SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
IDADE MÉDIA
HISTÓRIA GERAL
LINHA DO TEMPO
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 2
• Esquema da divisão de História utilizada no Brasil.
• Tradicionalmente, a Idade Média começa com a
queda de Roma Ocidental e termina com a queda
de Roma Oriental (Bizâncio).
CUIDADO!!
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 3
• A cronologia usada nos
EUA e Inglaterra é
diferente da nossa.
• A Idade Média começa
no século XI e segue até
o século XVII.
• Exemplo → para
nós, portugueses, france
ses, a Caça às Bruxas é
um fenômeno moderno.
AS TRÊS CIVILIZAÇÕES DO
MEDITERRÂNEO
9/24/2013
Prof.ª Valéria Fernandes
4
BIZÂNCIO
CRISTANDADE
ISLÃ
• A Civilização Bizantina firmou-se sobre três pilares:
religião cristã, cultura helenística, direito romano.
• A Civilização Islâmica foi fruto da união dos árabes e
outros povos em torno de uma mesma fé. A capacidade
dos árabes de criar e agregar feitos de outros povos
(gregos, bizantinos, persas, indianos, etc.) estabeleceu
um império territorial e uma cultura dinâmica e vigorosa.
• A Civilização Cristã firmou-se sobre a herança romana e
a germânica, unidas pela religião cristã.
Amadurecida, iniciou sua expansão com as Cruzadas e
a luta pelo comércio no Mediterrâneo.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 5
AS TRÊS CIVILIZAÇÕES DO
MEDITERRÂNEO
IMPÉRIO CAROLINGIO
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 6
O Império em sua máxima expansão e dividido pelos netos de Carlos Magno
A SOCIEDADE DAS TRÊS
ORDENS
• Adalbéron de Laon (947-
1030 → “sociedade das três
ordens” → os que oram
(oratores), os que guerreiam
(bellatores) e os que
trabalham (laboratores).
• Desconsiderava o comércio
e a presença da burguesia.
• O mundo do autor era rural
e estático → os feudos
tinham que ser auto-
suficientes.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 7
FEUDALISMO:
CARACTERÍSTICAS GERAIS
• Em sua forma completa só existiu na França.
• Constituiu-se sobre as ruínas do Império Carolíngio e
impulsionado pelas novas invasões (vikings).
• Perda da noção de Estado (coisa pública), privatização
de direitos de deveres pertencentes ao soberano.
• Descentralização do poder → grandes senhores
tinham exércitos, cunhavam moedas, faziam
leis, executavam a justiça, etc.
• Tinha mais poder, quem tinha mais terras. O status
dos reis dependia do reforço religioso.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 8
• O mundo feudal era dividido entre livres e não-livres.
• Os servos estavam ligados à terra.
• Os senhores → divididos entre suseranos (dá o feudo)
e vassalos (recebe o feudo).
• O Feudo não precisava ser terra → normalmente era.
• Todos tinham direitos e deveres baseados em laços
pessoais de fidelidade e nos costumes.
• A obediência dos servos podia ser mantida pela
violência, mas, especialmente entre os senhores, a
Igreja tinha a função de garantir a ordem social.
• Deus era o suserano dos suseranos.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 9
FEUDALISMO:
CARACTERÍSTICAS GERAIS
• O suserano tinha o dever de apoiar e proteger os seus
vassalos → o senhor deveria proteger os servos.
• O vassalo → prestava serviço militar, participar da corte
de justiça do suserano, confirmar seu juramento de
fidelidade, hospedar o suserano, presentear o suserano
e sua família, pagar o resgate do suserano.
• O servo pagava a corvéia, a talha, as
banalidades, entregava o dízimo à Igreja, hospedava o
senhor → outras obrigações que variavam de região
para região.
• Trair o senhor era felonia → a excomunhão poderia ser
a pena imposta pela Igreja → isso dissolvia os laços
feudais → o suserano podia ser inclusive morto.9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 10
FEUDALISMO:
CARACTERÍSTICAS GERAIS
UM MUNDO DE SENHORES E
