Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo

Faell Vasconcelos
Faell VasconcelosAtor, diretor, autor e produtor. em Colégio Memorial, Colégio Cosmos
LiteraturaQuinhentismo
LiteraturadeInformação
BarrocoArcadismo
Romantismo
Parnasianismo
Naturalismo
Realismo
Simbolismo
Pré-Modernismo
ModernismoDescobrimento do Brasil
Século XVI
ExpansãoMarítima
cartas
flora
fauna
Riquezas
descritiva
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
Pero Vaz de Caminha
José de Anchieta
portugueses
Gregório de Matos
Padre Antônio Vieira
Sermões
Aleijadinho
Poesiaprosa igrejas
Poesia lírica
Claudio Manuel da Costa
Ouro
Neoclassicismo
Marília de Dirceu
MachadodeAssis
Memórias Póstumas de Brás Cubas
José de Alencar
egocentrismo
nacionalismo
liberdade
Amor
Ódio
respeito
honra
amizade
Aluísio Azevedo Comportamento humano
Subjetivismo
musicalidade
Transcendentalismo
Cruz e Souza
Conservadorismo
Renovação
Os Sertões
Euclides da Cunha
Urupês
Manuel Bandeira
MariodeAndrade
OswalddeAndrade
CecíliaMeireles
ViníciusdeMoraes
NelsonRodrigues
Literatura
Resumo da Escola Literária:
Romantismo
Prof. Espec. Rafael Vasconcelos
E-mail: vasconcelos.professor@gmail.com
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
O Romantismo é uma das escolas literárias mais importantes da nossa literatura e uma das
mais utilizadas nas avaliações do ENEM e VESTIBULARES FEDERAIS.
Tudo o que aconteceu no período
do Arcadismo, reflete no século XIX
com o Romantismo
1. Se inicia na França,
Alemanha e Inglaterra
2. Momento em que temos
uma classe social em
ascensão: Burguesia
3. Temos neste momento
a palavra chave do
Romantismo: A
IDEALIZAÇÃO uma
IDEOLOGIA
4. No século XIX entra um
grande gênero literário: O
ROMANCE.
(Um tipo de Texto, Gênero) –
Um gênero Burguês. Nasce
para atender as
necessidades da burguesia.
Ou seja: ´´eu quero ouvir
falar da minha classe``.
5. Uma das principais características do Romantismo é
o Egocentrismo, o individualismo e o subjetivismo.
Mas o que significa SUBJETIVISMO?
Subjetividade vem da palavra SUJEITO.
Palavra que começa a
ganhar força no século
XIX
Subjetivismo – Ideia
subjetiva, nada mais é do
que uma visão muito
particular das coisas.
INDIVIDUALISMO E SUBJETISMOS É A MESMA COISA?
Não é a mesma coisa, mas são teorias
que andam próximas nesta época da
nossa literatura.
O Romantismo também possui um reflexo da Cavalaria Medieval.
Aquele idealismo do homem bom, heroi, bonito, corajoso, valente e desbravador; volta a
acontecer no Romantismo. Por isso alguns vestibulares fazem menção do homem romântico
ao homem medieval – devido a semelhança entre dois.
IMPORTANTE
O heroi ou heroina do Romantismo
São IDEALIZADOS.
Ou seja
Eles quase atingem a perfeição
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
1. Se inicia em mais
ou menos 1836 – O
momento literário.
Mas em 1808 a Família Real chegam às nossas terras. Praticamente expulsos
da Europa pelo bloqueio continental do Napoleão Bonaparte dos comércios
entre os países europeus, o Portugal fica sem opções de negociações
comerciais. Momento este em que decidem ir para ´´nossa colônia, nossa
terra brasilis``.
Com a chegada da Família Real o Brasil ganhou:
Abertura de portos;
A Biblioteca Nacional
Imprensa
Tipografia
Edição
Não vamos esquecer que em 1808 o Brasil ainda era colônia.
O homem que morava no Brasil, intelectuais, por exemplo, já estavam cansados do
imperialismo e coronealismo.
Até que D. Pedro proclama a independência em 1922
PROFESSOR, MAS QUAL A RELAÇÃO DISSO COM A LITERATURA?
É aí que começa o sentimento que chamamos de:
ANTI-LUSITANO
Entre estes sentimentos estão a arte.
O brasileiro passa a querer se desprender da cultura europeia.
MAS CUIDADO
A nossa literatura ainda NÃO consegue ser totalmente independente.
Isso só vai acontecer no início do século XX com o Modernismo.
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Conhecida como a
geração: Mal-do-Século
Amor
exagerado
O Sentimentalismo e
o Egocentrismo
CARACTERÍSTICA PRINCIPAL:
MELANCOLIA, A TRISTEZA, A
DEPRESSÃO, O SATANISMO E A
OBSCURIDADE, ELÉM DE, CLARO, A
MORTE.
Byron foi um Inglês devasso e
enlouquecido.
Para os Românticos a morte possuía outro significado.
Era o mesmo que: LIBERDADE.
Morrer era deixar de sofrer.
Por que o amor, a mulher e os sentimentos são tão valorizados nesta segunda fase
do Romantismo?
Cuidado: A MULHER É IDEALIZADA EM QUASE
TODOS OS MOMENTOS DO ROMANTISMO.
Mas na 2ª Geração da Poesia ela – a mulher – é
idealizada demais. E esta é uma preferência do própria
eu-lírico. Ele opta em idealizar, imaginar, sonhar com a
perfeição desta figura feminina do que tê-la propriamente
dita, ou seja, opta o irreal ao real.
VAMOS
ENTENDER
MELHOR
Pensou?
Imaginou?
Idealizou?
E aí a mãe chega com uma sopa.
Não é ruim, mas naquele momento não era a sua idealização.
Na verdade, ruim foi você ter imaginado uma lasanha e uma
sobremesa deliciosa.
É por isso que se sofre tanto nesta segunda fase do Romantismo.
Porque se cria, imagina e idealiza – algo natural dos humanos no decorrer da vida – e
não se atinge o que se esperou.
Todos nós ainda somos românticos.
Quando dizemos que alguém é romântico, que alguém possui uma visão romântica
das coisas este é o real significado: Uma pessoa que idealiza as coisas.
DICA DO PRO RAFA:
Seja um Romântico no Ensino Médio.
Foco no ENEM, idealize a sua vaga na universidade,
idealize a sua vida acadêmica e o seu futuro
profissional!
Não coma a sopa. Como a lasanha com a coxinha de
brigadeiro de nutella com morango.
O GRANDE SÍMBOLO
O GRANDE AUTOR
DA 2ª GERAÇÃO DO
ROMANTISMO
Morre antes dos 21
anos, vítima de
tuberculose.
É o autor que
engloba todas as
características
desta 2ª geração.
Se destaca por
sua POESIA
primorosa.
CUIDADO com as poesias de Álvares de Azevedo, MUITO CUIDADO. Porque ele não é apenas uma
coisa. Ele abordará a escravidão (cuidado porque este estilo de poesia também pertence ao autor Pedro
Ivo), Poesia Sentimentalista – sobre ele próprio – e daí vem o famoso poema: ´´Se eu morresse
amanhã...``; Sua poesia é sentimental e faz muito uso da idealização da figura feminina. E MAIS DO
QUE TUDO: Ele também fará DOIS TIPOS DE TEXTOS DIFERENTES: Teatro e Contos. No teatro
escreveu o famoso texto MACÁRIO (jovem que encontra um velho senhor e que mais tarde descobre
ser o Diabo). E em contos escreveu a obra Noites na Taverna, muito utilizado nos vestibulares.
Incesto, necrofilia,
degolação
Livro de Poesias de Álvares de
Azevedo é Lira dos Vinte Anos. E
é deste livro que retiram a
maioria das poesias contidas nas
questões do ENEM e Grandes
Vestibulares.
Poeta considerado como sendo o
queridinho de todos.
Autor muito parodiado
pelos outros poetas.
Característica
macabra, satânica e
a melancolia
exagerada, são
características da
segunda fase do
Romantismo que
não fazem parte da
sua literatura. Não
totalmente.
Álvares de Azevedo é o
exagero e o Casimiro é o
´´mimoso``, ´´querido``;
nos dando a impressão de
que para o Casimiro tudo
é mais bonito. Porém não
é apenas impressão, esta
é de fato uma de suas
características. Sua poesia
é mais sútil, simples.
Características: sutileza,
simplicidade, poesia com
ritmo, ou seja, há
sonoridade. É dele a autoria
de uma das poesias mais
famosas mundialmente -
´´Meus Oito Anos``:
(Ai que saudades da aurora
da minha vida, da minha
infância queria, que os anos
não trazem mais``>
Casimiro não viveu apenas de simplicidade e saudosismo. É dele
também as poesias que traduzirão os grandes saraus da época, a
beleza dos jovens dançando nos grandes bailes, a transcrição
daquele amor que chamamos de ´´amor pueril`` (amor juvenil e puro).
Autor pouco explorado nos
vestibulares e ENEM, mas
que merece uma atenção
especial.
Varela é a
melancolia em
forma de pessoa.
Uma tristeza
exacerbada.
´´Termina de ler e
temos vontade de
se matar.``.
Varela possui uma
característica muito famosa
nele:
O PANDEISMO
(quando vemos Deus nas
coisas).
Ex:
FRASE: Vejam que linda
árvore!
RESPOSTA: É a presença
de Deus nela dando vida.
Varela que já era depressivo,
melancólico e que vivia o
máximo do mal-do-século, num
belo dia, em casa, após beber
todas, tropeça e cai por cima
do filho, matando-o.
E a partir daí a depressão
liquida com ele de uma vez por
todas. Diante disso lhe vem a
inspiração para compor o
famoso poema: Cântico dos
Calvários.
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
1 de 41

