SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
AULA 17
TORRE DE PERFURAÇÃO
E
EQUIPAMENTOS
Torres de perfuração e seus equipamentos
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Sustentação de Cargas
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Guincho
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Guincho
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Bloco de Coroamento
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Catarina
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Gancho
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Swivel
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
 O elevador é um equipamento com a forma de anel
bipartido em que as duas partes são ligadas por dobradiça
resistentes, contendo um trinco especial para o seu
fechamento. É utilizado para movimentar elementos tubulares
- tubos de perfuração e comandos.
Elevador
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
 É um cabo de aço trançado em torno de um núcleo ou
alma, sendo que cada trança é formada por diversos fios
pequeno diâmetro de aço especial. O cabo proveniente do
carretel é passado e fixado numa âncora situada próxima a
torre, onde se encontra um sensor para medir a tensão no
cabo, a qual está relacionada com peso total sustentado pelo
guincho. Daí, ele é passado no sistema bloco-catarina e
enrolado e fixado no tambor do guincho.
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Cabo de Perfuração
Sistema de Rotação
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
 Nas sondas convencionais, a coluna de perfuração é girada pela mesa rotativa
localizada na plataforma da sonda. A rotação é transmitida a um tubo de
parede externa poligonal, o kelly, que fica enroscado no topo da coluna de
perfuração. Nas sondas equipadas com top drive a rotação é transmitida
diretamente ao topo da coluna de perfuração por um motor acoplado à
catarina. O conjunto desliza em trilhos à torre, onde o torque devido à
rotação da coluna é absorvido.
 Existe ainda a possibilidade de se perfurar com um motor de fundo, colocado
logo acima da broca. O torque necessário é gerado pela passagem do fluido
de perfuração no seu interior. Este motor pode ser de deslocamento positivo
ou uma turbina .
 O sistema de rotação convencional é constituído de equipamentos que
promovem ou permitem a livre rotação da coluna de perfuração. São eles:
mesa rotativa, o kelly e cabeça de circulação ou swivel.
Sistema de Rotação
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Rotação
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Rotação
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Motor de Fundo
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
 Neste caso um motor hidráulico tipo turbina ou de deslocamento positivo
é colocado acima da broca. O giro só se dá na parte inferior do motor de
fundo da broca. Assim, este tipo de equipamento é largamente
empregado na perfuração de poços direcionais, poços nos quais o objetivo
a ser atingido não se encontra necessariamente sob a mesma vertical que
passa pela sonda de perfuração. Como a coluna de perfuração não gira, o
toque imposto a ela é nulo e seu desgaste fica bastante reduzido.
Motor de Fundo
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Circulação, Tanques e Bombas de Lama
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Circulação
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Segurança do Poço
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
 Kick: Uma pressão de poros muito elevada pode acarretar
produção indesejada e descontrolada de fluidos para o
numa
poço,
provocando um Kick ou Blow-out, que pode gerar sérios danos à sonda,
à equipe que nela trabalha e ao meio ambiente. Se, ao contrário, ela for
muito baixa pode ocorrer perda de circulação, com influxo do fluido de
perfuração para dentro da rocha. Se não detectada rapidamente haverá
redução no nível de lama no poço, com diminuição da pressão
hidrostática exercida e risco de Kick num outro trecho do poço que
tenha maior gradiente de pressão.
 O Kick pode ser detectado a partir dos seguintes indícios:
 A invasão dos fluidos da formação para dentro do poço.
 Aumento de vazão de retorno.
 Ocorre quando a hidrostática do fluido de perfuração fica menor que a
pressão do reservatório.
Sistema de Segurança do Poço
A condição acima pode ser provocada por:
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
 Perfuração não prevista de zonas com pressão anormalmente alta.
 Lama cortada por gás.
 Não abastecimento do poço durante as manobras (Trip Tank).
 Pistoneio.
Indícios de Kick:
 Poço em fluxo com as bombas desligadas.
 Aumento do volume da lama nos tanques.
 Aumento da taxa de penetração.
 Aumento da velocidade das bombas.
Sistema de Segurança do Poço
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Controle de Kick:
 Fechamento do poço (BOP) na primeira suspeita.
 Leitura das pressões na cabeça (SIDPP E SICP).
 Expulsão do fluido invasor mantendo pressão constante no fundo.
 Substituição do fluido de perfuração por outro mais pesado mantendo pressão
constante no fundo.
 Retirada de possível gás trapeado abaixo da gaveta do BOP.
 O controle da pressão no fundo á efeito através de ajustes no choke.
 Menor pressão de circulação.
Sistema de Segurança do Poço
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Segurança do Poço
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
Sistema de Segurança do Poço
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
LISTA DE ATIVIDADES
AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
1Cite 5 equipamentos que compõem uma torre de
perfuração.Explique cada um.
2Explique o que é e qual a função do elevador.
3- Defina cabo de perfuração.
4 Defina sistema de rotação.
5 Quais são os quatro equipamentos utilizados em um método
rotativo tradicional?
6 Defina top-drive.
7 Defina motor de fundo.
8 Defina circulação.
9 Defina sistema de segurança.
10 Explique com suas palavras o Kick.
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e GásPerfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e GásAnderson Pontes
 
Engenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_complEngenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_complSydney Dias
 
Apostila de sistemas de sonda
Apostila de sistemas de sondaApostila de sistemas de sonda
Apostila de sistemas de sondaNilton Braga
 
Lista de exercícios perfuração resolução
Lista de exercícios perfuração   resoluçãoLista de exercícios perfuração   resolução
Lista de exercícios perfuração resoluçãoPedro Monteiro
 
Operações de perfuração de poços de petróleo
Operações de perfuração de poços de petróleoOperações de perfuração de poços de petróleo
Operações de perfuração de poços de petróleoCláudia Melchíades
 
Fluidos de Perfuração
Fluidos de Perfuração Fluidos de Perfuração
Fluidos de Perfuração Anderson Pontes
 
Completação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e GásCompletação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e GásAnderson Pontes
 
Trabalho controlo de produção de areia em poços de petróleo
Trabalho controlo de produção de areia em poços de petróleoTrabalho controlo de produção de areia em poços de petróleo
Trabalho controlo de produção de areia em poços de petróleoErnesto Mampuiya
 
Apresentação revestimento e cimentação
Apresentação revestimento e cimentaçãoApresentação revestimento e cimentação
Apresentação revestimento e cimentaçãoSandro Marden
 
Procedimento de uma unidade de Bombeio
Procedimento de uma  unidade de BombeioProcedimento de uma  unidade de Bombeio
Procedimento de uma unidade de BombeioVictor Said
 
07 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 9007 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 90Igor Cencic :.
 
Elevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e GásElevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e GásAnderson Pontes
 
Aula pre sal 4 perfuração de poços
Aula pre sal 4 perfuração de poçosAula pre sal 4 perfuração de poços
Aula pre sal 4 perfuração de poçosAugusto Junior
 
Métodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleoMétodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleoVictor Said
 

Mais procurados (20)

Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e GásPerfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
 
Engenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_complEngenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_compl
 
Apostila de sistemas de sonda
Apostila de sistemas de sondaApostila de sistemas de sonda
Apostila de sistemas de sonda
 
Lista de exercícios perfuração resolução
Lista de exercícios perfuração   resoluçãoLista de exercícios perfuração   resolução
Lista de exercícios perfuração resolução
 
Operações de perfuração de poços de petróleo
Operações de perfuração de poços de petróleoOperações de perfuração de poços de petróleo
Operações de perfuração de poços de petróleo
 
Fluidos de Perfuração
Fluidos de Perfuração Fluidos de Perfuração
Fluidos de Perfuração
 
Completação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e GásCompletação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e Gás
 
6.1.1 brocas 08
6.1.1 brocas 086.1.1 brocas 08
6.1.1 brocas 08
 
Perfuração no mar
Perfuração no marPerfuração no mar
Perfuração no mar
 
Trabalho controlo de produção de areia em poços de petróleo
Trabalho controlo de produção de areia em poços de petróleoTrabalho controlo de produção de areia em poços de petróleo
Trabalho controlo de produção de areia em poços de petróleo
 
