SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
Baixar para ler offline
AVALIAÇÃO NUTRICIONAL
INVESTIGAÇÃO DIETÉTICA:
REAÇÕES ADVERSAS AOS ALIMENTOS
Prof. Msc. ARIANA AMARAL
REAÇÕES ADVERSAS AOS ALIMENTOS
Alergia ao alimento: Será entendido como “qualquer
reação adversa ao alimento em que o sistema imunológico
é envolvido.
Intolerância a alimento. Será entendido como “qualquer
reação adversa a alimento, diferente da alergia a alimento e
aversão ao alimento, onde o envolvimento do sistema
imunológico não é demonstrado.
REAÇÕES ADVERSAS AOS ALIMENTOS
REAÇÕES ADVERSAS AOS ALIMENTOS
REAÇÕES ADVERSAS AOS ALIMENTOS
ALERGIAS ALIMENTARES
ALERGIAS ALIMENTARES
ALERGIAS ALIMENTARES
ALERGIAS ALIMENTARES
Exata prevalência é desconhecida, mas a taxa estimada é:
• Adultos: 2%
• Crianças < 3 anos: até 8%
• Dermatite Atópica (leve/moderada): ~35%
• Paciente Asmático: 6 - 8%
• Prevalência depende de: fatores genéticos, idade, hábitos
alimentares, localização geográfica, procedimentos
diagnósticos.
ALERGIAS ALIMENTARES
TGI
Maior órgão imunológico do corpo.
FUNÇÕES:
- Digerir adequadamente os
alimentos;
- Barreira contra patógenos;
- Desenvolver tolerância a
proteínas alimentares.
BARREIRAS IMUNOLÓGICAS
BARREIRAS NÃO-IMUNOLÓGICAS
ALERGIAS ALIMENTARES
BARREIRAS IMUNOLÓGICAS BARREIRAS NÃO-IMUNOLÓGICAS
GALT (tecido linfoide)
Linfócitos intraepiteliais
Células imunes da lâmina própria
Linfonodos mesentéricos
Resposta imunológica aos
alimentos: CD4+, CD25+, TH3,
Tr1, IgA
Barreiras físicas
Produção de muco
Peristalse
Secreções digestivas
Enzimas proteolíticas
ALERGIAS ALIMENTARES
•Proteínas (não gorduras ou carboidratos)
- 10-70 kD glicoproteínas;
•Resistentes ao calor, estáveis com a acidez;
•Principais alérgenos a alimentos (>85% de alergia)
- crianças: leite, ovo, ,soja, trigo, outrtos dependem da
área geográfica;
ALÉRGENOS ALIMENTARES
•Adultos: amendoim, castanhas, ,frutos do mar, peixe.
•Alimento único (ou relacionado) > maioria das alergias
alimentares.
•Leite de vaca: Caseína (α, β,κ), α-lactoalbumina, β-
lactoglobulina, albumina sérica;
•Ovo de galinha: Ovomucóide, ovalbumina,
ovotransferrina;
•Amendoim: Vicilina, conglutina, glicinina;
•Lentilha: Vicilina;
•Soja: Glicinina, profilina, inibidor de tripsina;
CLASSE 1: ALÉRGENOS ALIMENTARES
•Camarão: Tropomiosina;
•Peixe: Parvalbuminas;
•Frutas e outros vegetais (maçã, damasco, pêssego,
ameixa, milho);
•Proteínas de transferência de lípideos (LTPs).
•Patógeno-relacionado à proteína do grupo 2
(glucanase): Látex, abacate, banana, castanha, figo;
•Patógeno-relacionado à proteína do grupo 3
(chitinase): Látex (Hev b6), abacate
CLASSE 2: ALÉRGENOS ALIMENTARES (REAÇÃO CRUZADA)
•Patógeno-relacionado à proteína do grupo 5
(thaumatin-like): Cereja,maçã, kiwi;
•V1 homólogo a Bétula (Patógeno-relacionado à
proteína do grupo 10): Maçã, cereja, damasco, pêssego,
pera, cenoura, aipo, salsinha, avelã;
•V2 homólogo a Bétula (síndrome temperos aipo-
artemísia) profilina: Látex, aipo, batata, pera, amendoim,
soja.
AA - MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Urticária/angioedema
Rinite/Asma
Anafilaxia
Síndrome da Alergia Oral
Sintomas gastrintestinais
Dermatite
Atópica
Alterações
gastrintestinai
s Eosinofílicas
Enterocolite e proctocolite
induzida por proteína
Doença Celíaca
Dermatite de Contato
Dermatite herpetiforme
Síndrome de Heiner
IgE Misto Não IgE
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Urticária aguda
• Manifestações clínicas mais
encontradas em associação com
alergia alimentar.
• Urticária aguda: frutas, vegetais,
peixe e frutos do mar.
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Dermatite atópica
• Geralmente começa no início da
infância.
• Caracterizada por distribuição
típica, prurido intenso, e curso
crônico e recidivante.
• IgE específica se liga a células de Langerhans que atuam
como receptores “não tradicionais” na captação de
antígenos.
• Alergia alimentar exerce um papel na piora da dermatite
