Produção de leite   em Portugal
Efectivo de vacas leiteiras           (x 103 cabeças)                2003          2004Portugal         328           338U...
Produção de leite                      (x 103 toneladas)                              2003          2004Portugal          ...
Rendimento por vaca                             (kg/ano)                                 2003   2004Portugal              ...
Auto-aprovisionamento de produtos   lácteos frescos em Portugal                  Produção Consumo                 Auto-   ...
Auto-aprovisionamento de produtos     lácteos fabricados em Portugal                  Produção Consumo                 Aut...
Sistemasde Produção
Bovinos leiteiros: Sistemas de    produção em Portugal• Explorações no minifúndio: - Entre Douro e Minho + Beira Litoral -...
Bovinos leiteiros: Sistemas de    produção em Portugal• Explorações sem pastoreio: - Região de Lisboa, Évora, Beja, Portal...
Bovinos leiteiros: Sistemas de    produção em Portugal• Explorações com pastoreio em  algumas estações do ano: - Entre Dou...
Bovinos leiteiros: Sistemas de    produção em Portugal• Explorações com pastoreio todo o ano: - Açores. - Explorações de p...
Raças de bovinos    leiteiros
Bovino leiteiro• Animal de cabeça fina, pele fina• Conformação angulosa• Ossos da bacia salientes• Úbere bem inserido e be...
FrisiaOrigem: Norte da Holanda (região da Friesland)Cor: Branca e preta. Alguns animais vermelhos e brancos (red   factor)...
Dairy ShorthornOrigem: Nordeste de InglaterraCor: Pelagem vermelha, branca, malhada ou   rosilho.Peso: ♂: 1000 kg, ♀: 600 ...
JerseyOrigem: Ilha de Jersey (canal da Mancha)Cor: Castanha amarelada, castanha acinzentada, com ou sem  manchas.Peso: ♂: ...
NormandaOrigem: França (Região da Normandia).Cor: Manchas brancas, castanhas e amareladas.Peso: ♂: 900-1100 kg, ♀: 600-700...
Sistemas de Produção e as    raças de bovinos leiteiros• Vacas de dupla aptidão: - Explorações com reduzido nº de animais ...
O cicloprodutivo
Ciclo produtivo: parâmetrosNascimento                 40 kgRitmo de crescimento     700 g/dia1º cio                  7-8 m...
Ciclo produtivo: evoluçãoNasc                  1º parto40 kg                 (2 anos)                           Lactação  ...
Ciclo produtivo: duração• Duração da vida produtiva:  - 4-5 lactações  - Vacas reformadas com 6-7 anos  - Taxa de substitu...
Ciclo produtivo: reprodução 1º cio pós-parto                  3-6 semanas Ciclicidade do cio                 19-23 dias Du...
A produção  de leite
Curva de lactaçãoProdução de leite                          Dias de lactação
A curva de lactação: parâmetrosFase ascendente: durante 4-6 semanas após o partoFase descendente: Desde pico de lactação a...
Bovinos de carne  em Portugal
Efectivo de vacas aleitantes           (x 103 cabeças)             2003             2004Portugal      371              385...
Distribuição regional das vacas       aleitantes (x 10 cabeças)     3                                  Cabeças    % E.D. M...
Parâmetros produtivos
Ciclo produtivo: raças            portuguesas            Vacas aleitantes      Puberdade            8 meses Idade à 1ª cob...
Ciclo produtivo: raças exóticas             Vacas aleitantes      Puberdade           7-8 meses Idade à 1ª cobrição       ...
Crescimento: raças portuguesas Peso à nascença      20 - 40 kg Peso ao desmame    130 – 170 kg  Peso adulto ♂     800 – 10...
Crescimento: raças exóticasPeso à nascença      35 - 50 kgPeso ao desmame     200 – 250 kg Peso adulto ♂     1000 – 1200 k...
Os parâmetrosprodutivos e os   Sistemas  de Produção
Sistemas Extensivo - Abates > 2,5 anos.- Períodos de carência alimentar.- Crescimento compensatório.- Raças pouco precoces...
Sistemas Semi-extensivo- Abates < 2 anos de idade.- Peso de abate 500-600 kg.- Um período de carência alimentar.- Crescime...
Sistemas Semi-extensivo no Alentejo         Condução da vacada • Duas épocas de cobrição:       - Final da Primavera (Maio...
Sistemas Semi-extensivo no Alentejo            Crescimento dos animaisCobrição final da Primavera ⇒ Parição final do Inver...
Sistemas Semi-extensivo no Alentejo         Crescimento dos animaisCobrição final do Outono ⇒ Parição final do Verão      ...
Sistemas Intensivo- Abates entre 12-14 meses de  idade.- Peso de abate 450-550 kg.- Altos ritmos de crescimento  (GMD > 12...
