SlideShare uma empresa Scribd logo
M9_ Unid.1- O fim do sistema internacional da
Guerra Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul
1.2 – Os polos de desenvolvimento económico
O domínio da Tríade
 Atualmente, distinguimos três polos económicos fundamentais: os
Estados Unidos da América, a União Europeia e a zona da Ásia-
Pacífico.
Neste mapa das principais organizações de comércio livre, é possível verificar, pelas
variantes do PNB e das Exportações, que as três zonas acima apresentadas
constituem as economias mais poderosas do Mundo.
EUA
Embora se tenha envolvido nas duas guerras mundiais, este país
colheu mais benefícios que prejuízos. Porquê?
 Devido à distância que os oceanos Pacífico e Atlântico lhe
imprimiam das frentes de batalha, as vítimas civis foram
praticamente nulas;
 Os centros industriais não foram destruídos por ataques aéreos,
 As produções agrícolas não foram prejudicadas por
bombardeamentos ou pelo avanço de exércitos.
 Nos anos 80, o mundo assistiu à desagregação do bloco de Leste
e da própria URSS. Com isto, estava aberto o caminho para os
EUA se afirmarem como a única superpotência, permitindo-lhes
orientar o rumo de uma nova ordem internacional.
EUA – prosperidade económica
Contexto do desenvolvimento económico dos EUA:
1. Livre iniciativa
Liberalismo Livre concorrência
Livre circulação de mercadorias e capitais
2 . Sociedade da abundância, com aumento da produção e do
consumo de bens duradouros.
3 . Afirmação de um novo capitalismo industrial com base na
inovação tecnológica.
4 . Medidas neoliberais (adotadas por Reagan e George Bush):
= reduzem-se os encargos com a segurança social.
= atenuam-se as restrições aos despedimentos e à deslocação da mão de
obra excedentária
= utiliza-se a força de trabalho precário e a mão de obra barata ( trabalhos
em part-time e contratos a prazo)
= Aumento da produtividade e a diminuição dos custos de produção através
de grandes investimentos em tecnologia de ponta.
= vulgarização do recurso ao crédito, quer por parte dos produtores, como
dos consumidores.
= valorização do dólar
= relações políticas com países do Golfo Pérsico, de modo a ter acesso ao
petróleo.
= expansão do mercado externo com os países em vias de desenvolvimento(
aproveitamento da mão de obra barate e das matérias primas)
5 . Ação de Bill Clinton ( 1993-2001):
= Fomenta as relações comerciais com o Sudeste Asiático, criando a
APEC ( Cooperação Económica Ásia-Pacífico), que se constitui como um
poderoso bloco económico entre 20 países.
= Criou a NAFTA (Acordo de comércio livre da América do Norte), unindo
economicamente os EUA, o Canadá e o México.
Setor terciário
Setor secundário
Setor primário
EUA - ciência e tecnologia
 O progresso científico e tecnológico contribuiu para o
crescimento económico
 Manifestações do progresso científico e tecnológico:
= massificação do computador pessoal e criação da Internet.
= criação de grandes parques tecnológicos, ligando a pesquisa
científica à inovação técnica
= aparecimento da Microsoft como imagem de marca da
prosperidade americana, movimentando elevadas quantias na
bolsa de valores.
= fomento do empreendedorismo, criando novos setores
económicos e novas riquezas.
EUA – Supremacia militar
 Grandes investimentos na indústria aeroespacial, bélica e
eletrónica, procurando garantir a sua supremacia.
 Perante alguns tratados que procuram limitar o
armamento não convencional, adotam uma posição de
resistência, não os assinando.
 Dão continuidade ao programa da Defesa Estratégica
(“Guerra das Estrelas”) de Ronald Reagan, com o
objetivo de manter o território americano protegido.
Ronald Reagan
 Recusam-se a assinar o Protocolo de Quioto que, além das
questões ambientais, procura limitar o desenvolvimento
 Rejeitam submeter os seus militares ao Tribunal Penal
Internacional – tribunal a quem é atribuída a competência de
julgar os chamados crimes de guerra ou genocídios.
 Desenvolvem intensos programas de inovação tecnológica,
guerra eletrónica, suportada pelas armas poderosas e por uma
vigorosa força aérea. (Nesta guerra contam-se tecnologias como
o GPS, espionagem por satélite, sistemas de orientação de mísseis
balísticos por laser, potentes computadores…)
.
 Intervêm militarmente em diversos locais do mundo, quer por iniciativa
própria, quer integrando a NATO, afirmando-se assim como os “polícias
do mundo”
Porquê?
 recusam-se a tolerar qualquer ameaça que ponha em causa os
princípios da ONU.
Nesse sentido, assiste-se ao aumento das sanções contra países onde
os direitos humanos são violados, onde há repressão política, apoio ao
terrorismo ou agressões militares.
 Também a NATO, que à partida perderia razão de existir com a queda
do Pacto de Varsóvia, viu a sua posição ser reforçada, porque a ela se
juntaram os antigos países da união militar soviética.
Os “polícias do mundo”
