Parques de ciências e tecnologia

230 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parques de ciências e tecnologia

  1. 1. PARQUES DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Taguspark Avepark Ana Camões, Andreia Macedo, Joana Rodrigues, Sara Lima, 11ºB
  2. 2. O que são ? o Centro tecnológico que reúne, num mesmo lugar, diversas atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D) em áreas de alta tecnologia, como institutos, centros de pesquisa, empresas e universidades, o que facilita os contatos pessoais e institucionais entre esses meios, produzindo uma economia de aglomeração ou de concentração espacial do desenvolvimento tecnológico.
  3. 3. Importância destes parques na promoção de novas localizações industriais  Facilita os contatos pessoais e institucionais entre esses meios, produzindo uma economia de aglomeração ou de concentração espacial do desenvolvimento tecnológico.  O efeito desinergia facilita o desenvolvimento de inovações técnicas, novos processos e novas ideias.  Os tecnopolos, geralmente, concentram grande quantidade de mão de obra altamente qualificada, como pesquisadores e professores universitários, geralmente com pósgraduação de alto nível (doutorado ou pós-doutorado), assim como mercado consumidor
  4. 4. Vantagens do Taguspark Localização: o Boas acessibilidades, com uma ampla rede de transportes, trânsito fluido e a 20 minutos do centro de Lisboa; o Inserido nos pontos de confluência dos Concelhos de Oeiras, Sintra e Cascais; o Perto de equipamentos escolares e hospitalares; comércio tradicional e centros comerciais e inserido numa zona de turismo de renome internacional com zonas residenciais de alta qualidade e de um aeródromo com ligações internacionais; o Facilidade de estacionamento;
  5. 5. Cluster o Concentração de empresas que se comunicam por possuírem características semelhantes e coabitarem no mesmo local. Elas colaboram entre si e, assim, se tornam mais eficientes. o No mundo existem diversos clusters industriais ligados a sectores como o automóvel as tecnologias da informação, turismo, industria audiovisual, transporte, logística, agricultura ou pesca entre outros. o Exemplos de clusters são Silicon Valley, na área da Califórnia onde se concentram um grande número de empresas de tecnologia (microeletrónica, tecnologias da informação e biotecnologia) ou o Kista na Suécia.
  6. 6. Especialização industrial o A interpretação do padrão da atividade económica em determinados países (regiões) e indústrias, é frequentemente feita através da sobreposição da análise da especialização desses países (regiões), com a análise da concentração das indústrias. o A Comissão Europeia define a especialização industrial, como a extensão pela qual um dado país concentra a sua atividade industrial num reduzido número de indústrias (ou sectores) 3. o Desta forma, e relativamente à região, ela terá uma estrutura produtiva “altamente especializada”, se um reduzido número de indústrias (ou sectores) detiver uma larga parcela da sua produção.
  7. 7. Vantagens o O processo de especialização tem vantagens reconhecidas, mas também apresenta alguns inconvenientes, com consequências, quer a nível nacional, quer regional. o Ao potenciar o desenvolvimento de economias de escala e de externalidades de “know-how”, a especialização pode ser a base para elevados níveis de rendimento e de produtividade, podendo levar a um crescimento mais rápido por parte das regiões onde ela for mais elevada. Em regra, as vantagens e desvantagens da especialização são agrupadas em 3 efeitos distintos: de eficiência, de risco e dinâmico. o Quando falamos da existência de uma especialização ao nível da empresa, é suposto ela ter capacidade para explorar economias de escala e utilizar fatores produtivos especializados, tirando proveito de um maior know-how, o que pode traduzir-se num aumento da sua eficiência (efeito de eficiência).
  8. 8. Desvantagens o Os riscos associados à especialização podem ser grandes, no caso de serem empresas pouco diversificadas (efeito de risco), o que se tornará particularmente desvantajoso se elas se encontrarem inseridas numa indústria que, uma vez ultrapassada a fase de maturidade, já esteja em declínio. o Apesar de ambos os efeitos terem aplicação quer a nível regional, quer nacional, há que contar ainda com um terceiro efeito (efeito dinâmico). Quer regiões, quer países, se forem especializados em indústrias de baixa remuneração salarial, e que, para além de maduras, tenham reduzida capacidade para diferenciar o produto, não estarão aptos a crescer de forma rápida.
  9. 9. o Pelo contrário, o facto de terem indústrias altamente especializadas, apenas poderá contribuir para elevados níveis de produtividade, se essa especialização tiver lugar em mercados dinâmicos, e se essas regiões, para além de possuírem recursos endógenos específicos, puderem usufruir de economias de escala significativas. o Só numa situação de existência de efeitos externos ou de fortes relações a montante e a jusante que favoreçam a concentração por via da redução dos custos, é que a concentração de indústrias numa dada região aumentará a sua competitividade.

×