SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Módulo 5 – Cultura da Catedral
Introdução
Carlos Jorge Canto Vieira
Prof. Carlos Vieira 2
Prof. Carlos Vieira 3
Prof. Carlos Vieira 4
Prof. Carlos Vieira 5
Prof. Carlos Vieira 6
Cultura da Catedral
• Arte Gótica
– desenvolveu-se entre o séc.
XIII e o séc. XV (em alguns
países chegou a prolongou-se
pelos sécs. XVI até ao séc.
XVIII);
– corresponde a tempos:
• de renovação (sécs. XIII e XV);
• de recessão (séc. XIV).
Prof. Carlos Vieira 7
Cultura da Catedral
• - Séc. XII
– A Europa feudal -> lento crescimento económico
melhoria climática;
progressos agrícolas;
produção excedentária;
crescimento demográfico
melhoria geral das condições de vida dos aldeões, senhores e
reis;
Prof. Carlos Vieira 8
Cultura da Catedral
• Cidades
– Aumento das indústrias
(têxteis e tintas)
– Aumento do comércio
– Crescimento das cidades:
• Algumas delas estabeleceram
relações internacionais com a
Ásia e a África.
Prof. Carlos Vieira 9
Cultura da Catedral
• Economia de mercado:
– circulação da moeda;
– movimentação dos produtos e da riqueza e o poder de
compra;
– permitiram o nascimento de uma economia monetária e
capitalista;
– surgem os cambistas e os bancos privados com filiais em
vários países.
Prof. Carlos Vieira 10
Cultura da Catedral
• Mudanças políticas e sociais
– a burguesia (mercadores, letrados e
artesãos):
• Aumentou;
• Cultivou-se;
• Procurou o lucro e a promoção
individual e colectiva;
• uniu-se em vários organismos
profissionais:
– corporações/ mesteres de artes e
ofícios, para artesãos;
– guildas/ hansas para os
comerciantes.
Prof. Carlos Vieira 11
Cultura da Catedral
• Rei
– Apoia-se na burguesia
– Alia-se à igreja
– Impõe o seu papel de:
• herdeiro e representante de Deus na Terra
• garante da paz pública;
• centralizador do poder político e administrativo;
• Juiz.
Prof. Carlos Vieira 12
Cultura da Catedral
• Problemas
– mudanças climáticas;
– alteração do preço dos cereais;
– excesso de consumo;
– crescimento urbano exagerado;
– Fomes;
– Guerra dos 100 Anos (França e Inglaterra);
– Peste Negra;
– Revoltas sociais.
Prof. Carlos Vieira 13
recessão económica.
Prof. Carlos Vieira 14
Cultura da Catedral
Guerra dos 100 anos
Prof. Carlos Vieira 15
Prof. Carlos Vieira 16
Prof. Carlos Vieira 17
Cultura da Catedral
• Grande Cisma do Ocidente
– A Cristandade ficou dividida na obediência a dois papas:
• o de Roma (Urbano VI), eleito num conclave;
• o de Avinhão (Clemente VII), imposto pelo rei de
França.
Prof. Carlos Vieira 18
Cultura da Catedral
• Período de:
– degradação, a descrença e a corrupção atingiram o corpo
eclesiástico e a população em geral;
– situação que se agravou com a Peste Negra, acrescentando
às heresias, as superstições, o pânico, o terror, as práticas
colectivas de penitência, que conviviam com outros
exageros como o gosto pelo luxo e a valorização dos bens
terrenos;
Prof. Carlos Vieira 19
Cultura da Catedral
• Reflorescimento do séc. XV
– as grandes cidades da Europa (Génova, Pisa, Veneza,
Barcelona, Lisboa, Gand, Hamburgo, etc.) começaram a
ganhar notoriedade pela grande produção comercial e
industrial;
– pelas suas belas e imponentes catedrais que albergavam
relíquias de santos;
– Pelas universidades que se começaram a desenvolver já a
partir do séc. XII.
Prof. Carlos Vieira 20
Cultura da Catedral
Prof. Carlos Vieira 21
Cultura da Catedral
• Universidades
• ensino era marcado pela filosofia escolástica (ensino
tradicional, com base na bíblia, escritos de doutores da
igreja e das obras da filosofia clássica - ensino
retrógrado);
• dividida em duas correntes:
– uma idealista e mística;
– Outra mais racionalista e naturalista, liderada por S.
Tomás de Aquino, que visava encontrar uma união entre
a fé e a razão, ou seja, entre a revelação divina e a
inteligência humana
Prof. Carlos Vieira 22
Prof. Carlos Vieira
Iluminura do séc. XV mostrando uma cena de aula na Universidade de
Bolonha.
Prof. Carlos Vieira 24
Cultura da Catedral
• Actividades:
– reis e nobres
• única profissão -> guerra;
• principais divertimentos eram
as :
– grandes caçadas;
– justas (combates entre dois
cavaleiros);
– torneios (combates com
vários cavaleiros de cada
lado).
Prof. Carlos Vieira 25
Cultura da Catedral
• Nova cultura
– baseada no ideal cavaleiresco e cortês:
• valorizava a lealdade, a cortesia, o amor, a paz, a alegria de
viver, a elegância e mesmo o prazer;
• Literatura
– assumiu um papel recreativo e cultural na sociedade.
• Música
– tradição popular, ora polifónica, acompanhada por vários
instrumentos e ritmos rápidos, que se tornou parte do
quotidiano de senhores e camponeses
Prof. Carlos Vieira 26
Cultura da Catedral
• Teatro religioso
– grande importância;
– exercendo um papel doutrinal,
pedagógico e recreativo.
– Era representado ao ar livre, no
adro das igrejas e nas grandes
praças, por actores ambulantes
ou estudantes e confrades;
Prof. Carlos Vieira 27
Cultura da Catedral
Prof. Carlos Vieira 28
Catedrais Góticas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
Ana Barreiros
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica ii
Ana Barreiros
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
Ana Barreiros
 