 O ataque na Líbia em 1986, onde se
alegava que Kadafi, o ditador libanês,
apoiava o terrorismo internacional.
 Como pretexto, os EUA afirmam que, um
ataque realizado à bomba a uma
discoteca de Berlim, onde as vítimas
foram soldados americanos, é obra do
regime de Kadafi.
 Esta operação contou com o apoio do
governo inglês de Margaret Thatcher.
 Intervenção militar na guerra do Golfo, em 1991.
 Desenvolveu-se a ação contra o Iraque por este ter ocupado o
vizinho Kuwait, violando o direito internacional.
 George Bush ( presidente dos EUA) justificou esta intervenção
da seguinte maneira:
“A agressão ao Golfo Pérsico constitui uma ameaça não só para a
segurança de toda uma região mas também para as perspetivas
do futuro mundial. Ela ameaça transformar o sonho de uma nova
ordem mundial num pesadelo onde reina a amargura e onde a lei
da selva substitui o direito internacional. (…) A vitória terá
consequências duráveis: o reforço das regras de conduta
civilizadas nas relações internacionais, a criação de um
precedente em matéria de cooperação internacional.”
 Na operação “Devolver a Esperança”, os soldados
americanos foram para a Somália ( 1992-93) para distribuir
alimentos e manter a paz, mas acabaram derrotados pelos
rebeldes somalis.
 Intervenção militar na ex-Jugoslávia ( Sérvia), em 1999,
acusada de violar os direitos humanos e exterminar a
população albanesa na província do Kosovo.
Hiperterrorismo
Intervenção na guerra do
Golfo
Reforço da presença dos EUA
no mundo árabe
Apoio ao governo de
Israel na luta contra os
Palestinianos
Violenta reação dos muçulmanos fundamentalistas religiosos:
consideram as intervenções como uma Cruzada do Ocidente
contra o Islão e praticam o terrorismo organizado contra os
interesses americanos e dos seus aliados
11 de Setembro de 2001: ataque ao
World Trade Center a ao Pentágono
 O combate ao terrorismo tornou-se a prioridade da política
internacional dos EUA.
 O presidente Georges Bush definiu a “ Nova Estratégia de
Segurança Nacional” ( a “ Doutrina Bush”):
 Direito de fazer guerra preventiva contra países ou grupos
terroristas que desenvolvam armas de destruição maciça.
 Manter a supremacia militar com única superpotência do
planeta
 Compromisso de cooperação internacional multilateral no
combate ao terrorismo internacional, mas com a
salvaguarda de que “ agirão unilateralmente, se necessário”
 Espalhar a democracia e os direitos humanos por todo o
mundo, especialmente no mundo muçulmano
No âmbito da doutrina Bush:
 2001 – invadem o Afeganistão, numa tentativa de capturarem Osama Bin
Laden, acusado de organizar os assaltos do 11 de Setembro.
Apesar de não conseguirem a captura, destruíram o governo dos Taliban e
promoveram a democratização do país
 2003 – invadem o Iraque denunciando a posse de armas de destruição
maciça e o apoio ao terrorismo internacional por parte de presidente
Sadam Hussein.
 Levam a cabo campanhas de denúncia dos programas nucleares da
Coreia do Norte e do Irão.
 Mantém uma ativa perseguição aos dirigentes dos movimentos terroristas,
submetendo-os a julgamento ou executando-os imediatamente ( como
aconteceu com Bin Laden em 2011)
A Europa
2ª guerra
mundial
Plano Marshall
Comunidade Económica do
Carvão e do Aço (CECA),
constituída pela França,
Alemanha, Itália, Bélgica,
Holanda e Luxemburgo
1957 – Tratado de Roma, com o objetivo de alargar e aprofundar o mercado
comum, através da união aduaneira dos estados membros
Estava criada a Comunidade Económica Europeia (CEE)
Acordo de Schengen
Espaço sem
restrições à livre
circulação de
pessoas; criação
de uma fronteira
externa única e
abolição dos
controlos
fronteiriços
internos.
O Tratado
de
Maastricht
(1992)
institui a
União
Europeia
Tratado de Amesterdão ( 1997 e entra em
vigor em 1999)
 Foi criado o Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) para
harmonizar os valores do défice da dívida pública e da taxa de
inflação em função dos valores de referência estabelecidos na
União Europeia.
 Foi criado o Banco Central Europeu (BCE) e estabelecidos os
critérios para a criação da moeda única - Euro
Tratado de Nice
• Estabelece o Protocolo sobre a Ampliação da União
Europeia, alargando-a aos países do Leste da Europa
• Permite a Europa dos 25 ( alargamento aos antigos
países da “cortina de ferro”
• Constitui a base legal para a Europa dos 27 ( adesão da
Roménia e Bulgária) e da Europa dos 28 ( adesão da
Croácia)
Ásia- Pacífico: espaço económico emergente
Os “ Dragões Asiáticos”
 Coreia do Sul
 Hong-Kong
 Singapura
 Taiwan
Os “ Tigres Asiáticos”
 Malásia
 Tailândia
 Indonésia
 Filipinas
Coreia do Sul, Singapura
Hong-Kong, Taiwan
 A partir dos anos 70 arrancam para
o desenvolvimento económico
assente na produção e exportação
de bens de consumo
 Seguem o modelo japonês:
intervenção do estado na
economia; absorvem tecnologias e
capitais estrangeiros; aproveitam a
