SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 62
Logística
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
INDEX
 Logística Integrada
 TI na Gestão de Suprimentos
 Planejamento de Cenários Logísticos
 Fundamentos e Processos Logísticos
 Logística Empresarial
 Gestão Estratégica de Transportes
 Gestão de Canais de Distribuição
 Gestão da Tecnologia e Inovação
 Gestão de Produção e Operações
 Gestão de Estoques
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
Lean Manufacturing
 Traduzível como manufatura enxuta ou
manufatura esbelta, e também
chamado de Sistema Toyota de
Produção é uma filosofia de gestão
focada na redução dos sete tipos de
desperdícios (superprodução, tempo de
espera, transporte, excesso de
processamento, inventário, movimento
e defeitos).
 Eliminando esses desperdícios, a
qualidade melhora e o tempo e custo
de produção diminuem.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 Qualidade total imediata - ir em busca do
"zero defeito", e detecção e solução dos
problemas em sua origem.
 Minimização do desperdício - eliminação
de todas as atividades que não têm valor
agregado e redes de
segurança, otimização do uso dos recursos
escassos (capital, pessoas e espaço).
 Melhoria contínua - redução de
custos, melhoria da qualidade, aumento
da produtividade e compartilhamento da
informação
Definições
 Processos "pull" - os produtos são
retirados pelo cliente final, e não
empurrados para o fim da cadeia de
produção.
 Flexibilidade - produzir rapidamente
diferentes lotes de grande variedade
de produtos, sem comprometer a
eficiência devido a volumes menores
de produção.
 Construção e manutenção de uma
relação a longo prazo com os
fornecedores tomando acordos para
compartilhar o risco, os custos e a
informação.
Conceitos
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 A globalização e o ciclo de vida curto
dos produtos obriga as empresas a
inovarem rapidamente as suas
técnicas de gestão. Os produtos
rapidamente se tornam
commodities, quer em termos de
características intrínsecas do próprio
produto, quer pelo preço, pelo que
cada vez mais a aposta na
diferenciação deve passar pela
optimização dos serviços, superando
a expectativa de seus clientes com
atendimentos rápidos e eficazes.
Logística Integrada
A Tecnologia de Informação
 É a área de conhecimento responsável
por criar, administrar e manter a gestão
da informação através de dispositivos e
equipamentos para acesso, operação e
armazenamento dos dados, de forma a
gerar informações para tomada de
decisão.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 O desenvolvimento cada vez mais
rápido de novas tecnologias de
informação modificou as bibliotecas e
os centros de documentação
(principais locais de armazenamento
de informação), introduzindo novas
formas de organização e acesso aos
dados e obras armazenadas; reduziu
custos e acelerou a produção dos
jornais e possibilitou a formação
instantânea de redes televisivas de
âmbito mundial.
TI e Custos Logísticos
 É a expressão utilizada para
descrever um Sistema seja ele
automatizado (que pode ser
denominado como Sistema de
Informação Computadorizado), ou
seja manual, que abrange
pessoas, máquinas, e/ou métodos
organizados para
coletar, processar, transmitir e
disseminar dados que representam
informação para o usuário e/ou
cliente.
Sistema de Informação
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 no nível estratégico, quando uma
ação é suscetível de aumentar a
coerência entre a organização e o
meio envolvente, que por sua vez se
traduz num aumento de eficácia em
termos de cumprimento da missão
organizacional;
 nos níveis operacional e
administrativo, quando existem
efeitos endógenos, traduzidos em
aumento da eficiência organizacional
em termos de opções estratégicas.
TI: Um recursos valioso
Custos Logísticos
 São todos os custos
relacionados com a logística de
uma empresa, entre os quais
se podem destacar os custos
de armazenagem, custos de
estoque, custo de ruptura de
estoque, custos de
processamento de encomendas
e custos de transporte.
 Os custos logísticos
são, geralmente, os segundos
mais importantes, só
ultrapassados pelos custos da
própria mercadoria.
 As taxas de transporte refletem o risco
associado à movimentação de bens.
Há normalmente uma maior
probabilidade de danificação no caso
de produtos com maior valor em
relação à moeda.
 Os custos de reembolso por parte da
empresa de transporte nestas
situações são também muito mais
elevados.
Custos de Transporte
Custos de Armazenagem
 Aumentam igualmente com o
aumento do valor do produto.
Produtos de maior valor geralmente
significam maior capital investido nas
existências e custos de capital total
mais elevados.
 Além disso, o fator de risco de
armazenagem associado a produtos
de maior valor aumenta a
possibilidade de obsolescência e
desvalorização.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
Densidade do Produto
 Outro fator que afeta os custos
logísticos é a densidade do produto,
isto é, o seu peso/espaço. Um
produto que tenha um baixo peso em
relação ao espaço que ocupa tem um
baixo valor de densidade.
 A densidade influencia os custos de
transporte e armazenagem: à medida
que a densidade do produto
aumenta, os custos logísticos
associados tendem a diminuir.
Suprimento
 É o item
administrado, movimentado, armazenad
o, processado e transportado pela
logística. O termo nasceu junto com a
logística, derivado da palavra cadeia de
suprimentos utilizado para definir
diversos materiais.
 Na logística os suprimentos são os
atores principais de toda a cadeia, são
com base nas características dos
suprimentos, que a logística define
seus parâmetros de lead time, tipos de
embalagem, as características dos
equipamentos de
movimentação, modais de
transporte, áreas de armazenamento e
os recursos humanos e financeiros
necessários.
Definições
 Matérias-primas necessárias para
fabricação de um produto;
 Equipamentos ou peças de
composição de um produto;
 Peças de reposição de equipamentos;
 Os produtos de um comércio/serviço;
 Mix de produtos de um varejista;
 Materiais de apoio da produção;
 Informação;
 Mão de Obra;
 Alimentos;
 Material para reciclagem;
 Materiais não-produtivos; e
Classificações dos Suprimentos
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 A globalização e o ciclo de vida curto
dos produtos obriga as empresas a
inovarem rapidamente as suas
técnicas de gestão. Os produtos
rapidamente se tornam
commodities, quer em termos de
características intrínsecas do próprio
produto, quer pelo preço, pelo que
cada vez mais a aposta na
diferenciação deve passar pela
optimização dos serviços, superando
a expectativa de seus clientes com
atendimentos rápidos e eficazes.
Logística Integrada
Cadeia de Valor
 Representa o conjunto de atividades
desempenhadas por uma organização
desde as relações com os fornecedores
e ciclos de produção e de venda até à
fase da distribuição final.
 Ao decompor uma organização nas suas
atividades de relevância
estratégica, torna-se possível analisar o
comportamento dos custos e as fontes
existentes assim como potenciais de
diferenciação em cada processo de
negócio, otimizando o valor final que o
seu produto representa para o cliente.
 O termo logística vem do grego logos
(λόγος), significando
"discurso, razão, rácio, racionalidade, lingu
agem, frase", mais especificamente da
palavra grega logistiki
(λογιστική), significando contabilidade e
organização financeira.
