SlideShare uma empresa Scribd logo

Você ainda acredita que bST é tudo igual?

M
MilkPoint

Você ainda acredita que bST é tudo igual?

1 de 21
Desempenho produtivo de vacas Holandesas
tratadas com duas formulações
de somatotropina bovina recombinante
em um grande rebanho leiteiro
comercial no Brasil.
1. de Morais et al, Journal of Dairy Science Vol. 100 No. 7, 2017
Desempenho produtivo de vacas Holandesas
tratadas com duas formulações de somatotropina
bovina recombinante em um grande rebanho
leiteiro comercial no Brasil.
J. P. G. de Morais,*1 A. P. da S. Cruz,† N. S. Minami,† L. P. Veronese,* T. A. Del Valle,* and J. Aramini‡
* Departamento de Biotecnologia Vegetal e Animal, Universidade Federal de São Carlos, Campus Araras, Araras, SP 13600-970, Brasil
†Fundação de Apoio Institucional (FAI), Campus São Carlos, São Carlos, SP 13565-905, Brasil
‡Novometrix Research Inc., 4564 Nassagaweya-Puslinch Townline, Moffat, Ontário, Canadá L0P 1J0
objetivo
•	 Avaliar o desempenho de vacas suplementadas com duas formulações diferentes de bST:
–	 90 vacas Holandesas tratadas com bST à base de Óleo de Gergelim e Zinco (ZSO-bST;
Lactotropin®
- produzido por Agener União Saúde Animal).
–	 90 vacas Holandesas tratadas com bST à base de Vitamina E e Lecitina (VEL-bST)
–	 60 vacas Holandesas como grupo controle
–	 As análises foram feitas, separadamente, entre Primíparas (35%) e Multíparas (65%)
Delineamento Experimental
•	 Tratamentos com intervalos de 14 dias (seguindo orientação em bula dos fabricantes)
•	 Início dos tratamentos com DEL (dias em lactação) de 57 a 70
•	 Final dos tratamentos quando:
–	 17 aplicações, OU
–	 Final da Lactação
•	 Vacas saudáveis
–	 Livres de patologia uterina
–	 Sem mastite clínica e/ou subclínica
–	 ECC ≥ 2,5
–	 EL ≤ 2
Delineamento Experimental
•	 Critérios de Inclusão:
–	 Vacas consideradas saudáveis no exame veterinário e inclusive livres de patologia uterina ou ovariana;
–	 A produção de leite ≥ 25 kg/dia, medida como uma média dos primeiros sete dias consecutivos
de um intervalo de 10 dias imediatamente antes da primeira injeção;
–	 ECC ≥ 2,5 em uma escala de 5 pontos (Pennington, 2003);
–	 Escore de claudicação ≤ 2 em uma escala de 5 pontos (Branine et al., 2014);
–	 CCS ≤ 200,000 por ml de leite;
–	 Nenhum caso clínico de mastite anterior ao início do estudo (57-70 DEL);
–	 Nenhum caso subclínico de mastite baseado na cultura do leite conduzida entre 46-59 dias pós parto,
para S. aureus e S. agalactiae.
Delineamento Experimental
Anúncio

Recomendados

Nitrogênio ureico no leite e seu impacto nas variáveis produtivas de rebanhos...
Nitrogênio ureico no leite e seu impacto nas variáveis produtivas de rebanhos...Nitrogênio ureico no leite e seu impacto nas variáveis produtivas de rebanhos...
Nitrogênio ureico no leite e seu impacto nas variáveis produtivas de rebanhos...APCBRH
 
Somatotropina Recombinnte Bovina: Produção, Saúde e Fertilidade
Somatotropina Recombinnte Bovina: Produção, Saúde e FertilidadeSomatotropina Recombinnte Bovina: Produção, Saúde e Fertilidade
Somatotropina Recombinnte Bovina: Produção, Saúde e Fertilidadebuzzcp
 