mão de obra abundante e que
valoriza a disciplina e o trabalho,
mesmo a baixo preço; apostam na
educação e formação.
Tailândia, Malásia,
Indonésia e Filipinas
 Emergem da necessidade de
matérias-primas, recursos
naturais(petróleo) e bens
alimentares de que o Japão e o
primeiro grupo de países
emergentes necessitava.
 Constituem a ASEAN (
Associação de Nações do
Sudeste Asiático) juntamente
com Singapura, zona de
comércio livre e de cooperação
entre estes países.
A questão de Timor
 1512- 1974 – Timor foi colónia portuguesa com muito
pouco interesse para Portugal, dados os seus fracos
recursos económicos
 1974 – Nascem os três partidos timorenses:
= UDT ( União Democrática Timorense) – defende que
Timor se tornasse região autónoma de Portugal.
= APODETI ( Associação Popular Democrática
Timorense) – defende a integração de Timor na Indonésia
= FRETILIN ( Frente revolucionária de Timor-Leste
independente) – defende que Timor deveria ser
independente, governado por ideologia de esquerda.
 1975:
= confrontos violentos entre os 3 partidos.
= Portugal retira-se da ilha, sem reconhecer a legitimidade de
qualquer dos partidos.
= a Indonésia ocupa Timor- Leste; Portugal protesta; a ONU
condena a invasão (legitimamente Portugal inicia uma intensa
atividade diplomática em prol do direito do povo timorense à
autodeterminação e independência).
 1976- 1991( luta armada) :
= genocídio do povo maubere ( timorense) pela Indonésia
= constituição da resistência armada: a FALINTIL ( Forças
Armadas de Libertação e Independência de Timor-Leste),
liderada por Xanana Gusmão; promove a luta armada contra a
Indonésia
Xanana Gusmão
 1991 – massacre de Santa Cruz : sensibilização da comunidade internacional
para a violação dos Direitos do Homem em Timor
 1992 – prisão do líder da resistência timorense, Xanana Gusmão.
 1996 – o bispo de Díli, D. Ximenes Belo e o representante da resistência no
exterior, José Ramos Horta recebem o Prémio Nobel da Paz.
 1997 – O secretário geral das ONU, Kofi Annan, coloca Timor numa das
prioridades da ONU.
 1998 – O ditador Suharto da Indonésia demite-se e o novo presidente Iussuf
Habibie lança reformas democráticas
 1999 – Portugal e a Indonésia assinam um acordo para a realização de um
referendo sobre o destino de Timor, supervisionado pela ONU.
= organização de milícias armadas que espalham o terror entre a
população ´timorense.
= a ONU envia uma força de paz multinacional com o objetivo de
pacificar o território
 2000 – criação de um governo de transição, supervisionado pela ONU
 2002 – Timor-Leste torna-se um estado independente
 2006 – nova crise político-militar e nova onda de violência
= ONU destaca nova missão de paz , que se prolongou até 2012
Modernização e abertura da China
 1978 – Deng Xiaoping ascende ao poder na China e
promove reformas pró-capitalistas:
= modernização da agricultura
= modernização da indústria
= abertura comercial ao exterior Deng Xiaoping
MODERNIZAÇÃO DA AGRICULTURA
 Descoletivização das terras, que foram entregues aos camponeses
em regime de arrendamento
 Liberdade dos camponeses comercializarem os excedentes agrícolas
e se apropriarem dos lucros
Aumento da produtividade agrícola
MODERNIZAÇÃO DA INDÚSTRIA E ABERTURA COMERCIAL
 Substitui-se a indústria pesada pelos produtos de consumo e têxteis
destinados à exportação
 Aposta no desenvolvimento do setor manufatureiro.
 Investe na alta tecnologia, possuindo um dos maiores parques industriais
do mundo.
 Desenvolve a indústria automóvel
 Abertura da China aos investimentos estrangeiros
Regime político
socialista
Práticas económicas
capitalistas
Socialismo de Mercado
“ um país, dois sistemas”
 Criação de 4 zonas económicas especiais, abertas ao investimento
estrangeiro e com total liberdade de comércio com o exterior.
 Criação de 14 cidades portuárias, privilegiando o desenvolvimento
das zonas costeiras.
Relações externas
Estabelece relações diplomáticas com países capitalistas
Formaliza a paz com o Japão ao se integrar no mercado da
Ásia/ Pacífico
Restabelece as relações diplomáticas com os EUA
Passa a fazer parte das grandes instituições económicas e
financeiras internacionais: FMI, Banco Mundial, GATT,
Organização Mundial de Comércio
 Liberdade individual não existe
 Grandes desigualdades sociais:
= burguesia empresarial poderosa
= próspero operariado urbano
= classes camponesas do interior muito pobres
 Aparecimento da inflação
 Supressão de mecanismos da segurança social
Grandes manifestações de descontentamento
Repressão brutal contra os manifestantes ( Massacre
de Tiananmen)
Situação política e social
Integração de Hong-Kong e Macau
Hong-Kong
( administração inglesa)
Macau
(administração portuguesa)
Zonas económicas e
administrativas especiais:
regiões de grande
crescimento económico
Integrado na
China em 1997
Integrado na
China em 1999