 Foi inicialmente usado para descrever a
ciência da movimentação, suprimento e
manutenção de forças militares no
terreno. Posteriormente foi usado para
descrever a gestão do fluxo de materiais
numa organização, desde a matéria-prima
até aos produtos acabados.
Definições
 A globalização e o ciclo de vida curto
dos produtos obriga as empresas a
inovarem rapidamente as suas
técnicas de gestão. Os produtos
rapidamente se tornam
commodities, quer em termos de
características intrínsecas do próprio
produto, quer pelo preço, pelo que
cada vez mais a aposta na
diferenciação deve passar pela
optimização dos serviços, superando
a expectativa de seus clientes com
atendimentos rápidos e eficazes.
Logística Integrada
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 O WMS- literalmente: sistema de
automação e gerenciamento de
depósitos, armazéns e linhas de
produção. O WMS é uma parte
importante da cadeia de suprimentos
(ou supply chain) e fornece a rotação
dirigida de estoques, diretivas
inteligentes de picking, consolidação
automática e cross-docking para
maximizar o uso do valioso espaço
do armazéns.
Warehouse Management System
TMS (Transportation Management System)
 ou Sistema de Gerenciamento de
Transporte, é um software para
melhoria da qualidade e
produtividade de todo o processo
de distribuição.
 Este sistema permite controlar toda
a operação e gestão de transportes
de forma integrada. O sistema é
desenvolvido em módulos que
podem ser adquiridos pelo
cliente, consoante as suas
necessidades.
 Este sistema controla os processos
de um transportador, abrangendo
as áreas
comerciais, operacionais, sac, segu
ros, faturamento, financeira e
logística.
 Um TMS visa ser integrado com um
sistema de ERP, desta forma ao
emitir um CT-e ou NFS-e, por
exemplo, a integração
financeira, fiscal e contábil ocorrerá
automaticamente
Definições
 Identificar e controlar os custos
inerentes a cada operação, sendo
importante identificar e medir os
custos de cada elemento existente na
cadeia de transporte, a qual envolve
não só o veículo em si, mas também
a gestão dos recursos humanos e
materiais, o controle das cargas, os
custos de manutenção da frota e
índices de discrepâncias nas
entregas, bem como as diversas
tabelas de fretes existentes
(peso, valor, volume) apresentando o
modelo que melhor se ajusta..
Finalidades
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 Manutenção
 Suprimentos
 Controle de fretes de terceiros
 Operação
 Faturamento do transporte
 Custos
 Controle de Manutenção de Frota
 Controle de Estoque
 Planejamento
 Rastreamento
 Expedição
Funcionalidades
Trade Marketing
 É uma parte importante na
estratégia de marketing das
organizações que planejam
maximizar as vendas e a
diferenciação dos seus produtos e
serviços nos pontos-de-venda.
 É uma disciplina de marketing que
orienta o desenvolvimento das
relações entre fabricantes, ou
prestadores de serviços, e os canais
de venda, pelo entendimento das
necessidades entre marcas, pontos-
de-venda e consumidores.
 O trade marketing analisa os hábitos e
preferências dos consumidores para o
sucesso das estratégias de marketing e
vendas.
 Define quais canais de mídias serão
utilizados, que produtos desenvolvidos e
que canais de comercialização para
atender as preferências de consumo do
público-alvo.
Definições
 Um dos processos da logística
responsável pela administração dos
materiais a partir da saída do
produto da linha de produção até a
entrega do produto no destino final.
 Após o produto pronto ele
tipicamente é encaminhado ao
distribuidor. O distribuidor por sua
vez vende o produto para um
varejista e em seguida aos
consumidores finais.
Distribuição
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 O marketing vê que a Distribuição é
um dos processos mais críticos, pois
problemas como o atraso na entrega
são refletidos diretamente no cliente.
 A partir do momento que o produto é
vendido a Distribuição se torna uma
atividade de front office e ela é capaz
de trazer benefícios e problemas
resultantes de sua atuação
Distribuição e Marketing
Logística Colaborativa
 Os operadores logísticos trabalham
com o desafio constante de
desenvolver novos conceitos e
estratégias para satisfazer o cliente
com valores competitivos e dentro
da realidade de mercado,
oferecendo um serviço de alta
qualidade a um baixo custo.
 Assim surge a Logística Colaborativa
que consiste na colaboração entre
os parceiros da cadeia logística,
sejam eles fornecedores, clientes ou
outros integrantes.
 Todos trabalhando e colaborando no
projeto ou serviço em questão. Esta
parceria caracteriza-se pelo alto grau de
compromisso entre todos os
envolvidos, estando sempre focada na
eficácia dos serviços
prestados, eliminando desperdícios e
otimizando equipamentos, mão-de-obra e
recursos empregados.
 Esta parceria é também caracterizada pela
ajuda mútua, sendo obtidas melhorias
significativas que são comuns a todos os
elos da cadeia colaborativa.
 A logística tem a função de promover
uma perfeita coordenação de
atividades dentro da cadeia de valor
produzindo o lucro desejado.
 A cadeia de abastecimento poderá
relacionar-se com fornecedores
tornando-se numa arma estratégica
muito significativa, pois cadeias de
abastecimento comprometidas com a
transparência dos negócios alcançam
reduções de custos, uma ampla
gestão das informações e diminuem
o tempo do fluxo financeiro do
sistema.
Cadeia de Abastecimento
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 Produção Just in time
 Estoques mínimos em processo
 Fabrica e fornecedores próximos
 Produção nivelada
 Racionalização do processo
 Especialização da mão-de-obra
 Melhorias continuas
Princípios de Produção Enxuta
Gestão de Produção e
Operações
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
Sistema Toyota de Produção
 Surgiu no Japão, na fábrica de
automóveis Toyota, logo após a
Segunda Guerra Mundial.
 Naquela época a indústria japonesa
tinha uma produtividade muito
baixa e uma enorme falta de
recursos, o que a impedia de adotar
o modelo da produção em massa.
 O Sistema Toyota de Produção
também é chamado de Produção
enxuta ou Lean Manufacturing.
 A criação do Sistema Toyota de Produção
se deve, principalmente, a quatro
pessoas: O fundador da Toyota e mestre
de invenções, Sakichi Toyoda, seu filho
Kiichiro Toyoda, primo de Eiji Toyoda que
participou como o executivo impulsionador
do nascimento do STP (Sistema Toyota de
Produção) e o engenheiro chefe da Toyota
Motors Company, o chinês Taiichi Ohno. O
sistema objetiva aumentar a eficiência da
produção pela eliminação contínua de
desperdícios.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 O sistema de produção em massa
desenvolvido por Frederick Taylor e
Henry Ford no início do século XX
predominou no mundo até a década
de 90. Procurava reduzir os custos
unitários dos produtos através da
produção em larga
escala, especialização e divisão do
trabalho.
 Entretanto este sistema tinha que
operar com estoques e lotes de
produção elevados. No início não
havia grande preocupação com a
qualidade do produto.
Conceito
 Já no Sistema Toyota de Produção,
os lotes de produção são pequenos,
permitindo uma maior variedade de
produtos.
 Os trabalhadores são multifuncionais,
ou seja, conhecem outras tarefas
além de sua própria e sabem operar
mais que uma única máquina. No
Sistema Toyota de Produção a
preocupação com a qualidade do
produto é extrema.
Controle de Qualidade