Sistemas Intensivos em Portugal  Raças exóticas: Charolês, Limousine  Animais cruzados: cruzamento das raças exóticas  com...
A carcaça dos bovinos
A carcaça dos bovinos• Definição: Corpo inteiro do animal depois do abate, sangrado, decapitado, removido os pés, as mãos,...
Classificação das carcaças• Regulamento comunitário: Para além dos vitelos/vitelas são criadas 5 categorias de bovinos. Pa...
Classificação das carcaças• Categorias de bovinos:   Categoria        Definição      Designação       A          Machos nã...
Classificação das carcaças• Classes de conformação:             Grelha Comunitária SEUROP    Classe            Descrição  ...
Classificação das carcaças• Estado de acabamento:          Regulamento ComunitárioClasse            Descrição             ...
Bovinos2008 2009
Bovinos2008 2009
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bovinos2008 2009

733 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bovinos2008 2009

  1. 1. Produção de leite em Portugal
  2. 2. Efectivo de vacas leiteiras (x 103 cabeças) 2003 2004Portugal 328 338UE (25) 23965 23396UE (15) 19154 18724
  3. 3. Produção de leite (x 103 toneladas) 2003 2004Portugal 1952 2010UE (25) 144068 142334UE (15) 122160 120586Fonte: Anuário Pecuário (2005)
  4. 4. Rendimento por vaca (kg/ano) 2003 2004Portugal 5951 5947UE (25) 5843 5970UE (15) 6344 6419Fonte: Anuário Pecuário (2005)
  5. 5. Auto-aprovisionamento de produtos lácteos frescos em Portugal Produção Consumo Auto- (ton/ano) (ton/ano) aprovisionamentoLeite fresco 882 886 99,5 (%)Acidificados 95 190 50,0 (%)Bebidas 56 52 107,6 (%)Fonte: Anuário Pecuário (2005)
  6. 6. Auto-aprovisionamento de produtos lácteos fabricados em Portugal Produção Consumo Auto- (ton/ano) (ton/ano) aprovisionamentoLeite em pó 19 15 126,6 (%)Queijo 66 102 64,7 (%)Manteiga 19 18 105,5 (%)Fonte: Anuário Pecuário (2005)
  7. 7. Sistemasde Produção
  8. 8. Bovinos leiteiros: Sistemas de produção em Portugal• Explorações no minifúndio: - Entre Douro e Minho + Beira Litoral - 1-2 vacas por exploração - Alimentação: recursos da exploração + palha + concentrado (farinhas). - Salas de ordenha colectivas. - Sistema em declínio: entre 1996 e 2000 o número de salas colectivas foi reduzido para metade.
  9. 9. Bovinos leiteiros: Sistemas de produção em Portugal• Explorações sem pastoreio: - Região de Lisboa, Évora, Beja, Portalegre, Elvas. - Alimentação: forragens conservadas + concentrado (farinhas). - Vacas de grande capacidade produtiva (Frisia). - Ordenha mecânica e refrigeração do leite.
  10. 10. Bovinos leiteiros: Sistemas de produção em Portugal• Explorações com pastoreio em algumas estações do ano: - Entre Douro e Minho, Beira Litoral. - Alimentação: pastagem + forragens conservadas (silagens) + concentrado. - Vacas de boa capacidade produtiva (Frisia). - Ordenha mecânica e refrigeração do leite.
  11. 11. Bovinos leiteiros: Sistemas de produção em Portugal• Explorações com pastoreio todo o ano: - Açores. - Explorações de pequena a média dimensão - Alimentação: pastagem + forragens conservadas (?) + concentrado (?). - Vacas de boa capacidade produtiva (Frisia ou cruzadas). - Ordenha mecânica móvel + refrigeração do leite ou entrega nos centros de recolha.
  12. 12. Raças de bovinos leiteiros
  13. 13. Bovino leiteiro• Animal de cabeça fina, pele fina• Conformação angulosa• Ossos da bacia salientes• Úbere bem inserido e bem desenvolvido• Pele fina a revestir o úbere, veias bem salientes• Membros bem inseridos
  14. 14. FrisiaOrigem: Norte da Holanda (região da Friesland)Cor: Branca e preta. Alguns animais vermelhos e brancos (red factor).Peso: ♂ 900-1300 kg, ♀: 680-900 kg.Vocação: Altamente especializada na produção de leite Leite* Gordura Proteína > 8000 kg 3,5-3,8 (%) 3,1-3,3 (%) * Em 305 dias de lactação.
