Causas das aflições

1.121 visualizações

Publicada em

Fala sobre a Justiça da Aflições pela ótica espirita. Realizada Por Eduardo Ottonelli Pithan

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.121
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • ESE, Cap. III – Há muitas moradas na casa de meu Pai.
  • Causas das aflições

    1. 1. Eduardo Ottonelli Pithan Grupo Vagalumes – Novo Hamburgo E-mail: eduardopithan64@gmail.com Facebook: facebook.com/Eduardoo.pithan 82042277 “...Um coração de paz não é conquista que se adquire apenas com ausência do mal, mas, principalmente, pela presença do bem.” Espirito Karina, Livro Corações em Busca de Paz, Prefácio
    2. 2. Algumas frases para nos inspirar Não há uma só falta, por menor que seja, que não acarrete consequências mais ou menos dolorosas. (Evangelho Segundo o Espiritismo, cap V, 4) “...o homem sofre aquilo que fez os outros sofrerem. Se foi duro e desumano, poderá ser tratado com dureza e desumanidade; se foi orgulhoso, poderá nascer numa condição humilhante; se foi avarento, egoísta, ou empregou mal sua fortuna, poderá ser privado do necessário. Se foi um mau filho, poderá sofrer com os próprios filhos, e assim por diante.” (Evangelho Segundo o Espiritismo, cap V, 4) “...Deus não coloca fardos pesados em ombros fracos, pois o fardo é proporcional às forças, assim como a recompensa será proporcional a resignação e a coragem.” (Evangelho Segundo o Espiritismo, cap V, 6)
    3. 3. Referências Bibliográficas EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO, Allan Kardec, (Cap V) LIVRO DOS ESPIRITOS, Allan Kardec O CÉU E O INFERNO, Allan Kardec (Cap VII, Código Penal da Vida Futura) MEMÓRIAS DE UM TOXICÔMANO, Marcos Alberto Ferreira, Pelo Espírito Tiago CORAÇÕES EM BUSCA DE PAZ, Marcos Alberto Ferreira, pelo espirito Tiago
    4. 4. EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO
    5. 5.  A Terra é um exemplo de mundo expiatório, cuja característica comum é servir para resgatar as culpas dos Espíritos rebeldes.  Exilados aqui, esses Espíritos têm que lutar contra a perversidade dos homens e os rigores da Natureza. Trabalho duplo e difícil que desenvolve as qualidades do coração e as da inteligência. (ESE, Santo Agostinho)
    6. 6. O que são Expiações e Provas - DIFERENÇA PROVAS Escolhidas EXPIAÇÕES Impostas
    7. 7. AFLIÇÕES AFLIÇÕES Desnecessárias Más escolhas necessárias Provas Expiações
    8. 8. CAUSAS DAS AFLIÇÕES Causas AFLIÇÕES Vidas PASSADAS Vida PRESENTE
    9. 9. Vida PRESENTE = desnecessárias = más escolhas  Resultado da imprevidência, orgulho e de sua ambição!  Quantos se arruinam por falta de ordem, de perseverança, pelo mau proceder, ou por não terem sabido limitar seus desejos!  Quantas uniões apenas por interesse ou de vaidade e nas quais o coração não tomou parte alguma!  Quantas reações sem reflexão frente a emoções. (Mãe Yanni)  Quantas doenças e enfermidades decorrem da intemperança e dos excessos de todo gênero! (alimentação, álcool, drogas, etc)  Quantos pais são infelizes com seus filhos, porque não lhes combateram desde o princípio as más tendências! Por fraqueza, ou indiferença, deixaram que neles se desenvolvessem os germens do orgulho, do egoísmo e da tola vaidade, que produzem a secura do coração;
    10. 10. Vida PRESENTE - Esclarecendo Remontem passo a passo à origem dos males que os torturam e verifiquem se, as mais das vezes, não poderão dizer: “Se eu houvesse feito, ou deixado de fazer tal coisa, não estaria em semelhante condição.” Ou Seja, nós mesmos damos causa a muitas das nossas aflições apenas com escolhas equivocadas.
