SlideShare uma empresa Scribd logo
Duas teorias: Racionalismo e Empirismo
 A. Se é vermelho então tem cor.
 B. 4x4=16
 C. O italiano é a língua falada em Itália.
 D. O todo é maior que as partes que o
constituem.
A. Destroem a nossa crença na existência da
verdade.
B. Aumentam a certeza sobre o conhecimento.
C. Não afetam o conhecimento.
D. Permitem a superação da dúvida.
 A. não encontra uma forma de fundamentar
racionalmente o conhecimento.
 Hume não é um filósofo cético
 Não encontra fundamentos infalíveis para a
existência de Deus.
 Admite a possibilidade de uma dúvida radical.
 A. Não utiliza os argumentos cépticos.
 B. Utiliza-os na última fase da sua vida.
 C. Utiliza os argumentos para os superar.
 D. Desde o início demarca-se do cepticismo.
A. Mostrar que os argumentos são falaciosos.
B. Encontrar crenças que se auto-justifiquem.
C. Suspender o juízo sobre a verdade.
D. Confiar nos sentidos.
 A. A mente, o vazio e a divindade.
 B. A crença na experiência.
 C. A razão e Deus.
 D. A certeza do raciocínio matemático.
A. Não existe, é uma ilusão.
B. Existe mas não pode ser conhecida.
C. É algo que se coloca como um fim mas nunca
se alcança.
D. É uma ideia evidente e “a priori”.
A. Metódica e provisória.
B. Constante e definitiva.
C. Dogmática e irracional.
D. Não há tal coisa como dúvida cartesiana.
A. Inata à razão mas a sua causa é exterior.
B. Produzida apenas pelo pensamento.
C. Obscura e pouco clara.
D. Um artifício para consolidar o conhecimento.
A. Centra-se na relação com o cogito.
B. Não há críticas de Hume a Descartes.
C. Evoca a falácia da petição de princípio na
prova da existência de Deus.
D. Hume concorda com a dúvida cartesiana.
 A coloca em causa a existência de uma
substância pensante, um “Eu”.
 Coloca em causa a existência de um
conhecimento “a priori”.
 Põe em dúvida os sentidos como fonte de
conhecimento.
 Hume não critica Descartes.
A. Não tem importância para ambos os
filósofos.
B. É uma ciência do fundamento para
Descartes e para Hume.
C. É uma ciência do fundamento apenas para
Descartes.
D. Significa idealismo exagerado.
A. Empirismo e Cepticismo.
B. Idealismo e Materialismo.
C. Não há teorias sobre a origem do
conhecimento.
D. Racionalismo e Empirismo.
A. As ideias não têm significado sem as
impressões respectivas.
B. Acerca do mundo só há impressões.
C. O conhecimento matemático não é possível.
D. As impressões são vagas e as ideias fortes.
A. A necessidade de criticar a experiência.
B. A fundamentação sólida e racional do
conhecimento.
C. Não há razões para se ser racionalista.
D. A aplicação da matemática todas as áreas do
saber.
A. Na relação causa-efeito.
B. Na razão e nos raciocínios.
C. Na interdependência razão/sentidos.
D. Em nenhuma destas opções.
A.Todo o conhecimento é de factos.
B.Todo o conhecimento é ilimitado e certo.
C. Não podemos conhecer verdades
metafísicas.
D. Não podemos ter conhecimento “a priori”.
A. É um hábito psicológico produto da
experiência repetida e não uma conexão
necessária.
B. É uma relação necessária entre factos.
C. Não existe.
D. É uma relação de falível e imprevisível.
A. Amplia a nossa confiança na ciência.
B. Reduz as possibilidades de ter ilusões.
C. Obriga-nos a uma visão crítica.
D. Hume não é um céptico.
 A: A conexão necessária entre os factos.
 B. A conjunção constante entre certos factos.
 C. A impressão de causa-efeito.
 D. O hábito de ver a sucessão de factos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ficha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informaisFicha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informais
Isabel Moura
 
Exercícios Filsofia
Exercícios Filsofia Exercícios Filsofia
Exercícios Filsofia
Jorge Barbosa
 
O racionalismo de Descartes
O racionalismo de DescartesO racionalismo de Descartes
O racionalismo de Descartes
Joana Filipa Rodrigues
 
Resumos filosofia 11
Resumos filosofia 11Resumos filosofia 11
Resumos filosofia 11
Dylan Bonnet
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartes
Isabel Moura
 
