SlideShare uma empresa Scribd logo
 
Formação de palavras
Prof. Esp. Rafael Vasconcelos
Vasconcelos.professor@gmail.com
Onde a Língua Portuguesa é falada?Onde a Língua Portuguesa é falada?
O português é língua oficial dos seguintes países:
Brasil, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique,
São Tomé e Príncipe. No Timor Leste é uma das duas línguas
oficiais a outra é o tétum.
O português convive com idiomas nativos nos seguintes
territórios: Diu, Damão, Goa e Macau.
A África do Sul e a França são os países onde existe um
maior número de falantes do português como língua estrangeira.
Há, aproximadamente, 216,5 milhões de falantes da língua
no mundo, distribuídos nos 5 continentes: América (Brasil),
África (Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique
República Democrática de São Tomé e Príncipe), Europa
(Portugal), Ásia (Macao, Goa, Damão, Diu) e Oceania
(Timor).
Uma sociedade em permanente mudança, que cria a todo
instante novas necessidades e novos objetos de consumo,
precisa ter também uma linguagem dinâmica, que
acompanhe essas transformações.
O falante de uma língua poderá formar uma palavra
nova: a partir de elementos já existentes, importando um termo
de uma língua estrangeira ou alterando o significado de uma
palavra antiga, sempre que for necessário um nome para designar
uma ideia ou objeto novo. A palavras assim criadas, dá-se o nome
de neologismos.
Os avanços na era da informática nos últimos tempos,
por exemplo, acabaram por incorporar à língua portuguesa
inúmeros termos novos.
Há, na língua portuguesa, muitos processos pelos quais
se formam palavras e cujos mecanismos são constantemente
utilizados para traduzir, em palavras novas, novas realidades.
Entre os processos de formação de palavras, dois são
mais comuns em português: a derivação e a composição.
É o processo pelo qual a partir de uma palavra se formam
outras, por meio do acréscimo de certos elementos que
lhe alteram o sentido primitivo ou lhe acrescentam um sentido
novo.
Os processos de derivação são:
 Derivação prefixal: ocorre quando há acréscimo de um
prefixo a um radical.
Contrapor contra + por
prefixo
radical
 Derivação sufixal:ocorre quando há acréscimo de um sufixo
a um radical.
arvoredo  arvor + -edo
radical sufixo
 Derivação parassintética: ocorre quando há acréscimo
simultâneo de um prefixo e de um sufixo a um radical.
Engarrafar  en- + garraf + -ar
prefixo radical sufixo
As formas parassintéticas são constituídas por
substantivos e adjetivos e podem ser nominais (alinhamento,
embarcação,
desalmado) e verbais ( anoitecer, enraivecer, endurecer). Os
prefixos que geralmente são empregados na formação de
parassintéticos verbais são: es-, em-, a-.
 Derivação prefixal e sufixal: ocorre quando há acréscimo
não-simultâneo de um prefixo e de um sufixo a um radical.
imperdoável im- + perdo + -ável
prefixo radical sufixo
 Derivação regressiva: ocorre quando há eliminação de ele-
mentos terminais (sufixos, desinências).
Consumir  consumo
Observação:
Às vezes é difícil distinguir se a palavra é primitiva ou derivada.
O filólogo Mário Barreto sugere “(...) se o substantivo denota ação, será
palavra derivada, e o verbo palavra primitiva; mas se o nome denota
algum objeto ou substância, se verificará o contrário”. Assim choro,
socorro e emprego, denotadores de ação, são palavras derivadas;
azulejo, alimento e fumo são palavras primitivas que dão origem aos
verbos azulejar, alimentar e fumar.
Derivação imprópria: ocorre quando há mudança de
sentido
e de classe gramatical. Só é possível identificar uma
derivação
imprópria dentro de um contexto ou de uma frase.
O animal foi capturado pelo zoológico e a festa foi
animal.substantivo adjetivo
COMPOSIÇÃO
Consiste na associação de duas ou mais palavras (ou
radicais), para formar uma outra de significação nova, à qual
se
denomina palavra composta. Os dois tipos de composição
são:
justaposição e aglutinação.
 Composição por justaposição
As palavras unem-se sem qualquer alteração fonética
e gráfica. Ex.: guarda-noturno, dona-de-casa, obra-
prima,
pé-de-moleque, dia-a-dia, joão-ninguém, alma-gêmea etc.
 Composição por aglutinação
As palavras associadas se fundem num todo fonético,
com um só acento tônico, e o primeiro componente perde
alguns elementos, normalmente acento tônico, vogal e
consoante. Ex.: petróleo(pedra + óleo), aguardente (água +
ardente),
embora (em + boa + hora), vinagre (vinho + acre), fidalgo
(filho + de + algo)