SERVOS
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 11
UM MUNDO DE SENHORES E
SERVOS
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 12
A IGREJA MEDIEVAL
• Herdeira da cultura clássica → seus
membros eram a maioria dos letrados.
• Não tinha o poder absoluto, mas a religião
tinha grande importância na vida social.
• Com a queda do Império Romano, o bispo
de Roma tornou-se cada vez mais
poderoso até se tornar o único papa.
• A Igreja demorou a se adaptar ao
crescimento urbano e comercial e
continuou condenando a usura e o lucro.
• Imperador e papa disputavam o poder
universal, depois, os reis também
questionaram o poder do pontífice.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 13
A IGREJA MEDIEVAL
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 14
Românico: estilo arquitetônico
ligado ao mundo feudal.
• Tentou regular a sociedade →
Exemplo → estabeleceu
regras para a guerra e o
casamento.
• Ungiu os reis → justificou sua
existência → defendeu a
ordem feudal.
• No século XIII, franciscanos e
dominicanos aproximaram a
instituição das massas.
• Poderosos no século XII e
XIII, os papas tiveram seu
poder questionado pelos reis.
BAIXA IDADE MÉDIA:
URBANIZAÇÃO
• Muitas mudanças ocorreram nos
século XI-XII → clima, inovações
tecnológicas, fim das invasões,.
• Com o crescimento
demográfico, a cidade passou a
ser uma realidade em toda a
Europa.
• A maioria das
pessoas, porém, continuava no
campo → cidade
complementava a agricultura.
• O poder continuava nas mãos da 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 15
A CIDADE MEDIEVAL
• Lugar do artesão, do comerciante, da corporação de ofício.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 16
A CIDADE MEDIEVAL
• Havia profissões e ocupações mal vistas pela Igreja, a
medicina era uma delas. As atividades bancárias eram as mais
condenadas. Emprestar à juros era algo condenado e a teoria
do preço justo não abria muito espaço para o lucro.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 17
A CIDADE MEDIEVAL
• Ainda assim, as
atividades bancárias e
comerciais prosperavam.
• Os italianos foram
grandes banqueiros.
• O Purgatório, a partir do
século XII, ajudou a
aliviar suas culpas.
• Profissões condenadas
aos cristãos, muitas
vezes eram feitas pelos
judeus, isso aumentava o
preconceito contra eles.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 18
• A partir das Cruzadas, a
perseguição aos judeus se
intensificou, com a Crise do
Século XIV, ela se tornou mais
aguda.
A CIDADE MEDIEVAL
• A catedral gótica expressa o vigor e otimismo urbanos.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 19
• Um vitral da catedral de Reims e
fachada da catedral de Chartres.
SÉCULO XIII: UNIVERSIDADE
MEDIEVAL
• Século XII: escolas das catedrais.
• Primeiras Universidades →
Bolonha (Direito) e Paris
(Teologia).
• Era uma corporação de ofício.
• Latim → começava com artes
(trivium: gramática, retórica e
lógica; e quadrivium:
música, aritmética, geometria e
astronomia) →
depois, Teologia, Direito ou
Medicina.
• A Igreja precisava autorizar o 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 20
• Durante a Alta Idade
Média, boa parte das
escolas estava nos
mosteiros → A cidade
alterou a situação.
A CIDADE MEDIEVAL
• A catedral gótica expressa o vigor e otimismo urbanos.
9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 21
CULTURA MEDIEVAL
• A Idade Média se faz presente
ainda hoje na Religião, na
Arte, na Literatura, no
Direito, etc.
• Trovadores “inventaram” o amor.
• A literatura medieval nos deixou
os romances de cavalaria e seus
heróis:
Merlin, Arthur, Lancelot, Morgan
a, Tristão e Isolda.
• Cinema, literatura, HQs bebem
na matéria medieval e há bons
materiais que tornam o estudo 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 22