    11. 11. Vidas PASSADAS = Necessárias = frutos más escolhas noutras existências  Outras Aflições há também aos quais, pelo menos na aparência, ele é completamente estranho e que parecem atingi-lo como por fatalidade. Tal, por exemplo, a perda de entes queridos e a dos que são o amparo da família. Tais, ainda, os acidentes que nenhuma previsão poderia impedir; os reveses da fortuna, que frustram todas as precauções aconselhadas pela prudência; os flagelos naturais, as enfermidades de nascença, sobretudo as que tiram a tantos infelizes os meios de ganhar a vida pelo trabalho: as deformidades, a idiotia, o cretinismo, etc.  Que dizer, enfim, dessas crianças que morrem em tenra idade e da vida só conheceram sofrimentos? Os que nascem nessas condições, certamente nada hão feito na existência atual para merecer.  Todavia, por virtude do axioma segundo o qual todo efeito tem uma causa, tais misérias são efeitos que hão de ter uma causa e, desde que se admita um Deus justo, essa causa também há de ser justa. Ora se esta não se encontra na vida atual, há de ser anterior a essa vida, isto é, há de estar numa existência precedente.
    12. 12. Vidas PASSADAS – Desta Forma O homem, pela ação de uma rigorosa justiça distributiva, sofre o que fez sofrer aos outros. Se foi duro e desumano, poderá ser a seu turno tratado duramente e com desumanidade; se foi orgulhoso, poderá nascer em humilhante condição; se foi avaro, egoísta, ou se fez mau uso de suas riquezas, poderá ver-se privado do necessário; se foi mau filho, poderá sofrer pelo procedimento de seus filhos, etc.
    13. 13. AFLIÇÃO OPORTUNID ADE RESGATAR PASSADO REPENSAR FUTURO “...Uma nova encarnação é sempre oportunidade única para a conquistas de novos aprendizados e para o resgate de nossos débitos.” (Lucius, Mentor Tiago, Livro Corações em Busca de Paz.)
    14. 14. Livro dos Espíritos
    15. 15. LIVROS DOS ESPIRITOS 258. Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, tem o Espírito consciência e previsão do que lhe sucederá no curso da vida terrena? “Ele próprio escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisso consiste o seu livre-arbítrio.” 264. Que é o que dirige o Espírito na escolha das provas que queira sofrer? “Ele escolhe, de acordo com a natureza de suas faltas, as que o levem à expiação destas e a progredir mais depressa. Uns, portanto, impõem a si mesmos uma vida de misérias e privações, objetivando suportá-las com coragem; outros preferem experimentar as tentações da riqueza e do poder, muito mais perigosas, pelos abusos e má aplicação a que podem dar lugar, pelas paixões inferiores que uma e outros desenvolvem; muitos, finalmente, se decidem a experimentar suas forças nas lutas que terão de sustentar em contato com o vício.”
    16. 16. LIVROS DOS ESPIRITOS 266. Não parece natural que se escolham as provas menos dolorosas? “Pode parecer-vos a vós; ao Espírito, não. Logo que este se desliga da matéria, cessa toda ilusão e outra passa a ser a sua maneira de pensar.” 269. Pode o Espírito enganar-se quanto à eficiência da prova que escolheu? “Pode escolher uma que esteja acima de suas forças e sucumbir. Pode também escolher alguma que nada lhe aproveite, como sucederá se buscar vida ociosa e inútil. Mas, então, voltando ao mundo dos Espíritos, verifica que nada ganhou e pede outra que lhe faculte recuperar o tempo perdido.”
    17. 17. LIVROS DOS ESPIRITOS 920. Pode o homem gozar de completa felicidade na Terra? “Não, por isso que a vida lhe foi dada como prova ou expiação. Dele, porém, depende a suavização de seus males e o ser tão feliz quanto possível na Terra.” 926. Criando novas necessidades, a civilização não constitui uma fonte de novas flições? “Os males deste mundo estão na razão das necessidades fictícias que vos criais. A muitos desenganos se poupa nesta vida aquele que sabe restringir seus desejos e olha sem inveja para o que esteja acima de si. O que menos necessidades tem, esse o mais rico. “Invejais os gozos dos que vos parecem os felizes do mundo. Sabeis, porventura, o que lhes está reservado? Se os seus gozos são todos pessoais, pertencem eles ao número dos egoístas: o reverso então virá. Deveis, de preferência, lastimá-los. Deus algumas vezes permite que o mau prospere, mas a sua felicidade não é de causar inveja, porque com lágrimas amargas a pagará. Quando um justo é infeliz, isso representa uma prova que lhe será levada em conta, se a suportar com coragem. Lembrai-vos destas palavras de Jesus: Bem-aventurados os que sofrem, pois que serão consolados.”