atópica em 35% dos casos especialmente em crianças
com dermatite atópica moderada a grave.
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Síndrome da Alergia oral – Síndrome Pólen-fruta
• Desencadeado por uma variedade de
proteínas de plantas que
apresentam reação cruzada com
aeroalérgenos.
• Paciente alérgico a pólen podem desenvolver sintomas
após a ingestão de frutas e legumes crus (batata,
cenoura, maçã, kiwi).
• Imunoterapia para tratar a rinite desencadeada por
polens pode reduzir os sintomas orais de alergia.
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Proctocolite induzida por alimentos
• Normalmente inicia-se nos primeiros meses de vida e pode
estar relacionada a proteínas que atravessam o leite
materno ou fórmulas de leite ou soja ingeridos pelo
paciente.
• Sangramento retal é comum
• Diagnóstico: endoscopia e biópsia de cólon (presença de
eosinófilos no epitélio e lâmina própria).
• Boa resposta a fórmulas extensamente hidrolisadas. No caso
de crianças em aleitamento materno exclusivo, dieta sem
leite e derivados.
• Bom prognóstico com resolução em geral aos 12 meses de
vida.
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Enterocolite induzida por alimentos
• Acomete geralmente crianças abaixo de 3 meses (leite ou
soja estão implicados).
• Sintomas podem incluir irritabilidade, vômitos incoercíveis
1 a 3 horas após a alimentação, diarreia sanguinolenta
(levando a desidratação), anemia, dor abdominal e
dificuldade de ganho de peso.
• Em adultos e crianças mais velhas, hipersensibilidade a
peixe, crustáceos e cereais podem provocar uma
síndrome semelhante com náuseas dores abdominais e
vômitos.
• Resolução: 50% aos 18 meses, 90% aos 36 meses.
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Enteropatia induzida por alimentos
• Ocorre de 0 a 24 meses.
• Diarreia (leve a moderada com esteatorreia em 80% dos
casos), baixo ganho pondero estatural, distensão ou dor
abdominal, vômitos.
• Alimentos implicados: leite cereais, ovo , peixe.
• Diagnóstico:
Biópsia mostra áreas de atrofia de vilos com
proeminente infiltrado de células, poucos eosinófilos.
Boa resposta a dieta de exclusão.
Teste de provocação pode ser necessário.
• Resolução entre dois e três anos de idade.
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Esofagite Eosinofílica
• Disfagia.
• Dor abdominal - Baixa resposta a
medicamentos anti-refluxo.
• Biópsia: presença de eosinófilos
++++ mais de 20 eosinófilos por
campo de grande aumento.
AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Gastroenterite Eosinofílica
• Perda de peso, dificuldade de
desenvolvimento e edema.
• Vômito e diarreia ( pós prandial).
• Perda de sangue.
• Deficiência de ferro.
• Enteropatia perdedora de proteína e ferro.
• Quadro clínico de difícil controle.
• Tratamento prolongado com dietas elementares e
imunossupressores, incluindo corticóides.
AA – MANIFESTAÇÕES RESPIRATÓRIAS
Asma
• Uma manifestação incomum de alergia alimentar.
• Geralmente vista associada a outros sintomas induzidos por
alimentos.
• Vapores emitidos durante a cocção podem induzir reações
asmáticas.
• Sintomas de asma devem ser suspeitados em pacientes
com asma refratária a tratamento associados a:
história de dermatite atópica;
refluxo gastroesofágico;
distúrbios alimentares quando lactente;
história de testes cutâneos positivos a alimentos ou
reações a alimentos.
ALERGIAS ALMENTARES
Anafilaxia induzida por alimentos
• Reações alérgicas sistêmicas graves, potencialmente fatais
que ocorrem subitamente após contato com um alérgeno.
• Início agudo de envolvimento de pele e associado a
comprometimento respiratório.
• Qualquer alimento pode desencadear, maiores riscos;
amendoim, castanha crustáceeos, leite e ovo.
DIAGNÓSTICO
HISTÓRIA CLÍNICA
• Importância: identificar alimento desencadeante e possível
mecanismo imunológico envolvido.
- descrição dos sintomas.
- o tempo de aparecimento dos sintomas após a
