SlideShare uma empresa Scribd logo

Estratégias de persuasão

1 de 1
Baixar para ler offline
ESTRATÉGIAS DE PERSUASÃO
Ethos – Costume, hábito
Refere-se ao caráter do orador.
Quando Aristóteles fala em ethos não se refere ao caráter real do orador mas a
uma técnica retórica.
O orador procura causa boa impressão, fazendo crer que possui racionalidade,
excelência e benevolência.

 Racionalidade porque só um pensamento desenvolvido é capaz de descobrir
soluções para os problemas dos cidadãos.



Excelência e Benevolência para mostrar que possui experiência e sabedoria e
que além disso é incapaz de deturpar os acontecimentos.

Pathos – Está relacionado com o auditório.
Refere-se aos sentimentos que o orador provoca nos ouvintes.
O orador, para captar a atenção dos ouvintes, tem de apelar diferentes tipos de
emoções, fazendo crer aos ouvintes que o discurso é espontâneo.
Logos – Palavras, Razão, Pensamento, Discurso.
Refere-se àquilo que é dito, ou seja, discurso argumentativo ou conjunto de
argumentos que o orador utiliza na defesa das opiniões.
O poder convincente do discurso exige que o argumentador assuma um estilo
especial no decorrer da argumentação, e deve obedecer ao seguinte:
1º O discurso deve ser brilhante, surpreendente e divertido mas deve parecer
sereno, claro e natural para se tornar convincente;
2º Deve usar metáforas pouco banais e pouco obscuras e compreensíveis pelos
ouvintes;
3º O discurso deve ter ritmo sem rima;
4º Não deve ser pomposo, evitando palavras complexas e epítetos (cognomes)
desnecessários;
5º Deve ser claro, adequado e pronunciado de forma viva e convincente;
6º A intensidade da voz, o ritmo e os gestos são importantes, pois tornam o
discurso espontâneo.
Para Aristóteles, o discurso engloba o tema, a tese, os argumentos e a conclusão, bem
como a ordem específica.
Anúncio

Recomendados

Demonstração e argumentação
Demonstração e argumentaçãoDemonstração e argumentação
Demonstração e argumentaçãoPaulo Gomes
 
Argumentação e retórica
Argumentação e retóricaArgumentação e retórica
Argumentação e retóricaRenata Antunes
 
Persuadir e convencer ethos, pathos e logos corrigido
Persuadir e convencer  ethos, pathos e logos corrigidoPersuadir e convencer  ethos, pathos e logos corrigido
Persuadir e convencer ethos, pathos e logos corrigidoj_sdias
 
Os dois usos da retórica
Os dois usos da retóricaOs dois usos da retórica
Os dois usos da retórica191169
 
Discurso Argumentativo e Retórica (de acordo com manual "Pensar Azul")
Discurso Argumentativo e Retórica (de acordo com manual "Pensar Azul")Discurso Argumentativo e Retórica (de acordo com manual "Pensar Azul")
Discurso Argumentativo e Retórica (de acordo com manual "Pensar Azul")Jorge Barbosa
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

rétorica, conhecimento e descartes
rétorica, conhecimento e descartesrétorica, conhecimento e descartes
rétorica, conhecimento e descartesAndreiaFFTeixeira
 
Persuasão racional e manipulação ou os dois usos da retórica
Persuasão racional e manipulação ou os dois usos da retóricaPersuasão racional e manipulação ou os dois usos da retórica
Persuasão racional e manipulação ou os dois usos da retóricaDaniela Costa
 
Argumentação e Demonstração
Argumentação e DemonstraçãoArgumentação e Demonstração
Argumentação e Demonstraçãocarolinagbarros
 
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICAARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICAnorberto faria
 
"Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser"
"Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser""Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser"
"Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser"Jorge David
 
Texto Argumentativo Ppt
Texto Argumentativo PptTexto Argumentativo Ppt
Texto Argumentativo Pptnelsramos
 
Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1
Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1
Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1Giovanni Damele
 
2 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp02
2 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp022 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp02
2 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp02Miguel Alves
 
Persuasão vs. manipulação
Persuasão vs. manipulaçãoPersuasão vs. manipulação
Persuasão vs. manipulaçãoBeatriz Fernandes
 
Expositivo argumentativo
Expositivo argumentativoExpositivo argumentativo
Expositivo argumentativoAmonelocadia
 

Mais procurados (20)

rétorica, conhecimento e descartes
rétorica, conhecimento e descartesrétorica, conhecimento e descartes
rétorica, conhecimento e descartes
 
A retórica
A retóricaA retórica
A retórica
 
Grupo 5
Grupo 5Grupo 5
Grupo 5
 
Persuasão racional e manipulação ou os dois usos da retórica
Persuasão racional e manipulação ou os dois usos da retóricaPersuasão racional e manipulação ou os dois usos da retórica
Persuasão racional e manipulação ou os dois usos da retórica
 
Argumentação e Demonstração
Argumentação e DemonstraçãoArgumentação e Demonstração
Argumentação e Demonstração
 
Ethos
EthosEthos
Ethos
 
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICAARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
 
Retórica
RetóricaRetórica
Retórica
 
Retórica 1
Retórica 1Retórica 1
Retórica 1
 
"Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser"
"Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser""Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser"
"Persuasão e Manipulação"-"Argumentação, verdade e ser"
 
Texto Argumentativo Ppt
Texto Argumentativo PptTexto Argumentativo Ppt
Texto Argumentativo Ppt
 
Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1
Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1
Retórica e Argumentação - 2016 - Aula 1
 
2 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp02
2 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp022 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp02
2 argumentaoeretrica-121111133751-phpapp02
 
Texto expositivo-argumentativo
Texto expositivo-argumentativoTexto expositivo-argumentativo
Texto expositivo-argumentativo
 
Argumentar
ArgumentarArgumentar
Argumentar
 
Persuasão vs. manipulação
Persuasão vs. manipulaçãoPersuasão vs. manipulação
Persuasão vs. manipulação
 
Expositivo argumentativo
Expositivo argumentativoExpositivo argumentativo
Expositivo argumentativo
 
Expositivo explicativo
Expositivo explicativoExpositivo explicativo
Expositivo explicativo
 
Texto Argumentativo
Texto Argumentativo Texto Argumentativo
Texto Argumentativo
 
O que é argumentar
O que é argumentarO que é argumentar
O que é argumentar
 

Destaque

O acordo de associação: Ucrânia e União Europeia
O acordo de associação: Ucrânia e União EuropeiaO acordo de associação: Ucrânia e União Europeia
O acordo de associação: Ucrânia e União EuropeiaJoana Filipa Rodrigues
 
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte II
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte IIImpacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte II
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte IIJoana Filipa Rodrigues
 
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte III
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte IIIImpacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte III
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte IIIJoana Filipa Rodrigues
 
Sistema Político da União Europeia - SPUE
Sistema Político da União Europeia - SPUESistema Político da União Europeia - SPUE
Sistema Político da União Europeia - SPUEJoana Filipa Rodrigues
 
A sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em PortugalA sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em PortugalJoana Filipa Rodrigues
 
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)Joana Filipa Rodrigues
 

Destaque (20)

O acordo de associação: Ucrânia e União Europeia
O acordo de associação: Ucrânia e União EuropeiaO acordo de associação: Ucrânia e União Europeia
O acordo de associação: Ucrânia e União Europeia
 
Parques de ciências e tecnologia
Parques de ciências e tecnologiaParques de ciências e tecnologia
Parques de ciências e tecnologia
 
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte II
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte IIImpacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte II
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte II
 
Retórica e democracia
Retórica e democraciaRetórica e democracia
Retórica e democracia
 