Recomendados

Parnasianismo' por
Parnasianismo'Parnasianismo'
Parnasianismo'Maria Martinha Marques Magalhães
34.5K visualizações22 slides
Realismo no brasil por
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasilKaroline Tavares
42.5K visualizações9 slides
Romantismo no Brasil por
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no BrasilCrisBiagio
14.6K visualizações16 slides
Modernismo por
Modernismo Modernismo
Modernismo Cláudia Heloísa
35.9K visualizações46 slides
O pré modernismo por
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismoAna Batista
15.1K visualizações36 slides
Quinhentismo por
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo Cláudia Heloísa
37.9K visualizações34 slides

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pré modernismo-slides por
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesZenia Ferreira
23.2K visualizações22 slides
Gêneros literários por
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literáriosCarolina Loçasso Pereira
74.1K visualizações21 slides
Romantismo no Brasil - 1ª geração por
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoQuezia Neves
66.9K visualizações33 slides
Realismo e Naturalismo - Literatura por
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaCynthia Funchal
28.9K visualizações26 slides
Simbolismo por
SimbolismoSimbolismo
SimbolismoNaldinho Amorim
85.2K visualizações30 slides
Ppt realismo (1) por
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Equipemundi2014
22K visualizações21 slides

Mais procurados(20)