Apresentação revestimento e cimentação
Apresentação revestimento e cimentaçãoApresentação revestimento e cimentação
Apresentação revestimento e cimentação
 
Procedimento de uma unidade de Bombeio
Procedimento de uma  unidade de BombeioProcedimento de uma  unidade de Bombeio
Procedimento de uma unidade de Bombeio
 
reservatórios
 reservatórios  reservatórios
reservatórios
 
16 aula cimentação de poços
16 aula cimentação de poços16 aula cimentação de poços
16 aula cimentação de poços
 
07 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 9007 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 90
 
Elevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e GásElevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e Gás
 
Reservatórios aula 4
Reservatórios   aula 4Reservatórios   aula 4
Reservatórios aula 4
 
Operações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuraçãoOperações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuração
 
Aula pre sal 4 perfuração de poços
Aula pre sal 4 perfuração de poçosAula pre sal 4 perfuração de poços
Aula pre sal 4 perfuração de poços
 
Métodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleoMétodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleo
 

Destaque

09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleo09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleoHomero Alves de Lima
 
Aula 8 petróleo prof. pedro -ibrapeq pdf
Aula 8 petróleo   prof. pedro -ibrapeq pdfAula 8 petróleo   prof. pedro -ibrapeq pdf
Aula 8 petróleo prof. pedro -ibrapeq pdfPedro Monteiro
 
Pré-sal: folheto
Pré-sal: folhetoPré-sal: folheto
Pré-sal: folhetoFatoseDados
 
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3oMaual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3ohomertc
 
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...Delcídio do Amaral
 
01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no Brasil01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no BrasilHomero Alves de Lima
 
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)Saulo Melo
 
Museu da Escola de Lavra
Museu da Escola de LavraMuseu da Escola de Lavra
Museu da Escola de LavraMargarida Mota
 
07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformasHomero Alves de Lima
 
12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadores12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadoresHomero Alves de Lima
 
Topografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazo
Topografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazoTopografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazo
Topografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazoIsaías Rodrigo
 
Caulim-métodos de lavra Ipixuma-PA
Caulim-métodos de lavra Ipixuma-PACaulim-métodos de lavra Ipixuma-PA
Caulim-métodos de lavra Ipixuma-PAFelipe Vages
 

Destaque (20)

09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleo09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleo
 
Aula 8 petróleo prof. pedro -ibrapeq pdf
Aula 8 petróleo   prof. pedro -ibrapeq pdfAula 8 petróleo   prof. pedro -ibrapeq pdf
Aula 8 petróleo prof. pedro -ibrapeq pdf
 
Petróleo pps
Petróleo ppsPetróleo pps
Petróleo pps
 
Pré-sal: folheto
Pré-sal: folhetoPré-sal: folheto
Pré-sal: folheto
 
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3oMaual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
 
02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento
 
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
 
01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no Brasil01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no Brasil
 
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
 
02 aula industria do petróleo
02 aula industria do petróleo02 aula industria do petróleo
02 aula industria do petróleo
 
Museu da Escola de Lavra
Museu da Escola de LavraMuseu da Escola de Lavra
Museu da Escola de Lavra
 
07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas
 
02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento
 
12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadores12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadores
 
17 aula sistema de monitoração
17 aula sistema de  monitoração17 aula sistema de  monitoração
17 aula sistema de monitoração
 
03 aula métodos sismicos
03 aula métodos sismicos03 aula métodos sismicos
03 aula métodos sismicos
 
Topografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazo
Topografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazoTopografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazo
Topografia aplicada ao planejamento de lavra a curto prazo
 
13 aula instrumentação
13 aula instrumentação13 aula instrumentação
13 aula instrumentação
 
Caulim-métodos de lavra Ipixuma-PA
Caulim-métodos de lavra Ipixuma-PACaulim-métodos de lavra Ipixuma-PA
Caulim-métodos de lavra Ipixuma-PA
 