O bom uso da retórica
O bom uso da retóricaO bom uso da retórica
O bom uso da retórica
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte III
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte IIIImpacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte III
Impacto dos fluxos migratórios numa sociedade parte III
 
Policy Memorandum on Brexit
Policy Memorandum on BrexitPolicy Memorandum on Brexit
Policy Memorandum on Brexit
 
Sistema Político da União Europeia - SPUE
Sistema Político da União Europeia - SPUESistema Político da União Europeia - SPUE
Sistema Político da União Europeia - SPUE
 
A sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em PortugalA sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em Portugal
 
Falácias informais
Falácias informaisFalácias informais
Falácias informais
 
Cógito cartesiano de Descartes
Cógito cartesiano de DescartesCógito cartesiano de Descartes
Cógito cartesiano de Descartes
 
Silogismos
SilogismosSilogismos
Silogismos
 
A Crise dos Refugiados parte I
A Crise dos Refugiados parte IA Crise dos Refugiados parte I
A Crise dos Refugiados parte I
 
Tentativas absolutistas em inglaterra
Tentativas absolutistas em inglaterraTentativas absolutistas em inglaterra
Tentativas absolutistas em inglaterra
 
Conferência de Berlim
Conferência de BerlimConferência de Berlim
Conferência de Berlim
 
O Iluminismo (ou Filosofia das luzes)
O Iluminismo (ou Filosofia das luzes)O Iluminismo (ou Filosofia das luzes)
O Iluminismo (ou Filosofia das luzes)
 
Modelo Demografico Antigo e Novo
Modelo Demografico Antigo e NovoModelo Demografico Antigo e Novo
Modelo Demografico Antigo e Novo
 
Costa Cabral
Costa CabralCosta Cabral
Costa Cabral
 
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
 

Semelhante a Estratégias de persuasão

Regência no 3 e 4
Regência no 3 e 4Regência no 3 e 4
Regência no 3 e 4j_sdias
 
Argumentação e Retórica - Filosofia
Argumentação e Retórica - FilosofiaArgumentação e Retórica - Filosofia
Argumentação e Retórica - FilosofiaManel Massano
 
Ethos_pathos_logos
Ethos_pathos_logosEthos_pathos_logos
Ethos_pathos_logosIsabel Moura
 
Argumentação e retórica trb grupo filosofia
Argumentação e retórica  trb grupo filosofiaArgumentação e retórica  trb grupo filosofia
Argumentação e retórica trb grupo filosofiaJoão Bastos
 
Argumentação e retórica
Argumentação e retóricaArgumentação e retórica
Argumentação e retóricaCarlos Silva
 
Figuras de linguagem - Profª. Zenia Ferreira
Figuras de linguagem - Profª. Zenia FerreiraFiguras de linguagem - Profª. Zenia Ferreira
Figuras de linguagem - Profª. Zenia FerreiraAntonio Luiz
 
A Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdf
A Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdfA Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdf
A Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdfFatima Gouvea
 
Aula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptx
Aula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptxAula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptx
Aula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptxGIACOMONERONE
 
Ethos, pathos e logo.docx
Ethos, pathos e logo.docxEthos, pathos e logo.docx
Ethos, pathos e logo.docxFatimaMaio1
 
Curso de oratória 2018 Senac.pdf
Curso de oratória 2018 Senac.pdfCurso de oratória 2018 Senac.pdf
Curso de oratória 2018 Senac.pdfFbioBezerra18
 
ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA
ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIAARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA
ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIAnorberto faria
 
A importância da comunicação no atendimento tiago e ruben
A importância da comunicação no atendimento tiago e rubenA importância da comunicação no atendimento tiago e ruben
A importância da comunicação no atendimento tiago e rubenturmaec12a
 
Em busca do sentido – estudos discursivos
Em busca do sentido – estudos discursivosEm busca do sentido – estudos discursivos
Em busca do sentido – estudos discursivosMarcelo Ramiro
 