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
A Logística reversa
 É a área da logística que
trata, genericamente, do fluxo físico
de produtos, embalagens ou outros
materiais, desde o ponto de
consumo até ao local de origem.
 Os processos de logística inversa
existem há tempos; entretanto, não
eram tratados e denominados como
tal. Como exemplos de logística
inversa, temos: o retorno das
garrafas (vasilhame),a recolha /
coleta de lixos e resíduos
recicláveis.
 Atualmente é uma preocupação constante
para todas as empresas e organizações
públicas e privadas, tendo quatro grandes
pilares de sustentação: a conscientização
dos problemas ambientais; a sobrelotação
dos aterros; a escassez de matérias-
primas; as políticas e a legislação
ambiental.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 A logística inversa aborda a questão
da recuperação de produtos, parte
de
produtos, embalagens, materiais, de
entre outros, desde o ponto de
consumo até ao local de origem ou
de deposição em local seguro, com o
menor risco ambiental possível.
 Assim, a logística inversa trata de
um tema bastante sensível e muito
oportuno, em que o desenvolvimento
sustentável e as politicas ambientais
são temas de relevo na atualidade.
Questões
 Atualmente a logística não aborda somente os fluxos físicos e
informacionais tradicionais, desde o ponto de origem até o local de
consumo. É muito mais abrangente, envolvendo todos os fluxos
físicos, informacionais, toda a gestão de materiais e toda a
informação inerente, nos dois sentidos, direto.
Conceito
Armazenagem
 É constituída por um conjunto de
funções de
recepção, descarga, carregamento,
arrumação e conservação de
matérias-primas, produtos acabados
ou semiacabados.
 Uma vez que este processo envolve
mercadorias, este apenas produz
resultados quando é realizada uma
operação, nas existências em
trânsito, com o objetivo de lhes
acrescentar valor.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
Gestão de Estoques
 A gestão de estoques é um conceito que
está presente em praticamente todo o tipo
de empresas, assim como na vida
cotidiana das pessoas.
 Desde o início da sua história que a
humanidade tem usado estoques de
variados recursos, de modo a suportar o
seu desenvolvimento e sobrevivência, tais
como ferramentas e alimentos.
 Podem-se constituir estoques com
uma finalidade especulativa,
comprando-se os mesmos a
baixos preços para os vender a
preços altos;
 Para assegurar o consumo regular
de um produto em caso de a sua
produção ser irregular;
 Geralmente, na compra de
grandes quantidades beneficia-se
de uma redução do preço
unitário;
Vantagens de estocar
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 Fragilidade de certos produtos, que não possuem condições de
serem mantidos estocados ou poderão ser mantidos em períodos
muito curtos.
 Custo de posse traduzido no facto de existir material não vendido
que vai acabar por imobilizar capital sem acrescentar valor;
Desvantagens da estocagem
Custos Logísticos
 São todos os custos relacionados
com a logística de uma empresa,
entre os quais se podem destacar
os custos de armazenagem, custos
de existência (stock), custo de
ruptura de stock, custos de
processamento de encomendas e
custos de transporte.
 Os custos logísticos são, geralmente, os segundos mais
importantes, só ultrapassados pelos custos da própria mercadoria.
Por isso, saber gerir esses custos pode ser crucial para a
sobrevivência da empresa.
Custos Logísticos
Gestão de Custos
 A gestão destes custos é feita através do
planeamento de custo ou do pré-cálculo
de custo pois estes permitem determinar
os padrões de custo de produção ou
produto/mercadoria.
 O gestor logístico é responsável pelo
percurso que as matérias-primas efetuam
até chegar ao cliente, sob a forma de
produtos acabados, assim como por toda
a informação e processos envolvidos. Este
deve procurar simplificar as operações de
processamento e marketing de forma a
obter o menor custo.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 A expressão Trade off pode ser
traduzida livremente como
"relação de compromisso" ou
"perde-e-ganha".
 Um trade-off se refere,
geralmente, a perder uma
qualidade ou aspecto de algo,
mas ganhando em troca outra
qualidade ou aspecto. Isso implica
que uma decisão seja feita com
completa compreensão tanto do
lado bom, quanto do lado ruim de
uma escolha em particular.
Trade Off
A Gestão da Cadeia de Suprimentos
 É o gerenciamento de uma rede
interligada de negócios envolvidos
na provisão final de pacotes
produto e serviço requeridos por
clientes finais.
 Abrange todo o movimento e
armazenamento de matéria
prima, trabalho em processo de
inventário, e produtos acabados do
ponto de origem até o ponto de
consumo (cadeia de suprimentos).
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 A logística de produção de uma indústria, também conhecida como
PPCP (Planeamento, Programação e Controle da Produção) é um
segmento da indústria automatizada, que trata da gestão e controle
de mão-de-obra, material e informação no processo produtivo.
Logística Produtiva
Planejamento e Controle
 Devido à grande complexidade que as
grandes plataformas industriais
apresentam, dada à enorme quantidade
de materiais, operários e máquinas, a
gestão destes recursos é feita
maioritariamente por computador.
 São estes processos logísticos contínuos
de controlo da produção e também das
encomendas, que se dá o nome de
logística de produção.
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
 Uma logística de produção
eficiente resulta em tempo e
dinheiro ganho na produção.
 Esta área é, assim, essencial para
o sucesso de empresas na
economia de mercado global, que
hoje existe, uma vez que se
preocupa com o aperfeiçoamento
de tarefas fabris, quer pela adição
de processos mais eficazes, quer
pela eliminação de outros
desnecessários.
Sobre a área
Tópicos Especiais
de Logística Integrada
Este material apresenta o conceito de diversas ferramentas e
sistemas que podem auxiliar no gerenciamento de um processo
logístico mais eficiente, tais como a abordagem o gerenciamento
da cadeia baseado na demanda e a logística reversa.
Curso
LOGISTICA http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
Conteúdo
Aula 1: Introdução à abordagem Lean na logística
Aula 2: Abordagem Lean na logística - ferramentas utilizadas
Aula 3: Logística reversa
Aula 4: Estabelecendo o relacionamento da logística com a demanda
Aula 5: Arquitetura da cadeia de suprimentos
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
Aula Demonstrativa
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
Aprenda com prazer!
Mais de 250 cursos para você.
 Aulas 100% on-line
 Suporte On-line
 Relatório de Aproveitamento
 Certificado válido em todo Brasil
 Pagamento único e sem mensalidades
 Prazo de acesso 4 meses
ASSINE JÁ
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
A Gestão da Cadeia de
Suprimentos
Confira alguns dos nossos cursos :
Gestão de Logística e
Operações
Logística Empresarial
Gerenciamento De Custos E
Riscos
Gestão Dos Canais De
Distribuição
Logística: Fundamentos e
Processos
Gestão de Estoques e
Operações Industriais
Gestão Estratégica De
Transportes E Distribuição
Planejamento De Cenários
Logísticos
curtircursos
@curtircursos
curtircursos.blogspot.com
http://curtircursos.nossoscursos.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesAula de controle de estoques
Aula de controle de estoques
Moises Ribeiro
 