04 aula estocagem
04 aula estocagem04 aula estocagem
04 aula estocagem
 

Semelhante a Torre Perfuração Equipamentos

Perfuraçâo 2
Perfuraçâo 2Perfuraçâo 2
Perfuraçâo 2vifrabx
 
Lista de exercícios perfuração resolução
Lista de exercícios perfuração   resoluçãoLista de exercícios perfuração   resolução
Lista de exercícios perfuração resoluçãoPedro Monteiro
 
Turbinas Hidráulicas.pdf
Turbinas Hidráulicas.pdfTurbinas Hidráulicas.pdf
Turbinas Hidráulicas.pdfMissSoryu
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecoteThiago Huari
 
PedroDuarte_AguasPenacova.pdf
PedroDuarte_AguasPenacova.pdfPedroDuarte_AguasPenacova.pdf
PedroDuarte_AguasPenacova.pdfAfonsoCuamba1
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecoteThiago Huari
 

Semelhante a Torre Perfuração Equipamentos (8)

Perfuraçâo 2
Perfuraçâo 2Perfuraçâo 2
Perfuraçâo 2
 
Lista de exercícios perfuração resolução
Lista de exercícios perfuração   resoluçãoLista de exercícios perfuração   resolução
Lista de exercícios perfuração resolução
 
Cavitacao em instalações
Cavitacao em instalaçõesCavitacao em instalações
Cavitacao em instalações
 
Aula 2.pdf
Aula 2.pdfAula 2.pdf
Aula 2.pdf
 
Turbinas Hidráulicas.pdf
Turbinas Hidráulicas.pdfTurbinas Hidráulicas.pdf
Turbinas Hidráulicas.pdf
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
 
PedroDuarte_AguasPenacova.pdf
PedroDuarte_AguasPenacova.pdfPedroDuarte_AguasPenacova.pdf
PedroDuarte_AguasPenacova.pdf
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
 

Mais de Homero Alves de Lima

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelHomero Alves de Lima
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaHomero Alves de Lima
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoHomero Alves de Lima
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 

Mais de Homero Alves de Lima (20)

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotel
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresa
 
Sumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enemSumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enem
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologias
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redação
 
Aula 02 redação
Aula 02 redaçãoAula 02 redação
Aula 02 redação
 
Aula 01 redação
Aula 01 redaçãoAula 01 redação
Aula 01 redação
 
Conteúdo programático redação
Conteúdo programático redaçãoConteúdo programático redação
Conteúdo programático redação
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
 

Último

geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 

Último (20)

geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 

Torre Perfuração Equipamentos

  • 1. AULA 17 TORRE DE PERFURAÇÃO E EQUIPAMENTOS
  • 2. Torres de perfuração e seus equipamentos AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 3. Sistema de Sustentação de Cargas AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 4. Guincho AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 5. Guincho AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 6. Bloco de Coroamento AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 7. Catarina AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 8. Gancho AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 9. Swivel AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 10.  O elevador é um equipamento com a forma de anel bipartido em que as duas partes são ligadas por dobradiça resistentes, contendo um trinco especial para o seu fechamento. É utilizado para movimentar elementos tubulares - tubos de perfuração e comandos. Elevador AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 11.  É um cabo de aço trançado em torno de um núcleo ou alma, sendo que cada trança é formada por diversos fios pequeno diâmetro de aço especial. O cabo proveniente do carretel é passado e fixado numa âncora situada próxima a torre, onde se encontra um sensor para medir a tensão no cabo, a qual está relacionada com peso total sustentado pelo guincho. Daí, ele é passado no sistema bloco-catarina e enrolado e fixado no tambor do guincho. AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO Cabo de Perfuração
  • 12. Sistema de Rotação AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO  Nas sondas convencionais, a coluna de perfuração é girada pela mesa rotativa localizada na plataforma da sonda. A rotação é transmitida a um tubo de parede externa poligonal, o kelly, que fica enroscado no topo da coluna de perfuração. Nas sondas equipadas com top drive a rotação é transmitida diretamente ao topo da coluna de perfuração por um motor acoplado à catarina. O conjunto desliza em trilhos à torre, onde o torque devido à rotação da coluna é absorvido.  Existe ainda a possibilidade de se perfurar com um motor de fundo, colocado logo acima da broca. O torque necessário é gerado pela passagem do fluido de perfuração no seu interior. Este motor pode ser de deslocamento positivo ou uma turbina .  O sistema de rotação convencional é constituído de equipamentos que promovem ou permitem a livre rotação da coluna de perfuração. São eles: mesa rotativa, o kelly e cabeça de circulação ou swivel.
  • 13. Sistema de Rotação AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 14. Sistema de Rotação AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 15. Sistema de Rotação AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 16. Motor de Fundo AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO  Neste caso um motor hidráulico tipo turbina ou de deslocamento positivo é colocado acima da broca. O giro só se dá na parte inferior do motor de fundo da broca. Assim, este tipo de equipamento é largamente empregado na perfuração de poços direcionais, poços nos quais o objetivo a ser atingido não se encontra necessariamente sob a mesma vertical que passa pela sonda de perfuração. Como a coluna de perfuração não gira, o toque imposto a ela é nulo e seu desgaste fica bastante reduzido.
  • 17. Motor de Fundo AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 18. Sistema de Circulação, Tanques e Bombas de Lama AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 19. Sistema de Circulação AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 20. Sistema de Segurança do Poço AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO  Kick: Uma pressão de poros muito elevada pode acarretar produção indesejada e descontrolada de fluidos para o numa poço, provocando um Kick ou Blow-out, que pode gerar sérios danos à sonda, à equipe que nela trabalha e ao meio ambiente. Se, ao contrário, ela for muito baixa pode ocorrer perda de circulação, com influxo do fluido de perfuração para dentro da rocha. Se não detectada rapidamente haverá redução no nível de lama no poço, com diminuição da pressão hidrostática exercida e risco de Kick num outro trecho do poço que tenha maior gradiente de pressão.  O Kick pode ser detectado a partir dos seguintes indícios:  A invasão dos fluidos da formação para dentro do poço.  Aumento de vazão de retorno.  Ocorre quando a hidrostática do fluido de perfuração fica menor que a pressão do reservatório.
  • 21. Sistema de Segurança do Poço A condição acima pode ser provocada por: AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO  Perfuração não prevista de zonas com pressão anormalmente alta.  Lama cortada por gás.  Não abastecimento do poço durante as manobras (Trip Tank).  Pistoneio. Indícios de Kick:  Poço em fluxo com as bombas desligadas.  Aumento do volume da lama nos tanques.  Aumento da taxa de penetração.  Aumento da velocidade das bombas.
  • 22. Sistema de Segurança do Poço AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO Controle de Kick:  Fechamento do poço (BOP) na primeira suspeita.  Leitura das pressões na cabeça (SIDPP E SICP).  Expulsão do fluido invasor mantendo pressão constante no fundo.  Substituição do fluido de perfuração por outro mais pesado mantendo pressão constante no fundo.  Retirada de possível gás trapeado abaixo da gaveta do BOP.  O controle da pressão no fundo á efeito através de ajustes no choke.  Menor pressão de circulação.
  • 23. Sistema de Segurança do Poço AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 24. Sistema de Segurança do Poço AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 25. Sistema de Segurança do Poço AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO
  • 26. LISTA DE ATIVIDADES AULA 17 – TORRE DE PERFURAÇÃO 1Cite 5 equipamentos que compõem uma torre de perfuração.Explique cada um. 2Explique o que é e qual a função do elevador. 3- Defina cabo de perfuração. 4 Defina sistema de rotação. 5 Quais são os quatro equipamentos utilizados em um método rotativo tradicional? 6 Defina top-drive. 7 Defina motor de fundo. 8 Defina circulação. 9 Defina sistema de segurança. 10 Explique com suas palavras o Kick.
  • 27. FIM