Persuasão e Grice.pptx
Persuasão e Grice.pptxPersuasão e Grice.pptx
Persuasão e Grice.pptxLairtesChaves1
 

Semelhante a Estratégias de persuasão (20)

Regência no 3 e 4
Regência no 3 e 4Regência no 3 e 4
Regência no 3 e 4
 
Retórica
Retórica Retórica
Retórica
 
Argumentação e Retórica - Filosofia
Argumentação e Retórica - FilosofiaArgumentação e Retórica - Filosofia
Argumentação e Retórica - Filosofia
 
Ethos_pathos_logos
Ethos_pathos_logosEthos_pathos_logos
Ethos_pathos_logos
 
Argumentação e retórica trb grupo filosofia
Argumentação e retórica  trb grupo filosofiaArgumentação e retórica  trb grupo filosofia
Argumentação e retórica trb grupo filosofia
 
Oratória
OratóriaOratória
Oratória
 
Argumentação e retórica
Argumentação e retóricaArgumentação e retórica
Argumentação e retórica
 
Figuras de linguagem - Profª. Zenia Ferreira
Figuras de linguagem - Profª. Zenia FerreiraFiguras de linguagem - Profª. Zenia Ferreira
Figuras de linguagem - Profª. Zenia Ferreira
 
A Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdf
A Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdfA Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdf
A Arte da Oratória_ Dominando a Comunicação Eficaz.pdf
 
Aula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptx
Aula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptxAula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptx
Aula 1 _ Escrita e fala de Poder Sensorial.pptx
 
Ethos, pathos e logo.docx
Ethos, pathos e logo.docxEthos, pathos e logo.docx
Ethos, pathos e logo.docx
 
Curso de oratória 2018 Senac.pdf
Curso de oratória 2018 Senac.pdfCurso de oratória 2018 Senac.pdf
Curso de oratória 2018 Senac.pdf
 
Práticas Articuladas 20-04.pptx
Práticas Articuladas 20-04.pptxPráticas Articuladas 20-04.pptx
Práticas Articuladas 20-04.pptx
 
Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.
 
ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA
ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIAARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA
ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA
 
A importância da comunicação no atendimento tiago e ruben
A importância da comunicação no atendimento tiago e rubenA importância da comunicação no atendimento tiago e ruben
A importância da comunicação no atendimento tiago e ruben
 
Em busca do sentido – estudos discursivos
Em busca do sentido – estudos discursivosEm busca do sentido – estudos discursivos
Em busca do sentido – estudos discursivos
 
Persuasão e Grice.pptx
Persuasão e Grice.pptxPersuasão e Grice.pptx
Persuasão e Grice.pptx
 
Grupo 1
Grupo 1Grupo 1
Grupo 1
 
Grupo 4
Grupo 4Grupo 4
Grupo 4
 

Mais de Joana Filipa Rodrigues

O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)
O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)
O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)Joana Filipa Rodrigues
 
Apontamentos de Teoria das Relações Internacionais I
Apontamentos de Teoria das Relações Internacionais IApontamentos de Teoria das Relações Internacionais I
Apontamentos de Teoria das Relações Internacionais IJoana Filipa Rodrigues
 
A Teoria Crítica pelos olhos de Robert Cox
A Teoria Crítica pelos olhos de Robert CoxA Teoria Crítica pelos olhos de Robert Cox
A Teoria Crítica pelos olhos de Robert CoxJoana Filipa Rodrigues
 
Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)
Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)
Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)Joana Filipa Rodrigues
 
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conaçãoPsicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conaçãoJoana Filipa Rodrigues
 
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoJoana Filipa Rodrigues
 
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1Joana Filipa Rodrigues
 
Provas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo DescartesProvas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo DescartesJoana Filipa Rodrigues
 

Mais de Joana Filipa Rodrigues (20)

O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)
O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)
O Acordo Nuclear entre o Irão e o P5 + 1/UE (2015)
 