Introdução logistica
Introdução logisticaIntrodução logistica
Introdução logistica
JAILTONBORGES
 

Mais procurados (20)

Apresentação sobre Logística
Apresentação sobre LogísticaApresentação sobre Logística
Apresentação sobre Logística
 
Logística Empresarial
Logística EmpresarialLogística Empresarial
Logística Empresarial
 
Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
 
Cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentosCadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
 
Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
 
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de EstoqueApresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
 
LOGÍSTICA & OPERAÇÕES / CADEIA DE ABASTECIMENTO
LOGÍSTICA & OPERAÇÕES / CADEIA DE ABASTECIMENTOLOGÍSTICA & OPERAÇÕES / CADEIA DE ABASTECIMENTO
LOGÍSTICA & OPERAÇÕES / CADEIA DE ABASTECIMENTO
 
Aula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesAula de controle de estoques
Aula de controle de estoques
 
1 slides - conceitos logísticos
1   slides - conceitos logísticos1   slides - conceitos logísticos
1 slides - conceitos logísticos
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 
Aula Compras
Aula ComprasAula Compras
Aula Compras
 
Distribuição e Transporte
Distribuição e TransporteDistribuição e Transporte
Distribuição e Transporte
 
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De InformaçãoLogística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
 
Canais de distribuicao
Canais de distribuicaoCanais de distribuicao
Canais de distribuicao
 
Introdução logistica
Introdução logisticaIntrodução logistica
Introdução logistica
 
Aula 7 logística reversa
Aula 7   logística reversaAula 7   logística reversa
Aula 7 logística reversa
 
07 aula armazenagem l
07 aula armazenagem l07 aula armazenagem l
07 aula armazenagem l
 
Planejamento de Compras
Planejamento de ComprasPlanejamento de Compras
Planejamento de Compras
 
01 aula introdução a logística
01 aula introdução a logística01 aula introdução a logística
01 aula introdução a logística
 
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
 

Destaque

01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
Aline Trevisol
 
Logística integrada
Logística  integradaLogística  integrada
Logística integrada
Edilene
 
Fundamentos da logistica
Fundamentos da logisticaFundamentos da logistica
Fundamentos da logistica
lopes22
 
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e DistribuiçãoSistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Aline
 
Fundamentos da logistica[1]
Fundamentos da logistica[1]Fundamentos da logistica[1]
Fundamentos da logistica[1]
JAILTONBORGES
 

Destaque (20)

Logística - princípios básicos
Logística - princípios básicosLogística - princípios básicos
Logística - princípios básicos
 
01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
 
Aulas logística 1
Aulas logística 1Aulas logística 1
Aulas logística 1
 
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
Logística - Logística e Cadeia de Suprimentos - instagram.com/cursos_de_logis...
 
Logistica slide
Logistica slideLogistica slide
Logistica slide
 
Aula 2 - Curso introdução logística - Deleon
Aula 2 - Curso introdução logística - DeleonAula 2 - Curso introdução logística - Deleon
Aula 2 - Curso introdução logística - Deleon
 
Logistica
LogisticaLogistica
Logistica
 
Cadeia de Suprimentos
Cadeia de SuprimentosCadeia de Suprimentos
Cadeia de Suprimentos
 
Palestra Logistica
Palestra LogisticaPalestra Logistica
Palestra Logistica
 
Logística integrada apostila
Logística integrada   apostilaLogística integrada   apostila
Logística integrada apostila
 
Logistica
LogisticaLogistica
Logistica
 
Logística Empresarial Cadeia De Suprimentos
Logística Empresarial Cadeia De SuprimentosLogística Empresarial Cadeia De Suprimentos
Logística Empresarial Cadeia De Suprimentos
 
Logística integrada
Logística  integradaLogística  integrada
Logística integrada
 
Fundamentos da logistica
Fundamentos da logisticaFundamentos da logistica
Fundamentos da logistica
 
Logistica de Transportes - Slides
Logistica de Transportes - SlidesLogistica de Transportes - Slides
Logistica de Transportes - Slides
 
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e DistribuiçãoSistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
Sistemas de Gestão da Cadeia de Suprimentos e Distribuição
 
04 cadeia de suprimentos
04 cadeia de suprimentos04 cadeia de suprimentos
04 cadeia de suprimentos
 
Logística Empresarial - Módulo I
Logística Empresarial - Módulo ILogística Empresarial - Módulo I
Logística Empresarial - Módulo I
 
SUPPLY CHAIN MANAGEMENT * P R Bertaglia
SUPPLY CHAIN MANAGEMENT * P R BertagliaSUPPLY CHAIN MANAGEMENT * P R Bertaglia
SUPPLY CHAIN MANAGEMENT * P R Bertaglia
 
Fundamentos da logistica[1]
Fundamentos da logistica[1]Fundamentos da logistica[1]
Fundamentos da logistica[1]
 

Semelhante a Logistica

Apresentação do Curso de Logística
Apresentação do Curso de LogísticaApresentação do Curso de Logística
Apresentação do Curso de Logística
Charlie Junior
 
Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.
Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.
Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.
B&R Consultoria Empresarial
 
Artigo científico transporte centro de distribuição e operador logístico
Artigo científico transporte centro de distribuição e operador logísticoArtigo científico transporte centro de distribuição e operador logístico
Artigo científico transporte centro de distribuição e operador logístico
ANDERSON TADEU BERNI
 
Supply chain management
Supply chain managementSupply chain management
Supply chain management
nellvercinne
 

Semelhante a Logistica (20)

Apresentação do Curso de Logística
Apresentação do Curso de LogísticaApresentação do Curso de Logística
Apresentação do Curso de Logística
 
Aula 3 Logistica Integrada.pdf
Aula 3 Logistica Integrada.pdfAula 3 Logistica Integrada.pdf
Aula 3 Logistica Integrada.pdf
 
Tl fundamentos da_log_s03
Tl fundamentos da_log_s03Tl fundamentos da_log_s03
Tl fundamentos da_log_s03
 
Scm
ScmScm
Scm
 
Aula 2 cã³pia
Aula 2   cã³piaAula 2   cã³pia
Aula 2 cã³pia
 
Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.
Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.
Gestão de logística enxuta, ajuda a gerenciar custos industriais.
 