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...AgriPoint
 
Antony luenenberg
Antony luenenbergAntony luenenberg
Antony luenenbergbuzzcp
 
Seminário ANCP 2016 – Ricardo Viacava – Precocidade sexual em novilhas Nelore...
Seminário ANCP 2016 – Ricardo Viacava – Precocidade sexual em novilhas Nelore...Seminário ANCP 2016 – Ricardo Viacava – Precocidade sexual em novilhas Nelore...
Seminário ANCP 2016 – Ricardo Viacava – Precocidade sexual em novilhas Nelore...ANCP Ribeirão Preto
 
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-201206 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012AgroTalento
 
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...AgroTalento
 
Tecnologias para aumentar a produtividade da pecuária de corte com rentabilidade
Tecnologias para aumentar a produtividade da pecuária de corte com rentabilidadeTecnologias para aumentar a produtividade da pecuária de corte com rentabilidade
Tecnologias para aumentar a produtividade da pecuária de corte com rentabilidadebuzzcp
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...RG Genetica Avançada Girotto
 
Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...
Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...
Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...ANCP Ribeirão Preto
 
03 lucas-apresentação workshop beefpoint
03  lucas-apresentação workshop beefpoint03  lucas-apresentação workshop beefpoint
03 lucas-apresentação workshop beefpointAgroTalento
 
Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016 Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016 Jose Ferrão
 
20 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-2012
20 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-201220 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-2012
20 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-2012AgroTalento
 
Manejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteiraManejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteiraMarília Gomes
 
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas ReproducaoBeefPoint
 
Ebook mastite
Ebook mastiteEbook mastite
Ebook mastiteAgriPoint
 
Interpretação e aplicação das características no processo de seleção
Interpretação e aplicação das características no processo de seleçãoInterpretação e aplicação das características no processo de seleção
Interpretação e aplicação das características no processo de seleçãoANCP Ribeirão Preto
 
Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...
Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...
Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...buzzcp
 
Palestra araguaina christian
Palestra araguaina christianPalestra araguaina christian
Palestra araguaina christianJorge Ferreira
 
Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...
Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...
Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...ANCP Ribeirão Preto
 
Estacao de-monta-pecuaria-de-corte
Estacao de-monta-pecuaria-de-corteEstacao de-monta-pecuaria-de-corte
Estacao de-monta-pecuaria-de-corteExagro
 
Projeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano Fresco
Projeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano FrescoProjeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano Fresco
Projeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano FrescoAlice Melo Candido
 
Boas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerrosBoas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerrosAgroTalento
 
Manual técnico - Boostin
Manual técnico - BoostinManual técnico - Boostin
Manual técnico - BoostinAgriPoint
 
Manual Técnico Boostin
Manual Técnico BoostinManual Técnico Boostin
Manual Técnico BoostinAgriPoint
 

Mais procurados (20)

COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
 
Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...
Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...
Estratégias de Seleção Para Melhorar a Eficiência Reprodutiva de Novilhas de ...
 
Creche
CrecheCreche
Creche
 
03 lucas-apresentação workshop beefpoint
03  lucas-apresentação workshop beefpoint03  lucas-apresentação workshop beefpoint
03 lucas-apresentação workshop beefpoint
 
Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016 Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016
 
20 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-2012
20 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-201220 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-2012
20 terssio-ramalho-workshop-cria-beefpoint-2012
 
Manejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteiraManejo de recria leiteira
Manejo de recria leiteira
 
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
 
Ebook mastite
Ebook mastiteEbook mastite
Ebook mastite
 
Interpretação e aplicação das características no processo de seleção
Interpretação e aplicação das características no processo de seleçãoInterpretação e aplicação das características no processo de seleção
Interpretação e aplicação das características no processo de seleção
 
Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...
Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...
Atualização dos protocolos de IATF, SOV/OPU-FIV E TETF para vacas de leite e ...
 
Palestra araguaina christian
Palestra araguaina christianPalestra araguaina christian
Palestra araguaina christian
 
Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...
Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...
Seminário ANCP 2016 – Carina Ubirajara – Eficiência Alimentar em Bovinos de C...
 
Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2
 
Estacao de-monta-pecuaria-de-corte
Estacao de-monta-pecuaria-de-corteEstacao de-monta-pecuaria-de-corte
Estacao de-monta-pecuaria-de-corte
 
Projeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano Fresco
Projeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano FrescoProjeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano Fresco
Projeto para Ovinocultura de Leite - Queijo Pecorino Toscano Fresco
 
Boas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerrosBoas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerros
 
Mastite
MastiteMastite
Mastite
 
Manual técnico - Boostin
Manual técnico - BoostinManual técnico - Boostin
Manual técnico - Boostin
 
Manual Técnico Boostin
Manual Técnico BoostinManual Técnico Boostin
Manual Técnico Boostin
 

Semelhante a Você ainda acredita que bST é tudo igual?

Estudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinEstudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinAgriPoint
 
8. boletim técnico omni gen-af - mar2015
8. boletim técnico   omni gen-af - mar20158. boletim técnico   omni gen-af - mar2015
8. boletim técnico omni gen-af - mar2015AgriPoint
 
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxManejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxhelidaleao
 
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase críticaPeríodo de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase críticaAgriPoint
 
Manejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptx
Manejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptxManejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptx
Manejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptxGabrielMirandaMacamb
 
Tecnologias DSM Tortuga, Interleite Nordeste 2014
Tecnologias DSM Tortuga,  Interleite Nordeste 2014Tecnologias DSM Tortuga,  Interleite Nordeste 2014
Tecnologias DSM Tortuga, Interleite Nordeste 2014Felipe Lins
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Cristian Carla de Campos
 
A importância do diagnóstico no controle da mastite bovina
A importância do diagnóstico no controle da mastite bovinaA importância do diagnóstico no controle da mastite bovina
A importância do diagnóstico no controle da mastite bovinaRural Pecuária
 
M1-Milkone. Saúde Animal. Leite de Qualidade
M1-Milkone. Saúde Animal. Leite de QualidadeM1-Milkone. Saúde Animal. Leite de Qualidade
M1-Milkone. Saúde Animal. Leite de Qualidadefelipesoaresdesouza2
 
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite finalPhibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite finalMilkPoint
 
Características e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteiraCaracterísticas e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteiraCristovão Filho
 
Relações entre condição corporal
Relações entre condição corporalRelações entre condição corporal
Relações entre condição corporalNagilla Moraes
 
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?Rural Pecuária
 
Produção de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpina
Produção de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpinaProdução de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpina
Produção de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpinagecoufba
 
1782011 075240-santana1162
1782011 075240-santana11621782011 075240-santana1162
1782011 075240-santana1162gecoufba
 
Primeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoPrimeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoArie Halpern
 

Semelhante a Você ainda acredita que bST é tudo igual? (20)

Estudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinEstudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostin
 
8. boletim técnico omni gen-af - mar2015
8. boletim técnico   omni gen-af - mar20158. boletim técnico   omni gen-af - mar2015
8. boletim técnico omni gen-af - mar2015
 
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxManejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
 
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase críticaPeríodo de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
 
Manejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptx
Manejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptxManejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptx
Manejo de Cabras em Lactaçãoxxxxxxxx.pptx
 
Creep feeding bovinos
Creep feeding bovinosCreep feeding bovinos
Creep feeding bovinos
 
21
2121
21
 
Hipocalcemia.pdf
Hipocalcemia.pdfHipocalcemia.pdf
Hipocalcemia.pdf
 
Tecnologias DSM Tortuga, Interleite Nordeste 2014
Tecnologias DSM Tortuga,  Interleite Nordeste 2014Tecnologias DSM Tortuga,  Interleite Nordeste 2014
Tecnologias DSM Tortuga, Interleite Nordeste 2014
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
 
