SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 78
Manejo de
leitões
Prof. Marília Gomes
CICLO DOS
LEITÕES
DETALHADO
Maternidade: até a 3° semana
7 + 21 dias (6kg)
Creche: 4° a 9° semana
42 dias (25kg)
Crescimento: 10° a 15° semana
47 dias (75kg)
Terminação: 16° semana em diante
20 dias
Abate (100kg)
Relembrando a
maternidade
Pré-parto (5-7 dias)
Momento do parto
Primeiros cuidados
Desmame
Fica até 3° semana de vida
Estadia de +-21 dias
Sai pesando +-6kg
Primeiros
cuidados
Limpeza
Retirada das membranas fetais
Ativação da circulação
Primeiros cuidados
Colostragem
Imunidade passiva
Tetos peitorais:
Mais leite e melhor qualidade (+
açúcar e gordura)
Mais longas e flácidas
Mais disponíveis durante a
lactação
Primeiros cuidados
Transferência de leitões
Unilateral
Cruzada ou bilateral
Importância
Unilateral – salvar vida:
Excesso de leitões
Agalaxia ou outra doença que afete a produção de leite
Necessidade de interromper a lactação (acidentes)
Morte da porca
Importância
Bilateral – uniformizar leitegada:
Diminuir o número de refugos
Melhorar a eficiência da criação
Melhorar o desempenho dos animais
Diminuir os índices de mortalidade
Primeiros cuidados com o leitão
Limpeza e cura do umbigo
Importância
Evita:
Inflamações localizadas (onfalite e onfaloflebite)
Infecções generalizadas (abcessos nos órgãos internos, artrite,
septicemia e aumento na incidência de diarréias)
Primeiros cuidados com o leitão
Caudectomia
Importância?
Canibalismo
Estresse
Primeiros cuidados com o leitão
Desgaste dos dentes
Importância
Diminuir lesões nos leitões e tetos
Consequências
Ferimentos
Relutância da matriz em aleitar
Mastite
Primeiros cuidados com o leitão
Marcação - tatuagem, brinco, picotamento
Marcação
australiana
Primeiros cuidados com o leitão
Aplicação de ferro
Importância
Prevenção de anemia ferropriva
Reserva hepática insuficientes
Ingestão de Fe via leite também é insuficiente
O leite supre 10%-20% das necessidades de Fe dos leitões
Aplicação de 150mg-200mg de Fe dextrano (IM ou SC - 3° ao
5° dia de vida)
Primeiros cuidados com o leitão
Castração dos machos
Primeiros cuidados com o leitão
Fornecimento de ração pré-inicial
IDADE X
PESO
O QUE É MAIS
IMPORTANTE
CONSIDERAR PARA
REALIZAR O
DESMAME?
CRECHE
Fica da 4° a 9° semana de vida
Estadia de +-42 dias
Sai pesando +-25kg
3 leitões/m²
Piso suspenso (60cm) -
polietileno furado
Bebedouros e comedouros
padrões para o tamanho dos
leitões
Adaptação da ração e mudanças
Aos 50 dias: primeira dose de vermífugo
Aos 60 dias: vacina contra peste suína
Aos 63 dias: crescimento
DESAFIOS DA FASE DE CRECHE DE SUÍNOS
Etapa de transição abrupta
Novo ambiente
Separação da mãe
Nova formação social
Alimentação com ração
ESTRESS
E
Fontes de energia
 Gordura do leite e lactose substituídas pelo amido e óleo
Fonte de proteínas
 Caseína, muito digestível substituída por proteínas vegetais,
digestíveis
Manejo nutricional
Adaptado de Brooks & Tsourgiannis (2003)
Pré-inicial: Possui maior quantidade de lactose, uma ração
de maior qualidade e mais digestível devido ao usa
de origem animal;
Pré-inicial I: Fornecer até 7 dias após o desmame, maior
quantidade de lactose.
Manejo nutricional
Pré-inicial II: Dos 8 aos 15 dias. Reduz a quantidade de
lactose e inclui cereais. Os suínos já estão com o sistema
enzimático maduro;
Ração Inicial: Dos 16 dias até o final da fase de creche, o
fornecimento de ração é à vontade.
Manejo nutricional
Para atenuar os efeitos negativos:
Creep feeding
Ajuste do tamanho dos lotes
Evitar mistura de leitegada (até 3)
Adequar o ambiente ao recebimento dos leitões
Manejo nutricional
Alterações significativas na microbiologia, fisiologia e
imunologia do trato digestivo
Crescimento abaixo do nível ideal
Mortalidade elevada
Síndrome da diarreia pós-desmame
Manejo nutricional
Manejo nutricional
Peça-chave para essa fase de transição
Preparar os leitões ainda na maternidade pode ser
determinante (3x mais consumo)
É importante estimular o consumo de ração
Pré-inicial (base láctea e alta digestibilidade + traços vegetais
dos grãos)
Água (papinha)
Limitado consumo de ração após o desmame
Eleva o pH estomacal
Altera a morfologia e a fisiologia do intestino delgado
Diminui as vilosidades