HibridismoO hibridismo é a formação de palavras por derivação
ou composição, a partir de elementos (radicais e afixos) pro-
vindos de línguas diferentes.
Ex: burocracia (francês e grego), goiabeira (tupi e
português),
sociologia (latim e grego), asmático (português e latim)
 Abreviação vocabular (ou redução)
Consiste em reduzir as palavras, com o objetivo de eco-
nomizar tempo e espaço na comunicação falada e escrita. Ex.:
auto (automóvel), pneu (pneumático), ônibus (auto-ônibus),
moto (motocicleta), foto (fotografia), quilo (quilograma).

Siglas
 Abreviatura
São empregadas principalmente como redução de no-
mês de empresa, firmas, organizações internacionais, partidos
políticos, serviços públicos, associações estudantis e
recreativas. Ex.: IBOPE, ONU, UNE, IBGE, CD, AIDS, etc.
É a redução na grafia de certas palavras, geralmente,
as limitando à letra inicial ou às letras iniciais e, às vezes à
letra inicial com a final. Ex.: p. ou pág. (página), cal
(caloria),
Sr. (senhor), av. (avenida)
 Onomatopéia
A onomatopeia consiste na formação de palavras que
buscam reproduzir vozes de seres, sons ou ruídos da natureza.
zas! tique-taque piu!
bum! toque-toque miau!
cabrum! zigue-zague au!
 Palavra-
valisePalavra-valise é uma redução que utiliza parte de duas
palavras primitivas para formar uma palavra nova. Elefantástico
(elefante + fantástico); portunhol (português + espanhol),
brasiguaio (brasileiro + paraguaio).
Observação: em geral, os verbos e substantivos denotadores de
vozes de animais têm origem onomatopeica. Ex.: ciciar (cicio
da cigarra), coaxar (coaxo da rã e do sapo).
 Estrangeirismo
É o emprego de palavra estrangeira em frases de língua
portuguesa. As palavras estrangeiras incorporadas à língua pelo
uso constante podem ganhar ortografia portuguesa e/ou originar
novas palavras por meio de processos típicos do português.
Do ponto de vista formal podemos reconhecer 3 tipos de
estrangeirismos:
a) Decalque
Versão literal do lexema modelo na língua originária.
Ex: antipoluente, bens de consumo, cartão de crédito, toca-fitas,
freio, fim de semana, para-brisa, supermercado, etc.
b) Adaptação da forma estrangeira à fonética e ortografia
brasileira
Isso ocorre em geral quando o estrangeirismo já foi
adotado há muito tempo pela nossa cultura. Exemplo:
Anglicismos: boicote (boy-cott), clube (club), coquetel (cocktail),
drinque (drink), estoque (stock), filme (film), futebol (foot-ball),
xampu (shampoo), sanduíche (sandwich), teste (test), etc.
Galicismo: ateliê (atelier), bufê (buffet), boate (boite), patê
(paté),
pivô (pivot), ruge (rouge), toalete (toilette), chofer (chauffeur) etc
c) Incorporação do vocábulo com a sua grafia e fonética
originais
• anglicismos: best-seller,check-up, close-up,cowboy, gangster,
hamburguer, hardware, know-how, layout, marketing, poster,
play-boy, show, smoking, software, xerox, etc.
• galicismos: avant-premiér, couvert, gourmet, lingerie, tournée,
maitre-d’hôtel, pot-pourri, reveillón,etc.
• outros idiomas: karatê (coreano), quibe (árabe), vodca (russo),
iogurte (turco), pizza (italiano), campus, curriculum (latim), etc
Não há dúvida alguma de que, após a Segunda Guerra
Mundial, os empréstimos e apropriações da língua inglesa
proliferaram, seja porque a cultura norte-americana invadiu vários
segmentos (cinema, informática, música), seja pelo poder político
e econômico dos Estados Unidos.
 Gírias
São palavras ou expressões de criação popular que nas-
em em determinados grupos sociais ou profissionais e que, às
vezes, por sua expressividade acabam se estendendo à lingua-
gem de todas as camadas sociais.
Gírias curiosas
• Anos 60 e 70
bulhufas ou lhufas: nada.
carango: carro
cricri: chato
gaita: dinheiro
mora? Entende?
tá ruço: tá ruim
broto:moça
boko-moko: pessoa que não
sabe se comportar, seja no mo-
do de falar, seja no modo de
vestir.
papo-firme: que não dá mancada
na crista da onda: em pleno
sucesso
• dos metaleiros
capilas: dinheiro
breja: cerveja
pão molhado: policial
• dos lutadores de jiu-jitsu
amarelão: medroso
cheio de marra: metido
casca grossa : lutador muito bom
tomar toco: levar o fora
• dos internautas
lemmar: falso internauta
lag:demora no recebimento de mensagens
[ ]e: abraços
o cara mais underground que eu conheço é o diabo
que no inferno toca cover das canções celestiais
com sua banda formada só por anjos decaídos
A plateia pega fogo, quando rola os festivais
enquanto isso deus brinca de gangorra no playground
do céu com os santos que já foram homens de pecado
de repente os santos falam “toca deus um som maneiro”
e deus fala “aguenta vou rolar um som pesado”
a banda cover do diabo acho que já tá por fora
o mercado tá de olho é no som que deus criou
com trombetas distorcidas e harpas envenenadas
mundo inteiro vai pirar com o heavy metal do senhor.
Zeca Baleiro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Advérbios
AdvérbiosAdvérbios
Advérbios
Andriane Cursino
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
CDIM Daniel
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
EstudareLegal
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
Alice Silva
 