  15. 15. Dairy ShorthornOrigem: Nordeste de InglaterraCor: Pelagem vermelha, branca, malhada ou rosilho.Peso: ♂: 1000 kg, ♀: 600 kg.Vocação: Shorthorn: Dupla aptidão Dairy Shorthorn: leite Beef Shorthorn: carne (marmoreada) Leite* Gordura Proteína 6000 kg 3,6-4 (%) 3,3 (%) * Em 305 dias de lactação.
  16. 16. JerseyOrigem: Ilha de Jersey (canal da Mancha)Cor: Castanha amarelada, castanha acinzentada, com ou sem manchas.Peso: ♂: 600-700 kg, ♀: 400-500 kg.Vocação: Produção de leite e manteiga Leite* Gordura Proteína 5000 kg 5-6 (%) 3,5-4 (%) * Em 305 dias de lactação.
  17. 17. NormandaOrigem: França (Região da Normandia).Cor: Manchas brancas, castanhas e amareladas.Peso: ♂: 900-1100 kg, ♀: 600-700 kg.Vocação: Dupla aptidão, produção de leite (Queijo Camembert), produção de carne. Leite* Gordura Proteína 5500 kg 4,5 (%) 3,4 (%) * Em 305 dias de lactação.
  18. 18. Sistemas de Produção e as raças de bovinos leiteiros• Vacas de dupla aptidão: - Explorações com reduzido nº de animais - Disponibilidade forrageira para recria dos vitelos• Vacas leiteiras especializadas: - Explorações com maiores efectivos - Grandes quantidades de concentrados
  19. 19. O cicloprodutivo
  20. 20. Ciclo produtivo: parâmetrosNascimento 40 kgRitmo de crescimento 700 g/dia1º cio 7-8 meses1ª cobrição 14-16 mesesGestação 9 meses1º parto 2 anosLactação 10 mesesPeríodo de seca 2 meses
  21. 21. Ciclo produtivo: evoluçãoNasc 1º parto40 kg (2 anos) Lactação Lactação + Gestação Gestação Lactação 1º Cio 1ª Cob. 2ª Cob. Seca 3ª Cob. (7-8M) (14-16M) 3 meses 7 meses 2 meses 1ª Lactação (10 meses) 2ª Lact.
  22. 22. Ciclo produtivo: duração• Duração da vida produtiva: - 4-5 lactações - Vacas reformadas com 6-7 anos - Taxa de substituição: 20-25% - Factores de variação: Modo de exploração Factor animal Factores imponderáveis
  23. 23. Ciclo produtivo: reprodução 1º cio pós-parto 3-6 semanas Ciclicidade do cio 19-23 dias Duração do cio 5-15 horas 1ª cobrição pós-parto 40-50 dias Parto-Gestação < 3 meses Intervalo entre partos 12-14 meses Taxa de fertilidade (1) > 75% (2) Índice de Fecundação 1,5(1) (Nº de partos / nº vacas inseminadas) x 100(2) Nº de inseminações / Fecundação
  24. 24. A produção de leite
  25. 25. Curva de lactaçãoProdução de leite Dias de lactação
  26. 26. A curva de lactação: parâmetrosFase ascendente: durante 4-6 semanas após o partoFase descendente: Desde pico de lactação até à secaPico de lactação (estimativa): Y2 – produção média diária (kg) nas duas primeiras semanasCoeficiente de persistência de lactação: Relação entre os kg de leite num mês e os kg de leite no mês anterior
  27. 27. Bovinos de carne em Portugal
  28. 28. Efectivo de vacas aleitantes (x 103 cabeças) 2003 2004Portugal 371 385UE (25) 12023 12003
  29. 29. Distribuição regional das vacas aleitantes (x 10 cabeças) 3 Cabeças % E.D. Minho 39 10,5 T. Montes 23 6,2 B. Litoral 11 3,0 B. Interior 15 4,0 Rib. Oeste 24 6,5 Alentejo 238 64,1 Algarve 4 1,1 Açores + Madeira 17 4,6 TOTAL 371 100 Fonte: Anuário Pecuário (2005)
  30. 30. Parâmetros produtivos
  31. 31. Ciclo produtivo: raças portuguesas Vacas aleitantes Puberdade 8 meses Idade à 1ª cobrição 2 anos Gestação 270-280 dias Idade ao 1º parto 33-36 mesesIntervalo entre partos 14 meses Taxa de fertilidade 70-90 %
  32. 32. Ciclo produtivo: raças exóticas Vacas aleitantes Puberdade 7-8 meses Idade à 1ª cobrição 1,5 anos Gestação 270-280 dias Idade ao 1º parto 27-30 mesesIntervalo entre partos 12-14 meses Taxa de fertilidade 75-80 %
  33. 33. Crescimento: raças portuguesas Peso à nascença 20 - 40 kg Peso ao desmame 130 – 170 kg Peso adulto ♂ 800 – 1000 kg Peso de adulto ♀ 400 – 700 kg
  34. 34. Crescimento: raças exóticasPeso à nascença 35 - 50 kgPeso ao desmame 200 – 250 kg Peso adulto ♂ 1000 – 1200 kgPeso de adulto ♀ 600 – 800 kg
