3º geração romântica condoreira

5.285 visualizações

Publicada em

Trabalho de Português.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

3º geração romântica condoreira

  1. 1. Grupo #4 Glenda Evelyn João Victor Larissa Ribeiro Matheus Bastos Wesley Marinho
  2. 2.  Em 1860, surgiram alguns escritores que demonstravam imensa preocupação com os problemas sociais.  Questões como: o direito dos povos à independência, abolição da escravidão, erradicação da miséria e educação começaram a ser discutidos e difundidos por estes escritores.  Castro Alves foi o maior representante desta geração. Também se destacam Fagundes Varela e Sousândrade. Autor de Espumas Flutuantes (1870) e do poema Navio Negreiro, ele celebrizou-se pela força lírica dos poemas em favor da libertação dos escravos.
  3. 3.  Influenciados por Auguste Comte (1798-1857), Charles Darwin (1809-1882) e outros pensadores europeus, escritores como Tobias Barreto (1839-1889), Sílvio Romero (1851- 1914) e Capistrano de Abreu (1853-1927) empenham-se na luta contra a monarquia. Ao lado deles, Joaquim Nabuco (1849-1910), Rui Barbosa (1849-1923) e Castro Alves (1847- 1871) também se destacam na divulgação do novo ideário.  Essa geração de poetas com preocupações sociais tomam como símbolo o condor – ave de vôo alto capaz de enxergar à distância – daí o nome Condoreirismo que também é conhecido como “geração hugoana” – referência à Victor Hugo.  No Brasil, o Condoreirismo assumiu feições abolicionistas e republicanas, voltando a atenção para os escravos.  A poesia lírica amorosa representa um avanço decisivo na tradição poética brasileira, pois abandona o amor convencional e abstrato dos clássicos e o cheio de culpa e medo dos românticos.
  4. 4.  O engajamento em questões da realidade social e a oposição ao governo central tornam-se incompatíveis com o subjetivismo e o patriotismo, até então dominantes. Uma nova polêmica envolvendo José de Alencar (1829-1877) é indicativa dos rumos que o movimento romântico toma nesse período. Ocorrida em 1871, a discussão foi iniciada pelo jovem romancista cearense Franklin Távora (1842-1888), que acusava Alencar de excesso de idealismo e pouco conhecimento empírico da realidade que retratava. A polêmica repercutiria sobre textos teóricos do próprio Alencar e também de Machado de Assis (1839-1908).
  5. 5.  Poesia de fundo social, defensora da República e do Abolicionismo. Além disso, os versos desse período estão voltados para os pobres, marginalizados e negros escravos.  Há ênfase na função apelativa da linguagem. A poesia dessa época recusa o lamento introspectivo e individualista da geração que a precede. Fala dos homens e para os homens. Quer ser ouvida e, por isso, alcança as praças, os lugares públicos, as multidões.  A mulher deixa de ser idealizada para ser apresentada de forma concreta, tocável. A mulher passa a ser vista, como ser carnal que é, em suas virtudes e pecados.
  6. 6. Com relação às figuras de linguagem mais empregadas, os poetas dessa geração ousaram nas metáforas, abusaram das hipérboles, antíteses retumbantes e apóstrofes violentas. Procura convencer o ouvinte, para tanto, não economiza retórica e eloquência. Foi por isso chamada “poesia de comício”.
  7. 7. • Considerado a principal expressão condoreira da poesia brasileira. • Sua obra representa , na evolução da poesia romântica brasileira, um momento de maturidade e de transição. • Suas melhores obras são abolicionistas, por esta razão é conhecido como o “Poeta dos Escravos”. Nelas, o poeta denuncia as injustiças sociais, onde clama por liberdade.
  8. 8. Maturidade: Em relação a certas atitudes ingênuas das gerações anteriores, como a idealização amorosa, e o nacionalismo ufanista, as quais Castro dará um outro tratamento mais crítico e realista. Transição: Porque a sua respectiva mais objetiva e critica diante da realidade aponta para o movimento literário subsequente o realismo. Algumas de suas obras são: - Espumas flutuantes (1870) - A cachoeira de Paulo Afonso (1876) - Os escravos (1883 - nesta obra estão os poemas O navio Negreiro e Vozes d’África) *Vozes d’África e O navio negreiro são considerados os seus melhores trabalhos abolicionistas.
  9. 9. Algumas de suas obras são: - Espumas flutuantes (1870) - A cachoeira de Paulo Afonso (1876) - Os escravos (1883 - nesta obra estão os poemas O navio Negreiro e Vozes d’África) *Vozes d’África e O navio negreiro são considerados os seus melhores trabalhos abolicionistas.
  10. 10. Os poetas condoreiros tinham um compromisso, como poetas gênios iluminados por DEUS, de orientar os homens comuns para os caminhos da Justiça e da Liberdade. Sua principal obra social: “A problemática Social”, é um tipo de obra ou uma poesia crítica social. É o centro da preocupação da linguagem desloca-se do EU (emissor) para o assunto (a abolição e a república), assim, representa uma mudança profunda dado que o romantismo é por natureza EGOCÊNTRICO.
  11. 11. É um poema épico-dramático que integra a obra “Os Escravos”. Vem ser uma das principais realizações épicas de Castro Alves. Tendo como tema, a denúncia da escravização e o transporte de negros vindos da África para o Brasil. O navio negreiro é composto de seis partes, e alterna métricas variadas para obter o efeito rítmico mais adequado a cada situação retratada no poema.
  12. 12. Uso das figuras de linguagem: comparação, metáfora, antíteses, hipérboles, etc Libertação do egocentrismo: ao discutir os problemas sociais, o poeta deixa de se importar somente com ele e passa a se preocupar com todos ao seu redor Gosto por espaços amplos e elementos da natureza: mar, infinito, céu, deserto, cachoeiras, tempestades, montanhas, etc.

×