O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Modelos de negócio no jornalismo digital

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 36 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Semelhante a Modelos de negócio no jornalismo digital (20)

Anúncio

Mais de Laércio Góes (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

Modelos de negócio no jornalismo digital

  1. 1. MODELOS DE NEGÓCIO NO JORNALISMO DIGITAL Ms. Laércio Torres de Góes
  2. 2. Transformação das rotinas de produção, distribuição e consumo. Rotina de produção
  3. 3. A rotina de produção se transforma na medida em que a tecnologia se insere no trabalho diário do jornalista. Tecnologia
  4. 4. Computadores, smartphones, bases de dados, buscadores, plataformas de redes sociais online, etc. Ferramentas de digitais
  5. 5. A notícia não tem mais um ciclo de início, meio e fim. Não existe fechamento de edição no jornalismo digital (BERTOCCHI, 2014). Notícia
  6. 6. Interatividade através das redes sociais online (Facebook e Twitter, principalmente) e dispositivos móveis. Consumo
  7. 7. • A possibilidade de acessar qualquer tipo de conteúdo está na palma das mãos. • Mudança na produção, distribuição e consumo são afetados diretamente por esta nova lógica. Consumo
  8. 8. • Venda de espaços publicitários (audiência) para anunciantes. • Era da escassez da informação. Modelo de negócio tradicional
  9. 9. • Poucas opções no mercado. • Valorização a partir da credibilidade e solidez das marcas. Modelo de negócio tradicional
  10. 10. Modelo de negócio tradicional “Por mais de cem anos o negócio das organizações noticiosas não era o conteúdo e os seus consumidores, mas sim a oferta de audiência para os anunciantes” (PICARD, 2013).
  11. 11. • 2015 foi o pior ano para a indústria de jornais impressos nos Estados Unidos desde a Grande Recessão. • A circulação diária caiu 7% desde 2010 e o faturamento publicitário 8% desde 2009. • As equipes que compõem as redações dos jornais diminuíram em 10% de 2014 para 2015. State of News Media de 2016
  12. 12. • Ao mesmo tempo, o investimento publicitário em mídias digitais cresceu 20%, voltado principalmente para dispositivos móveis. • Investimentos destinados prioritariamente para cinco empresas: Google, Facebook, Yahoo, Microsoft e Twitter. State of News Media de 2016
  13. 13. • 72% disse ter nas mídias sociais sua fonte de notícias diária. • Em 2015, mais de 1.400 profissionais perderam seus empregos. • Nove, dos dez principais jornais do país, perderam leitores. Digital News Report de 2016
  14. 14. • O consumo de notícias online cresceu 50%. • Um em cada cinco brasileiros entre os pesquisados disse pagar por algum tipo de produto jornalístico digital • O Brasil fica em terceiro lugar como a audiência mais disposta a pagar por notícias entre os 26 países pesquisados. Digital News Report de 2016
  15. 15. Nichos x Massa • As empresas de mídia não são capazes de entregar resultados tão qualificados como Google e Facebook. • Consideram seus leitores enquanto massa, homogênea, sem distinção. • Fim do mito da mídia de massa.
  16. 16. Nichos x Massa
  17. 17. Nichos x Massa
  18. 18. Padrão de imitação de modelos de negócio • Dependência antiga de anunciantes; • Dependência de verbas governamentais; • Número limitado de modelos de negócio alternativos; • As tecnologias mudam constantemente e não há um modelo específico para internet; • Um pequeno grupo de empresas controla a indústria midiática.
  19. 19. Movimento de isomorfia no Brasil • A forma de sustentação divide-se entre publicidade, assinaturas, vendas em banca, paywall e branded content.
  20. 20. Modelo de negócios • Empresas jornalísticas brasileiras mais jovens buscam formatos de financiamento diferentes: • Crowdfunding (financiamento coletivo a partir de campanhas ou doações). • Patrocínio ou mecenato • Micropagamentos.
  21. 21. Paywall • Onde os usuários precisam pagar para ler o conteúdo de uma publicação após esgotarem um número específico de acessos gratuitos. • Está presente em dez grandes jornais do país, desde 2014, de acordo com a ANJ (Associação Nacional de Jornais).
  22. 22. Paywall
  23. 23. Branded content • Conteúdo pago produzido para marcas patrocinadoras.
  24. 24. Crowdfunding e doações
  25. 25. Mecenato
  26. 26. Pagamento por artigo
  27. 27. ITunes do jornalismo
  28. 28. Apoiador
  29. 29. Storytelling events
  30. 30. Estudo sobre o jornalismo digital independente no Brasil (LÜDTKE, 2016): • Dos 64 empreendimentos pesquisados, destes 66,7% não fizeram um plano de negócios para estruturar suas empresas. • A maioria pretendia obter recursos a partir de publicidade, assinaturas e venda de conteúdo. • 13 não conseguiram ainda se financiar de nenhuma forma. • Dos 42 que pretendiam vender publicidade, somente 26 conseguiram.
  31. 31. Formas de financiamento (David Plotz, 2014) • 76 formas de financiamento existentes para empresas de mídia em 2014. • Mecenato, assinaturas, eventos, publicidade, branded content, paywall, micropagamentos, afiliação, doações, crowdfunding, webinars, anúncios em vídeos e podcasts, venda de produtos em associação com a empresa (como livros, CDs e DVDs), publicações especializadas de nicho, anúncios em newsletters, clubes de assinatura de produtos, venda da base de dados dos assinantes, etc.
  32. 32. Valorização do público e do produto • Nicho – segmentação – personalização • Buscar conhecer quem são as pessoas fiéis ou interessadas pela marca. • Entender como oferecer a elas valor, diferencial, pois estes são aspectos fundamentais para manter uma empresa viva e operante.
  33. 33. Valorização do público e do produto • Conquistar e convencer o público de que vale a pena pagar pelo conteúdo produzido. • A disposição do público em pagar por um conteúdo está diretamente relacionada ao valor que este atribui ao produto que lhe é oferecido. • Economia de escassez x Economia de abundância
  34. 34. Valorização do público e do produto • Economia de escassez x Economia de abundância
  35. 35. Valorização do público e do produto • Diferenciação, exclusividade, aprofundamento e originalidade. • Se você entende o seu consumidor, você consegue oferecer conteúdo relevante a ele. • Temos inúmeras opções de consumo porque permanecer em apenas uma e velha conhecida?
  36. 36. Fonte: SILVEIRA, Stefanie Carlan. Modelos de negócio no jornalismo digital. In: Saad, Elizabeth; SILVEIRA, Stefanie C. (org.). Tendências em comunicação digital. São Paulo : ECA/USP, 2016.

×