Impressões e ideias
Impressões e ideiasImpressões e ideias
Impressões e ideias
Luis De Sousa Rodrigues
 
Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97
Maria Teresa Soveral
 
Hume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
Hume_problemas_existência_eu_mundo_DeusHume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
Hume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
Isabel Moura
 
David hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidadeDavid hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidade
Francis Mary Rosa
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Helena Coutinho
 
Ap.06.01.argumentos.nao.dedutivos
Ap.06.01.argumentos.nao.dedutivosAp.06.01.argumentos.nao.dedutivos
Ap.06.01.argumentos.nao.dedutivos
jtorrescosta
 
Teste valores Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos morais
Teste valores  Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos moraisTeste valores  Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos morais
Teste valores Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos morais
JooCalas1
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo MoralSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Turma Olímpica
 
Juízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorJuízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valor
Danilo Pires
 
Falácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retóricaFalácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retórica
Isaque Tomé
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
Isabel Moura
 
Cap vi
Cap viCap vi
Cena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do InfernoCena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Toninho Mata
 

Mais procurados (20)

Ficha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informaisFicha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informais
 
Exercícios Filsofia
Exercícios Filsofia Exercícios Filsofia
Exercícios Filsofia
 
O racionalismo de Descartes
O racionalismo de DescartesO racionalismo de Descartes
O racionalismo de Descartes
 
Resumos filosofia 11
Resumos filosofia 11Resumos filosofia 11
Resumos filosofia 11
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartes
 
Impressões e ideias
Impressões e ideiasImpressões e ideias
Impressões e ideias
 
Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97
 
Hume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
Hume_problemas_existência_eu_mundo_DeusHume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
Hume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
 
Popper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismoPopper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismo
 
David hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidadeDavid hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidade
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
 
Ap.06.01.argumentos.nao.dedutivos
Ap.06.01.argumentos.nao.dedutivosAp.06.01.argumentos.nao.dedutivos
Ap.06.01.argumentos.nao.dedutivos
 
Teste valores Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos morais
Teste valores  Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos moraisTeste valores  Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos morais
Teste valores Filosofia 10 o problema da natureza dos juizos morais
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo MoralSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
 
Comparação descartes hume
Comparação descartes   humeComparação descartes   hume
Comparação descartes hume
 
Juízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorJuízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valor
 
Falácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retóricaFalácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retórica
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
 
Cap vi
Cap viCap vi
Cap vi
 
Cena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do InfernoCena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
 

Semelhante a Revisoes hume e_descartes

Como conhecemos nós
Como conhecemos nósComo conhecemos nós
Como conhecemos nós
Helena Serrão
 
Como descartes
Como descartesComo descartes
Como descartes
Helena Serrão
 
Resumo e questões filosofia 11º
Resumo e questões filosofia 11ºResumo e questões filosofia 11º
Resumo e questões filosofia 11º
malaiko
 
3ano 2bi filosofia_ex-2
3ano 2bi filosofia_ex-23ano 2bi filosofia_ex-2
3ano 2bi filosofia_ex-2
takahico
 
3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex
takahico
 
2014 a prova_1_fase
2014 a prova_1_fase2014 a prova_1_fase
2014 a prova_1_fase
Luis De Sousa Rodrigues
 

Semelhante a Revisoes hume e_descartes (6)

Como conhecemos nós
Como conhecemos nósComo conhecemos nós
Como conhecemos nós
 
Como descartes
Como descartesComo descartes
Como descartes
 
Resumo e questões filosofia 11º
Resumo e questões filosofia 11ºResumo e questões filosofia 11º
Resumo e questões filosofia 11º
 
3ano 2bi filosofia_ex-2
3ano 2bi filosofia_ex-23ano 2bi filosofia_ex-2
3ano 2bi filosofia_ex-2
 
3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex3ano 2bi filosofia_ex
3ano 2bi filosofia_ex
 
2014 a prova_1_fase
2014 a prova_1_fase2014 a prova_1_fase
2014 a prova_1_fase
 

Mais de Helena Serrão

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
Helena Serrão
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
Helena Serrão
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
Helena Serrão
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
Helena Serrão
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Helena Serrão
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
Helena Serrão
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Helena Serrão
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
Helena Serrão
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Helena Serrão
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
Helena Serrão
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Helena Serrão
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
Helena Serrão
 