ingestão do alimento.
- quantidade de alimento que desencadeou os
sintomas.
- o processamento do alimento.
- a descrição de fatores associados (exercícios,
ingestão de bebidas alcoólicas).
- uso de medicações.
• Antecedentes familiares e individuais.
DIAGNÓSTICO
EXAME FÍSICO
• Minucioso, ênfase na avaliação do estado nutricional,
presença de lesões dermatológicas, pesquisa de
sintomas do TGI.
• Alérgeno alimentar não identificado: registro alimentar de
1 semana.
• Horário, tipo, quantidade do alimento consumido, doses
de medicamentos e sintomas.
DIETAS DE ELIMINAÇÃO
DIAGNÓSTICO
• Dieta composta por alimentos hipoalergênicos.
• Posteriormente reintroduzir um alimento suspeito por
vez, observando-se a ocorrência dos sintomas.
• Excluir o leite de vaca.
• Substituição por leite humano, hidrolisados de caseína ou
proteínas do soro de leite de vaca, fórmulas à base de
soja ou de leite de outras espécies (cabra) ou à base de
carne.
DIAGNÓSTICO
TESTES CUTÂNEOS
Prick (teste de puntura ): reprodutível, sensível
e não irritante.
Prick to prick: Utilização do alimento cru ou
cozido. Especialmente recomendado para
frutos e verduras (os extratos comercialmente
preparados são geralmente inadequados pela
labilidade dos alérgenos, alimentos frescos
devem ser utilizados neste teste.
DIAGNÓSTICO
TESTES CUTÂNEOS
Intradérmicos: Não recomendadosAtopy
Patch test (APT) : Dermatite atópica,
reações tardia
Recomendado alimento fresco ou seco.
Não padronizado.
Dificuldade na interpretação de resultados.
DIAGNÓSTICO
TESTES DE PROVOCAÇÃO ORAL
- Necessária Supervisão Médica
- Necessário suporte de emergência para eventual reação
adversa.
O paciente deve estar sem sintomas e comparecer em jejum.
A quantidade de alimento começar para início do teste pode
depender da quantidade de alimento que induziu a última
reação.
É altamente é recomendado começar com doses mínimas,
com um aumento cuidadoso e em geral aguardar-se o
tempo superior o período que o paciente experimentou em
reações prévias.
TRATAMENTO
•Exclusão dos alimentos.
•Dieta de substituição deve ser
adequada para promover crescimento.
•Usar fórmulas específicas
(hipoalergênica ou extremamente
hidrolisada).
•Esclarecimento do paciente e da
família.
ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA
•Forma mais comum de hipersensibilidade alérgica
alimentar.
•O leite de vaca contém mais de 20 componentes
protéicos.
ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA
DIAGNÓSTICO
TRATAMENTO
Tratamento Dietas de eliminação
•Dieta composta por alimentos hipoalergênicos.
•Posteriormente reintroduzir um alimento suspeito por vez,
observando-se a ocorrência dos sintomas.
•Excluir o leite de vaca.
•Substituição por leite humano, hidrolisados de caseína ou
proteínas do soro de leite de vaca, fórmulas à base de soja
ou de leite de outras espécies (cabra) ou à base de carne.
PROFILAXIA
•A amamentação pode ajudar a evitar alergias.
•Não existe nenhuma forma conhecida de evitar alergias.
Esperar mais tempo para introduzir na dieta das crianças
alimentos que possam causar alergia (maturidade do
trato gastrintestinal).
•Evitar o alimento responsável pela alergia é o mais
indicado.
INTOLERÂNCIA ALIMENTAR
•INTOLERÂNCIA À LACTOSE: a lactose que não é
hidrolisada a galactose e glicose permanece no intestino e
atua osmoticamente para atrair água ao intestino. As
bactérias colônicas fermentam a lactose não digerida,
formando AGCC, dióxido de carbono e gás hidrogênio.
•SINTOMAS: inchaço abdominal, flatulência, cólicas e
diarreia.
INTOLERÂNCIA À LACTOSE
CUIDADO NUTRICIONAL
•Consumo reduzido de alimentos
que contém lactose ( não
ausente).
•Retirada de açúcares simples:
sacarose.
•Permitido o uso da enzima lactase
e os derivados de leite tratados
com enzimas lactase (Lactaid).
Obrigada!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidosDesnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidosRafaela Neves
 
Desnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamentoDesnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamentoHamilton Reis Reis
 
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.PDisturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P8Aap
 
Desnutrição pv
Desnutrição pvDesnutrição pv
Desnutrição pvPaulo Sales
 
Disturbios Alimentares
Disturbios Alimentares Disturbios Alimentares
Disturbios Alimentares Juliana Costa
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentaresjessicassuncao
 
Vencendo a desnutrição
Vencendo a desnutriçãoVencendo a desnutrição
Vencendo a desnutriçãoreginamarta1972
 
Equilíbrio do organismo- Distúrbios Alimentares
Equilíbrio do organismo- Distúrbios AlimentaresEquilíbrio do organismo- Distúrbios Alimentares
Equilíbrio do organismo- Distúrbios AlimentaresMelissa Matos
 
Terapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncerTerapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncerBrendha Soares
 
Manual de Nutrição para Pessoas com Diabetes
Manual de Nutrição para Pessoas com DiabetesManual de Nutrição para Pessoas com Diabetes
Manual de Nutrição para Pessoas com DiabetesSérgio Amaral
 
Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoAmanda Thomé
 
DESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICA
DESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICADESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICA
DESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICASilvana Lima
 
Cuidados com alimentação na terceira idade
Cuidados com alimentação na terceira idadeCuidados com alimentação na terceira idade
Cuidados com alimentação na terceira idadeLiane Agostini de Souza
 
A imagem do corpo
A imagem do corpoA imagem do corpo
A imagem do corpolucia_nunes
 
Comportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bComportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bMichele Pó
 
Manual alimentação-para-gestantes
Manual alimentação-para-gestantesManual alimentação-para-gestantes
Manual alimentação-para-gestantesMrciaMendes29
 

Mais procurados (20)

Desnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidosDesnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidos
 
Desnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamentoDesnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamento
 
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.PDisturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P
 
Desnutrição pv
Desnutrição pvDesnutrição pv
Desnutrição pv
 
Disturbios Alimentares
Disturbios Alimentares Disturbios Alimentares
Disturbios Alimentares
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
 
Vencendo a desnutrição
Vencendo a desnutriçãoVencendo a desnutrição
Vencendo a desnutrição
 
Equilíbrio do organismo- Distúrbios Alimentares
Equilíbrio do organismo- Distúrbios AlimentaresEquilíbrio do organismo- Distúrbios Alimentares
Equilíbrio do organismo- Distúrbios Alimentares
 
Terapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncerTerapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncer
 
Manual de Nutrição para Pessoas com Diabetes
Manual de Nutrição para Pessoas com DiabetesManual de Nutrição para Pessoas com Diabetes
Manual de Nutrição para Pessoas com Diabetes
 
Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no Idoso
 
DESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICA
DESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICADESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICA
DESNUTRIÇÃO PROTEICO CALORICA
 
Cuidados com alimentação na terceira idade
Cuidados com alimentação na terceira idadeCuidados com alimentação na terceira idade
Cuidados com alimentação na terceira idade
 
Desnutricao (1)
Desnutricao (1)Desnutricao (1)
Desnutricao (1)
 
A imagem do corpo
A imagem do corpoA imagem do corpo
A imagem do corpo
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Comportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bComportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8b
 
Manual alimentação-para-gestantes
Manual alimentação-para-gestantesManual alimentação-para-gestantes
Manual alimentação-para-gestantes
 
Desnutrição Infantil
Desnutrição InfantilDesnutrição Infantil
Desnutrição Infantil
 
Desnutrição
DesnutriçãoDesnutrição
Desnutrição
 

Semelhante a Avaliação nutricional: Investigação dietética- reações adversas aos alimentos

Alergia alimentar
Alergia alimentarAlergia alimentar
Alergia alimentarRachel V.
 
Doença celíaca
 Doença celíaca Doença celíaca
Doença celíacaRaquelrenno
 
Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01
Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01
Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01FlorDaPrimavera
 
Aula Alergia Alimentar X Intolerância à Lactose
Aula Alergia Alimentar X Intolerância à LactoseAula Alergia Alimentar X Intolerância à Lactose
Aula Alergia Alimentar X Intolerância à LactoseFernanda Pércope
 
Doença Inflamatória Intestinal em gatos
Doença Inflamatória Intestinal em gatosDoença Inflamatória Intestinal em gatos
Doença Inflamatória Intestinal em gatosCarolina Trochmann
 
suporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdf
suporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdfsuporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdf
suporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdfBrunoPelosoSignorett
 
ALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptx
ALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptxALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptx
ALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptxTamires Vieira
 
Receitas culinárias alérgicos
Receitas culinárias alérgicosReceitas culinárias alérgicos
Receitas culinárias alérgicosThayna Cuevo
 
Receitas culinarias
Receitas culinariasReceitas culinarias
Receitas culinariasgalaivp
 
Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...
Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...
Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...Claudia Bohrer
 
Slides para o trabalho de intolerancia
Slides para  o trabalho de intoleranciaSlides para  o trabalho de intolerancia
Slides para o trabalho de intoleranciaAna Cunha
 
Receitas para crianças com alergia alimentar
Receitas para crianças com alergia alimentarReceitas para crianças com alergia alimentar
Receitas para crianças com alergia alimentarJosilene Silva Alves
 
See afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinalSee afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinalDanielle Giannini
 

Semelhante a Avaliação nutricional: Investigação dietética- reações adversas aos alimentos (20)

Dr. Aderbal Sabrá: Alergia alimentar
Dr. Aderbal Sabrá: Alergia alimentarDr. Aderbal Sabrá: Alergia alimentar
Dr. Aderbal Sabrá: Alergia alimentar
 
Alergia alimentar
Alergia alimentarAlergia alimentar
Alergia alimentar
 
Doença celíaca
 Doença celíaca Doença celíaca
Doença celíaca
 
Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01
Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01
Aulaalergiaintslideshare2015 150323092930-conversion-gate01
 
Aula Alergia Alimentar X Intolerância à Lactose
Aula Alergia Alimentar X Intolerância à LactoseAula Alergia Alimentar X Intolerância à Lactose
Aula Alergia Alimentar X Intolerância à Lactose
 