Funções do pronome relativo
Funções do pronome relativoFunções do pronome relativo
Funções do pronome relativo
espacoaberto
 
Anáfora e catáfora
Anáfora e catáforaAnáfora e catáfora
Anáfora e catáfora
Gleide Leal
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
IedaSantana
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
Rebeca Kaus
 
Prosa x poema x soneto
Prosa x poema x sonetoProsa x poema x soneto
Prosa x poema x soneto
Valeria Nunes
 
Sinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimosSinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimos
Persalde Santiago
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
Camila Desidério
 
Orações adjetivas
Orações adjetivasOrações adjetivas
Orações adjetivas
Cassandra Cruz
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
Blog Estudo
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
Flávio Ferreira
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
PaolaLins
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Verônica Carvalho
 
Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
Rosana Sales
 
Pronomes ensino médio
Pronomes ensino médioPronomes ensino médio
Pronomes ensino médio
Escola Estadual Joaquim Abarca -
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
Rita Cunha
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
7 de Setembro
 

Mais procurados (20)

Advérbios
AdvérbiosAdvérbios
Advérbios
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Funções do pronome relativo
Funções do pronome relativoFunções do pronome relativo
Funções do pronome relativo
 
Anáfora e catáfora
Anáfora e catáforaAnáfora e catáfora
Anáfora e catáfora
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
Prosa x poema x soneto
Prosa x poema x sonetoProsa x poema x soneto
Prosa x poema x soneto
 
Sinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimosSinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimos
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Orações adjetivas
Orações adjetivasOrações adjetivas
Orações adjetivas
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
 
Pronomes ensino médio
Pronomes ensino médioPronomes ensino médio
Pronomes ensino médio
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 

Destaque

Aula revisão formação de palavras
Aula revisão formação de palavrasAula revisão formação de palavras
Aula revisão formação de palavras
Otávia Vieira
 
Processos de formação das palavras
Processos de formação das palavrasProcessos de formação das palavras
Processos de formação das palavras
guest85fbf7c
 