Reduz a atividade de algumas enzimas digestivas
Aumenta a taxa de sobrevivência de bactérias patogênicas
ingeridas
Manejo nutricional
Ambiência e manejo dos lotes
Estabelecimento de metas de produção
É fundamental uniformizar os lotes de leitões ( idade,
tamanho e sexo)
Os suínos estabelecem sua própria hierarquia
Condições climáticas favoráveis (temperatura, umidade e
ventilação)
PESO VIVO
(KG)
TEMPERATURA ÓTIMA (°C)
MÍNIMA MÁXIMA
20-32 18 20
35-60 16 18
60-100 12 18
Adaptado de LeaL & Naas (1992)
PESO VIVO
(KG)
TEMPERATURA CRÍTICA (°C)
MÍNIMA MÁXIMA
20-32 8 27
35-60 5 27
60-100 4 27
Adaptado de LeaL & Naas (1992)
PESO VIVO
(KG)
UMIDADE RELATIVA (%)
ÓTIMA CRÍTICA
20-32 70 <40 e >90
35-60 70 <40 e >90
60-100 70 <40 e >90
Adaptado de LeaL & Naas (1992)
Ambiência e manejo dos lotes
Zona de conforto dos animais
Frio reduz o consumo
Energia para termorregulação
Ambiência e manejo dos lotes
Acúmulo de gases no ambiente aumenta a apatia
Doenças respiratórias e entéricas
Manejo das cortinas:
NH³ >10ppm
CO >35ppm
CO² >3000ppm
Umidade <50% e >70%
Ambiência e manejo dos lotes
Densidade ideal por baia: 3/m²
Cocho: 1/40 leitões ou respeitando um espaço linear
Chupeta: 1/10 animais
Fundamentais para garantir uma boa ingestão de ração e
água
Formação social
Mistura de lotes e a questão de hierarquia entre os leitões
pode resultar em comportamentos anormais:
Briga
Morder a cauda e orelhas dos outros leitões
Sucção de umbigo
Ambiência e manejo dos lotes
Boas práticas de higiene, sanitização e manejo influenciam na
adaptação dos leitões
Proceder ao vazio sanitário
Manter comedouros e bebedouros limpos e acessíveis
Limpar as baias diariamente
Vacinar os leitões
A fase de creche de suínos é a mais crítica da
cadeia produtiva e dela depende o sucesso nas
próximas categorias, é imprescindível que o
suinocultor adote um programa efetivo de
alimentação e bem-estar animal
TERMINAÇÃO
CRESCIMENTO
TERMINAÇÃO
CRESCIMENTO
Fica da 10° a 15° semana de vida
Estadia de +-47 dias
Sai pesando +-75kg
Deposição
proteica
Crescimento
muscular
TERMINAÇÃO
Fica da 16° semana de vida até o abate
Estadia de +-20 dias
Sai pesando +-100kg
Deposição
lipídica
Espessura de
gordura e
marmoreio
Antes de receber os leitões
Limpeza e desinfecção das instalações
Vazio sanitário de 7 à 8 dias
Verificar condições das instalações
Adotar medidas corretivas
Verificar temperatura do galpão e cortinas
Verificar bebedouros e comedouros
Manejo nutricional
ITEM META
Ganho de peso diário > 0,850g
Conversão alimentar < 2,500kg
Mortalidade < 1,5
Alojamento conforme peso
Bebedouros e comedouros
Lotação recomendada: 1m²/suíno
Limpeza das baias deve ser diária e a seco
Controle de temperatura (cortinas, forros e ventiladores)
Galpões:
Largura entre 8m e 12m
Pé-direito de 3m a 3,5m
Comprimento variável de acordo com o número de
animais alojados
Volume de ar por suíno: 3m³/animal
Velocidade do ar: de 0,1m/s a 0,3m/s
Importância:
Facilita a dissipação do calor
Renova o ar
Retira os gases tóxicos
Retira a poeira
Piso:
Totalmente ripado
Parcialmente ripado
Totalmente compacto
Cama sobreposta
Baia com lâmina d'água
Declividade de 3% a 5%
Ambiência e manejo dos lotes
Controle de temperatura
Uso de enriquecimento ambiental
Plantio de árvores
Limpeza diária
Controle de acompanhamento do lote
Na Ficha de Acompanhamento do Lote (FAL) deve constar:
Vacinas aplicados naquele lote
Tipo de ração e datas de consumo
Se o lote recebeu medicação via água
Mortalidades no lote
GANHO DE PESO
Machos castrados
Fêmeas
Machos inteiros
*Machos inteiros são mais exigentes em aa e ptn do que fêmeas, e
estas, mais do que castrados
ASPECTOS GERAIS
Biosseguridade
Programas de vacinação
Medicações profiláticas
Relação de
desinfetantes
A ingestão de água deve ser a vontade
Bebedouros de tamanhos diferentes
atendendo ao tamanho do animal
Limpa e fresca
ABATE
Manejo pré-abate
 GTA
 Horários
 Jejum alimentar de 12 a 15 horas
 Sem jejum hídrico
 Caminhão
Momento do abate
 Humanitário
 É dever moral do homem:
Respeitar os animais
Evitar os sofrimentos inúteis e o estresse
Proporcionar sangria rápida e completa
Minimizar as contusões nas carcaças
 O método de abate deve ser higiênico, econômico e seguro para os
operadores
Obrigada