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
home
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
Vítor Santos
 
9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria
Vítor Santos
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30
Vítor Santos
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
home
 
9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional
Vítor Santos
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
Teresa Maia
 
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
Joana Filipa Rodrigues
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
home
 
11 a guerra_fria
11 a guerra_fria11 a guerra_fria
11 a guerra_fria
Vítor Santos
 
I vaga de descolonização
I vaga de descolonizaçãoI vaga de descolonização
I vaga de descolonização
Carlos Vieira
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
Carlos Vieira
 
Mundo comunista
Mundo comunistaMundo comunista
Mundo comunista
home
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
Carlos Vieira
 
Fim do modelo sovietico
Fim do modelo sovieticoFim do modelo sovietico
Fim do modelo sovietico
Carlos Vieira
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
cattonia
 
A Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUAA Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUA
João Lima
 
9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era
Vítor Santos
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Rainha Maga
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismo
home
 

Mais procurados (20)

Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
 
9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
 
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
 
11 a guerra_fria
11 a guerra_fria11 a guerra_fria
11 a guerra_fria
 
I vaga de descolonização
I vaga de descolonizaçãoI vaga de descolonização
I vaga de descolonização
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
 
Mundo comunista
Mundo comunistaMundo comunista
Mundo comunista
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
 
Fim do modelo sovietico
Fim do modelo sovieticoFim do modelo sovietico
Fim do modelo sovietico
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
 
A Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUAA Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUA
 
9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismo
 

Semelhante a Os polos de desenvolvimento económico- Módulo 9

Aula de Geografia - Pesquisa e Ação
Aula de Geografia - Pesquisa e AçãoAula de Geografia - Pesquisa e Ação
Aula de Geografia - Pesquisa e Ação
Editora Moderna
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
Rogério Bartilotti
 
ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods) Influencia n...
ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods)  Influencia n...ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods)  Influencia n...
ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods) Influencia n...
milton195783
 
Economia do pós – guerra
Economia do pós – guerraEconomia do pós – guerra
Economia do pós – guerra
Colégio Nova Geração COC
 
Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...
Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...
Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...
Fabio Furia
 
Todos resumos
Todos resumosTodos resumos
Todos resumos
Fabio Furia
 
Geopolítica
GeopolíticaGeopolítica
Geopolítica
Alexandre Gangorra
 
DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...
DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...
DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...
Faga1939
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
nanasimao
 
Atividade
AtividadeAtividade
Atividade
Gabriel Reis
 
Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...
Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...
Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...
Marcos Relvas.'.
 
Apostila dir internacional i
Apostila dir internacional iApostila dir internacional i
Apostila dir internacional i
joicianepmw
 
O mundo unipolar
O mundo unipolarO mundo unipolar
O mundo unipolar
Escola Quinta Nova da Telha
 
Como a guerra fria esquentou. Aula 2
Como a guerra fria esquentou. Aula 2Como a guerra fria esquentou. Aula 2
Como a guerra fria esquentou. Aula 2
Eddieuepg
 
Slide - A Crise de 1929
Slide - A Crise de 1929Slide - A Crise de 1929
Slide - A Crise de 1929
Glauba Maria Lucena
 
Evaluation sheet portugal
Evaluation sheet portugalEvaluation sheet portugal
Evaluation sheet portugal
Yeh Portugal
 
Organizações supranacionais e blocos
Organizações supranacionais e blocosOrganizações supranacionais e blocos
Organizações supranacionais e blocos
Alexandre Gangorra
 
PRIVEST - CAP. 03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFII
PRIVEST - CAP.  03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFIIPRIVEST - CAP.  03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFII
PRIVEST - CAP. 03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFII
profrodrigoribeiro
 
Geopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneoGeopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneo
Roberto Costa
 
Aula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O Mundo
Aula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O MundoAula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O Mundo
Aula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O Mundo
ProfMario De Mori
 

Semelhante a Os polos de desenvolvimento económico- Módulo 9 (20)

Aula de Geografia - Pesquisa e Ação
Aula de Geografia - Pesquisa e AçãoAula de Geografia - Pesquisa e Ação
Aula de Geografia - Pesquisa e Ação
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
 
ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods) Influencia n...
ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods)  Influencia n...ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods)  Influencia n...
ARQ 5618 9ª Exp 2023,1 Globalização da economia (Brenton Woods) Influencia n...
 
Economia do pós – guerra
Economia do pós – guerraEconomia do pós – guerra
Economia do pós – guerra
 
Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...
Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...
Doutrina Bush, Guerra do Iraque e Ataque às Torres Gemeas, Empresas Maquilado...
 
Todos resumos
Todos resumosTodos resumos
Todos resumos
 
Geopolítica
GeopolíticaGeopolítica
Geopolítica
 
DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...
DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...
DA NOVA GUERRA FRIA, DA GUERRA COMERCIAL, DA GUERRA FINANCEIRA E DA GUERRA CI...
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
Atividade
AtividadeAtividade
Atividade
 
Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...
Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...
Direito das Relações Internacionais - Globalização, Cooperação Internacional ...
 