Pré modernismo-slides por Zenia Ferreira
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
Zenia Ferreira23.2K visualizações
Romantismo no Brasil - 1ª geração por Quezia Neves
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Quezia Neves66.9K visualizações
Realismo e Naturalismo - Literatura por Cynthia Funchal
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
Cynthia Funchal28.9K visualizações
Simbolismo por Naldinho Amorim
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Naldinho Amorim85.2K visualizações
Ppt realismo (1) por Equipemundi2014
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
Equipemundi201422K visualizações
O que é Literatura? por Faell Vasconcelos
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
Faell Vasconcelos46.7K visualizações
O Realismo no Brasil por Israel Ferreira
O Realismo no BrasilO Realismo no Brasil
O Realismo no Brasil
Israel Ferreira14.6K visualizações
Trovadorismo humanismo por Josi Motta
Trovadorismo humanismoTrovadorismo humanismo
Trovadorismo humanismo
Josi Motta4K visualizações
Arcadismo[1].. por guesta61019
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
guesta6101950.7K visualizações
Slide introdução à literatura por fabrinnem
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
fabrinnem19.8K visualizações
Escolas literarias aula 01 por murilotome
Escolas literarias aula 01Escolas literarias aula 01
Escolas literarias aula 01
murilotome7.8K visualizações
Modernismo 2 fase (geração de 30) por Josie Ubiali
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Josie Ubiali13.2K visualizações
Romantismo por Lucas Queiroz
RomantismoRomantismo
Romantismo
Lucas Queiroz138.8K visualizações
Simbolismo por Cláudia Heloísa
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Cláudia Heloísa40.8K visualizações
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa por Jirede Abisai
Literaturas Africanas de Língua PortuguesaLiteraturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
Jirede Abisai9.6K visualizações
Parnasianismo de Olavo Bilac por Vitor Morais
Parnasianismo de Olavo BilacParnasianismo de Olavo Bilac
Parnasianismo de Olavo Bilac
Vitor Morais2.4K visualizações
1ª fase do modernismo por Luciene Gomes
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
Luciene Gomes19.2K visualizações
Coesão e coerencia por silnog
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
silnog90K visualizações

Destaque

Romantismo e suas gerações. por
Romantismo e suas gerações. Romantismo e suas gerações.
Romantismo e suas gerações. Jéssica Moresi
10.6K visualizações16 slides
O romantismo em portugal por
O romantismo em portugalO romantismo em portugal
O romantismo em portugalidalecia cardoso
963 visualizações39 slides
3ª geração do romantismo no brasil por
3ª geração do romantismo no brasil3ª geração do romantismo no brasil
3ª geração do romantismo no brasilGabrielaLimaPereira
25.9K visualizações11 slides
Análise do período simples por
Análise do período simplesAnálise do período simples
Análise do período simplesFaell Vasconcelos
1.6K visualizações14 slides
Romantismo No Brasil por
Romantismo No BrasilRomantismo No Brasil
Romantismo No Brasilmartinsramon
50.7K visualizações34 slides
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras por
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileirasDouglas Vieira
41.4K visualizações20 slides

Destaque(20)

Romantismo e suas gerações. por Jéssica Moresi
Romantismo e suas gerações. Romantismo e suas gerações.
Romantismo e suas gerações.
Jéssica Moresi10.6K visualizações
O romantismo em portugal por idalecia cardoso
O romantismo em portugalO romantismo em portugal
O romantismo em portugal
idalecia cardoso963 visualizações
3ª geração do romantismo no brasil por GabrielaLimaPereira
3ª geração do romantismo no brasil3ª geração do romantismo no brasil
3ª geração do romantismo no brasil
GabrielaLimaPereira25.9K visualizações
Análise do período simples por Faell Vasconcelos
Análise do período simplesAnálise do período simples
Análise do período simples
Faell Vasconcelos1.6K visualizações
Romantismo No Brasil por martinsramon
Romantismo No BrasilRomantismo No Brasil
Romantismo No Brasil
martinsramon50.7K visualizações
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras por Douglas Vieira
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Douglas Vieira41.4K visualizações
Função de Linguagem por Faell Vasconcelos
Função de LinguagemFunção de Linguagem
Função de Linguagem
Faell Vasconcelos33.3K visualizações
Slides Romantismo por mix1981
Slides RomantismoSlides Romantismo
Slides Romantismo
mix198178.2K visualizações
Estrutura Narrativa por Faell Vasconcelos
Estrutura NarrativaEstrutura Narrativa
Estrutura Narrativa
Faell Vasconcelos34.7K visualizações
Poesia no brasil por rafabebum
Poesia no brasilPoesia no brasil
Poesia no brasil
rafabebum1.4K visualizações
Amor de perdição por Seduc/AM
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
Seduc/AM5.2K visualizações
romantismo terceira geração por Gabriell Duarte
romantismo terceira geraçãoromantismo terceira geração
romantismo terceira geração
Gabriell Duarte4K visualizações
Terceira geração romântica por Viviane Gomes
Terceira geração românticaTerceira geração romântica
Terceira geração romântica
Viviane Gomes5.3K visualizações
Pre modernismo por Luana Cristeinsen
Pre modernismoPre modernismo
Pre modernismo
Luana Cristeinsen1.7K visualizações
Noivado do sepulcro por Aparecida Mallagoli
Noivado do sepulcroNoivado do sepulcro
Noivado do sepulcro
Aparecida Mallagoli5.2K visualizações
3º geração romântica condoreira por letosgirl
3º geração romântica condoreira3º geração romântica condoreira
3º geração romântica condoreira
letosgirl8.9K visualizações
Romantismo por Carolina Matuck
RomantismoRomantismo
Romantismo
Carolina Matuck1.4K visualizações
Pré modernismo por Josi Motta
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
Josi Motta2.1K visualizações

Similar a Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo

A literatura romântica..ppt por
A literatura romântica..pptA literatura romântica..ppt
A literatura romântica..pptKarinaSouzaCorreiaAl
13 visualizações39 slides
A literatura romântica. por
A literatura romântica.A literatura romântica.
A literatura romântica.Vanuza Duarte
157 visualizações39 slides
A literatura romântica..ppt por
A literatura romântica..pptA literatura romântica..ppt
A literatura romântica..pptAlessandraSoaresMont
10 visualizações39 slides
Noite na Taverna por
Noite na TavernaNoite na Taverna
Noite na TavernaKauan_ts
41.5K visualizações33 slides
Aula 14 eça de queiroz e o realismo por
Aula 14   eça de queiroz e o realismoAula 14   eça de queiroz e o realismo
Aula 14 eça de queiroz e o realismoJonatas Carlos
1.2K visualizações10 slides
Portugues3em por
Portugues3emPortugues3em
Portugues3emGreice Gomes
12K visualizações122 slides

Similar a Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo(20)