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Raquel Jóia
 
Boas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoBoas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoPortal Canal Rural
 
Sistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosSistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosMarília Gomes
 
Aula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptx
Aula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptxAula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptx
Aula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptxEsterCome1
 
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosManejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosKiller Max
 
Manejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteiraManejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteiraMarília Gomes
 
Panorama da avicultura
Panorama da aviculturaPanorama da avicultura
Panorama da aviculturaMarília Gomes
 
Manejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteManejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteFabrício Farias
 
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de CorteNoções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de CorteAndré Ferreira
 
Dissecação de Órgãos da Porca
Dissecação de Órgãos da PorcaDissecação de Órgãos da Porca
Dissecação de Órgãos da PorcaLuís Rita
 
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhosICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhosRicardo Portela
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃOHenriqueKanada
 
Mapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar AnimalMapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar AnimalBeefPoint
 

Mais procurados (20)

Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!
 
Boas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoBoas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na Vacinação
 
Sistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosSistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínos
 
Aula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptx
Aula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptxAula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptx
Aula 4 & 5 Sistema digestivo 1 Monogastricos.pptx
 
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosManejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
 
Manejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteiraManejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteira
 
Nutricao Animal
Nutricao AnimalNutricao Animal
Nutricao Animal
 
Fisiologia da reprodução - fêmeas
Fisiologia da reprodução - fêmeasFisiologia da reprodução - fêmeas
Fisiologia da reprodução - fêmeas
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
 
Raças de suínos
Raças de suínosRaças de suínos
Raças de suínos
 
Produção de Gado de corte
Produção de Gado de corteProdução de Gado de corte
Produção de Gado de corte
 
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte lowManejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
 
Panorama da avicultura
Panorama da aviculturaPanorama da avicultura
Panorama da avicultura
 
Manejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteManejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corte
 
Prova n2
Prova n2Prova n2
Prova n2
 
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de CorteNoções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
 
Dissecação de Órgãos da Porca
Dissecação de Órgãos da PorcaDissecação de Órgãos da Porca
Dissecação de Órgãos da Porca
 
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhosICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
 
Mapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar AnimalMapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar Animal
 

Semelhante a Manejo de leitões 2

RESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃO
RESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃORESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃO
RESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃOPriscila de Oliveira
 
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxManejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxhelidaleao
 
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptxAULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptxNathaliaCastro58
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Cristian Carla de Campos
 
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)Aline Maria
 
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)Aline Maria
 
Apostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basicaApostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basicaLenildo Araujo
 