LOGÍSTICA
LOGÍSTICALOGÍSTICA
LOGÍSTICA
 
almoxarife.pptx
almoxarife.pptxalmoxarife.pptx
almoxarife.pptx
 
Supply chain management
Supply chain managementSupply chain management
Supply chain management
 
Logística de suprimentos
Logística de suprimentosLogística de suprimentos
Logística de suprimentos
 
Tecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logísticaTecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logística
 
Consultoria Logística
Consultoria LogísticaConsultoria Logística
Consultoria Logística
 
Sistemas de informações
Sistemas de informaçõesSistemas de informações
Sistemas de informações
 
Adm. mat. patrimoniais slide 5
Adm. mat. patrimoniais   slide 5Adm. mat. patrimoniais   slide 5
Adm. mat. patrimoniais slide 5
 
Trabalho wms
Trabalho wmsTrabalho wms
Trabalho wms
 
Artigo científico transporte centro de distribuição e operador logístico
Artigo científico transporte centro de distribuição e operador logísticoArtigo científico transporte centro de distribuição e operador logístico
Artigo científico transporte centro de distribuição e operador logístico
 
O sistema mizu
O sistema mizuO sistema mizu
O sistema mizu
 
Supply chain management
Supply chain managementSupply chain management
Supply chain management
 
O sistema mizu
O sistema mizuO sistema mizu
O sistema mizu
 
Custos De Armazenagem
Custos De ArmazenagemCustos De Armazenagem
Custos De Armazenagem
 

Mais de Studiesfree

Dossiê esporte cap2
Dossiê esporte cap2Dossiê esporte cap2
Dossiê esporte cap2
Studiesfree
 
Dossiê esporte cap1
Dossiê esporte cap1Dossiê esporte cap1
Dossiê esporte cap1
Studiesfree
 
Infraero copa alacpa_2011
Infraero copa alacpa_2011Infraero copa alacpa_2011
Infraero copa alacpa_2011
Studiesfree
 
Pesquisa muitoalemfutebol
Pesquisa muitoalemfutebolPesquisa muitoalemfutebol
Pesquisa muitoalemfutebol
Studiesfree
 
Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011
Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011
Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011
Studiesfree
 
Visa gastos copa
Visa gastos copaVisa gastos copa
Visa gastos copa
Studiesfree
 
Fifa%20 sponsors
Fifa%20 sponsorsFifa%20 sponsors
Fifa%20 sponsors
Studiesfree
 
Fifa%20 world%20cup%20rights%20deals
Fifa%20 world%20cup%20rights%20dealsFifa%20 world%20cup%20rights%20deals
Fifa%20 world%20cup%20rights%20deals
Studiesfree
 
Ernest young copa 2014
Ernest young copa 2014Ernest young copa 2014
Ernest young copa 2014
Studiesfree
 
Economia copa f gv
Economia copa f gvEconomia copa f gv
Economia copa f gv
Studiesfree
 
Brazilian market watch_2011
Brazilian market watch_2011Brazilian market watch_2011
Brazilian market watch_2011
Studiesfree
 
Demonstração agnelo piva
Demonstração agnelo pivaDemonstração agnelo piva
Demonstração agnelo piva
Studiesfree
 
Copa 2010 jogos_pnt
Copa 2010 jogos_pntCopa 2010 jogos_pnt
Copa 2010 jogos_pnt
Studiesfree
 

Mais de Studiesfree (19)

Gestão financeira
Gestão financeiraGestão financeira
Gestão financeira
 
Tópicos em recursos humanos
Tópicos em recursos humanosTópicos em recursos humanos
Tópicos em recursos humanos
 
Introdução a economia
Introdução a economiaIntrodução a economia
Introdução a economia
 
Dossiê esporte cap2
Dossiê esporte cap2Dossiê esporte cap2
Dossiê esporte cap2
 
Dossiê esporte cap1
Dossiê esporte cap1Dossiê esporte cap1
Dossiê esporte cap1
 
Infraero copa alacpa_2011
Infraero copa alacpa_2011Infraero copa alacpa_2011
Infraero copa alacpa_2011
 
Pesquisa muitoalemfutebol
Pesquisa muitoalemfutebolPesquisa muitoalemfutebol
Pesquisa muitoalemfutebol
 
Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011
Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011
Relatorio kpmg-vulcabras-2010-ifrs-01.03.2011
 
Ibobe esportes
Ibobe   esportesIbobe   esportes
Ibobe esportes
 
Visa gastos copa
Visa gastos copaVisa gastos copa
Visa gastos copa
 
Fifa%20 sponsors
Fifa%20 sponsorsFifa%20 sponsors
Fifa%20 sponsors
 
Fifa%20 world%20cup%20rights%20deals
Fifa%20 world%20cup%20rights%20dealsFifa%20 world%20cup%20rights%20deals
Fifa%20 world%20cup%20rights%20deals
 
Ernest young copa 2014
Ernest young copa 2014Ernest young copa 2014
Ernest young copa 2014
 
Economia copa f gv
Economia copa f gvEconomia copa f gv
Economia copa f gv
 
Brazilian market watch_2011
Brazilian market watch_2011Brazilian market watch_2011
Brazilian market watch_2011
 
Fcbarcelona
FcbarcelonaFcbarcelona
Fcbarcelona
 
Demonstração agnelo piva
Demonstração agnelo pivaDemonstração agnelo piva
Demonstração agnelo piva
 
Copa 2010 jogos_pnt
Copa 2010 jogos_pntCopa 2010 jogos_pnt
Copa 2010 jogos_pnt
 
Copa do mundo kpmg
Copa do mundo kpmgCopa do mundo kpmg
Copa do mundo kpmg
 

Último

CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdfCRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
Senior Consultoria em Gestão e Marketing
 
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
Renandantas16
 

Último (6)

Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxProfissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
 
GLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto Economico
GLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto EconomicoGLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto Economico
GLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto Economico
 