A literatura romântica..ppt por KarinaSouzaCorreiaAl
A literatura romântica..pptA literatura romântica..ppt
A literatura romântica..ppt
KarinaSouzaCorreiaAl13 visualizações
A literatura romântica. por Vanuza Duarte
A literatura romântica.A literatura romântica.
A literatura romântica.
Vanuza Duarte157 visualizações
A literatura romântica..ppt por AlessandraSoaresMont
A literatura romântica..pptA literatura romântica..ppt
A literatura romântica..ppt
AlessandraSoaresMont10 visualizações
Noite na Taverna por Kauan_ts
Noite na TavernaNoite na Taverna
Noite na Taverna
Kauan_ts41.5K visualizações
Aula 14 eça de queiroz e o realismo por Jonatas Carlos
Aula 14   eça de queiroz e o realismoAula 14   eça de queiroz e o realismo
Aula 14 eça de queiroz e o realismo
Jonatas Carlos1.2K visualizações
Portugues3em por Greice Gomes
Portugues3emPortugues3em
Portugues3em
Greice Gomes12K visualizações
Romantismo no brasil por Fernando Moreira
Romantismo no brasilRomantismo no brasil
Romantismo no brasil
Fernando Moreira1.5K visualizações
Romantismo por manuudias
RomantismoRomantismo
Romantismo
manuudias1.2K visualizações
Romantismo - poesia - brasil por Josi Motta
Romantismo - poesia - brasilRomantismo - poesia - brasil
Romantismo - poesia - brasil
Josi Motta3K visualizações
Antologia poética por Ana Santos Deodato
Antologia poéticaAntologia poética
Antologia poética
Ana Santos Deodato123 visualizações
Aula 10 romantismo no brasil e em portugal por Jonatas Carlos
Aula 10   romantismo no brasil e em portugalAula 10   romantismo no brasil e em portugal
Aula 10 romantismo no brasil e em portugal
Jonatas Carlos1.2K visualizações
livros da literatura brasileira por Gustavo123a
livros da literatura brasileiralivros da literatura brasileira
livros da literatura brasileira
Gustavo123a515 visualizações
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana por Natalia Salgado
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana
Natalia Salgado676 visualizações
Toda a Literatura por Hildalene Pinheiro
Toda a LiteraturaToda a Literatura
Toda a Literatura
Hildalene Pinheiro1.6K visualizações
Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada) por Matheus Boniatti
Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada)Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada)
Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada)
Matheus Boniatti10.6K visualizações
Romantismo no brasil 1 por Cleia Moura
Romantismo no brasil 1Romantismo no brasil 1
Romantismo no brasil 1
Cleia Moura4K visualizações
Trabalho de língua portuguesa por Ronaldo Mesquita
Trabalho de língua portuguesaTrabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesa
Ronaldo Mesquita2.9K visualizações

Mais de Faell Vasconcelos

Funções Sintáticas por
Funções SintáticasFunções Sintáticas
Funções SintáticasFaell Vasconcelos
6.9K visualizações62 slides
Processo de Formação das Palavras por
Processo de Formação das PalavrasProcesso de Formação das Palavras
Processo de Formação das PalavrasFaell Vasconcelos
6.7K visualizações19 slides
Pré-Modernismo por
Pré-ModernismoPré-Modernismo
Pré-ModernismoFaell Vasconcelos
3.1K visualizações27 slides
Enem e vestibulares por
Enem e vestibularesEnem e vestibulares
Enem e vestibularesFaell Vasconcelos
1.6K visualizações29 slides
Vanguardas Europeias - Literatura por
Vanguardas Europeias - LiteraturaVanguardas Europeias - Literatura
Vanguardas Europeias - LiteraturaFaell Vasconcelos
8.2K visualizações56 slides
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal por
Adjunto Adnominal e Complemento NominalAdjunto Adnominal e Complemento Nominal
Adjunto Adnominal e Complemento NominalFaell Vasconcelos
3.3K visualizações4 slides

Mais de Faell Vasconcelos(20)

Funções Sintáticas por Faell Vasconcelos
Funções SintáticasFunções Sintáticas
Funções Sintáticas
Faell Vasconcelos6.9K visualizações
Processo de Formação das Palavras por Faell Vasconcelos
Processo de Formação das PalavrasProcesso de Formação das Palavras
Processo de Formação das Palavras
Faell Vasconcelos6.7K visualizações
Pré-Modernismo por Faell Vasconcelos
Pré-ModernismoPré-Modernismo
Pré-Modernismo
Faell Vasconcelos3.1K visualizações
Enem e vestibulares por Faell Vasconcelos
Enem e vestibularesEnem e vestibulares
Enem e vestibulares
Faell Vasconcelos1.6K visualizações
Vanguardas Europeias - Literatura por Faell Vasconcelos
Vanguardas Europeias - LiteraturaVanguardas Europeias - Literatura
Vanguardas Europeias - Literatura
Faell Vasconcelos8.2K visualizações
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal por Faell Vasconcelos
Adjunto Adnominal e Complemento NominalAdjunto Adnominal e Complemento Nominal
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal
Faell Vasconcelos3.3K visualizações
Estudo do Período Simples por Faell Vasconcelos
Estudo do Período SimplesEstudo do Período Simples
Estudo do Período Simples
Faell Vasconcelos416 visualizações
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras por Faell Vasconcelos
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de PalavrasFonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Faell Vasconcelos4.1K visualizações
Figuras de Linguagem por Faell Vasconcelos
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
Faell Vasconcelos7.5K visualizações
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre por Faell Vasconcelos
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
Faell Vasconcelos1.3K visualizações
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013 por Faell Vasconcelos
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
Faell Vasconcelos1.8K visualizações
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013) por Faell Vasconcelos
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
Faell Vasconcelos868 visualizações
Realismo - Naturalismo por Faell Vasconcelos
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
Faell Vasconcelos1.7K visualizações
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1 por Faell Vasconcelos
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1 1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
Faell Vasconcelos17.4K visualizações
Unidade 1 - Positivo por Faell Vasconcelos
Unidade 1 - PositivoUnidade 1 - Positivo
Unidade 1 - Positivo
Faell Vasconcelos2.1K visualizações
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas por Faell Vasconcelos
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações CoordenadasGramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Faell Vasconcelos3.8K visualizações
Figuras de linguagem por Faell Vasconcelos
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Faell Vasconcelos18.1K visualizações
Leitura e análise da linguagem por Faell Vasconcelos
Leitura e análise da linguagemLeitura e análise da linguagem
Leitura e análise da linguagem
Faell Vasconcelos4.2K visualizações
Flexão do advérbio por Faell Vasconcelos
Flexão do advérbioFlexão do advérbio
Flexão do advérbio
Faell Vasconcelos5.9K visualizações