A importância do diagnóstico no controle da mastite bovina
A importância do diagnóstico no controle da mastite bovinaA importância do diagnóstico no controle da mastite bovina
A importância do diagnóstico no controle da mastite bovina
 
M1-Milkone. Saúde Animal. Leite de Qualidade
M1-Milkone. Saúde Animal. Leite de QualidadeM1-Milkone. Saúde Animal. Leite de Qualidade
M1-Milkone. Saúde Animal. Leite de Qualidade
 
Aula3 nut mul_crianca_2010.1
Aula3 nut mul_crianca_2010.1Aula3 nut mul_crianca_2010.1
Aula3 nut mul_crianca_2010.1
 
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite finalPhibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
 
Características e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteiraCaracterísticas e exigências da vaca leiteira
Características e exigências da vaca leiteira
 
Relações entre condição corporal
Relações entre condição corporalRelações entre condição corporal
Relações entre condição corporal
 
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
 
Produção de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpina
Produção de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpinaProdução de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpina
Produção de leite e duração da lactação de cabras da raça pardo alpina
 
1782011 075240-santana1162
1782011 075240-santana11621782011 075240-santana1162
1782011 075240-santana1162
 
Primeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoPrimeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascido
 

Mais de MilkPoint

Protocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixa
Protocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixaProtocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixa
Protocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixaMilkPoint
 
Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150MilkPoint
 
Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150MilkPoint
 
Folder ganaseg-a4-web
Folder ganaseg-a4-webFolder ganaseg-a4-web
Folder ganaseg-a4-webMilkPoint
 
Zoetis material pdf_300317
Zoetis material pdf_300317Zoetis material pdf_300317
Zoetis material pdf_300317MilkPoint
 
Nutrilink em word
Nutrilink em wordNutrilink em word
Nutrilink em wordMilkPoint
 

Mais de MilkPoint (6)

Protocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixa
Protocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixaProtocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixa
Protocolo bienestar animal_sector_lacteo 2019_baixa
 
Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150
 
Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150Chr hansenhalabiotec150
Chr hansenhalabiotec150
 
Folder ganaseg-a4-web
Folder ganaseg-a4-webFolder ganaseg-a4-web
Folder ganaseg-a4-web
 
Zoetis material pdf_300317
Zoetis material pdf_300317Zoetis material pdf_300317
Zoetis material pdf_300317
 
Nutrilink em word
Nutrilink em wordNutrilink em word
Nutrilink em word
 

Último

2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 

Você ainda acredita que bST é tudo igual?