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade médiaKerol Brombal
 
O feudalismo 2015
O feudalismo 2015O feudalismo 2015
O feudalismo 2015Denis Gasco
 
07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade média
07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade média07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade média
07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade médiaDarlan Campos
 
História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]Marco Aurélio Gondim
 
10. alta idade média reino dos francos e feudalismo
10. alta idade média   reino dos francos e feudalismo10. alta idade média   reino dos francos e feudalismo
10. alta idade média reino dos francos e feudalismobatotario
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europacattonia
 
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade médiaDarlan Campos
 
Transicao do Feudalismo para o Capitalismo I
Transicao do Feudalismo para o Capitalismo ITransicao do Feudalismo para o Capitalismo I
Transicao do Feudalismo para o Capitalismo IAlexandre Protásio
 
Idade Média: feudalismo e Igreja Católica
Idade Média: feudalismo e Igreja CatólicaIdade Média: feudalismo e Igreja Católica
Idade Média: feudalismo e Igreja CatólicaPaulo Alexandre
 
A sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XIIA sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XIICarla Freitas
 
Império Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e CarolingeoImpério Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e CarolingeoLú Carvalho
 
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.Daniel Alves Bronstrup
 
Comércio e navegações
Comércio e navegaçõesComércio e navegações
Comércio e navegaçõesKerol Brombal
 
Sociedade medieval
Sociedade medievalSociedade medieval
Sociedade medievalcattonia
 
Apogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismoApogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismoKerol Brombal
 

Mais procurados (20)

A alta idade média
A alta idade médiaA alta idade média
A alta idade média
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
 
O feudalismo 2015
O feudalismo 2015O feudalismo 2015
O feudalismo 2015
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
 
07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade média
07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade média07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade média
07. aula sobre idade média parte 3 baixa idade média
 
História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
História Idade Média Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
 
10. alta idade média reino dos francos e feudalismo
10. alta idade média   reino dos francos e feudalismo10. alta idade média   reino dos francos e feudalismo
10. alta idade média reino dos francos e feudalismo
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
 
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
 
Transicao do Feudalismo para o Capitalismo I
Transicao do Feudalismo para o Capitalismo ITransicao do Feudalismo para o Capitalismo I
Transicao do Feudalismo para o Capitalismo I
 
O feudalismo
O feudalismoO feudalismo
O feudalismo
 
Idade Media
Idade MediaIdade Media
Idade Media
 
Idade Média: feudalismo e Igreja Católica
Idade Média: feudalismo e Igreja CatólicaIdade Média: feudalismo e Igreja Católica
Idade Média: feudalismo e Igreja Católica
 
A sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XIIA sociedade europeia nos séculos IX a XII
A sociedade europeia nos séculos IX a XII
 
Império Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e CarolingeoImpério Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e Carolingeo
 
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
 
Comércio e navegações
Comércio e navegaçõesComércio e navegações
Comércio e navegações
 
Sociedade medieval
Sociedade medievalSociedade medieval
Sociedade medieval
 
Roma império
Roma impérioRoma império
Roma império
 
Apogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismoApogeu do absolutismo
Apogeu do absolutismo
 

Destaque

I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)Valéria Shoujofan
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medievalcattonia
 
Aliança entre o rei a burguesia
Aliança entre o rei a burguesiaAliança entre o rei a burguesia
Aliança entre o rei a burguesiaJosefa Libório
 
Aliança entre Estado,Igreja e a Burguesia Prof.Altair Aguilar
Aliança entre Estado,Igreja e a Burguesia  Prof.Altair AguilarAliança entre Estado,Igreja e a Burguesia  Prof.Altair Aguilar
Aliança entre Estado,Igreja e a Burguesia Prof.Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Portugal: da Formação ao Descobrimento do Brasil
Portugal: da Formação ao Descobrimento do BrasilPortugal: da Formação ao Descobrimento do Brasil
Portugal: da Formação ao Descobrimento do BrasilValéria Shoujofan
 
Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1Valéria Shoujofan
 
A Vida Cultural na Baixa Idade Média
A Vida Cultural na Baixa Idade MédiaA Vida Cultural na Baixa Idade Média
A Vida Cultural na Baixa Idade MédiaValéria Shoujofan
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaMaria Gomes
 
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...Valéria Shoujofan
 
Transição idade média - idade moderna
Transição   idade média - idade modernaTransição   idade média - idade moderna
Transição idade média - idade modernaMax22Rodrigues
 
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade médiaAlterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade médiaEscola Luis de Freitas Branco
 

Destaque (20)

Mudanças na religiosidade e expansão do ensino
Mudanças na religiosidade e expansão do ensinoMudanças na religiosidade e expansão do ensino
Mudanças na religiosidade e expansão do ensino
 
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
 
7 ano C
7 ano C7 ano C
7 ano C
 
Aliança entre o rei a burguesia
Aliança entre o rei a burguesiaAliança entre o rei a burguesia
Aliança entre o rei a burguesia
 