Apostila dir internacional i
Apostila dir internacional iApostila dir internacional i
Apostila dir internacional i
 
O mundo unipolar
O mundo unipolarO mundo unipolar
O mundo unipolar
 
Como a guerra fria esquentou. Aula 2
Como a guerra fria esquentou. Aula 2Como a guerra fria esquentou. Aula 2
Como a guerra fria esquentou. Aula 2
 
Slide - A Crise de 1929
Slide - A Crise de 1929Slide - A Crise de 1929
Slide - A Crise de 1929
 
Evaluation sheet portugal
Evaluation sheet portugalEvaluation sheet portugal
Evaluation sheet portugal
 
Organizações supranacionais e blocos
Organizações supranacionais e blocosOrganizações supranacionais e blocos
Organizações supranacionais e blocos
 
PRIVEST - CAP. 03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFII
PRIVEST - CAP.  03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFIIPRIVEST - CAP.  03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFII
PRIVEST - CAP. 03 - América Anglo-Saxônica - 9° EFII
 
Geopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneoGeopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneo
 
Aula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O Mundo
Aula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O MundoAula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O Mundo
Aula Sobre QuestõEs PolíTicas Do Brasil E O Mundo
 

Mais de nanasimao

Hábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JC
Hábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JCHábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JC
Hábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JC
nanasimao
 
Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes
nanasimao
 
Cultura em Portugal
Cultura em PortugalCultura em Portugal
Cultura em Portugal
nanasimao
 
A Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da Natureza
A Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da NaturezaA Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da Natureza
A Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da Natureza
nanasimao
 
Gótico Europeu
Gótico EuropeuGótico Europeu
Gótico Europeu
nanasimao
 
Auto/ Farsa de Inês Pereira
Auto/ Farsa de Inês PereiraAuto/ Farsa de Inês Pereira
Auto/ Farsa de Inês Pereira
nanasimao
 
Breve análise da Síria e Filândia
Breve análise da Síria e FilândiaBreve análise da Síria e Filândia
Breve análise da Síria e Filândia
nanasimao
 
Freedom House
Freedom HouseFreedom House
Freedom House
nanasimao
 
A imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís Felipe
A imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís FelipeA imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís Felipe
A imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís Felipe
nanasimao
 
Operação Lex
Operação LexOperação Lex
Operação Lex
nanasimao
 
Os telemóveis no mundo contemporâneo
Os telemóveis no mundo contemporâneoOs telemóveis no mundo contemporâneo
Os telemóveis no mundo contemporâneo
nanasimao
 
13 Reasons Why
13 Reasons Why 13 Reasons Why
13 Reasons Why
nanasimao
 
Rede Globo
Rede GloboRede Globo
Rede Globo
nanasimao
 
Ameaças e oportunidades num mundo multipolar
Ameaças e oportunidades num mundo multipolarAmeaças e oportunidades num mundo multipolar
Ameaças e oportunidades num mundo multipolar
nanasimao
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
nanasimao
 
A poluição dos mares e solos temas
A poluição dos mares e solos temas A poluição dos mares e solos temas
A poluição dos mares e solos temas
nanasimao
 
Jornal- O Districto de portalegre
Jornal- O Districto de portalegre  Jornal- O Districto de portalegre
Jornal- O Districto de portalegre
nanasimao
 
A propaganda Nazi
A propaganda Nazi A propaganda Nazi
A propaganda Nazi
nanasimao
 
Karl Blossfeldt
Karl BlossfeldtKarl Blossfeldt
Karl Blossfeldt
nanasimao
 
A publicidade: Persuação e Manipulação
A publicidade: Persuação e ManipulaçãoA publicidade: Persuação e Manipulação
A publicidade: Persuação e Manipulação
nanasimao
 

Mais de nanasimao (20)

Hábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JC
Hábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JCHábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JC
Hábitos de Leitura de Notícias dos Estudantes de JC
 
Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes Sermão de Santo António aos peixes
Sermão de Santo António aos peixes
 
Cultura em Portugal
Cultura em PortugalCultura em Portugal
Cultura em Portugal
 
A Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da Natureza
A Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da NaturezaA Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da Natureza
A Revolução cientifica e o conhecimento do Homem e da Natureza
 
Gótico Europeu
Gótico EuropeuGótico Europeu
Gótico Europeu
 
Auto/ Farsa de Inês Pereira
Auto/ Farsa de Inês PereiraAuto/ Farsa de Inês Pereira
Auto/ Farsa de Inês Pereira
 
Breve análise da Síria e Filândia
Breve análise da Síria e FilândiaBreve análise da Síria e Filândia
Breve análise da Síria e Filândia
 
Freedom House
Freedom HouseFreedom House
Freedom House
 
A imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís Felipe
A imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís FelipeA imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís Felipe
A imprensa escrita e o poder potilico- texto de Luís Felipe
 
Operação Lex
Operação LexOperação Lex
Operação Lex
 
Os telemóveis no mundo contemporâneo
Os telemóveis no mundo contemporâneoOs telemóveis no mundo contemporâneo
Os telemóveis no mundo contemporâneo
 
13 Reasons Why
13 Reasons Why 13 Reasons Why
13 Reasons Why
 
Rede Globo
Rede GloboRede Globo
Rede Globo
 
Ameaças e oportunidades num mundo multipolar
Ameaças e oportunidades num mundo multipolarAmeaças e oportunidades num mundo multipolar
Ameaças e oportunidades num mundo multipolar
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
 
A poluição dos mares e solos temas
A poluição dos mares e solos temas A poluição dos mares e solos temas
A poluição dos mares e solos temas
 