Processo De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das PalavrasProcesso De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das Palavras
guest75cb1b
 
Estrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavraEstrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavra
CandidoCalazans
 
Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666
Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666
Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666
Rita Mitozo
 
Estrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasEstrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavras
Dani Bertollo
 
Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2
Karen Olivan
 
Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1
Karen Olivan
 
208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues
208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues
208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues
José Urbano Menegheli
 
Processo de formação das palavras
Processo de formação das palavrasProcesso de formação das palavras
Processo de formação das palavras
Dani Bertollo
 
Qual verdadeiro Nome de Deus?
Qual verdadeiro Nome de Deus?Qual verdadeiro Nome de Deus?
Qual verdadeiro Nome de Deus?
ASD Remanescentes
 
Elementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraElementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavra
Karen Olivan
 
Processos de formação de palavras
Processos de formação de palavrasProcessos de formação de palavras
Processos de formação de palavras
Olivaldo Ferreira
 
Atividades do livro correção
Atividades do livro   correçãoAtividades do livro   correção
Atividades do livro correção
Olivaldo Ferreira
 
6 estrutura e formação das palavras
6   estrutura e formação das palavras6   estrutura e formação das palavras
6 estrutura e formação das palavras
Ivana Mayrink
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
Itacarambi
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
Ayla De Sá Marques
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
Lidia Araujo
 
Análise de crônica
Análise de crônicaAnálise de crônica
Estrutura para monografia
Estrutura para monografiaEstrutura para monografia
Estrutura para monografia
Faell Vasconcelos
 

Destaque (20)

Aula revisão formação de palavras
Aula revisão formação de palavrasAula revisão formação de palavras
Aula revisão formação de palavras
 
Processos de formação das palavras
Processos de formação das palavrasProcessos de formação das palavras
Processos de formação das palavras
 
Processo De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das PalavrasProcesso De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das Palavras
 
Estrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavraEstrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavra
 
Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666
Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666
Jesus xesus É O VERDADEIROS ANTÍLOGO 666
 
Estrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasEstrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavras
 
Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2
 
Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1
 
208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues
208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues
208719166 dicionario-grego-x-hebraico-portugues
 
Processo de formação das palavras
Processo de formação das palavrasProcesso de formação das palavras
Processo de formação das palavras
 
Qual verdadeiro Nome de Deus?
Qual verdadeiro Nome de Deus?Qual verdadeiro Nome de Deus?
Qual verdadeiro Nome de Deus?
 
Elementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraElementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavra
 
Processos de formação de palavras
Processos de formação de palavrasProcessos de formação de palavras
Processos de formação de palavras
 
Atividades do livro correção
Atividades do livro   correçãoAtividades do livro   correção
Atividades do livro correção
 
6 estrutura e formação das palavras
6   estrutura e formação das palavras6   estrutura e formação das palavras
6 estrutura e formação das palavras
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Análise de crônica
Análise de crônicaAnálise de crônica
Análise de crônica
 
Estrutura para monografia
Estrutura para monografiaEstrutura para monografia
Estrutura para monografia
 

Semelhante a Processo de Formação das Palavras

Processo De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das PalavrasProcesso De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das Palavras
Angela Santos
 
Formação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptx
Formação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptxFormação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptx
Formação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptx
Superclaudinei
 
[Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês][Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês]
Danny_9
 
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavrasEstrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Eduardo Lopes
 
Resumão de português
Resumão de portuguêsResumão de português
Resumão de português
Camilla Gagliardi dos Santos
 
Formação das palavras [salvo automaticamente]
Formação das palavras [salvo automaticamente]Formação das palavras [salvo automaticamente]
Formação das palavras [salvo automaticamente]
Jolcimari Thomazi
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
Andriane Cursino
 
Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24
Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24
Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Alpha gramática aulas 23 e 24 blog 2015 (1)
Alpha gramática aulas 23 e 24   blog 2015 (1)Alpha gramática aulas 23 e 24   blog 2015 (1)
Alpha gramática aulas 23 e 24 blog 2015 (1)
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Oficina ana
Oficina anaOficina ana
Oficina ana
Ana Cristina sousa
 