Aliança entre Estado,Igreja e a Burguesia Prof.Altair Aguilar
Aliança entre Estado,Igreja e a Burguesia  Prof.Altair AguilarAliança entre Estado,Igreja e a Burguesia  Prof.Altair Aguilar
Aliança entre Estado,Igreja e a Burguesia Prof.Altair Aguilar
 
Feminismos em Quadrinhos
Feminismos em QuadrinhosFeminismos em Quadrinhos
Feminismos em Quadrinhos
 
Portugal: da Formação ao Descobrimento do Brasil
Portugal: da Formação ao Descobrimento do BrasilPortugal: da Formação ao Descobrimento do Brasil
Portugal: da Formação ao Descobrimento do Brasil
 
Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1
 
Governos Itamar e FHC
Governos Itamar e FHCGovernos Itamar e FHC
Governos Itamar e FHC
 
A Vida Cultural na Baixa Idade Média
A Vida Cultural na Baixa Idade MédiaA Vida Cultural na Baixa Idade Média
A Vida Cultural na Baixa Idade Média
 
Segundo Império Brasileiro
Segundo Império BrasileiroSegundo Império Brasileiro
Segundo Império Brasileiro
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A igreja na idade média
A igreja na idade médiaA igreja na idade média
A igreja na idade média
 
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
 
Transição idade média - idade moderna
Transição   idade média - idade modernaTransição   idade média - idade moderna
Transição idade média - idade moderna
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade médiaAlterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
 

Semelhante a Idade Média

Roma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica IIRoma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica IIValéria Shoujofan
 
Feudalismo e crise
Feudalismo e criseFeudalismo e crise
Feudalismo e crisecattonia
 
Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011
Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011
Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011andrecarlosocosta
 
A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval  parte 1A sociedade medieval  parte 1
A sociedade medieval parte 1Carla Teixeira
 
A formação da europa feudal 2017
A formação da europa feudal 2017A formação da europa feudal 2017
A formação da europa feudal 2017Rosangela Leite
 
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]Marco Aurélio Gondim
 
EFII - HIST- O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdf
EFII - HIST-  O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdfEFII - HIST-  O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdf
EFII - HIST- O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdfDANILOSANTOSRIBEIRO1
 
Introdução à Idade Média
Introdução à Idade MédiaIntrodução à Idade Média
Introdução à Idade MédiaAndré Costa
 
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaInvasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaFatima Freitas
 
A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval  A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval Mary Alvarenga
 
A formação da europa feudal
A formação da europa feudalA formação da europa feudal
A formação da europa feudalSalete Lima
 

Semelhante a Idade Média (20)

Roma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica IIRoma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica II
 
Feudalismo e crise
Feudalismo e criseFeudalismo e crise
Feudalismo e crise
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011
Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011
Ceep resumo2ªfeudal brasilcolônia2011
 
Barbaros
BarbarosBarbaros
Barbaros
 
A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval  parte 1A sociedade medieval  parte 1
A sociedade medieval parte 1
 
A formação da europa feudal 2017
A formação da europa feudal 2017A formação da europa feudal 2017
A formação da europa feudal 2017
 
Renascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbanoRenascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbano
 
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
 
EFII - HIST- O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdf
EFII - HIST-  O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdfEFII - HIST-  O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdf
EFII - HIST- O MUNDO MEDIEVAL EUROPEU - 2022.pdf
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Introdução à Idade Média
Introdução à Idade MédiaIntrodução à Idade Média
Introdução à Idade Média
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1
 
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaInvasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
Apontamentos história7º ano
Apontamentos história7º anoApontamentos história7º ano
Apontamentos história7º ano
 
A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval  A constituição do mundo medieval
A constituição do mundo medieval
 
A formação da europa feudal
A formação da europa feudalA formação da europa feudal
A formação da europa feudal
 

Mais de Valéria Shoujofan

Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoValéria Shoujofan
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxValéria Shoujofan
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosValéria Shoujofan
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialValéria Shoujofan
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasValéria Shoujofan
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaValéria Shoujofan
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIValéria Shoujofan
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICAValéria Shoujofan
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Valéria Shoujofan
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoValéria Shoujofan
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasValéria Shoujofan
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoValéria Shoujofan
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIValéria Shoujofan
 
E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...
E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...
E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...Valéria Shoujofan
 
Panorama Religioso do Século XIX e Protestantismo no Brasil
Panorama Religioso do Século XIXeProtestantismo no BrasilPanorama Religioso do Século XIXeProtestantismo no Brasil
Panorama Religioso do Século XIX e Protestantismo no BrasilValéria Shoujofan
 

Mais de Valéria Shoujofan (20)

Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
 
Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVII
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
 
Revoltas Emancipacionistas
Revoltas EmancipacionistasRevoltas Emancipacionistas
Revoltas Emancipacionistas
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVI
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...
E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...
E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do ...
 