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdfCRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
 
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
 
7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf
7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf
7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 

Logistica

  • 1.
  • 3. INDEX  Logística Integrada  TI na Gestão de Suprimentos  Planejamento de Cenários Logísticos  Fundamentos e Processos Logísticos  Logística Empresarial  Gestão Estratégica de Transportes  Gestão de Canais de Distribuição  Gestão da Tecnologia e Inovação  Gestão de Produção e Operações  Gestão de Estoques http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 4. Lean Manufacturing  Traduzível como manufatura enxuta ou manufatura esbelta, e também chamado de Sistema Toyota de Produção é uma filosofia de gestão focada na redução dos sete tipos de desperdícios (superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos).  Eliminando esses desperdícios, a qualidade melhora e o tempo e custo de produção diminuem. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 5.  Qualidade total imediata - ir em busca do "zero defeito", e detecção e solução dos problemas em sua origem.  Minimização do desperdício - eliminação de todas as atividades que não têm valor agregado e redes de segurança, otimização do uso dos recursos escassos (capital, pessoas e espaço).  Melhoria contínua - redução de custos, melhoria da qualidade, aumento da produtividade e compartilhamento da informação Definições
  • 6.  Processos "pull" - os produtos são retirados pelo cliente final, e não empurrados para o fim da cadeia de produção.  Flexibilidade - produzir rapidamente diferentes lotes de grande variedade de produtos, sem comprometer a eficiência devido a volumes menores de produção.  Construção e manutenção de uma relação a longo prazo com os fornecedores tomando acordos para compartilhar o risco, os custos e a informação. Conceitos http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 7.  A globalização e o ciclo de vida curto dos produtos obriga as empresas a inovarem rapidamente as suas técnicas de gestão. Os produtos rapidamente se tornam commodities, quer em termos de características intrínsecas do próprio produto, quer pelo preço, pelo que cada vez mais a aposta na diferenciação deve passar pela optimização dos serviços, superando a expectativa de seus clientes com atendimentos rápidos e eficazes. Logística Integrada
  • 8. A Tecnologia de Informação  É a área de conhecimento responsável por criar, administrar e manter a gestão da informação através de dispositivos e equipamentos para acesso, operação e armazenamento dos dados, de forma a gerar informações para tomada de decisão. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 9.  O desenvolvimento cada vez mais rápido de novas tecnologias de informação modificou as bibliotecas e os centros de documentação (principais locais de armazenamento de informação), introduzindo novas formas de organização e acesso aos dados e obras armazenadas; reduziu custos e acelerou a produção dos jornais e possibilitou a formação instantânea de redes televisivas de âmbito mundial. TI e Custos Logísticos
  • 10.  É a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema de Informação Computadorizado), ou seja manual, que abrange pessoas, máquinas, e/ou métodos organizados para coletar, processar, transmitir e disseminar dados que representam informação para o usuário e/ou cliente. Sistema de Informação http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 11.  no nível estratégico, quando uma ação é suscetível de aumentar a coerência entre a organização e o meio envolvente, que por sua vez se traduz num aumento de eficácia em termos de cumprimento da missão organizacional;  nos níveis operacional e administrativo, quando existem efeitos endógenos, traduzidos em aumento da eficiência organizacional em termos de opções estratégicas. TI: Um recursos valioso
  • 12. Custos Logísticos  São todos os custos relacionados com a logística de uma empresa, entre os quais se podem destacar os custos de armazenagem, custos de estoque, custo de ruptura de estoque, custos de processamento de encomendas e custos de transporte.  Os custos logísticos são, geralmente, os segundos mais importantes, só ultrapassados pelos custos da própria mercadoria.
  • 13.  As taxas de transporte refletem o risco associado à movimentação de bens. Há normalmente uma maior probabilidade de danificação no caso de produtos com maior valor em relação à moeda.  Os custos de reembolso por parte da empresa de transporte nestas situações são também muito mais elevados. Custos de Transporte
  • 14. Custos de Armazenagem  Aumentam igualmente com o aumento do valor do produto. Produtos de maior valor geralmente significam maior capital investido nas existências e custos de capital total mais elevados.  Além disso, o fator de risco de armazenagem associado a produtos de maior valor aumenta a possibilidade de obsolescência e desvalorização. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 15. Densidade do Produto  Outro fator que afeta os custos logísticos é a densidade do produto, isto é, o seu peso/espaço. Um produto que tenha um baixo peso em relação ao espaço que ocupa tem um baixo valor de densidade.  A densidade influencia os custos de transporte e armazenagem: à medida que a densidade do produto aumenta, os custos logísticos associados tendem a diminuir.
  • 16. Suprimento  É o item administrado, movimentado, armazenad o, processado e transportado pela logística. O termo nasceu junto com a logística, derivado da palavra cadeia de suprimentos utilizado para definir diversos materiais.
  • 17.  Na logística os suprimentos são os atores principais de toda a cadeia, são com base nas características dos suprimentos, que a logística define seus parâmetros de lead time, tipos de embalagem, as características dos equipamentos de movimentação, modais de transporte, áreas de armazenamento e os recursos humanos e financeiros necessários. Definições
  • 18.  Matérias-primas necessárias para fabricação de um produto;  Equipamentos ou peças de composição de um produto;  Peças de reposição de equipamentos;  Os produtos de um comércio/serviço;  Mix de produtos de um varejista;  Materiais de apoio da produção;  Informação;  Mão de Obra;  Alimentos;  Material para reciclagem;  Materiais não-produtivos; e Classificações dos Suprimentos http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 19.  A globalização e o ciclo de vida curto dos produtos obriga as empresas a inovarem rapidamente as suas técnicas de gestão. Os produtos rapidamente se tornam commodities, quer em termos de características intrínsecas do próprio produto, quer pelo preço, pelo que cada vez mais a aposta na diferenciação deve passar pela optimização dos serviços, superando a expectativa de seus clientes com atendimentos rápidos e eficazes. Logística Integrada
  • 20. Cadeia de Valor  Representa o conjunto de atividades desempenhadas por uma organização desde as relações com os fornecedores e ciclos de produção e de venda até à fase da distribuição final.  Ao decompor uma organização nas suas atividades de relevância estratégica, torna-se possível analisar o comportamento dos custos e as fontes existentes assim como potenciais de diferenciação em cada processo de negócio, otimizando o valor final que o seu produto representa para o cliente.