Jornal- O Districto de portalegre
Jornal- O Districto de portalegre  Jornal- O Districto de portalegre
Jornal- O Districto de portalegre
 
A propaganda Nazi
A propaganda Nazi A propaganda Nazi
A propaganda Nazi
 
Karl Blossfeldt
Karl BlossfeldtKarl Blossfeldt
Karl Blossfeldt
 
A publicidade: Persuação e Manipulação
A publicidade: Persuação e ManipulaçãoA publicidade: Persuação e Manipulação
A publicidade: Persuação e Manipulação
 

Último

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 

Último (20)

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 

Os polos de desenvolvimento económico- Módulo 9

  • 1. M9_ Unid.1- O fim do sistema internacional da Guerra Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul 1.2 – Os polos de desenvolvimento económico
  • 2. O domínio da Tríade  Atualmente, distinguimos três polos económicos fundamentais: os Estados Unidos da América, a União Europeia e a zona da Ásia- Pacífico. Neste mapa das principais organizações de comércio livre, é possível verificar, pelas variantes do PNB e das Exportações, que as três zonas acima apresentadas constituem as economias mais poderosas do Mundo.
  • 3. EUA Embora se tenha envolvido nas duas guerras mundiais, este país colheu mais benefícios que prejuízos. Porquê?  Devido à distância que os oceanos Pacífico e Atlântico lhe imprimiam das frentes de batalha, as vítimas civis foram praticamente nulas;  Os centros industriais não foram destruídos por ataques aéreos,  As produções agrícolas não foram prejudicadas por bombardeamentos ou pelo avanço de exércitos.  Nos anos 80, o mundo assistiu à desagregação do bloco de Leste e da própria URSS. Com isto, estava aberto o caminho para os EUA se afirmarem como a única superpotência, permitindo-lhes orientar o rumo de uma nova ordem internacional.
  • 4. EUA – prosperidade económica Contexto do desenvolvimento económico dos EUA: 1. Livre iniciativa Liberalismo Livre concorrência Livre circulação de mercadorias e capitais 2 . Sociedade da abundância, com aumento da produção e do consumo de bens duradouros. 3 . Afirmação de um novo capitalismo industrial com base na inovação tecnológica.
  • 5. 4 . Medidas neoliberais (adotadas por Reagan e George Bush): = reduzem-se os encargos com a segurança social. = atenuam-se as restrições aos despedimentos e à deslocação da mão de obra excedentária = utiliza-se a força de trabalho precário e a mão de obra barata ( trabalhos em part-time e contratos a prazo) = Aumento da produtividade e a diminuição dos custos de produção através de grandes investimentos em tecnologia de ponta. = vulgarização do recurso ao crédito, quer por parte dos produtores, como dos consumidores. = valorização do dólar = relações políticas com países do Golfo Pérsico, de modo a ter acesso ao petróleo. = expansão do mercado externo com os países em vias de desenvolvimento( aproveitamento da mão de obra barate e das matérias primas)
  • 6. 5 . Ação de Bill Clinton ( 1993-2001): = Fomenta as relações comerciais com o Sudeste Asiático, criando a APEC ( Cooperação Económica Ásia-Pacífico), que se constitui como um poderoso bloco económico entre 20 países. = Criou a NAFTA (Acordo de comércio livre da América do Norte), unindo economicamente os EUA, o Canadá e o México.
  • 10. EUA - ciência e tecnologia  O progresso científico e tecnológico contribuiu para o crescimento económico  Manifestações do progresso científico e tecnológico: = massificação do computador pessoal e criação da Internet. = criação de grandes parques tecnológicos, ligando a pesquisa científica à inovação técnica = aparecimento da Microsoft como imagem de marca da prosperidade americana, movimentando elevadas quantias na bolsa de valores. = fomento do empreendedorismo, criando novos setores económicos e novas riquezas.
  • 11. EUA – Supremacia militar  Grandes investimentos na indústria aeroespacial, bélica e eletrónica, procurando garantir a sua supremacia.  Perante alguns tratados que procuram limitar o armamento não convencional, adotam uma posição de resistência, não os assinando.  Dão continuidade ao programa da Defesa Estratégica (“Guerra das Estrelas”) de Ronald Reagan, com o objetivo de manter o território americano protegido. Ronald Reagan
  • 12.  Recusam-se a assinar o Protocolo de Quioto que, além das questões ambientais, procura limitar o desenvolvimento  Rejeitam submeter os seus militares ao Tribunal Penal Internacional – tribunal a quem é atribuída a competência de julgar os chamados crimes de guerra ou genocídios.  Desenvolvem intensos programas de inovação tecnológica, guerra eletrónica, suportada pelas armas poderosas e por uma vigorosa força aérea. (Nesta guerra contam-se tecnologias como o GPS, espionagem por satélite, sistemas de orientação de mísseis balísticos por laser, potentes computadores…) .