Panorama Religioso do Século XIX e Protestantismo no Brasil
Panorama Religioso do Século XIXeProtestantismo no BrasilPanorama Religioso do Século XIXeProtestantismo no Brasil
Panorama Religioso do Século XIX e Protestantismo no Brasil
 

Último

Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 

Último (20)

Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 

Idade Média

  • 2. LINHA DO TEMPO 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 2 • Esquema da divisão de História utilizada no Brasil. • Tradicionalmente, a Idade Média começa com a queda de Roma Ocidental e termina com a queda de Roma Oriental (Bizâncio).
  • 3. CUIDADO!! 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 3 • A cronologia usada nos EUA e Inglaterra é diferente da nossa. • A Idade Média começa no século XI e segue até o século XVII. • Exemplo → para nós, portugueses, france ses, a Caça às Bruxas é um fenômeno moderno.
  • 4. AS TRÊS CIVILIZAÇÕES DO MEDITERRÂNEO 9/24/2013 Prof.ª Valéria Fernandes 4 BIZÂNCIO CRISTANDADE ISLÃ
  • 5. • A Civilização Bizantina firmou-se sobre três pilares: religião cristã, cultura helenística, direito romano. • A Civilização Islâmica foi fruto da união dos árabes e outros povos em torno de uma mesma fé. A capacidade dos árabes de criar e agregar feitos de outros povos (gregos, bizantinos, persas, indianos, etc.) estabeleceu um império territorial e uma cultura dinâmica e vigorosa. • A Civilização Cristã firmou-se sobre a herança romana e a germânica, unidas pela religião cristã. Amadurecida, iniciou sua expansão com as Cruzadas e a luta pelo comércio no Mediterrâneo. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 5 AS TRÊS CIVILIZAÇÕES DO MEDITERRÂNEO
  • 6. IMPÉRIO CAROLINGIO 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 6 O Império em sua máxima expansão e dividido pelos netos de Carlos Magno
  • 7. A SOCIEDADE DAS TRÊS ORDENS • Adalbéron de Laon (947- 1030 → “sociedade das três ordens” → os que oram (oratores), os que guerreiam (bellatores) e os que trabalham (laboratores). • Desconsiderava o comércio e a presença da burguesia. • O mundo do autor era rural e estático → os feudos tinham que ser auto- suficientes. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 7
  • 8. FEUDALISMO: CARACTERÍSTICAS GERAIS • Em sua forma completa só existiu na França. • Constituiu-se sobre as ruínas do Império Carolíngio e impulsionado pelas novas invasões (vikings). • Perda da noção de Estado (coisa pública), privatização de direitos de deveres pertencentes ao soberano. • Descentralização do poder → grandes senhores tinham exércitos, cunhavam moedas, faziam leis, executavam a justiça, etc. • Tinha mais poder, quem tinha mais terras. O status dos reis dependia do reforço religioso. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 8
  • 9. • O mundo feudal era dividido entre livres e não-livres. • Os servos estavam ligados à terra. • Os senhores → divididos entre suseranos (dá o feudo) e vassalos (recebe o feudo). • O Feudo não precisava ser terra → normalmente era. • Todos tinham direitos e deveres baseados em laços pessoais de fidelidade e nos costumes. • A obediência dos servos podia ser mantida pela violência, mas, especialmente entre os senhores, a Igreja tinha a função de garantir a ordem social. • Deus era o suserano dos suseranos. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 9 FEUDALISMO: CARACTERÍSTICAS GERAIS
  • 10. • O suserano tinha o dever de apoiar e proteger os seus vassalos → o senhor deveria proteger os servos. • O vassalo → prestava serviço militar, participar da corte de justiça do suserano, confirmar seu juramento de fidelidade, hospedar o suserano, presentear o suserano e sua família, pagar o resgate do suserano. • O servo pagava a corvéia, a talha, as banalidades, entregava o dízimo à Igreja, hospedava o senhor → outras obrigações que variavam de região para região. • Trair o senhor era felonia → a excomunhão poderia ser a pena imposta pela Igreja → isso dissolvia os laços feudais → o suserano podia ser inclusive morto.9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 10 FEUDALISMO: CARACTERÍSTICAS GERAIS