Elementos da comunicação 15 03-2022
Elementos da comunicação 15 03-2022Elementos da comunicação 15 03-2022
Elementos da comunicação 15 03-2022
JoyceLeon1
 
Novos processo de formação de palavras completo
Novos processo de formação de palavras completoNovos processo de formação de palavras completo
Novos processo de formação de palavras completo
Filipe Simão Kembo
 
3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras
3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras
3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras
Angélica Manenti
 
Dicas sobre a Nova Ortografia
Dicas sobre a Nova OrtografiaDicas sobre a Nova Ortografia
Dicas sobre a Nova Ortografia
Christiane Queiroz
 
Estrutura das Palavras
Estrutura das Palavras Estrutura das Palavras
Estrutura das Palavras
conca66
 
Estrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelleEstrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelle
conca66
 
Estrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelleEstrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelle
conca66
 
Regras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráficaRegras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráfica
Camila Rodrigues
 
COMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptx
COMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptxCOMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptx
COMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptx
GISLANDIANERIDESOUSA
 
Estudo da língua portuguêsa
Estudo da língua portuguêsaEstudo da língua portuguêsa
Estudo da língua portuguêsa
Rafael Soares de Moura
 

Semelhante a Processo de Formação das Palavras (20)

Processo De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das PalavrasProcesso De FormaçãO Das Palavras
Processo De FormaçãO Das Palavras
 
Formação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptx
Formação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptxFormação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptx
Formação de palavrashhhhgggfftdehfgfhhh.pptx
 
[Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês][Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês]
 
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavrasEstrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
 
Resumão de português
Resumão de portuguêsResumão de português
Resumão de português
 
Formação das palavras [salvo automaticamente]
Formação das palavras [salvo automaticamente]Formação das palavras [salvo automaticamente]
Formação das palavras [salvo automaticamente]
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24
Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24
Profª Márcia Lídia |1º ANO |Gramática aulas 23 e 24
 
Alpha gramática aulas 23 e 24 blog 2015 (1)
Alpha gramática aulas 23 e 24   blog 2015 (1)Alpha gramática aulas 23 e 24   blog 2015 (1)
Alpha gramática aulas 23 e 24 blog 2015 (1)
 
Oficina ana
Oficina anaOficina ana
Oficina ana
 
Elementos da comunicação 15 03-2022
Elementos da comunicação 15 03-2022Elementos da comunicação 15 03-2022
Elementos da comunicação 15 03-2022
 
Novos processo de formação de palavras completo
Novos processo de formação de palavras completoNovos processo de formação de palavras completo
Novos processo de formação de palavras completo
 
3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras
3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras
3ª série E. M. - Variação linguística, acentuação gráfica e formação de palavras
 
Dicas sobre a Nova Ortografia
Dicas sobre a Nova OrtografiaDicas sobre a Nova Ortografia
Dicas sobre a Nova Ortografia
 
Estrutura das Palavras
Estrutura das Palavras Estrutura das Palavras
Estrutura das Palavras
 
Estrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelleEstrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelle
 
Estrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelleEstrutura das palavras michelle
Estrutura das palavras michelle
 
Regras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráficaRegras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráfica
 
COMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptx
COMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptxCOMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptx
COMPOSICAO-DERIVACAO-SUFIXO-POEMA-PARODIA (1).pptx
 
Estudo da língua portuguêsa
Estudo da língua portuguêsaEstudo da língua portuguêsa
Estudo da língua portuguêsa
 

Mais de Faell Vasconcelos

Análise do período simples
Análise do período simplesAnálise do período simples
Análise do período simples
Faell Vasconcelos
 
Funções Sintáticas
Funções SintáticasFunções Sintáticas
Funções Sintáticas
Faell Vasconcelos
 
Pré-Modernismo
Pré-ModernismoPré-Modernismo
Pré-Modernismo
Faell Vasconcelos
 
Enem e vestibulares
Enem e vestibularesEnem e vestibulares
Enem e vestibulares
Faell Vasconcelos
 
Vanguardas Europeias - Literatura
Vanguardas Europeias - LiteraturaVanguardas Europeias - Literatura
Vanguardas Europeias - Literatura
Faell Vasconcelos
 