    18. 18. LIVROS DOS ESPIRITOS 931. Por que são mais numerosas, na sociedade, as classes sofredoras do que as felizes? “Nenhuma é perfeitamente feliz e o que julgais ser a felicidade muitas vezes oculta pungentes aflições. O sofrimento está por toda parte. Entretanto, para responder ao teu pensamento, direi que as classes a que chamas sofredoras são mais numerosas, por ser a Terra lugar de expiação. Quando a houver transformado em morada do bem e de Espíritos bons, o homem deixará de ser infeliz aí e ela lhe será o paraíso terrestre.” 932. Por que, no mundo, tão amiúde, a influência dos maus sobrepuja a dos bons? “Por fraqueza destes. Os maus são intrigantes e audaciosos, os bons são tímidos. Quando estes o quiserem, preponderarão.”
    19. 19. O céu e o inferno
    20. 20. O CÉU E O INFERNO 10º - O Espírito sofre, quer no mundo corporal, quer no espiritual, a consequências das suas imperfeições. As misérias, as vicissitudes padecidas na vida corpórea, são oriundas das nossas imperfeições, são expiações de faltas cometidas na presente ou em precedentes existências. Pela natureza dos sofrimentos e vicissitudes da vida corpórea, pode julgar-se a natureza das faltas cometidas em anterior existência, e das imperfeições que as originaram.
    21. 21. O CÉU E O INFERNO 13º - A duração do castigo depende da melhoria do Espírito culpado. Nenhuma condenação por tempo determinado lhe é prescrita. O que Deus exige por termo de sofrimentos é um melhoramento sério, efetivo, sincero, de volta ao bem. Deste modo o Espírito é sempre o árbitro da própria sorte, podendo prolongar os sofrimentos pela pertinácia no mal, ou suavizá-los e anulá-los pela prática do bem. Uma condenação por tempo predeterminado teria o duplo inconveniente de continuar o martírio do Espírito renegado, ou de libertá-lo do sofrimento quando ainda permanecesse no mal. Ora, Deus, que é justo, só pune o mal enquanto existe, e deixa de o punir quando não existe mais; por outra, o mal moral, sendo por si mesmo causa de sofrimento, fará este durar enquanto subsistir aquele, ou diminuirá de intensidade à medida que ele decresça.
    22. 22. O CÉU E O INFERNO 16º - O ARREPENDIMENTO, conquanto seja o primeiro passo para a regeneração, não basta por si só; são precisas a EXPIAÇÃO e a REPARAÇÃO. Arrependimento, expiação e reparação constituem, portanto, as três condições necessárias para apagar os traços de uma falta e suas consequências. O arrependimento suaviza os travos da expiação, abrindo pela esperança o caminho da reabilitação; só a reparação, contudo, pode anular o efeito destruindo-lhe a causa. Do contrário, o perdão seria uma graça, não uma anulação.