  • 1. Desempenho produtivo de vacas Holandesas tratadas com duas formulações de somatotropina bovina recombinante em um grande rebanho leiteiro comercial no Brasil. 1. de Morais et al, Journal of Dairy Science Vol. 100 No. 7, 2017
  • 2. Desempenho produtivo de vacas Holandesas tratadas com duas formulações de somatotropina bovina recombinante em um grande rebanho leiteiro comercial no Brasil. J. P. G. de Morais,*1 A. P. da S. Cruz,† N. S. Minami,† L. P. Veronese,* T. A. Del Valle,* and J. Aramini‡ * Departamento de Biotecnologia Vegetal e Animal, Universidade Federal de São Carlos, Campus Araras, Araras, SP 13600-970, Brasil †Fundação de Apoio Institucional (FAI), Campus São Carlos, São Carlos, SP 13565-905, Brasil ‡Novometrix Research Inc., 4564 Nassagaweya-Puslinch Townline, Moffat, Ontário, Canadá L0P 1J0
  • 3. objetivo • Avaliar o desempenho de vacas suplementadas com duas formulações diferentes de bST: – 90 vacas Holandesas tratadas com bST à base de Óleo de Gergelim e Zinco (ZSO-bST; Lactotropin® - produzido por Agener União Saúde Animal). – 90 vacas Holandesas tratadas com bST à base de Vitamina E e Lecitina (VEL-bST) – 60 vacas Holandesas como grupo controle – As análises foram feitas, separadamente, entre Primíparas (35%) e Multíparas (65%)
  • 4. Delineamento Experimental • Tratamentos com intervalos de 14 dias (seguindo orientação em bula dos fabricantes) • Início dos tratamentos com DEL (dias em lactação) de 57 a 70 • Final dos tratamentos quando: – 17 aplicações, OU – Final da Lactação
  • 5. • Vacas saudáveis – Livres de patologia uterina – Sem mastite clínica e/ou subclínica – ECC ≥ 2,5 – EL ≤ 2 Delineamento Experimental
  • 6. • Critérios de Inclusão: – Vacas consideradas saudáveis no exame veterinário e inclusive livres de patologia uterina ou ovariana; – A produção de leite ≥ 25 kg/dia, medida como uma média dos primeiros sete dias consecutivos de um intervalo de 10 dias imediatamente antes da primeira injeção; – ECC ≥ 2,5 em uma escala de 5 pontos (Pennington, 2003); – Escore de claudicação ≤ 2 em uma escala de 5 pontos (Branine et al., 2014); – CCS ≤ 200,000 por ml de leite; – Nenhum caso clínico de mastite anterior ao início do estudo (57-70 DEL); – Nenhum caso subclínico de mastite baseado na cultura do leite conduzida entre 46-59 dias pós parto, para S. aureus e S. agalactiae. Delineamento Experimental
  • 7. • Os animais foram pareados por: – Número da lactação (primíparas ou multíparas) – Produção de leite – Aleatoriamente alocados em um dos 3 tratamentos Delineamento Experimental
  • 8. • Os parâmetros avaliados foram: – Produção de leite – Proteína – Gordura – Contagem de células somáticas (CCS) – Escore de condição corporal (ECC) Delineamento Experimental
  • 9. Resultados Tabela 1. Desempenho produtivo de vacas leiteiras durante o tratamento com duas formulações diferentes de somatotropina bovina recombinante (bST) 1  bST à base de Vitamina E e Lecitina (VEL-bST); 2  Lactotropin® , Agener União Saúde Animal; 3 Par = paridade; 4  Log CCS = log10 da contagem de células somáticas. 2 Primíparas Multíparas Valor p Item Controle VEL-bST1 Controle VEL-bST Par3 bST vs. Controle VEL-bST vs. Produção (kg/dia) Leite 33,26 35,72 37,75 34,47 38,81 40,13 <0,001 <0,001 <0,001 Gordura 1,07 1,11 1,18 1,08 1,19 1,23 0,167 <0,001 0,001 Proteína 0,99 1,11 1,17 1,04 1,21 1,22 <0,001 <0,001 <0,001 Composição do leite Gordura (%) 3,23 3,07 3,13 3,16 3,06 3,05 0,438 <0,001 0,482 Proteína (%) 3,00 3,10 3,09 3,02 3,12 3,06 0,828 <0,001 0,027 Log CCS4 3,52 3,65 3,44 4,54 4,48 4,57 <0,001 0,946 0,427 Escore de Condição Corporal 3,04 2,97 2,98 3,03 2,93 2,92 0,014 <0,001 0,788