  • 13.  Intervêm militarmente em diversos locais do mundo, quer por iniciativa própria, quer integrando a NATO, afirmando-se assim como os “polícias do mundo” Porquê?  recusam-se a tolerar qualquer ameaça que ponha em causa os princípios da ONU. Nesse sentido, assiste-se ao aumento das sanções contra países onde os direitos humanos são violados, onde há repressão política, apoio ao terrorismo ou agressões militares.  Também a NATO, que à partida perderia razão de existir com a queda do Pacto de Varsóvia, viu a sua posição ser reforçada, porque a ela se juntaram os antigos países da união militar soviética. Os “polícias do mundo”
  • 14.  O ataque na Líbia em 1986, onde se alegava que Kadafi, o ditador libanês, apoiava o terrorismo internacional.  Como pretexto, os EUA afirmam que, um ataque realizado à bomba a uma discoteca de Berlim, onde as vítimas foram soldados americanos, é obra do regime de Kadafi.  Esta operação contou com o apoio do governo inglês de Margaret Thatcher.
  • 15.  Intervenção militar na guerra do Golfo, em 1991.  Desenvolveu-se a ação contra o Iraque por este ter ocupado o vizinho Kuwait, violando o direito internacional.  George Bush ( presidente dos EUA) justificou esta intervenção da seguinte maneira: “A agressão ao Golfo Pérsico constitui uma ameaça não só para a segurança de toda uma região mas também para as perspetivas do futuro mundial. Ela ameaça transformar o sonho de uma nova ordem mundial num pesadelo onde reina a amargura e onde a lei da selva substitui o direito internacional. (…) A vitória terá consequências duráveis: o reforço das regras de conduta civilizadas nas relações internacionais, a criação de um precedente em matéria de cooperação internacional.”
  • 16.  Na operação “Devolver a Esperança”, os soldados americanos foram para a Somália ( 1992-93) para distribuir alimentos e manter a paz, mas acabaram derrotados pelos rebeldes somalis.  Intervenção militar na ex-Jugoslávia ( Sérvia), em 1999, acusada de violar os direitos humanos e exterminar a população albanesa na província do Kosovo.
  • 17. Hiperterrorismo Intervenção na guerra do Golfo Reforço da presença dos EUA no mundo árabe Apoio ao governo de Israel na luta contra os Palestinianos Violenta reação dos muçulmanos fundamentalistas religiosos: consideram as intervenções como uma Cruzada do Ocidente contra o Islão e praticam o terrorismo organizado contra os interesses americanos e dos seus aliados 11 de Setembro de 2001: ataque ao World Trade Center a ao Pentágono
  • 18.  O combate ao terrorismo tornou-se a prioridade da política internacional dos EUA.  O presidente Georges Bush definiu a “ Nova Estratégia de Segurança Nacional” ( a “ Doutrina Bush”):  Direito de fazer guerra preventiva contra países ou grupos terroristas que desenvolvam armas de destruição maciça.  Manter a supremacia militar com única superpotência do planeta  Compromisso de cooperação internacional multilateral no combate ao terrorismo internacional, mas com a salvaguarda de que “ agirão unilateralmente, se necessário”  Espalhar a democracia e os direitos humanos por todo o mundo, especialmente no mundo muçulmano
  • 19. No âmbito da doutrina Bush:  2001 – invadem o Afeganistão, numa tentativa de capturarem Osama Bin Laden, acusado de organizar os assaltos do 11 de Setembro. Apesar de não conseguirem a captura, destruíram o governo dos Taliban e promoveram a democratização do país  2003 – invadem o Iraque denunciando a posse de armas de destruição maciça e o apoio ao terrorismo internacional por parte de presidente Sadam Hussein.  Levam a cabo campanhas de denúncia dos programas nucleares da Coreia do Norte e do Irão.  Mantém uma ativa perseguição aos dirigentes dos movimentos terroristas, submetendo-os a julgamento ou executando-os imediatamente ( como aconteceu com Bin Laden em 2011)
  • 20. A Europa 2ª guerra mundial Plano Marshall Comunidade Económica do Carvão e do Aço (CECA), constituída pela França, Alemanha, Itália, Bélgica, Holanda e Luxemburgo 1957 – Tratado de Roma, com o objetivo de alargar e aprofundar o mercado comum, através da união aduaneira dos estados membros Estava criada a Comunidade Económica Europeia (CEE)
  • 21.
  • 22. Acordo de Schengen Espaço sem restrições à livre circulação de pessoas; criação de uma fronteira externa única e abolição dos controlos fronteiriços internos.
  • 23.
  • 24.
  • 26. Tratado de Amesterdão ( 1997 e entra em vigor em 1999)  Foi criado o Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) para harmonizar os valores do défice da dívida pública e da taxa de inflação em função dos valores de referência estabelecidos na União Europeia.  Foi criado o Banco Central Europeu (BCE) e estabelecidos os critérios para a criação da moeda única - Euro
  • 27. Tratado de Nice • Estabelece o Protocolo sobre a Ampliação da União Europeia, alargando-a aos países do Leste da Europa • Permite a Europa dos 25 ( alargamento aos antigos países da “cortina de ferro” • Constitui a base legal para a Europa dos 27 ( adesão da Roménia e Bulgária) e da Europa dos 28 ( adesão da Croácia)
  • 28.
  • 29. Ásia- Pacífico: espaço económico emergente Os “ Dragões Asiáticos”  Coreia do Sul  Hong-Kong  Singapura  Taiwan Os “ Tigres Asiáticos”  Malásia  Tailândia  Indonésia  Filipinas