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal
Adjunto Adnominal e Complemento NominalAdjunto Adnominal e Complemento Nominal
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal
Faell Vasconcelos
 
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoRomantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Faell Vasconcelos
 
Estudo do Período Simples
Estudo do Período SimplesEstudo do Período Simples
Estudo do Período Simples
Faell Vasconcelos
 
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de PalavrasFonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Faell Vasconcelos
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
Faell Vasconcelos
 
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
Faell Vasconcelos
 
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
Faell Vasconcelos
 
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
Faell Vasconcelos
 
Realismo - Naturalismo
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
Faell Vasconcelos
 
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1 1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
Faell Vasconcelos
 
Unidade 1 - Positivo
Unidade 1 - PositivoUnidade 1 - Positivo
Unidade 1 - Positivo
Faell Vasconcelos
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
Faell Vasconcelos
 
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações CoordenadasGramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Faell Vasconcelos
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
Faell Vasconcelos
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Faell Vasconcelos
 

Mais de Faell Vasconcelos (20)

Análise do período simples
Análise do período simplesAnálise do período simples
Análise do período simples
 
Funções Sintáticas
Funções SintáticasFunções Sintáticas
Funções Sintáticas
 
Pré-Modernismo
Pré-ModernismoPré-Modernismo
Pré-Modernismo
 
Enem e vestibulares
Enem e vestibularesEnem e vestibulares
Enem e vestibulares
 
Vanguardas Europeias - Literatura
Vanguardas Europeias - LiteraturaVanguardas Europeias - Literatura
Vanguardas Europeias - Literatura
 
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal
Adjunto Adnominal e Complemento NominalAdjunto Adnominal e Complemento Nominal
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal
 
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoRomantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
 
Estudo do Período Simples
Estudo do Período SimplesEstudo do Período Simples
Estudo do Período Simples
 
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de PalavrasFonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
3ª Ensino Médio - TR - Unidade 1 do 1º Bimestre
 
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
LITERATURA - Unidade 1 - 1º Bimestre - 2013
 
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
TR - Unidade 1 do 1º Bimestre - SLIDES (2013)
 
Realismo - Naturalismo
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
 
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1 1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
1ª série Ensino Médio - POSITIVO - Literatura - Unidade 1
 
Unidade 1 - Positivo
Unidade 1 - PositivoUnidade 1 - Positivo
Unidade 1 - Positivo
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações CoordenadasGramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
 
Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Último

Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 

Último (20)

Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 

Processo de Formação das Palavras

  • 1.   Formação de palavras Prof. Esp. Rafael Vasconcelos Vasconcelos.professor@gmail.com
  • 2. Onde a Língua Portuguesa é falada?Onde a Língua Portuguesa é falada? O português é língua oficial dos seguintes países: Brasil, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe. No Timor Leste é uma das duas línguas oficiais a outra é o tétum. O português convive com idiomas nativos nos seguintes territórios: Diu, Damão, Goa e Macau. A África do Sul e a França são os países onde existe um maior número de falantes do português como língua estrangeira. Há, aproximadamente, 216,5 milhões de falantes da língua no mundo, distribuídos nos 5 continentes: América (Brasil), África (Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique República Democrática de São Tomé e Príncipe), Europa (Portugal), Ásia (Macao, Goa, Damão, Diu) e Oceania (Timor).
  • 3. Uma sociedade em permanente mudança, que cria a todo instante novas necessidades e novos objetos de consumo, precisa ter também uma linguagem dinâmica, que acompanhe essas transformações. O falante de uma língua poderá formar uma palavra nova: a partir de elementos já existentes, importando um termo de uma língua estrangeira ou alterando o significado de uma palavra antiga, sempre que for necessário um nome para designar uma ideia ou objeto novo. A palavras assim criadas, dá-se o nome de neologismos.
  • 4. Os avanços na era da informática nos últimos tempos, por exemplo, acabaram por incorporar à língua portuguesa inúmeros termos novos. Há, na língua portuguesa, muitos processos pelos quais se formam palavras e cujos mecanismos são constantemente utilizados para traduzir, em palavras novas, novas realidades. Entre os processos de formação de palavras, dois são mais comuns em português: a derivação e a composição.
  • 5. É o processo pelo qual a partir de uma palavra se formam outras, por meio do acréscimo de certos elementos que lhe alteram o sentido primitivo ou lhe acrescentam um sentido novo. Os processos de derivação são:  Derivação prefixal: ocorre quando há acréscimo de um prefixo a um radical. Contrapor contra + por prefixo radical
  • 6.  Derivação sufixal:ocorre quando há acréscimo de um sufixo a um radical. arvoredo  arvor + -edo radical sufixo  Derivação parassintética: ocorre quando há acréscimo simultâneo de um prefixo e de um sufixo a um radical. Engarrafar  en- + garraf + -ar prefixo radical sufixo As formas parassintéticas são constituídas por substantivos e adjetivos e podem ser nominais (alinhamento, embarcação, desalmado) e verbais ( anoitecer, enraivecer, endurecer). Os prefixos que geralmente são empregados na formação de parassintéticos verbais são: es-, em-, a-.
  • 7.  Derivação prefixal e sufixal: ocorre quando há acréscimo não-simultâneo de um prefixo e de um sufixo a um radical. imperdoável im- + perdo + -ável prefixo radical sufixo  Derivação regressiva: ocorre quando há eliminação de ele- mentos terminais (sufixos, desinências). Consumir  consumo Observação: Às vezes é difícil distinguir se a palavra é primitiva ou derivada. O filólogo Mário Barreto sugere “(...) se o substantivo denota ação, será palavra derivada, e o verbo palavra primitiva; mas se o nome denota algum objeto ou substância, se verificará o contrário”. Assim choro, socorro e emprego, denotadores de ação, são palavras derivadas; azulejo, alimento e fumo são palavras primitivas que dão origem aos verbos azulejar, alimentar e fumar.
  • 8. Derivação imprópria: ocorre quando há mudança de sentido e de classe gramatical. Só é possível identificar uma derivação imprópria dentro de um contexto ou de uma frase. O animal foi capturado pelo zoológico e a festa foi animal.substantivo adjetivo COMPOSIÇÃO Consiste na associação de duas ou mais palavras (ou radicais), para formar uma outra de significação nova, à qual se denomina palavra composta. Os dois tipos de composição são: justaposição e aglutinação.
  • 9.  Composição por justaposição As palavras unem-se sem qualquer alteração fonética e gráfica. Ex.: guarda-noturno, dona-de-casa, obra- prima, pé-de-moleque, dia-a-dia, joão-ninguém, alma-gêmea etc.  Composição por aglutinação As palavras associadas se fundem num todo fonético, com um só acento tônico, e o primeiro componente perde alguns elementos, normalmente acento tônico, vogal e consoante. Ex.: petróleo(pedra + óleo), aguardente (água + ardente), embora (em + boa + hora), vinagre (vinho + acre), fidalgo (filho + de + algo)