Último

1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres... por
1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...
1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...azulassessoriaacadem3
71 visualizações2 slides
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi... por
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...HelpEducacional
59 visualizações3 slides
3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras... por
3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras...3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras...
3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras...azulassessoriaacadem3
33 visualizações2 slides
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei... por
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...pauladiasuni
62 visualizações2 slides
5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold... por
5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold...5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold...
5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold...azulassessoriaacadem3
38 visualizações3 slides
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf por
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdfRaulGomez822561
28 visualizações4 slides

Último(20)

1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres... por azulassessoriaacadem3
1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...
1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...
azulassessoriaacadem371 visualizações
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi... por HelpEducacional
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...
HelpEducacional59 visualizações
3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras... por azulassessoriaacadem3
3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras...3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras...
3. Os vídeos “Filha de pais surdos dá lição de amor” e “Cadela aprende libras...
azulassessoriaacadem333 visualizações
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei... por pauladiasuni
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...
pauladiasuni62 visualizações
5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold... por azulassessoriaacadem3
5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold...5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold...
5) Anexo do folder e da foto de distribuição do folder: Após elaborado o fold...
azulassessoriaacadem338 visualizações
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf por RaulGomez822561
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf
RaulGomez82256128 visualizações
Você é um(a) assistente social trabalhando em um Centro de Referência da Assi... por azulassessoriaacadem3
Você é um(a) assistente social trabalhando em um Centro de Referência da Assi...Você é um(a) assistente social trabalhando em um Centro de Referência da Assi...
Você é um(a) assistente social trabalhando em um Centro de Referência da Assi...
azulassessoriaacadem363 visualizações
CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais cerâmicos ... por azulassessoriaacadem3
CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais cerâmicos ...CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais cerâmicos ...
CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais cerâmicos ...
azulassessoriaacadem328 visualizações
Slides Lição 11, Betel, O Verdadeiro Discípulo é uma referência no serviço cr... por LuizHenriquedeAlmeid6
Slides Lição 11, Betel, O Verdadeiro Discípulo é uma referência no serviço cr...Slides Lição 11, Betel, O Verdadeiro Discípulo é uma referência no serviço cr...
Slides Lição 11, Betel, O Verdadeiro Discípulo é uma referência no serviço cr...
LuizHenriquedeAlmeid649 visualizações
MAPA - PED - PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA - 54/2023 ... por assessoriaff08
MAPA - PED - PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA - 54/2023  ...MAPA - PED - PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA - 54/2023  ...
MAPA - PED - PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA - 54/2023 ...
assessoriaff0822 visualizações
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO... por azulassessoriaacadem3
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...
azulassessoriaacadem322 visualizações
Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ... por azulassessoriaacadem3
Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ...Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ...
Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ...
azulassessoriaacadem349 visualizações
b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss... por azulassessoriaacadem3
b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss...b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss...
b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss...
azulassessoriaacadem338 visualizações
3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ... por azulassessoriaacadem3
3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ...3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ...
3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ...
azulassessoriaacadem3116 visualizações
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi... por HelpEducacional
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...
HelpEducacional46 visualizações
1) Descreva como os AINEs não seletivos exercem seu mecanismo de ação, reduzi... por HelpEducacional
1) Descreva como os AINEs não seletivos exercem seu mecanismo de ação, reduzi...1) Descreva como os AINEs não seletivos exercem seu mecanismo de ação, reduzi...
1) Descreva como os AINEs não seletivos exercem seu mecanismo de ação, reduzi...
HelpEducacional41 visualizações
a) Elenque de forma sucinta as dificuldades apresentadas no relato do caso e ... por azulassessoriaacadem3
a) Elenque de forma sucinta as dificuldades apresentadas no relato do caso e ...a) Elenque de forma sucinta as dificuldades apresentadas no relato do caso e ...
a) Elenque de forma sucinta as dificuldades apresentadas no relato do caso e ...
azulassessoriaacadem3132 visualizações
Você foi convidado a ser o Nutricionista integrante de uma equipe que vai des... por azulassessoriaacadem3
Você foi convidado a ser o Nutricionista integrante de uma equipe que vai des...Você foi convidado a ser o Nutricionista integrante de uma equipe que vai des...
Você foi convidado a ser o Nutricionista integrante de uma equipe que vai des...
azulassessoriaacadem335 visualizações
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf por Vítor Santos
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
Vítor Santos77 visualizações

Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo

  • 1. LiteraturaQuinhentismo LiteraturadeInformação BarrocoArcadismo Romantismo Parnasianismo Naturalismo Realismo Simbolismo Pré-Modernismo ModernismoDescobrimento do Brasil Século XVI ExpansãoMarítima cartas flora fauna Riquezas descritiva Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Pero Vaz de Caminha José de Anchieta portugueses Gregório de Matos Padre Antônio Vieira Sermões Aleijadinho Poesiaprosa igrejas Poesia lírica Claudio Manuel da Costa Ouro Neoclassicismo Marília de Dirceu MachadodeAssis Memórias Póstumas de Brás Cubas José de Alencar egocentrismo nacionalismo liberdade Amor Ódio respeito honra amizade Aluísio Azevedo Comportamento humano Subjetivismo musicalidade Transcendentalismo Cruz e Souza Conservadorismo Renovação Os Sertões Euclides da Cunha Urupês Manuel Bandeira MariodeAndrade OswalddeAndrade CecíliaMeireles ViníciusdeMoraes NelsonRodrigues
  • 2. Literatura Resumo da Escola Literária: Romantismo Prof. Espec. Rafael Vasconcelos E-mail: vasconcelos.professor@gmail.com
  • 6. O Romantismo é uma das escolas literárias mais importantes da nossa literatura e uma das mais utilizadas nas avaliações do ENEM e VESTIBULARES FEDERAIS.
  • 7. Tudo o que aconteceu no período do Arcadismo, reflete no século XIX com o Romantismo
  • 8. 1. Se inicia na França, Alemanha e Inglaterra 2. Momento em que temos uma classe social em ascensão: Burguesia 3. Temos neste momento a palavra chave do Romantismo: A IDEALIZAÇÃO uma IDEOLOGIA 4. No século XIX entra um grande gênero literário: O ROMANCE. (Um tipo de Texto, Gênero) – Um gênero Burguês. Nasce para atender as necessidades da burguesia. Ou seja: ´´eu quero ouvir falar da minha classe``. 5. Uma das principais características do Romantismo é o Egocentrismo, o individualismo e o subjetivismo.
  • 9. Mas o que significa SUBJETIVISMO? Subjetividade vem da palavra SUJEITO. Palavra que começa a ganhar força no século XIX Subjetivismo – Ideia subjetiva, nada mais é do que uma visão muito particular das coisas.
  • 10. INDIVIDUALISMO E SUBJETISMOS É A MESMA COISA? Não é a mesma coisa, mas são teorias que andam próximas nesta época da nossa literatura.
  • 11. O Romantismo também possui um reflexo da Cavalaria Medieval. Aquele idealismo do homem bom, heroi, bonito, corajoso, valente e desbravador; volta a acontecer no Romantismo. Por isso alguns vestibulares fazem menção do homem romântico ao homem medieval – devido a semelhança entre dois.
  • 13. O heroi ou heroina do Romantismo São IDEALIZADOS. Ou seja Eles quase atingem a perfeição
  • 16. 1. Se inicia em mais ou menos 1836 – O momento literário. Mas em 1808 a Família Real chegam às nossas terras. Praticamente expulsos da Europa pelo bloqueio continental do Napoleão Bonaparte dos comércios entre os países europeus, o Portugal fica sem opções de negociações comerciais. Momento este em que decidem ir para ´´nossa colônia, nossa terra brasilis``.
  • 17. Com a chegada da Família Real o Brasil ganhou: Abertura de portos; A Biblioteca Nacional Imprensa Tipografia Edição Não vamos esquecer que em 1808 o Brasil ainda era colônia. O homem que morava no Brasil, intelectuais, por exemplo, já estavam cansados do imperialismo e coronealismo. Até que D. Pedro proclama a independência em 1922 PROFESSOR, MAS QUAL A RELAÇÃO DISSO COM A LITERATURA?
  • 18. É aí que começa o sentimento que chamamos de: ANTI-LUSITANO Entre estes sentimentos estão a arte. O brasileiro passa a querer se desprender da cultura europeia. MAS CUIDADO A nossa literatura ainda NÃO consegue ser totalmente independente. Isso só vai acontecer no início do século XX com o Modernismo.
  • 25. Conhecida como a geração: Mal-do-Século Amor exagerado O Sentimentalismo e o Egocentrismo CARACTERÍSTICA PRINCIPAL: MELANCOLIA, A TRISTEZA, A DEPRESSÃO, O SATANISMO E A OBSCURIDADE, ELÉM DE, CLARO, A MORTE.
  • 26. Byron foi um Inglês devasso e enlouquecido. Para os Românticos a morte possuía outro significado. Era o mesmo que: LIBERDADE. Morrer era deixar de sofrer.
  • 27. Por que o amor, a mulher e os sentimentos são tão valorizados nesta segunda fase do Romantismo? Cuidado: A MULHER É IDEALIZADA EM QUASE TODOS OS MOMENTOS DO ROMANTISMO. Mas na 2ª Geração da Poesia ela – a mulher – é idealizada demais. E esta é uma preferência do própria eu-lírico. Ele opta em idealizar, imaginar, sonhar com a perfeição desta figura feminina do que tê-la propriamente dita, ou seja, opta o irreal ao real.
  • 30. E aí a mãe chega com uma sopa. Não é ruim, mas naquele momento não era a sua idealização. Na verdade, ruim foi você ter imaginado uma lasanha e uma sobremesa deliciosa.
  • 31. É por isso que se sofre tanto nesta segunda fase do Romantismo. Porque se cria, imagina e idealiza – algo natural dos humanos no decorrer da vida – e não se atinge o que se esperou. Todos nós ainda somos românticos. Quando dizemos que alguém é romântico, que alguém possui uma visão romântica das coisas este é o real significado: Uma pessoa que idealiza as coisas. DICA DO PRO RAFA: Seja um Romântico no Ensino Médio. Foco no ENEM, idealize a sua vaga na universidade, idealize a sua vida acadêmica e o seu futuro profissional! Não coma a sopa. Como a lasanha com a coxinha de brigadeiro de nutella com morango.
  • 32. O GRANDE SÍMBOLO O GRANDE AUTOR DA 2ª GERAÇÃO DO ROMANTISMO Morre antes dos 21 anos, vítima de tuberculose. É o autor que engloba todas as características desta 2ª geração. Se destaca por sua POESIA primorosa.
  • 33. CUIDADO com as poesias de Álvares de Azevedo, MUITO CUIDADO. Porque ele não é apenas uma coisa. Ele abordará a escravidão (cuidado porque este estilo de poesia também pertence ao autor Pedro Ivo), Poesia Sentimentalista – sobre ele próprio – e daí vem o famoso poema: ´´Se eu morresse amanhã...``; Sua poesia é sentimental e faz muito uso da idealização da figura feminina. E MAIS DO QUE TUDO: Ele também fará DOIS TIPOS DE TEXTOS DIFERENTES: Teatro e Contos. No teatro escreveu o famoso texto MACÁRIO (jovem que encontra um velho senhor e que mais tarde descobre ser o Diabo). E em contos escreveu a obra Noites na Taverna, muito utilizado nos vestibulares. Incesto, necrofilia, degolação Livro de Poesias de Álvares de Azevedo é Lira dos Vinte Anos. E é deste livro que retiram a maioria das poesias contidas nas questões do ENEM e Grandes Vestibulares.
  • 34. Poeta considerado como sendo o queridinho de todos. Autor muito parodiado pelos outros poetas. Característica macabra, satânica e a melancolia exagerada, são características da segunda fase do Romantismo que não fazem parte da sua literatura. Não totalmente. Álvares de Azevedo é o exagero e o Casimiro é o ´´mimoso``, ´´querido``; nos dando a impressão de que para o Casimiro tudo é mais bonito. Porém não é apenas impressão, esta é de fato uma de suas características. Sua poesia é mais sútil, simples. Características: sutileza, simplicidade, poesia com ritmo, ou seja, há sonoridade. É dele a autoria de uma das poesias mais famosas mundialmente - ´´Meus Oito Anos``: (Ai que saudades da aurora da minha vida, da minha infância queria, que os anos não trazem mais``>
  • 35. Casimiro não viveu apenas de simplicidade e saudosismo. É dele também as poesias que traduzirão os grandes saraus da época, a beleza dos jovens dançando nos grandes bailes, a transcrição daquele amor que chamamos de ´´amor pueril`` (amor juvenil e puro).
  • 36. Autor pouco explorado nos vestibulares e ENEM, mas que merece uma atenção especial. Varela é a melancolia em forma de pessoa. Uma tristeza exacerbada. ´´Termina de ler e temos vontade de se matar.``. Varela possui uma característica muito famosa nele: O PANDEISMO (quando vemos Deus nas coisas). Ex: FRASE: Vejam que linda árvore! RESPOSTA: É a presença de Deus nela dando vida. Varela que já era depressivo, melancólico e que vivia o máximo do mal-do-século, num belo dia, em casa, após beber todas, tropeça e cai por cima do filho, matando-o. E a partir daí a depressão liquida com ele de uma vez por todas. Diante disso lhe vem a inspiração para compor o famoso poema: Cântico dos Calvários.