A anunciação
A anunciaçãoA anunciação
A anunciação
cattonia
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ana Barreiros
 
A Cultura Do PaláCio I
A Cultura Do PaláCio IA Cultura Do PaláCio I
A Cultura Do PaláCio I
luisant
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - Pintura
Carlos Vieira
 

Mais procurados (20)

Cultura do Palácio - Pintura do renascimento
Cultura do Palácio - Pintura do renascimentoCultura do Palácio - Pintura do renascimento
Cultura do Palácio - Pintura do renascimento
 
A cultura do palco
A cultura do palcoA cultura do palco
A cultura do palco
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
 
A pintura gótica i
A pintura gótica iA pintura gótica i
A pintura gótica i
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
 
03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica
 
Módulo 3 contexto histórico regular
Módulo 3   contexto histórico regularMódulo 3   contexto histórico regular
Módulo 3 contexto histórico regular
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
 
05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2
 
Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barroca
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica ii
 
Módulo 5 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 5 - Contexto Histórico ProfissionalMódulo 5 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 5 - Contexto Histórico Profissional
 
Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
 
A anunciação
A anunciaçãoA anunciação
A anunciação
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
 
A Cultura Do PaláCio I
A Cultura Do PaláCio IA Cultura Do PaláCio I
A Cultura Do PaláCio I
 
Cultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura BarrocaCultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura Barroca
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - Pintura
 

Semelhante a Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo

Renascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbanoRenascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbano
Denis Gasco
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade média
valdeck1
 
Idade média e idade moderna
Idade média e idade modernaIdade média e idade moderna
Idade média e idade moderna
Ramiro Bicca
 

Semelhante a Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo (20)

