romantismo terceira geração

1.186 visualizações

Publicada em

romantismo

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

romantismo terceira geração

  1. 1. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia- CampusColorado do Oeste. 2º A 2014 Docente: Salete Borino. Discentes: Bruno Wermuth, Diogo Ferreira, Gabriell Duarte. Romantismo noBrasil terceira geração: A poesia social
  2. 2. Contexto histórico Liberdade Escravidão Conflito 1888 - Abolição da Escravatura 1889 - Proclamação da República
  3. 3. 3º Geração romântica Poesia romântica:condoreira ousocial GeraçãoCondoreira ouHugoana
  4. 4. Características Uso de exclamações, exageros, apóstrofes. Mulher presente, carnal. Negação do amor platônico. Luta pela liberdade, temáticas sociais. Ainda fala sobre oamor. O condor simboliza a liberdade, por isso geração condoreira. Questões sociais.
  5. 5. Projeto literário da poesia daterceira geração Os agentesdo discurso Condição de produção dos textos. Condições de circulaçãodos textos. A poesia e o público.
  6. 6. Victor Hugo(1802-1855) Francês. Arte política. Obra principal: OsMiseráveis. Obras críticas.
  7. 7. Os Miseráveis 1862. Caráter social. A injustiça social da França do século XIX. Estilo narrativo. Personagensintensose extremados. História de Jean Valjean.
  8. 8. AntônioFrederico de Castro Alves (1847-1871) Baiano Doença pulmonar 1864: começou a estudar Direito e seu irmão cometeu suicídio 1867: abandonou Recife e voltou à Bahia Consagração dele e de sua amante (Eugênia Câmara)na apresentação de Gonzaga (ARevoluçãode Minas). Apresentação de “Navio Negreiro” (07/09/1868) Retorno àBahia,onde adoença pulmonar agravou-se e ele morreu Poesia social: Castro Alves foi capaz de unir arte literáriacom poesia social. Poesia lírica: Em relação aos outros poetas românticos, apresenta avanços.
  9. 9. Principais obras Poesia Navio Negreiro, 1868. Espumas Flutuantes, 1870. A Cachoeira de Paulo Afonso, 1976. Os Escravos, 1883. Hinos do Equador, em edição se suas Obras Completas (1921). Tragédia no Mar. Teatro Gonzaga ou a Revolução de Minas, 1875.
  10. 10. Navio Negreiro VI Existe um povo que a bandeira empresta P'ra cobrir tanta infâmia e cobardia!... E deixa-a transformar-se nessa festa Em manto impuro de bacante fria!... Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta, Que impudente na gávea tripudia? Silêncio. Musa... chora, e chora tanto Que o pavilhão se lave no teu pranto! ... Auriverde pendão de minha terra, Que a brisa do Brasil beija e balança, Estandarte que a luz do sol encerra E as promessas divinas da esperança... Tu que, da liberdade após a guerra, Foste hasteado dos heróis na lança Antes te houvessem roto na batalha, Que servires a um povo de mortalha!... Fatalidade atroz que a mente esmaga! Extingue nesta hora o brigue imundo O trilho que Colombo abriu nas vagas, Como um íris no pélago profundo! Mas é infâmia demais! ... Da etérea plaga Levantai-vos, heróis do Novo Mundo! Andrada! arranca esse pendão dos ares! Colombo! fecha a porta dos teus mares!
  11. 11. Joaquim de Sousa Andrade (1833-1902) NasceuemAlcântara,Maranhão. Formou-seemLetraspelaSorbonne.Depoisfazocursode Engenharia. Em 1870, conheceu várias repúblicas latinoamericanas. A partir de 1871, fixou residência em Nova Iorque, onde mandouimprimirsuasObraspoéticas. Em1884, lançouaversão definitivadeseuOGuesa Errante,obraradicalerenovadora. Morreuabandonadoe comfamadelouco.
  12. 12. Principais obras Poesia Harpas Selvagens, 1857. O Guesa Errante, 1866. Novo Èden, 1893.
  13. 13. OGuesa Errante O sol ao pôr-do-sol (triste soslaio!)...o arroio Em pedras estendido, em seus soluços Desmaia o céu d'estrelas arenoso E o lago anila seus lençóis d'espelho... Era a Ilha do Sol, sempre florida Ferrete-azul, o céu, brando o ar pureza E as vias-lácteas sendas odorantes Alvas, tão alvas!... Sonoros mares, a onda d'esmeralda Pelo areal rolando luminosa... As velas todas-chamas aclaram todo o ar.
  14. 14. Obrigado pela atenção!

×