  • 30. Coreia do Sul, Singapura Hong-Kong, Taiwan  A partir dos anos 70 arrancam para o desenvolvimento económico assente na produção e exportação de bens de consumo  Seguem o modelo japonês: intervenção do estado na economia; absorvem tecnologias e capitais estrangeiros; aproveitam a mão de obra abundante e que valoriza a disciplina e o trabalho, mesmo a baixo preço; apostam na educação e formação. Tailândia, Malásia, Indonésia e Filipinas  Emergem da necessidade de matérias-primas, recursos naturais(petróleo) e bens alimentares de que o Japão e o primeiro grupo de países emergentes necessitava.  Constituem a ASEAN ( Associação de Nações do Sudeste Asiático) juntamente com Singapura, zona de comércio livre e de cooperação entre estes países.
  • 31. A questão de Timor  1512- 1974 – Timor foi colónia portuguesa com muito pouco interesse para Portugal, dados os seus fracos recursos económicos  1974 – Nascem os três partidos timorenses: = UDT ( União Democrática Timorense) – defende que Timor se tornasse região autónoma de Portugal. = APODETI ( Associação Popular Democrática Timorense) – defende a integração de Timor na Indonésia = FRETILIN ( Frente revolucionária de Timor-Leste independente) – defende que Timor deveria ser independente, governado por ideologia de esquerda.
  • 32.  1975: = confrontos violentos entre os 3 partidos. = Portugal retira-se da ilha, sem reconhecer a legitimidade de qualquer dos partidos. = a Indonésia ocupa Timor- Leste; Portugal protesta; a ONU condena a invasão (legitimamente Portugal inicia uma intensa atividade diplomática em prol do direito do povo timorense à autodeterminação e independência).  1976- 1991( luta armada) : = genocídio do povo maubere ( timorense) pela Indonésia = constituição da resistência armada: a FALINTIL ( Forças Armadas de Libertação e Independência de Timor-Leste), liderada por Xanana Gusmão; promove a luta armada contra a Indonésia Xanana Gusmão
  • 33.  1991 – massacre de Santa Cruz : sensibilização da comunidade internacional para a violação dos Direitos do Homem em Timor  1992 – prisão do líder da resistência timorense, Xanana Gusmão.  1996 – o bispo de Díli, D. Ximenes Belo e o representante da resistência no exterior, José Ramos Horta recebem o Prémio Nobel da Paz.  1997 – O secretário geral das ONU, Kofi Annan, coloca Timor numa das prioridades da ONU.  1998 – O ditador Suharto da Indonésia demite-se e o novo presidente Iussuf Habibie lança reformas democráticas
  • 34.  1999 – Portugal e a Indonésia assinam um acordo para a realização de um referendo sobre o destino de Timor, supervisionado pela ONU. = organização de milícias armadas que espalham o terror entre a população ´timorense. = a ONU envia uma força de paz multinacional com o objetivo de pacificar o território  2000 – criação de um governo de transição, supervisionado pela ONU  2002 – Timor-Leste torna-se um estado independente  2006 – nova crise político-militar e nova onda de violência = ONU destaca nova missão de paz , que se prolongou até 2012
  • 35. Modernização e abertura da China  1978 – Deng Xiaoping ascende ao poder na China e promove reformas pró-capitalistas: = modernização da agricultura = modernização da indústria = abertura comercial ao exterior Deng Xiaoping MODERNIZAÇÃO DA AGRICULTURA  Descoletivização das terras, que foram entregues aos camponeses em regime de arrendamento  Liberdade dos camponeses comercializarem os excedentes agrícolas e se apropriarem dos lucros Aumento da produtividade agrícola
  • 36. MODERNIZAÇÃO DA INDÚSTRIA E ABERTURA COMERCIAL  Substitui-se a indústria pesada pelos produtos de consumo e têxteis destinados à exportação  Aposta no desenvolvimento do setor manufatureiro.  Investe na alta tecnologia, possuindo um dos maiores parques industriais do mundo.  Desenvolve a indústria automóvel  Abertura da China aos investimentos estrangeiros
  • 37. Regime político socialista Práticas económicas capitalistas Socialismo de Mercado “ um país, dois sistemas”  Criação de 4 zonas económicas especiais, abertas ao investimento estrangeiro e com total liberdade de comércio com o exterior.  Criação de 14 cidades portuárias, privilegiando o desenvolvimento das zonas costeiras.
  • 38. Relações externas Estabelece relações diplomáticas com países capitalistas Formaliza a paz com o Japão ao se integrar no mercado da Ásia/ Pacífico Restabelece as relações diplomáticas com os EUA Passa a fazer parte das grandes instituições económicas e financeiras internacionais: FMI, Banco Mundial, GATT, Organização Mundial de Comércio
  • 39.  Liberdade individual não existe  Grandes desigualdades sociais: = burguesia empresarial poderosa = próspero operariado urbano = classes camponesas do interior muito pobres  Aparecimento da inflação  Supressão de mecanismos da segurança social Grandes manifestações de descontentamento Repressão brutal contra os manifestantes ( Massacre de Tiananmen) Situação política e social
  • 40. Integração de Hong-Kong e Macau Hong-Kong ( administração inglesa) Macau (administração portuguesa) Zonas económicas e administrativas especiais: regiões de grande crescimento económico Integrado na China em 1997 Integrado na China em 1999