  • 21.  O termo logística vem do grego logos (λόγος), significando "discurso, razão, rácio, racionalidade, lingu agem, frase", mais especificamente da palavra grega logistiki (λογιστική), significando contabilidade e organização financeira.  Foi inicialmente usado para descrever a ciência da movimentação, suprimento e manutenção de forças militares no terreno. Posteriormente foi usado para descrever a gestão do fluxo de materiais numa organização, desde a matéria-prima até aos produtos acabados. Definições
  • 22.  A globalização e o ciclo de vida curto dos produtos obriga as empresas a inovarem rapidamente as suas técnicas de gestão. Os produtos rapidamente se tornam commodities, quer em termos de características intrínsecas do próprio produto, quer pelo preço, pelo que cada vez mais a aposta na diferenciação deve passar pela optimização dos serviços, superando a expectativa de seus clientes com atendimentos rápidos e eficazes. Logística Integrada http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 23.  O WMS- literalmente: sistema de automação e gerenciamento de depósitos, armazéns e linhas de produção. O WMS é uma parte importante da cadeia de suprimentos (ou supply chain) e fornece a rotação dirigida de estoques, diretivas inteligentes de picking, consolidação automática e cross-docking para maximizar o uso do valioso espaço do armazéns. Warehouse Management System
  • 24. TMS (Transportation Management System)  ou Sistema de Gerenciamento de Transporte, é um software para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição.  Este sistema permite controlar toda a operação e gestão de transportes de forma integrada. O sistema é desenvolvido em módulos que podem ser adquiridos pelo cliente, consoante as suas necessidades.
  • 25.  Este sistema controla os processos de um transportador, abrangendo as áreas comerciais, operacionais, sac, segu ros, faturamento, financeira e logística.  Um TMS visa ser integrado com um sistema de ERP, desta forma ao emitir um CT-e ou NFS-e, por exemplo, a integração financeira, fiscal e contábil ocorrerá automaticamente Definições
  • 26.  Identificar e controlar os custos inerentes a cada operação, sendo importante identificar e medir os custos de cada elemento existente na cadeia de transporte, a qual envolve não só o veículo em si, mas também a gestão dos recursos humanos e materiais, o controle das cargas, os custos de manutenção da frota e índices de discrepâncias nas entregas, bem como as diversas tabelas de fretes existentes (peso, valor, volume) apresentando o modelo que melhor se ajusta.. Finalidades http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 27.  Manutenção  Suprimentos  Controle de fretes de terceiros  Operação  Faturamento do transporte  Custos  Controle de Manutenção de Frota  Controle de Estoque  Planejamento  Rastreamento  Expedição Funcionalidades
  • 28. Trade Marketing  É uma parte importante na estratégia de marketing das organizações que planejam maximizar as vendas e a diferenciação dos seus produtos e serviços nos pontos-de-venda.  É uma disciplina de marketing que orienta o desenvolvimento das relações entre fabricantes, ou prestadores de serviços, e os canais de venda, pelo entendimento das necessidades entre marcas, pontos- de-venda e consumidores.
  • 29.  O trade marketing analisa os hábitos e preferências dos consumidores para o sucesso das estratégias de marketing e vendas.  Define quais canais de mídias serão utilizados, que produtos desenvolvidos e que canais de comercialização para atender as preferências de consumo do público-alvo. Definições
  • 30.  Um dos processos da logística responsável pela administração dos materiais a partir da saída do produto da linha de produção até a entrega do produto no destino final.  Após o produto pronto ele tipicamente é encaminhado ao distribuidor. O distribuidor por sua vez vende o produto para um varejista e em seguida aos consumidores finais. Distribuição http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 31.  O marketing vê que a Distribuição é um dos processos mais críticos, pois problemas como o atraso na entrega são refletidos diretamente no cliente.  A partir do momento que o produto é vendido a Distribuição se torna uma atividade de front office e ela é capaz de trazer benefícios e problemas resultantes de sua atuação Distribuição e Marketing
  • 32. Logística Colaborativa  Os operadores logísticos trabalham com o desafio constante de desenvolver novos conceitos e estratégias para satisfazer o cliente com valores competitivos e dentro da realidade de mercado, oferecendo um serviço de alta qualidade a um baixo custo.  Assim surge a Logística Colaborativa que consiste na colaboração entre os parceiros da cadeia logística, sejam eles fornecedores, clientes ou outros integrantes.
  • 33.  Todos trabalhando e colaborando no projeto ou serviço em questão. Esta parceria caracteriza-se pelo alto grau de compromisso entre todos os envolvidos, estando sempre focada na eficácia dos serviços prestados, eliminando desperdícios e otimizando equipamentos, mão-de-obra e recursos empregados.  Esta parceria é também caracterizada pela ajuda mútua, sendo obtidas melhorias significativas que são comuns a todos os elos da cadeia colaborativa.
  • 34.  A logística tem a função de promover uma perfeita coordenação de atividades dentro da cadeia de valor produzindo o lucro desejado.  A cadeia de abastecimento poderá relacionar-se com fornecedores tornando-se numa arma estratégica muito significativa, pois cadeias de abastecimento comprometidas com a transparência dos negócios alcançam reduções de custos, uma ampla gestão das informações e diminuem o tempo do fluxo financeiro do sistema. Cadeia de Abastecimento http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 35.  Produção Just in time  Estoques mínimos em processo  Fabrica e fornecedores próximos  Produção nivelada  Racionalização do processo  Especialização da mão-de-obra  Melhorias continuas Princípios de Produção Enxuta
  • 36. Gestão de Produção e Operações http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 37. Sistema Toyota de Produção  Surgiu no Japão, na fábrica de automóveis Toyota, logo após a Segunda Guerra Mundial.  Naquela época a indústria japonesa tinha uma produtividade muito baixa e uma enorme falta de recursos, o que a impedia de adotar o modelo da produção em massa.  O Sistema Toyota de Produção também é chamado de Produção enxuta ou Lean Manufacturing.
  • 38.  A criação do Sistema Toyota de Produção se deve, principalmente, a quatro pessoas: O fundador da Toyota e mestre de invenções, Sakichi Toyoda, seu filho Kiichiro Toyoda, primo de Eiji Toyoda que participou como o executivo impulsionador do nascimento do STP (Sistema Toyota de Produção) e o engenheiro chefe da Toyota Motors Company, o chinês Taiichi Ohno. O sistema objetiva aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 39.  O sistema de produção em massa desenvolvido por Frederick Taylor e Henry Ford no início do século XX predominou no mundo até a década de 90. Procurava reduzir os custos unitários dos produtos através da produção em larga escala, especialização e divisão do trabalho.  Entretanto este sistema tinha que operar com estoques e lotes de produção elevados. No início não havia grande preocupação com a qualidade do produto. Conceito