Pp4
Pp4Pp4
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
Helena Serrão
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
Helena Serrão
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Helena Serrão
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Helena Serrão
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
Helena Serrão
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
Helena Serrão
 
Logica informal
Logica informalLogica informal
Logica informal
Helena Serrão
 

Mais de Helena Serrão (20)

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Pp4
Pp4Pp4
Pp4
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
 
Logica informal
Logica informalLogica informal
Logica informal
 

Último

CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Revisoes hume e_descartes

  • 2.  A. Se é vermelho então tem cor.  B. 4x4=16  C. O italiano é a língua falada em Itália.  D. O todo é maior que as partes que o constituem.
  • 3. A. Destroem a nossa crença na existência da verdade. B. Aumentam a certeza sobre o conhecimento. C. Não afetam o conhecimento. D. Permitem a superação da dúvida.
  • 4.  A. não encontra uma forma de fundamentar racionalmente o conhecimento.  Hume não é um filósofo cético  Não encontra fundamentos infalíveis para a existência de Deus.  Admite a possibilidade de uma dúvida radical.
  • 5.  A. Não utiliza os argumentos cépticos.  B. Utiliza-os na última fase da sua vida.  C. Utiliza os argumentos para os superar.  D. Desde o início demarca-se do cepticismo.
  • 6. A. Mostrar que os argumentos são falaciosos. B. Encontrar crenças que se auto-justifiquem. C. Suspender o juízo sobre a verdade. D. Confiar nos sentidos.
  • 7.  A. A mente, o vazio e a divindade.  B. A crença na experiência.  C. A razão e Deus.  D. A certeza do raciocínio matemático.
  • 8. A. Não existe, é uma ilusão. B. Existe mas não pode ser conhecida. C. É algo que se coloca como um fim mas nunca se alcança. D. É uma ideia evidente e “a priori”.
  • 9. A. Metódica e provisória. B. Constante e definitiva. C. Dogmática e irracional. D. Não há tal coisa como dúvida cartesiana.
  • 10. A. Inata à razão mas a sua causa é exterior. B. Produzida apenas pelo pensamento. C. Obscura e pouco clara. D. Um artifício para consolidar o conhecimento.
  • 11. A. Centra-se na relação com o cogito. B. Não há críticas de Hume a Descartes. C. Evoca a falácia da petição de princípio na prova da existência de Deus. D. Hume concorda com a dúvida cartesiana.
  • 12.  A coloca em causa a existência de uma substância pensante, um “Eu”.  Coloca em causa a existência de um conhecimento “a priori”.  Põe em dúvida os sentidos como fonte de conhecimento.  Hume não critica Descartes.
  • 13. A. Não tem importância para ambos os filósofos. B. É uma ciência do fundamento para Descartes e para Hume. C. É uma ciência do fundamento apenas para Descartes. D. Significa idealismo exagerado.
  • 14. A. Empirismo e Cepticismo. B. Idealismo e Materialismo. C. Não há teorias sobre a origem do conhecimento. D. Racionalismo e Empirismo.
  • 15. A. As ideias não têm significado sem as impressões respectivas. B. Acerca do mundo só há impressões. C. O conhecimento matemático não é possível. D. As impressões são vagas e as ideias fortes.
  • 16. A. A necessidade de criticar a experiência. B. A fundamentação sólida e racional do conhecimento. C. Não há razões para se ser racionalista. D. A aplicação da matemática todas as áreas do saber.
  • 17. A. Na relação causa-efeito. B. Na razão e nos raciocínios. C. Na interdependência razão/sentidos. D. Em nenhuma destas opções.
  • 18. A.Todo o conhecimento é de factos. B.Todo o conhecimento é ilimitado e certo. C. Não podemos conhecer verdades metafísicas. D. Não podemos ter conhecimento “a priori”.
  • 19. A. É um hábito psicológico produto da experiência repetida e não uma conexão necessária. B. É uma relação necessária entre factos. C. Não existe. D. É uma relação de falível e imprevisível.
  • 20. A. Amplia a nossa confiança na ciência. B. Reduz as possibilidades de ter ilusões. C. Obriga-nos a uma visão crítica. D. Hume não é um céptico.
  • 21.  A: A conexão necessária entre os factos.  B. A conjunção constante entre certos factos.  C. A impressão de causa-efeito.  D. O hábito de ver a sucessão de factos.