A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
 
Módulo 3 contexto histórico profissional
Módulo 3   contexto histórico profissionalMódulo 3   contexto histórico profissional
Módulo 3 contexto histórico profissional
 
Renascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbanoRenascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbano
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
11. baixa idade média
11. baixa idade média11. baixa idade média
11. baixa idade média
 
Ciência da sociedade
Ciência da sociedadeCiência da sociedade
Ciência da sociedade
 
História medieval slide - enem
História medieval   slide - enemHistória medieval   slide - enem
História medieval slide - enem
 
Renascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbanoRenascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbano
 
Revisional PISM I
Revisional PISM IRevisional PISM I
Revisional PISM I
 
Renascimento, reforma, e pre colombiana
Renascimento, reforma, e pre colombianaRenascimento, reforma, e pre colombiana
Renascimento, reforma, e pre colombiana
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade média
 
Idade média e idade moderna
Idade média e idade modernaIdade média e idade moderna
Idade média e idade moderna
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
Aula de historia
Aula de historiaAula de historia
Aula de historia
 
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
 
Cultura do mosteiro_1_alunos
Cultura do mosteiro_1_alunosCultura do mosteiro_1_alunos
Cultura do mosteiro_1_alunos
 
Igreja medieval
Igreja medievalIgreja medieval
Igreja medieval
 
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
 
Introdução à Idade Média
Introdução à Idade MédiaIntrodução à Idade Média
Introdução à Idade Média
 
Cultura da Catedral - Arte Gótica em Portugal
Cultura da Catedral - Arte Gótica em PortugalCultura da Catedral - Arte Gótica em Portugal
Cultura da Catedral - Arte Gótica em Portugal
 

Mais de Carlos Vieira

Mais de Carlos Vieira (20)

Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
O Patriota
O PatriotaO Patriota
O Patriota
 
As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
 
Madame bovary
Madame bovaryMadame bovary
Madame bovary
 
Cavalo de guerra
Cavalo de guerraCavalo de guerra
Cavalo de guerra
 
Danton
DantonDanton
Danton
 
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
 
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
 
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococó
 
Cultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacional
 
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococo
 
Cultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococo
 
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
 
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura Barroca
 
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
 
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
 
Cultura do Palácio - Maneirismo internacional
Cultura do Palácio - Maneirismo internacionalCultura do Palácio - Maneirismo internacional
Cultura do Palácio - Maneirismo internacional
 
Cultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
Cultura do Palácio - Arquitectura ManeiristaCultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
Cultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 

Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo

  • 1. Módulo 5 – Cultura da Catedral Introdução Carlos Jorge Canto Vieira
  • 7. Cultura da Catedral • Arte Gótica – desenvolveu-se entre o séc. XIII e o séc. XV (em alguns países chegou a prolongou-se pelos sécs. XVI até ao séc. XVIII); – corresponde a tempos: • de renovação (sécs. XIII e XV); • de recessão (séc. XIV). Prof. Carlos Vieira 7
  • 8. Cultura da Catedral • - Séc. XII – A Europa feudal -> lento crescimento económico melhoria climática; progressos agrícolas; produção excedentária; crescimento demográfico melhoria geral das condições de vida dos aldeões, senhores e reis; Prof. Carlos Vieira 8
  • 9. Cultura da Catedral • Cidades – Aumento das indústrias (têxteis e tintas) – Aumento do comércio – Crescimento das cidades: • Algumas delas estabeleceram relações internacionais com a Ásia e a África. Prof. Carlos Vieira 9
  • 10. Cultura da Catedral • Economia de mercado: – circulação da moeda; – movimentação dos produtos e da riqueza e o poder de compra; – permitiram o nascimento de uma economia monetária e capitalista; – surgem os cambistas e os bancos privados com filiais em vários países. Prof. Carlos Vieira 10
  • 11. Cultura da Catedral • Mudanças políticas e sociais – a burguesia (mercadores, letrados e artesãos): • Aumentou; • Cultivou-se; • Procurou o lucro e a promoção individual e colectiva; • uniu-se em vários organismos profissionais: – corporações/ mesteres de artes e ofícios, para artesãos; – guildas/ hansas para os comerciantes. Prof. Carlos Vieira 11
  • 12. Cultura da Catedral • Rei – Apoia-se na burguesia – Alia-se à igreja – Impõe o seu papel de: • herdeiro e representante de Deus na Terra • garante da paz pública; • centralizador do poder político e administrativo; • Juiz. Prof. Carlos Vieira 12
  • 13. Cultura da Catedral • Problemas – mudanças climáticas; – alteração do preço dos cereais; – excesso de consumo; – crescimento urbano exagerado; – Fomes; – Guerra dos 100 Anos (França e Inglaterra); – Peste Negra; – Revoltas sociais. Prof. Carlos Vieira 13 recessão económica.
  • 14. Prof. Carlos Vieira 14 Cultura da Catedral Guerra dos 100 anos
  • 18. Cultura da Catedral • Grande Cisma do Ocidente – A Cristandade ficou dividida na obediência a dois papas: • o de Roma (Urbano VI), eleito num conclave; • o de Avinhão (Clemente VII), imposto pelo rei de França. Prof. Carlos Vieira 18
  • 19. Cultura da Catedral • Período de: – degradação, a descrença e a corrupção atingiram o corpo eclesiástico e a população em geral; – situação que se agravou com a Peste Negra, acrescentando às heresias, as superstições, o pânico, o terror, as práticas colectivas de penitência, que conviviam com outros exageros como o gosto pelo luxo e a valorização dos bens terrenos; Prof. Carlos Vieira 19
  • 20. Cultura da Catedral • Reflorescimento do séc. XV – as grandes cidades da Europa (Génova, Pisa, Veneza, Barcelona, Lisboa, Gand, Hamburgo, etc.) começaram a ganhar notoriedade pela grande produção comercial e industrial; – pelas suas belas e imponentes catedrais que albergavam relíquias de santos; – Pelas universidades que se começaram a desenvolver já a partir do séc. XII. Prof. Carlos Vieira 20
  • 21. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 21
  • 22. Cultura da Catedral • Universidades • ensino era marcado pela filosofia escolástica (ensino tradicional, com base na bíblia, escritos de doutores da igreja e das obras da filosofia clássica - ensino retrógrado); • dividida em duas correntes: – uma idealista e mística; – Outra mais racionalista e naturalista, liderada por S. Tomás de Aquino, que visava encontrar uma união entre a fé e a razão, ou seja, entre a revelação divina e a inteligência humana Prof. Carlos Vieira 22
  • 23. Prof. Carlos Vieira Iluminura do séc. XV mostrando uma cena de aula na Universidade de Bolonha.
  • 25. Cultura da Catedral • Actividades: – reis e nobres • única profissão -> guerra; • principais divertimentos eram as : – grandes caçadas; – justas (combates entre dois cavaleiros); – torneios (combates com vários cavaleiros de cada lado). Prof. Carlos Vieira 25
  • 26. Cultura da Catedral • Nova cultura – baseada no ideal cavaleiresco e cortês: • valorizava a lealdade, a cortesia, o amor, a paz, a alegria de viver, a elegância e mesmo o prazer; • Literatura – assumiu um papel recreativo e cultural na sociedade. • Música – tradição popular, ora polifónica, acompanhada por vários instrumentos e ritmos rápidos, que se tornou parte do quotidiano de senhores e camponeses Prof. Carlos Vieira 26
  • 27. Cultura da Catedral • Teatro religioso – grande importância; – exercendo um papel doutrinal, pedagógico e recreativo. – Era representado ao ar livre, no adro das igrejas e nas grandes praças, por actores ambulantes ou estudantes e confrades; Prof. Carlos Vieira 27
  • 28. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 28 Catedrais Góticas