  • 11. UM MUNDO DE SENHORES E SERVOS 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 11
  • 12. UM MUNDO DE SENHORES E SERVOS 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 12
  • 13. A IGREJA MEDIEVAL • Herdeira da cultura clássica → seus membros eram a maioria dos letrados. • Não tinha o poder absoluto, mas a religião tinha grande importância na vida social. • Com a queda do Império Romano, o bispo de Roma tornou-se cada vez mais poderoso até se tornar o único papa. • A Igreja demorou a se adaptar ao crescimento urbano e comercial e continuou condenando a usura e o lucro. • Imperador e papa disputavam o poder universal, depois, os reis também questionaram o poder do pontífice. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 13
  • 14. A IGREJA MEDIEVAL 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 14 Românico: estilo arquitetônico ligado ao mundo feudal. • Tentou regular a sociedade → Exemplo → estabeleceu regras para a guerra e o casamento. • Ungiu os reis → justificou sua existência → defendeu a ordem feudal. • No século XIII, franciscanos e dominicanos aproximaram a instituição das massas. • Poderosos no século XII e XIII, os papas tiveram seu poder questionado pelos reis.
  • 15. BAIXA IDADE MÉDIA: URBANIZAÇÃO • Muitas mudanças ocorreram nos século XI-XII → clima, inovações tecnológicas, fim das invasões,. • Com o crescimento demográfico, a cidade passou a ser uma realidade em toda a Europa. • A maioria das pessoas, porém, continuava no campo → cidade complementava a agricultura. • O poder continuava nas mãos da 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 15
  • 16. A CIDADE MEDIEVAL • Lugar do artesão, do comerciante, da corporação de ofício. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 16
  • 17. A CIDADE MEDIEVAL • Havia profissões e ocupações mal vistas pela Igreja, a medicina era uma delas. As atividades bancárias eram as mais condenadas. Emprestar à juros era algo condenado e a teoria do preço justo não abria muito espaço para o lucro. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 17
  • 18. A CIDADE MEDIEVAL • Ainda assim, as atividades bancárias e comerciais prosperavam. • Os italianos foram grandes banqueiros. • O Purgatório, a partir do século XII, ajudou a aliviar suas culpas. • Profissões condenadas aos cristãos, muitas vezes eram feitas pelos judeus, isso aumentava o preconceito contra eles. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 18 • A partir das Cruzadas, a perseguição aos judeus se intensificou, com a Crise do Século XIV, ela se tornou mais aguda.
  • 19. A CIDADE MEDIEVAL • A catedral gótica expressa o vigor e otimismo urbanos. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 19 • Um vitral da catedral de Reims e fachada da catedral de Chartres.
  • 20. SÉCULO XIII: UNIVERSIDADE MEDIEVAL • Século XII: escolas das catedrais. • Primeiras Universidades → Bolonha (Direito) e Paris (Teologia). • Era uma corporação de ofício. • Latim → começava com artes (trivium: gramática, retórica e lógica; e quadrivium: música, aritmética, geometria e astronomia) → depois, Teologia, Direito ou Medicina. • A Igreja precisava autorizar o 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 20 • Durante a Alta Idade Média, boa parte das escolas estava nos mosteiros → A cidade alterou a situação.
  • 21. A CIDADE MEDIEVAL • A catedral gótica expressa o vigor e otimismo urbanos. 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 21
  • 22. CULTURA MEDIEVAL • A Idade Média se faz presente ainda hoje na Religião, na Arte, na Literatura, no Direito, etc. • Trovadores “inventaram” o amor. • A literatura medieval nos deixou os romances de cavalaria e seus heróis: Merlin, Arthur, Lancelot, Morgan a, Tristão e Isolda. • Cinema, literatura, HQs bebem na matéria medieval e há bons materiais que tornam o estudo 9/24/2013Prof.ª Valéria Fernandes 22