Doença Inflamatória Intestinal em gatos
Doença Inflamatória Intestinal em gatosDoença Inflamatória Intestinal em gatos
Doença Inflamatória Intestinal em gatos
 
suporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdf
suporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdfsuporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdf
suporte-alimentar-doenca-gastroenterica.pdf
 
ALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptx
ALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptxALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptx
ALERGIA-ALIMENTAR-aula-2019.pptx
 
Receitas culinárias alérgicos
Receitas culinárias alérgicosReceitas culinárias alérgicos
Receitas culinárias alérgicos
 
Receitas culinarias
Receitas culinariasReceitas culinarias
Receitas culinarias
 
Receitas culinarias
Receitas culinariasReceitas culinarias
Receitas culinarias
 
Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...
Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...
Receitasparacrianascomalergiaalimentar clubedamell-150129092416-conversion-ga...
 
Alergia alimentar final
Alergia alimentar finalAlergia alimentar final
Alergia alimentar final
 
Aula 4 gastrite
Aula 4 gastriteAula 4 gastrite
Aula 4 gastrite
 
Slides para o trabalho de intolerancia
Slides para  o trabalho de intoleranciaSlides para  o trabalho de intolerancia
Slides para o trabalho de intolerancia
 
Aula 2 alergias alimentares
Aula 2   alergias alimentaresAula 2   alergias alimentares
Aula 2 alergias alimentares
 
Doenca celiaca
Doenca celiacaDoenca celiaca
Doenca celiaca
 
Receitas para crianças com alergia alimentar
Receitas para crianças com alergia alimentarReceitas para crianças com alergia alimentar
Receitas para crianças com alergia alimentar
 
See afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinalSee afeccoes do_trato_gastrointestinal
See afeccoes do_trato_gastrointestinal
 
Mitos e Verdades sobre Alergia Alimentar na Criança
Mitos e Verdades sobre Alergia Alimentar na CriançaMitos e Verdades sobre Alergia Alimentar na Criança
Mitos e Verdades sobre Alergia Alimentar na Criança
 

Mais de KetlenBatista

Cadeia de suprimentos apostila técnico em administração
Cadeia de suprimentos apostila técnico em administraçãoCadeia de suprimentos apostila técnico em administração
Cadeia de suprimentos apostila técnico em administraçãoKetlenBatista
 
Probabilidade merged
Probabilidade mergedProbabilidade merged
Probabilidade mergedKetlenBatista
 
Apostila funcoes i_final
Apostila funcoes i_finalApostila funcoes i_final
Apostila funcoes i_finalKetlenBatista
 
1554752887 apostila literatura-enem-vol1
1554752887 apostila literatura-enem-vol11554752887 apostila literatura-enem-vol1
1554752887 apostila literatura-enem-vol1KetlenBatista
 
Caderno adm estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]
Caderno adm   estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]Caderno adm   estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]
Caderno adm estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]KetlenBatista
 
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-11554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1KetlenBatista
 
Avaliação nutricional: exames bioquímicos
Avaliação nutricional: exames bioquímicosAvaliação nutricional: exames bioquímicos
Avaliação nutricional: exames bioquímicosKetlenBatista
 
Avaliação nutricional: princípios da semiologia
Avaliação nutricional: princípios da semiologiaAvaliação nutricional: princípios da semiologia
Avaliação nutricional: princípios da semiologiaKetlenBatista
 
Avaliação nutricional: avaliação do consumo alimentar
Avaliação nutricional: avaliação do consumo alimentarAvaliação nutricional: avaliação do consumo alimentar
Avaliação nutricional: avaliação do consumo alimentarKetlenBatista
 
Avaliação nutricional: composição corporal
Avaliação nutricional: composição corporalAvaliação nutricional: composição corporal
Avaliação nutricional: composição corporalKetlenBatista
 
Alimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentos
Alimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentosAlimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentos
Alimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentosKetlenBatista
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...KetlenBatista
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...KetlenBatista
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínas
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínasNutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínas
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínasKetlenBatista
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratos
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratosNutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratos
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratosKetlenBatista
 
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapiaNutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapiaKetlenBatista
 

Mais de KetlenBatista (20)

Cadeia de suprimentos apostila técnico em administração
Cadeia de suprimentos apostila técnico em administraçãoCadeia de suprimentos apostila técnico em administração
Cadeia de suprimentos apostila técnico em administração
 
Tecidoconjuntivo
TecidoconjuntivoTecidoconjuntivo
Tecidoconjuntivo
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
 
Geometria plana 2
Geometria plana 2Geometria plana 2
Geometria plana 2
 
Probabilidade merged
Probabilidade mergedProbabilidade merged
Probabilidade merged
 
Geometria plana
Geometria planaGeometria plana
Geometria plana
 
Apostila funcoes i_final
Apostila funcoes i_finalApostila funcoes i_final
Apostila funcoes i_final
 