  35. 35. Os parâmetrosprodutivos e os Sistemas de Produção
  36. 36. Sistemas Extensivo - Abates > 2,5 anos.- Períodos de carência alimentar.- Crescimento compensatório.- Raças pouco precoces.- Menores custos de produção. Raça Nelore- Aposta na tipicidade dos produtos.- Pouca representatividade em Portugal Raça Brahman
  37. 37. Sistemas Semi-extensivo- Abates < 2 anos de idade.- Peso de abate 500-600 kg.- Um período de carência alimentar.- Crescimento compensatório.- Raças pouco precoces (raças autóctones).- Menores custos de produção.- Produtos IGP ou DOP.- Utilizado no Sul do país
  38. 38. Sistemas Semi-extensivo no Alentejo Condução da vacada • Duas épocas de cobrição: - Final da Primavera (Maio - Junho) - Final do Outono (Novembro - Dezembro) Gestação Gestação Cobrições Parições Cobrições PariçõesP V O I P V O I P VCobrições Parições Cobrições Parições Gestação Gestação
  39. 39. Sistemas Semi-extensivo no Alentejo Crescimento dos animaisCobrição final da Primavera ⇒ Parição final do Inverno Raças autóctones Aleitamento Parições Desmames I P V O I P V O I P ≈ 600 g/d 1000 - 1200 g/d 30 kg 140 kg 400 - 450 kg (6-7 meses) (15 - 16 meses)
  40. 40. Sistemas Semi-extensivo no Alentejo Crescimento dos animaisCobrição final do Outono ⇒ Parição final do Verão Raças autóctones Aleitamento Parições Desmames V O I P V O I P V O ≈ 600 g/d 1000 g/d ≈ 1200 g/d 30 kg 140 kg 450 - 500kg (6-7 meses) (16 - 18 meses)
  41. 41. Sistemas Intensivo- Abates entre 12-14 meses de idade.- Peso de abate 450-550 kg.- Altos ritmos de crescimento (GMD > 1200 g).- Sem período de carência alimentar.- Raças precoces.- Altos custos de produção.- Necessidade de máximo GMD para amortizar os custos.
  42. 42. Sistemas Intensivos em Portugal Raças exóticas: Charolês, Limousine Animais cruzados: cruzamento das raças exóticas com raças autóctones (Alentejana, Mertolenga)35 kg 200 kg 450-550 kg GMD 800 g/d GMD 1400 g/d Aleitamento Acabamento intensivo 6-7 meses Abate (12-14 meses)
  43. 43. A carcaça dos bovinos
  44. 44. A carcaça dos bovinos• Definição: Corpo inteiro do animal depois do abate, sangrado, decapitado, removido os pés, as mãos, os órgãos da cavidade torácica e abdominal, os rins, a gordura renal e pélvica e o diafragma.• Rendimento em carcaça: (Peso da carcaça/Peso vivo ao abate)x100≈ ≈ 50-60%
  45. 45. Classificação das carcaças• Regulamento comunitário: Para além dos vitelos/vitelas são criadas 5 categorias de bovinos. Para cada uma destas 5 categorias as carcaças são classificadas em função da conformação e do estado de acabamento.
  46. 46. Classificação das carcaças• Categorias de bovinos: Categoria Definição Designação A Machos não Novilhos castrados com menos de 2 anos B Outros machos não Machos castrados adultos C Machos castrados Bois D Fêmeas que já Vacas tenham parido E Outras fêmeas Novilhas
  47. 47. Classificação das carcaças• Classes de conformação: Grelha Comunitária SEUROP Classe Descrição Designação S Perfis extremamente convexos, Superior excepcional desenvolvimento muscular E Perfis muito convexos, óptimo Excelente desenvolvimento muscular U Perfis convexos, forte Muito Boa desenvolvimento muscular R Perfis rectilíneos, bom Boa desenvolvimento muscular O Perfis rectilíneos e côncavos, Razoável médio desenvolvimento muscular P Perfis côncavos e muito Medíocre côncavos, escasso desenvolvimento muscular
  48. 48. Classificação das carcaças• Estado de acabamento: Regulamento ComunitárioClasse Descrição Designação 1 Gordura de cobertura inexistente Muito magra ou muito ligeira 2 Gordura de cobertura ligeira com Magra músculos visíveis 3 Músculos quase sempre cobertos Média de gordura excepto coxa e pá 4 Músculos cobertos de gordura Gorda mas ainda visíveis na coxa e pá 5 Toda a carcaça coberta de Muito gorda gordura

×