    23. 23. ARREPENDIMENTO EXPIAÇÃO/PROVA REPARAÇÃO
    24. 24. O CÉU E O INFERNO 17º - O ARREPENDIMENTO pode dar-se por toda parte e em qualquer tempo; se for tarde, porém, o culpado sofre por mais tempo. Até que os últimos vestígios da falta desapareçam, a EXPIAÇÃO consiste nos sofrimentos físicos e morais que lhe são consequentes, seja na vida atual, seja na vida espiritual após a morte, ou ainda em nova existência corporal. A REPARAÇÃO consiste em fazer o bem àqueles a quem se havia feito o mal. Quem não repara os seus erros numa existência, por fraqueza ou má-vontade, achar-se-á numa existência ulterior em contato com as mesmas pessoas que de si tiverem queixas, e em condições voluntariamente escolhidas, de modo a demonstrar-lhes reconhecimento e fazer-lhes tanto bem quanto mal lhes tenha feito. (...) praticando o bem em compensação ao mal praticado, isto é, tornando-se humilde se se tem sido orgulhoso, amável se se foi austero, caridoso se se tem sido egoísta, benigno se se tem sido perverso, laborioso se se tem sido ocioso, útil se se tem sido inútil, frugal se se tem sido intemperante, trocando em suma por bons os maus exemplos perpetrados. E desse modo progride o Espírito, aproveitando-se do próprio passado.
    25. 25. Livros Memórias de Um Toxicômano e Corações em busca de paz
    26. 26. Corações em busca de paz Oração proferida por Lucius – Mentor de Tiago, no Cap 3 “...Que as provas sejam suficientes para o aprendizado necessário e o resgate, ainda que parcial, dos débitos contraídos, mas que o fardo não seja demasiadamente pesado, de forma a lhes comprometer o sucesso da empreitada.” “As provas e as oportunidades tem que ser do tamanho da capacidade da pessoa. Se forem menores, muito tempo será desperdiçado e a conquista, ainda que venha, será sempre menor do que se poderia conseguir. Contudo, se o planejamento prever provas e oportunidades muito acima da capacidade da pessoa, ela correrá o risco de sucumbir e aí não se obtém nem o muito que se previu nem o pouco que poderia. Assim um programa de vida tem que precisar a medida da capacidade sociomoral e intelectiva do ser reencarnante.”
    27. 27. 7 Etapas para preparar uma encarnação 1ª REVITALIZAR A MEMÓRIA buscar débitos e origem dos débitos no passado; 2ª VERIFICAR AS NECESSIDADES DE CONQUISTAS De posse dos dados das vidas pretéritas aferir quais as suas necessidades de conquista (perdão, reconciliação, humildade, etc) e também que ferramentas dispõe para o início do progresso; 3ª ENCONTRO DE AMIGOS DA FAMÍLIA ESPIRITUAL Encontrar componentes da família espiritual que tenham condições de orientar e educar na próxima jornada (pais, irmãos, amigos); 4ª TRAÇAR O ROTEIRO DE VIDA de posse destes dados traçar um roteiro de vida que apresente oportunidades de aprendizado, seja no campo pessoal, profissional, intelectual e moral. Mas também haverá percalços, as dificuldades, os débitos a serem resgatados. Assim não terão um destino, mas um roteiro. LIVRE-ARBÍTRIO
    28. 28. 7 Etapas para preparar uma encarnação 5ª PREPARAÇÃO PARA A ENCARNAÇÃO O espirito será preparado no mundo espiritual para desempenhar suas atividades e superar suas dificuldades. 6ª ENCONTRO COM OS FUTUROS PAIS O espirito se encontrará com futuros pais, irmãos, mestres e todos aqueles que assumirão algum papel importante na experiência que irão viver. 7ª ESCOLHA DE UM ANJO DA GUARDA Encontrar um irmão no Plano espiritual que receberá a incumbência de acompanhar seus passo e orientar quando necessário.
    29. 29. Toda preparação e o resultado? Orientações de Lucius – Mentor de Tiago, no Cap 3 “...É obvio que todos passam por situações semelhantes, embora a complexidade esteja diretamente ligada às necessidades e ao grau de evolução de cada um. O homem na terra tem reiteradamente sucumbido diante da prova, infelizmente.”
    30. 30. Causas de Queda nas Encarnações “...normalmente o homem começa a se perder quando passa a valorizar excessivamente as coisas da matéria e acaba por decair quando se afasta de Deus, deixando de lado os valores religiosos que estão no coração de todos nós.” Erros mais comuns: Os BENS MATERIAIS, o PODER, os DESVIOS DO SEXO, dentre outros, tem sido a razão maior do afastamento dos homens de seus roteiros. Isso acontece porque ainda não aprendemos a vencer nossas más inclinações.
    31. 31. FIM

    ×