1554752887 apostila literatura-enem-vol1
1554752887 apostila literatura-enem-vol11554752887 apostila literatura-enem-vol1
1554752887 apostila literatura-enem-vol1
 
Caderno adm estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]
Caderno adm   estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]Caderno adm   estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]
Caderno adm estoques [2.ed. reimp. - 2019.2 - etepac]
 
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-11554500699 apostila biologia-enem-volume-1
1554500699 apostila biologia-enem-volume-1
 
Avaliação nutricional: exames bioquímicos
Avaliação nutricional: exames bioquímicosAvaliação nutricional: exames bioquímicos
Avaliação nutricional: exames bioquímicos
 
Avaliação nutricional: princípios da semiologia
Avaliação nutricional: princípios da semiologiaAvaliação nutricional: princípios da semiologia
Avaliação nutricional: princípios da semiologia
 
Avaliação nutricional: avaliação do consumo alimentar
Avaliação nutricional: avaliação do consumo alimentarAvaliação nutricional: avaliação do consumo alimentar
Avaliação nutricional: avaliação do consumo alimentar
 
Avaliação nutricional: composição corporal
Avaliação nutricional: composição corporalAvaliação nutricional: composição corporal
Avaliação nutricional: composição corporal
 
Alimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentos
Alimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentosAlimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentos
Alimentação saudável: higienização e rotulagem dos alimentos
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das vitaminas e...
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos lipídios (g...
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínas
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínasNutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínas
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo das proteínas
 
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratos
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratosNutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratos
Nutrição normal e dietética: digestão, absorção e metabolismo dos carboidratos
 
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapiaNutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
 

Último

Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 

Último (20)

Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 

Avaliação nutricional: Investigação dietética- reações adversas aos alimentos

  • 1. AVALIAÇÃO NUTRICIONAL INVESTIGAÇÃO DIETÉTICA: REAÇÕES ADVERSAS AOS ALIMENTOS Prof. Msc. ARIANA AMARAL
  • 3. Alergia ao alimento: Será entendido como “qualquer reação adversa ao alimento em que o sistema imunológico é envolvido. Intolerância a alimento. Será entendido como “qualquer reação adversa a alimento, diferente da alergia a alimento e aversão ao alimento, onde o envolvimento do sistema imunológico não é demonstrado. REAÇÕES ADVERSAS AOS ALIMENTOS
  • 9. ALERGIAS ALIMENTARES Exata prevalência é desconhecida, mas a taxa estimada é: • Adultos: 2% • Crianças < 3 anos: até 8% • Dermatite Atópica (leve/moderada): ~35% • Paciente Asmático: 6 - 8% • Prevalência depende de: fatores genéticos, idade, hábitos alimentares, localização geográfica, procedimentos diagnósticos.
  • 10. ALERGIAS ALIMENTARES TGI Maior órgão imunológico do corpo. FUNÇÕES: - Digerir adequadamente os alimentos; - Barreira contra patógenos; - Desenvolver tolerância a proteínas alimentares. BARREIRAS IMUNOLÓGICAS BARREIRAS NÃO-IMUNOLÓGICAS
  • 11. ALERGIAS ALIMENTARES BARREIRAS IMUNOLÓGICAS BARREIRAS NÃO-IMUNOLÓGICAS GALT (tecido linfoide) Linfócitos intraepiteliais Células imunes da lâmina própria Linfonodos mesentéricos Resposta imunológica aos alimentos: CD4+, CD25+, TH3, Tr1, IgA Barreiras físicas Produção de muco Peristalse Secreções digestivas Enzimas proteolíticas
  • 12. ALERGIAS ALIMENTARES •Proteínas (não gorduras ou carboidratos) - 10-70 kD glicoproteínas; •Resistentes ao calor, estáveis com a acidez; •Principais alérgenos a alimentos (>85% de alergia) - crianças: leite, ovo, ,soja, trigo, outrtos dependem da área geográfica; ALÉRGENOS ALIMENTARES
  • 13. •Adultos: amendoim, castanhas, ,frutos do mar, peixe. •Alimento único (ou relacionado) > maioria das alergias alimentares.
  • 14. •Leite de vaca: Caseína (α, β,κ), α-lactoalbumina, β- lactoglobulina, albumina sérica; •Ovo de galinha: Ovomucóide, ovalbumina, ovotransferrina; •Amendoim: Vicilina, conglutina, glicinina; •Lentilha: Vicilina; •Soja: Glicinina, profilina, inibidor de tripsina; CLASSE 1: ALÉRGENOS ALIMENTARES
  • 15. •Camarão: Tropomiosina; •Peixe: Parvalbuminas; •Frutas e outros vegetais (maçã, damasco, pêssego, ameixa, milho); •Proteínas de transferência de lípideos (LTPs).
  • 16. •Patógeno-relacionado à proteína do grupo 2 (glucanase): Látex, abacate, banana, castanha, figo; •Patógeno-relacionado à proteína do grupo 3 (chitinase): Látex (Hev b6), abacate CLASSE 2: ALÉRGENOS ALIMENTARES (REAÇÃO CRUZADA)
  • 17. •Patógeno-relacionado à proteína do grupo 5 (thaumatin-like): Cereja,maçã, kiwi; •V1 homólogo a Bétula (Patógeno-relacionado à proteína do grupo 10): Maçã, cereja, damasco, pêssego, pera, cenoura, aipo, salsinha, avelã; •V2 homólogo a Bétula (síndrome temperos aipo- artemísia) profilina: Látex, aipo, batata, pera, amendoim, soja.
  • 18. AA - MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Urticária/angioedema Rinite/Asma Anafilaxia Síndrome da Alergia Oral Sintomas gastrintestinais Dermatite Atópica Alterações gastrintestinai s Eosinofílicas Enterocolite e proctocolite induzida por proteína Doença Celíaca Dermatite de Contato Dermatite herpetiforme Síndrome de Heiner IgE Misto Não IgE
  • 19. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Urticária aguda • Manifestações clínicas mais encontradas em associação com alergia alimentar. • Urticária aguda: frutas, vegetais, peixe e frutos do mar.
  • 20. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Dermatite atópica • Geralmente começa no início da infância. • Caracterizada por distribuição típica, prurido intenso, e curso crônico e recidivante.
  • 21. • IgE específica se liga a células de Langerhans que atuam como receptores “não tradicionais” na captação de antígenos. • Alergia alimentar exerce um papel na piora da dermatite atópica em 35% dos casos especialmente em crianças com dermatite atópica moderada a grave.
  • 22. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Síndrome da Alergia oral – Síndrome Pólen-fruta • Desencadeado por uma variedade de proteínas de plantas que apresentam reação cruzada com aeroalérgenos.
  • 23. • Paciente alérgico a pólen podem desenvolver sintomas após a ingestão de frutas e legumes crus (batata, cenoura, maçã, kiwi). • Imunoterapia para tratar a rinite desencadeada por polens pode reduzir os sintomas orais de alergia.
  • 24. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Proctocolite induzida por alimentos • Normalmente inicia-se nos primeiros meses de vida e pode estar relacionada a proteínas que atravessam o leite materno ou fórmulas de leite ou soja ingeridos pelo paciente. • Sangramento retal é comum
  • 25. • Diagnóstico: endoscopia e biópsia de cólon (presença de eosinófilos no epitélio e lâmina própria). • Boa resposta a fórmulas extensamente hidrolisadas. No caso de crianças em aleitamento materno exclusivo, dieta sem leite e derivados. • Bom prognóstico com resolução em geral aos 12 meses de vida.
  • 26. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Enterocolite induzida por alimentos • Acomete geralmente crianças abaixo de 3 meses (leite ou soja estão implicados). • Sintomas podem incluir irritabilidade, vômitos incoercíveis 1 a 3 horas após a alimentação, diarreia sanguinolenta (levando a desidratação), anemia, dor abdominal e dificuldade de ganho de peso.
  • 27. • Em adultos e crianças mais velhas, hipersensibilidade a peixe, crustáceos e cereais podem provocar uma síndrome semelhante com náuseas dores abdominais e vômitos. • Resolução: 50% aos 18 meses, 90% aos 36 meses.
  • 28. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Enteropatia induzida por alimentos • Ocorre de 0 a 24 meses. • Diarreia (leve a moderada com esteatorreia em 80% dos casos), baixo ganho pondero estatural, distensão ou dor abdominal, vômitos. • Alimentos implicados: leite cereais, ovo , peixe.
