Desnutrição pv

23.974 visualizações

Publicada em

para a prova da dr. joatonia

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
9 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
23.974
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
594
Comentários
1
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desnutrição pv

  1. 1. Desnutrição
  2. 2. DESNUTRIÇÃO Introdução • No mundo, 700 milhões de desnutridos, destes 200 milhões são crianças moderadamente desnutridas e 70 milhões gravemente; • No Brasil, três estudos analisaram este índice que evidenciaram que a forma crônica (alteração na relação: estatura/idade) é a mais prevalente em menores de 5 anos de idade (período de maior vulnerabilidade): – ENDEF: Estudo Nacional da Despesa Familiar (1974); – PNSN: Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição (1989); – PNDS: Pesquisa Nacional sobre Demografia de Saúde (1996);
  3. 3. DESNUTRIÇÃO Introdução • Conceito: Síndrome caracterizada por deficiência de calorias e proteínas, acometendo com freqüência os lactentes e pré-escolares.
  4. 4. DESNUTRIÇÃO Adultos
  5. 5. DESNUTRIÇÃO Etiologia • Multifatorial; • Condição sócio-econômica desfavorável; • Fraco vínculo mãe-filho (retirada precoce do aleitamento materno);
  6. 6. DESNUTRIÇÃO Classificação • Etiologia: Primária ou secundária; • Intensidade: Leve, moderada ou grave; • Cronologia: Aguda ou crônica;
  7. 7. DESNUTRIÇÃO Quadro Clínico • Apatia, hipoatividade, anorexia, perda de peso, infecções recorrentes, edema (kwashiorkor), diarréia etc; • Redução dos níveis séricos de glicose e aminoácidos; • Aumento dos níveis de “hormônios do stress”: • Cortisol (Marasmo); • ACTH (Kwashiorkor); • Catecolaminas; • Distúrbios relacionados aos micronutrientes: • Anemia Ferropriva*, Hipovitaminoses; Obs.:Perda de Peso é um processo agudo (índice de maior sensibilidade que Estatura).
  8. 8. DESNUTRIÇÃO Desnutrição Primária Grave • Marasmo; • Kwashiorkor;
  9. 9. DESNUTRIÇÃO Marasmo “Condição relacionada com má nutrição que resulta numa deficiência total (energético- protéico).” – Na criança, a causa mais comum é a retirada precoce de aleitamento materno, substituindo por misturas com fórmulas caloricamente deficientes;
  10. 10. DESNUTRIÇÃO Marasmo • Déficit de peso e estatura; • Perda de tecido subcutâneo ; • Atrofia muscular importante; • Pele “enrugada”; • Crianças menores que 12 meses (normalmente); • Emagrecimento acentuado; • Pele frouxa,costelas proeminentes; • Gordura subcutânea ausente; • Irritabilidade; Obs.: Albumina sérica normal e apetite, em geral, preservado.
  11. 11. DESNUTRIÇÃO
  12. 12. DESNUTRIÇÃO Kwashiorkor “Embora a ingestão calórica possa ser adequada, observa-se deficiência dietética de proteína.” Apesar da energia adequada, a deficiência de proteínas de alto valor biológico impede a adaptação do organismo à desnutrição. A instalação costuma ser rápida.
  13. 13. DESNUTRIÇÃO Kwashiorkor – Deficiência de proteínas; – 2-3 anos de vida; – Edema,subcutâneo presente; – Cabelos finos e quebradiços; – Lesões de pele; – Apatia,sem apetite; • Obs.: Albumina sérica reduzida.
  14. 14. DESNUTRIÇÃO
  15. 15. DESNUTRIÇÃO
  16. 16. DESNUTRIÇÃO Diagnóstico • Exame Clínico – Anamnese (Fatores socioeconômicos, histórico de doenças, aleitamento materno exclusivo até os 6 meses etc); – Exame Físico (Ectoscopia , exame sistemático); • Antropometria – Relação PESO/ALTURA, PESO/IDADE, ALTURA/IDADE; – Perímetro Cefálico, Perímetro Braquial, Pregas Cutâneas; • Exames complementares – Hemograma, Triglicérides, Glicemia de jejum/pós-prandial, dosagem de hormônios, níveis séricos de albumina, transferrina etc.
  17. 17. DESNUTRIÇÃO Diagnóstico • Antropometria Alteração Aguda – Classificação de Gomez (PESO/IDADE); Alteração Crônica – Classificação de Waterlow (PESO/ALTURA e ALTURA/IDADE);
  18. 18. DESNUTRIÇÃO Curvas de Crescimento (NCHS) CURVAS ESTACIONÁRIAS OU DECRESCENTES
  19. 19. DESNUTRIÇÃO
  20. 20. DESNUTRIÇÃO Classificação de Gomez
  21. 21. DESNUTRIÇÃO Classificação de Waterlow
  22. 22. DESNUTRIÇÃO
  23. 23. DESNUTRIÇÃO Tratamento • Tratamento Psicossocial • Tratamento Clínico  Crianças gravemente desnutridas devem ser referidas para hospitalização  A fisiologia das crianças desnutridas é seriamente anormal, afetando o seu tratamento
  24. 24. DESNUTRIÇÃO Tratamento Psicossocial • Interdisciplinar (médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, dentistas e pedagogos) • Resgate da cidadania e dos direitos básicos da pessoa humana que sequer tem noção que os tem
  25. 25. DESNUTRIÇÃO Tratamento Clínico • A 1ª etapa (estabilização) visa salvar a vida da criança desnutrida e deve ser considerada como uma abordagem emergencial. Visa corrigir problemas metabólicos agudos, tais como: distúrbios hidroeletrolíticos e ácido-básicos, hipoglicemia, hipocalemia, hipocalcemia, distúrbios circulatórios, diarréias graves e infecção (apetite) • A 2ª etapa (reabilitação) visa à reposição de tecidos perdidos pelo processo de desnutrição e à normalização do crescimento e das funções psicomotoras prejudicadas pelas carências sofridas (adequação do peso para a estatura de 90%)

×