  • 10.  HibridismoO hibridismo é a formação de palavras por derivação ou composição, a partir de elementos (radicais e afixos) pro- vindos de línguas diferentes. Ex: burocracia (francês e grego), goiabeira (tupi e português), sociologia (latim e grego), asmático (português e latim)  Abreviação vocabular (ou redução) Consiste em reduzir as palavras, com o objetivo de eco- nomizar tempo e espaço na comunicação falada e escrita. Ex.: auto (automóvel), pneu (pneumático), ônibus (auto-ônibus), moto (motocicleta), foto (fotografia), quilo (quilograma).
  • 11.  Siglas  Abreviatura São empregadas principalmente como redução de no- mês de empresa, firmas, organizações internacionais, partidos políticos, serviços públicos, associações estudantis e recreativas. Ex.: IBOPE, ONU, UNE, IBGE, CD, AIDS, etc. É a redução na grafia de certas palavras, geralmente, as limitando à letra inicial ou às letras iniciais e, às vezes à letra inicial com a final. Ex.: p. ou pág. (página), cal (caloria), Sr. (senhor), av. (avenida)
  • 12.  Onomatopéia A onomatopeia consiste na formação de palavras que buscam reproduzir vozes de seres, sons ou ruídos da natureza. zas! tique-taque piu! bum! toque-toque miau! cabrum! zigue-zague au!  Palavra- valisePalavra-valise é uma redução que utiliza parte de duas palavras primitivas para formar uma palavra nova. Elefantástico (elefante + fantástico); portunhol (português + espanhol), brasiguaio (brasileiro + paraguaio). Observação: em geral, os verbos e substantivos denotadores de vozes de animais têm origem onomatopeica. Ex.: ciciar (cicio da cigarra), coaxar (coaxo da rã e do sapo).
  • 13.  Estrangeirismo É o emprego de palavra estrangeira em frases de língua portuguesa. As palavras estrangeiras incorporadas à língua pelo uso constante podem ganhar ortografia portuguesa e/ou originar novas palavras por meio de processos típicos do português. Do ponto de vista formal podemos reconhecer 3 tipos de estrangeirismos: a) Decalque Versão literal do lexema modelo na língua originária. Ex: antipoluente, bens de consumo, cartão de crédito, toca-fitas, freio, fim de semana, para-brisa, supermercado, etc.
  • 14. b) Adaptação da forma estrangeira à fonética e ortografia brasileira Isso ocorre em geral quando o estrangeirismo já foi adotado há muito tempo pela nossa cultura. Exemplo: Anglicismos: boicote (boy-cott), clube (club), coquetel (cocktail), drinque (drink), estoque (stock), filme (film), futebol (foot-ball), xampu (shampoo), sanduíche (sandwich), teste (test), etc. Galicismo: ateliê (atelier), bufê (buffet), boate (boite), patê (paté), pivô (pivot), ruge (rouge), toalete (toilette), chofer (chauffeur) etc
  • 15. c) Incorporação do vocábulo com a sua grafia e fonética originais • anglicismos: best-seller,check-up, close-up,cowboy, gangster, hamburguer, hardware, know-how, layout, marketing, poster, play-boy, show, smoking, software, xerox, etc. • galicismos: avant-premiér, couvert, gourmet, lingerie, tournée, maitre-d’hôtel, pot-pourri, reveillón,etc. • outros idiomas: karatê (coreano), quibe (árabe), vodca (russo), iogurte (turco), pizza (italiano), campus, curriculum (latim), etc
  • 16. Não há dúvida alguma de que, após a Segunda Guerra Mundial, os empréstimos e apropriações da língua inglesa proliferaram, seja porque a cultura norte-americana invadiu vários segmentos (cinema, informática, música), seja pelo poder político e econômico dos Estados Unidos.
  • 17.  Gírias São palavras ou expressões de criação popular que nas- em em determinados grupos sociais ou profissionais e que, às vezes, por sua expressividade acabam se estendendo à lingua- gem de todas as camadas sociais. Gírias curiosas • Anos 60 e 70 bulhufas ou lhufas: nada. carango: carro cricri: chato gaita: dinheiro mora? Entende? tá ruço: tá ruim broto:moça boko-moko: pessoa que não sabe se comportar, seja no mo- do de falar, seja no modo de vestir. papo-firme: que não dá mancada na crista da onda: em pleno sucesso
  • 18. • dos metaleiros capilas: dinheiro breja: cerveja pão molhado: policial • dos lutadores de jiu-jitsu amarelão: medroso cheio de marra: metido casca grossa : lutador muito bom tomar toco: levar o fora • dos internautas lemmar: falso internauta lag:demora no recebimento de mensagens [ ]e: abraços
  • 19. o cara mais underground que eu conheço é o diabo que no inferno toca cover das canções celestiais com sua banda formada só por anjos decaídos A plateia pega fogo, quando rola os festivais enquanto isso deus brinca de gangorra no playground do céu com os santos que já foram homens de pecado de repente os santos falam “toca deus um som maneiro” e deus fala “aguenta vou rolar um som pesado” a banda cover do diabo acho que já tá por fora o mercado tá de olho é no som que deus criou com trombetas distorcidas e harpas envenenadas mundo inteiro vai pirar com o heavy metal do senhor. Zeca Baleiro