  • 10. Resultados – Produção de Leite • O tratamento com bST aumentou a produção de leite, quando comparado com a produção das vacas controle. • Vacas tratadas com Lactotropin® produziram 1,6 kg leite/dia a mais quando comparado às vacas tratadas com VEL-bST. – MAIS 2,03 kg leite/dia entre Primíparas (p=0,003) – MAIS 1,32 kg leite/dia entre Multíparas (p=0,011) Leite (kg/dia) Controle VEL-bST Primíparas 33,26 35,72 37,75 Multíparas 34,47 38,81 40,13
  • 11. Resultado superior em TODOS os 14 dias – Primíparas Produção de leite (kg/dia) para vacas primíparas tratadas com Lactotropin® e VEL-bST ou não tratadas (Controle), dentro dos 14 dias dos 17 ciclos de injeção. Dia do ciclo de injeção de bST Kgleite/dia a a a a a a a a a a a a a a b b b b b b b b b b b c c c 42 40 38 36 34 32 30 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 a b b b b b b b b a a a a a ® Médias diárias dentro de um ciclo sem uma letra em comum (a, b ou c) diferem (p < 0.05). +2,03 kg/dia de leite em relação a VEL-bST +483 kg de leite por lactação +83% vs VEL-bST primíparas
  • 12. Resultado superior em TODOS os 14 dias - multíparas • MULTÍPARAS tratadas com Lactotropin® produziram 1,32 kg leite/dia a mais quando comparadas às vacas tratadas com VEL-bST, com resultados acima do grupo controle em TODOS os 14 dias. • Animais tratados com VEL-bST apresentaram resultados iguais aos do grupo controle em 4 dos 14 dias (dias 1, 12, 13 e 14), ou seja em 27% dos 14 dias. • Animais tratados com Lactotropin® apresentaram resultados significativamente superiores aos de VEL-bST em 8 dos 14 dias (dia 1, dias 8 a 14), ou seja, em 57% dos 14 dias. Médias diárias dentro de um ciclo sem uma letra em comum (a, b ou c) diferem (p < 0.05). Produção de leite (kg/dia) para vacas multíparas tratadas com Lactotropin® e VEL-bST ou não tratadas (Controle), dentro dos 14 dias dos 17 ciclos de injeção. +314 kg de leite por lactação +30% vs VEL-bST Dia do ciclo de injeção de bST Kgleite/dia 46 44 42 40 38 36 34 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 a b b b b b b b a a a b b b ®Multíparas b b b b b b b b b b c c c c a a a a a a a a a a a a aa +1,32 kg/dia de leite em relação a VEL-bST
  • 13. Resultado superior ao longo da Lactação – Primíparas Produção de leite (kg/dia) para vacas primíparas tratadas com Lactotropin® e VEL-bST ou não tratadas (Controle), ao longo de 17 ciclos de injeção de 14 dias. ® Dia do ciclo de injeção de bST Produçãodeleite(Kg/dia) 31 29 27 25 33 35 37 39 41 43 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 a a a a aa a a aa a aa a a aa a a a a a a aa c c a b b b b b b b b b b b b b b b b b b b ab ab ab Médias no ciclo sem uma letra em comum (a, b ou c) diferem (p < 0.05) +483 kg leite por lactação em relação a VEL-bST 82% dos ciclos acima do grupo controle O DOBRO de ciclos acima do grupo controle em relação a VEL-bST primíparas
  • 14. Resultado superior ao longo da Lactação – multíparas Produção de leite (kg/dia) para vacas multíparas tratadas com Lactotropin® e VEL-bST ou não tratadas (Controle), ao longo de 17 ciclos de injeção de 14 dias. ® Dia do ciclo de injeção de bST Produçãodeleite(Kg/dia) 35 40 30 25 20 45 50 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 c c c c b ab a a a a a a a a a a a a a a a a a ab ab ab ab ab ab ab ab ab ab ab ab b b b b b b b b b b b b b b b b 4,25x MAIS ciclos acima do grupo controle em relação a VEL-bST Médias no ciclo sem uma letra em comum (a, b ou c) diferem (p < 0.05) +314 kg leite por lactação em relação a VEL-bST 100% dos ciclos acima do grupo controle multíparas