Apontamentos de Teoria das Relações Internacionais I
Apontamentos de Teoria das Relações Internacionais IApontamentos de Teoria das Relações Internacionais I
Apontamentos de Teoria das Relações Internacionais I
 
A Teoria Crítica pelos olhos de Robert Cox
A Teoria Crítica pelos olhos de Robert CoxA Teoria Crítica pelos olhos de Robert Cox
A Teoria Crítica pelos olhos de Robert Cox
 
Soberania - Sovereignty by Sorensen
Soberania - Sovereignty by SorensenSoberania - Sovereignty by Sorensen
Soberania - Sovereignty by Sorensen
 
Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)
Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)
Joint Comprehensive Plan of Action - JCPOA (2015)
 
Comunidade Europeia: OPNI?
Comunidade Europeia: OPNI?Comunidade Europeia: OPNI?
Comunidade Europeia: OPNI?
 
Victor Gavin
Victor GavinVictor Gavin
Victor Gavin
 
Liberdade vs. Igualdade
Liberdade vs. IgualdadeLiberdade vs. Igualdade
Liberdade vs. Igualdade
 
Globalização e Direitos Humanos
Globalização e Direitos HumanosGlobalização e Direitos Humanos
Globalização e Direitos Humanos
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
 
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conaçãoPsicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
 
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
 
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
 
Psicologia 12º
Psicologia 12ºPsicologia 12º
Psicologia 12º
 
Fidel Castro
Fidel CastroFidel Castro
Fidel Castro
 
Provas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo DescartesProvas da existência de Deus segundo Descartes
Provas da existência de Deus segundo Descartes
 
O racionalismo de Descartes
O racionalismo de DescartesO racionalismo de Descartes
O racionalismo de Descartes
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
 
Estrutura do ato de conhecer
Estrutura do ato de conhecer Estrutura do ato de conhecer
Estrutura do ato de conhecer
 
Kant e Stuart Mill
Kant e Stuart MillKant e Stuart Mill
Kant e Stuart Mill
 

Estratégias de persuasão

  • 1. ESTRATÉGIAS DE PERSUASÃO Ethos – Costume, hábito Refere-se ao caráter do orador. Quando Aristóteles fala em ethos não se refere ao caráter real do orador mas a uma técnica retórica. O orador procura causa boa impressão, fazendo crer que possui racionalidade, excelência e benevolência.  Racionalidade porque só um pensamento desenvolvido é capaz de descobrir soluções para os problemas dos cidadãos.  Excelência e Benevolência para mostrar que possui experiência e sabedoria e que além disso é incapaz de deturpar os acontecimentos. Pathos – Está relacionado com o auditório. Refere-se aos sentimentos que o orador provoca nos ouvintes. O orador, para captar a atenção dos ouvintes, tem de apelar diferentes tipos de emoções, fazendo crer aos ouvintes que o discurso é espontâneo. Logos – Palavras, Razão, Pensamento, Discurso. Refere-se àquilo que é dito, ou seja, discurso argumentativo ou conjunto de argumentos que o orador utiliza na defesa das opiniões. O poder convincente do discurso exige que o argumentador assuma um estilo especial no decorrer da argumentação, e deve obedecer ao seguinte: 1º O discurso deve ser brilhante, surpreendente e divertido mas deve parecer sereno, claro e natural para se tornar convincente; 2º Deve usar metáforas pouco banais e pouco obscuras e compreensíveis pelos ouvintes; 3º O discurso deve ter ritmo sem rima; 4º Não deve ser pomposo, evitando palavras complexas e epítetos (cognomes) desnecessários; 5º Deve ser claro, adequado e pronunciado de forma viva e convincente; 6º A intensidade da voz, o ritmo e os gestos são importantes, pois tornam o discurso espontâneo. Para Aristóteles, o discurso engloba o tema, a tese, os argumentos e a conclusão, bem como a ordem específica.