Notas do Editor

  1. Resposta: O termo romântico, independentemente da escola literária, refere-se às pessoas que, de um modo geral, acreditam no amor e esperam encontrar a pessoa amada. Espera-se que os alunos respondam à pergunta baseados em seus conhecimentos prévios e relacionem a ideia de romantismo com algumas características genéricas do movimento artístico.
  2. Resposta: Os alunos poderão responder que, apesar das profundas mudanças comportamentais e das novas configurações de relacionamento, ainda é possível verificar na sociedade moderna alguns traços do Romantismo, como o valor que muitas pessoas ainda atribuem ao casamento (seja ele oficial ou não). É claro que o conceito de comportamento romântico está se distanciando do amor cortês (principalmente por causa das relações de igualdade entre homem e mulher), mas é bom lembrar que muitas mulheres ainda preferem os galanteios, a proteção, as flores e a declaração exagerada do sentimento do amante. Os alunos devem responder com base em suas opiniões pessoais. A intenção é colocar em discussão se os ideais do Romantismo ainda estão presentes nos dias de hoje, ou se eles se restringem a determinado momento do passado.
  3. Com base nas informações levantadas nos dois primeiros slides, discutir com os alunos quais obras seriam românticas. Primeiro, eles devem apontar que obras seriam essas e explicar porque elas podem ser consideradas românticas. Anote no quadro as obras e características dos textos citados, que as identificariam como românticas. Assim, algumas noções gerais sobre o movimento já podem ser esboçadas.
  4. A Independência dos Estados Unidos, em 1776, e a Revolução Francesa, em 1789, provocaram repercussões não só na Europa, mas principalmente nas diversas colônias presentes na América. A busca pela independência e pela liberdade, em relação às metrópoles, desencadeou a formação de novos Estados Nacionais. Esses países, que se formaram politicamente, precisavam de uma unidade cultural para que o povo se reconhecesse ideologicamente, criando uma identidade nacional. Os artistas, percebendo a necessidade dessa cultura própria, passaram a retratar as paisagens e os costumes de suas terras, tanto na literatura quanto na pintura. Nascia, assim, um dos temas mais recorrentes das artes do período romântico, o nacionalismo.
  5. As pinturas e literaturas românticas retratavam frequentemente a flora e a fauna dos países de origem dos artistas, em oposição ao modelo proposto pelo Arcadismo, que visava à presença de uma natureza universal.
  6. Analisar a imagem deste slide, que se enquadra na estética arcadista, e fazer uma comparação com a obra do slide anterior. Colocar em discussão as seguintes perguntas: a) Como é apresentada a natureza em cada uma das obras? Quais dos pintores retrata a natureza da sua terra? A intenção é mostrar para os alunos como a obra romântica retrata a natureza local com a intenção de ressaltar a paisagem, como uma forma de nacionalismo. No Romantismo a natureza também tinha a função de mostrar o estado de espírito do autor (tristeza, alegria, angústia, etc). Já as obras do arcadismo retratavam a natureza como cenário, sempre bucólico, o qual transmitia o equilíbrio, a tranquilidade e a paz: alguns ideais de carpe diem do período.
  7. As invasões napoleônicas, que ameaçavam a soberania de Portugal, obrigaram a Família Real a fugir para o Brasil, no ano de 1808. Posteriormente, D. João VI transferiu a Corte portuguesa e todo o aparelho burocrático para o Brasil. Ministros, políticos, juízes, funcionários da administração da Corte, o alto clero, a nobreza, comerciantes, populares, etc. deslocaram-se para o Brasil onde fincaram suas raízes. Com o deslocamento humano vieram os tesouros do reino, incluindo diversas bibliotecas, equipamentos gráficos, etc.
  8. Os portugueses, insatisfeitos com a crise política que se instituiu em Portugal, revoltaram-se e exigiram o retorno de D. João VI. Ante o receio de perder o controle sobre sua terra natal, o rei retornou em 1821, acompanhado de quatro mil portugueses. Seu filho, D. Pedro I, assumiu a Coroa no Brasil e proclamou a independência no ano seguinte. Consumada a independência política, faltava fazer com que os brasileiros se identificassem como brasileiros, ou seja, que compusessem, em conformidade com o vocabulário político dos fins do século XVIII, uma nação.
  9. O poeta Gonçalves Dias (1823- -1864) nasceu no Maranhão. Muito jovem e seguindo a tradição dos brasileiros ricos, viajou para Portugal, em 1838, com o objetivo de realizar o curso preparatório para ingressar no curso de Direito da Universidade de Coimbra. Já estudante universitário, o poeta teve contato com escritores românticos portugueses, alemães e franceses. Em função dessa convivência, conheceu o nacionalismo, que incorporou à sua obra, até então, permeada pelo ideário artístico europeu.