  • 15. Produção de leite (kg/dia) entre vacas leiteiras tratadas com Lactotropin® e VEL-bST ou não tratadas (Controle), ao longo de 17 ciclos de injeção de 14 dias. ® 24 1 15 29 43 57 71 85 99 113 127 141 155 169 183 197 211 225 28 32 36 40 44 48 +483 kg leite por lactação em relação a VEL-bST +314 kg leite por lactação em relação a VEL-bST +942 kg leite em 3 lactações projetadas +1.111 kg leite em 3 lactações projetadas Picos Similares de Produção e menores “vales” Primíparas Multíparas
  • 16. Maior Persistência de Lactação Persistência da produção de leite (inclinações médias) durante os ciclos entre vacas controle e vacas tratadas com duas formulações diferentes de somatotropina bovina recombinantes (bST) ao longo de 17 ciclos de injeção de 14 dias.¹ ® 10 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 46 44 42 40 38 36 34 32 30 28 26 24 22 20 EscoredeCondiçãoCorporal(ECC Ciclo de Injeção de bST 1 A persistência é expressa como a inclinação média na produção diária de leite (kg/d) por ciclo (14 dias). 2  bST à base de Vitamina E e Lecitina (VEL-bST). 3  EPM informados são para os tratamentos bST com 90 vacas cada um; EPM para o tratamento de controle são maiores em 23 a 25%, porque 60 vacas foram atribuídas a este tratamento. ab Inclinações com diferentes letras (a,b) nas fileiras diferem (p < 0,01). A significância para efeito de Paridade < 0,001 e Paridade x Tratamento = 0,71. Tratamentos Controle VEL-bST2 EPM3 0,8622a -0,7339ab -0,6549b 0,046
  • 17. Não houve variação de ECC entre os tratamentos de bST – primíparas ® 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 3.15 3.10 3.05 3.00 2.95 2.90 2.85 2.80 a a a a a a b b b b b b b b b a a a a a a a a a a abb b b b b b b a a a a a a a a a a a a aa EscoredeCondiçãoCorporal(ECC) Ciclo de Injeção de bST Médias no ciclo sem uma letra em comum (a, b ou c) diferem (p < 0.05) ECC (escala de 1-5) por ciclo de injeções para vacas primíparas tratadas com Lactotropin® e bST à base de Vitamina E e Lecitina (VEL-bST) ou não tratadas (Controle), durante os 17 ciclos de injeção. primíparas
  • 18. Médias no ciclo sem uma letra em comum (a, b ou c) diferem (p < 0.05) ECC (escala de 1-5) por ciclo de injeções para vacas multíparas tratadas com Lactotropin® e bST à base de Vitamina E e Lecitina (VEL-bST) ou não tratadas (Controle), durante os 17 ciclos de injeção. Não houve variação de ECC entre os tratamentos de bST – multíparas multíparas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 3.40 3.30 3.20 3.10 3.00 2.90 2.80 2.70 2.60 2.50 a a a a a b b b b b b b b b c b a a a a a a b b b b b b b b b b b a a a a a a a a a a a a a a a a EscoredeCondiçãoCorporal(ECC) Ciclo de Injeção de bST ®
  • 19. Conclusões • Lactotropin® aumentou a resposta de produção de leite em 2,03 kg/dia e 1,32 kg/ dia para vacas primíparas e multíparas, respectivamente, quando comparado com a formulação VEL-bST ao longo do período de 238 dias de tratamento. • A maior produção de leite do Lactotropin® sobre a formulação VEL-bST foi devido a: – Menor variação nos ciclos de 14 dias – Resposta mais consistente em todos os 17 ciclos de injeção (persistência). • A falsa impressão de que a formulação VEL-bST apresenta picos superiores de produção demonstrou-se improcedente através dos resultados que mostraram picos similares de resposta, porém “vales” mais acentuados em relação ao Lactotropin® .
  • 20. “Para produtores de leite que tenham a escolha de mais de uma formulação de bST, este estudo demonstrou que Lactotropin® é melhor do que VEL-bST para aumentar a produção de leite em vacas leiteiras.” (JDS - Journal of Dairy Science) Conclusões
  • 21. FORMULAÇÃO EXCLUSIVA PARA UMA LACTAÇÃO PRODUTIVA, SAUDÁVEL E LUCRATIVA 1. de Morais et al, Journal of Dairy Science Vol. 100 No. 7, 2017 Consulte sempre um Médico Veterinário