  • 40.  Já no Sistema Toyota de Produção, os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos.  Os trabalhadores são multifuncionais, ou seja, conhecem outras tarefas além de sua própria e sabem operar mais que uma única máquina. No Sistema Toyota de Produção a preocupação com a qualidade do produto é extrema. Controle de Qualidade http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 41. A Logística reversa  É a área da logística que trata, genericamente, do fluxo físico de produtos, embalagens ou outros materiais, desde o ponto de consumo até ao local de origem.  Os processos de logística inversa existem há tempos; entretanto, não eram tratados e denominados como tal. Como exemplos de logística inversa, temos: o retorno das garrafas (vasilhame),a recolha / coleta de lixos e resíduos recicláveis.
  • 42.  Atualmente é uma preocupação constante para todas as empresas e organizações públicas e privadas, tendo quatro grandes pilares de sustentação: a conscientização dos problemas ambientais; a sobrelotação dos aterros; a escassez de matérias- primas; as políticas e a legislação ambiental. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 43.  A logística inversa aborda a questão da recuperação de produtos, parte de produtos, embalagens, materiais, de entre outros, desde o ponto de consumo até ao local de origem ou de deposição em local seguro, com o menor risco ambiental possível.  Assim, a logística inversa trata de um tema bastante sensível e muito oportuno, em que o desenvolvimento sustentável e as politicas ambientais são temas de relevo na atualidade. Questões
  • 44.  Atualmente a logística não aborda somente os fluxos físicos e informacionais tradicionais, desde o ponto de origem até o local de consumo. É muito mais abrangente, envolvendo todos os fluxos físicos, informacionais, toda a gestão de materiais e toda a informação inerente, nos dois sentidos, direto. Conceito
  • 45. Armazenagem  É constituída por um conjunto de funções de recepção, descarga, carregamento, arrumação e conservação de matérias-primas, produtos acabados ou semiacabados.  Uma vez que este processo envolve mercadorias, este apenas produz resultados quando é realizada uma operação, nas existências em trânsito, com o objetivo de lhes acrescentar valor. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 46. Gestão de Estoques  A gestão de estoques é um conceito que está presente em praticamente todo o tipo de empresas, assim como na vida cotidiana das pessoas.  Desde o início da sua história que a humanidade tem usado estoques de variados recursos, de modo a suportar o seu desenvolvimento e sobrevivência, tais como ferramentas e alimentos.
  • 47.  Podem-se constituir estoques com uma finalidade especulativa, comprando-se os mesmos a baixos preços para os vender a preços altos;  Para assegurar o consumo regular de um produto em caso de a sua produção ser irregular;  Geralmente, na compra de grandes quantidades beneficia-se de uma redução do preço unitário; Vantagens de estocar http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 48.  Fragilidade de certos produtos, que não possuem condições de serem mantidos estocados ou poderão ser mantidos em períodos muito curtos.  Custo de posse traduzido no facto de existir material não vendido que vai acabar por imobilizar capital sem acrescentar valor; Desvantagens da estocagem
  • 49. Custos Logísticos  São todos os custos relacionados com a logística de uma empresa, entre os quais se podem destacar os custos de armazenagem, custos de existência (stock), custo de ruptura de stock, custos de processamento de encomendas e custos de transporte.
  • 50.  Os custos logísticos são, geralmente, os segundos mais importantes, só ultrapassados pelos custos da própria mercadoria. Por isso, saber gerir esses custos pode ser crucial para a sobrevivência da empresa. Custos Logísticos
  • 51. Gestão de Custos  A gestão destes custos é feita através do planeamento de custo ou do pré-cálculo de custo pois estes permitem determinar os padrões de custo de produção ou produto/mercadoria.  O gestor logístico é responsável pelo percurso que as matérias-primas efetuam até chegar ao cliente, sob a forma de produtos acabados, assim como por toda a informação e processos envolvidos. Este deve procurar simplificar as operações de processamento e marketing de forma a obter o menor custo. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 52.  A expressão Trade off pode ser traduzida livremente como "relação de compromisso" ou "perde-e-ganha".  Um trade-off se refere, geralmente, a perder uma qualidade ou aspecto de algo, mas ganhando em troca outra qualidade ou aspecto. Isso implica que uma decisão seja feita com completa compreensão tanto do lado bom, quanto do lado ruim de uma escolha em particular. Trade Off
  • 53. A Gestão da Cadeia de Suprimentos  É o gerenciamento de uma rede interligada de negócios envolvidos na provisão final de pacotes produto e serviço requeridos por clientes finais.  Abrange todo o movimento e armazenamento de matéria prima, trabalho em processo de inventário, e produtos acabados do ponto de origem até o ponto de consumo (cadeia de suprimentos). http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 54.  A logística de produção de uma indústria, também conhecida como PPCP (Planeamento, Programação e Controle da Produção) é um segmento da indústria automatizada, que trata da gestão e controle de mão-de-obra, material e informação no processo produtivo. Logística Produtiva
  • 55. Planejamento e Controle  Devido à grande complexidade que as grandes plataformas industriais apresentam, dada à enorme quantidade de materiais, operários e máquinas, a gestão destes recursos é feita maioritariamente por computador.  São estes processos logísticos contínuos de controlo da produção e também das encomendas, que se dá o nome de logística de produção. http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 56.  Uma logística de produção eficiente resulta em tempo e dinheiro ganho na produção.  Esta área é, assim, essencial para o sucesso de empresas na economia de mercado global, que hoje existe, uma vez que se preocupa com o aperfeiçoamento de tarefas fabris, quer pela adição de processos mais eficazes, quer pela eliminação de outros desnecessários. Sobre a área
  • 57. Tópicos Especiais de Logística Integrada Este material apresenta o conceito de diversas ferramentas e sistemas que podem auxiliar no gerenciamento de um processo logístico mais eficiente, tais como a abordagem o gerenciamento da cadeia baseado na demanda e a logística reversa. Curso LOGISTICA http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 58. Conteúdo Aula 1: Introdução à abordagem Lean na logística Aula 2: Abordagem Lean na logística - ferramentas utilizadas Aula 3: Logística reversa Aula 4: Estabelecendo o relacionamento da logística com a demanda Aula 5: Arquitetura da cadeia de suprimentos http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 60. Aprenda com prazer! Mais de 250 cursos para você.  Aulas 100% on-line  Suporte On-line  Relatório de Aproveitamento  Certificado válido em todo Brasil  Pagamento único e sem mensalidades  Prazo de acesso 4 meses ASSINE JÁ http://curtircursos.nossoscursos.com.br/
  • 61. A Gestão da Cadeia de Suprimentos Confira alguns dos nossos cursos : Gestão de Logística e Operações Logística Empresarial Gerenciamento De Custos E Riscos Gestão Dos Canais De Distribuição Logística: Fundamentos e Processos Gestão de Estoques e Operações Industriais Gestão Estratégica De Transportes E Distribuição Planejamento De Cenários Logísticos