  10. Note-se que boa parte da exploração nacionalista dessa obra se dá por meio de outro grande tema romântico: a natureza. Enquanto os poetas europeus cantavam o cipreste ou o carvalho – árvores nativas da Europa – Gonçalves Dias, então em Coimbra, falava das saudades que sentia da pátria brasileira, enaltecendo as virtudes da natureza típica de nosso país. Daí a escolha da palmeira, característica da Região Nordeste. Para exaltar a fauna, o poeta elegeu o sabiá. Era comum entre os autores europeus a exaltação do rouxinol, pássaro de belíssimo canto, habitante das paisagens europeias. Em um clima de comparação, que dá clara superioridade ao ambiente brasileiro, Gonçalves Dias desafia a histórica sonoridade do canto do rouxinol nos versos: “As aves, que aqui gorjeiam,/ Não gorjeiam como lá”.
  11. O poema “Canção do exílio” traz, também, um dos temas marcantes do Romantismo, a solidão. Os poetas românticos valorizavam o isolamento como forma de atingir a plenitude para a criação poética. Para muitos, o exílio e o isolamento decorriam inclusive de práticas sociais. Gonçalves Dias, que saiu do Brasil para estudar, assim como muitos outros jovens poetas de sua época, vivenciou, dessa forma, o exílio voluntário.
  12. A dificuldade de se inserir no sistema de produção capitalista levou diversos poetas românticos a uma introspecção subjetiva. Diante disso, muitos deles, ante a realidade que se figurava opressora, expressaram em seus poemas a vontade de morrer, o pessimismo, o desejo de evasão. Outras formas de reação aos valores sociais do final do século XVII e início do século XIX foram a ironia e o sarcasmo. A poesia da segunda geração romântica transitará entre manifestações absolutamente tímidas e moldadas pelo amor platônico e idealizado e a crítica sarcástica à sociedade. O poeta valorizava, então, não só a mulher idealizada, mas também a real, de carne e osso, com a qual ele efetivamente convivia.
  13. O poeta inglês Lord Byron foi o grande inspirador da estética literária “segunda geração poética”, tanto por suas composições quanto por seu estilo de vida. Byron era um aventureiro intelectualizado que participou da guerra pela libertação da Grécia contra os turcos, viveu amores proibidos, entre outras experiências cantadas em sua obra. A influência de Byron foi fortíssima entre os românticos brasileiros, a ponto de ele ser, inclusive, traduzido por Castro Alves.
  14. Entre os poetas da segunda geração, destaca-se Álvares de Azevedo. Seguindo a tradição das famílias abastadas, o poeta ingressou na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, com 16 anos. Lá pôde conviver com José de Alencar e José Bonifácio, nomes que se destacariam no âmbito das letras e da política brasileira. Em torno da biografia de Álvares de Azevedo circularam diversas lendas. Uma delas era a de que o poeta participou da sociedade epicureia – um grupo que cultuava o prazer acima de tudo. Essa sociedade, estimulada por vinho e conhaque, reunia-se em tavernas e cemitérios.
  15. A poesia de Álvares de Azevedo apresentava forte dualidade. A primeira parte de suas obras revelava um rapaz sensível e sonhador, o lado Ariel, angelical, que via, na imagem da virgem pálida e idealizada, a possibilidade do amor, mesmo que este só se concretizasse com a morte.
  16. Casimiro de Abreu foi outro poeta de significativa importância na segunda geração. Nascido em 1839, em Barra de São João, RJ, filho de um rico comerciante e fazendeiro português, o poeta recebeu apenas instrução primária em Nova Friburgo. Obrigado pelo pai a trabalhar no comércio, foi para o Rio de Janeiro, em 1852. No ano seguinte, viajou para Portugal e teve a oportunidade de iniciar-se em atividades literárias. A partir daí, passou a escrever poemas inspirados em Gonçalves Dias, que tinham como tema a natureza do Brasil. Casimiro retornou ao país em 1857 e passou a atuar como jornalista no jornal Correio Mercantil, com Manuel Antônio de Almeida e o jovem, e ainda revisor de textos, Machado de Assis.
  17. Fagundes Varela foi o último poeta representativo da segunda geração romântica (1841-1875). Filho de um juiz, passou a infância no interior do Rio de Janeiro. No ano de 1862, o futuro poeta matriculou-se na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, em São Paulo. Nunca terminou o curso de Direito, preferindo a literatura e dispersando-se na boêmia. Varela, contrariando todas as expectativas da sociedade da época, casou-se com uma atriz de circo por quem havia se apaixonado. A família não aceitou o matrimônio, fato esse que contribuiu para agravar as suas dificuldades financeiras.
  18. A terceira geração da poesia romântica é conhecida como condoreira ou social, pois tinha como objetivo descrever os males que assolavam a sociedade brasileira, como a escravidão.
  19. O poeta Castro Alves (1847-1871) é, sem dúvida, o maior representante da terceira geração romântica. Nascido no interior da Bahia, mudou-se, ainda jovem, com a família para Salvador. Nos tempos de colégio, Castro Alves foi colega de Rui Barbosa. Em 1862, mudou-se para o Recife, para concluir o curso preparatório e ingressar na Faculdade de Direito do Recife. Lá, integrou-se rapidamente à vida literária acadêmica. Boêmio e admirado pelos seus versos, o poeta acabou por negligenciar os estudos.
  20. O lirismo-amoroso de Castro Alves foi moldado por um erotismo incomum aos poetas românticos das gerações anteriores. É bem provável que esse erotismo tenha decorrido da experiência amorosa com a atriz Eugênia Câmara. O poeta tornou--se famoso pela poesia de cunho social, especialmente, contra a escravidão.