  • 29. • Diagnóstico: Biópsia mostra áreas de atrofia de vilos com proeminente infiltrado de células, poucos eosinófilos. Boa resposta a dieta de exclusão. Teste de provocação pode ser necessário. • Resolução entre dois e três anos de idade.
  • 30. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Esofagite Eosinofílica • Disfagia. • Dor abdominal - Baixa resposta a medicamentos anti-refluxo. • Biópsia: presença de eosinófilos ++++ mais de 20 eosinófilos por campo de grande aumento.
  • 31. AA – MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Gastroenterite Eosinofílica • Perda de peso, dificuldade de desenvolvimento e edema. • Vômito e diarreia ( pós prandial). • Perda de sangue. • Deficiência de ferro.
  • 32. • Enteropatia perdedora de proteína e ferro. • Quadro clínico de difícil controle. • Tratamento prolongado com dietas elementares e imunossupressores, incluindo corticóides.
  • 33. AA – MANIFESTAÇÕES RESPIRATÓRIAS Asma • Uma manifestação incomum de alergia alimentar. • Geralmente vista associada a outros sintomas induzidos por alimentos. • Vapores emitidos durante a cocção podem induzir reações asmáticas.
  • 34. • Sintomas de asma devem ser suspeitados em pacientes com asma refratária a tratamento associados a: história de dermatite atópica; refluxo gastroesofágico; distúrbios alimentares quando lactente; história de testes cutâneos positivos a alimentos ou reações a alimentos.
  • 35. ALERGIAS ALMENTARES Anafilaxia induzida por alimentos • Reações alérgicas sistêmicas graves, potencialmente fatais que ocorrem subitamente após contato com um alérgeno. • Início agudo de envolvimento de pele e associado a comprometimento respiratório. • Qualquer alimento pode desencadear, maiores riscos; amendoim, castanha crustáceeos, leite e ovo.
  • 36. DIAGNÓSTICO HISTÓRIA CLÍNICA • Importância: identificar alimento desencadeante e possível mecanismo imunológico envolvido. - descrição dos sintomas. - o tempo de aparecimento dos sintomas após a ingestão do alimento.
  • 37. - quantidade de alimento que desencadeou os sintomas. - o processamento do alimento. - a descrição de fatores associados (exercícios, ingestão de bebidas alcoólicas). - uso de medicações. • Antecedentes familiares e individuais.
  • 38. DIAGNÓSTICO EXAME FÍSICO • Minucioso, ênfase na avaliação do estado nutricional, presença de lesões dermatológicas, pesquisa de sintomas do TGI.
  • 39. • Alérgeno alimentar não identificado: registro alimentar de 1 semana. • Horário, tipo, quantidade do alimento consumido, doses de medicamentos e sintomas.
  • 40. DIETAS DE ELIMINAÇÃO DIAGNÓSTICO • Dieta composta por alimentos hipoalergênicos. • Posteriormente reintroduzir um alimento suspeito por vez, observando-se a ocorrência dos sintomas. • Excluir o leite de vaca.
  • 41. • Substituição por leite humano, hidrolisados de caseína ou proteínas do soro de leite de vaca, fórmulas à base de soja ou de leite de outras espécies (cabra) ou à base de carne.
  • 42. DIAGNÓSTICO TESTES CUTÂNEOS Prick (teste de puntura ): reprodutível, sensível e não irritante. Prick to prick: Utilização do alimento cru ou cozido. Especialmente recomendado para frutos e verduras (os extratos comercialmente preparados são geralmente inadequados pela labilidade dos alérgenos, alimentos frescos devem ser utilizados neste teste.
  • 43. DIAGNÓSTICO TESTES CUTÂNEOS Intradérmicos: Não recomendadosAtopy Patch test (APT) : Dermatite atópica, reações tardia Recomendado alimento fresco ou seco. Não padronizado. Dificuldade na interpretação de resultados.
  • 44. DIAGNÓSTICO TESTES DE PROVOCAÇÃO ORAL - Necessária Supervisão Médica - Necessário suporte de emergência para eventual reação adversa. O paciente deve estar sem sintomas e comparecer em jejum. A quantidade de alimento começar para início do teste pode depender da quantidade de alimento que induziu a última reação.
  • 45. É altamente é recomendado começar com doses mínimas, com um aumento cuidadoso e em geral aguardar-se o tempo superior o período que o paciente experimentou em reações prévias.
  • 46. TRATAMENTO •Exclusão dos alimentos. •Dieta de substituição deve ser adequada para promover crescimento. •Usar fórmulas específicas (hipoalergênica ou extremamente hidrolisada). •Esclarecimento do paciente e da família.
  • 47. ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA •Forma mais comum de hipersensibilidade alérgica alimentar. •O leite de vaca contém mais de 20 componentes protéicos.
  • 48. ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA
  • 50. TRATAMENTO Tratamento Dietas de eliminação •Dieta composta por alimentos hipoalergênicos. •Posteriormente reintroduzir um alimento suspeito por vez, observando-se a ocorrência dos sintomas. •Excluir o leite de vaca. •Substituição por leite humano, hidrolisados de caseína ou proteínas do soro de leite de vaca, fórmulas à base de soja ou de leite de outras espécies (cabra) ou à base de carne.
  • 51.
  • 52.
  • 53. PROFILAXIA •A amamentação pode ajudar a evitar alergias. •Não existe nenhuma forma conhecida de evitar alergias. Esperar mais tempo para introduzir na dieta das crianças alimentos que possam causar alergia (maturidade do trato gastrintestinal). •Evitar o alimento responsável pela alergia é o mais indicado.
  • 54. INTOLERÂNCIA ALIMENTAR •INTOLERÂNCIA À LACTOSE: a lactose que não é hidrolisada a galactose e glicose permanece no intestino e atua osmoticamente para atrair água ao intestino. As bactérias colônicas fermentam a lactose não digerida, formando AGCC, dióxido de carbono e gás hidrogênio. •SINTOMAS: inchaço abdominal, flatulência, cólicas e diarreia.
  • 55.
  • 56. INTOLERÂNCIA À LACTOSE CUIDADO NUTRICIONAL •Consumo reduzido de alimentos que contém lactose ( não ausente). •Retirada de açúcares simples: sacarose. •Permitido o uso da enzima lactase e os derivados de leite tratados com enzimas lactase (Lactaid).