2
 
Aula03 - Lógica
Aula03 - LógicaAula03 - Lógica
Aula03 - Lógica
 

Semelhante a Pp4

Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursosApostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursosLizandra Guarnieri Gomes
 
Unidade 3 cap 1.2 (a)
Unidade 3 cap 1.2 (a)Unidade 3 cap 1.2 (a)
Unidade 3 cap 1.2 (a)Manuel Matos
 
Docslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarked
Docslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarkedDocslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarked
Docslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarkedMônica Radaelli
 
APOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdf
APOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdfAPOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdf
APOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdfMatheusAlves240530
 
Apostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicos
Apostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicosApostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicos
Apostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicosFernando Sousa
 
LÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptx
LÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptxLÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptx
LÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptxcamilasantosjessica
 
Raciocínio lógico aula 1-6 - conceitos iniciais 1
Raciocínio lógico   aula 1-6 - conceitos iniciais 1Raciocínio lógico   aula 1-6 - conceitos iniciais 1
Raciocínio lógico aula 1-6 - conceitos iniciais 1J M
 
Aula 01 conceitos iniciais
Aula 01   conceitos iniciaisAula 01   conceitos iniciais
Aula 01 conceitos iniciaisJ M
 
Parte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weberParte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weberKellvin Jordan
 
Apostila raciocinio lógico
Apostila raciocinio lógicoApostila raciocinio lógico
Apostila raciocinio lógicoLu Gomes
 
Lógica (para concursos públicos)
Lógica (para concursos públicos)Lógica (para concursos públicos)
Lógica (para concursos públicos)Romulo Garcia
 
Apostila raciocínio lógico
Apostila raciocínio lógicoApostila raciocínio lógico
Apostila raciocínio lógicoThulio Cesar
 

Semelhante a Pp4 (20)

Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursosApostila raciocicnio-logico-para-concursos
Apostila raciocicnio-logico-para-concursos
 
Unidade 3 cap 1.2 (a)
Unidade 3 cap 1.2 (a)Unidade 3 cap 1.2 (a)
Unidade 3 cap 1.2 (a)
 
Lógica+20..
Lógica+20..Lógica+20..
Lógica+20..
 
Lógica+20..2
Lógica+20..2Lógica+20..2
Lógica+20..2
 
Docslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarked
Docslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarkedDocslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarked
Docslide.com.br aula 03-raciocinio-logicotextmarked
 
Condições
CondiçõesCondições
Condições
 
11 logica
11 logica11 logica
11 logica
 
APOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdf
APOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdfAPOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdf
APOSTILA_LOGICA-PROPOSICOES-CONECTIVOS-TABELA-VERDADE.pdf
 
Apostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicos
Apostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicosApostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicos
Apostila proposicoes-tabelas-verdade-conectivos-logicos
 
LÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptx
LÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptxLÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptx
LÓGICA PROPOSICIONAL E LÓGICA BOOLEANA.pptx
 
Raciocínio lógico aula 1-6 - conceitos iniciais 1
Raciocínio lógico   aula 1-6 - conceitos iniciais 1Raciocínio lógico   aula 1-6 - conceitos iniciais 1
Raciocínio lógico aula 1-6 - conceitos iniciais 1
 
Aula 01 conceitos iniciais
Aula 01   conceitos iniciaisAula 01   conceitos iniciais
Aula 01 conceitos iniciais
 
Raciocinio logico-parte 01-aep-trf5
Raciocinio logico-parte 01-aep-trf5Raciocinio logico-parte 01-aep-trf5
Raciocinio logico-parte 01-aep-trf5
 
Parte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weberParte 01 rac_log_aep_pf_weber
Parte 01 rac_log_aep_pf_weber
 
Apostila raciocinio lógico
Apostila raciocinio lógicoApostila raciocinio lógico
Apostila raciocinio lógico
 
Modulo i
Modulo iModulo i
Modulo i
 
Lógica (para concursos públicos)
Lógica (para concursos públicos)Lógica (para concursos públicos)
Lógica (para concursos públicos)
 
Raciocínio lógico
Raciocínio lógicoRaciocínio lógico
Raciocínio lógico
 
Apostila raciocínio lógico
Apostila raciocínio lógicoApostila raciocínio lógico
Apostila raciocínio lógico
 
Apostila raciocã­nio lã³gico
Apostila raciocã­nio lã³gicoApostila raciocã­nio lã³gico
Apostila raciocã­nio lã³gico
 

Mais de Helena Serrão

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxHelena Serrão
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxHelena Serrão
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxHelena Serrão
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxHelena Serrão
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pietaHelena Serrão
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Helena Serrão
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Helena Serrão
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesHelena Serrão
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaHelena Serrão
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificialHelena Serrão
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Helena Serrão
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daHelena Serrão
 

Mais de Helena Serrão (20)

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartes
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
 
Logica informal
Logica informalLogica informal
Logica informal
 

Último

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 

Último (20)