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrinofabianomarin1
 
Características e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteiraCaracterísticas e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteiraCristovão Filho
 
2º tour técnico abs fl-ga 2011
2º tour técnico abs   fl-ga 20112º tour técnico abs   fl-ga 2011
2º tour técnico abs fl-ga 2011Katya_C
 
2º Tour Técnico ABS 2011
2º Tour Técnico ABS 20112º Tour Técnico ABS 2011
2º Tour Técnico ABS 2011ABS Pecplan
 
Primeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoPrimeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoArie Halpern
 
Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?MilkPoint
 
Manual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasManual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasmvezzone
 

Semelhante a Manejo de leitões 2 (20)

Apostila suinocultura
Apostila suinoculturaApostila suinocultura
Apostila suinocultura
 
RESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃO
RESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃORESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃO
RESFRIAMENTO DO PISO DA MATERNIDADE PARA PORCAS EM LACTAÇÃO NO VERÃO
 
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxManejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
 
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptxAULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
 
Bovinos2008 2009
Bovinos2008 2009Bovinos2008 2009
Bovinos2008 2009
 
Creche
CrecheCreche
Creche
 
Creep feeding bovinos
Creep feeding bovinosCreep feeding bovinos
Creep feeding bovinos
 
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
 
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
Manejodofrangodecorte 150821132312-lva1-app6891 (1)
 
Apostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basicaApostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basica
 
Protocolos NICU
Protocolos NICUProtocolos NICU
Protocolos NICU
 
Recém nascido
Recém nascido Recém nascido
Recém nascido
 
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
 
Características e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteiraCaracterísticas e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteira
 
2º tour técnico abs fl-ga 2011
2º tour técnico abs   fl-ga 20112º tour técnico abs   fl-ga 2011
2º tour técnico abs fl-ga 2011
 
2º Tour Técnico ABS 2011
2º Tour Técnico ABS 20112º Tour Técnico ABS 2011
2º Tour Técnico ABS 2011
 
Primeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoPrimeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascido
 
Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?
 
Manual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasManual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipiras
 

Mais de Marília Gomes

Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterináriaPossibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterináriaMarília Gomes
 
Patologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutorPatologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutorMarília Gomes
 
Patologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinárioPatologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinárioMarília Gomes
 
Bem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinoculturaBem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinoculturaMarília Gomes
 
Principais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciaisPrincipais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciaisMarília Gomes
 
Tratamento via água e ração
Tratamento via água e raçãoTratamento via água e ração
Tratamento via água e raçãoMarília Gomes
 
Medicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagensMedicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagensMarília Gomes
 
Medicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMedicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMarília Gomes
 
Semiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagensSemiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagensMarília Gomes
 
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagensConceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagensMarília Gomes
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesMarília Gomes
 
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicosTopografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicosMarília Gomes
 
Patologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratórioPatologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratórioMarília Gomes
 
patologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascularpatologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascularMarília Gomes
 
Topografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenTopografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenMarília Gomes
 
Topografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tóraxTopografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tóraxMarília Gomes
 
Pigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentaçõesPigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentaçõesMarília Gomes
 
Calcificações patológicas
Calcificações patológicasCalcificações patológicas
Calcificações patológicasMarília Gomes
 

Mais de Marília Gomes (20)

Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterináriaPossibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
 
Patologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutorPatologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutor
 
Patologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinárioPatologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinário
 
Bem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinoculturaBem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinocultura
 
Principais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciaisPrincipais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciais
 
Necropsia em aves
Necropsia em avesNecropsia em aves
Necropsia em aves
 
Tratamento via água e ração
Tratamento via água e raçãoTratamento via água e ração
Tratamento via água e ração
 
Medicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagensMedicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagens
 
Medicina de répteis
Medicina de répteisMedicina de répteis
Medicina de répteis
 
Medicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMedicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagens
 
Semiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagensSemiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagens
 
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagensConceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das aves
 
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicosTopografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
 
Patologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratórioPatologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratório
 
patologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascularpatologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascular
 
Topografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenTopografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômen
 
Topografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tóraxTopografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tórax
 
Pigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentaçõesPigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentações
 
Calcificações patológicas
Calcificações patológicasCalcificações patológicas
Calcificações patológicas
 

Último

Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 

Último (20)

Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 

Manejo de leitões 2