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 

Pp4

  • 1. Tabelas de Verdade Uma tabela de verdade é um dispositivo gráfico que nos permite ver em que condições uma proposição é verdadeira ou falsa.
  • 2. Tabela de Verdade da Negação Se P for verdadeira, a sua negação é falsa. Se P for falsa, a sua negação é verdadeira. Exemplo: “O João está a dormir” - Se isto for verdade, dizer “O João não está a dormir” é falso. Mas se for falso, então dizer “O João não está a dormir” é verdadeiro. P ~P V F F V
  • 3. Tabela de Verdade da Conjunção Uma conjunção só é verdadeira caso as duas proposições simples que a compõem forem verdadeiras. Exemplo: “O Zé gosta de jogar à bola e surfar” Isto só é verdade caso ele goste realmente dos dois. Basta não gostar de uma coisa e aquilo já é falso. P Q P ⋀ Q V V F F V F V F V F F F
  • 4. Tabela de Verdade da Disjunção Inclusiva Numa disjunção inclusiva basta que um dos elementos seja verdadeiro para que a proposição complexa seja verdadeira. Só é falsa caso as duas proposições que a compõem sejam falsas. Exemplo: “Vou ao café ou ao cinema” Basta-me ir a um deles para que aquela proposição seja verdadeira. P Q P ⋁ Q V V F F V F V F V V V F
  • 5. Tabela de Verdade da Disjunção Exclusiva As disjunções exclusivas só são verdadeiras caso uma das duas proposições que as compõem forem verdadeiras. Não podem ser ambas falsas, nem podem ser ambas verdadeiras. Exemplo: “O João ou nasceu em Setembro ou em Outubro”. O João só pode ter nascido num desses meses. Não pode ter nascido nos dois. Não pode não ter nascido em nenhum. P Q P ⊻ Q V V F F V F V F F V V F
  • 6. Tabela de Verdade da Condicional Uma condicional só é falsa quando a antecedente (a proposição que vem antes) é verdadeira e a consequente (a proposição que vem depois) é falsa. Pode parecer estranho a condicional ser verdadeira quando a antecedente é falsa e a consequente verdadeira. Mas veja-se este exemplo: “Se tiro 10 no teste então passo de ano”. Posso não tirar 10 no teste e tirar antes 15 ou 17, caso em que passo na mesma. P Q P ➝ Q V V F F V F V F V F V V
  • 7. Tabela de Verdade da Bicondicional Uma bicondicional só é verdadeira quando ambas as proposições têm o mesmo valor de verdade. Exemplo: “Vou à ao de filosofia se e só se for sobre lógica”. Só se as duas forem falsas - Não vou à aula de filosofia e a aula não é sobre lógica - ou verdadeiras - vou à aula de filosofia e a aula é sobre lógica - é que a proposição complexa é verdadeira. P Q P ↔️ Q V V F F V F V F V F F V
  • 8. Tabelas de verdade com mais que uma conectiva O que fazer quando é preciso uma tabela de verdade para proposições com duas ou mais conectivas verofuncionais? O processo é o mesmo que para as tabelas de verdade com apenas uma conectiva. Temos de colocar do lado esquerdo as proposições simples (P, Q, R, …) juntamente com as várias possibilidades de combinação de valores de verdade.
  • 9. Tabelas de verdade com mais que uma conectiva P Q R V V V V V F V F V V F F F V V F V F F F V F F F
  • 10. Tabelas de verdade com mais que uma conectiva Existe uma fórmula para saber o número de linhas necessárias numa tabela de verdade: 2^n. Em que n = número de variáveis. Se tivermos 2, então 2^2 = 4 linhas. Se tivermos 3, então 2^3 = 8 linhas. ...
  • 11. Tabelas de verdade com mais que uma conectiva Para obter a combinação de todos os valores de verdade possíveis vai alternando V e F as vezes necessárias. Se houver apenas uma alterna V e F uma vez - como vimos na tabela de verdade da negação. Se houverem duas, alterna V e F de dois em dois na primeira variável e de um em um na segundo - como vimos nas outras tabelas de verdade. Se houverem três, alterna V e F de quatro em quatro na primeira, dois em dois na segunda e um em um na terceira.
  • 12. Inspetores de Circunstância Um inspetor de circunstância é um dispositivo gráfico com uma sequência de tabelas de verdade que mostra o valor de verdade de cada premissa e da conclusão em todas as circunstâncias possíveis. Permitindo ver se o argumento é ou não válido.
  • 13. Inspetores de Circunstância Vejamos como funciona com o seguinte argumento (já formalizado): P → Q; P; ∴ Q
  • 14. Inspetores de Circunstância Este argumento é válido porque não há nenhuma situação em que as premissas sejam verdadeiras e a conclusão falsa. P Q P → Q P ∴ Q V V V V V V F F V F F V V F V F F V F F
  • 15. Inspetores de Circunstância O argumento é inválido porque é possível que as premissas sejam verdadeiras e a conclusão falsa. P Q P → Q Q ∴ P V V V V V V F F F V F V V V F F F V F F